CLÉRIO'S HOME PAGE
CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT´ANNA                                             VOLTAR

GRÊMIO CARNAVALESCO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA
TRADIÇÃO SERRANA

Tradição Serrana Campeã do Grupo de Acesso de 2012
Tradição supera a Rosas de Ouro e volta ao Grupo Especial

HISTÓRICO - A G.C.R.E.S. Tradição Serrana é a caçula entre as escolas de samba capixabas. Foi fundada oficialmente em 2000, mas sua história se inicia em 1992 quando houve a interrupção dos desfiles das escolas capixabas. Mário do Pega, histórico compositor da Escola de Samba ‘Pega no Samba’, juntou os foliões dos bairros Gurigica (Vitória) e Feu Rosa (Serra) e formou um bloco carnavalesco chamado "Tradição do Samba", que desfilou por 5 anos como bloco de rua. Em 2000 surgiu a idéia de transformar o bloco em Escola de Samba. E para isto foi adotado o mesmo nome do bloco, "Tradição", acrescentando-se o "Serrana" por causa do Município da Serra. Foram adotadas as cores azul e branco e na bandeira figuram dois beija-flores em homenagem ao naturalista Augusto Ruschi. O Beija Flor, por Lei Estadual é o Pássaro Símbolo do Espírito Santo. Na Bandeira também foram colocados dois ramo de café, a principal cultura agrícola do Estado e uma coroa imperial que simboliza a passagem de D. Pedro II (em 1860), no Município da Serra na época do Império. Em seu primeiro desfile, a Tradição Serrana surpreendeu. Com um bom samba e um excelente enredo denominado “A Lenda do Pássaro de Fogo”, a escola, desfilando debaixo de um sol forte, passou com muita empolgação e com bonitas fantasias. Na primeira foto o Escritor Clério José Borges, com Zenaide, Cleberson e Jeani com a fantasia "Esperança", representando a Escola de Samba Piedade. Na segunda foto, Clério José Borges e o Presidente da Escola de Samba Tradição Serrana, Jasson Gomes da Cunha, no Sambão do Povo, no dia 09/02/2012, data do desfile da Tradição Serrana no Carnaval de Vitória de 2012. Na terceira foto, o Presidente da Tradição Serrana, Jasson Gomes da Cunha e o Escritor Clério José Borges, felizes exibindo o Troféu de Campeã do Grupo de Acesso de 2012, conquistado pela Escola de Samba Tradição Serrana, que em 2013 está Desfilando no Sambão do Povo em Vitória no Grupo Especial das Escolas de Samba.

Fundação: 1º de Outubro de 2000. Cores: Azul, branco e vermelho Presidente: Jasson Gomes da Cunha. Endereço: Rua Pau Brasil, Feu Rosa. Bairro: Feu Rosa e Vila Nova de colares Telefone: (27) 92 22 95 99 ou 92 46 91 51


CARNAVAL 2012

Tradição Serrana supera a Rosas de Ouro e volta ao Grupo Especial

Foto 01: Presidente da Tradição Serrana, Jasson Gomes da Cunha e o Escritor Clério José Borges, felizes exibindo o Troféu de Campeã do Grupo de Acesso de 2012, conquistado pela Escola de Samba Tradição Serrana, que em 2013 está Desfilando no Sambão do Povo em Vitória no Grupo Especial das Escolas de Samba.
Foto 02 - Grupo de foliões do Bloco MUL - Mocidade Unida de Laranjeiras, com o presidente Jasson exibindo o troféu conquistado pela Tradição Serrana em 2012.

"As Treze Maravilhas do Carnaval Capixaba". É com este enredo, que presta homenagem a todas as escolas de samba que desfilam no Sambão do Povo, a Tradição Serrana se apresentou nesta quinta feira, dia 09 de fevereiro de 2012 no Carnaval de Vitória. A azul e branca do bairro Feu Rosa, na Serra, foi a terceira agremiação a pisar na passarela do samba capixaba na quinta-feira (09/02), dia dos desfiles do grupo de acesso. No Carro abre alas, colibris e coroas dão o tom do amor pela caçula da folia capixaba. Esses são os símbolos da bandeira da Tradição. As cores da escola também estavam presentes nos detalhes das roupas que desfilaram na primeira noite de desfiles no Sambão do Povo.

Com um tema exaltando as co-irmãs que desfilam no sambódromo Walmor Miranda, a Tradição Serrana mostrou não só a folia capixaba, mas também a origem do carnaval. Os bailes de Veneza, a criação da folia e as origens dos festejos abrem o desfile. A comissão de frente representou os neurônios. O carnavalesco da escola, Rogério Orsi, (Rogério de Yansã), em entrevista ao Gazeta On Line, utiliza uma explicação curiosa para a escolha. "Haja neurônio para fazer carnaval no Espírito Santo. As verbas, recursos, material humano, o comércio que não contribui e não melhora. Poderíamos estar comprando coisas aqui mesmo, mas não tem nada disso. No meio disso tudo, os nossos neurônios vão sabe-se lá para onde".

O abre-alas da Tradição representou a Ilha do Mel, como é apelidada a cidade de Vitória, que recebe as escolas da própria ilha e das cidades vizinhas uma semana antes do carnaval oficial do Brasil. Praias e características folclóricas estavam na alegoria inicial. A partir do segundo setor tem início efetivamente a homenagem a cada uma das escolas de samba. O carnavalesco conta a ideia. "Estamos lembrando cada escola pelas cores, os símbolos. Para que façamos, dentro do possível, uma representação dessas escolas de samba".

Segundo o site do Jornal Folha Vitória, a Tradição Serrana em sua apresentação com o enredo “As 13 maravilhas do carnaval capixaba”, na verdade "coloriu o Sambão do Povo mas não chegou a empolgar o público na arquibancada, porém foi aplaudida durante sua evolução na avenida. Além das escolas, a Tradição Serrana fez uma homenagem ao Município de Vitória. Passava de 1 hora da madrugada quando a escola encerrou seu desfile. Apesar do horário, os componentes esbanjaram disposição e mostraram que o samba-enredo estava na ponta da língua, a verdadeira alegria do povo serrano, como diz trecho da música." Segundo ainda o site www.folhavitoria.com.br, "mesmo com empenho em retornar ao grupo de elite, a agremiação deve perder alguns pontos importantes, já que não apresentou o número mínimo de carros alegóricos."

O Bloco "Cara de Pau" do bairro Eurico Salles esteve presente na ala toda de verde apelidada de Esperança e que representava a Escola de Samba Piedade. Bloco Cara de Pau, ensaia na Praça dos Pássaros, em Eurico Salles e o seu desfile pelas ruas do bairro é sempre na quinta feira antes do Carnaval. O presidente atual do Cara de Pau é Fábio Santana, Telefone (27) 98 49-66 61. Em 2011 o Bloco Cara de Pau abriu o Carnaval do Município da Serra na quinta feira dia 03 de Março de 2011, com o tema "O Progresso é quando se sabe crescer". Um desfile bastante prestigiado pela Comunidade, conforme Vídeo postado no You Tube pelo Escritor Clério José Borges, morador de Eurico Salles. Ver Vídeo ao lado. Parabéns ao Presidente Fábio Santana e toda a sua Diretoria. Em 2012 o desfile foi no dia 16 de fevereiro. O Bloco acontece sempre na quinta-feira que antecede o Carnaval Brasileiro Oficial. Atualmente cerca de mil e quinhentos foliões acompanham o desfile que trata em seu enredo de vários temas com alegria e criatividade. A cada ano são homenageados dois moradores do bairro no samba-enredo e os ensaios da bateria tornou-se um evento que movimenta a Praça dos Pássaros, em Eurico Salles. No ano de 2012 os homenageados foram Antônio Rabbi (Toni) e o Grupo da Terceira Idade "Projeto Conviver para Viver Melhor". Ver vídeo acima.

Outros Blocos da Serra, filiados a Liga Serrana de Blocos Carnavalescos estiveram participando de outras Alas, representando outras Escolas de Samba do Carnaval Capixaba. Uma das Alas bem aninadas foi a do Bloco MUL - Mocidade Unida de Laranjeiras, com Margareth Guzzo comandando a galera. A MUL, foi fundada no bairro de Parque Res. Laranjeiras, Serra, ES, Brasil, no dia 02/01/2004, pelo casal Margareth Guzzo e Júnior Gomes. Inicialmente participavam do Grupo 15 pessoas, todos fantasiados de mulher, que saíram pela primeira vez no Carnaval de 1998, sob a denominação de Bloco das Piranhas. Em 2004, a agremiação mudou a denominação de "Bloco das Piranhas", para MUL - Mocidade Unida de Laranjeiras, sendo a data oficial de fundação: 02/02/04. Fundadores: Margareth Guzzo e Sebastião Gomes Junior (Junior Gomes), Maxwell, Sônia Mara, Sonilda, Roney, Eliudison e Tânia, todos Moradores de Parque Res. Laranjeiras e Valparaíso. INFORMAÇÕES: 32384912 - 92579276 - MARGARETH 9257-4253 - JÚNIOR. Na foto ao lado o casal Margareth e Junior Gomes em foto de 09/02/2012 no Sambão do Povo, antes da apresentação da Tradição Serrana.

TRADIÇÃO SERRANA - SAMBA ENREDO DE 2012 - As 13 Maravilhas do Carnaval Capixaba

Compositores: Costa Pereira, Eduardo Martins, Rogério de Yansã e Ney do Cavaco.

Intérprete: Willians Barbosa


Quem sou eu, vocês irão saber

Agora, sou a história do samba

Do carnaval de Vitória, as treze

Maravilhas em uma hora de esplendor


Sou alegria do povo serrano

Tradição Serrana eu sou?


Vem é hora, o show vai começar

Vem comigo, meu canto é forte

Ninguém vai nos segurar

Foi um sonho, sonhamos juntos


Se tornou realidade, coração explode

Alegria, viemos sacudir esta cidade.

A sirene tocou, sinal verde abriu.

Taí, Tradição surgiu


Surgiu a realeza de veneza

Baile de máscaras

A nobreza dança de salão, minueto

Pierrots e colombinas, arlequins

Fascinação

Reciclando eu vou, eu vou, fabricando ilusão

Chuva de confetes e serpentinas

Na multidão, borboletas em multicor

Como é lindo o bailar do beija-flor

Vem meu colibri, chegou a hora da virada

Canta comunidade, com raça, garra e coragem.



Tradição Serrana supera a Rosas de Ouro e volta ao Grupo Especial

Diretores da agremiação Rosas de Ouro, indignados com o resultado, afirmaram que vão abandonar o Carnaval capixaba.

Fonte: Internet - Gazeta online

Terceira escola a pisar no Sambão do Povo na noite da última quinta-feira (09), a Tradição Serrana, voltou ao Grupo Especial nesta terça-feira após a apuração de votos feita pela Lieses no ginásio do Álvares.

O desfile

A escola, que prometia uma grande apresentação, fez um desfile com alguns problemas, mas vibrante, com garra e atrativo. O principal foi a quebra de dois carros alegóricos. O mínimo, exigido de cada escola do Grupo de Acesso é três. A escola só desceu com o abre-alas.

Outro grande problema foi a iluminação. A partir da metade do desfile, os refletores situados sobre os camarotes apagou a partir do varandão até a dispersão. A escola não passou no escuro, mas também não recebeu a iluminação adequada no final do Sambão do Povo. Apesar dos problemas técnicos, os integrantes não entregaram os pontos antes da hora.

A Tradição Serrana a todo instante procurou levantar os integrantes, que correspondiam cantando o samba-enredo. A rainha da bateria, Miriam, 30 anos, veio fantasiada de águia, vestida com um minúsculo biquini branco e prata, a mulata sacudiu o sambão com muita simpatia. O corpo escultural também chamou a atenção do público.

A Comissão de frente, apesar de muito bem coreografada, bem vestida e maquiagem impecável parecia tensa em determinados instantes. Principalmente quando a ornamentação da cabeça de uma das 11 bailarinas caiu. O susto foi grande, mas elas seguiram adiante arrancando aplausos do público.

A Comissão de Frente veio vestida de macacões verdes, cabeça com penas roxas e longos fios dourados que caiam do costeiro dourado. Elas representaram os neurônios. Foi uma alusão a loucura, as viagens e alucinações criativas dos carnavalescos. "Afinal sem eles, o carnaval não teria essa magia que contagia a todos", disse uma das bailarinas

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, José Luiz e Franciele Caetano, veio de Campos, no Norte fluminense, especialmente para o desfile da Tradição Serrana. Os dois estavam ricamente vestidos de azul e prata representando a alegria do carnaval. O casal veio ladeado por oito casais representando o baile de máscaras. Na avenida eram os guardiães do mestre-sala e da porta-bandeira.

Fonte: Internet - Gazeta online

VÍDEO DO TROFÉU DA ESCOLA DE SAMBA TRADIÇÃO SERRANA, CAMPEÃ DO GRUPO DE ACESSO 2012







CARNAVAL DE 2011

Uma obra de ficção, na qual a fantasia se alterna com a realidade histórica. Essa é a definição do enredo da Tradição Serrana no Carnaval de Vitória 2011, "De Paranapuã à Serra Encantada dos Deuses Temiminós". “Buscamos com esse enredo uma forma diferente de contar a fundação do município de Serra, fazendo com que os fatos históricos corressem paralelos à fantasia e tendo como ponto central o amor entre Maira e Ubiratã, um casal de índios da tribo dos Temininós”, resume o presidente da escola, Jasson Gomes.

A Tradição Serrana cantou a força do amor do casal indígena, seus deuses, a fauna e a flora existentes no município serrano. “Pretendemos mostrar uma escola coesa, contando com a participação de 15 blocos da Serra entre nossos desfilantes para contar o enredo e o começo do município fundado por Maracajaguaçú e Arariboia”, explica o presidente. A história começa em Paranapuã, hoje Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, contando a saga do índio Ubiratã e sua amada Maira, até chegar à cidade que os Temininós fundaram na terra capixaba. “Aquela cidade floresceu e é hoje uma das mais prósperas do Espírito Santo. Do alto do Mestre Álvaro, a montanha encantada, os deuses continuam abençoando e protegendo os serranos, herdeiros de Ubiratã e Maira”, complementa. Durante o desfile da escola, não faltaram lendas, mitos e divindades indígenas, bem como suas guerras retratadas em alas e alegorias. A bateria, por exemplo, virá representando Xandoré, o deus do ódio da nação Tupi.

Paranapuã, atual Ilha do Governador na baía de Guanabara, RJ é tema no Carnaval Capixaba Escola de Samba Capixaba, Tradição Serrana do Município da Serra, Espírito Santo. Clério José Borges participou da ALA da Turma de Eurico Salles, BLOCO CARA DE PAU, com setenta Pessoas. A Tradição Serrana foi a segunda a desfilar na avenida, no Carnaval de 2011 e homenageou o Município da Serra. Trata-se uma história fictícia onde a aldeia do jovem guerreiro Ubiratã é destruída pela tribo Tupinambás, amigos dos invasores franceses. Os índios da tribo de Ubiratã fogem e, com eles, vai Maira, amada do guerreiro. Ubiratã, então, sai à sua procura e a acha onde o rio Jacaraípe encontra o mar. Depois, com ajuda de um padre, funda a aldeia Nossa Senhora da Conceição, hoje Município da Serra. O certo é que a Serra, no Espírito Santo, foi fundada em 1556, pelo Padre Jesuita Braz Lourenço e o Chefe da Tribo dos Temininós, Maracajaguaçu, o Gato Grande, que vieram da Ilha de Paranapuã, (Seio do Mar) na Baía de Guanabara no Rio de Janeiro. Paranapuã é a atual Ilha do Governador. Fonte: Livro História da Serra, de autoria de Clério José Borges.

SAMBA ENREDO DE 2011
Eu vi chegar de Paranapuã,
Maira e Ubiratan, ao raiar da manhã...
Alegria na floresta, a natureza em festa
Emanava as graças de Tupã...
Traziam na alma - as bênçãos de Sumá,
No coração - a proteção de Rudá.
O amor em todo momento
É o mais belo sentimento
Que a alma humana conduz.
A Tradição na avenida
Traz uma história de vida
Cheia de amor e de luz.

Temininó vem cá!
Amparado pela fé! (pela fé!)
Vencer Anhangá
E o ódio de Xandoré.

Vencida a iniquidade
E a artimanha de Anhangá,
Ergueram uma linda cidade
Junto à montanha
Do "Grande Maracajá".
E se amavam de verdade
Ao pé da serra ou na areia do mar.
Vai ter festa na aldeia - vou pra lá...
É noite de lua cheia - Jaci, eu quero amar,
Vou me banhar nas águas desse lugar.
Depois o meu povo com bravura,
Vestiu a paixão mais pura e essa terra construiu...
Sou serrano, brasileiro, sou guerreiro,
Tenho amor pelo Brasil!



VÍDEOS DO BLOCO CARA DE PAU DE EURICO SALLES EM 2011

          







BIBLIOGRAFIA DO AUTOR

CLÉRIO JOSÉ BORGES. Biografia Resumida

Historiador, Poeta e Trovador Capixaba, o Escritor Clério José Borges de Sant Anna nasceu em 15/09/1950, no bairro de ARIBIRI, Município de Vila Velha, ES. Funcionário Público Estadual Aposentado no Cargo de ESCRIVÃO, trabalhando durante 35 anos, tendo recebido ELOGIOS e Medalhas de Bronze, PRATA e Ouro da Polícia Civil do Espírito Santo. Estudou Direito e Pedagogia na UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. Fundou e foi o 1º presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS. Fundou e preside o Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC. Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico do ES. Conselheiro durante oito anos do Conselho Estadual de Cultura do Estado do Espírito Santo, tendo exercido as funções de Secretário de Plenário e de Vice Presidente. Conselheiro há 14 anos e atual Vice Presidente do Conselho Municipal de CULTURA da Cidade da Serra, ES. É morador da SERRA, ES, desde 1979 e Cidadão Serrano, titulo conferido pela Câmara Municipal da Serra em 26 de Dezembro de 1994. Senador da Cultura, pela Sociedade de Cultura Latina, SCL. Correspondente da Academia CACHOEIRENSE de Letras, (ES); da Academia PETROPOLITANA de Letras, da Cidade de Petrópolis,(RJ); da Academia Brasileira da Trova e da Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas, ALCEAR e outras Academias e Associações Literárias do Brasil. Autor dos Livros: Trovas Capixabas; Trovadores dos Seminários da Trova; Trovadores Brasileiros da Atualidade; O Trovismo Capixaba; Alvor Poético; O Vampiro Lobisomem de Jacaraípe; História da Serra (3 Edições); Serra em Prosa e Versos/Poetas e Escritores da Serra; Origem Capixaba da Trova; Dicionário Regional de Gírias e Jargões. Organizador, desde 1981 dos Seminários Nacionais da Trova e dos Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores. Detentor de Diversos Títulos, DIPLOMAS e homenagens, como por exemplo a MEDALHA CHICO PREGO, recebida em 30/03/2006. Teve atuação como Ator no Filme "QUEIMADO", de João Carlos Christo Coutinho, sobre a Revolta dos Negros Escravos do Distrito do Queimado, na Serra, ES, ocorrida em 1849. Atuou como Ator no FILME "Trovadores do Neotrovismo na Amazônia", da Cineasta Russa Valentina Ivanovna Kupnova. Produz Vídeos amadores para o You Tube onde já atingiu o número superior a Um Mil Vídeos. É Ministro da Palavra, da Comunidade São Paulo, Paróquia São José Operário, desde Dezembro de 2009 e pertence a Pastoral Familiar da referida Comunidade e Paróquia. Envolvido em lutas comunitárias desde 22/04/1979, conforme histórico da AMBES. Confira Registro de Clério como Escritor na BIBLIOTECA NACIONAL. O Livro "História da Serra", 1ª Edição, foi eleito MELHOR LIVRO de 1998, publicado em prosa no Brasil e a cerimônia oficial de premiação foi realizada em abril de 1999, conforme comunicação da Professora e Acadêmica, Maria Aparecida de Mello Calandra, IWA, Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Mogi das Cruzes - São Paulo. No Dia 10/02/2007, em pleno Carnaval Capixaba, Clério José Borges foi homenageado, no SAMBÃO DO POVO, em Vitória, ES, como Historiador pela Escola de Samba ROSAS DE OURO, do Município da Serra, Espírito Santo. Clério desfilou como Destaque num Carro alegórico pois o enredo "SERRA 450 ANOS DE FUNDAÇÃO, foi baseado no Livro HISTÓRIA DA SERRA, de Clério José Borges. No dia 12 de Setembro de 2009 a convite de Júlio Cesar Batista Nogueira, conhecido como Júlio Autor, o Escritor Clério José Borges participou das filmagens do Vídeo Documentário, NOVA ALMEIDA EM UM OLHAR. No dia 05 de Junho de 2010, no Salão de Festas CENSI, em Itabira, Minas Gerais, Clério José Borges recebeu o título de DESTAQUE DO ANO e TROFÉU CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE.





FONTE DE PESQUISAS

Borges, Clério José - Livro "História da Serra", 1a. 2a. e 3a Edição - 1998, 2003 e 2009 - Editora Canela Verde - À Venda na Livraria Doce Saber, Laranjeiras, Serra ES - Tel.: 27 - 32 81 24 89

Borges, Clério José - Livro "Serra em Prosa & Versos - Poetas e Escritores da Serra", 1a. Edição - 2006 - Editora Canela Verde - Edição comemorativa aos 450 anos de colonização da Serra, ES. À Venda na Livraria Doce Saber, Laranjeiras, Serra ES - Tel.: 27 - 32 81 24 89

Borges, Clério José - Livro "Origem Capixaba da Trova", 1a. Edição - 2007 - Editora CTC - Clube dos Trovadores Capixabas - Coleção Neotrovismo Capixaba. Edição Limitada prestes a esgotar-se.

Borges, Clério José - Livro "Dicionário Regional de Gírias e Jargões", - 2010 - Editora Canela Verde - À Venda na Livraria Doce Saber, Laranjeiras, Serra ES - Tel.: 27 - 32 81 24 89


OBSERVAÇÃO:

Permitimos a livre reprodução do conteúdo histórico constante desta página na INTERNET e de Autoria de Clério José Borges. Agradecemos a citação da fonte com a inclusão de nosso link, se possível.




CAPA DE ALGUNS LIVROS ESCRITOS POR CLÉRIO JOSÉ BORGES






VOLTAR


Copyright © 2012 - All Rights Reserved: CJBS


"Arial, Comic Sanz MS">VOLTAR


Copyright © 2012 - All Rights Reserved: CJBS