No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.

TRABALHO ESCOLAR Escola Linus Pauling: História do Município de Serra, na Grande Vitória, ES. Entrevistadora: Christal Fraga Borges.

A Vida de Clério José Borges Clério José Borges Colonização História História da Serra História do Brasil Notícias Professor Clério Borges Últimas Notícias Últimas Notícias
No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.
No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.

No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges. Eis o trecho da Entrevista.

Breve Apresentação: Entrevistado Clério José Borges de Sant Anna, Cidadão Serrano, Escritor, Poeta Trovador Capixaba, Primeiro presidente fundador da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, e Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores. Autor de 15 Livros entre os quais Três Edições do Livro História da Serra e Serra, Colonização de uma Cidade.

No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.

  1. Entrevistadora Christal – Onde você nasceu e quando sentiu o gosto pela Literatura?

Entrevistado Clério José Borges – Nasci em Aribiri, bairro do Município de Vila Velha e estudei no Colégio dos Irmãos Maristas e desde cedo me interessei em ler e escrever. Comecei lendo escritores famosos como José de Alencar e Machado de Assis e assim comecei a sentir o gosto pela Literatura e comecei a escrever contos infantis para o Jornal A Gazetinha, uma publicação infantil que existia e circulava com o Jornal A Gazeta de Vitória ES.   

  • Entrevistadora Christal – Tendo nascido em Vila Velha quando passou a residir na Serra?

Entrevistado Clério José Borges – Em 17 de Fevereiro de 1979 eu me casei com Dona Zenaide Emília Thomes Borges e passei a residir no mesmo mês de fevereiro no bairro Eurico Salles na Região de Carapina. Tivemos dois filhos Clérigthom e Cleberson e observei que a Serra não tinha Academia de Letras e nem ninguém que tivesse escrito um Livro sobre a História da Serra pois a única publicação que existia era uma obra do ex prefeito Naly Miranda que contava história por ouvir dizer. Assim pesquisei em Livros antigos e publiquei em 1988, a primeira Edição do Livro História da Serra. E, depois fundei e fui o primeiro Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra.

  • Entrevistadora Christal – O Município da Serra é o maior Município em População da Grande Vitória, quando ele foi fundado e quem foram os seus fundadores?

Entrevistado Clério José Borges – O Município da Serra na Grande Vitória ES é atualmente o maior Município em População da Grande Vitória com mais de 530 mil habitantes e foi fundado oficialmente a 08 de Dezembro de 1556, quando após a construção da Aldeia Indígena dos Índios Temiminós, o Padre Jesuíta Braz Lourenço rezou a primeira Missa com o Chefe Indígena Maracajaguaçu (Grato Bravo Grande).

  • Entrevistadora Christal – Qual a origem do nome Serra?

 Entrevistado Clério José Borges – O nome do nosso Município é Serra por causa da Montanha do Mestre Álvaro que possui 833 metros de altura. A montanha tem vários pontões e parece uma Serra.

  • Entrevistadora Christal – O Chefe Indígena Maracajaguaçu nasceu no Espírito Santo?

Entrevistado Clério José Borges – Não. O Chefe Indígena Maracajaguaçu nasceu no Rio de Janeiro onde vivia na Ilha de Paranapuã, atual Ilha do Governador na baía de Guanabara. Vivia em Guerra com os Índios inimigos os Tamoios e como estava perdendo as batalhas pediu ajuda ao Donatário do Espírito Santo, Vasco Coutinho que mandou quatro navios para trazer todos os Índios para Vitória e aqui Vasco Coutinho encarregou o Padre Braz Lourenço para arranjar um lugar para os Índios morarem, sendo alojados entre o Rio Santa Maria da Vitória e o Mestre Álvaro, onde foi construída a Aldeia de nossa Senhora da Conceição da Serra em 1556.

  • Entrevistadora Christal – O Chefe Indígena da Tribo Temiminós se chamava Maracajaguaçu. O que significa esta palavra?

Entrevistado Clério José Borges – Maracajaguaçu significa Gato Grande. É a união das palavras MARACAJÁ, que é um Gato Bravo, que existe nas matas brasileiras e GUAÇU, que significa Grande. Ele foi PAI do Índio Araribóia que significa Cobra Feroz.

  • Entrevistadora Christal – Eu vi que a Serra possui uma Bandeira que é um dos símbolos do Município. Cite os principais detalhes da Bandeira da Serra.

Entrevistado Clério José Borges – A bandeira do município da Serra foi escolhida por meio de um concurso cultural realizado em 1975. São três faixas horizontais. A primeira é verde, pintada na parte superior, e representa as matas. A do meio é mais larga, branca, representando a paz. Dentro dessa faixa encontram-se “duas meias-luas na cor amarela, representando o clima tropical e a letra “S” inicial da palavra ‘Serra’”. Ao fundo, observa-se o Monte Mestre Álvaro, uma chaminé e uma parede de fábrica representando a construção civil e o complexo industrial do município. A faixa azul, por sua vez, na parte inferior da bandeira, representa o mar.

  • Entrevistadora Christal – Parece que na Serra existe uma Lenda chamada Lenda do Pássaro de Fogo. Falemos sobre esta lenda.

Entrevistado Clério José Borges – Lenda são histórias criadas pela população para explicar certas situações existentes. A Lenda do Pássaro de fogo é uma bonita história de amor, que envolve um Morro existente no nosso Município da Serra e um Morro existente no Município de Cariacica. Um sentimento de amor que une o índio Guaraci (Tribo Temiminós) e a índia Jaciara (Tribo dos Botocudos). Guaraci, em Tupi significa Sol, Verão. Jaciara significa Tempos de Luar, Noites com raios de Lua. Pertencentes a duas tribos inimigas – Temiminós e Botocudos – o jovem casal foi impedido de viver a sua história de amor. Comovido com a paixão dos dois índios, o Deus Tupã transformou-os em duas montanhas. O índio ficou sendo o Mestre Álvaro, na Serra e a índia, o monte Mochuara, em Cariacica.

  • Entrevistadora Christal – Já que o Senhor é um entendido sobre a Serra nos fale sobre o bairro Parque Residencial Laranjeiras. Quando surgiu?

Entrevistado Clério José Borges – A Região onde está hoje o Parque Residencial Laranjeiras no Município da Serra era uma antiga Fazenda de um Político chamado Luiz Baptista. O lugar era denominado de Carapinão para diferenciar de Carapina, região localizada nas proximidades. Na região de Laranjeiras foram construídas Casas Populares, no final dos anos 70 e o bairro dividiu-se entre Laranjeiras Velha e Parque Residencial Laranjeiras, sendo também construído na região o Bairro de Valparaíso. É atualmente o principal e mais importante centro comercial da Serra possuindo inúmeras lojas e casas comerciais e inclusive dois dos mais importantes Shoppings do Município. No bairro, o Terminal Rodoviário é o centro de movimentação da maioria dos bairros da Serra. É um dos bairros mais populosos da Serra.

Entrevistadora Christal – Senhor Clério José Borges. Muito obrigado pela sua entrevista.

Entrevistado Clério José Borges – De nada. Quando precisar é só pedir.

No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.
No dia 14 de agosto de 2021, o Comendador Clério José Borges foi solicitado a conceder uma entrevista para a estudante da Escola Linus Pauling de Laranjeiras, na Serra, ES, Christal Fraga Borges.

BREVE BIOGRAFIA DA ENTREVISTADORA CHRISTAL FRAGA BORGES.

Posse de Christal no dia 14 de março de 2019 em Campo Grande Cariacica ES.

A Acadêmica Infanto Juvenil Christal Fraga Borges nasceu em 18 de agosto de 2011, na Cidade de Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo. É Filha de Clérigthom Thomes Borges e de Andréia da Silva Fraga Borges. No dia 14 de março de 2019, no Auditório do Centro Cultural de Cariacica, Frei Ubaldo Favagalho da Civitella del Tronto foi empossada junto com a sua prima Mariana Araújo Borges como Acadêmica Infanto Juvenil da ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, na Cadeira de Número 01, tendo como Patronesse a Escritora e Poeta Cora Coralina. Christal teve a sua estréia como Escritora Infanto Juvenil com Trovas publicadas em um Livro chamado “Antologia Poetas e Escritores Brasileiros”, da ACLAPTCTC publicada em 2020.

BREVE BIOGRAFIA DO ENTREVISTADO CLÉRIO JOSÉ BORGES

BIOGRAFIA RESUMIDA: O Comendador e Escritor, Historiador, Poeta e Trovador Capixaba, o Comendador Clério José Borges de Sant Anna, nasceu em 15 de setembro de 1950, no bairro de ARIBIRI, Município de Vila Velha, ES. Fundou e preside desde 1º de julho de 1980 o Clube dos Trovadores Capixabas CTC, que no dia 18 de novembro de 2017 transformou-se na ACLAPTCTC, Academia de Letras e Artes de Poetas Trovadores. Foi fundador e primeiro Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra. É morador do Município da Serra, ES, desde 1979 e Cidadão Serrano desde 26 de dezembro de 1994. Em 1987 concedeu inclusive entrevista em Rede Nacional, no programa “Sem Censura” da TV Educativa do Rio de Janeiro. No dia 11 de dezembro de 2014, uma entrevista de Clério José Borges ao repórter Mário Bonella, sobre as ruínas da Igreja de São José do Queimado, palco de uma Revolta de Escravos em 1849 foi exibida para todo o Brasil e inclusive para o Exterior através da Rede Globo de Televisão. Pertence a Academia de Letras de Vila Velha, antiga Academia de Letras Humberto de Campos.

Clério José Borges pertence ainda a Academia das Artes, Cultura e Letras de Marataízes e do Estado do Espírito Santo (Academia Marataizense de Letras), da Cidade de Marataízes, no sul do Estado; Academia Mateense de Letras, AMALETRAS, da cidade de São Mateus; Academia Iunense de Letras, da cidade de Iúna, na região do Caparaó; Acadêmico Correspondente, Cadeira 202, da Academia de Letras de Cachoeiro de Itapemirim. É Associado do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e do Clube de Intelectuais Franceses. Pertence ainda ao Movimento Poético Nacional, MPN, com sede no Estado de São Paulo; Sociedade de Cultura Latina do Brasil, com sede em Mogi das Cruzes, SP; Casa do Poeta Brasileiro, Poebras, de Porto Alegre, RS; Academia Petropolitana de Letras, da Cidade de Petrópolis, (RJ); Academia Brasileira da Trova, com sede no Rio de Janeiro e Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas, ALCEAR, bem como inúmeras outras entidades, Associações e Academias de Letras e Artes no Brasil e no Exterior.

Clério José Borges foi Jornalista dos Jornais A TRIBUNA e O DIÁRIO, de Vitória, ES, onde atuou de Foca a Chefe de Reportagem se especializando como comentarista e crítico de Filmes. Por designação do Governador do Estado foi Conselheiro Titular do Conselho Estadual de Cultura do Espírito Santo, de 1989 a 1993, onde foi eleito e atuou como Secretário e Vice-presidente do CEC-ES. Foi Conselheiro Suplente do referido Conselho de 1993 ao ano 2000. No dia 23 de março de 2000, toma posse como membro colaborador da Câmara de Literatura do Conselho Estadual de Cultura do Estado do Espírito Santo, com mandato de dois anos, encerrando em 2002, sua participação no referido Conselho.

Por designação do Prefeito Municipal foi Conselheiro Titular da Câmara de Literatura do Conselho Municipal de Cultura da Serra, de 24/09/1997 a 20/07/2012, ou seja, por 14 anos, 09 meses e vinte dias. No dia 31 de julho de 2019, Clério José Borges foi reconduzido ao cargo de Conselheiro Titular da Área de Literatura, com mandato de 2019 a 2021. Clério esteve envolvido em lutas comunitárias desde 22/04/1979 quando foi um dos organizadores da Associação de Moradores do bairro onde reside, tendo sido o primeiro Vice-Presidente e, atuado posteriormente novamente como Vice-Presidente, Diretor de Jornalismo e Secretário Geral.

É Ministro da Palavra, da Comunidade Católica São Paulo, Paróquia São José Operário, desde dezembro de 2009 e pertence a Pastoral Familiar (preparação de noivos para o casamento junto com sua esposa Zenaide e Magnólia Pedrina Sylvestre) da referida Comunidade e Paróquia, desde 19 de março de 2005. É Senador da Cultura, representando o Espírito Santo perante o Congresso da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, desde 11 de maio de 2004. No dia 27 de março de 2015, na Cidade de São Mateus recebeu da AMALETRAS, a Comenda da ordem “Cecília Meireles”. Clério é Comendador com título conferido pela Assembleia Legislativa, desde o dia 07 de julho de 2015, quando foi agraciado com a Comenda Mérito Legislativo Rubem Braga, tendo recebido o título de Comendador, por indicação da Deputada Estadual Luzia Toledo.

Na cidade de Itabira, Estado de Minas Gerais, recebeu os seguintes Troféus: 1 – Troféu Carlos Drummond de Andrade. Recebido no dia 05 de junho de 2010, como Personalidades do ano de 2010. 2 – Troféu Pedro Aleixo, como Personalidade Brasileira Notável do ano de 2012, no dia 10 de março de 2012. 3 – No dia 06 de abril de 2013, Clério José Borges recebe em Itabira o Troféu Personalidade Notável 2013. 4 – No dia 24 de outubro de 2015, na 50ª festa dos “Destaques do Ano”, Clério recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade, Edição Especial ouro, 50 anos. 5 – No dia 22 de outubro de 2016, Clério José Borges foi homenageado com o Troféu Machado de Assis, como intelectual do ano de 2016. Recebeu ainda na mesma cidade de Itabira em anos diferentes, os Troféus Castro Alves, João Guimarães Rosa e Madre Tereza de Calcutá.

Clério José Borges possui onze livros publicados, sendo alguns individuais e outros como organizador de Coletânea e Antologias, destacando-se os livros, “Serra, Colonização de uma Cidade”; Trovas Capixabas; Trovadores dos Seminários da Trova; Trovadores Brasileiros da Atualidade; O Trovismo Capixaba; Alvor Poético; Serra em Prosa e Versos/Poetas e Escritores da Serra; Origem Capixaba da Trova e História da Serra (3 Edições) e a obra em forma de Livreto da Literatura de Cordel, “O Vampiro Lobisomem de Jacaraípe”; Publicou ainda “Dicionário Regional de Gírias e Jargões”, obra realizada graças a Gírias e Jargões coletados através do seu trabalho como Escrivão de Polícia. Organizador de várias Coletâneas e Antologias, dentre os quais, “Quinta Cult”, um Sarau Poético realizado durante dois anos nos Shoppings Mestre Álvaro e Montserrat, na Serra, ES e, “Trovas Capixabas”. Também participante de várias Coletâneas e Antologias, entre as quais, “Poemas da Pérola Capixaba – Antologia – Volume III”, da Academia Marataizense de Letras, da cidade de Marataízes, (águas que correm para o mar), no sul do Espírito Santo e “Trovadores Capixabas”, este último em parceria com os Poetas Matusalém Dias de Moura, Geraldo Fernandes e Albércio Nunes Vieira Machado. Atuando como escritor, foi contemplado com Medalhas, Comendas, Diplomas e importantes homenagens, entre as quais, a medalha de mérito cultural “Afonso Pena” e o título de acadêmico imortal, ambos concedidos durante cerimônia em Belo Horizonte, presidida pelo Dr. Mário Carabajal, presidente fundador da Academia de Letras do Brasil. O livro “História da Serra”, de Clério José Borges, que conta a Colonização da Cidade da Serra, no Estado do Espírito Santo foi eleito em 1988, o Melhor Livro do Ano e a premiação foi recebida por Clério José Borges, em solenidade ocorrida no dia 08 de maio de 1999, no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, localizado no Centro Histórico da Cidade de Mogi das Cruzes, no Estado de São Paulo. Organizador, desde 1981 dos Seminários Nacionais da Trova e dos Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores. Detentor de Diversos Títulos, Diplomas e homenagens.

Cientista Linus Pauling - Nome de Escola em Parque Residencial Laranjeiras, Serra ES.
Cientista Linus Pauling – Nome de Escola em Parque Residencial Laranjeiras, Serra ES.

Escola Linus Pauling

LINUS PAULING – Norte-americano é considerado um dos cientistas mais influentes de todos os tempos por sua luta contra testes nucleares e seu legado em química quântica e biologia molecular. O químico americano Linus Carl Pauling foi um dos cientistas mais relevantes de todos os tempos. Com mais de 1,2 mil artigos e livros publicados, foi um dos pais da química quântica e da biologia molecular. E foi também a única pessoa a receber dois prêmios Nobel em categorias distintas sem dividi-los com outros cientistas: o de Química, em 1954, por sua obra científica, e o da Paz, em 1962, pelo ativismo contra os testes nucleares. Linus Pauling nasceu em 28 de fevereiro de 1901 em Portland, nos Estados Unidos. Filho de um farmacêutico, já na escola demonstrava interesse em experimentos químicos. Licenciou-se em Engenharia Química pela Universidade de Oregon em 1922 e ingressou em um doutorado no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech). Lá, começou a estudar a estrutura dos cristais utilizando a técnica da cristalografia de raios-X. Recebeu o título de PhD em físico-química e física matemática em 1925. Pauling morreu aos 93 no dia 19 de agosto de 1994, em Big Sur, na Califórnia, vítima de um câncer na próstata. Mas deixou como legado contribuições científicas relevantes, o ativismo pela paz e pesquisas controversas na área de saúde.

Posse de Christal e Marina, dia 14 de março de 2019 em Campo Grande Cariacica ES.
Posse de Christal e Marina, dia 14 de março de 2019 em Campo Grande Cariacica ES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *