CTC - ABT - Febet - ACLAPTCTC - UBT

ENTIDADES DE POETAS TROVADORES: CTC – FEBET – UBT – ABT – ACLAPTCTC

Academias de Letras e Artes Trovadores Trovadorismo

HISTÓRICO

Entidades de Trovadores no Brasil

1 – CTC O CLUBE DOS TROVADORES CAPIXABAS, CTC, é uma entidade cultural, sem fins lucrativos de divulgação da Trova e da Poesia. Foi fundado a 1º de Julho de 1980, por Clério José Borges, Luiz Carlos Braga Ribeiro e José Borges Ribeiro Filho, no Espírito Santo, com base numa idéia do Escritor Eno Theodoro Wanke. O CTC possui o título de Utilidade Pública Estadual (Lei José Carlos Gratz) e Municipal na Serra, (Lei Márcia Lamas). O CTC possui mais de 300 sócios em atividade, no Estado e mais de 1300 sócios correspondentes no Brasil e Exterior (Portugal; Argentina, Jorge Piñero Marques; Estados Unidos, etc…). É uma das entidades culturais que mais promove no Brasil. Anualmente o CTC, realiza os Seminários Nacionais da Trova no Espírito Santo, desde 1981. O CTC já organizou também eventos em outros Estados. Dois Congressos de Trovadores foram realizados em São Paulo, com Marília Martins e Inês Catelli; Um Congresso, em Salvador, Bahia, com Luciano Jatobá e um Congresso de Trovadores, no Rio de Janeiro, na SUAM, com o Prof. José Maria de Souza Dantas. O CTC é uma entidade de Utilidade Pública Municipal na Serra, graças a iniciativa da Vereadora Márcia Lamas. O título foi aprovado por unanimidade e se transformou na Lei Municipal N.º 1.563/91, sancionada pelo Prefeito Adalton Martinelli. O CTC possui também o título de Utilidade Pública Estadual aprovado, por unanimidade, pela Assembléia Legislativa Estadual e lei sancionada pelo Governador do Estado, Albuíno Cunha de Azeredo em 20 de setembro de 1991. Lei N.º 4.554 de autoria do Deputado Estadual José Carlos Gratz. Oficialmente os fundadores do CTC são: Clério José Borges; José Borges Ribeiro Filho e Luiz Carlos Braga Ribeiro. Graças a iniciativa do CTC existem hoje Praças dos Trovadores em Cariacica, Vila Velha e Vitória e o presidente e sócios do CTC são regularmente convidados a participar e realizar palestras nas cidades de Porto Velho, Rondônia; Porto Alegre-RS; Rio de Janeiro; São Paulo; Brasília-DF; Salvador-BA; Recife-PE; Petrópolis-RJ; Campos-RJ; Maringá-PR; Timóteo-MG; Magé-RJ; Olinda-PE e Nova Prata – RS.

2 – FEBET A Federação Brasileira de Entidades Trovistas, FEBET é a maior e mais bem organizada entidade de Poetas Trovadores do Brasil. Congrega Poetas, Editores de Informativos Culturais e muitos, muitos Trovadores. Foi fundada em 1983, em Vila Velha, Espírito Santo e sua Sede Nacional é no Rio de Janeiro. Nos dois primeiros anos de fundação foram Cadastrados mais de 2.000 sócios. A Febet surgiu de uma idéia nascida no 1º (1981) e no 2º (1982) Seminários Nacionais da Trova, realizado no Estado do Espírito Santo, Brasil. Houve uma consulta a mais de 5.000 poetas em todo o Brasil e, em 1983, a FEBET foi oficialmente fundada. A entidade foi organizada pelo Trovólogo, Eno Theodoro Wanke e contou com o apoio imediato de Rodolfo Coelho Cavalcante, da Bahia e Clério José Borges, do Espírito Santo.

3 – UBT A União Brasileira de Trovadores é uma entidade cultural que possui seções em vários Estados Brasileiros. Foi fundada por Luiz Otávio, no Rio de Janeiro, em Janeiro de 1967. A UBT surgiu de uma cisão, ou seja, um descontentamento. Luiz Otávio e um grupo de trovadores do Sul e Sudeste do Brasil não concordavam em estarem juntos aos Repentistas e Cordelistas do Nordeste, no Grêmio Brasileiro de Trovadores, o GBT, fundado em Salvador, Bahia, a 8 de Janeiro de 1958, pelo Trovador Rodolfo Coelho Cavalcante. Em Janeiro de 1967, Luiz Otávio desliga-se do GBT e aproveitando as seções do GBT já criadas no Sul e Sudeste, funda a UBT, com sede no Rio de Janeiro e seções em várias cidades brasileiras. Na vida quem se projeta, seja a profissão qual for sempre aparece um pateta para tirar seu valor. Rodolfo Coelho Cavalcante.

4 – ABT A Academia Brasileira da Trova é um entidade cultural com sede no Rio de Janeiro. Foi fundada por Álvaro Farias; Symaco da Costa; Félix Aires, Onildo de Campos, entre outros, em 26 de Dezembro de 1960. Há tanto burro mandando em homens de inteligência que, às vezes, fico pensando que burrice é uma ciência. Symaco da Costa. A Academia Brasileira da Trova é uma entidade de destaque e bastante atuante no Rio de Janeiro.

5 – ACLAPTCTC – FUNDAÇÃO DA ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES

2017 – No dia 18 de novembro de 2017 estava prevista mais uma das Reuniões Mensais de Diretoria do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, devidamente registrada na Agenda Oficial de eventos da entidade. Ocorre que no dia 15 de setembro, data de aniversário de Clério José Borges, surge a ideia de criação de uma nova entidade. De imediato Clério José Borges vai para o Computador e elabora um Edital que divulga nas redes sociais, convocando um grupo de pessoas, maiores e capazes e em perfeito uso de suas atividades mentais para uma reunião para o dia 18 de novembro, com o objetivo de deliberarem sobre a instituição (fundação) de uma associação de direito privado, constituída por tempo indeterminado, sem fins econômicos, ou seja,  Associação Civil, Organização não Governamental sem fins lucrativos, de caráter Social, Artístico e Cultural, sem cunho político ou partidário, com a finalidade de atender a todos que a ela se dirigir, independente de classe social, nacionalidade, sexo, raça, cor ou crença religiosa, com autonomia administrativa e financeira e, de âmbito Estadual, com jurisdição em todo Estado do Espírito Santo, denominada de Academia Letras e Artes de Poetas Trovadores.

O Edital foi divulgado na INTERNET, mas Clério José Borges continuou com as atividades normais do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, com a Eleição de nova Diretoria, a realização do Café com Arte e Sábado Cult de Outubro e participação em evento em Anchieta e em Linhares. É que Clério ainda imaginava que o CTC não iria se acabar e a Academia fosse uma nova entidade. No dia 18 de novembro de 2017, data estabelecida no Edital e coincidentemente a mesma data da reunião ordinária mensal de Diretoria do CTC, Clério José Borges colocou o assunto em pauta sendo fundada a ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, com a estrutura organizacional do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Trova e da Poesia em geral, fundada por Clério José Borges, Trovador, Escritor e Historiador Capixaba, a 1º de julho de 1980, com base numa ideia do historiador Eno Teodoro Wanke, autor do livro O Trovismo, que conta a história da Trova no Brasil de 1950 a 1978.

Assim oficialmente em Assembleia Geral Extraordinária realizada no último sábado, dia 18 de novembro de 2017, foi fundada em Eurico Salles, no Município da Serra no Espírito Santo a Academia de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla ACLAPTCTC, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC. A proposta apresentada pelo Presidente do CTC, Clério José Borges foi apoiada por todos os presentes à exceção da Associada Magnólia Pedrina Sylvestre, que se manifestou contra, em face aos 38 anos de história do CTC fundado a 1º de julho de 1980 e líder na realização de eventos culturais no Estado do Espírito Santo.

Segundo o Escritor João Roberto Vasco Gonçalves, Secretário Geral do CTC, em declaração amplamente divulgada na época na Internet, o Clube dos Trovadores Capixabas não morreu, apenas galgou o Status de Academia de Letras E Artes, tendo agora um quadro de 50 Cadeiras de Acadêmicos Imortais com os seus respectivos Patronos, todos nascidos ou residentes no Estado do Espírito Santo e um quadro indefinido de Acadêmicos Correspondentes, nascidos ou residentes nos demais Estados da Federação e no Exterior. De imediato constituiu-se uma Diretoria formalizando-se toda a documentação para os trâmites legais em Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas. Foi marcada a data de 14 de dezembro de 2017 quando se fará a entrega de Carteiras e Diplomas aos novos Acadêmicos e será também entregue a Comenda Cultural Escritor Rocha Ramos aos que se interessarem se inscrevendo até o dia 1º de dezembro. Com relação ao próximo Congresso de Poetas Trovadores que será o XIV ficou decidido que se tentará novos contatos para a realização do evento ou na Cidade de Iúna ou na Cidade de Santa Teresa.

ACADÊMICOS FUNDADORES TITULARES

2017 – Acadêmicos Titulares – Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACLAPTCTC, realizada no dia 18 de novembro de 2017.

Cadeira Número 1, Clerio José Borges de Sant Anna – Patrono: Eno Theodoro Wanke; Cadeira Número 2, Kátia Maria Bobbio Lima – Patrono: Hermógenes Lima Fonseca; Cadeira Número 3, Roberto Vasco – Patrono: São Francisco de Assis; Cadeira Número 4, Professor Beto Gonçalves, Patrono: Nilo Aparecida Pinto; Cadeira Número 5, Margareth Gonçalves Pederzini – Patrono: Trovadora, Colombina; Cadeira Número 6, Maria Cândida Vasco Gonçalves – Patrono: São José de Anchieta; Cadeira Número 7, Soêmia Pimentel Cypreste – Patrono: Arlette Cypreste de Cypreste; Cadeira Número 8, Edilson Celestino Ferreira. Patrono: Pedro Caetano; Cadeira Número 9, Maria Elisabeth Vargas Peixoto, Beth Vargas – Patrono: Newton Braga; Cadeira Número 10, Sandra Regina Bezerra Gomes – Patrono: Eymard Cardoso de Barros; Cadeira Número 11, Ângela Lino Veríssimo – Patrono: Adelmar Tavares, Rei dos Trovadores; Cadeira Número 12, Aldo José Barroca – Patrono: Elmo Elton, Rei dos Trovadores Capixabas; Cadeira Número 13, Maria Dolores Pimentel de Rezende – Patrono: Athayr Cagnin; Cadeira Número 14, Maria José Vetorazzi – Patrono: Mário Morcerf Campos; Cadeira Número 15, Francisco Rangel Gonçalves de Oliveira – Patrono: Patativa do Assaré; Cadeira Número 16, Maria das Graças Silva Neves – Patrono: Anette de Castro Mattos; Cadeira Número 17, Jacimar Berti Boti – Patrono: Ábner de Freitas Coutinho; Cadeira Número 18, Paulo Negreiros – Patrono: Naly da Encarnação Miranda; Cadeira Número 19, Lucineia Ferreira Paz de Negreiros – Patrono: Brandina Rocha Lima; Cadeira Número 20, Maria Viola Bona – Patrono: Dr. Mário Ribeiro; Cadeira Número 21, Vera Maria da Penha – Patrono: Anselmo Gonçalves. Falecida. A Acadêmica Vera Maria da Penha faleceu em 08 de Outubro de 2018; Cadeira Número 22 Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil – Patrono: Alberto Isaías Ramirez; Cadeira Número 23, Nealdo Zaidan – Patrono: Argentina Lopes Tristão; Cadeira Número 24, Magnólia Pedrina Sylvestre – Patrono: Argemiro Seixas Santos; Cadeira Número 25, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno – Patrono: Beatriz Abaurre; Cadeira Número 26, Fabiani Rodrigues Taylor Costa – Patrono: Solimar de Oliveira; Cadeira Número 27, Jonas Pereira Gregório – Patrono: Antônio Coelho Sampaio; Cadeira Número 28, Albércio Nunes Vieira Machado – Patrono: Albércio Vieira Machado; Cadeira Número 29, Luzia Ester Doná – Patrono: Ailsa Alves Santos; Cadeira Número 30, Zenaide Emília Thomes Borges – Patrono: Narceu de Paiva Filho; Cadeira Número 31, Isabella Marinuzzi – Patrono: Professor Francisco Filipak; Cadeira Número 32, Adriana Dutra Amaral – Patrono: Rocha Ramos; Cadeira Número 33, Valdemir Ribeiro Azeredo – Patrono: Geraldo Nascimento; Cadeira Número 34, Clérigthom Thomes Borges – Patrono: Guilherme Santos Neves; Cadeira Número 35, Teodorico Boamorte – Patrono: Renato Jose da Costa Pacheco; Cadeira Número 36, Nadilson Correa – Patrono: Afonso Cláudio de Freitas Rosa; Cadeira Número 37, José Humberto, Mágico Mandrakion, Patrono: Maria Stella de Novaes; Cadeira Número 38 Ananias Novais – Patrono: Elviro de Freitas; Cadeira Número 39 Andréia da Silva Fraga – Patrono: Nordestino Filho; Cadeira Número 40, Lino Armando Baroni – Patrono: Professor Konsciusko Barbosa Leão; Cadeira Número 41, Wallace Bertoli Moreira – Patrono: Josefa Teles de Oliveira; Cadeira Número 42, Lenaldo Ferreira da Silva (Aldo Veranatto) Patrono: Paulo Freitas; Cadeira Número 43, Berenice de Albuquerque Tavares – Patrono: Valdeci Camelo; Cadeira Número 44, José Rodrigues Pereira, Professor Pereira, Patrono Isabel Taquetti; Cadeira Número 45, Geraldo Fernandes – Patrono: Alvimar Silva; Cadeira Número 46, Cinthia Pretti Azevedo – Patrono: Obed Emmerich; Cadeira Número 47, Líbero Penello de Carvalho Filho – Patrono Augusto dos Anjos; Cadeira Número 48, Maria do Rosário Silva Santos – Patrono Edgard Luiz Gismonti; Cadeira Número 49, Emílio Soares da Costa – Patrono, Christiano Ferreira Fraga; Cadeira Número 50, Jorge Luiz de Miranda – Patrono, Benjamim Silva;

ACADÊMICOS FUNDADORES CORRESPONDENTES

2017 – Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACLAPTCTC, realizada no dia 18 de novembro de 2017.

Cadeira Número 1, Carlos Augusto Souto de Alencar, Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Professor Walter Siqueira; Cadeira Número 2. Agostinho Rodrigues, da Cidade de Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Antônio Roberto Fernandes; Cadeira Número 3. Neiva de Souza Fernandes, da Cidade de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro – Patrono: José Viana Gonçalves; Cadeira Número 4. Dilercy Aragão Adler, da Cidade de São Luiz no Estado do Maranhão – Patrono: Carlos Cunha; Cadeira Número 5, Elizabeth Iacomini, de Ponte Nova, no Estado de Minas Gerais – Patrono: Trovador Paulo Emílio Pinto; Cadeira Número 6, Eloísa Maria Ávilla de Carvalho, do Estado de São Paulo – Patrono: Cecília Meireles; Cadeira Número 7, Joel Francisco Souza Batista, da Cidade de Santarém, no Estado do Pará – Patrono: Rodolfo Coelho Cavalcante; Cadeira Número 8, Margarida Drumond de Assis, de Taguatinga, Distrito Federal – Patrono: Raimundo Araújo; Cadeira Número 9, Cleia Dröse, de São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul – Patrono: Trovadora Wilma de Mello Cavalheiro, de Pelotas, RS; Cadeira Número 10, Odenir Follador, da Cidade de Ponta Grossa, no Estado do Paraná. Patrono: Sonia Maria Ditzel Martelo; Cadeira Número 11, Wilson de Oliveira Jasa, da Cidade de São Paulo.  Patrono: Walter Rossi; Cadeira Número 12, Denise de Andrade Felix, da Cidade de Itabira, Minas Gerais. Patrono: Rodolpho Abud; Cadeira Número 13, Ana Paula Quintanilha Bastos de Jesus, de Taboão da Serra, São Paulo. Patrono: Solano Trindade; Cadeira Número 14, Athylla Borborema Cardoso, da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia – Patrono: Ciro Vieira da Cunha; Cadeira Número 15, Lúcia Maria Matos de Oliveira, do bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro – Patrono Paulo Athayde de Freitas; Cadeira Número 16, Maria Helena Campos Pereira, da Cidade de Itabirinha, Minas Gerais – Patrono Rubem Alves; Cadeira Número 17, Adircilene Lerilda Batista e Silva, da Cidade de Lagoa da Prata, MG – Patrono: Belchior Joaquim da Silva Neto; Cadeira Número 18, Dalva Martins Frahlich, de São Gonçalo, Rio de Janeiro – Patrono: Professor Ailton Pereira de Almeida; Cadeira Número 19, Almir Zarfeg, da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia. Patrono: Manezim do Gavião; Cadeira Número 20, Elias Botelho, da Cidade de Itamaraju, Bahia. Patrono: Jorge Amado; Cadeira Número 21, Carlos Alberto Mensitieri Almeida, da Cidade de Teixeira de Fretas, Bahia. Patrono: Dércio Marques; Cadeira Número 22, Neusa Rocha Miguel Mendonça, Artista Plástica da Cidade de Marília, Estado de São Paulo, Patrono: Carlos Drummond de Andrade; Cadeira Número 23, Odenir Ferro, da Cidade de Rio Claro, São Paulo, Patrono Olavo Bilac; Cadeira Número 24, Eurico Eugênio Travaglia, da Cidade de Castelo, ES. Patrono: Padre Pachoal Selliti Rangel; Cadeira Número 25, Romero Cesar de Almeida Siqueira – Patrono: Luiz Fernando Tatagiba; Cadeira Número 26, Else Dorotéa Lopes, da cidade de Nova Lima, Minas Gerais. Patrono: Cássio Magnani; Cadeira Número 27, Gisele Ellen, de Teixeira de Freitas, Bahia. Patrono: Miguel Geraldo Farias Pires, o “Bidu”; Cadeira Número 28, Zilton Chagas, de Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro. Patrono: Nelson da Lenita Fachinelli; Cadeira Número 29, Tadeu Tomaz da Silva. Patrono, Luís Vaz de Camões; Cadeira Número 30, Maria Goreth Cantanhede Pereira, de São Luís do Maranhão. Patrono: Trovador Orlando Brito.

INSTALAÇÃO OFICIAL DA ACLAPTCTC – PRIMEIRA SOLENIDADE NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DE VALPARAÍSO, SERRA, ES.

2017 – Foi realizada no dia 14 de dezembro de 2017 a primeira solenidade da ACLAPTCTC, ocasião em que os novos Acadêmicos da entidade receberam os seus Diplomas, sendo entregue a Comenda Cultural Escritor Rocha Ramos.

Em solenidade presidida pelo Escritor e Historiador Capixaba, Clério José Borges de Sant Anna e, com coordenação do Mestre de Cerimônias, Comendador Paulo Negreiros e com a presença da ex Delegada Chefe da Polícia Civil e atual Subsecretária de Integração Institucional da Secretaria de Segurança do Governo do Estado do Espírito Santo, Acadêmica, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno; da Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, professora Sandra Regina Bezerra Gomes e da Secretária Adjunta da Coordenadoria de Governo da Prefeitura Municipal da Serra, Advogada Raphaela Maria de Oliveira Moraes Vasques. Com a presença ainda do Presidente da Associação Mineira de Imprensa e Vice Presidente da Federação Nacional da Imprensa Fenai/Faibra, Jornalista Wilson Miranda e da professora da cidade de Itabira, Minas Gerais, especialista em História do Brasil, pedagoga, palestrante e Mestre em Educação, Gestão e Políticas Públicas, Denise Félix e participação de inúmeras personalidades culturais e artísticas do Estado do Espírito Santo foi instalada oficialmente na noite da quinta-feira, dia 14 de Dezembro de 2017, a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla ACLAPT-CTC.

Em seu discurso de abertura dos trabalhos e saudação a todos os presentes, Clério José Borges esclareceu que o evento tinha por objetivo homenagear os 37 anos de fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de Julho de 1980 e que por decisão de Diretoria em Reunião realizada no último sábado, dia 18 de Novembro de 2017, o CTC Clube dos Trovadores Capixabas foi elevado ao “status” de Academia de Letras e Artes, com o título de Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores de sigla, ACLAPT-CTC. Clério José Borges informou que inicialmente a Academia teria apenas 40 Acadêmicos, mas em razão da grande procura, após análise dos currículos culturais, 50 Acadêmicos foram admitidos como Fundadores Titulares Efetivos e, estavam recebendo a Medalha Acadêmica e sendo diplomados. Dos pretendentes de outros Estados um total de doze Acadêmicos foram admitidos como Fundadores Correspondentes. Clério esclareceu ainda que, no mês de abril de 2018 será realizada uma grande solenidade em Vitória com o Juramento Acadêmico e, com a apresentação individual de cada confrade.

Também discursaram saudando e parabenizando a nova Academia, a Subsecretária de Integração Institucional da Secretaria de Segurança do Governo do Estado, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno e a Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, professora Sandra Regina Bezerra Gomes. Foram anunciadas um número ilimitado de vagas para Beneméritos e Correspondentes e que a admissão na Academia ficaria a critério de parecer do Conselho Cultural presidido pela Acadêmica Vice-Presidente, Kátia Maria Bobbio Lima, devendo os pretendentes enviarem Currículos e solicitação para admissão até dia 1º de março. Também foi criada uma Comissão a ser presidida pela Acadêmica Magnólia Pedrina Sylvestre que cuidará dos detalhes referente a confecção da Pelerine da nova Academia, contando com a participação e colaboração da Acadêmica Gracimeri Gaviorno. Clério Borges informou que a cor da Academia é o amarelo claro e o símbolo é o Beija Flor beijando a Orquídea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *