Clério José Borges

ACADÊMICO COMENDADOR CLÉRIO JOSÉ BORGES. CURRICULUM CULTURAL E ARTÍSTICO. EVENTOS E PALESTRAS

A Vida de Clério José Borges Clério José Borges Eventos Homenagens Especiais - Comendas - Troféus Palestras- Mesa Redonda - Debates Participação e premiações
Acadêmico e Comendador Clério José Borges.
Acadêmico e Comendador Clério José Borges.

ACADÊMICO COMENDADOR CLÉRIO JOSÉ BORGES
CURRICULUM CULTURAL E ARTÍSTICO

ENTRE OS VULTOS DE VITÓRIA,
SEM MEDO DE DESPAUTÉRIO,
QUEM TERÁ LUGAR NA HISTÓRIA
É O AMIGO POETA CLÉRIO.
TROVA DO SAUDOSO PROFESSOR
FRANCISCO FILIPACK, DE CURITIBA/PR

REGISTROS DE EVENTOS CULTURAIS E DAS PRINCIPAIS PALESTRAS,
DISCURSOS E PARTICIPAÇÕES DE CLÉRIO JOSÉ BORGES
Palestras, Conferências e Teses apresentadas em Eventos no Brasil, de Porto Velho a Porto Alegre e Manaus.

O Escritor, Historiador, Poeta e Trovador Capixaba, o Comendador Clério José Borges de Sant Anna, nasceu em 15 de setembro de 1950, no bairro de ARIBIRI, Município de Vila Velha, ES. Fundou e preside desde 1º de julho de 1980 o Clube dos Trovadores Capixabas CTC, que no dia 18 de novembro de 2017 transformou-se na ACLAPTCTC, Academia de Letras e Artes de Poetas Trovadores. Foi fundador e primeiro Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra. É morador do Município da Serra, ES, desde 1979 e Cidadão Serrano desde 26 de dezembro de 1994. No dia 18 de junho de 1987 concedeu entrevista em Rede Nacional, no programa “Sem Censura” da TV Educativa do Rio de Janeiro. No dia 11 de dezembro de 2014, uma entrevista de Clério José Borges ao repórter Mário Bonella, sobre as ruínas da Igreja de São José do Queimado, palco de uma Revolta de Escravos em 1849 foi exibida para todo o Brasil e inclusive para o Exterior através da Rede Globo de Televisão. Pertence a Academia de Letras de Vila Velha, antiga Academia de Letras Humberto de Campos.

Clério José Borges e a Homenagem dos Correios do Brasil. Selo dos Correios: 70 anos.
Clério José Borges e a Homenagem dos Correios do Brasil. Selo dos Correios: 70 anos.

Clério José Borges pertence ainda a Academia das Artes, Cultura e Letras de Marataízes e do Estado do Espírito Santo (Academia Marataizense de Letras), da Cidade de Marataízes, no sul do Estado; Academia Mateense de Letras, AMALE-TRAS, da cidade de São Mateus; Academia Iunense de Letras, da cidade de Iúna, na região do Caparaó; Acadêmico Correspondente, Cadeira 202, da Academia de Letras de Cachoeiro de Itapemirim. É Associado do Instituto Histórico e Geográfico do Es-pírito Santo e do Clube de Intelectuais Franceses. Pertence ainda ao Movimento Poético Nacional, MPN, com sede no Estado de São Paulo; Sociedade de Cultura Latina do Brasil, com sede em Mogi das Cruzes, SP; Casa do Poeta Brasileiro, Poe-bras, de Porto Alegre, RS; Academia Petropolitana de Letras, da Cidade de Petrópo-lis, (RJ); Academia Brasileira da Trova, com sede no Rio de Janeiro e Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas, ALCEAR, bem como inúmeras outras entida-des, Associações e Academias de Letras e Artes no Brasil e no Exterior.


Clério José Borges em Vila Nova de Colares
Clério José Borges em Vila Nova de Colares

CURRICULUM CULTURAL E ARTÍSTICO
1950 – O Historiador, Poeta, Escritor, Trovador, Comendador e Acadêmico Clério José Borges de Sant Anna nasceu no dia 15 de setembro de 1950, no bairro de Aribiri, no Município de Vila Velha, no Estado do Espírito Santo, Brasil. Filho do Estivador Manoel Cândido de Sant Anna e da Costureira Lyra Borges de Sant Anna. Ainda bebê, perde o pai vítima de infarto fulminante ocorrido pela madrugada e, é criado pela mãe viúva, sem qualquer orientação paterna.
Com cinco anos, acompanhando sua mãe, transfere-se para o Rio de Janeiro, onde a mãe passa a costurar em casa de famílias. Os primeiros estudos foram no Rio de Janeiro, num Jardim de Infância localizado em Niterói próximo à casa de pa-rentes onde passaram a residir durante um período de dois anos. A mãe, Dona Lyra, que possuía Curso de Corte e Costura e Bordado, patrocinado pela Empresa Singer. (Isaac Singer obteve a patente da primeira máquina de costura em 1851 e, em 1955, era inaugurada a primeira fábrica de Máquinas de Costuras Singer, em Campinas, pelo então Presidente da República Dr. João Café Filho), saía de Niterói de manhã cedo, atravessava de lancha a baía de Guanabara para trabalhar como Costureira, retornando à noite.
Em 1957 voltam para o bairro de Aribiri em Vila Velha, na Rua São José, hoje denominada rua Ramiro Leal Reis, ao lado do Campo de Futebol dos Santos Futebol Clube. A mãe Lyra Borges de Sant Anna, passa a trabalhar como costureira diarista em casa de Família em Vitória. Na época entre os anos de 1950 a 1960, as famílias mais abastadas (ricas) contratavam costureiras, que diariamente de segunda a sexta feira, confeccionavam as roupas dos integrantes da referida família. As lojas de venda de roupas prontas eram raridades e as peças de roupas prontas eram caras, sendo mais viável manter de segunda a sexta uma costureira para a confecção de roupas sob medida.
Como costureira Lyra Borges de Sant Anna trabalhou durante vários anos na casa da família do político Carlos Fernando Monteiro Lindenberg, homem sensível, político inteligente, que chegou a ser Governador e Senador da República, o que a levou a conseguir com relativa facilidade, uma Bolsa de Estudos para que Clério Jo-sé Borges estudasse numa das melhores Escolas de Ensino da época, o Colégio Nossa Senhora da Penha, dos Irmãos Maristas, em Vila Velha, ES.
Carlos Fernando Monteiro Lindenberg foi governador do Espírito Santo por dois mandatos (1947 – 1951 e 1959 – 1963), senador da República e um empresá-rio capixaba no ramo da comunicação. Nascido em 1899, em Cachoeiro do Itapemi-rim, formou-se aos 22 anos de idade em Direito. Marcado por ser uma figura influ-ente na vida pública e política do Estado, deixou um legado também na mídia da região, por ser um dos primeiros donos do jornal A Gazeta, jornal que vigora até hoje e faz parte do conglomerado conhecido como Rede Gazeta de Comunicações.
Residindo ao lado do Campo dos Santos, Clério começa a assistir na década de 60, aos jogos do Campeonato Capixaba de Futebol, do qual participavam as equipes do Rio Branco, Vitória e outros times. O Santos Futebol Clube fundado em 21 de julho de 1921 é conhecido como Santos de Aribiri, mas na verdade o Santos é de Paul. O apelido pegou, pois, o estádio em que mandava suas partidas era no Bairro Aribiri.
O time de Aribiri era o América Futebol Clube, este sim com sede no Bairro Aribiri, muitas vezes confundido com o América F.C de Vitória primeiro Campeão Capixaba de Futebol. O Santos disputou o estadual e a Taça Cidade de Vitória pro-fissionalmente várias vezes, mas em 1963 na Taça Cidade de Vitória veio sua gran-de glória, o time conquistou o título desta competição, muito tradicional no Espírito Santo durante as décadas de 50 e 70. Uma curiosidade era que o time do Santos chegava de Bonde ao estádio, pois havia uma linha de bonde do bairro de Paul até o bairro de Aribiri.
As partidas de futebol eram transmitidas pelas emissoras de rádio e Clério Jo-sé Borges sempre ficava próximo aos grandes locutores esportivos da época, um dos quais, Cesar Rizzo, que depois se transferiu para trabalhar nas emissoras de rádio de Minas Gerais e Rio de Janeiro. O comentarista era Antônio de Oliveira Ne-ves, conhecido como Carlota.
Natural de Vitória-ES, Cezar Rizzo iniciou a sua trajetória na Rádio Capixaba, em 1959. Em seus quase 60 anos de carreira como locutor, trabalhou nas seguintes rádios brasileiras: Vitória (ES), Espirito Santo (ES), Itatiaia (MG), Guarani (MG), Tupi (RJ), Poti (RN), Sociedade da Bahia (BA), Vera Cruz (BA), América (RJ), Tupi (SP), Globo (RJ), Jornal do Brasil (RJ), Nacional (RJ), Tropical (RJ), Tamoio (RJ), Brasil (RJ) e Manchete (RJ). Marcante locutor do rádio esportivo brasileiro, Cezar Rizzo morreu no dia 21 de janeiro de 2018, aos 82 anos, em Niterói (RJ), após longa luta contra um câncer no fígado. Em sua carreira, Cezar Rizzo cobriu quatro Copas do Mundo (1982, 1986, 1994 e 1998), uma Olimpíada (Moscou, 1980) e 50 Grandes Prêmios de Fórmula 1.

RÁDIO ESPÍRITO SANTO – HORA DO ÂNGELUS
1960 – Ainda em Aribiri ouvia na Rádio Espírito Santo (PRI-9), o programa “A hora do Ângelus”, de Solon Borges Marques. Todos os dias, às seis horas da tarde, Vitória e Vila Velha paravam e a sintonia de todos os rádios era a mesma. Com o programa Hora do Ângelus, Solon Borges, grande locutor da PRI-9, fazia um belo momento de oração com os capixabas. Todas as pessoas paravam para se benzer e para ouvir a Ave Maria. O programa realizava também, mensalmente, um Con-curso com várias perguntas e a pessoa tinha um prazo até o fim do programa para responder e, a cada resposta certa acumulava pontos. No final do mês vencia quem tinha mais pontos. Havia uma corrida de cavalos e cada ouvinte telefonava e apostava em um dos cavalos divulgados no programa. E, a cada vitória do cavalo escolhido, o ouvinte acumulava pontos.
Vitorino Rauta tinha um Bar do tipo Mercearia perto da Estação de bonde e lá estava o único telefone público do bairro de Aribiri entre os anos de 1960 a 1964. Clério ouvia as perguntas e corria para o Bar de onde comprava uma ficha telefôni-ca e ligava para a Emissora respondendo às perguntas e, ia acumulando seus pon-tos. Acabou vencendo um Concurso, recebendo como prêmio uma coleção com 12 livros da Literatura Brasileira e Mundial, entre os quais Iracema de José de Alencar, O Alienista de Machado de Assis e, A Letra Escarlate, livro de Nathaniel Hawthorne.
Iracema é um livro escrito de forma poética. Originalmente é Iracema – Lenda do Ceará. É um romance da literatura romântica brasileira publicado em 1865 e es-crito por José de Alencar, fazendo parte da trilogia indianista do autor. Os outros dois romances pertencentes à trilogia são O Guarani e Ubirajara. A “virgem dos lá-bios de mel” tornou-se símbolo do Ceará, e seu filho, Moacir, nascido de seus amo-res com o colonizador português Martim, representa o primeiro cearense, fruto da união das duas raças.
Já “A Letra Escarlate” foi publicado nos Estados Unidos em 1850. O livro conta a vida numa rígida comunidade puritana de Boston do século XVII, a jovem Hester Prynne tem uma relação adúltera que termina com o nascimento de uma criança ilegítima. Desonrada e renegada publicamente, ela é obrigada a levar sempre a letra “A” de adúltera, bordada em seu peito.
O Alienista é uma célebre obra literária do escritor brasileiro Machado de Assis. O livro conta a história do Dr. Bacamarte. Um alienista (a designação de psiquiatra na época) convencido de que a infertilidade de sua esposa está diretamente atrela-da às condições físicas e mentais do cônjuge. Para provar sua teoria, o alienista cria a Casa Verde, um local para realizar estudos inéditos sobre a mente humana, mas acaba se perdendo na sua própria loucura. Solta todos os internos e conclui ser o único anormal e decide trancar-se sozinho na Casa Verde para o resto de sua vida. A leitura de tais obras, verdadeiros clássicos, leva o jovem Clério a um contato maior com a boa literatura e desperta o interesse pela Poesia e pelo romance.

BONDES ELÉTRICOS DE ARIBIRI
1961 – Para estudar no Colégio Marista em Vila Velha, Clério usava como transporte o Bonde Elétrico da linha Paul a Vila Velha, único meio de transporte rá-pido e prático da época.
Aribiri é um termo indígena que significa o mesmo que Arabiri, Areberi, ou se-ja, diminutivo de Árabe, barata pequena, baratinha ou barata d´água. Baratinhas que são encontradas nas pedras que ficam próximas ao mar. O rio Arabiri, depois conhecido como Aribiri deu origem ao nome do bairro.
A região já foi um quilombo de escravos e em 1910 foi transformado em po-voado, tendo conhecido o progresso a partir da instalação do bonde em 1912, com a inauguração de uma linha de trem que ligava o centro de Vila Velha até o bairro de Paul, sendo a mais rápida via de acesso para quem queria chegar a Vitória. Duas linhas de bonde foram criadas. Uma denominada Paul/Aribiri e outra Vila Ve-lha/Aribiri. Aribiri era justamente a metade do caminho entre Paul até o centro de Vila Velha.
Em Aribiri ficava a “convertidora”, como era conhecida a Oficina de conserto de bondes que havia na parte detrás da Estação de embarque e desembarque de Passageiros. Para se chegar até Vitória, Capital do Estado, ia-se de bonde até Paul e ali de lancha ou bote chegava-se em Vitória, Capital do Estado. Os bondes estimula-ram a criação de lanchas que ligavam Paul a Vitória pelo canal da baía de Vitória. As lanchas concorriam com os botes dos catraeiros que faziam a travessia da baía.

ESTRADA RODOVIÁRIA ACABA COM OS BONDES
1961 – Uma estrada foi construída durante o governo de Jones dos Santos Neves com pista simples, sem acostamento e com cerca de 10 quilômetros, ligando Vitória ao centro de Vila Velha. Foi inaugurada a 8 de setembro de 1951, mesma época do 4º Centenário de Vitória. O nome da importante avenida de Vila Velha é em homenagem ao ex governador e ex Senador Carlos Fernando Monteiro Linden-berg.
Dez anos após a construção, em 1961, a rodovia recebeu duplicação, pas-sando a ter nove metros de pista em cada lado e com um sistema de drenagem na época criterioso, considerando ser uma região plana e baixa. Além disso, o trans-porte coletivo de bondes era um marco na vida da população vilavelhense. E, isso mudou com a inauguração da Rodovia Carlos Lindenberg, já que possibilitou a pre-ferência aos ônibus, uma efetiva alternativa urbana de mobilidade causada pela ro-dovia.
Essa rodovia sempre teve como função servir de alicerce de sustentação para o sistema viário do município, ou seja, permitir acesso a diversos bairros das regi-ões continental, central e litorânea de Vila Velha. Depois de asfaltada a rodovia pas-sou a ser o elo de ligação mais rápido que o bonde, fazendo com que os bondes deixassem de circular por volta de 1975/1976.

COPA DO MUNDO DE PELÉ
1958 – 1970. Copa do Mundo de Futebol. Numa destas idas para o Colégio recorda-se que estava dentro do Bonde, quando um Jogador da Seleção Brasileira de Futebol fez um Gol jogando contra o País de Gales na Copa do Mundo de 1958. O Bonde passava numa curva no bairro da Glória, próximo a Fábrica de Chocolates Garoto e o autor do Gol era um Garoto, de 17 anos, chamado Pelé, que depois receberia o título de Rei do Futebol e “Atleta do Século”.
Era o dia 19 de junho de 1958 e o Brasil naquele dia venceu a Seleção de Fu-tebol de País de Gales por 1 a 0. O País de Gales é uma das quatro partes do Reino Unido, um país da Europa ocidental. As outras três partes que compõem o Reino Unido são a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda do Norte. O povo do País de Gales é o galês, e sua língua específica tem o mesmo nome. Na língua galesa, o nome do País de Gales é Cymru. Sua capital é Cardiff.
A Copa do Mundo de 1958 foi a sexta edição da Copa do Mundo FIFA de Fu-tebol, que ocorreu de 10 de junho até 29 de junho de 1958. O evento foi sediado na Suécia. O Brasil venceu a partida contra o País de Gales (1 a 0). Destaque para Pelé com o único gol da partida. O mundo realmente conheceu Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Nas Quartas de finais, o Brasil enfrentou a forte defesa do País de Gales. Nesta partida Pelé brilhou. Ele aplicou um drible curtíssimo em seu marca-dor (“chapéu”) e girou de primeira para marcar o único gol do jogo.
A partida final foi disputada entre Brasil e Suécia e o Brasil venceu por 5 a 2 e sagrou-se pela primeira vez Campeão do Mundo. A Federação Internacional de Fu-tebol e Associações, mais conhecida pelo acrônimo FIFA, é uma organização sem fins lucrativos internacional que dirige as associações de futsal, futebol de areia ou futebol de praia e futebol, o esporte coletivo mais popular do mundo. Filiada ao Comitê Olímpico Internacional, a FIFA foi fundada em Paris em 21 de maio de 1904 e tem sua sede em Zurique, na Suíça.
Na Copa do Mundo de 1970, o Brasil se sagrou Tricampeão Mundial. A Copa do Mundo de Futebol é uma competição internacional que ocorre a cada quatro anos, com exceção de 1942 e 1946, quando não foi realizado por causa da Segunda Guerra Mundial. Essa competição, criada em 1928 na França, sob a liderança do presidente Jules Rimet, está aberta a todas as federações reconhecidas pela FIFA (Federação Internacional de Futebol Associado). O antigo nome da taça faz refe-rência a Jules Rimet. A primeira edição ocorreu em 1930 no Uruguai, cuja seleção saiu vencedora.
O Brasil, a única seleção a ter jogado em todas as competições, é o maior campeão com cinco títulos. É também o único proprietário permanente da Taça Jules Rimet (posta em jogo em 1930) e ganha em definitivo pelo país que vencesse pela terceira vez o campeonato, o que se deu na competição em 1970, com Pelé, o único jogador tricampeão mundial da história. Em 2020, a seleção brasileira, a Itália e a Alemanha são os países que mais conquistaram a Copa do Mundo de Futebol.
Apesar de já terem sido disputadas 20 Copas do Mundo, apenas oito países de dois continentes tiveram o privilégio de levantar a taça da competição. Em pri-meiro lugar na lista está o Brasil, com 5 vitórias, que é o único a ter disputado to-das edições do torneio. Na cola do Brasil está a Itália e Alemanha, campeãs quatro vezes, seguida de França, Argentina e Uruguai, duas; e Inglaterra e Espanha, que ganharam uma copa cada.

COLÉGIO DOS IRMÃOS MARISTAS DE VILA VELHA
CLÉRIO DESTACA-SE COMO REDATOR CHEFE “O PIONEIRO”
1961 – Estudou o Curso Primário, Ginasial e Curso Científico, no Colégio dos Irmãos Maristas, de formação religiosa Católica. O atual ensino fundamental era denominado de primário e ginásio. Já o atual ensino médio era chamado de científi-co e posteriormente foi denominado de 2º grau. Clério estudou de 1961 a 1967. Os alunos estudavam Latim e, nas aulas de Religião era obrigatório decorar o Evange-lho do Domingo.
Clério José Borges teve como professores, os Irmãos Xisto Iturmende (de origem espanhola); Irmão Pedro Valejo Garrido; Irmão Evaldo Gabriel (Gentil Paga-notto); Irmão Claudino (Joseph Claudieni); Irmão Estevão João (Jair Ferreira de Souza); Irmão João Gerlin; Irmão Crispim Edgard (Helvídio Loss). Entre os profes-sores, alguns não eram da Congregação Marista: Artelírio Bolsanello; professora Liese Santos; professor Rômulo Lopes de Faria e professor Clóvis Abreu, pai do Acadêmico e historiador de Vila Velha, Roberto Brochado Abreu.
Em determinada época, um dos professores foi o Audifax de Almeida Caval-canti, que ministrava aulas de Inglês. Audifax depois foi um dos organizadores do Cursinho Vestibular, implantado no Colégio em 1967, quando era Diretor do Colégio o Irmão Evaldo Gabriel (Gentil Paganotto).
Os Irmãos Maristas são uma congregação religiosa fundada pelo Padre Marce-lino Champagnat, na França. Os Maristas chegaram ao Brasil no dia 15 de outubro de 1897. O Ginásio Nossa Senhora da Penha, localizado na Avenida Champagnat, em Vila Velha, foi idealizado no mandato do Prefeito Domício Ferreira Mendes, quando foi articulada, pelos então vereadores Tuffy Nader e professor Ernani Sou-za, a vinda da Congregação dos Irmãos Maristas para Vila Velha, mediante a cessão do terreno para a construção do Ginásio.
Nas negociações da compra do terreno para a doação aos Irmãos Maristas, representados pela União Brasileira de Educação e Ensino, além da Prefeitura Muni-cipal esteve envolvido o Governo do Estado, cujo Governador na época era Carlos Fernando Monteiro Lindenberg. O terreno denominado Sítio Batalha foi comprado de herdeiros por Trezentos mil cruzeiros (valor bastante expressivo para época) e o negócio foi efetivado sendo a Escritura Pública de Doação Condicional do terreno “Sítio Batalha” para a construção do Ginásio, lavrada no dia 13 de setembro de 1950, no Cartório Beraldo Madeira da Silva, 1º Ofício. Na época o Município de Vila Velha era oficialmente chamado de Município do Espírito Santo.
Inaugurado em 04 de março de 1954, o Colégio Marista começa suas ativida-des com 61 alunos, distribuídos entre Turmas do Ginásio e as turmas do curso Pri-mário. O Colégio Marista na época era só para estudantes do Sexo Masculino. Anos mais tarde passou a Colégio misto, com a admissão de meninos e meninas com os Cursos: Ginasial e Colegial com o Primário, o Pré e o Jardim de Infância, o Maternal e Pré-vestibular.

REVOLUÇÃO MILITAR DE 1964
1964 – Residia ainda em Aribiri quando acompanhou pelo Rádio as notícias do Golpe de 31 de março e 1º de abril de 1964. Na madrugada do dia 31 de março de 1964, um golpe militar foi deflagrado contra o governo legalmente constituído do Presidente João Goulart. Houve falta de reação do governo e dos grupos que lhe davam apoio e, que não se conseguiram articular os militares legalistas. Uma greve geral proposta pelo Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) em apoio ao governo também fracassou.
O Presidente João Goulart, em busca de segurança, viajou no dia 1º de abril do Rio para Brasília e, em seguida para Porto Alegre, onde Leonel Brizola tentava organizar a resistência com apoio de oficiais legalistas. Apesar da insistência de Bri-zola, Jango desistiu de um confronto militar com os golpistas e seguiu para o exílio no Uruguai, de onde só retornaria ao Brasil para ser sepultado, em 1976.
Após 1964, Clério mudou-se com sua mãe para o centro de Vila Velha, ficando mais próximo do Colégio dos Irmãos Maristas onde estudava e dos parentes que residiam na região da Prainha, passando sua mãe a ministrar aulas particulares de Corte e Costura, em sua própria residência.
Fez os seus estudos iniciais no Colégio Nossa Senhora da Penha, dos Irmãos Maristas em Vila Velha, tendo posteriormente se formado como Técnico em Conta-bilidade no Ginásio Espírito Santo, de João de Almeida e Silva, que funcionava no período noturno no Colégio Vasco Coutinho, no centro de Vila Velha.

PARTICIPAÇÃO NOS DESFILES ESCOLARES
1965 – 1967. No Colégio Clério participou da Banda de Música, como Cornetei-ro. A Banda se apresentava nos grandes eventos da Escola e no Desfile Cívico Mili-tar de 23 de maio, data da colonização do Solo Espírito-santense e no dia 7 de se-tembro, dia da Independência do Brasil.
Celebra-se no dia 23 de maio, o Dia da Colonização do Solo Espírito-Santense. A data tem origem no ano de 1535, quando portugueses, a bordo da caravela Gló-ria, desembarcaram em Vila Velha, com a missão de colonizar a então Capitania do Espírito Santo. Vasco Fernandes Coutinho tornou-se donatário da capitania atra-vés de uma Carta Régia, enviada pelo rei de Portugal D. João III. O donatário ao desembarcar em Vila Velha, com cerca de 60 homens, enfrentou problemas graves com os índios que habitavam o lugar, a ponto de Vasco Fernandes Coutinho ter que, em 1549, transferir a sede da capitania para uma ilha, a denominada de Vila Nova para se diferenciar da primeira, Vila Velha.
Em 8 de setembro de 1551, os portugueses venceram acirrada batalha contra os índios Goitacazes e, entusiasmados pela vitória, passaram a chamar o local de Ilha de Vitória. Em meio ao pequeno núcleo urbano, de feição nitidamente colonial, havia “capixabas” – roças de milho- na língua dos índios – expressão que acabou servindo para denominar os habitantes da ilha e, posteriormente, todos os espírito-santenses. Os índios chamavam a Ilha de Vitória de Guananira ou “Ilha do Mel” pela beleza de sua geografia e amenidade do clima com a baía de águas tranquilas e manguezal repleto de moluscos, peixes, pássaros e muita vida. A data de emanci-pação política do município é 24 de fevereiro de 1823, quando um Decreto-Lei Im-perial concedeu Fórum de Cidade a Vitória. No século XX, em função da ocupação dos morros, que refletem as luzes das casas nas águas da baía, Vitória passou a ser chamada de “Cidade Presépio do Brasil” e depois “Delícia de Ilha”. Vitória é uma das três ilhas-capitais do Brasil (as outras são Florianópolis e São Luís).
O desfile cívico militar do dia 7 de setembro era realizado para comemorar o ato de Pedro I, separando o Brasil de Portugal. A independência do Brasil aconteceu em 1822, tendo como grande marco o grito da independência que foi realizado por Pedro de Alcântara (D. Pedro I durante o Primeiro Reinado), às margens do Rio Ipi-ranga, no dia 7 de setembro de 1822. Com a independência do Brasil declarada, o país transformou-se em uma monarquia com a coroação de D. Pedro I. No Brasil o dia Sete de Setembro foi transformado em feriado nacional e é celebrado com des-files por todo o território. A Banda era organizada pelo Irmão José Siqueira.
Clério participou também da Congregação Mariana em 1965, juntamente com os colegas, Marco Antônio Trés; Miguel Ângelo Trés; Jovem Zucolotto; Rogério Luiz Brochado Abreu, conforme foto na página 88, do Livro “Colégio Marista, 60 anos de história na Educação em Vila Velha, 1954 a 2014”

PARTICIPAÇÃO NO GRÊMIO ESTUDANTIL
1967 – No Colégio Marista fez parte do Grêmio Estudantil na administração do presidente Vicente de Paula Ferreira atuando, em 1967, como redator do jornal “O Pioneiro”, órgão oficial do Grêmio Estudantil Nossa Senhora da Penha.
A Edição do Jornal O PIONEIRO, de junho de 1967, registrava Reportagem sobre o Sesquicentenário Marista e consta Ano V, Nº 23, “Órgão Oficial dos Alunos do Colégio Nossa Senhora da Penha”.
Em setembro do mesmo ano de 1967, foi publicado mais um número com uma reportagem Especial de Clério José Borges, com o Título “O Velho Matias”, sobre a descoberta de Petróleo em São Mateus – ES. Tiragem: 2.000 Exemplares para todos os alunos.
Ainda como Diretor de Jornalismo do Grêmio Estudantil, com o apoio do ami-go colega, Emanuel do Espírito Santo Barcellos, organizou o Concurso Nacional Lite-rário Padre Champagnat, que recebeu de 1º de julho a 15 de outubro de 1967, (dia dos 70 anos da chegada dos Maristas no Brasil), mais de 3 mil redações de alunos Maristas de todo o Brasil.
CLÉRIO JOSÉ BORGES PRESIDENTE DA UBT, UNIÃO
BRASILEIRA DE TROVADORES DE VITÓRIA – VILA VELHA
1967 – O Professor José Augusto de Carvalho era assíduo colaborador do Jor-nal “A Gazeta”, de Vitória. Luiz Otávio nomeara José Augusto, Delegado da UBT em Vitória. De imediato, o professor José Augusto inicia uma Campanha para a instala-ção da Seção de Vitória da União Brasileira de Trovadores e publica no sábado, dia 14 de janeiro de 1967, no Caderno Literário, uma carta de Zedânove Tavares, de Vila Velha, com Trovas. Na mesma coluna, logo abaixo, um cupom de filiação de Trovadores, para ser preenchido e encaminhado para a Rua Quintino Bocaiúva, 16, Aptº 1302 – Edf. Navemar – Vitória.
No sábado, 4 de fevereiro, carta de Renato Bastos Vieira é publicada, seguin-do-se uma carta do Trovador Albércio Vieira Machado, do bairro Ibes, Vila Velha, que mandara o cupom preenchido e algumas Trovas. É publicada uma Trova de Albércio: Eu não sabia, querida, / que esses lindo olhos teus / fossem tanto em minha vida / a vida dos olhos meus. Já no dia 11 de março de 1967, a coluna Tro-vas, publica no item I, nova carta de Zedânove Tavares onde informa que ele está remetendo o cupom e, mais Trovas. No item III da referida coluna a notícia: “O Trovador Clério José, de Vila Velha inicia-se na Trova com um pedido justo: U’a luz ao longe aparece / pois nunca é tarde demais / para atender a uma prece / pedindo Jogos Florais. ”
José Augusto marca a data de fundação da UBT de Vitória, para o dia 22 de abril de 1967, na sua própria residência em Vitória, na Rua Quintino Bocaiúva, 16, Aptº 1302, Edf. Navemar. Entre os presentes, Carlos Dorsch, Osmar Silva e Miguel Depes Tallon. Zedânove Tavares Sucupira e Clério José Borges também ali compa-recem. Ao chegarmos, a reunião já estava no seu final e o Prof. José Augusto de Carvalho foi logo anunciando: – Pelo conjunto de suas Trovas, você Zedânove foi eleito primeiro Presidente da UBT seção de Vitória. ”
Assim de 1967 a 1968, Zedânove Tavares Sucupira presidiu a Seção de Vitória da União Brasileira de Trovadores, fato comunicado oficialmente a Luís Otávio no Rio de Janeiro e divulgado no Jornal oficial da entidade nacional. No dia 14 de outu-bro de 1967, a UBT de Vila Velha promove um Júri Simulado.
O Júri foi realizado na Sala de Sessões “Getúlio Vargas”, da Câmara Municipal de Vila Velha, cedida gentilmente pelo seu então Presidente, Vereador Henrique Rí-molo. O tema era a existência ou não de Plágio, na semelhança entre uma Trova de Alberto Isaías Ramires, publicada no livro “Cantigas do Coração”, de 1964: Ao cla-rão da lua cheia, / numa noite de calor, / vi as ondas sobre a areia, / compondo versos de amor.
E a Trova do Trovador iniciante Antônio Otacílio Peterle, publicada na seção Trovas, de José Augusto de Carvalho, no Caderno Literário, de “A Gazeta”, no dia 8 de abril de 1967: Sob a bela lua cheia, / eu a beijei com calor. / E vi as ondas na areia, / fazendo versos de amor.
A promoção foi cuidada de formalidades. Foi feito Convite Especial para as autoridades. O Banco dos Réus foi organizado com políticos, professores e pessoas de destaque na vida Social de Vila Velha: Moacir Carvalho; Henrique Rímolo; Aílton de Almeida; Audifax de Almeida Cavalcanti, Wilson Calmon Alves; Rubens Martinelli e Jorge Góes Coutinho, que no final de 2006, na ausência do Governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, assumiu o Governo do Estado por um determinado período, por ser Presidente do egrégio Tribunal de Justiça. Como Juiz, do referido Júri Simu-lado, os organizadores convidaram o advogado militante, Dr. Antônio Carlos Barcel-los.
Os debates foram empolgados. Na acusação Geraldo Nascimento e Clério Jo-sé Borges. Na defesa Zedânove Tavares e Gerson Fernandes da Silveira Novaes. Os ânimos chegaram a ficar exaltados pois cada qual procurava defender a sua tese de forma empolgante. Ao final, o resultado: Sete a Zero para a Defesa. A Acusação sob protesto continuava chamando de Plagiador, o Poeta Antônio Otacílio Peterle, que para colaborar com a promoção sentara-se na cadeira destinada ao réu, como ocorre num Júri de verdade.
O sucesso do Júri foi tanto que a 29 de junho de 1968, a UBT foi convidada a reprisá-lo em Cachoeiro de Itapemirim, no Auditório da Casa do Estudante, no dia de aniversário daquela importante cidade do Sul do Estado. O convite foi feito pelo então Presidente da Academia Cachoeirense de Letras, Poeta Solimar de Oliveira. A notícia foi divulgada no Jornal “A Tribuna”, de 20 de junho de 1968, que informava que na acusação estariam Geraldo Nascimento e Clério José Borges. Na Defesa, Zedânove Tavares e Maria Alneci Cerutti. O resultado final foi de quatro a três, favo-rável a Defesa. O Júri propiciava a discussão do tema: “Plágio ou Semelhança de Ideias? ” A acusação defendia a tese do Plágio. Já a defesa considerava que não ocorrera Plágio e sim “semelhança de ideias. ”
A UBT, por força de seu Estatuto, promovia eleições de dois em dois anos. Uma nova Diretoria foi formada e eleita. A Diretoria eleita tomou posse no sábado, dia 29 de março de 1969, em solenidade na sede da Academia de Letras “Humberto de Campos”, na rua 23 de maio, nº 87 – Prainha – Vila Velha.
Geraldo conseguiu divulgar a entidade em Vitória e Vila Velha e por serem os membros da Diretoria, em sua maioria, residentes em Vila Velha, a entidade realiza-va suas reuniões em Vila Velha, passando a denominar-se Seção de Vitória e Vila Velha da UBT.
No biênio 1971 – 1972, Clério José Borges de Sant’Anna é eleito Presidente da UBT. Como Vice fica Geraldo Nascimento. Um dos primeiros atos foi comunicar a Direção Nacional da UBT a necessidade de optarmos por uma única denominação. A ideia e logo acolhida e fica então definido que a entidade passaria a chamar-se tão somente de Seção de Vila Velha da União Brasileira de Trovadores. Vitória ficava sem nenhuma seção.
Clério acabou popularizando a entidade. Promoveu palestras nas Escolas, Cur-sos Informativos, sem fins lucrativos, para estudantes e reuniões mensais da UBT, na sede da Academia de Letras “Humberto de Campos”, cedida como sede provisó-ria da UBT de Vila Velha pelo então Presidente daquela entidade, Saturnino Rangel Mauro, cujo filho era Prefeito de Vila Velha e posteriormente seria eleito Governador do Estado do Espírito Santo.
A terceira Diretoria da UBT tomou posse a 22 de abril de 1971 e em maio lan-çava uma candidata, Maria Amália Gozze, ao Concurso Miss Espírito Santo, de 1971. Os Concursos de Beleza de jovens garotas, denominadas Misses estavam em evi-dência na época e as disputas eram acirradas, com mais de três dezenas de candi-datas. A UBT ganhou divulgação na imprensa e nos Ginásios onde a candidatava se apresentava. Os Ginásios estavam sempre lotados com centenas de pessoas. No dia 15 de julho de 1971, a UBT Capixaba realizava no Colégio dos Irmãos Maristas de Vila Velha, uma palestra com o título, “A Trova e o atual Movimento Trovado-resco no Brasil”. O palestrante foi o sr. J. Silva, que residia no Rio de Janeiro.
Em 1972, com o apoio da Secretaria de Turismo da Prefeitura Municipal de Vila Velha, (Prefeito Max Freitas Mauro e Secretário Antônio Guimarães) é realizado a nível nacional o Primeiro Concurso de Trovas da UBT Vitória, com o tema Pelé. Fo-ram recebidas mais de 500 Trovas, classificando-se em 1º Lugar a Trova do Trova-dor de Taubaté, São Paulo, Cesídio Ambrogi: Que o Brasil todo enalteça, / tanto a Ruy, como a Pelé. / Se um o honrou pela cabeça, / o outro o honrou usando o pé.
No mês de maio de 1972 é realizado em Vila Velha um Curso Informativo de Jornalismo e Comunicação. São apresentadas palestras de Jornalistas e radialistas de Vitória no Auditório do Colégio dos Irmãos Maristas, em Vila Velha, em promo-ção da UBT, com mais de 300 participantes. Outros Cursos são então realizados, com êxito nas Comunidades de Vila Velha e do Estado.
Em abril de 1973 é eleita uma nova Diretoria da UBT, com o poeta Edson Fai-olli como Presidente. Edson, por circunstâncias várias, torna a entidade inativa, dei-xando a mesma de existir.

CLÉRIO PUBLICA CONTOS INFANTIS
NO JORNAL A GAZETA, DE VITÓRIA, ES.
1967 – Ainda no Colégio Marista no Curso Científico, atual 2º Grau, Clério foi aluno do professor Rômulo Lopes de Faria que era amigo da Jornalista Glecy Couti-nho, que na época era Editora do Jornal A Gazetinha, suplemento infantil do Jornal de maior circulação no Espírito Santo, na época, o Jornal A Gazeta. Lendo as reda-ções de Clério José Borges, o professor Rômulo solicitou que Clério fizesse contos infantis que passaram a ser publicados no Jornal A GAZETINHA, suplemento Infantil do Jornal A GAZETA, de Vitória – ES.
Assim no período de 1966 a 1968 foi Contista Infantil, com vários contos pu-blicados no Jornal A GAZETINHA, suplemento Infantil do Jornal A GAZETA, de Vitó-ria – ES. O Suplemento Infantil A Gazetinha era dirigido pela Jornalista Glecy Couti-nho. Os contos que fizeram mais sucesso foram “Se Batman e Robin visitassem Vitória” e “O sapo Rimued”, que contava a história de um sapo orgulhoso que rei-nava numa Lagoa. O conto Infantil era cheio de ironias e, objetivamente procurava chamar de orgulhoso, um colega de colégio. A palavra Rimued criada por Clério é Deumir ao contrário.
A edição de 7 de janeiro de 1967 do Caderno Literário do Jornal “A Gazeta”, de Vitória – ES, publica uma página de Trovas de diversos Trovadores Brasileiros, entre os quais, A.A. de Assis, de Maringá – PR e Alfredo de Castro. Na mesma edi-ção é publicado o soneto “Apelo”, de Eno Teodoro Wanke. Junto com o Caderno Literário, o Jornal “A Gazeta”, publicava naquele dia o Suplemento Infantil, A Gaze-tinha, que trazia um conto infantil de Clério José Borges, com o título “Três Dese-jos”.

CURSO DE TÉCNICO EM CONTABILIDADE
1968 – Formou-se como Técnico em Contabilidade no Colégio Comercial do Espírito Santo – Vila Velha – ES, tendo concluído o curso no ano de 1968, conforme Diploma datado de 15 de dezembro de 1968, assinado pelo Diretor João de Almeida Silva e pelo Secretário Aylton de Almeida.
Durante o dia estudava o Curso Científico (atual 2º Grau), no Colégio Marista e à noite, estudava o Curso de Técnico em Contabilidade. Entre os colegas forman-dos, Geraldo Nascimento, Deumir Da Rós e Francisco de Freitas Mauro, conhecido por Neco, que foi Vereador em Vila Velha e é irmão do ex Governador Max Freitas Mauro e tio do Prefeito de Vila Velha, Max Filho. Foi aluno do Professor, também Poeta e Trovador, Aylton de Almeida e do Contador Atyla de Freitas Lima.

JORNAL DE VILA VELHA
1969 – Clério em 1969 lançou em Vila Velha, o Jornal de Vila Velha. Quatro números do Jornal chegaram a circular em 1969. Nas páginas do Jornal escreveram artigos: Zedânove Tavares, que atuou como Redator Chefe; Geraldo Nascimento; Emanuel Barcellos; Max Freitas Mauro; Osny Ferreira Mendes; Jair Vianna Santos e Attílio Juffo. O Jornal tornou-se inativo devido aos altos custos financeiros de finan-ceiros de Impressão. A tiragem era de 1.000 Exemplares cada número. A Impres-são era feita em Cachoeiro de Itapemirim – ES.
Assessor Técnico da Prefeitura Municipal de Vila Velha, em 1972, na Adminis-tração Max Freitas Mauro, tendo elaborado textos e Comunicados da Prefeitura Mu-nicipal, que foram distribuídos nas Comunidades de Vila Velha.

JORNAL A TRIBUNA DE VITÓRIA, ES
1969 – Aquiles Antonaccio era comerciante em Aribiri e amigo de um Diretor Administrativo do Jornal A Tribuna de Vitória e que passava por um processo de transformação redacional. Um novo grupo empresarial havia adquirido o Jornal, o Grupo João Santos e inicia, em 1969 um processo de contratação de novos profis-sionais.
Os jornalistas do Rio de Janeiro, Cláudio Bueno Rocha e Vinícius Paulo Seixas são contratados para uma transformação do Jornalismo Capixaba. A Tribuna come-ça a contratar estagiários, fato que chega ao conhecimento do comerciante Aquiles Antonaccio, que de imediato lembra-se do jovem que vivia brincando de jornalista pelas ruas de Aribiri e faz a indicação de Clério para o estágio em A Tribuna.
Assim em 1969 Clério José Borges ingressa no jornal A Tribuna como estagiá-rio, (Foca ou Jornalista iniciante), exercendo posteriormente as funções de Repór-ter, Redator e Chefe de Reportagem, tendo trabalhado com os profissionais Plínio Marchini, Cláudio Bueno Rocha, Vinícius Paulo Seixas, Rubinho Gomes, Sérgio Egito, Jota Cassado e Nelson Gurgel entre outros.

VOCAÇÃO DE JORNALISTA SURGE DESDE A INFÂNCIA
REDATOR CHEFE DO JORNAL O PIONEIRO
Já na infância em Aribiri, Clério mostrou sua tendência ao Jornalismo montan-do a caneta um Jornalzinho que vendia para pessoas amigas e conhecidas. Divulga-va notícias ouvidas no Rádio. Um trabalho artesanal vendido a preços de hoje em torno de dez centavos. Era feito um exemplar e depois repetia com a mesma dia-gramação mais dois ou três exemplares. Quando os americanos lançaram um fo-guete em direção ao espaço e que não logrou êxito, Clério já montava seu jornal e colocava lá que a culpa tinha sido por causa de um parafuso mal afixado. Ao in-gressar no Colégio dos Irmãos Maristas começou a se destacar nas Redações e acabou sendo convidado a escrever crônicas e, mais tarde foi convidado a dirigir o Jornal O Pioneiro, do Grêmio Estudantil Nossa Senhora da Penha.
Clério foi também Redator Chefe do Jornal Estudantil O PIONEIRO, no Colégio Nossa Senhora da Penha, conhecido popularmente como Colégio dos Irmãos Maris-tas, de Vila Velha – ES, em 1967. A Edição do Jornal O PIONEIRO, de junho de 1967, registrava Reportagem sobre o Sesquicentenário Marista e consta: Ano V, Nº 23, “Órgão Oficial dos Alunos do Colégio Nossa Senhora da Penha”. Em setembro do mesmo ano de 1967, foi publicado mais um número com uma reportagem Es-pecial de Clério Borges, com o Título “O Velho Matias”, sobre a descoberta de Pe-tróleo em São Mateus – ES. Tiragem: 2.000 Exemplares, distribuídos gratuitamente para todos os alunos. Como Diretor de Jornalismo do Grêmio Estudantil “Nossa Se-nhora da Penha”, do Colégio Marista de Vila Velha, Clério organizou um Concurso Nacional Literário Padre Champagnat, que recebeu de 1º de julho a 15 de outubro de 1967, mais de 3 mil redações de alunos Maristas de todo o Brasil. No dia 15 de outubro de 1897, um grupo de Irmãos maristas chegam ao Brasil para ampliar a missão do hoje Santo, São Marcelino Champagnat, fundador da congregação.
Clério foi Diretor Presidente e Cultural da POP ART PROMOÇÕES LTDA, de Vila Velha – ES. Publicou o Jornal “News Pop Art”- Informativo Estudantil Capixaba. A edição do referido jornal de Nº 1, foi lançada em dezembro de 1981.
Em 1969 começa a trabalhar como Jornalista iniciante ou Estagiário, (na lin-guagem Jornalística o nome é Foca) no Jornal A Tribuna, de Vitória, ES. De “Foca” é logo promovido a Repórter, depois Redator, chegando a exercer o cargo de Chefe de Reportagem do Jornal “A Tribuna”, de Vitória, ES. Trabalhou profissionalmente, com Carteira Profissional assinada de 01/08/69 a 11/02/70 e de 01/03/71 a 05/07/72. Foi Repórter Iniciante (Foca), de janeiro a março de 1969 e promovido, em seguida, a Repórter e depois a Redator, trabalhando até 1972. O Jornal “A Tri-buna” é um dos mais conceituados Jornais do Estado do Espírito Santo, disputando a preferência popular com o Jornal A Gazeta. Clério, em A Tribuna, além de Repór-ter e Redator foi comentarista de Cinema e chegou a Chefe de Reportagem, traba-lhando com os consagrados Jornalistas, Marien Calixte, Plínio Marchini, Rubinho Gomes, Paulo Bonates e os falecidos Sérgio Egito, Paulo e Pedro Maia, Vinicius Pau-lo Seixas e Cláudio Bueno Rocha…
Interrompeu seu trabalho como Jornalista para servir o Exército, tendo ingres-sado no 38 BI – Batalhão Tibúrcio, em Vila Velha, integrando o Curso de NPOR (Nú-cleo de Preparação de Oficiais da Reserva), por aproximadamente um ano. Na épo-ca em que esteve no Exército continuou escrevendo para o Jornal A Tribuna como crítico cinematográfico, comentando semanalmente os filmes em exibição em Vitó-ria, Capital do Estado.
Depois teve uma lingeira passagem pelo Jornal O Diário, (Já extinto), também de Vitória, ES, onde exerceu as funções de Repórter Especial e Chefe de Reporta-gem. No livro “O DIÁRIO DA RUA SETE”, de Antônio de Pádua Gurgel o nome de Clério José Borges é citado na página 223 e, consta na Reportagem intitulada “Nós somos os focas”, onde vários Jornalistas iniciantes explicavam aos leitores por que haviam optado pela profissão de Jornalista. Além do nome de Clério José Borges constam os nomes de, Mariângela Pellerano, Jorge Luiz de Souza, Jair Guilherme de Almeida, Toninho Rosetti, Newton Pandolpho Filho e José Antônio Mansur, na épo-ca recém-contratados.

CLÉRIO NO EXERCITO CURSA O NPOR
No ano de 1917 o 50º Batalhão de Caçadores do Exército Brasileiro é transfe-rido, de sua sede em Salvador, para o Estado do Espírito Santo, pelo Decreto 6.971 de 15 de dezembro de 1917, vindo a instalar-se na cidade de Vila Velha, com suas dependências construídas sobre o Forte São Francisco Xavier da Barra. Pela Portaria Ministerial Reservada, número 043, de 07 de setembro de 1972, o Batalhão passou a ser chamado de 38º BATALHÃO DE INFANTARIA e, em 11 de maio de 1964, re-cebe a denominação de BATALHAO TIBURCIO num pleito de homenagem a Antônio Tibúrcio Ferreira de Souza, Tenente Coronel Comandante do Exército que a 08 de julho de 1868 recebe um elogio do Comando em Chefe de Todas as forças Brasilei-ras em operações contra o Governo do Paraguai, não só pelo acerto em suas dis-posições no comando, assim também pela atividade e bravura com que sempre se distinguiu na frente do inimigo(…)”
Assim em 1969, Clério se alista no Exército brasileiro e por ter concluído o en-tão Curso de 2º grau, em 1968, se inscreve no NPOR, Núcleo de Preparação de Ofi-ciais da Reserva. Serve o exército durante o período de um ano. No período p des-taque era a Ordem Unida, ou seja, uma formação habitual de marcha de uma tro-pa, com um conjunto harmonioso, cadenciado e equilibrado dos movimentos de marcha, chamado de ordem unida. Terminado o período no Exército retornou ao Jornal A Tribuna onde permaneceu até o dia que o referido Jornal da Rua Deputado Nelson Monteiro, na Esplanada da Capixaba no Centro de Vitória, fechou suas por-tas e passou por uma grande reformulação gráfica, retornando cerca de dois anos depois na nova sede da Ilha de Santa Maria, quando Clério já estava envolvido em outras atividades culturais, através de Cursos Informativos.

CURSO DE DIREITO EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM
1970 – No ano de 1970 Geraldo Nascimento, amigo de infância resolve fazer Vestibular de Direito em Cachoeiro de Itapemirim e convida Clério José Borges para juntos realizarem a prova. A Faculdade na cidade de Cachoeiro era particular e mui-tos estudantes da Capital Vitória, iam estudar em Cachoeiro, cidade localizada a pouco mais de 100 quilômetros de Vitória, já que a Faculdade admitia a presença nas sextas feiras e no sábado. Clério se inscreveu para estimular um amigo, Geraldo Nascimento, o Gernas, ao estudo. Clério passou e Gernas também. Clério classifi-cou-se em 3º lugar no Exame Vestibular da Faculdade de Direito da Cidade de Ca-choeiro de Itapemirim. Naquele ano ficou em 5º lugar na classificação geral, pois dois candidatos empataram em primeiro lugar e dois empataram em segundo lugar. Eram 300 Candidatos para 100 Vagas.
Um dos itens da prova do Vestibular era falar sobre o Escritor José de Alen-car. Como se diz na gíria popular, foi “açúcar no mel” pois Clério já havia lido vários livros de José de Alencar, desde “Ubirajara” até o livro, “Iracema”, a virgem dos lábios de mel.
Estudou Direito em Cachoeiro de Itapemirim, durante um ano, em 1970, tendo comparecido várias aulas nos fins de semana. Além do pagamento mensal da Fa-culdade havia ainda a hospedagem de sexta para sábado o que inviabilizava as idas de Clério até o sul do Estado. Cansou das viagens e, em 1971, abandonou o Curso que era frequentado na cidade de Cachoeiro. Geraldo Nascimento que possuía um Escritório de Contabilidade e assim tinha como se manter financeiramente, acaba concluindo o Curso em 1974.

JORNALISTA CORRESPONDENTE DA REVISTA INTERVALO, SP
1971 – Clério foi Jornalista Correspondente, no Espírito Santo, da Revista IN-TERVALO, da Editora Abril, de São Paulo, tendo publicado entre outras, uma série de reportagens sobre o caso do cantor Tony Tornado que se atirou do palco em cima da plateia, no I Festival de Verão de Guarapari, (Festival de Verão de Guarapa-ri, o Guaraparistock, como a versão brasileira de Woodstock, nos dias 11,12, 13 e 14 de fevereiro de 1971), causando lesões numa jovem que assistia ao show.
Antônio Viana Gomes, mais conhecido como Toni Tornado, em 1970 foi o vencedor da fase brasileira do V Festival Internacional da Canção com a canção soul “BR-3”. Tony Tornado se apresentava em Guarapari acompanhado da banda A Bra-zuca, de Antônio Adolfo, quando resolveu voar (stage diving) sobre a plateia quan-do encerrava a apresentação com seu sucesso BR3, que havia vencido o Festival da canção na Rede Globo de Televisão. Ele caiu sobre a espectadora, Maria da Graça Capôs, que por pouco não ficou paraplégica, mas acabou curada depois que Tor-nado, com apoio do apresentador de TV, Silvio Santos custeou seu tratamento mé-dico. Clério escreveu várias reportagens Especiais do caso TONY TORNADO no 1º Festival de Verão de Guarapari – ES.

CONCURSO LITERÁRIO SOBRE HUMBERTO DE CAMPOS
Em 1971 a Academia de Letras Humberto de Campos realiza com o apoio da Prefeitura Municipal de Vila Velha um Concurso Literário com o tema Humberto de Campos. Clério participa do Concurso com mais 46 pessoas e se classifica em SE-GUNDO LUGAR.
A Classificação mereceu premiação em Dinheiro. O Concurso teve por objeti-vo despertar o interesse pelo estudo da vida do Humberto de Campos, Humberto de Campos Veras (Miritiba, 25 de outubro de 1886 — Rio de Janeiro, 5 de dezem-bro de 1934) foi um jornalista, político e escritor brasileiro.

PROFESSOR DE MORAL E CÍVICA
1972 – O Governo do Estado no ano de 1972 possuía a figura do professor provisionado. Aquele que não sendo formado como Professor de determinada disci-plina, após rápida avaliação, recebia uma autorização provisória para ministrar au-las preenchendo vagas existentes. Assim em 1972, por indicação do político Teixei-rinha, (José Teixeira Guimarães) foi convidado pela Secretaria Estadual de Educação a ministrar aulas de uma disciplina nova, denominada “Moral e Cívica” na Escola Estadual de 1º Grau “Agenor de Souza Lé”, no bairro Divino Espírito Santo, antigo bairro da Toca, em Vila Velha. Ministrou aulas para sete turmas de 5ª Série de 1º Grau, sendo que cada turma possuía cerca de 30 alunos, perfazendo um total de pouco mais de 200 alunos.
A Disciplina Educação Moral e Cívica foi criada em setembro de 1969 como disciplina obrigatória nas escolas de todas etapas e modalidades do País pelo então presidente Arthur da Costa e Silva (1967-69), criador do AI-5, durante a fase mais dura e brutal da ditadura militar brasileira. A disciplina previa o culto à pátria, bem como aos seus símbolos, tradições e instituições a fim de “aprimorar o caráter do aluno por meio de apoio moral e dedicação tanto à família quanto à comunidade”. Tratava-se de uma maneira de exaltar o nacionalismo presente na época da ditadu-ra. Com o passar dos anos, o ensino da disciplina foi flexibilizado. Primeiro, tornou-se obrigatório apenas para algumas séries. Em 1992, passou a ser opcional e, em 1993, o então presidente Itamar Franco a extinguiu por não a considerar parte de um regime democrático.

CURSOS INFORMATIVOS
1972 – Clério José Borges trabalhando no Jornal A Tribuna, em 1972, tem uma ideia de realizar em Vila Velha um Curso Informativo de Iniciação ao Jornalismo. Estando na Diretoria da UBT, União Brasileira de Trovadores realiza o evento como promoção da UBT, aproveitando a oportunidade para divulgar a Poesia e a Trova.
São programados alguns Cursos nas Comunidades de Vila Velha. Em 25 de março de 1972 é realizado um Curso de Iniciação ao Jornalismo, no Bairro Ataíde, Vila Velha, ES, em promoção conjunta com a JUBA – Juventude Unida do Bairro Ata-íde, no Município de Vila Velha, ES, na época presidida por Péricles Alves Noronha e tendo na Diretoria Dilzete Reis. O Curso foi realizado aos Domingos pela manhã durante um período de cinco Domingos. No encerramento do Curso uma solenidade especial de entrega de Certificados. No Curso em Ataíde foi registrada a participação dos amigos: Carlúcio, Altair Brandão (Tamoio) e do então Vereador de Vila Velha, atualmente falecido, Nilson Bitencourt.
Logo novo Curso é programado para ser realizado em Vila Velha. Recebe o nome de Curso Livre de Jornalismo e Comunicação, e, é programado para o perío-do de 4 a 22 de maio de 1972, no Auditório do Colégio dos Irmãos Maristas, com apoio da Prefeitura Municipal de Vila Velha e que teve a participação de mais de 300 alunos das Escolas de Vila Velha. Foram duas semanas, de segunda a sexta, no pe-ríodo noturno e, de 4 a 22 de maio. O evento foi programado em comemoração ao aniversário da cidade de Vila Velha, que ocorre sempre, todo ano no dia 23 de maio.
Alguns Jornalistas e Radialistas de Vitória foram convidados para passarem pa-ra os estudantes um pouco de sua experiência profissional. Os principais nomes do Jornalismo Capixaba da época: Marien Calixte, Amylton de Almeida, Antônio Élber Suzano, Antônio Augusto Rosetti, Emanuel Barcellos, Darcyr Castelo Mendonça, Ita-guassy Fraga, Esdras Leonor, Paulo Bonates e Pedro Maia. Clério José Borges, Ze-dânove Tavares Sucupira e Emanuel Barcellos foram também palestrantes passando um pouco de suas experiências para os jovens estudantes.

CLÉRIO JOSÉ BORGES CANDIDATO A VEREADOR EM VILA VELHA
1972 – Um político de Vila Velha foi convidado para ir numa noite assistir a Pa-lestra de Gerson Camata que depois seria Governador do Estado. O político era Jo-sé Teixeira Guimarães que disputava a Prefeitura de Vila Velha pelo MDB 3. Na épo-ca existiam apenas dois partidos políticos. A Arena e o MDB e os partidos se dividi-am em três grupos. Teixerinha era do MDB 3. Participando do evento, se entusi-asma vendo o jovem Clério José Borges comandando aquele auditório lotado com pouco mais de 300 jovens.
De imediato lança Clério candidato a Vereador nas eleições do final de ano. Disputou as eleições pelo MDB – Movimento Democrático Brasileiro, de Vila Velha – ES, em 1972, sendo candidato lançado pelo Político local José Teixeira Guimarães, o Teixeirinha, com apoio do então Prefeito Max Freitas Mauro, mais tarde eleito Go-vernador do Estado do Espírito Santo. Obteve 327 votos com o apoio de Estudan-tes de Vila Velha. O Vereador que se elegeu em último lugar teve 360 votos. Em solenidade realizada na Câmara Municipal de Vila Velha, Clério foi Diplomado Suplen-te de Vereador, pelo Juiz Eleitoral, Dr. Jairo de Mattos Pereira, já falecido.

CLÉRIO MINISTROU CURSOS INFORMATIVOS
EM VÁRIAS CIDADES DO ESPÍRITO SANTO E DE MINAS GERAIS
1972 – Com o êxito da iniciativa resolve posteriormente promover Cursos In-formativos de Iniciação ao Jornalismo e Comunicação em bairros e cidades, apro-veitando a experiência adquirida nos Jornais A Tribuna e O Diário de Vitória, onde atuou desde Foca (Jornalista iniciante) até Chefe de Reportagem. Iniciou realizando os Cursos através da Seção de Vila Velha da UBT – União Brasileira de Trovadores. Durante os Cursos de curta duração divulgava também a Poesia e a Trova. Posteri-ormente com a extinção da UBT, Clério funda a POP ART PROMOÇÕES LTDA, em-presa de Vila Velha, ES criada para dar legalidade aos Cursos Informativos no Esta-do do Espírito Santo e no Brasil e, que passa a organizar Cursos em cidades do inte-rior do Estado. Assim de maio de 1972 a julho de 1982, ou seja, por cerca de dez anos organizou Curso, Palestras e Excursões.
Para divulgar suas atividades, a Pop Art lança o Jornal “News Pop Art”- Infor-mativo Estudantil Capixaba. O Nº1 foi lançado em dezembro de 1981. Foram Cur-sos Informativos e palestras. Cursos de Iniciação ao Jornalismo e Meios de Comu-nicação. Recepcionista de Banco e Escritório e vários outros. Os Cursos foram reali-zados em várias cidades do Estado do Espírito Santo, inclusive bairros da Grande Vitória e, algumas de Minas Gerais (Governador Valadares, Mantena e Carangola). Foram aproximadamente 5 mil alunos, durante cerca de dez anos, de 1972 até o ano de 1982.
Relação de alguns Cursos realizados conforme Certificados existentes para comprovação:
a) Curso de Jornalismo Prático e Elementos da Comunicação. Carga horária 20 horas. Período de 08/10 a 05/11/72. No Grupo Escolar Municipal de Santa Mônica, Vila Velha – ES. Atuou como Professor de Jornalismo e na parte de Comunicação Ministraram palestras Emanuel do Espírito Santo Barcellos; Dimas Carneiro e Zedâ-nove Tavares.
b) Curso de Problemas Sociais da Humanidade: A Prostituição. Duração: 10 horas. De 08 a 12 de agosto de 1972. Em Vila Velha – ES. Realizou Palestras junto com outros professores entre os quais, Dimas Carneiro e Emanuel Barcellos. c) Cur-so de Elementos e Meios de Comunicação Moderna. Carga Horária de 90 horas. De 1º a 30 de setembro de 1972. No Grupo Escolar de Ilha das Flores – Vila Velha – ES. Conferencista junto com os Professores Dimas Carneiro, Zedânove Tavares, Getúlio Santos Soares. Participou ainda com palestra sobre A Arte da Oratória, o Sr. José Teixeira Guimarães, Teixerinha.
d) Curso de Jornalismo Prático e Elementos da Comunicação. De 18 a 21 de dezembro de 1972. No Centro Cívico de Bom Jesus do Norte – ES. Colaboração do Jornal “O Norte Fluminense”. Conferencista Único. Participação do Jornalista Andra-de Sucupira. O mesmo Curso foi realizado também no mesmo período na Câmara Municipal de São José do Calçado – ES, cidade vizinha a bom Jesus do Norte, no Sul do Espírito Santo. e) Curso de Comunicação e Básico de Jornalismo Prático. Dura-ção de 12 horas. Período de 03 a 06 de janeiro de 1973. No Colégio “Instituto do Povo”, de Mantena – Minas Gerais. Conferencista Único.
f) Curso de Iniciação ao Jornalismo e Meios e Elementos da Comunicação Moderna, realizado no Sindicato Rural de Afonso Cláudio, de 19 a 23 de março de 1974. Apoio do Departamento de Educação e Cultura da Prefeitura Municipal de Afonso Cláudio. Assina o Diploma o Vice-Prefeito no exercício do cargo de Prefeito, Aniceto Altafim Bicas. Único Conferencista, ministrando aula sobre Comunicação (A Arte de Declamar – Comunicação de Massa: Jornal e TV) e Jornalismo (Lead – Sub Lead – Técnicas de Redação – etc.) g) Curso de Iniciação ao Jornalismo e Elemento e Meios da Comunicação Moderna. Carga horária de 32 horas. No Auditório do Co-légio do Carmo, em Vitória – ES. Ministra palestra junto com outros conferencistas: Radialista, Darcy Castelo Mendonça, Gerson Camata, (que foi Vereador em Vitória, Deputado, Governador e Senador), Jornalistas: A. Élber Suzano e Marien Calixte. De 24 a 28 de junho de 1974.
h) Curso de Relações Públicas e Comunicação de Massa. Na Igreja BOM PAS-TOR, em Campo Grande – Cariacica – ES. Conferencista e organizador. Outros con-ferencistas: Cezar Nogueira; Hino Salvador; Emanuel Barcellos; Darcy Castelo de Mendonça. Encerramento em 13 de setembro de 1974. i) Curso de Nações Elemen-tares de Direito e Legislação. Carga horária de 32 horas. De 15 a 25 de setembro de 1974. Conferencista. Outros palestrantes: Sebastião Serra a Geraldo Nascimento. Em Vila Velha – ES. l) Curso de Amor e Sexo. No Auditório do Colégio do Carmo, Vitória – ES. Carga horária de 32 horas. Conferencista e organizador. Outros pales-trantes: Diretor do Colégio Batista de Vitória, Dr. Nelson Rangel e Professor do Co-légio Estadual de Vitória, Getúlio Santos Soares. Encerramento em 05 de outubro de 1974.
l) Curso de Relações Humanas e Relações Públicas. No Auditório do Colégio dos Irmãos Maristas de Colatina – ES, no período de 06 de 12 de novembro de 1974. Carga Horária de 32 horas. Conferencista e Organizador. Palestras com o prof. Getúlio S. Soares. m) Curso de Introdução à Ciência do Direito, realizado de 1 a 15 de outubro de 1974. Palestrante, junto com o Delegado de Polícia e Advogado, Dr. Geraldo Nascimento. Em Vila Velha. n) Curso de Relações Humanas e Relações Públicas, realizado no período de 08 a 10 de maio de 1975, no AUDITÓRIO DE CENTRO OPERÁRIO DE PROTEÇÃO MÚTUA, em Cachoeiro de Itapemirim – ES. Con-ferencista único e participação de convidados Especiais, entre os quais, o Padre Hi-pólito Chemello. Carga Horária 32 horas o) Curso de Iniciação ao Jornalismo e Co-municação de Massa. Carga horária 32 horas. Período de 26 a 30 de maio de 1975. Local: Colégio Comercial de RESPLENDOR – Minas Gerais. Conferencista único.
p) Curso de Relações Humanas e Relações Públicas, realizado no período de 05 a 10 de Junho de 1975, no Auditório da Escola de 1º e 2º Graus de Guaçuí – ES. Carga horária: 32 horas. Conferencista único, com participações especiais da Pro-fessora Zigrid Ohnesorge e do Médico Marinio Pedroza Baptista. q) Curso de Inicia-ção ao Jornalismo e Melos de Comunicação de Massa. Na Escola Estadual “Benedito Valadares”, em CARANGOLA, Minas Gerais. Carga horária: 32 horas. Primeiro Sema-na de Setembro de 1975. Encerramento em 6 de setembro de 1975. Conferencista único. r) Curso Básico de Noções de Jornalismo e Comunicação de Massa. Local: Escola de 1º Grau “Professor Lellis” – ALEGRE – ES. Enceramento em 18 de setem-bro de 1975. Conferencista Único. Participação especial da professora Ângela Maria de Andrade (Licenciatura de Curta Duração).
s) Curso de Marketing e Relações Públicas, realizado de 16 a 24 de fevereiro de 1976. Carga horária de 32 horas. Local Casa São Vicente de Paulo, Vila Velha – ES. Conferencista. Participação Especial do Professor Getúlio Santos Soares. t) Cur-so Problemas Sociais. De 14 a 22 de abril de 1976. No Auditório da Associação dos Sargentos e Subtenentes da Polícia Militar do ES, em Vitória – ES. Coordenador Geral do Curso e Palestrante. Outros Conferencistas: Dr. Fernando Paulo Ronconi; Pastor Erasmo Maia Vieira; Dr. Manoel Lino Araújo; Violene de Carvalho e Getúlio Santos Soares. Carga horária: 32 horas. u) Curso de Iniciação em Enfermagem e Atendente de Consultório. Na Associação de Sargentos e Subtenentes da Polícia Militar – Vitória – ES. Carga Horária De 30 horas. Encerramento em 18/02/77. Organizador e Profes-sor de Relações Humanas. Outros Conferencistas: Enfermeira Cecília Lourenço Ro-drigues e Sub- Tenente, Ondino Ramos de Abreu. V) Curso de Noções de Auxiliar de Escritório e técnicas de Recepção. De 07 de agosto a 04 de setembro de 1977, na Escola Integrada de São Torquato, Vila Velha – ES. Carga horária: 32 horas. Pales-trante junto com os seguintes conferencistas: Deory Ramos Braga; Emanuel Barcel-los e Antônio Bento Faion.
x) Curso de recepcionista de Banco e Escritório em Itacibá – CARIACICA. O Jornal Correio Popular de Campo Grande Cariacica, de 11 de julho de 1986, publica a seguinte notícia: CURSO DE RECEPCIONISTA FOI SUCESSO NO TALMA. Iniciando no dia 25 de maio próximo passado terminou na semana que passou o Curso de recepcionista ministrado pelo Prof. Borges de Sant´Anna e coordenado pela Poetisa Sirley Helmer. A realização do curso deu-se na dependência do colégio de 1º e 2º Graus Talma Sarmento de Miranda, contando com a participação de alunos de vá-rios estabelecimentos de ensino do Município.
z) Ministrou Curso de Iniciantes ao Jornalismo, Comunicação de Massa e Rela-ções Humanas e Públicas nas Cidades de Aimorés – MG; BAIXO GUANDU – ES; ITARANA – ES; LINHARES; SÃO MATEUS e outras cidades do Espirito Santo, sendo Conferencista Único. Curso de Curta Duração, com carga horária de 30 horas.

CURSOS INFORMATIVOS DE INICIAÇÃO AO JORNALISMO
LEVARAM MUITOS JOVENS A SE PROFISSIONALIZAREM
POSTADO NO FACEBOOK no dia 19/10/2013 pelo Jornalista Jose Carlos Bac-chetti: “Os primeiros passos a gente nunca esquece. Já estava no rádio, mas no jornal não. Ainda desconhecia a técnica jornalística, quando este cidadão – gente da melhor qualidade-, Clério José Borges, foi meu professor num cursinho de jornalis-mo. Hoje continuamos amigos e eu, seu admirador!”
POSTADO NO FACEBOOK no dia 19 de julho de 2020:
VOCÊS conhecem este homem? *** VOCÊ jamais pode imaginar, a longo prazo, o quanto influenciará a vida de uma pessoa. Vocês conhecem esse homem da foto? Este é Clério José Borges. *** Faz um bom tempo que vejo e ouço falar nele por causa do Clube dos Trovadores. Pela primeira vez no final dos anos 80, através do falecido professor Narceu Paiva, de Ibiraçu. Depois, por causa de seu envolvimento com a Cultura do município de Serra. *** Pois bem. Há cerca de cinco anos nos reencontramos num evento da Herbalife, ele levado pelo filho Clérigthom Borges. Foi como se já fôssemos velhos conhecidos. Como se fôssemos? Recen-temente, fiz uma descoberta impressionante. *** Mas antes quero falar do ano passado, mais precisamente mês de novembro. Clério me convidou para falar no Congresso da ACLAPTCTC, uma Academia de Escritores Trovadores. Eu ouvi falar em trova pela primeira vez através de um dos meus primeiros mentores, o escritor Evandro Moreira, no início de minha adolescência. Pois bem, a partir de novembro, quando fui falar sobre meu livro “Caparaó – a primeira guerrilha contra a ditadura”, em Iúna, tornei-me ainda mais próximo de Clério José Borges. *** Recentemente, meu inconsciente trouxe-me uma lembrança. Quem já me ouviu falar sobre minha carreira de mais de 40 anos sabe que toda minha formação teórica no jornalismo se deu por: 1) um cursinho de iniciação que fiz através de um jornalista que esteve em Alegre numa semana dos anos 70, quando eu era adolescente;
2) um curso apostilado por correspondência da Associação Fluminense de Jornalistas, de Niterói-RJ. *** NAQUELES tempos, para ganhar algum dinheiro, eu comecei a vender jornais para A TRIBUNA. E, para aumentar minhas vendas, con-segui ser correspondente do jornal em Alegre. Estreei a primeira matéria em 14 de setembro de 1974. Esta foi minha escola prática, até ser trazido para Vitória como redator, no dia 11 de janeiro de 1979. *** E qual foi minha GRANDE DESCOBERTA? Depois de Iúna, desconfiei e perguntei: “Clério, você dava cursinhos de jornalismo no interior em meados dos anos 70?”. “Sim”, ele respondeu. Então, EUREKA! Foi ele, aquele meu primeiro professor. Eu não me lembro de mais ninguém que tivesse saído daquela sala no “Professor Lellis” naquela semana e que tenha incursionado pelo jornalismo profissional. *** Portanto, HOJE vai minha homenagem AO MESTRE COM CARINHO. Obrigado, Clério José Borges, por me ensinar a dar os primeiros passos.
Curso Básico de Noções de Jornalismo e Comunicação de Massa. Local: Esco-la de 1º Grau “Professor Lellis” – ALEGRE – ES. Enceramento em 18 de setembro de 1975. Conferencista Único. Participação especial da professora Ângela Maria de An-drade (Licenciatura de Curta Duração).

DIPLOMA DE BENEMÉRITO 1972
1972 – Diploma de Sócio Benemérito do Glória Futebol Clube. O Diploma é da-tado de 11 de março de 1972 e assinado pelo 1º Secretário, Jorge José de Moraes e assinado pelo Presidente Mário Evandro.

CLASSIFICAÇÃO EM CONCURSO 1972
Classificado em 5º Lugar, entre mais de 600 concorrentes no Concurso de Trovas realizado pelo UBT – União Brasileira de Trovadores, em 1972. Diploma de 23/05/72, data da Colonização do Solo Espírito-Santense e Dia de Vila Velha.

PERSONALIDADE DE VILA VELHA – 1973
1973 – Em eleição popular da Coluna de Vila Velha do Jornal A Gazeta, escrita pelo Jornalista Mauro Rodrigues, Clério José Borges é eleito Personalidade de Vila Velha no setor de promoções, recebendo no dia 1º de fevereiro de 1973, um Di-ploma em solenidade especial realizada no interior do Clube Olímpico de Vila Velha. O Diploma recebido está assinado pelas seguintes pessoas: ANTÔNIO GUIMARÃES SILVA, SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TURISMO; JAIR VIANA SANTOS, SOCIEDADE, JORNALISTA SOCIAL E MAURO RODRIGUES DA COSTA, IMPRENSA, REPRESENTAN-DO O JORNAL A GAZETA.
NO TEXTO DO DIPLOMA CONSTA: ‘‘A imprensa e a Sociedade de Vila Velha, tem a honra de conferir o presente Diploma ao Sr. Clério José Borges de Sant’Anna, pelos valiosos serviços prestados à Comunidade durante o ano de 1973, no setor promoções. ”

DIPLOMA DE BENEMÉRITO 1973
1973 – Membro Benemérito da Juventude Unida do Bairro Ataíde – JUBA, Di-ploma assinado por Maria Domingas Covre e Péricles Alves Noronha, em 25 de março de 1973.

DIPLOMA DE COLABORADOR 1974
1974: Diploma pelo ‘‘Alto Espírito de Cooperação em Prol do Desenvolvimento da Cultura Nacional’’, do Centro de Pesquisa Educacional de Vitória, em 1974.

CURSOS DE DIREITO E PEDAGOGIA NA UFES
1974 – 1979. No ano de 1974 Clério José Borges presta Exame Vestibular na Universidade Federal do Espírito Santo para Direito. Classificou-se em 11º Lugar no Exame Vestibular do Curso de Direito da UFES, Universidade Federal do Estado do Espírito Santo. Eram 300 Candidatos para 80 vagas. Iniciou o Curso de Direito em 1975.
Em 1979 presta Vestibular para o Curso de Pedagogia, também na UFES. Classifica-se em 21º Lugar no Exame Vestibular em 1979. Iniciou o Curso de Peda-gogia em 1980. Clério na Universidade Federal do Espírito Santo foi aluno da Profes-sora de Língua Portuguesa, Dalva Marchezi. Estudou Filosofia com Dom Geraldo Lyrio Rocha, que em maio de 2007 durante a 45ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Itaici, foi eleito Presidente da CNBB para o período que concluiu em 2011.
Sobre as atividades de Clério José Borges como aluno Universitário registre-se a postagem feira em julho de 2016 pela professora Maria Dalva Marchezi Rosário: “Parabéns à UBT Vitória pela realização do sarau poético no Shopping Jardins, na noite de quarta-feira, 13/7/2016. O evento contou com uma variada programação que consistiu de boa música, lançamento de obra, recitação de trovas e textos poé-ticos e exposição de obras de artista plástico. Foi uma noite muito agradável, em que tive a oportunidade de rever um ex-aluno da UFES, Clério José Borges, hoje famoso trovador, detentor de inúmeros prêmios, como mostra a quantidade de medalhas que estampou no peito durante o evento. Revi também o poeta e trova-dor Matusalém Dias Moura, que preside a UBT Vitória e cujas poesias tive a honra de ler e apreciar ainda nos originais. Pude também abraçar minha amiga e colega de trabalho Ester Abreu Vieira de Oliveira, presidente da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras. Parabéns aos organizadores. Espero poder participar de outros eventos como esse. “
PROJETO RONDON: Como Universitário de Direito e Pedagogia Clério teve atuação de forma destacada no Projeto Rondon, um programa do Governo Federal que levava universitários para atuarem em bairros e Comunidades carentes da Grande Vitória. Clério possui alguns Certificados de sua atuação Universitária: Certifi-cado de Participação na II Semana Pedagógica, de 05 a 09 de novembro de 1979. Carga horária: 40 horas. Promoção do Diretório Acadêmico do Centro Pedagógico da Universidade Federal do Espírito Santo. Data do Certificado: 24/11.1979. Certifi-cado de Participação na SPAT – 😯 – Semana de Prevenção de Acidentes do Traba-lho. Participação como UNIVERSITÁRIO PALESTRANTE. Diploma datado de 31 de maio de 1980, assinado pelo Delegado Regional do Trabalho no Espírito Santo, José Pessoa Cavalcante. Palestra realizada na Escola ‘‘Clóvis Borges Miguel’’, na Serra Sede, para alunos do Segundo Grau.
Certificado nº: 04/1/80, da Fundação Projeto Rondon, UNIVERSITÁRIO PA-LESTRANTE da Operação especial na Semana de Prevenção de Acidentes do Traba-lho, no período de 26/06/80 a 30/06/80. Diploma datado de 12/06/1980, assinado pelo Prof. Domingos Gomes de Azevedo.
Certificado nº 05/N/80, da Fundação Projeto Rondon, UNIVERSITÁRIO PARTI-CIPANTE da Operação especial’’ Pesquisa de Origem/ Destino das Viagens realizadas e Contagens de Tráfego na Grande Vitória. Período de 25/08 a 30/08 – 45 horas. Diploma datado de 22 de outubro de 1980, assinado pelo Prof. Domingos Gomes de Azevedo, Coordenador Estadual do Projeto Rondon.

FUNCIONÁRIO PÚBLICO ESTADUAL: ESCRIVÃO DE POLÍCIA E AS
MEDALHAS DE BRONZE, PRATA E OURO DA POLÍCIA CIVIL
1975 – No ano de 1975 fez Concurso Público para o cargo de Escrivão de Polí-cia. Ingressou no Serviço Público em 1975. Classificado em 1º Lugar em Concurso Público para o cargo de Escrivão de Polícia do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo do Estado do Espírito Santo, Certificado de Habilitação nº. 01, datado de 03 de janeiro de 1975, data de homologação da classificação. Nomeação no Estado através do Decreto Nº. 151 – P, de 04 de março de 1975. Ingressou no Serviço Público Estadual a 28 de maio de 1975.
Durante o período de atuação como Escrivão, Clério recebeu as Medalhas de BRONZE, PRATA E OURO, respectivamente por 10, 20 e 30 anos de Serviços. Co-mo Escrivão teve diversas expediências no Setor Administrativo, sendo por diversas vezes sido designado Chefe da Seção de Apoio Administrativo da Polícia Judiciária da Serra, em ato do Delegado Chefe de Polícia Civil, publicado no Diário Oficial do Es-tado do Espírito Santo em agosto de 1992, permanecendo no cargo de 15 de janei-ro de 1996.
Em 1999 foi convidado e assumiu ainda o cargo de Chefe de Cartório da Dele-gacia de Polícia de São Mateus, no Norte do Estado, trabalhando por cerca de qua-tro meses, quando foi transferido para Vitória, trabalhando nas Delegacias de Polícia de Itacibá e, depois na Delegacia de Polícia de Jacaraípe onde permaneceu por cer-ca de nove anos, até se aposentar. Clério José Borges aposentou-se como Escrivão de Polícia Civil do Estado do Espírito Santo, pela Portaria N.º 081, de 18 de janeiro de 2011, publicada na página 05 do Diário Oficial do Estado do Espírito Santo do dia 20 de janeiro de 2011, onde consta, “aposentadoria por tempo de contribuição, a partir de 17 de setembro de 2010, (…), computados 37 anos, 02 meses e 19 dias de Tempo de contribuição. (…) Processo 01901621”.

DIPLOMA DE COLABORADOR 1977
1977 – Diploma pela Prestimosa Colaboração e Engrandecimento da Associa-ção Beneficente e Recreativa dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar do Espí-rito Santo, datado de 18 de fevereiro de 1977, na Administração do Subtenente, Ondino Ramos de Abreu.

PROFESSOR EM DIVERSAS ESCOLAS DA GRANDE VITÓRIA
PROFESSOR DE ADMINISTRAÇÃO E CONTROLE;
TÉCNICAS COMERCIAIS; ECONOMIA E MERCADO E LITERATURA
1977 – Clério José Borges foi professor das Escolas: Roberto de Souza Lee (Vila Velha); Colégio Comercial Brasil (Cobilândia, Vila Velha); Clóvis Borges Miguel (Serra); Instituto de Educação (Vitória). Colégio Educacional Rio Doce, de Santo Antônio. No Colégio Roberto de Souza Lé, em Vila Velha ministrou aulas de OSPB – Organização Política e Social Brasileira.
No bairro de Cobilândia, atuou como Professor de 1977 a 1980, tendo minis-trado aulas de Administração e Controle e Economia e Mercado, no Colégio Comer-cial “Brasil”, que oferecia cursos de 1º Grau durante o dia e à noite, cursos de 7ª e 8ª Séries de 1º Grau e Cursos de Administração e Contabilidade. Clério foi contrata-do como Professor, com Carteira Profissional assinada. Clério José Borges foi Pro-fessor em Cobilândia, de 1977 a 1980. O Colégio Comercial “Brasil”, do bairro de Cobilândia, no Município de Vila Velha oferecia cursos de 1º Grau durante o dia e à noite, cursos de 7ª e 8ª Séries de 1º Grau e Cursos de Administração e Contabilida-de. Clério foi contratado como Professor, com Carteira Profissional assinada.
Relação de Escolas onde Clério José Borges ministrou aulas:
1 – Professor de “Moral e Cívica”, na Escola de 1º Grau “Agenor de Souza Lé”, de Vila Velha – ES, em 1972. Ministrou aulas para 7 turmas de 5ª Série de 1º Grau.
2 – Professor de “Administração e Controle”, no Instituto de Educação “Pro-fessor Fernando Duarte Rabelo” – Praia de Santa Helena – Vitória – ES
3 – Professor de “Técnicas Comerciais”; “Administração e Controlo” e “Econo-mia e Mercado”, no Colégio Comercial BRASIL, no bairro de Cobilândia – Vila Velha – ES. Carteira assinada de 01/04/77 a 26/02/80
4 – Professor de “Técnica Comerciais”, na Escola de 1º Grau “Desembargador Ferreira Coelho”, no bairro da Glória, Vila Velha – ES e Na Escola Municipal de 1º Grau de São Torquato – Vitória –ES
5 – Professor de “Português e Literatura”, no Instituto Educacional “Rio Doce”, de Santo Antônio – Vitória – ES
6 – Professor de “Administração e Controle” e “Economia e Mercado”, na Es-cola de 1º e 2º Graus “Clóvis Borges Miguel”, Sede da Serra – ES.

PROFESSOR DO COMERCIAL BRASIL
DO BAIRRO DE COBILÂNDIA, VILA VELHA, ES
1977 – O Colégio Comercial “Brasil”, do bairro de Cobilândia, no Município de Vila Velha oferecia cursos de 1º Grau durante o dia e à noite, cursos de 7ª e 8ª Sé-ries de 1º Grau e Cursos de Administração e Contabilidade. Clério foi convidado a ministrar aulas de Técnicas Comerciais e Organização e Métodos, ficando alguns meses como experiência até que foi contratado como Professor, com Carteira Pro-fissional assinada. No ano de 1977, Clério ministrou uma prova para os alunos do 2º Grau. O aluno nº 42 era Sérgio Dias. Outro aluno era Jorge Luiz.
Em 1978 o nome de Clério José Borges de Sant Anna figura no Convite de Formatura do Curso Técnico em Contabilidade. Os festejos foram dos dias 14 a 16 de dezembro de 1978. Consta homenagens Especiais aos “Caríssimos professores: Ana Maria Rosa; Clério José Borges de Sant Anna; Nicolas Ponzo; Odimar Peres; Maria José Silvano; Mírian dos Santos Silva; Pedro Antônio Feu; Luiz Américo Zam-progno; Marlene Saibel Schulz; Neander Oliveira Silva; Creuza Ribeiro. No Convite a relação dos Contadorandos que foram alunos de Clério José Borges: Adonias Vero-nesi da Silva; Ângela Maria Possatti; Arcanjo Rosa; Ataíde Mesquita da Silva; Carlos Uilian Sangy; Célia Regina Alves; Clesio de Lima; Cleuniset Ribeiro Pereira; Devecir Eduardo Surlo; Derli Gonçalves Pereira; Edeir Martins da Cruz; Edilson dos Santos Ernesto; Edivaldo Moreira Gomes; Elizabete Regina Fiorot; Eliomar Cypriano Rigo; Elvira Estephanio; Elsa de Souza Pereira; Erly Maria Rosa; Edésio Martins de Oliveira; Gilberto Carlos Barcellos Chagas;
Continuação dos nomes dos Doutorando, alunos de Clério José Borges: Geral-do Pereira de Souza; Henriquinho Machado; Ivani de Souza Vargas; Ivanete Maria Feller; Jane Marlene Guerim; Janilda Muzzi de Castro; Joel Antônio Bortolini; Jorge Antônio Guisolfi; Josaneth Rosa Dalla Bernadina; José Carlos de Paula; José Gonçal-ves Visa; Jocimar Fernandes Rabello; Júlio Cesar Magalhães Borges; Laércio Zuchi; Lúcia Helena Mageski; Luzia Rosa; Luzi Carlos Marques de Carvalho; Luiz Carlos de Oliveira; Madalena Ronconi; Maria Augusta da Silva; Maria das Dores Motta; Maria José Sobrinho de Castro; Maria Luciene Lamberti; Maria da Penha Falcão; Maria Ze-neti Possatti; Mary Suely Neves Silva; Marilene Sangy Ferreira; Mauri Nélio dos San-tos Rodrigues; Nair Luiza Ferreira; Natalina Maria Martinelli; Nazareth Gobbi Wasen; Neridson José da Silva; Noeme Toniato; Norma Orlanda Conti; Odimar Teixeira Ne-ves; Olavo de Souza Sá; Onice Severino; Penha Lucia Scotá; Rita de Cássia Stein; Rosana Suely Pestana; Rosemer Cecília Sampaio; Ruth Therezinha Costalonga; Sér-gio Augusto Apolinário; Silvio Roberto Rangel; Tânia Maria Barbosa; Vanildo Ângelo Lany; Vera Lucia Barbona; Vera Lucia Feller; Wadson Rodrigues de Oliveira; Zenaide Chisté; Zilma Rodrigues.
Em 12 de março de 1979, Clério José ministrava aula de Organização e Méto-dos no Colégio Comercial Brasil, localizado no bairro de Cobilândia, Município de Vila Velha. As aulas eram do Curso regular de 2º Grau. Nesse dia foi aplicado um teste com uma única pergunta: Diga o que você sabe sobre Organização e Métodos, principalmente sobre a importância desta matéria no Mundo atual. Responderam o teste, entre outros os alunos: Aloísio Sérgio Camilo; Edson Santana; José dos San-tos Abreu; Nelson José dos Santos; Ângela Maria Ferreira; Rosemery Scárdua; Jonas Hilário da Silva; Marcos Antônio Mariano; Miguel A. Ribon; Getúlio A Sobreira; José Anadir Scárdua; Rita de Cássia Lorencetti; Neusa Paiva; Gislene da Penha Aleixo; Ana Maria Pereira; Rosa Maria Rangel.
Em Setembro 1979, Clério aplicou um teste, tendo participado os seguintes alunos: Yara Pacheco Pereira; Sérgio Luiz Côco; Jonas H. Da Silva; Aloyr Rogério Smiderli; Marco Antônio Mariano; Ivete Maria Gimenes; Maria Silvia Savergnini; Mi-guel Arcanjo; Gislene da Penha Aleixo; José Luiz Vighini; Maurício Edgar Martins; José de Freitas; Lúcia Rebeque Simor; Selmar Batista; Jocelino Moisés Campista; João Roberto Oliveira; Adomar Luiz Maier; Izaías Marcos Corrêa; José Pereira; Octacílio Ferreira Filho. O aluno Adwalter Cinelli, do 2º Contador, do Colégio Comercial Brasil, de Cobilândia, no teste de Organização e Técnica Comercial escreve: “A importância da Organização está em tudo aquilo que você vai fazer na sua vida. Senão souber organizar, você ficará perdido. Seja organizado e tenha o orgulho de ser chamado de caprichoso.”

PROFESSOR DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO
PROF. FERNANDO DUARTE RABELLO, VITÓRIA
1979 – Em 04 de Outubro de 1979, Clério José Borges estava ministrando au-las no Instituto de Educação “Prof. Fernando Duarte Rabello”, na Praia de Santa Helena em Vitória – ES. As aulas eram de Administração para várias turmas de 2ª Série de 2º Grau. Alguns alunos: Léa Corrêa Moreira; Helder Tabosa Delfino e An-selmo Tabosa Delfino.

PROFESSOR DA ESCOLA DESEMBARGADOR FERREIRA
COELHO DO BAIRRO DA GLÓRIA, VILA VELHA
1979 – Em março de 1979, Clério José Borges estava ministrando aulas regula-res de Técnicas Comerciais para algumas turmas da 8ª Série de 1º Grau, no bairro da Glória, no Município de Vila Velha, na Escola “Desembargador Ferreira Coelho”. Entre os alunos: Maristela Teixeira de Souza; Adalto Altoé; Antônio Carlos Barbosa; Elzira Galon; Maria dos Reis; Maria da Penha Douso; Maria Carmen Lóss; Tânia Lúcia A. Paes; Hilson Barbosa; Joubert José Martins; Lázaro Reis; Maílson Mariano; Walter Pereira de Biase; Roberto Carlos Mota de Oliveira; Santos Soares Gil; Josimar Rodri-gues; Vicente de Paula Barbosa; Jorge Romildo Bastistini; Margareth Maria Bada; Madali Miriam Caiés.

PROFESSOR NA ESCOLA DE 1º GRAU JUIZ
JAIRRO DE MATTOS PEREIRA, SÃO TORQUATO
1979 – Ainda em março de 1979, no período da tarde, Clério ministrava aulas na Escola de 1º Grau “Juiz Jairo Mattos Pereira”, localizada no bairro de São Torqua-to, no Município de Vila Velha. Alguns alunos da 7ª Série “A”, de 1º Grau, que res-ponderam a um teste aplicado no dia 14 de março de 1979: Joílson dos Santos; Maria Antônia Santana; Luciana Mendes Timóteo; Maria Lúcia Perpétuo; Sônia dos Santos; Vera Lúcia Ferreira Coelho; Maria José Gomes de Oliveira; Davi Suave Filho; Maracy Nolasco Nascimento; Cleusa Vieira; Guiomar Coimbra; Ivani Almeida Santa-na; Christina Lúcia N. Da Silva; Cledison Ressurreição; Dirlene dos Santos Jorge; Ro-silane Caetano Rosa; Selma Aparecida Suave; Dorzilia Vaz de Moraes; Osmar Nolas-co Nascimento; Aldair Gorlai; José Carlos de Araújo; Marina Silva Borges; Renato Bragança Domingos; Marilza Gomes; Jovacy Souza Sales; Tânia Aparecida dos San-tos; Marta Janeth dos Santos; Marilene Pereira dos Santos; Clemilda Penha da Silva; Ivana Régia; Maria da Penha Batista; Edineuza Maria Bada; Nivam Pereira dos San-tos; Heloisa Maria da Penha; Elizabeth de Oliveira; Zélia Maria Rossi; Linéia dos San-tos. A aluna Selma Aparecida Suave definiu Técnicas Comerciais da seguinte manei-ra: “É uma matéria destinada a levar o aluno ao conhecimento das atividades co-merciais e de escritório. As técnicas Comerciais são importantes para aprendermos a trabalhar no escritório, no comércio. Ou seja, aprendermos todas as atividades de escritório e do comércio. Estudando as técnicas comerciais podemos dizer que es-tamos preparando o nosso futuro.”

CURSO INFORMATIVO NO BAIRRO DE SÃO TORQUATO
1979 – No período de 19 de agosto a 16 de setembro de 1979, Clério promo-veu um Curso Informativo de Recepcionista de Banco e Escritório na Escola de 1º Grau “Juiz Jairo de Mattos Pereira”. Ao final do Curso foi solicitado aos alunos que apresentassem um Relatório das aulas que haviam sido ministradas. Entre os que fizeram o Relatório estão os alunos: João Rodrigues do Rosário Filho; Ubirailton Barbosa; Edmilson Rodrigues; Manoel Galdino de Oliveira; Rosiane L. S.; Rosana Cristina Lírio França; Maria Iraildes Santos de Jesus; Claudete Coelho; Gilda Mendes Coelho; Isleuza Alves; Aliene Almeida Conceição; Aldinéia da Conceição Araújo; Rosângela Oliveira Loureiro; Vera Lúcia Lírio. ALUNOS DE CLÉRIO JOSÉ BOR-GES: Clério José Borges como professor de Cursos Informativos, da UBT de Vila Velha e Vitória e da Pop Art Promoções, teve diversos alunos os quais preenchiam Fichas de Inscrição nos Cursos. Algumas fichas foram preservadas e os nomes fo-ram devidamente registrados para a história: Regimara Mathias, de Aribiri; Grace Cardoso Luz, do bairro de Vila Garrido; Ana Luiza Brejensk, de Vila Garrido; Marcos Elias da Costa, do bairro da Glória; Maria do Carmo Tesch, da Glória; Norma Sueli Cruz, da Glória; Ceny Maria Tesch, da Glória; Marcos Aurélio da Silva, de Aribiri; Arle-te Feu, de Aribiri; Humberto Rosa Oliveira, do bairro de Aribiri; Helena Maria da Cos-ta Leite, de Aribiri; Rosimere Passos Bittencort, de Aribiri; Paulo L. do Sacramento, de Aribiri; Luiza Pratti, de Aribiri; Maria Conceição Bispo, de Aribiri.

CASAMENTO NA IGREJA SANTA MÃE DE DEUS NO IBES
1979 – Depois de quatro anos de namoro, Clério casou-se a 17 de fevereiro de 1979 com a comerciária Zenaide Emília Thomes Borges, mudando-se na semana seguinte para o bairro Eurico Salles, no Município da Serra, ES, tendo desta união nascido os filhos Clérigthom Thomes Borges, nascido em 1979 e Cleberson José Thomes Borges, nascido em 1981. As noras são Andréia da Silva Fraga e Jeanni Monteiro. Netas: Christal Fraga Borges e Marina Araújo Borges.

FUNDAÇÃO DO CTC – CLUBE DOS TROVADORES CAPIXABAS
1980 – Clério José Borges foi fundador e Presidente do CLUBE DOS TROVADO-RES CAPIXABAS – CTC, entidade cultural sem fins lucrativos de divulgação da Poesia e da Trova. Fundado a 1º de julho de 1980, no Espírito Santo o CTC foi uma enti-dade cultural atuante, tendo realizado um total de 20 Seminários Nacionais da Trova no Espírito Santo e, depois do ano 2000, um total de mais de 12 Congressos Brasi-leiros de Poetas Trovadores reunindo Trovadores do Brasil. Portugal e Argentina. A Diretoria do CTC já organizou e realizou Congressos de Trovadores em Salvador, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro e inclusive na Ilha de Paquetá. O Clube dos Tro-vadores Capixabas, CTC era uma entidade cultural sem fins lucrativos de divulgação da Trova e da Poesia em Geral.
Em Assembleia Geral Extraordinária realizada no sábado, dia 18 de novembro de 2017 o CTC foi extinto e passou a ter uma nova denominação de ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores.
Clério é o atual Presidente da ACLAPTCTC.
HISTÓRIA DO ANTIGO CTC: O CTC foi fundado por Clério José Borges, Tro-vador Capixaba, com base numa ideia do escritor Eno Theodoro Wanke, a 1º de julho de 1980, na cidade de Vila Velha, estado do Espírito Santo. Para comemorar o aniversário do CTC, foram organizados anualmente os SEMINÁRIOS NACIONAIS DA TROVA.
O Movimento Trovista, que havia sido expressivo no Espírito Santo de 1967 a 1970, voltou a ser reativado no Espírito Santo em 1980. O Movimento Trovista vol-tou a ser reativado no Espírito Santo em 1980. Clério José Borges era estudante Universitário do Curso de Pedagogia na Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. Coube-lhe fazer um trabalho sobre Trovadorismo Medieval. O Trabalho era em grupo e foi apresentado posteriormente por Clério em Sala de Aula, na Univer-sidade.
Para fazer seu trabalho, Clério recorreu a Biblioteca da Universidade do Espíri-to Santo e topou, por acaso, com o livro “O Trovismo”. Resolveu consultá-lo e ob-servando que Eno Teodoro Wanke havia omitido as promoções da UBT de Vitória e Vila Velha, inclusive o Concurso de Trovas tema Pelé, escreveu para o autor do livro ocasião em que lhe pergunta como fazer para renovar o Trovismo localmente. Wanke desculpou-se da omissão, pois, em suas pesquisas, não tinha podido contar com os dados finais da UBT do Rio de Janeiro, já que a UBT o considerava, por motivos de ter se desentendido com Luiz Otávio, como “persona non grata”.
No entanto, é preciso reconhecer que é a obra de Eno Teodoro Wanke — e só ela, já que até o momento ainda não apareceu nada tão profundo e detalhado co-mo ela sobre o Trovismo — que preservará para o futuro toda a história do traba-lho de Luiz Otávio. Paulo Rónai chamou Wanke o “historiador e o teórico” do mo-vimento. São coisas da literatura pátria…
Quanto à indagação de Clério, e tendo em mente o então Clube dos Trovado-res do Vale do Paraíba, sob a presidência de Francisco Fortes, respondeu: “Funde um Clube! ”.
Foi o que Clério fez, fundando a 1º de julho de 1980 o Clube dos Trovadores Capixabas (CTC). Para fundar a entidade, Clério não se fez de rogado. Convidou dois primos que apreciam poesias e entre um bate-papo e outro, fundou o CTC, organizando na hora um Estatuto e formando uma Diretoria. Clério Presidente; Luiz Carlos Braga Ribeiro como Secretário e José Borges Ribeiro Filho como Tesoureiro.
De imediato Clério teve a feliz iniciativa de lançar um Concurso a nível Nacional lançando o Concurso com os temas, Vitória, Anchieta e Capixaba. O Concurso foi então divulgado em vários Jornais do Brasil e diversos Trovadores do Espírito Santo e do Brasil foram participando do Concurso e, se filiando ao Clube. Segundo Eno Teodoro Wanke em publicação sobre a fundação do CTC, parece, contudo, que o grande segredo do sucesso do CTC foi a constância. Clério mantinha uma constân-cia, remetendo regulamento do Concurso para todos os endereços de Trovadores aos quais tinha acesso. Mandando Cartas e espalhando o nome do CTC no Brasil e Exterior.
Com a divulgação na Imprensa Nacional do Concurso temas Vitória, Anchieta e Capixaba, Trovadores do Espírito Santo e do Brasil foram se filiando ao Clube. Logo uma nova Diretoria foi formada criando-se e preenchendo-se novos cargos.
Logo foi criado um Jornal Mimeografado denominado Beija Flor, divulgando Trovas e Trovadores do Espírito Santo e do Brasil. São feitos inicialmente trezentos exemplares, remetidos pelo Correios para trovadores, cujos endereços eram forne-cidos por Eno Teodoro Wanke e recolhidos por Clério, de livros, principalmente os livros de Antologia feitos por Aparício Fernandes de Oliveira que sempre traziam uma bibliografia dos Trovadores, com endereço no final.
O imediato lançamento de um Concurso de Trovas a nível Nacional com os Temas Vitória, Anchieta, Capixaba, parece também ter sido a razão maior da divul-gação e do sucesso do Clube dos Trovadores Capixabas. Segundo o Jornal “O Na-cional”, de Passo Fundo – RS, de 30 de julho de 1980:
“O Concurso receberá Trovas até 15 de setembro de 1980 e o primeiro colo-cado receberá uma Rosa de Prata. ”
Outros Jornais no Brasil e Exterior divulgam o Concurso e o CTC e o resultado passa a ser o recebimento de inúmeras Trovas, mais de mil, e de autoria de cente-nas de Trovadores e várias cartas de Trovadores Brasileiros associando-se ao CTC.
O primeiro Concurso de Trovas do CTC teve o seguinte resultado.
TEMA VITÓRIA: 1º Lugar: Carolina Ramos, Santos, SP. Sempre amiga e hospi-taleira. / Se quem vem não quer deixar-te / Vitória tu vais inteira / No coração de quem parte.
2º Lugar: Aristheu Bulhões, Santos, SP. Pelo mar, sempre beijada, / Vitória, bela e feliz, / É linda jóia engastada / No mapa deste país.
3º Lugar: José Valeriano Rodrigues, Belo Horizonte, MG. Quando Vitória está calma, / É a noite é plena de lua, / A gente sente sua alma / Na alma da gente da rua.
TEMA ANCHIETA: 1º Lugar: Rangel Coelho, Rio de Janeiro. Anchieta, pelo que diz / Seu evangelho de luz, / Foi o Francisco de Assis / Das Terras de Santa Cruz.
2º Lugar: Aloísio Bezerra, Ceará. / Lá no céu muito chorou / Anchieta, e tem chorado, / Que o índio, a quem tanto amou, / No Brasil, só tem penado.
3º Lugar: Vicente Nolasco Costa, Vila Velha, ES. Vitória, dos meus encantos, / Coração do meu planeta, / Venero, dentre teus santos, / O grande santo Anchieta.
TEMA: CAPIXABA: 1º Lugar: Zé de Ávila, Barretos, São Paulo. Na casa de um Capixaba / Se a gente chega com pressa, / A pressa logo se acaba / Quando a conversa começa.
2º Lugar: João Figueiredo, Rio de Janeiro. Festa no Espírito Santo… / Quem for mineiro não vai… / – Você aí nesse canto… / – Eu sou Capixaba… uai.
3º Lugar: Izo Goldman, São Paulo. O Capixaba garante / Que sua terra é um encanto: / – “Espírito tem bastante… / O que falta mesmo é… Santo…”
Após o Concurso, Clério recebe várias cartas de Trovadores Brasileiros associ-ando-se ao CTC, tanto que em 1981, um ano após a sua fundação o CTC já possu-ía mais de 500 sócios no Espírito Santo e no Brasil. Entrevistas são concedidas para diversas emissoras de rádio e Televisão e o CTC amplia seus horizontes com mais adeptos e admiradores.

OUTUBRO DE 1980. DIA DE SÃO FRANCISCO
1980 – O primeiro evento cultural e público do Clube dos Trovadores Capixa-bas foi realizado no dia 4 de outubro de 1980, um sábado, ou seja, três meses de-pois de fundado, o CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, em comemoração ao Dia do Padroeiro dos Trovadores, São Francisco de Assis, realizava a sua primeira Reunião Pública, no Teatro Carlos Gomes, na Praça Costa Pereira, em Vitória, ES, com a presença do Presidente da Fundação Cultural (órgão máximo da Administra-ção Estadual da época), Professor Renato José Costa Pacheco.
A Solenidade foi realizada para comemorar São Francisco de Assis e proceder a entrega de prêmios aos vencedores do Primeiro Concurso de Trovas com os te-mas, Capixaba, Anchieta e Vitória. A solenidade foi no Centro da Cidade de Vitória em um dos lugares mais tradicionais, o Teatro Carlos Gomes, na Praça Costa Perei-ra, estando presente entre os classificados o Trovador Aristheu Bulhões, da cidade de Santos no Estado de São Paulo. Além do Trovador Aristheu Bulhões também foram registradas as presenças do Trovador Elmo Elton, de bengala, Nelson Abel de Almeida, Renato José Costa Pacheco, Adelpho Poli Monjardim e o Promotor e Tro-vador Vicente Nolasco Costa.
Na ocasião o CTC entregou diplomas aos sócios fundadores e sócios de honra presentes, sendo homenageados: Professor Guilherme Santos Neves, Renato Pa-checo, Elmo Elton e Eno Teodoro Wanke, conforme notícia publicada no Jornal A Gazeta, caderno Dois, de 04 de outubro de 1980, página 3. No mesmo evento também foram homenageados Elmo Elton e Beatriz Abaurre, eleitos respectivamen-te Rei e Rainha dos Trovadores Capixabas. Como o evento foi no Centro de Vitória, ES, o Escritor Eno Teodoro Wanke foi o único dos homenageados que faltou ao evento, por residir no Estado do Rio de Janeiro. Na foto do evento, a mesa que presidiu a solenidade: Nelson Abel de Almeida; Guilherme Santos Neves; Elmo Elton; Renato José Costa Pacheco e Clério José Borges.
Da cidade de Santos, São Paulo compareceu o Trovador Aristheu Bulhões, classificado em 2º Lugar com uma Trova sobre Vitória. Estava acompanhado de sua esposa Walquíria. Aristheu recebeu o seu Troféu das mãos do então Presidente da Fundação Cultural do Espírito Santo, Prof. Renato José Costa Pacheco. Nascido a 8 de junho de 1909, em Maceió, Alagoas, o Trovador Aristheu foi conferente da Alfândega de Santos e membro da Academia Santista de Letras, da qual foi presi-dente por duas vezes. Também foi membro da Associação Brasileira de Imprensa; da Academia Guimarães Passos, de Maceió, e sócio correspondente da Academia Alagoana de Letras. Poeta e escritor. Fez numerosas palestras literárias no Instituto Histórico e Geográfico de Santos e no Instituto Histórico e Geográfico de São Vicen-te. Foi Sócio Correspondente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC. Já falecido.
São Francisco de Assis já era patrono dos Trovadores filiados a União Brasilei-ra de Trovadores, UBT, desde a fundação da entidade em 1966. Na Juventude, Francisco fazia Poesias e se dizia um Trovador (Poeta). Em 1º de Julho de 1980, quando o CTC, Clube dos Trovadores Capixabas foi fundado, São Francisco de Assis passou também a ser Patrono dos Trovadores do CTC.
Giovanni di Pietro di Bernardone, nascido numa data entre 1181 a 1182 era fi-lho de mãe francesa (a qual lhe deu este nome de João). Francisco nasceu durante uma viagem de seu pai, que ao voltar, lhe deu este apelido, “Francesco”, ou seu equivalente em úmbrio – que quer dizer simplesmente “o Francês”. Sua mãe, aliás, era do sul da França, do languedoque, de onde saíram os Trovadores Medievais, que poetavam sempre naquela língua.
Quando era jovem, antes de santificar-se, ou seja, entre 17 e 25 anos, Fran-cisco gostava de dizer que era Trovador e fazia poesia em languedoque, língua que dominava perfeitamente por influência de sua mãe.
“Trovador”, naquela época significava o mesmo que “poeta” em sentido am-plo, conforme publicação da Revista Vozes divulgada pelo escritor Eno Teodoro Wanke, em carta circular da COF – Comissão de Organização da FEBET – Federação Brasileira de Entidades Trovistas, datada do Rio de Janeiro de 23 de setembro de 1982.
São Francisco faleceu a 3 de outubro de 1226, sendo enterrado no domingo, dia 4, o qual é considerado pela Igreja Católica, o dia de São Francisco. O CTC con-sidera o dia 4 de outubro como o dia da Trova. Em Vitória, Capital do estado do Espírito Santo, o Dia 4 de Outubro é, por Lei Municipal, o Dia Municipal da Trova. A UBT considera o dia de nascimento do Trovador Luiz Otávio, (Gilson de Castro), 18 de julho, como o Dia do Trovador.

COLUNISTA
1980 – Nos anos de 1980 e 1981, Clério José Borges manteve uma coluna de Trovas no Jornal Correio Popular, de Cariacica – ES, sob Direção do Jornalista Cleil-ton Gomes. O Jornal circulava semanalmente. Na coluna de 26 de março a 01 de abril de 1982 é divulgada a Festa do Segundo Aniversário do CTC – Clube dos Tro-vadores Capixabas, que seria realizada no dia 1º de julho de 1982, em Vila Velha, durante o Segundo Seminário Nacional da Trova. A Coluna de 29 de julho a 04 de agosto de 1982, divulga O Concurso de Trovas do CTC com os temas Sócrates e Beija-Flor. Publicou artigos em diversos Jornais e Revistas do Brasil e nos Jornais A GAZETA e A TRIBUNA de Vitória – ES. Fundou os Jornais Alternativos Culturais Beija Flor e Beijaflorzinho, órgão de divulgação das atividades do Clube dos Trovadores Capixabas, Impressos em estêncil eletrônico e depois em cópias xerox, de 1980 a 1990. A Circulação era mensal. Tiragem de 300 a 600 exemplares, enviados pelo Correio para Sócio do CTC e Trovadores brasileiros.

CONCURSO INTERNOS DO CTC
1980 – Uma outra característica marcante do Clube dos Trovadores Capixabas no ano de sua fundação, foi a realização quase que permanente de concursos inter-nos de trovas. Estes se elevaram a dois no primeiro ano de existência do CTC. O primeiro desses concursos foi realizado em novembro de 1980, obedecendo ao tema GASOLINA, para trovas humorísticas. Foram recebidas 54 trovas e o resultado oficial foi este: 1º lugar – BEATRIZ ABAURE: Num posto de álcool na esquina, / diz um bêbado que passa: / – Isto que é gasolina! / – Tem cheiro até de cachaça. – 2º Lugar – VICENTE NOLASCO COSTA: Sobe o gás e sobe o óleo, / gasolina é todo dia. / Quanto mais sobe o petróleo / mais aumenta a mordomia. – 3º Lugar – JOÃO FIGUEIREDO: O preço da gasolina / Vai subir mais (e não bufe!) / até que jorre da mina / o petróleo do Maluf… – 4º lugar – ALYDIO C. DA SILVA: Na crise da gasolina, / tive um lampejo de estalo: / Deixo o carro na oficina / e vou andar a cavalo. – 5º Lugar – VICENTE NOLASCO COSTA: Vou vender tudo que pego. / Vou trocar rádio e buzina, / ou botar tudo no prego / ou ficar sem gasolina. – Receberam menções honrosas as seguintes trovas: MENÇÃO HONROSA – Valsema Rodrigues da Costa: Vamos cavar gente fina, / tentar óleo encontrar. / Pois carro sem gasolina, / “alcoó-latra”… vai ficar. MENÇÃO HONROSA – Vicente Nolasco Costa: Hoje dei em paga-mento / um tanque de gasolina / por um lindo apartamento / com garage e com piscina. – MENÇÃO HONROSA – Zedânove Tavares Sucupira: Derivado do petróleo / que o capixaba assim glosa: / – Sendo “óleo”, contém álcool, / sendo líquida é “ga-sosa”.
Este concurso contou com o valioso apoio do CORREIO POPULAR, de Caria-cica, onde na época era editada uma coluna dedicada à trova, sob responsabilidade de Clério José Borges.
O II Concurso Interno do CTC teve NATAL como terna, e foi realizado em de-zembro de 1980. O vencedor desse concurso foi João Figueiredo, residente no Rio de Janeiro, com esta trova: Nascer, morrer! Coisas certas. / Que no Natal vêm à luz: / Os Magos levando ofertas / E Cristo levando a Cruz.
1981 – O ano de 1981 começa com a realização dos Concursos Internos do CTC. O III Concurso Interno do CTC, realizado entre janeiro e fevereiro do 1981, teve dois temas: COLOMBINA, somente para os sócios fundadores da entidade, e CARNAVAL, para os sócios correspondentes, isto é, nem capixabas de nascimento ou residentes no Espírito Santo, mas “correspondentes’ da entidade noutros Esta-dos. Venceram-no, com as respectivas trovas, os seguintes trovadores – Tema CO-LOMBINA: 1º lugar – MILSON ABREU HENRIQUES: Fui Pierrot num Carnaval / num outro fui Arlequim. / Mas Colombina afinal / fez um palhaço de mim. 2° lugar – J. CABRAL SOBRINHO: “A Colombina fatal”, / (ouvi dizer num forró), / foi gíria de Carnaval / do tempo de minha avó. 3º lugar – ARGEMIRO SEIXAS SANTOS: O Car-naval de hoje em dia, / em verdade, desatina. / É carnaval sem poesia, / sem PI-ERROT, sem COLOMBINA.
Com o tema CARNAVAL, o vencedor foi o trovador cearense ALOÍSIO BEZER-RA. Eis a trova: Pela imensa Carestia, / Tolhendo a paz nacional, / Seria bom, Oh! Seria… / Não houvesse carnaval! – Aloísio classificou-se ainda em terceiro lugar, Carlos de Alencar em segundo e quinto e Carlos Ribeiro Rocha, em quarto. Já o IV Concurso Interno, realizado entre fevereiro e março de 1981, com tema único PÁS-COA, teve como três primeiros colocados, com as seguintes trovas, os trovadores abaixo: 1º lugar – FERNANDO ANTONIO LIMA CASTOR: A Bíblia, sagrado arquivo, / mostra a PÁSCOA aos fariseus… / JESUS CRISTO redivivo, / voltando aos braços de DEUS. 2º lugar – ARGENTINA LOPES TRISTÃO: Páscoa da Ressurreição, / do sa-crifício, da dor. / Ficou-nos grande lição: / – A glória eterna do amor. 3º lugar – AR-GEMIRO SEIXAS SANTOS: Depois da morte, Jesus / surge para a redenção. / É PÁSCOA feita de luz / iluminando o cristão.
Finalmente, o V Concurso Interno do CTG respeitou o tema “Cinco de maio – Dia das Comunicações e do Expedicionário”. As trovas concorrentes, julgadas por uma comissão de donas de casa, somaram 46. Venceram-no as seguintes trovas: 1º lugar – CARLOS RIBEIRO ROCHA: Contra o poder arbitrário / foi lutar sem covar-dia, / o nosso Expedicionário… / – Cinco de maio é seu dia! 2º lugar – ÁBNER DE FREITAS COUTINHO: Quem se isola, se angustia / abra a mente, meu irmão, / Cin-co de Maio é o dia / de ter comunicação… 3º lugar – ARGEMIRO SEIXAS SANTOS: Cinco de Maio me apraz / por seu festejo correto, / a comunicação faz, / do mun-do menor, mais perto.
Dentre as atividades do CTC no campo dos concursos de trovas merecem destaque aquelas que se relacionam à preocupação do Clube em divulgar a trova e sua prática junto às crianças. Aqui temos que salientar a colaboração de Milson Henriques, apresentador do programa infantil “A GAZETINHA”, da TV GAZETA, de Vitória.
Milson, que era trovador, tinha sido o promotor maior desses concursos, en-tre crianças de até 15 anos, o primeiro dos quais foi realizado em janeiro de 1981, com ótima participação, obedecendo ao tema FÉRIAS. Eis os cinco primeiros colo-cados: 1º lugar – RONALD HELMUT CEKAL: Sempre que chegam as férias, / saio, correndo, a brincar, / alegremente, sorrindo, / como um pássaro a voar. 2º lugar – MÁRCIA HILDILENE MATHEILO: Fazer trovas sobre férias? / Que ideia mais maluca. / Nas férias quero passear, / Brincar, descansar a cuca. 3º lugar – TATIANA BAHI-ENSE FREITAS: Ah! Se fosse-me possível / alguém estudar por mim. / Eu teria sempre férias, / seriam férias sem fim…
Para esse I Concurso de Trovas do programa infantil “A GAZETINHA”, foram enviadas mais de duzentas trovas. O II Concurso, sob o tema PROFESSORA, teve urna concorrência significativa e, nos primeiros lugares, esta classificação: 1º lugar – ELIVANI TEIXEIRA (9 anos) – Eu disse pra professora / que estava um pouco can-sada. / Como eu sou peixinho dela / a matéria não foi dada. 2º lugar – GERUZA APARECIDA FERECHI (14 anos): Minha vida de criança / esta escola iluminou / com as letras do alfabeto / que a professora ensinou.
3º lugar – SAYONARA FREITAS CAMPOS (14 anos): Eu quero ser professora, / passe o tempo que passar. / Tudo aquilo que aprendi / vou com carinho ensinar.
Em 1981, um ano após a sua fundação o CTC já possuía mais de 500 sócios no Espírito Santo e no Brasil.
Em “A Gazeta”, de Vitória, de 13 de julho de 1981 consta que: “Não se pode negar que há uma grande receptividade popular em torno da Trova. Pelo menos, poucos são os Concursos no Espírito Santo que conseguem ter mais de 500 concor-rentes. E um Concurso de Trovas chegou a ter mil. Foi no ano passado quando se propuseram três temas: Vitória, Anchieta e Capixaba. (…) Trovadores de todo o Brasil se reuniram no Concurso e depois diversos outros Concursos foram feitos.”
Para comprovar que o CTC nada tinha contra a entidade nacional UBT, antes pelo contrário, aconteceu que o seu surgimento provocou, por iniciativa de Clério José Borges, o renascimento da UBT no Espírito Santo. Mantido contato com o Pre-sidente Nacional da UBT na época, Carlos Guimarães, Clério é nomeado Delegado da UBT em Vitória.
Logo cria um Jornal Mimeografado “Estandarte”, o qual passa a ser enviado para as seções da UBT em todo Brasil. Como Delegado em Vitória, Clério estimula os Trovadores a criarem as seções da UBT na área dos Municípios da Grande Vitó-ria. Consegue a nomeação de Andrade Sucupira como Delegado da UBT em Vila Velha e estimula a criação da UBT de Vila Velha que passa a ser presidida pela Pro-fessora Valsema Rodrigues da Costa.
Logo é fundada a seção da UBT em Vitória, sob a Presidência de Carlos Dorsch; Nealdo Zaidan passa a ser o Delegado da UBT. Todas as entidades passa-ram a manter jornaizinhos Trovistas e a animação era grande.

FUNDAÇÃO DA UBT DE VITÓRIA EM 1981
1981 – Dia 30 de Março de 1981 foi fundada em Vitória a UBT, União Brasileira de Trovadores, tendo como Presidente o Dr. Carlos Dorsch; Vice-Presidente de Ad-ministração, Eurídice Vidal; Vice-Presidente de Cultura, Elmo Elton; Vice-Presidente de Finanças, José William de Freitas; Vice-Presidente de Relações Públicas, Clério José Borges; Suplente de Vice-Presidente, Eymard Cardoso de Barros. Conselho Munici-pal, Presidente Argemiro Seixas Santos; Integrantes: Matusalém Dias de Moura e Luiz Carlos Braga Ribeiro. Suplentes do Conselho: Albércio Nunes Vieira Machado; Fernando Buaiz e Vicente Nolasco Costa. A reunião de fundação foi realizada na residência na época do Dr. Carlos Dorsch no bairro de Jucutuquara, em Vitória.
Ainda em 1981, Clério resolveu comemorar o primeiro aniversário do CTC, a 1º de julho de 1981, com um Seminário. Foram convidados diversos Trovadores do Brasil inteiro, inclusive J. G. de Araújo Jorge, então Deputado Federal em Brasília, que não pode comparecer, pois não gostava de viajar de avião.
Compareceram de fora uma Delegação de Campos (Walter Siqueira, Alves Rangel e Constantino Gonçalves), J. Silva (da UBT Nacional), Rodolfo Coelho Ca-valcante, de Salvador e Eno Teodoro Wanke, que compareceu com a esposa Sra. Irma, à sessão de encerramento. Na ocasião, Wanke fez uma palestra onde, em certa frase, dizia estar a UBT “encastelada em sua Torre de Marfim”. O Sr. J. Silva reclamou e a discussão se acirrou, com intervenções de Andrade Sucupira e outros. O Seminário teve grande repercussão. Rodolfo e o casal Wanke ficaram hospeda-dos em casa da Trovadora Argentina Lopes Tristão e Eno aproveitou para gravar informações destinadas a completar a biografia de Rodolfo, que posteriormente lançaria num livro denominado “Vida e Luta do Trovador Rodolfo Coelho Cavalcan-te.”
Rodolfo decidiu fundar o Clube Baiano de Trova, tão logo chegasse a Salva-dor, o que efetivamente fez. No ano seguinte, o CTC promoveu o Segundo Seminá-rio e o comparecimento foi mais significativo ainda, com as seguintes Delegações: Recife: Valdeci Camelo, Presidente da UBT de Recife, Diva Veloso e J. Cabral Sobri-nho, de Olinda. Salvador: Rodolfo Coelho Cavalcante e dois cordelistas; Niterói: o casal Torquata e Américo Lopes Fontoura, da UBT e da Academia Brasileira de Tro-va e Jandyra Mascarenhas, (da UBT do Rio). Rio de Janeiro: Eno Teodoro Wanke e esposa Irma. (Eno Teodoro Wanke jamais faltou a nenhum dos Seminários do CTC até o ano 1999.) Ponta Grossa: Amália Max, Presidente da UBT local. Argentina: Jorge Piñero Marques
Os Seminários do Espírito Santo (sempre organizados por Clério José Borges), provocam no Movimento Trovista Nacional uma efervescência de tal ordem que no Terceiro, foi fundada a 2 de julho de 1983, uma Federação Brasileira de Entidades Trovistas, a FEBET presidida por Eno Teodoro Wanke.
No Quarto Seminário, Eno Teodoro Wanke propôs que esta nova fase do Movimento, iniciado com a fundação do CTC em 1º de julho de 1980, passasse a ser denominado de “Neotrovismo”. Ou seja, era o mesmo Trovismo renovado por uma nova geração de Trovadores. Os Seminários passaram a ser realizados anual-mente, sempre em comemoração ao Aniversário do CTC, na primeira Semana de Julho. Até o Décimo foi realizado em Vitória, Vila Velha, Cariacica e Serra, na Grande Vitória. O Décimo Seminário foi realizado dentro do Palácio do Governo do Estado do Espírito Santo, o Palácio Anchieta, em Vitória, cedido pelo Governador Max Frei-tas Mauro, que estivera presente em 1981, no primeiro Aniversário do CTC come-morado em Vila Velha.
A partir do Décimo, os Seminários passaram a serem realizados nas cidades do interior do Estado do Espírito Santo. O Décimo Primeiro foi realizado na cidade de Ibiraçu. O Décimo Segundo em Afonso Cláudio. O Décimo Terceiro em Guarapa-ri. O Décimo Quarto Seminário foi realizado em Linhares. O Décimo Quinto em Do-mingos Martins. O Décimo Sexto em Jacaraípe, Serra. O Décimo Sete em Conceição da Barra. O Décimo Oitavo em Linhares. O Décimo Nono em Anchieta e o Vigési-mo, novamente em Domingos Martins, ocasião em que os Seminários passaram a denominação de Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores realizados em várias cidades e sem uma regularidade definida.
Fundado a 1º de julho de 1980, no Espírito Santo até os dias atuais, mais de 40 anos depois de sua fundação é uma entidade cultural atuante, já tendo realizado 20 Seminários Nacionais da Trova no Espírito Santo e 18 Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores reunindo Trovadores do Brasil. Portugal e Argentina. O CTC pos-sui mais de 800 sócios em todo o Brasil e, é conhecido internacionalmente.
A Diretoria do CTC já organizou e realizou Congressos de Trovadores em Sal-vador, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. Clério José Borges além de já Ter con-cedido entrevistas em programas de televisão no Rio de Janeiro e São Paulo (Pro-grama SEM CENSURA, no Rio de Janeiro e na TV Bandeirante em São Paulo), já pro-feriu PALESTRAS sobre A TROVA e o NEOTROVISMO em Congressos e Encontros de Escritores e Poetas realizados em várias partes do Brasil, como por exemplo: NOVA PRATA – RS; PORTO ALEGRE – RS; PORTO VELHO – RONDÔNIA; RECIFE – PERNAMBUCO; SALVADOR – BAHIA; RIO DE JANEIRO; SÃO PAULO; BRASILIA; TI-MÓTEO – MINAS GERAIS; CAMPOS – RJ; BRASILIA – DISTRITO FEDERAL; GAMA – DISTRITO FEDERAL, ALÉM DE VÁRIAS CIDADES DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO, COMO BARRA DE SÃO FRANCISCO; COLATINA; SÃO MATEUS; LINHARES; IBIRAÇU; JOÃO NEIVA; SERRA; FUNDÃO; VITÓRIA; VILA VELHA; GUARAPARI; CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM; AFONSO CLÁUDIO; DOMINGOS MARTINS…
Em Assembleia Geral Extraordinária realizada no sábado, dia 18 de novembro de 2017 o CTC passou a ter uma nova denominação. O CTC foi extinto surgindo então a ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores.

CLUBE BAIANO DA TROVA
1981 – Sócio nº 22 do Clube Baiano da Trova, admitido pelo ‘‘Rei’’ da Literatu-ra de Cordel, Rodolfo Coelho Cavalcante. Diploma datado de 28 de outubro de 1981.

MEDALHA DE OURO NO PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DO CTC
1981 – No 1º Aniversário do Clube dos Trovadores Capixabas no dia 1º de ju-lho de 1981, recebeu Diploma assinado pelo Escritor Rodolfo Coelho Cavalcante, em 1º/ Julho / 1981, V. Velha – ES.

COMENDADOR DA CULTURA POPULAR 1982
1982 – Diploma de Comendador da Cultura Popular assinado pelo Poeta Rodol-fo Coelho Cavalcante, em 28/06/82, Presidente da Ordem Brasileira dos Poetas da Literatura de Cordel. SALVADOR – BAHIA.
CENTRO CULTURAL DE FELGUEIRAS, PORTUGAL
1982 – ACADÊMICO BENEMÉRITO “AD HONOREM” do Centro de Cultural, Lite-rário e Artístico de FELGUEIRAS – Portugal. Jornal de Figueiras. Diploma datado de 22 de junho de 1982.

MEDALHA DO MÉRITO DE ANATÓLIA
1982 – Em dezembro de 1982, através do Decreto Real Nº 80/82, assinado por sua Majestade Theodore I. R., da Bithynia e Lydia, Duke de Umbros, Clério re-cebe a Medalha do Mérito de Anatólia. Também conhecida como Anatólia, a Ásia Menor é uma península situada entre os continentes asiático e o europeu. A Ásia Menor é, atualmente, a parte asiática da Turquia. Limites Geográficos: Norte: Mar Negro. Sul: mar Mediterrâneo. Leste: Geórgia, Armênia e Irã. Oeste: Mar Egeu.

CENTRO CULTURAL DE SANT ANNA DO LIVRAMENTO, RS
1983 – Sócio Correspondente do Centro Cultural ‘‘José Hernández’’ de Sant’An-na do Livramento, Rio Grande do Sul. Carteira datada de 08/07/83, assinada pelo Presidente Paulo César G. Gugginana.

CLUBE DA TROVA DO VALE DO PARAÍBA
1983 – Sócio Correspondente e Efetivo do Clube da Trova do Vale do Paraíba, admitido em 14 de julho de 1983, Guaratinguetá – Estado de São Paulo. Diploma assinado pelo Presidente Poeta Francisco José de Castro Fortes.

CERTIFICATE POR EXCELLENCE IN POETRY INTERNATIONAL
1983 – Departamento de Espanhol e Português da UNIVERSIDADE DO COLO-RADO, em Boulder, Colorado, Estados Unidos da América. Diploma assinado pela professora TEREZINHA PEREIRA, de 25/ maio/ 1983.

CLÉRIO BORGES É ELEITO VICE PRESIDENTE DA FEBET
FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ENTIDADES TROVISTAS – RJ
1983 – No dia 02 de julho de 1983, em solenidade presidida pelo Escritor Para-naense e, radicado no Rio de Janeiro, Eno Teodoro Wanke foi fundada a FEBET – Federação Brasileira de Entidades Trovistas. A fundação ocorreu em Vila Velha, na sede da Academia de Letras Humberto de Campos, durante o Terceiro Seminário Nacional da Trova realizado em 1983 para comemorar o Aniversário do CTC Clube dos Trovadores Capixabas. Eno Teodoro Wanke foi eleito Presidente e Clério José Borges foi eleito Vice-Presidente da FEBET.
Embora fundada em Vila Velha decidiu-se que a sede da nova entidade seria no Rio de Janeiro, local de residência do Presidente eleito Eno Teodoro Wanke. Clé-rio ajudou a fundar a FEBET. Clério manteve-se no cargo de Vice-Presidente por quatro mandatos de três anos cada, até 1995, quando em julho, durante o XV Se-minário Nacional de Trova, realizado na cidade de Domingos Martins – ES foi eleito Presidente, permanecendo no Cargo até o ano 2000, quando com o falecimento do líder Nacional Eno Teodoro Wanke, a entidade acabou sendo desativada e extinta. A FEBET chegou a possuir representantes em inúmeras cidades brasileiras, reunindo mais de 3000 filiados.
Clério José Borges possui Diploma de Sócio Fundador da FEBET, datado de 02 de julho de 1983, assinado pelo Presidente, Escritor Eno Teodoro Wanke. Outro Diploma consta ser Clério, Representante da FEBET no Estado do Espírito Santo. Este segundo Diploma é datado de 20 de janeiro de 1984, assinado pelo Presidente, Escritor Eno Teodoro Wanke. A FEBET adotou o Hino dos Trovadores criado pelo saudoso Presidente da Ordem dos Poetas da Literatura de Cordel, Rodolfo Coelho Cavalcante, de Salvador, Bahia.

CASA DA CULTURA DE ITABERABA, BAHIA
1984 – Membro Correspondente da Casa de Cultura de Itaberaba – Bahia, Di-ploma conferido em 24 de novembro de 1984.

GRUPO ALEC DE CORUMBÁ, MATO GROSSO DO SUL
1984 – Membro Correspondente do Grupo A.L.E.C. de Corumbá – Mato Grosso do Sul. Diploma datado de 11 de outubro de 1984, assinado por Presidente Benedi-to Carlos Gonçalves de Lima que relata que a primeira entidade cultural criada foi a Escola Poética Castro Alves, depois a PEC (Poetas Estudantis de Corumbá) e mais tarde, o Grupo ALEC (Arte Literária Estudantil de Corumbá) que se transformou em Academia de Literatura e Estudos de Corumbá.
A ALEC foi fundada em 07 de janeiro de 1972, quando vários estudantes se reuniram na residência do compositor Luiz Cambará, na cidade de Corumbá em Ma-to Grosso do Sul. Hoje quando se fala em Literatura em MS, a referência principal é o Grupo ALEC e seu Presidente Benedito Carlos Gonçalves Lima, que continua a estimular os nossos talentos artísticos.

CLUBE DA TROVA DE CARIACICA, ES
1984 – Sócio de Honra do Clube da Trova de Cariacica, fundado por Josefa Telles de Oliveira. Diploma datado de 24 de junho de 1984.

MANHÃ POÉTICA NA PRAIA, GUARAPARI, ES
1984 – Com a participação do Presidente do CTC, Clério José Borges de Sant Anna, mais os poetas Geraldo Altoé, Gláucio Xavier de Freitas, Glória Machado, Re-gina Célia Otoni, Elizete de Freitas, Rocha Ramos, Vânia Maria Araújo, Iara Fernan-des, Rosane Regina Soneghetti (todos de Vitória) e Gustavo Ferret, de Guarapari, foi realizado no Domingo, dia 9 de Dezembro de 1984 de 9h30m às 15 horas, na Praia das Castanheiras, a MANHÃ POÉTICA NA PRAIA, numa promoção do CTC e da AMPOTROVI (Associação dos Novos Poetas e Trovadores de Vitória).
O evento contou com apoio do DEC – Departamento Estadual de Cultura e com apoio da Prefeitura de Guarapari. No Jornal Correio Popular de Cariacica foi divulgado o evento onde consta o seguinte: “Segundo Clério Borges a promoção objetiva criar um maior intercâmbio cultural entre os poetas de Vitória e os do inte-rior do estado. A Manhã Poética terá as seguintes atividades: Varal de Poesias e Declamação de Poemas e Trovas pelos participantes.”

GRATIDÃO DOS CORDELISTAS 1985
1985 – DIPLOMA Gratidão dos Cordelistas da OPLC – Ordem Brasileira dos Po-etas da Literatura de Cordel, Diploma datado de 20 de Julho de 1985, Salvador – Bahia

COMENDADOR HONORÁRIO 1985
1985 – Comendador Honorário da Ordem Ka Huna do Poder Mental, de Tagua-tinga – Brasília. Diploma datado de 23/02/85, assinado pelo Grão-Mestre Mário Liná-rio Leal e ratificado e reconhecido por Sua Alteza o Príncipe PASCAL I, Bandeira Mo-reira (da Magna Gothia e do Bósforo). O Diploma de Clério Borges está registrado na suprema Secretaria nº 0111, p. 10-V, em 23/02/85.

DIPLOMA DE MAGNÍFICO TROVADOR 1985
1985 – Diploma de Magnífico Trovador e ‘‘Propulsor Maior do Neotrovismo’’, conferido pelo Instituto Cultural Português, de PORTO ALEGRE – RIO GRANDE DO SUL, em 06/07/85, assinado por Santa Inèze Domingues da Rocha e Rocha Ramos.

DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO – NOVA IGUAÇU, RJ 1985
1985 – Diploma de Participação Honrosa, com Trovas, no 1º Consteste do PX Grupo Meninos do Rio, de Queimados, Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, 1985.

NÚCLEO CULTURAL PORTUGUÊS – PORTUGAL
1985 – Clério José Borges foi nomeado em 1985, Sócio Delegado e Diretor – Representante do Núcleo Cultural Português, de Vitória – ES. Nomeado por Santa Inèze da Rocha e Antônio Soares, de Porto Alegre – Rio Grande do Sul. Diploma datado de 05 de dezembro de 1985. Exerceu as atividades como Delegado e Diretor até julho de 1987.

ACADEMIA DE LETRAS MUNICIPAIS DO BRASIL
(ACADEMIA MUNICIPALISTA DE LETRAS) – SÃO PAULO
1985 – Clério José Borges foi nomeado para fundar no Espírito Santo a Aca-demia de Letras Municipais do Brasil, com objetivos claros e definidos e reunir escri-tores para que relatassem a história dos Municípios Capixabas. Clério organiza a entidade e vários escritores começam o trabalho de pesquisa. Clério que foi eleito primeiro Presidente no Espírito Santo, possui Diploma da Academia Principal com sede em São Paulo. O Diploma é datado de 25 de Abril de 1985, assinado pelo Pre-sidente Antenor Santos Oliveira e pelo Secretário Geral, Rubens Cintra Damião.
Em 1987 Clério consegue trazer em Vitória o Presidente da entidade à nível Nacional, Professor Antenor, que com organização de Clério José Borges profere palestra na Sede do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Os Escritores Narceu Paiva e Josefa Teles escrevem sobre Ibiraçu e Cariacica. Zenaide Emília Thomes Borges escreve sobre Viana. Clério observando que a frente de tal Acade-mia prejudicaria suas atividades na condução do CTC, Clube dos Trovadores Capi-xabas permanece no Cargo de Presidente até o dia 15 de julho de 1988, ocasião em que uma pessoa da Bahia é indicada para o cargo e o projeto acaba não progredin-do e foi extinto.

ACADEMIA DE LETRAS JOSÉ DE ALENCAR
1985 – Clério é sócio Correspondente da Academia de Letras “José de Alen-car”, de Curitiba –Paraná – Diploma datado de 04 de outubro de 1985, assinado pelo Presidente Escritor Vasco José Taborda.

CONGRESSO NACIONAL DE LETRAS E CIÊNCIAS
HUMANAS NA FACULDADE AUGUSTO MOTTA, RJ
1986 – A Convite do professor José Maria de Souza Dantas, Clério José Bor-ges é convidado a proferir palestra com o tema ‘‘Neotrovismo e a Participação Po-pular no Movimento dos Novos Tovadores Brasileiros’’ durante o Sétimo Congresso Nacional de Letras e Ciências Humanas, em 26/07/86.
O evento com a coordenação do Professor José Maria de Souza Dantas, foi realizado nas Faculdades de Ensino Superior ‘‘Augusto Motta’’, no Teatro da SUAM, Bonsucesso, Rio de Janeiro. Ao participar desta palestra Clério José Borges além de receber um cachê correspondente a dez salários mínimos, recebeu ajuda de custo para passagem de avião e hospedou-se por cinco dias em Hotel na Praia de Copa-cabana, no Rio de Janeiro.

CLUBE DE POETAS E TROVADORES DE CONCEIÇÃO DA BARRA, ES
1986 – Diploma de Sócio Representante CETPCB, CLUBE DOS ESCRITORES, TROVADORES E POETAS DE CONCEIÇÃO DA BARRA, assinado por Vilma de Araújo, datado de 29 de março de 1986, sábado de aleluia.

UBE – UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES – SP
1986 – SÓCIO de nº 2430 da UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES, DE SÃO PAULO. Admitido em 17 de junho de 1986. A UBE é uma das mais importante Enti-dades Culturais do Brasil, congregado cerca de 5 mil associados em São Paulo e no Brasil. A admissão de Clério José Borges consta do Jornal O ESCRITOR da UBE, de N.º 43, de novembro e dezembro de 1986, na seção “NOVOS SÓCIOS”. São relaci-onados os sócios de números 2420 a 2464. Clério José Borges é o sócio de N.º 2430, sendo que o sócio N.º 2428 é Inocêncio Candelária. O de n.º 2429, Maria Gema. O de N.º 2431 é Cely Vilhena e o sócio de N.º 2432 é Alice Faria.

DIA ESTADUAL DO POETA TROVADOR
1986 – Em Vitória, ES, o Dia do Trovador a 09 de junho de 1996 foi festiva-mente comemorado, com uma Sessão solene realizada na Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo, sob a presidência do Deputado Hugo Borges. A Sessão solene marcou de maneira viva e festiva, o grande evento.
Um bem elaborado programa foi cumprido – 1) Pronunciamento do Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas (CTC), professor Clério José Borges de Sant Anna; 2) Pronunciamento do Vice-Presidente do CTC, Eduardo Selga da Silva (Tema: Neotrovismo); 3) Pronunciamento do Dr. Vicente Nolasco Costa, promotor aposen-tado e sócio de honra do CTC. Tema: A Trova na Cultura Popular; 4) Hora de Arte, coordenada pela professora Valsema Rodrigues da Costa, sócia efetiva do CTC, com participação dos Poetas Trovadores, Rocha Ramos, Argentina Lopes Tristão, Sirley Helmer e outros. O Jornal Estilo de Jundiaí, São Paulo, de 15 de junho de 1986 publicou notícia a respeito do Dia do Poeta Trovador em Vitória, na Coluna, “Auto-res, Livros & Eventos”, de Fábio Rodrigues Mendes.

DIPLOMA MENÇÃO HONROSA PORTO ALEGRE 1986
1986 – Menção Honrosa pela criação do Núcleo Cultural Português de Vitória – ES, Diploma datado de, 04/07/86, do Instituto Cultural Português de Porto Alegre – RS.

CAVALEIRO E COMENDADOR 1986
1986 – Diploma de Cavaleiro Comendador da Ordem dos Cantadores da OPLC, de Salvador – Bahia. Diploma datado de 12 de março de 1986.

MAGNÍFICO TROVADOR 1986
1986 – Diploma conferido em 18 de março de 1986, em Salvador Bahia, assi-nado por Rodolfo Coelho Cavalcante, da Ordem Brasileira dos Poetas da Literatura de Cordel.

EX-COMBATENTE BENEMÉRITO
1986 – Ex-Combatente Benemérito, da Associação dos Ex – Combatentes do Brasil, Secção de Vitória – ES. Título conferido na administração do Ex – Combatente e Poeta, Enéas de Almeida Ferraz.

DIPLOMA DE HONRA AO MÉRITO 1986
1986 – Diploma de ‘‘Honra ao Mérito’’ do Boletim Informativo e Cultural ‘‘O Troveiro’’, de Vila Velha – ES. Diploma concedido em 04 de outubro de 1986.

DIPLOMA DE SÓCIO DE HONRA 1986
1986 – Associado de Honra da Associação Canela Verde de Cultura, de Vila Ve-lha – ES, Diploma concedido em 6 de julho de 1986, assinado pela Presidente e Es-critora Valsema Rodrigues da Costa, de Vila Velha – Espírito Santo.
ABRIL – CONVENÇÃO NACIONAL DA TROVA DE TIMÓTEO, MG
1987 – Dia 29 de abril. Clério José Borges proferiu Palestra com o Tema: ‘‘NE-OTROVISMO, Movimento dos Modernos Trovadores Brasileiros’’ na cidade de Timó-teo, no Vale do Aço, em Minas Gerais na 2ª Convenção Nacional da Trova, organi-zada pela professora Zaíra de Carvalho, Presidente da Associação dos Poetas e Es-critores de Timóteo, MG.
A palestra foi realizada no Cinema Marabá, em Acesita, MG, que estava lota-do. Presença da Rede Manchete de Televisão registrando o evento.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REALIZA SESSÃO SOLENE DO
DIA ESTADUAL DO POETA TROVADOR
1987 – Foi realizada no dia 8 de junho de 1987, pela terceira vez, uma Sessão Solene Comemorativa do Dia Estadual do Poeta Trovador, data em homenagem ao primeiro Trovador em Terras Capixabas, Padre José de Anchieta. Proferiram discur-sos, Clério, Kátia Bobbio, Valsema Rodrigues da Costa, Argentina Lopes Tristão, Vera Coser e Marleide Lima Ribeiro.

CLÉRIO BORGES É ENTREVISTADO EM REDE DE TELEVISÃO
EDUCATIVA PARA TODO BRASIL SOBRE O NEOTROVISMO
PROGRAMA SEM CENSURA, TV EDUCATIVA, RJ.
1987 – No dia 18 de junho de 1987, Clério José Borges participou do Programa de Televisão da TV Educativa, “Sem Censura”. O programa foi exibido para todo o Brasil tendo como apresentadora a Jornalista Lúcia Leme. Sem Censura é um pro-grama de entrevistas, exibido à nível Nacional, antes pela TV Educativa e depois pela TV Brasil, de segunda a sexta, às 16 horas (horário de Brasília). O programa já foi apresentado com Lúcia Leme de 1986 a 1996; Leda Nagle, de 1996 a 2017, sen-do que em 2017 foi apresentado por Vera Barroso. O programa foi exibido para todo o Brasil tendo como apresentadora a Jornalista Lúcia Leme. Junto com Clério participaram como entrevistados as pessoas de: Carlos Domingues (Gerente do Centro de Serviços Genealógicos); Carlos Alberto, ator; Letícia Garcia, Compositora; Felipe Abreu, Cantor; José Tadeu Carneiro Cardoso, conhecido como Mestre Cami-sa, Capoeirista; Marisa V. de Carvalho, Restauradora; Hélio Lates, do Fiu-Fiu Sport Clube; Caíque Ferreira, ator e Clério José Borges, professor.
A Equipe técnica do programa era composta, além de Lúcia Leme como apre-sentadora, de Kátia Chalita, professora; Maneco Muller, Jornalista; Eliana Monteiro, Jornalista; Mário Morel, Editor Geral; Maria Helena do Cicco e Milton Canuto, como produtores; Maria Barcellos e Rose Prado, como Assistentes de Produção; Angela Garambone, redatora; Ana Regina Abranches, repórter. Em Carta datada de 21 de junho de 1987, o Escritor Raimundo Araújo, residente em Nilópolis, RJ, relatou o seguinte: “Distinto Trovador Prof. José, digo Clério José Borges pela boa entrevista na TVE, do Rio, 18h30m, dia 18. Fraternalmente, Raimundo Araújo, 21.8.87. ”
O Jornal Beija Flor do CTC publica em 1987 a seguinte nota: Dia 18 de Junho de 1987 – O Presidente do CTC, Clério José Borges se apresenta na TV Educativa do Rio de Janeiro no Programa Sem Censura, em Rede Nacional. É entrevistado por cerca de 30 minutos. Junto, no programa os atores de Televisão Carlos Alberto e Caíque Ferreira (da Novela “Amor com Amor se Paga”), da Rede Globo.

CLUBE DOS INTELECTUAIS FRANCES, PARIS, FRANÇA
1987 – MEMBRE D’ HONNEUR do CLUBE DOS INTELECTUAIS FANCESES, Paris – França. Diploma conferido em 10 de setembro de 1987.

ACADEMIA PETROPOLITANA DE LETRAS
1987 – SÓCIO Correspondente, Cadeira nº 51, Patrono Gabriel Kopke Fróes, da Academia Petropolitana de Letras de Petrópolis – RJ. Diploma datado de 29 de abril de 1987, assinado pelo Presidente Joaquim Eloy Duarte dos Santos. Registro no livro nº 03 sob o nº 87030051, em 29/04/87.

ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL DOS ESCRITORES
DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO – APES
1987 – Clério José Borges organizou e fundou a 06 de fevereiro de 1987, com o Escritor, José Luiz Pereira Passos, a APES, cuja a reunião da fundação foi convo-cada por EDITAL PÚBLICO no Diário Oficial do Estado, no dia 04 de fevereiro de 1987. A APES foi registrada na Delegacia do Ministério do Trabalho do Estado do Espírito Santo, sob o nº 156, no livro 02, fls. 156, no dia 23 de fevereiro de 1987. José Luiz foi o primeiro Presidente e Clério José Borges, Secretário Geral e Vice. Posteriormente em reunião plenária de 19 de março de 1988, no AUDITÓRIO DA REDE GAZETA DE COMUNICAÇÃO, Clério José Borges, assumiu a Presidência da APES.
Com a Constituição Brasileira de 1988, a APES, transformou-se em SINDICA-DO DOS ESCRITORES DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO, em Assembleia Geral rea-lizada no dia 11 de janeiro de 1990, na Área de Exposições da Galeria Homero Mas-sena, no Centro de Vitória, Permanecendo Clério Borges na Presidência. Clério após um ano não encontra tempo para cuidar do Sindicato. Foram convocadas Assem-bleias para eleição de nova Diretoria, mas não houve “quórum”. O Sindicato encon-tra-se atualmente inativo. Os Livros de Atas e Livro de Registro de Sócios foram organizados por Clério José Borges.

SIMPÓSIO DO DIA DA TROVA, OLINDA, PE
1987 – OLINDA, PERNAMBUCO. Clério José Borges proferiu Palestra com o Tema: ‘‘NEOTROVISMO, Movimento dos Modernos Trovadores Brasileiros’’ em OLINDA – PE, no 1º Congresso Nacional da Trova, organizado pela Jornalista Alba Tavares Corrêa em 1987. No dia 1º de outubro na abertura do Primeiro Simpósio Nacional do Dia da Trova, em Olinda, PE, o Presidente da FEBET, Eno Teodoro Wanke é entrevistado durante 2 minutos pela Rede Manchete de Televisão dentro da matéria que registrou a abertura do Simpósio, onde Clério José Borges foi filma-do junto com Kátia Bobbio Lima e Zenaide Emília Thomes Borges e os demais tro-vadores participantes.
A reportagem da TV Manchete é exibida no dia 2 a noite para todo o Nordeste Brasileiro e, no dia 3, pela manhã, para todo o Brasil em Rede Nacional. Dia 3 de Outubro em Olinda, Clério José Borges proferiu palestra com o Tema: ‘‘Neotrovis-mo, Movimento dos Modernos Trovadores Brasileiros’’ em Olinda, PE, no 1º Con-gresso Nacional da Trova.
O evento foi organizado pela Jornalista Alba Tavares Corrêa, de 1º a 4 de ou-tubro de 1987. O evento foi destaque nos Jornais Folha do Subúrbio de Camaçari, Bahia, de Eduardo Cavalcante e na Revista Brasília, de Reis de Souza.

DIA MUNICIPAL DO POETA TROVADOR E
PRAÇA DOS TROVADORES EM VITÓRIA, ES
1987 – No ano de 1987 foram aprovadas duas Leis Municipais na Câmara Mu-nicipal de Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo. Ambas de autoria da Verea-dora Etta de Assis. A primeira foi a Lei 3.468, que estabelece o Dia Municipal da Trova a 4 de outubro. A segunda é a Lei 3.494, que cria a Praça dos Trovadores na Capital Capixaba.

ACADEMIA DE LETRAS HUMBERTO DE CAMPOS.
1987 – Em 1987 é anunciado que a Academia de Letras Humberto de Campos acaba de ser reativada tendo uma nova Diretoria sido eleita presidida pelo Advoga-do Mário Gurgel, sendo informado que futuramente haverá atualização dos Estatu-tos e início das obras de reformas da Sede da prainha.

EXPOSIÇÃO EM FORTALEZA NO CEARÁ 1987
1987 – Diploma de Honra pela participação na 1ª Exposição de Literatura de Cordel do Estado do Ceará, realizada de 21 a 31 de agosto de 1987, com a obra “O Vampiro Lobisomem de Jacaraípe. ”
Diploma datado de 31 de agosto de 1987, assinado pelo Secretário de Cultura, Turismo e Desporto do Ceará, José Maria Barros de Pinho.

MEDALHA DE BRONZE 1987
1987 – Medalha e Diploma no VIII Concurso Nacional de Poesias da A Revista Brasília, em 25de maio de 1987, assinado pelo Jornalista Reis de Souza, Diretor da Revista Brasília, de BRASÍLIA – DISTRITO FEDERAL. Poesia de Clério Borges premi-ada: PODER.

CLÉRIO BORGES É ELEITO VICE PRESIDENTE DA
ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE EURICO SALLES
1987 – No dia 28 de junho de 1987. É realizada Assembléia Geral para eleições da AMBES, sendo eleitos os componentes da chapa “Trabalho Paz e Progresso” com 224 votos, ficando assim constituída a nova DIRETORIA BIÊNIO 1987/1989: Presidente: JORGE WILSON PEREIRA, Vice-Presidente: CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT ANNA, 1º Secretário: ROBSON LUIZ TELLES, 2º Secretário: JOSÉ RICARDO DE FREITAS PIMENTEL, 1º Tesoureiro: DARCY KREBEL, 2º Tesoureiro: PAULO COR-REIA, Diretor de Patrimônio: SÉRGIO CARDOSO DA COSTA, Diretor Social: DIOME-DES DIAS DAS CHAGAS, Diretor de Jornalismo: SALETE DE LIMA, Diretor(a) Femini-no: GERALDA COSTA MIRANDA, Diretor de Esportes: CARLOS ALBERTO DOS SAN-TOS. CONSELHO FISCAL: DELSON PEREIRA AGUIAR, GILSON INÁCIO GABRIEL, ADÃO HENIZ BREMER, NORALDINO RODRIGUES TEIXEIRA, GERSINO MAESTRI e IRINEU RIBEIRO SANTANA. 10 de dezembro de 1987. É registrado o Estatuto da AMBES “sob ordem judicial” no Cartório do 1º Ofício: 2ª Zona da Serra: Carapina: Comarca da Capital.

CLÉRIO BORGES VISITA BRASÍLIA, DF
1988 – O Jornal O Vale do Aço de 21 a 27 de maio de 1988, publica a seguinte nota: “Clério esteve em Brasília no dia 19 de maio de 1988, proferindo palestra so-bre o tema Neotrovismo, o prof. Clério José Borges, Presidente do CTC, na Biblio-teca Demonstrativa do Instituto Nacional do Livro, promoção da ALPA – Academia de Letras dos Poetas Alternativos.
Aproveitando a oportunidade, Clério visitou a Constituinte e manteve conver-sações no Ministério da Cultura solicitando verbas para o CTC, ao mesmo tempo em que agradeceu por ter o MINC (Ministério da Cultura) agilizado o registro do CTC no próprio Minc e na Lei Sarney.” Clério José Borges proferiu palestra a convite do Poeta Herbert Lago Castelo Branco. Para participar do evento, Clério José Borges recebeu apoio dos Deputados Federais Nelson Aguiar e Stélio Dias.

CONVENÇÃO DA TROVA EM ACESITA E TIMÓTEO, MG

  1. Atendo a Convite da Professora Zaíra de Carvalho, Clério José é convi-dado e profere Palestra na 3ª Convenção Nacional da Trova realizada na região de-nominada Vale do Aço na Cidade de Timóteo, Minas Gerais. O teve a coordenação de Zaíra Carvalho e foi realizado de 28 de abril a 2 de maio de 1988.

CASA DO POETA BRASILEIRO, POEBRAS ES, 1988
1988 – No dia 16 de março de 1988 foi fundada a Casa do Poeta Brasileiro, POEBRAS ES, tendo por objetivo divulgar a Poesia e os Poetas. A POEBRAS ES é filiada a Casa do Poeta Brasileiro Nacional com sede em Porto Alegre, RS, que na época era Presidida por Nelson Fachinelli, já falecido sendo o Presidente atual o Es-critor Joaquim Moncks. O Cafezinho Poético é uma reunião, se possível mensal para confraternização dos Sócios.
A primeira Diretoria eleita em 16 de março de 1988, para um Mandato de três anos, até 16 de março de 1991, sendo composta de um Presidente, Clério José Borges de Sant Anna; Vice-Presidente, Sandra Geralda Amorim Bunges; Secretária Geral, Kátia Maria Bobbio Lima; Tesoureira Geral, Zenaide Emília Thomes Borges.
Em 29 de Novembro de 1990 foram registrados o Estatuto, com o resumo publicado no Diário Oficial do Estado. Clério atuou como Presidente até 1992, quan-do assume a função de Presidente de Honra da Casa do Poeta Brasileiro – ES. A Presidência Executiva foi assumida pela Escritora Sandra Geralda Amorim Borges até 1996. A entidade permanece inativa até que em 15 de novembro 2018, em reunião realizada no Auditório da Câmara Municipal de Santa Teresa foi eleita nova Diretoria da POEBRAS – ES e com apoio de Clério José Borges assumiu a Presidência Executi-va da POEBRAS ES a Escritora Ângela Lino Veríssimo.

CLÉRIO JOSÉ BORGES É ELEITO E TOMA POSSE COMO
PRESIDENTE DA SOCIEDADE DE CULTURA LATINA DO BRASIL
1988 – A Sociedade de Cultura Latina do Brasil fundada há cem anos, está pre-sente em diversos países e tem por objetivo difundir e lutar pela democratização da cultura brasileira e promover atividades culturais em geral. A ideia é fomentar ao máximo a cultura, contribuindo para oferecer ao povo brasileiro uma educação de boa qualidade.
A Sociedade de Cultura Latina está presente nos cinco continentes. Nasceu em Roma, em 1909 e chegou ao Brasil através de Garibaldi e, mais tarde, de um padre português chamado Américo. Em 1956 começou a ter uma presença ainda mais marcante, com o apoio de um outro português, Joaquim Duarte Baptista. Aos pou-cos a entidade foi conquistando intelectuais de diversos Estados brasileiros, como Jorge Amado, Abeguar Bastos, Franco Montoro, Clério José Borges, Agostinho Ro-drigues, Arlindo Nóbrega, Antônio Gomes Melo, Silva Barreto e Inocêncio Candelá-ria.
A ideia da Democratização da Cultura Latina se propagava por todo o Brasil, através do Professor Joaquim Duarte Batista. Através de correspondência estimula-va a criação de Núcleos em todo Brasil. Contactado Clério José Borges ajuda na fundação de cinco Núcleos da Sociedade nas cidades de Vitória, (Clério José Bor-ges), Vila Velha, (Cleusa Madureira Vidal), Ibiraçu, (Narceu Paiva Filho), Serra (Prof. Rocha Ramos) e Conceição da Barra, (Kátia Bobbio). Fundados os cinco Núcleos Clério marca a fundação da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, seção do Espírito Santo no dia 23 de maio (data da colonização do solo espírito-santense) de 1988, conforme notícia divulgada no Jornal O Vale do Aço, de Coronel Fabriciano, MG, na edição de 21 a 27.05.88.
Joaquim Duarte Batista resolve oficializar a entidade à nível Nacional convo-cando uma Assembleia Geral nos dias 24 e 25 de julho de 1988. Vários Escritores de diversos Estados Brasileiros reuniram-se na Casa de Portugal no Centro de São Pau-lo para deliberarem sobre a fundação da entidade a nível Nacional. A Assembleia é realizada e a SCLB a nível Nacional é fundada. Na fundação ficou definido que a So-ciedade de cultura Latina seria uma entidade civil, sem fins lucrativos, com objetivo principal difundir, divulgar e, primordialmente, lutar pela Democratização da Cultura Brasileira.

PRIMEIRA DIRETORIA NACIONAL
DA SOCIEDADE DE CULTURA LATINA DO BRASIL
1988 – O Poeta Trovador e Escritor Capixaba, Clério José Borges foi eleito em São Paulo, no dia 24 de julho de 1988, o primeiro Presidente da SCLB, com apoio do Prof. Joaquim Duarte Batista. Na ATA de fundação consta: “Aos vinte e quatro dias do mês de julho de mil novecentos e oitenta e oito, reuniram-se em São Paulo, SP, na Casa de Portugal, sito a Avenida da Liberdade, 602, escritores e poetas, membros da Sociedade de Cultura Latina Estaduais e alguns representantes de Nú-cleos de várias cidades. Credenciaram-se junto à Secretaria dos Trabalhos, as se-guintes pessoas: Sr. Joaquim Duarte Batista (São Paulo); Sr. Natanael Júnior, Sr. Alexandre da Silva (Cabo de Santo Agostinho, PE), Sr. Clério José Borges Sant Anna (Vitória, ES), Sr. Narceu de Paiva Filho (Ibiraçu, ES), Sra. Zenaide Emília Thomes Borges (Carapina, ES); Sra. Agenir Leonardo Victor (Maringá, PR), Dr. Victorino Fon-tinha Rodrigues, também secretário Geral da Casa de Portugal (São Paulo, SP), Sr. Antônio Gomes de Melo, da União Brasileira de Escritores (Santo André, SP), Sr. José Arnaldo Ronitto, Sra. Adelina Costez Garita (São Paulo, SP), Srta. Miriam Willy (São Paulo, SP) e outras presenças honrosas de convidados especiais. (…)
1988 – Diretoria eleita dia 24 de julho de 1988, em Assembleia Geral de funda-ção realizada na Casa de Portugal, na Avenida Liberdade, 602, São Paulo. Chapa Eleita e Aprovada por Aclamação. Presidente: Clério José Borges de Sant Anna, ES; 1º Vice-Presidente: Dr. Victorino Fontinha Victor, SP; 2º Vice-Presidente: Sra. Agenir Leonardo Victor, PR; 1º Secretário: Antônio Gomes de Melo, SP; 2º Secretário: Prof. Narceu Paiva Filho, ES; 1º Tesoureiro: Adelina C. Garita, SP; 2º Tesoureiro: José de Lima Junior, PE; Diretor Social: Herbert Lago Castelo Branco, Brasília.
A Casa de Portugal é uma associação de imigrantes portugueses da cidade de São Paulo, fundada em 13 a julho de 1935 com o objetivo de representar todos os imigrantes portugueses e seus descendentes em São Paulo. O idealizador da Socie-dade de Cultura Latina, Prof. Joaquim Duarte Batista era português e ao se transferir para o Brasil trouxe os ideais da Cultura Latina para as terras brasileiras.
Clério José Borges, permaneceu no cargo de Presidente até 1994, quando foi eleito Vice-Presidente da SCLB, tendo sido eleita Presidente a Escritora de Mogi das Cruzes – SP, Maria Aparecida de Mello Callandra. Hoje a Sociedade de Cultura Latina dedica-se a outorgar diplomas e medalhas de relevantes serviços prestados à cau-sa, em âmbito nacional e internacional, tendo sido fundado o Congresso da Socie-dade de Cultura Latina, com os chamados ‘senadores da cultura’ em cada Estado da união. No Estado do Rio de Janeiro, o senador era o Escritor Agostinho da Concei-ção Rodrigues Filho, falecido.
Clério José Borges é Presidente da Sociedade Cultura Latina do Espírito Santo e Senador da Cultura, representando o Espírito Santo no Congresso da Sociedade Latina do Brasil. Outro Senador representando o Espírito Santo é o Poeta Escritor, Humberto Del Maestro, sendo nomeado Suplente de Senador em 25 de março de 2017, o Escritor e Poeta João Roberto Vasco Gonçalves. No Maranhão a Senadora é a Profa. Dra. Dilercy Aragão Adler e no Estado do Ceará é o Escritor, Vicente Alen-car. Atualmente a Escritora Dilercy Aragão Adler é a Presidente Nacional da Socieda-de de Cultura Latina do Brasil.

PRIMEIRO ENCONTRO DA TROVA EM PORTO ALEGRE, RS
1988 – O I Encontro Brasileiro de Trova em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul foi organizado de 3 a 6 de novembro de 1988 em promoção do Núcleo Cultural Por-tuguês, Casa do Poeta Brasileiro, Clube Gaúcho da Trova e do CTC, Clube dos Tro-vadores Capixabas e da FEBET, Federação Braseira de Entidades Trovistas.
A Sessão solene de abertura contou com a presença de um Coral que cantou os Hinos dos Trovadores de autoria de Luiz Otávio e o de autoria de Rodolfo Coe-lho Cavalcante. O encerramento no domingo, foi com uma Missa em Trovas e chur-rasco com show típico no Restaurante do Centro de Tradições Gaúchas 35.
Durante as sessões plenárias o Chimarrão corria de mão em mão entre os trovadores, preparado pelo casal Elvira e Odilon, vestidos em seus trajes típicos gaúchos. Foram dois dias de palestras e apresentação de teses. Falaram Eno Teo-doro Wanke, Clério José Borges, Francisco Filipak, Nelson Fachinelli, Adão Lopes, Antônio Soares, Raimundo Araújo, Valsema Rodrigues e diversos outros.
Palestras de Hugo Ramirez sobre a trova no Rio Grande do Sul e do Uruguaio Rubinstein Moreira sobre a Trova no Uruguai. A professora Rose Maria Reis Garcia focalizou a Trova e os Trovadores repentistas Gaúchos. Também se destacou no evento o Trovador Rocha Ramos da Delegação Capixaba.
Os Trovadores participaram também do famoso Cafezinho Poético que o Es-critor Nelson Fachinelli dirigia em Porto Alegre há mais de 30 anos. No folheto de divulgação do evento consta na Comissão Organizadora: Nelson Fachinelli; Antônio Soares; Santa Inèze da Rocha; Olga Silveira; Nina de Almeida; Roberto Campos; Edu Ávila; Hugo Ramirez; Alceu Bica; Renilda Daltoé e Gládis Baez.

DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO EM RECIFE PERNAMBUCO 1988
1988 – Diploma de membro de Comissão Julgadora do 1º Prêmio Nacional de Trovas, tema: Adelmar Tavares, sua vida, sua obra, seu centenário, datado de 10 de outubro de 1988, assinado por Pedro do Amaral Costa, editor do Jornal Cultural Mandacaru, de Pernambuco.

GOVERNADOR DO ESTADO NOMEIA CLÉRIO JOSÉ BORGES
CONSELHEIRO TITULAR DA ÁREA DE LITERATURA
1989 – Através do Decreto Nº 08-P, de 04 de janeiro de 1989, publicado no Diário Oficial do Espírito Santo o Governador do Estado, Dr. Max Freitas Mauro, de-signou Clério José Borges de Sant Anna, representante do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, como Conselheiro Titular da Área de Literatura do Conselho Esta-dual de Cultura, com duração até 1991. O Jornal A Gazeta de Vitória, ES, de Sexta-feira, dia 20 de janeiro de 1989 publica matéria com o título, “Max Mauro empossa os membros do novo Conselho de Cultura”.
No texto consta o seguinte: Hoje às 9 horas, no Salão Nobre do Palácio An-chieta, o governador Max Mauro dará posse aos integrantes do novo Conselho Es-tadual de Cultura. Na presença de artistas e intelectuais capixabas, além do Secretá-rio José Eugênio Vieira e outras autoridades estaduais, estarão tomando posse para um mandato de dois anos: Artes Cênicas – Titular: Maria Verônica. Suplente: Denize B. M. Teixeira; Artes Musicais – Titular: Oto Gegenheimer. Suplente José de Souza Filho; Plásticas – Titular: Susana Vilaça. Suplente: Jorge Solé; Cinema, Rádio e TV – Amylton de Almeida. Suplente: Antônio Claudino de Jesus;
Folclore e Artesanato – Titular: Hermógenes Lima Fonseca. Suplente: Edelzira Madeira dos Santos; Literatura – Titular: Clério José Borges de Sant Anna. Suplente: Luiz Buzatto; Patrimônio Histórico e Cultural – Titular: José Daher Filho. Suplente: Simone A. A. Guimarães; Patrimônio Natural – Titular: Sebastião Ribeiro Filho. Su-plente: Tânia Mara Simões do Carmo. Representante da Região Norte – Titular: Otamir Carloni. Suplente: Euclides Rampineli Filho. Região Central – Titular Antônio Ângelo Zurlo. Região Sul – Titular: Evandro Moreira. Suplente: Wellington Passos. Representante do Governo: Marien Calixte. A reportagem continua: A partir de hoje, o Conselho Estadual de Cultura, tem como função principal formular a Política Cultu-ral do Espírito Santo.
Nova nomeação pelo Governador do Estado, como Conselheiro Titular da Área de Literatura, representando o CTC, em 1991, com duração até 18/02/1993. A Revista Cultural Painel do Departamento Estadual de Cultura, de janeiro, fevereiro e março de 1991, publica uma matéria na página 2, com o título, “Conselho de Cultu-ra: Sociedade e Democracia”, com uma entrevista com o novo Presidente do CEC, Sebastião Ribeiro Filho. Consta a relação dos novos Conselheiros e na Câmara de Literatura estão os nomes de Titular Clério José Borges; Suplente, Sandra Geralda Amorim Bunges e Membros da Câmara, Narceu Paiva Filho, Marien Calixte e Delson Pereira Aguiar.
Clério foi Conselheiro Titular do Conselho Estadual de Cultura do Espírito San-to, durante quatro anos, de 04/01/1989 a 18/02/1993, onde foi eleito e atuou como Secretário e Vice-presidente do CEC-ES. Conselheiro Suplente de 1994 a 1997. Após 1997 e até o ano 2000, passou a pertencer à Câmara de Literatura do referido Con-selho, CEC-ES. Durante o período de atuação no CEC como Conselheiro Titular por quatro anos, exerceu a atividade de Secretário do Plenário e foi eleito, Vice-Presidente por votos dos Membros do Colegiado. Membro da Câmara de Literatura do Conselho Estadual de Cultura do Estado do Espírito Santo. Na Câmara e no CEC, fez parte de várias Comissões criadas, apreciando processos, emitindo pareceres e participando de Tombamentos históricos, como o Tombamento da Mata Atlântica do ES.

I ENCONTRO DE TROVADORES DE PETROPOLIS, RJ.
1989 – Foi realizado de 27 a 29 de janeiro de 1989, em Petrópolis, o Primeiro Encontro Nacional de Trovadores, reunindo Delegações de Minas, Rio de Janeiro e Espírito Santo e São Paulo. O Presidente da UBT de Petrópolis, Roberto Francisco fez uma excelente Palestra destacado os Trovadores da Cidade de Petrópolis, a Ci-dade das Hortênsias. A promoção foi de Maria de Fátima Brasil e Hebe Machado Brasil.
A Palestra de Clério José Borges foi realizada no dia 28, no sábado com início as 14h30m, com o tema “A Trova no Espírito Santo” e “O Neotrovismo no Brasil”. Na programação constou ainda a participação, entre os conferencistas, de Arnaldo Rippel, Eno Teodoro Wanke, Roberto Francisco, Zaíra de Carvalho. O evento foi realizado sob a coordenação da ABRARTE, Casa das Artes, na Avenida Ipiranga em Petrópolis. O evento foi divulgado no Jornal de Petrópolis da Sexta feira, dia 27 de janeiro de 1989.

I ENCONTRO NACIONAL DE TROVADORES DA
CIDADE DE PORTO VELHO, RONDÔNIA
1989 – De 14 a 18 de março de 1989 foi realizado em Porto Velho, no Estado de Rondônia, o Primeiro Encontro Nacional de Trovadores. Onze representantes do Espírito Santo viajaram sob a coordenação do Presidente do CTC, Clério José Bor-ges. O evento foi transformado em filme dirigido pela Cineasta Russa, formada na Universidade de Moscou, Valentina Ivanovna Kupnova, apoiada em roteiro de Clóvis Mendes Filho, sendo o título do filme, “Trovadores do Neotrovismo na Amazônia,” com declamações de Poesias e Trovas no Rio Madeira, na Ferrovia do Diabo e na Bolívia. A organização local foi da Escritora Kléon Maryan, residente em Porto Velho, que ofereceu hospedagem e alimentação grátis para todos os visitantes.
A notícia do evento foi amplamente divulgada pela imprensa, sendo destaque no Jornal A Tribuna, Caderno AT2, de 16 de fevereiro de 1989, com reportagem com o título: Poesia – Versos em Viagem. Uma ilustração do desenhista Pater, mos-tra um poeta com vários livros na cabeça olhando uma placa indicativa com o no-me “Rondônia”. O Jornal A Gazeta de 16 de fevereiro de 1989, no Caderno Dois, divulga o evento em reportagem com o título “Um Encontro da Trova com o Ví-deo”.

ATOR
Clério participou em 1989, do Filme em Vídeo ‘‘TROVADORES DO NEOTRO-VISMO NA AMAZÔNIA’’, dirigido pela Cineasta Russa, Valentina Ivanova Krupnova, feito em Porto Velho, Rondônia, com locações em Barco no Rio Madeira, junto com outros Trovadores Brasileiros. O Filme teve o apoio do Departamento Estadual de Cultura do Espírito Santo.

DE 18 A 20 DE AGOSTO DE 1989: PRIMEIRO CONGRESSO
NACIONAL DE TROVA E LITERATURA DE SÃO PAULO
1989 – Numa promoção do Núcleo do CTC – Clube dos Trovadores Capixabas no Estado de São Paulo foi realizado de18 a 20 de agosto de 1989 o Primeiro Con-gresso Nacional de Trova e Literatura do Estado de São Paulo. O evento foi organi-zado pelas Escritoras Marília Martins e Inês Catelli, representantes do CTC na capital paulista. O evento foi realizado nas Oficinas Culturais Três Rios, no bairro do Bom Retiro, Centro de São Paulo.
O Jornal O Vale do Aço, de Coronel Fabriciano, datado de 05 a 11 de setem-bro de 1989, divulga a seguinte notícia: “Congresso da Trova em São Paulo teve sucesso absoluto. Com representantes de Recife a Rondônia e do Espírito Santo a Porto Alegre foi realizado com êxito mais um Encontro Nacional do Neotrovismo, o primeiro Congresso Nacional da Trova e da Literatura do Estado de São Paulo, de 18 a 20 de agosto nas Oficinas Culturais Três Rios, no bairro do Bom Retiro, no Centro da Cidade de São Paulo. Na abertura solene as presenças de Maria Thereza Cavalheiro, considerada por Clério José Borges como a mais completa e melhor trovadora do Brasil na atualidade e Amaryllis Schoenbach, excelente trovadora ex-pressões maiores do Trovismo no Estado de São Paulo”.
O Jornal O Vale do aço, informa ainda que “o Estado do Espírito Santo se fez presente no Congresso com 15 participantes dos quais seis viajaram com apoio do Governo do Estado do Espírito Santo e oito com apoio da Prefeitura Municipal de Ibiraçu, cidade do interior do Estado. (Prof. Narceu e mais sete estudantes). De Rondônia estiveram presentes dois Escritores. De Recife a Presidente da UBT local Valdeci Camelo e a trovadora Brandina Rocha Lima; De Porto Alegre duas escritoras. De Minas Gerais foram destaques a Trovadora Zeny de Barros Lana, Ida Dutra Sa-cramento, Clélia Rosa de Lima. Do Paraná, Maurício Fernandes Leonardo. Da Bahia, Paulo Lopes da Silva, Lúcia Adães, Maria de Lourdes Oliveira e Silva. De Timóteo, MG, Zaíra de Carvalho. De Recife, PE, Amarílis de Moura Campos. Do Paraná ainda Francisco Filipack e muitos outros participantes de várias cidades, como por exem-plo a Trovadora Olga Amorim. (…) A Abertura solene contou com a Banda de Mú-sica da Polícia local que tocou o Hino Nacional e o Hino de São Paulo”.
O Jornal O Vale do Aço continua informando, “na mesa que presidiu os traba-lhos da solenidade de abertura estavam Cláudio Willer, Presidente da União Brasileira de Escritores; Eno Teodoro Wanke, Presidente da FEBET – Federação Brasileira de Entidades Trovistas; o Presidente do CTC, Clério José Borges; o Jornalista Francisco Hada; a Jornalista Mitsuko Kawai; O Secretário Geral da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Joaquim Duarte Batista; O Editor João Scortecci e as Coordenadoras Marí-lia Martins e Inês Catelli. Foram homenageados com Troféus, Clério José Borges e Eno Teodoro Wanke. Medalhas de Honra ao Mérito foram entregues ao Presidente da UBE – União Brasileira de Escritores, Cláudio Willer e ao Trovador Rocha Ramos da Delegação Capixaba”.

CONGRESSO DE SÃO PAULO É DESTAQUE
NO JORNAL A TROVA CARIOCA
1989 – O Jornalzinho A Trova Carioca, Ano VII, Rio de Janeiro, outubro de 1989, N.º 25 registra e evento informando que no dia 18, sexta feira, após a apre-sentação da Banda de Música com o Hino Nacional e o Hino do Estado de São Pau-lo começaram os trabalhos literários brilhantemente dirigidos por Inês Catelli, com discursos de Marília Martins e Clério Borges, tendo o Presidente da FEBET, Eno Teo-doro Wanke feito uma palestra onde explicou os objetivos dos encontros trovistas.
Palestras e mesas redondas que chamaram a atenção foram: o haikai, por Francisco Handa; o Tanka, por Mitsuko Kawai; Problemas na edição do livro, por João Scortecci; A Cultura e o Congresso Nacional, pelo Deputado Trovador, Sólon Borges dos Reis; A linguagem denotativa e conotativa na trova e na poesia, de Francisco Filipak. Também foram exibidos quatro vídeos, destacando-se os realiza-dos pela Cineasta Russa, Valentina Kupnova, também presente no Congresso, um sobre a ecologia amazônica e outro sobre o encontro em Porto Velho, Rondônia. Os outros dois foram filmados em Vitória e Timóteo.
O Trovador Rocha Ramos, da Delegação Capixaba, lançou no Congresso a ideia da criação de uma parte da Literatura chamada de MICROLOGIA LITERÁRIA, englobando todas as formas instantâneas, ou seja, aquelas cuja a propriedade prin-cipal é a brevidade, exigindo do seu autor capacidade de síntese e concisão. Em verso teríamos a Trova, o haicai, o Tanka, o microdístico, a microtrova, por exem-plo. Em prosa, o clec, o pensamento, o miniconto, a minicrônica. Segundo Rocha Ramos esta seria a Literatura do futuro, quando vivemos sob o signo da velocidade e da economia de tempo. A tese foi aprovada por unanimidade.

DIRETORIA DA FEBET DE 1989 A 1992: CLÉRIO É ELEITO
PELA TERCEIRA VEZ: VICE PRESIDENTE DA FEBET
1989 – Durante o Primeiro Congresso Nacional de Trova e Literatura do Estado de São Paulo, no dia 19 de agosto de 1989 foi realizada a Eleição da Terceira Direto-ria da FEBET – Federação Brasileira de Entidades Trovistas, para o triênio 1989 – 1992, empossada em julho de 1989. Presidente: Eno Teodoro Wanke; Vice-Presidente: Clério José Borges de Sant Anna; Diretor Secretário: Santa Inèze da Ro-cha; Diretor 2º Secretário: Orlando Brito; Diretor Tesoureiro: Aparício Fernandes.

DIPLOMA DE CONFERENCISTA SÃO PAULO 1989
1989 – DIPLOMA de Conferencista e Participante do 1º Congresso Nacional da Trova e da Literatura, do Estado de São Paulo, nas Oficinas Culturais TRÊS RIOS SÃO PAULO, realizado de 18 a 20/08/89. Organização de Inês Catelli e Marília Mar-tins, Escritoras de São Paulo.

NOVEMBRO DE 1989: PALESTRA EM CAMPOS – RJ
1989 – Clério José Borges esteve em Campos dos Goytacazes nos dias 11 e 12 de novembro de 1989, durante os festejos em comemoração ao Centenário da Proclamação da República. O evento em Campos dos Goytacazes, RJ, ocorreu no Palácio da Cultura de Campos.
Clério José Borges, como Conselheiro Estadual de Cultura esteve em Campos RJ, nos dias 11 e 12 de novembro de 1989. A presença de Clério em Campos teve grande repercussão a ponto de merecer notícia no Boletim do CONSELHO FEDERAL DE CULTURA do Ministério da Cultura, edição Ano I, Número 3, de novembro-dezembro de 1989, publica o seguinte:
CEC/ES estimula Conselhos Municipais. A criação dos Conselhos Municipais de Cultura e Dez Anos de Neotrovismo – o movimento moderno dos Trovadores brasi-leiros, foram os temas desenvolvidos pelo Cons. Clério José Borges de Sant Anna, do CEC/ES, durante as comemorações do Centenário da Proclamação da República ocorrida no Palácio da Cultura de Campos nos dias 11 e 12 de novembro. Na ocasi-ão foi decidido enviar solicitação ao CEC/RJ no sentido de estimular os Prefeitos Municipais e Presidentes das Câmaras de Vereadores à criação, de forma democráti-ca, de Conselhos com representantes de entidades culturais realmente em atividade em cada município.

OFICINA DE TROVAS NO COLÉGIO MARIA ORTIZ.
1989 – Clério José Borges organizou e foi um dos Monitores da Oficina de Tro-vas realizada nos dias 04 a 07 de outubro de 1989, no Auditório do Colégio Maria Ortiz no Centro de Vitória, ES. Também atuou como Monitor o Professor Rocha Ramos.
Entre os alunos: Maria de Lourdes S. Daniel, residente em Goiabeiras, Vitória; Marcelo da Silva Murilo, de Santa Mônica em Vila Velha; Rosilene Rodrigues de Al-meida, de Bela Vista, em Cariacica; Flávia Goggi de Souza, de Santa Mônica, Vila Velha.

CENTRO CULTURAL DE PONTA GROSSA, PARANÁ
1989 – Membro Correspondente do Centro Cultural ‘‘Prof. Faris Michaele’’. De Ponta Grossa – Paraná. Diploma datado de 20 de junho de 1989, assinada pela Pre-sidente Leonilda H. Justus e pela Vice-Presidente Sônia Maria D. Martelo.

ACADEMIA PAN AMERICANA DE LETRAS DE CAMPOS RJ
1989 – Diploma de Titular da Academia Pan-americana de Letras e Artes. Di-ploma datado de 11 de novembro de 1989, assinado pela Escritora Sônia Vascon-cellos- Campos – RJ.

AMIGO DO SAMBA 1989
1989 – Diploma AMIGO DO SAMBA, do Grêmio Recreativo Escola de Samba Independente de São Torquato, Tricampeã do Carnaval Capixaba, datado de 25 de agosto de 1989, assinado pelo Presidente Ângelo Borgo Filho.

EMBAIXADOR DO GABINETE PARAIBANO DE CULTURA 1989
1989 – EMBAIXADOR do Gabinete Paraibano de Cultura, Diploma conferido em 06 de julho de 1989, assinado pelo Presidente Ricardo Bezerra. Junto Clério Borges uma MEDALHA DE EMBAIXADOR do Gabinete Paraibano de Cultura, de JOÃO PES-SOA – PARAÍBA.

DIPLOMA DE CONFERENCISTA TIMÓTEO 1989
1989 – DIPLOMA de Conferencista no Seminário de Literatura, realizado de 25 a 26 de novembro de 1989, pela Associação dos Poetas e Escritores do Município de Timóteo – MG.

CLÉRIO BORGES É ELEITO DIRETOR DE JORNALISMO
1989 – No dia 09 de julho de 1989. É realizada Assembléia Geral para eleições da AMBES, sendo eleitos os componentes da chapa “Reconstrução”, ficando assim constituída a nova DIRETORIA BIÊNIO 1989/1991: Presidente: UBIRATAN FERREI-RA, Vice-Presidente: CUSTÓDIO ELÍZIO NOGUEIRA, 1º Secretário: ROGÉRIO MAG-NO MARTINS, 2º Secretário: PEDRO PAULO ALVES, 1º Tesoureiro: ACRÍSIO BLASCO CASTRO FILHO, 2ª Tesoureiro: IZABEL MARCHEZZI SANT ANNA, Diretor de Patri-mônio: ANTÔNIO JACINTO RABBI, Diretor de Jornalismo: CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT ANNA, Diretor Social: HÉLIO ANTUNES DE SOUZA, Diretor(a) Feminino: CRIS-TINA IZABEL COAN, Diretor de Esportes: CARLOS JOSÉ DE OLIVEIRA. CONSELHO FISCAL: Efetivos: ALMIR SIMÕES SALLES, JOSVALDO MARIA DOS ANJOS, FERNAN-DO GONÇALVES SANT ANNA; Suplentes: CLEANE FAFÁ DE CARVALHO, GILSON RO-BERTO FERNANDES e DEMÉTRIO VICENTE MARTINELLI. A nova diretoria eleita to-mou posse no dia 11 de julho de 1989. Em 21 de dezembro de 1990. O Presidente Sr. Ubiratan Ferreira envia carta “renunciando” seu cargo. Assume em seu lugar o Vice-Presidente: CUSTÓDIO ELÍZIO NOGUEIRA.

DIPLOMA CULTURAL 1990
1990 – Condecorado em Palanque em Praça Pública, no dia 23 de maio de 1990, dia do MUNÍCIPIO DE VILA VELHA, com o diploma cultural de HONRA AO MÉRITO. O Diploma é assinado pelo Prefeito Municipal, Dr. Jorge Anders e pelo Secretário Municipal de Cultura, Turismo e Esporte, Ivan Ramalho. No Diploma consta o seguinte: ‘‘A Prefeitura Municipal de Vila Velha, através de sua Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte, concede o Diploma de Honra ao Mérito ao Sr. Clério Borges de Sant’Anna por sua relevante contribuição na área cultural do nosso Muni-cípio, Vila Velha – ES. Em 23 de Maio de 1990.

CAVALEIRO COMENDADOR 1990
1990 – Em 1990 Clério foi nomeado Cavaleiro Comendador da Ordem da Re-denção da Casa Soberana Real e Imperial Balta – Theodosiana – Valentiniana, Real do Bósforo, pelo Decreto Real 264/81-A/1, assinado por sua Majestade Rei Pascal I, do Bósforo, DIPLOMA EM INGLÊS E JUNTO O CERTIFICADO DA MEDALHA DE MÉ-RITO DE ANATÓLIA CONCEDIDA PELO REI PASCAL I (PASCAL BANDEIRA MOREI-RA.)

TOMBAMENTO DOS CASARÕES DA CIDADE DE MUQUI
1990 – Dia 17 de Janeiro de 1990 Clério José Borges e Delson Aguiar represen-tando o Conselho Estadual de Cultura viajaram até a Cidade de Muqui a fim de ins-truírem com pareceres e documentação, processo em tramitação no referido Con-selho em que a população da Cidade solicitava fossem Tombados alguns Casarões naquela cidade do sul do estado. Foram realizadas Palestras na Câmara Municipal e na Prefeitura e mais de 100 Casas do Centro da Cidade foram pessoalmente visita-das e cadastradas por Clério José Borges, Conselheiro Titular da Área de Literatura do CEC ES, que estava acompanhado de Delson Pereira Aguiar integrante da Câmara de Literatura do referido Conselho.
Na palestra realizada na Câmara Municipal em 17/01/1990, constam 20 assina-turas numa lista de presenças. Alguns nomes registrados: Olinto Berilli; Marco Antô-nio de Barros Dantas; Carlos Alberto de Carvalho; Ozório Vicente; João Bicalho, do Jornal de Muqui.
Paralelamente, um Documento em separado foi entregue a Clério José Borges onde representantes da Comunidade de Muqui solicitam a preservação da Arquitetu-ra da Escola de Música, “Manoel Vicente de Castro”, face ao fato de um processo já em andamento no DEC, Departamento Estadual de Cultura. Assinam o documento: Zulmira Gomes de Souza; Luiz Rodrigues; Sérgio Luiz Bastos; José Luiz; Marco An-tônio de Barros Freitas, músico OMB 1892.

I CONGRESSO DA TROVA LITERÁRIA DE SALVADOR, BAHIA
1990 – De 12 a 14 de março de 1990 foi realizado na cidade de Salvador, Capi-tal da Bahia, o I Congresso Nacional da Trova em promoção do Clube dos Trova-dores Capixabas, no Auditório da Biblioteca Central do Estado, à Rua General Laba-tut, nos Barris. Entre os Conferencistas Eno Teodoro Wanke, Clério José Borges, Valquíria Barbosa.
No dia 14 de março foi realizada uma Excursão de ônibus à Cabaceiras, terra natal de Castro Alves, onde foram realizados diversos Saraus Poéticos com shows de repentistas.
O Jornal A Tarde, de Salvador, na página 9, em Lazer&Informação publica a seguinte nota: “Amanhã, dia 12, terá início o Primeiro Congresso Nacional de Trova Literária, promoção do Núcleo CTC de Salvador-BA, UBT Seção Bahia, Casa do Poe-ta Brasileiro e Academia Castro Alves de Letras. A abertura se dará as 17 horas em sessão solene, no prédio da Biblioteca Pública do Estado.”
O evento na verdade foi organizado por Clério José Borges, do CTC Clube dos Trovadores Capixabas, com a organização local do Poeta e amigo, Luciano Jatobá, residente no bairro Barra na Capital Salvador.
O evento foi divulgado também no Jornal Folha do Subúrbio, de Camaçari, Bahia, Ano 33, Número 1004, de 10 de março de 1990. Além de Clério José Borges, Eno Teodoro Wanke e sua esposa Irma Marlene S. Wanke, participaram do evento, Sônia Vasconcellos de Campos dos Goytacazes, RJ; Litta Cardoso, de São Gonçalo, RJ e o jovem estudante Cleberson José Thomes Borges.
O Departamento Estadual de Cultura DEC, do Espírito Santo enviou uma Equi-pe de Filmagem que produziu posteriormente um Filme em Vídeo denominado “Ba-hia de Todos os Poetas”, da cineasta Russa, Valentina Ivanova Krupnova, radicada em Vitória, ES.

COMISSÃO PRÓ RESTAURAÇÃO DA IGREJA DE SÃO JOÃO.
1990 – Dia 18 de maio de 1990, às 15h30m, nas dependências da Igreja São João Batista de Carapina, sob a presidência do Conselheiro Clério José Borges de Sant Anna deu-se início a reunião da Comissão Pro Restauração da Igreja de São João Batista de Carapina. Participaram da Reunião, segundo Ata, as seguintes pes-soas: Clério José Borges de Sant Anna; Izolina Márcia Lamas da Silva; Maria Clara; Padre Ezio Dantres; Rosalda Cardoso; Ivan França e Delson Pereira Aguiar.

ACADEMIA CASTRO ALVES DE LETRAS, SALVADOR
1990 – Diploma datado de 14 de março de 1990, assinado pelo então Presi-dente Escritor Archibaldo Peçanha.

PALESTRA EM NOVA PRATA – RIO GRANDE DO SUL
PAINELISTA (PROFERIU PALESTRA EM UM PAINEL LITERÁRIO)
1990 – No 1º Congresso Brasileiro de Poesia e Encontro Latino de Casas de Poetas realizado de 20 a 22 de abril de 1990, na cidade de Nova Prata, interior do Rio Grande do Sul, Clério José Borges proferiu palestra junto com o Escritor Eno Theodoro Wanke (RJ) e as Artistas da Rede Globo, Cláudia Alencar e Aracy Balaba-nian e o então Governador da Paraíba e Poeta, Ronaldo Cunha Lima. Clério foi pa-lestrante representando o Espírito Santo no 1º Congresso Brasileiro de Poesia de 20 a 22 de abril de 1990 em Nova Prata. Organização Ademir Antonio Bacca.
O evento contou com o apoio da Prefeitura Municipal, Associação Casa da Cultura, Casa do Poeta Rio-Grandense e suplemento Garatuja. Também no evento, Eno Teodoro Wanke, do Rio de Janeiro; Antônio Juraci Siqueira do Estado do Pará e Clério José Borges representando o Espírito Santo.
Em 1991 foi realizado o II Encontro tendo Clério participado novamente profe-rindo palestra sobre o Neotrovismo. O Diploma de participação de Clério José Bor-ges no citado evento está datado de 21 de abril de 1991 e é assinado por Nelson Nilo Fachinelli, Presidente da Casa do Poeta Rio-Grandense; de Erenita Maria Davi Postingher, Presidente da Associação Casa de Cultura e do Prefeito Municipal de No-va Prata, RS, João Carlos Schmitt.

ENCICLOPÉDIA DA LITERATURA BRASILEIRA.
1990 – CLÉRIO JOSÉ BORGES CONSTA COM SEUS DADOS PESSOAIS (VERBE-TE) NA ENCICLOPÉDIA BRASILEIRA, organizada por Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa e publicada com o Apoio do Ministério da Educação – Fundação de Assis-tência ao Estudante – Rio de Janeiro, 1990. Clério José Borges está no Volume 1, Página 335. A Obra possui dois volumes e um total de 1.380 páginas. O Clube dos Trovadores Capixabas, fundado por Clério José Borges, encontra-se registrado na referida Enciclopédia na página 439.
Os dois Volumes da Enciclopédia foram um presente do Escritor Eno Teodoro Wanke, entregues solenemente, durante a Abertura do X Seminário Nacional da Trova, realizado na primeira Semana de Julho de 1990, em Sessão Solene, no inte-rior do Palácio do Governo do Estado do Espírito Santo, em Vitória – ES. No dia em que se comemorava 10 anos de Neotrovismo e do CTC. Assim o Movimento dos Trovadores Capixaba era reconhecido internacionalmente através de uma Enciclopé-dia Oficial de Literatura Brasileira. VERBETE no Dicionário dos Poetas Contemporâ-neos, edição de 1988 e na Edição de 1991, onde consta dados Biográficos e Biblio-gráficos, na página 83. O Dicionário foi organizado pelo Saudoso Escritor Francisco Igreja, do Rio de Janeiro.

ENCONTRO NACIONAL DOS TROVADORES EM BRASÍLIA
1991 – Foi realizado de 24 a 26 de maio de 1991, o Encontro Nacional dos Trovadores em Brasília, Capital federal, com a presença dos Acadêmicos Adirson Vasconcellos, Clério José Borges, Adison do Amaral, Eno Teodoro Wanke e Rai-mundo Araújo. A mesa que presidiu os trabalhos na solenidade de abertura do evento estava composta de Adison Amaral, Clério José Borges, do Secretário Adjun-to de Cultura, Jair Fonseca; Maria de Lourdes Reis organizadora do evento e Eno Teodoro Wanke. Foi registrada a presença de Maurício Fernandes Leonardo, (PR), Narceu Paiva Filho, (ES), Agenir Leonardo Vitor e Paraguassu S. Menon, do Estado do Paraná.

ACADEMIA DE LETRAS DE VILA VELHA
POSSE DE CLÉRIO BORGES FOI EM 1991
1991 – A Academia de Letras de Vila Velha é a antiga Academia de Letras Humberto de Campos, presidida em 2020, pelo Acadêmico Horacio Xavier. A Aca-demia de Letras Humberto de Campos (ALHC) mudou seu nome para ACADEMIA DE LETRAS DE VILA VELHA (ALVV), em Assembleia Geral realizada dia 18 de agosto de 2014. A ALVV é sucessora direta da ALHC.
A figura de Humberto de Campos foi mantida como patrono da instituição. Fundada em 1948, a ALVV surgiu como forma de superar as dificuldades enfrenta-das pela literatura vilavelhense. Desde então, a Academia mantém sua função de fomento e divulgação da literatura, promovendo saraus, encontros e palestras.
Tendo nascido no bairro de Aribiri em Vila Velha, Clério José Borges foi convi-dado pelo Acadêmico Mário Ribeiro e tomou posse solene no dia 14 de maio de 1991 quando era Presidente o Jornalista Jair Vianna Santos e Secretário Dijairo Gon-çalves Lima. O Acadêmico Mário Ribeiro era Poeta e Médico e autor do Livro de Poesias “Retalhos Esparsos: poemas e trovas“. Clério José foi eleito por unanimida-de e empossado no mesmo dia. Apresentado pelo Dr. Mário Ribeiro, usou a pala-vra agradecendo e tecendo breve comentário sobre seu Patrono o Escritor Afonso Cláudio de Freitas Rosa, primeiro Governador Republicano do Espírito Santo e Escri-tor. Clério foi empossado como Acadêmico Titular da Academia de Letras “Humber-to de Campos”, atual Academia de Letras de Vila Velha. Na mesma ocasião tomava posse a Professora Valsema Rodrigues da Costa.
Clério José Borges é titular da Cadeira Número 30, que tem como Patrono Afonso Cláudio de Freitas Rosa. Relação de alguns membros da Academia, na épo-ca da posse de Clério José Borges. Vivos e falecidos: Maria Olga Setúbal Bussolotti, Walter Aguiar, José Luís Schneider, Artelírio Bolsanello, Valsema Rodrigues da Costa, Regina Pinto Rangel, Roberto Brochado Abreu, Humberto Del Maestro, Sonia De-moner, Jair Santos, Dijairo Gonçalves Lima, Rubens Martinelli, Paulo Mares Guia, Vasco Alves de Oliveira Junior, Francisco Aurélio Ribeiro, Marlene Venturim, José Cupertino Leite de Almeida, Max de Freitas Mauro, Mauro Machado Carvalho, Olavo Cabral, Ana Bernardes Rocha, Clerio Jose Borges, João Manoel Pulchari, José Higino de Freitas, o Taneco, Talmon Fonseca, Ailton de Almeida, Vicente de Oliveira e Sil-va, de Paula, Julião, José Anchieta Setúbal, Ilza Ribeiro Moll, Mário Ribeiro e Levy Rocha.

CLÉRIO BORGES É ELEITO NOVAMENTE
VICE PRESIDENTE DA AMBES.
1991 – No dia 14 de julho de 1991. É realizada Assembléia Geral para eleições da AMBES, sendo eleitos os componentes da chapa “Confiança” com 271 votos, ficando assim constituída a nova DIRETORIA BIÊNIO 1991/1993: Presidente: JORGE WILSON PEREIRA, Vice-Presidente: CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT ANNA, 1º Secre-tário: JORGE CHELUGE FILHO, 2º Secretário: PAULO CÉZAR DE SÁ GARCIA, 1º Te-soureiro: DARCI KREBEL, 2º Tesoureiro: EMILIANO DE SOUZA E FILHO, Diretor de Patrimônio: WANDERLI ANTÔNIO PERONI DONADIA, Diretor de Jornalismo: JOÃO LUIZ GARCIA, Diretor(a) Feminino: DILMA LOUREIRO LEITE, Diretor de Esportes: MARCO AURÉLIO MARTINELLI, Diretor Social: MÁRIO VICENTE. CONSELHO FIS-CAL: Efetivos: NORALDINO RODRIGUES TEIXEIRA, AZARIAS TEIXEIRA CÉSAR e SEBASTIÃO DA ROCHA; Suplentes: JORGE VICENTE DA SILVA, PEDRO DA SILVA SOBREIRA e JOAQUIM CALEGARIO FILHO.

CENTENÁRIO DE GRACILIANO RAMOS 1992
Organizou para o CONSELHO ESTADUAL DE CULTURA DO ESPÍRITO SANTO, o Concurso Literário de Redação e Trovas, no Centenário do Escritor Graciliano Ra-mos, Diploma conferido pelo DEC – Departamento Estadual de Cultura do Espírito Santo, assinado pelo Diretor Geral, Cloves Geraldo do Espírito Santo, em dezembro de 1992.

JORNAL DOS TROVADORES
1992 – Clério para a divulgação das atividades do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, lança o JORNAL DOS TROVADORES – Impresso graficamente, em forma-to Tabloide. Circulam 3 números, divulgando a trova e os Sócios do CTC, tornando-se o Jornal Inativo devido aos elevados custos gráficos. Tiragem: 500 exemplares.

CLUBE DE POETAS E ESCRITORES DE AFONSO CLÁUDIO, ES
1992 – Sócio do Clube de Poetas e Escritores ‘‘Eunice Siqueira Tristão’’, da Casa da Cultura de Afonso Cláudio – ES. Carteira concedida, em 1992, pelo Benemérito da entidade, José Saleme. O Clube era organizado pela Fundação Jônice Tristão e o Presidente era o Poeta, Elias Mendes.

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DA SERRA:
FUNDADOR E PRIMEIRO PRESIDENTE
1993 – A Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS foi fundada no dia 28 de agosto de 1993, com 40 cadeiras patronímicas fixas e vitalícias e, com base numa ideia de Clério José Borges que, na qualidade de Presidente do Clube dos Trovado-res Capixabas, que em correspondência com Papel Timbrado do Clube dos Trova-dores Capixabas, convocou poetas e Artistas da Serra para a Assembleia Geral de fundação a 28 de agosto de 1993.
Clério presidiu a reunião de fundação que contou com a secretaria do Advoga-do e professor Carlos Dorsch e a presença do ex Prefeito, Naly da Encarnação Mi-randa. Clério José Borges foi eleito o primeiro Presidente Executivo, com mandato de dois anos, até 28 de agosto de 1995. Dr. Naly da Encarnação Miranda, ex prefei-to da Serra em duas ocasiões, sido escolhido Presidente de honra e orador. Definida as Cadeiras da Academia, Clério José Borges ficou com a cadeira nº 2, que tem co-mo Patrono o Índio fundador da Serra, Maracajaguaçu. Voltou a presidir a ALEAS no período de 06 de agosto de 2012 a 28 de agosto de 2014. Em 28/08/2016 assume a Vice-Presidência da ALEAS até 28/08/2018. Na eleição seguinte Clério é eleito para o Conselho Fiscal da ALEAS.

III ENCONTRO DA TROVA DE PORTO ALEGRE
1993 – O terceiro Encontro Brasileiro da Trova foi coordenado pela Escritora Santa Inèze da Rocha, Nelson Fachinelli, Joaquim Moncks, Olga Silveira, de 4 a 7 de novembro de 1993. Na mesma oportunidade foi anunciado a realização em conjun-to do 2º Encontro Latino Americano de Trovadores e Coplistas – 2º ELAT

II CONGRESSO NACIONAL DA TROVA LITERÁRIA EM CORUMBÁ
1993 – Numa promoção conjunta do Grupo ALEC com apoio da FEBET – Fede-ração Brasileira de Entidades Trovistas e do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, bem como do NCL – Núcleo Cultural de Ladário e Prefeitura Municipal de Corumbá e Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Na Coordenação do evento, o Escritor Benedito Carlos Gonçalves Lima. Também ajudando o evento, Bethânia Loureiro.

PALESTRA EM BONSUCESSO, RJ, EM 1993, 1994 E 1995
1994 – Convidado pelo Professor José Maria de Souza Dantas proferiu pales-tras sobre NEOTROVISMO – MOVIMENTO DOS MODERNOS TROVADORES BRASI-LEIROS, em Congressos de Literatura organizados no Rio de Janeiro, nas Faculda-des Integradas ‘‘Augusto Motta’’, SUAM, Bonsucesso, RJ, pelo Professor José Maria de Souza Dantas.
No ano de 1994, Clério José Borges recebeu a MEDALHA DO MÉRITO CULTU-RAL AUGUSTO MOTTA. De 07 a 12 de fevereiro de 1994 foi realizado no Auditório do Teatro da SUAM – Faculdades Integradas Augusto Motta, em Bonsucesso, no Rio de Janeiro, o Congresso Nacional de Comunicação, Letras e Artes. Clério José Bor-ges foi convidado para proferir Palestra com o tema, Comunicação, Trova e Neo-trovismo pelo organizador do evento professor José Maria de Souza Dantas, con-forme ofício datado de 08 de setembro de 1983. A Palestra de Clério José Borges foi realizada no dia 12 de fevereiro de 1994, às 11 horas.

V CONVENÇÃO NACIONAL DA TROVA EM TIMÓTEO, MG
1994 – Com o apoio do CTC Clube dos Trovadores Capixabas, a Escritora e Poeta Zaíra de Carvalho, realizou de 27 a 29 de maio de 1994 a V Convenção Naci-onal da Trova. O Escritor de Nilópolis, RJ, Raimundo Araújo em sua Palestra abor-dou o tema, sobre a evolução da Literatura Brasileira.
O Escritor Manoel Messias de Vasconcelos falou da Análise e Interpretação de um Poema. Clério José Borges, Presidente do CTC falou sobre a Arte da Comunica-ção através da Trova; Fernanda Brito Araújo falou sobre A Presença da Mulher na Trova Nordestina.
A instalação solene do evento aconteceu no Auditório da Alfa Bromélia, na área da ACESITA, empresa da Cidade, com cerca de 300 pessoas entre poetas, Artistas e Autoridades locais.
Zaíra de Carvalho foi homenageada pela Escritora Áurea Venâncio. Registradas as presenças de Eva Reis e Zeni de Barros Lana. O Prefeito da Cidade que colabo-rou com o evento era o conhecido Lelé. A Acesita ofereceu hospedagem gratuitas e alguns trovadores também foram hospedados pela Coordenação do evento, no Hotel Sawan. Um dos destaques foi a apresentação do Coral Colibri, de crianças, dirigido pela professora Gislene. No domingo o passeio foi no Parque Florestal Esta-dual do Rio Doce com seus 36 mil hectares. Na região do Parque os rios Piracicaba e Rio Doce. Entre os livros lançados o destaque foi para “Por entreaberta boca”, de Jauri Machado, poeta e Diretor de Teatro de Porto Alegre no Rio Grande do Sul.
Jacy Romero foi outra trovadora presente no evento. Na Convenção foram lembrados os poetas participantes dos nossos Congressos e Seminários falecidos: Rocha Ramos, ES; Paulo Lopes da Silva, BA; Orestes Turano, SP; Hernando de Vas-concellos, PE; José Miranda Jordão, RJ e Helenara, RS. As ausências sentidas foram o Professor Francisco Filipak que estava adoentado e Eno Teodoro Wanke por se encontrar em viagem na Venezuela.

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DA TROVA, LINHARES
1994 – O 14º Seminário Nacional da Trova foi realizado na Cidade de Linhares no Norte do estado do Espírito santo. A Carta de Intenções aprovada em plenário do Seminário foi elaborada por uma Comissão composta de Agostinho Rodrigues, como Presidente; Narceu Paiva Filho (ES); Amarildo Valadares (ES); Jarnete Ferreira Soares (RJ) e Daura Rocha B. Rezende (RJ).
Consta da Carta de Intenções, aprovada por unanimidade no último dia do Seminário: Em reunião realizada no Clube Guararema, em Linhares por ocasião do XIV Seminário Nacional da Trova, promovido pela Prefeitura Municipal e pelo Clube dos Trovadores Capixabas, formou-se uma Comissão de cinco (5) membros abai-xo assinados que de comum acordo decidiram: 1º – Incentivar nas Escolas a criação e execução de projetos que visem a valorização da trova; 2º – Fazer crescer através da trova a responsabilidade em campanhas públicas e sociais como: na saúde, lim-peza urbana, ecologia, educação, etc. 3º – Periodicamente convidar um trovador para realizar palestras e cursos em lugares diversos da Comunidade. 4º – “As autori-dades deverão intensificar a criação de entidades trovísticas junto às Fundações e Casas de Culturas.” PS. O texto foi submetido a plenário que contou com a presen-ça de trovadores e poetas do Brasil e Portugal e aprovado com louvor. Linhares (ES), 08 de julho de 1994.

SOCIEDADE DE CULTURA LATINA DO BRASIL
1994 – Clério José Borges permaneceu como Presidente da SOCIEDADE DE CULTURA LATINA DO BRASIL, de 1990 até 1994. Eleito em São Paulo em 1990, com apoio do Prof. Joaquim Duarte Batista, permaneceu no cargo até 1994, quan-do foi eleito Vice-Presidente tendo sido eleita Presidente a Escritora de Mogi das Cruzes, SP, Maria Aparecida de Mello Calandra.
Paralelamente ao Primeiro Congresso Nacional da Trova Literária realizado na Sociedade Unificada de Ensino Superior Augusto Mota, Suam, no Rio de Janeiro, de 25 a 27 de novembro de 1994, a Sociedade de Cultura Latina do Brasil, que era pre-sidida desde a sua fundação por Clério José Borges, realizou uma Assembleia Geral onde foram eleitos os novos Acadêmicos que dirigirão a entidade no triênio de 1995 a 1998. Clério José Borges foi eleito 1º Vice-Presidente da SCLB, tendo sido eleita Presidente da Diretoria Executiva a Escritora de Mogi das Cruzes, São Paulo, Maria Aparecida de Mello Calandra. Como 2º Vice-Presidente foi eleita Tereza Cristina Bau-er, de São Paulo.
A SCLB é um grande ideal do professor Joaquim Duarte Batista, abnegado homem de origem Portuguesa que prega o amparo à criança abandonada e o ideal de uma união mais fraterna e humana entre os povos da América Latina, destacan-do o sentimento da Latinidade como forma de se combater a todas injustiças soci-ais. Na Sociedade de Cultura Latina estão nomes como Eduardo Cavalcanti (Bahia); Narceu Paiva Filho (ES); Abel B. Pereira (Santa Catarina); Antônio Gomes Mello (SP); Prof.ª Nyssia Freitas Meira (SP) e Dalvan Rangel (SP).

CLÉRIO RECEBE O TÍTULO DE
CIDADÃO SERRANO, SERRA, ES
1994 – Através de Ofício G. P. N.º 318/94, CMS, datado de 14 de dezembro de 1994, Clério José Borges de Sant Anna é comunicado que “a Câmara aprovou por unanimidade Decreto Legislativo, concedendo-lhe Título Honorífico de “CIDADÃO SERRANO”, pelos relevantes serviços prestados a este Município, proposição apre-sentada pela Vereadora Márcia Lamas. Em face do exposto, convidamos a V. Sª, para receber o respectivo Diploma em Sessão Solene a ser realizada no dia 26 de dezembro do corrente ano, “DIA DO SERRANO”, às 10h00m, no Clube do Serra Fu-tebol Clube, situado a Rua Rômulo Castello, sn, nesta Cidade. Assina o Ofício, João Luiz Teixeira Corrêa, Presidente.
Clério José Borges possui o Título de Cidadão Serrano, conferido pela Câmara Municipal da Serra, de acordo com o Decreto Legislativo nº 05, de 14 de dezembro de 1994, ‘‘EM RECONHECIMENTO AOS RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADOS AO MUNICÍPIO’’. Diploma em Chapa com Gravação Especial, datado de 26 de dezem-bro de 1994 e assinado pelo Presidente da Câmara Municipal da Serra, Vereador João Luiz Teixeira Corrêa. A indicação para a Cidadania Serrana, na Câmara Munici-pal, foi apresentada pela Vereadora do PSB da Serra, Professora Izolina Márcia La-mas da Silva.

MEDALHA DO MÉRITO CULTURAL PORTUGUÊS
1995 – Recebida em julho de 1995, das mãos do Escritor Português Joaquim Francisco de Castro, em Domingos Martins, ES.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO DISTRITO FEDERAL
1995 – Diploma de Título de Sócio Correspondente a Clério José Borges com base em decisão da Diretoria de 5 de maio de 1994. Diploma datado de 07 de agos-to de 1995, assinado por José Adirson de Vasconcelos, Presidente.

1º CONGRESSO NACIONAL DA TROVA EM MAGÉ, RJ
1995 – De 17 a 19 de novembro de 1995, Clério José Borges participou do Primeiro Congresso Nacional da Trova Literária de Magé, onde proferiu a Palestra ‘‘Neotrovismo Brasileiro’’. O 1º Congresso Nacional da Trova Literária, foi realizado no Auditório do Hotel Canopus, na Cidade de Magé – RJ, com organização do JOR-NALISTA JORGE MATTA FREIRE.
No Concurso de Trovas realizado, Clério José Borges teve Trova de sua auto-ria escolhida como Menção Especial. O Jornalista Raimundo Araújo, na sua coluna “Letras, Idéias e Fatos”, do Jornal “A Voz dos Municípios Fluminenses”, Ano XLIII, N.º 2066, datado de 24 a 30 de novembro de 1995, relata: “Foi um dos grandes acontecimentos culturais do ano, a realização do I Congresso Nacional da Trova, em Magé, RJ, de 17 a 19 de novembro. Poetas e Escritores de vários Estados se fizeram presentes com suas poesias, palestras e debates.
Eno Teodoro Wanke falou belamente sobre a Trova, apresentando proposta, aprovada, para que 1996 seja o “Ano J. G. de Araújo Jorge”, que estaria comple-tando 80 anos de idade. Raimundo Araújo discorreu sobre as mais belas Trovas Brasileiras; Clério José Borges falou sobre o Neotrovismo. O organizador do evento foi o Jornalista e Presidente da Casa do Mestre de Magé, Jorge da Matta Freire.
Presentes participando do evento, o Jornalista e professor Osvaldo Luiz, de São Gonçalo, RJ, que falou sobre o herói Zumbi dos Palmares, bem como Zenilce Salles, de Serra, ES; Adolfo Macedo, premiado Trovador de Magé; Levi Silva, de São Gonçalo, RJ; Francisco Antônio de Oliveira; Leni de Souza e Ieda Gaspar Borges que lançou seu terceiro livro de Poesia, “Livro Complicado”.
O Poeta de Colatina, ES, Oscar Gomes da Silva Neto expôs trabalhos de Artes Plásticas durante o Congresso. Foi eleita Princesa dos Trovadores a jovem Recepci-onista e estudante normalista, Marcela de Jesus Lemos. O Congresso comemorou também os 138 anos de Emancipação política do Município de Magé, no Rio de Ja-neiro.

BRASÍLIA
1996 – NOS DIAS 23 E 24 DE MAIO DE 1996, proferiu palestra com o tema NEOTROVISMO EM BRASÍLIA NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, durante o Segundo Encontro Nacional da Trova de Brasília, organizado pela escritora Maria de Lourdes Reis. Na oportunidade foi recebido no Ministério da Cultura junto com Eno Teodoro Wanke e outros Trovadores, pela Chefe de Gabinete Maria Cecília Londres.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO ESPIRITO SANTO
1996 – Sócio efetivo do IHGES, Instituto Histórico e Geográfico do Estado do Espírito Santo, a mais antiga e mais importante Entidade Cultural do Estado, funda-da a 12 de junho de 1916. Foi empossado em sessão solene realizada no Auditório da Rede Gazeta de Comunicação no dia 12 de junho de 1996 durante os festejos dos 80º Aniversário do Instituto, tendo recebido o Diploma de Sócio, das mãos do Presidente do Tribunal de Justiça do Espirito Santo, Desembargador Ewerly Grandi Ribeiro.
Clério foi indicado para membro do IHGES, pelo então Vice-Presidente da refe-rida entidade, Dr. José Paulo de Souza filho, tendo a indicação sido aprovada por unanimidade. O IHGES foi fundado com o objetivo de conservar a memória e tradi-ção, a partir da conservação e coleta de registros históricos do Estado. A data da fundação do IHGES, 12 de junho de 1916 remete ao fuzilamento de Domingos José Martins, capixaba e herói da Revolução de 1817, em Salvador, na Bahia.

LANÇAMENTO DO LIVRO ‘‘ALVOR POÉTICO’’
1996 – Clério José Borges realizou o lançamento do seu livro ALVOR POÉTICO, com êxito no dia 31 de maio de 1996, na sede da Secretaria de Cultura e Turismo da Serra. Os convites com a reprodução da capa do livro foram ofertados pela Via-ção Praiana. Cada pessoa que adquiriu o livro recebeu uma camisa com uma poesia de Clério. A Camisa foi patrocinada por Massas Natália, Supermercado Biazutti e Vereadora Márcia Lamas. Foi oferecido um coquetel aos presentes. O músico Val-temar Ribeiro Azeredo, irmão do Acadêmico Valdemir Ribeiro Azeredo fez uma apresentação musical. Foram feitas filmagens em vídeo por Rogério Falcão, Inves-tigador da Polícia Civil e por Guilherme Piassarolo. Foram vendidos mais de 50 livros e várias pessoas estiveram presentes entre familiares (Ronaldo, Aluir e Josemar), sócios do CTC, políticos (Vereadora Márcia, Sargento Valter) e amigos.
A escritora Sandra Geralda Amorim Bunges fez uma espécie de Ata do evento: Lançamento do Livro “Alvor Poético” na Secretaria de Cultura e Turismo da Serra. A abertura da Sessão foi realizada pela Poetisa Sandra Bunges que falou sobre o Tro-vador Clério, sua vida, sua luta e sua batalha de longos anos, 16 anos, quando Clé-rio fundou o Clube dos Trovadores, que hoje alcança a graça e a Vitória de reunir Poetas e Trovadores de todo o Brasil e até do Exterior. Usou a palavra a Vereadora Márcia Lamas que também falou sobre a vida do Trovador Clério Borges. A Verea-dora leu muitos telegramas que Clério recebeu, inclusive do Governador Vitor Buaiz e outras autoridades, tendo recebido também em sua residência a visita do Desem-bargador Antônio José Miguel Feu Rosa.
Usou a palavra também o Secretário de Turismo Marcelo Furtado que falou também sobre Clério. Também fez a sua Saudação a Trovadora Cleusa Vidal que declamou algumas Trovas e falou sobre a importância da Trova e da união da Tro-va e a Cultura. Sandra Bunges lembrou dos Encontros Nacionais de Trovadores, os Seminários e que a cada ano se perde um Trovador, que parte para outro plano espiritual, como acontecido naquele ano de 1996, com o Trovador Raimundo Araú-jo.

ASSOCIAÇÃO DOS ESCRITORES DO AMAZONAS
SÓCIO INTERESTADUAL DA ASSEAM
1996 – Em 22 de Julho de 1996 Clério é admitido, por indicação do Dr. José Paulo de Souza Filho, como Sócio Interestadual da Associação dos Escritores do Amazonas, ASSEAM, da Cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, recebendo a Carteira de Sócio nº 58, assinada pelo Presidente Gaitano Laertes Pereira Antonac-cio.

BRASÍLIA NOS DIAS 23 E 24 DE MAIO DE 1996
1996 – Clério José Borges proferiu palestra com o tema NEOTROVISMO na Universidade de Brasília, durante o Segundo Encontro Nacional da Trova de Brasília, organizado pela escritora Maria de Lourdes Reis. Na oportunidade foi recebido no Ministério da Cultura junto com Eno Teodoro Wanke e outros Trovadores, pela Che-fe de Gabinete Maria Cecília Londres.

SEMINÁRIO DE JACARAÍPE EM 1996
1996 – Organizou o XVI Seminário Nacional da Trova na Praia de Jacaraípe – Serra – ES, evento realizado de 4 a 7 de julho de 1996, nos Salões do CLUBE RIVI-ERA. Na Solenidade de abertura compareceram a Banda de Música ESTRELA DOS ARTISTAS da Serra; as Bandas de Congo de Bacanga e São Domingos; O Grupo de Capoeira de Jacaraípe do Prof. Robson Vidal; O Coral Cidade Verde de Domingos Martins e o Grupo Folclório Português OS LUSÍADAS, de Maringá no Paraná.
O evento contou ainda com os Grupos de Pagode ARRANCA SAMBA e Grupo Teatral Raízes de Itaberaba – Bahia. Na solenidade de abertura compareceram o Vice-Prefeito da Serra – ES, Cilso Ribeiro, o Deputado Estadual Lourival Berger e esposa Diomedes Maria Calimam Berger, o Vice-Presidente da Aleas, Marcelo Furta-do e o Vereador João Luiz Teixeira. O evento teve uma Missa na Igreja São Pedro de Jacaraípe e a Festa de Confraternização foi realizada no Domingo, dia 07 de ju-lho, na casa de Clério Borges, na Rua dos Pombos, 2 – Eurico Salles – Carapina – ES.
PLACA DE PRATA
CLÉRIO BORGES RECEBEU UMA PLACA DE PRATA NO DIA 06 DE JULHO DU-RANTE O XVI SEMINÁRIO NACIONAL DA TROVA DOS SEUS AMIGOS TROVADORES BRASILEIROS E PARTICIPANTES DOS SEMINÁRIOS DA TROVA NO ESPÍRITO SAN-TO, EM HOMENAGEM DE TEREZA VITÓRIA MONTEIRO, MARÍLIA MARTINS, MARLI NANI. A ENTREGA FOI FEITA POR KÁTIA MARIA BÓBIO LIMA. NA PLACA CONSTA O SEGUINTE: ‘‘CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT’ ANNA VOCÊ É A CAUSA DE EXISTIR ESTE MOMENTO, DEUS CONTINUE ILUMINANDO SEU CAMINHO. AMAMOS-TE! – TROVADORES DO BRASIL. XVI CONGRESSO NACIONAL DA TROVA – JACARAÍPE, ES – 1996’’.

TROFÉU COROA IMPERIAL DA CIDADE DE
PETRÓPOLIS NO RIO DE JANEIRO
1996 – Condecorado com a réplica em miniatura da COROA IMPERIAL, em tro-féu ofertado por Daura Rocha Barbosa de Resende, Trovadora de Petrópolis – Rio de Janeiro, no dia 4 de julho de 1996, na abertura solene do XVI Seminário Nacional da Trova de Jacaraípe, nas dependências do Clube Riviera, onde se encontravam mais de 800 pessoas, a placa consta o seguinte: ‘‘Ao Presidente do CTC, Clério Bor-ges, homenagem da Cidade Imperial de Petrópolis – julho de 1996’’

MOVIMENTO POÉTICO NACIONAL
1996 – SÓCIO DO MPN – Movimento Poético Nacional, com sede em São Pau-lo. Delegado do Movimento Poético em São Paulo – Certificado datado de 03 de janeiro de 1996, assinado pelo Presidente Wilson de Oliveira Jasa, nomeando Clério José Borges – Delegado do Movimento Poético em São Paulo em Carapina – Es, para o ano d 1996. O Movimento Poético em São Paulo foi fundado em 12/09/80.

MEDALHA “JUBILEU DE PRATA” 1968/1993
DO GRUPO FOLCLÓRICO PORTUGUÊS
1996 – O Grupo Folclórico Português, da cidade de Maringá, no Estado do Pa-raná ofertou uma MEDALHA DE JUBILEU DE PRATA para Clério José Borges em re-conhecimento por ter Clério Borges promovido a vinda do Grupo com 35 pessoas que se apresentaram em Jacaraípe, Laranjeiras, Vila Velha, Vitória e Domingos Mas-tins – ES. A medalha foi entregue no dia 04 de julho de 1996, nas dependências do Clube Riviera, em Jacaraípe, durante a solenidade de abertura do XVI Seminário Nacional da Trova.

CONGRESSO NA CIDADE DE MAGÉ EM 1996
1996 – Nos dias 30, 31 de agosto e 1 de Setembro de 1996, participou como Convidado de Honra do Segundo Congresso Nacional da Trova na Cidade de Magé – Rio de Janeiro onde proferiu discurso na abertura solene no dia 30 de agosto, no auditório do Hotel Canopus, no Centro de Magé, abordando a participação dos Tro-vadores na Internet, a Rede Mundial de Computadores e o tema A POLÍTICA E A TROVA, destacando a importância dos escritores procurarem afirmar-se com candi-datos políticos que tenham reais compromissos com a valorização da Cultura Brasi-leira e de modo especial com a Poesia e com a TROVA. No referido evento, por iniciativa de Clério José Borges e apoio de Eno Teodoro Wanke foi lançado o Primei-ro Concurso de Trovas na Internet. O Congresso Nacional da Trova de Magé foi organizado pela “Casa do Mestre”, de Magé, presidida pelo JORNALISTA JORGE DA MATTA FREIRE. Na ocasião Clério José Borges fez o lançamento do seu Livro, “AL-VOR POÉTICO”, no segundo dia do Congresso, no Auditório da Viação Primavera de Magé, RJ. Durante o evento, no último dia 1º de setembro de 1996, houve Liturgia Católica, poço Bento pelo Padre José de Anchieta e, em seguida, churrasco na resi-dência da Vereadora Maria Inês, na Praia de Piedade, em Magé.

ACADEMIA BRASILEIRA DA TROVA,
RIO DE JANEIRO, 1997
1997 – Em 14 de Outubro de 1997, Clério José Borges recebe Carta da Escrito-ra Adelir Machado, Secretária Geral da ABT Academia Brasileira da Trova informando ter recebido o livro “Alvor Poético” e o Curriculum Vitae, almejando ser um dos membros da ABT. Pede seja feito um requerimento ao Presidente da ABT, infor-mando prazos para a remessa do material. Junto três Trovas:
Clério Borges – meu confrade. / Juro ao bom Deus que nos vê: / Sua presen-ça e amizade / honrarão nossa ABT.
Um membro correspondente / do seu estro e fidalguia, / será um elo esplen-dente / para nossa Academia.
É sincero este recado / e ao coração traz encantos. / Juram Adelir Machado / e Antônio Bispo dos Santos.

CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA DA SERRA
1997 – Clério José Borges de Sant Anna atuou como Conselheiro Titular da Câmara de Literatura do Conselho Municipal de Cultura da Serra, de 24/09/1997 a 20/07/2012, ou seja, 14 anos, 09 meses e vinte dias. O Conselho Municipal de Cul-tura da Serra, CMCS, foi criado pela Lei N.º 1937, de 17 de dezembro de 1996, constituído de um Plenário, Sete Câmaras permanentes e Comissões instituídas por tempo determinado para o desempenho de tarefas específicas. Clério José Borges foi nomeado pelo Decreto 9905/97, de 24 de setembro de 1997, para compor o primeiro Conselho, como Conselheiro Titular da Área de Literatura, ficando como Suplente o Escritor Valdemir Ribeiro Azeredo. A lei que instituiu o Conselho de Cultu-ra da Serra foi de autoria da então Vereadora Márcia Lamas e foi sancionada pelo Prefeito da Serra da época, João Baptista da Motta.

LANÇAMENTO DO LIVRO HISTÓRIA DA SERRA
1998 – ‘‘HISTÓRIA DA SERRA’’ – A VERDADEIRA HISTÓRIA DA COLONIZAÇÃO DA SERRA, Munícipio do Estado do Espírito Santo. Edição publicada, em 1998. O lançamento foi realizado com mais de 1.000 pessoas presentes, na Sede do Serra Futebol Clube, com a presença da Banda de Música, ‘‘Estrela dos Artistas’’ e da Banda de Congo ‘‘Konshaça’’. Eleito o melhor livro do ano de 1998.

O Jornal A Tribuna em seu Caderno de Variedades intitulado AT2 notícia o lan-çamento do Livro História da Serra no dia 11 de junho de 1998, durante o 18º Se-minário Nacional da Trova, realizado no Hotel Costa Mar, na Praia da Costa em Vila Velha, ES. O título da reportagem é “Serra conta sua história – Livro que será lança-do durante o Seminário Nacional da Trova decifra mistérios da história da Serra”.

LIVRO HISTÓRIA DA SERRA EM A GAZETA.
1998 – O Jornal A Gazeta, de 09 de dezembro de 1998 traz extensa reporta-gem sobre o Livro História da Serra em sua página 4 do Caderno de Turismo. O título da reportagem é “Pesquisador repensa a história da Serra”.
A matéria destaca as pesquisas realizadas na Biblioteca Nacional do Rio de Ja-neiro, no Colégio São Luiz, em São Paulo e na Biblioteca Pública Estadual, em Vitó-ria, onde em documentos antigos, deram a base para rever estudos de outros his-toriadores, concluindo que o fundador da Serra foi o Padre Jesuíta Braz Loureço e não Lourenço Braz, conforme Serafim Leite em “A Companhia de Jesus no Brasil”, que lista todos os Jesuítas que chegaram ao Brasil na época da Colonização.

HISTÓRIA DA SERRA NO JORNAL TEMPO NOVO
1999 – No dia 30 de janeiro de 1999, a premiação de Clério José Borges foi destaque no Jornal Tempo Novo com o título “Livro História da Serra é eleito o me-lhor de 98 no gênero prosa”.

NOME DE CLÉRIO NA COLUNA DE MARCELLO FURTADO.
1999 – Marcello Furtado, colunista do Jornal Tempo Novo em sua coluna de 13 de março de 1999 relata sobre os limites interdistritais da Serra com suas respec-tivas e atuais designações. Informa que alguns profissionais ao elaborarem o proje-to Encontro das Águas sobre a foz do Rio Jacaraípe no Oceano Atlântico. Sugere que sejam lidas as páginas 182, 183 e 184 do livro História da Serra do Acadêmico Clério Borges, que só custa R$ 15,00, “que ajudaria muita gente a conhecer e res-peitar a Serra e ao Clério Borges a ganhar alguns trocados”.

ARTIGO DE ENO TEODORO WANKE NO JORNAL A TRIBUNA.
1999 – No dia 09 de maio de 1999, um Domingo, o Jornal A Tribuna de Vitória publica na página Tribuna Livre, um Artigo do Escritor Eno Teodoro Wanke sobre o Livro História da Serra, de Clério José Borges, com o título, “A História da Serra por Clério Borges”. No final consta, “está de parabéns não só o autor dessa excelente narrativa, como também o município da Serra, o Estado do Espírito Santo e – por que não? – o Brasil inteiro, especificamente os leitores, que tanto têm a aprender com o resultado das pesquisas do historiador”.

HISTÓRIA DA SERRA, MELHOR LIVRO DO ANO.
MELHOR PUBLICAÇÃO NO GÊNERO PROSA NO BRASIL
1999 – A obra “História da Serra”, de Clério José Borges em sua 1ª Edição foi eleita como a Melhor publicação de 1998, no gênero prosa no Brasil. A cerimônia oficial de premiação foi realizada em abril de 1999, em solenidade presidida pela professora e Acadêmica, Maria Aparecida de Mello Calandra, IWA, Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, na cidade de Mogi das Cruzes – São Paulo. O livro conta a Saga dos Índios Temiminós e a Colonização da Cidade da Serra, no Estado do Espírito Santo.
A solenidade de premiação ocorreu no dia 08 de maio de 1999, no Teatro Mu-nicipal Paschoal Carlos Magno, localizado no Centro Histórico da Cidade de Mogi das Cruzes, no Estado de São Paulo.
Em carta de Mogi das Cruzes, datada de 20 de janeiro de 1999, a Prof.ª Maria Aparecida de Mello Calandra, Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, comunica que o Livro “História da Serra” foi eleito um dos Melhores Livros do ano de 1998: “Por meio desta vimos parabenizar Vossa Excelência pela expressiva vota-ção popular conquistada na eleição de “Os Melhores de 1998.” Aproveitamos o ensejo para informar a Vossa Excelência que a obra intitulada “História da Serra” foi eleita como um dos melhores livros de 1998, em Prosa e ativista cultural. A cerimô-nia oficial de premiação dar-se-á em local e dia a serem determinados no mês de abril de 1999. A cerimônia oficial de premiação foi realizada em abril de 1999, em solenidade presidida pela professora e Acadêmica, Maria Aparecida de Mello Calan-dra, IWA, Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, na cidade de Mogi das Cruzes – São Paulo”.

LIVRO HISTÓRIA DA SERRA RECEBE
VOTO DE CONGRATULAÇÕES DA CÂMARA MUNICIPAL
1999 – Ofício GP 037/99-CMS, datado de Serra (ES), 19 de abril de 1999. Pre-zado Senhor, atendendo ao que foi pleiteado pelo Vereador Nacib Haddad Netto, em Sessão Ordinária deste Legislativo, vimos informar que, foi requerido e consig-nado em Ata, datada do dia 22/02/99, um “Voto de Congratulações” para com o Senhor Clério Borges de Sant Anna pelo seu brilhante livro “História da Serra”. Assi-nado João Luiz Teixeira Corrêa, Presidente.

TEXTO DE EUCLYDES PORTO CAMPOS,
ESCRITOR DE MOGI DAS CRUZES, SÃO PAULO
1999 – O Boletim Informativo da Sociedade de Cultura Latina do Brasil de 1999 traz em sua página 06 um comentário do Historiador Euclydes Porto Campos resi-dente em Mogi das Cruzes, no estado de São Paulo sobre o Livro História da Serra de Clério José Borges. Ao final conclui ser a obra, “aconselhada a estudantes de História”.

HISTÓRIA DA SERRA NO JORNAL A GAZETA
1999 – O Jornal A Gazeta em sua edição de 03 de fevereiro de 1999, na Colu-na Victor Hugo, traz um comentário com o título Premiado. Consta do texto: “O livro História da Serra, de autoria do Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, Clério Borges, ganhou o primeiro lugar como o melhor livro de 1998, no gênero prosa. A premiação foi comunicada pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil. A obra narra a história dos Índios de Maracajaguaçu, que saíram da Ilha de Parana-puã, atual Ilha do Governador, no RJ, e fundaram, em 1556, a aldeia de Nossa Se-nhora da Conceição, atual sede da Serra”.

1999, PALESTRA DOS 150 ANOS DA REVOLTA DOS QUEIMADO.
1999 – No dia 19 de março de 1999, no horário de 14 horas, Clério José Bor-ges participou de um Seminário durante um Programa Comemorativo do Sesquicen-tenário da Insurreição dos Escravos do Queimado, no Centro de Treinamento de Carapina.
Consta do folheto de divulgação: “Seminário: A Insurreição do Queimado e o Legado dos Escravos”. Apresentação do Histórico do Queimado por Clério José Borges de Sant Anna. Palestrantes: Prof. Manolo Florentino (UFRJ); Prof.ª Inalcyra Santos (Unicamp-SP); Prof. Joaquim Beato; Secretária de Justiça e Cidadania de Vi-tória, Miriam Cardoso e José Levindo (Federação Espírita – ES). Coordenação: As-sociação Afro-cultural Brasileira “Ibó de Zambi”.

SEMINÁRIO, SERRA EM DEBATE E CLÉRIO
FAZ PALESTRA SOBRE LITERATURA POPULAR
1999 – A Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS realizou nos dias 17, 18 e 19 de junho de 1999, o 1º Seminário, Serra em Debate – História e Cultura, no Centro de Treinamento de Carapina, com o objetivo de promover uma discussão popular sobre a história do Município, a partir das mais diversas manifestações cul-turais e artísticas que marcaram a formação da população, bem como discutir as políticas públicas de preservação dos valores históricos.
A organização do evento foi da Presidente da ALEAS, Sandra Gomes e Clério José Borges proferiu palestra sobre Literatura Popular. Entre os palestrantes, De-sembargador Antônio José Miguel Feu Rosa, Aurélio Carlos; Eliomar Mazoco; Mar-cello Furtado e prof. Francisco Aurélio.

MORTE DO MESTRE ANTÔNIO ROSA.
1999 – Dia 03 de Agosto de 1999. Mestre Antônio Rosa falece na Serra Sede. Notícia sobre as homenagens ao Mestre Antônio Rosa foram destaques no Jornal A Gazeta de 07 de agosto de 1999. Os Trovadores do CTC, presidido por Clério José Borges externam sentimentos de pesar junto aos familiares.

PALESTRA EM JARDIM TROPICAL
1999 – No dia 25 de outubro de 1999, Clério José Borges, participa do Projeto intitulado “Viagem Pelo Conhecimento” da Escola de 1º Grau Prof. Luiz Baptista de Jardim Tropical, Serra – ES, onde profere palestra sobre a História da Serra, cidade da Grande Vitória, ES, a Convite da pedagoga, Therezinha Alves Pereira.

PALESTRA LITERATURA POPULAR EM VITÓRIA, ES
1999 – No dia 23 de agosto de 1999, Clério José Borges proferiu Palestra com o tema, Literatura Popular, Lendas e Folclore da Serra/ES, na Sala de Vídeo do Cen-tro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo (Escola Técnica Federal), localizado no bairro de Jucutuquara em Vitória, ES.

PALESTRA EM NOVA ALMEIDA
2003 – No dia 14 de agosto de 2003 – A empresária e poeta Shirley Aragão, Clério José Borges, a Diretora Lúcia Helena de Mattos Soeira e Zenaide Thomes, participaram de um evento na Escola “Virgínio Pereira”, no balneário de Nova Almei-da, ES. A palestra de Clério José Borges teve o tema: “Trovas” e “História da Ser-ra”.

CLÉRIO PARTICIPA COMO ATOR DO FILME SOBRE
A REVOLTA DOS NEGROS ESCRAVOS DO QUEIMADO
2004 – Domingo, dia 14 de março de 2004, positivamente foi um dia diferente. A convite do cineasta João Coutinho participei das filmagens do Curta sobre a Insur-reição do Queimado. Cheguei por volta das 10 horas da manhã. Mais de 60 pessoas já estavam aglomeradas nas proximidades da Igreja São João Batista. A capela construída em 1584, foi reconstruída em 1996, sendo reinaugurada em 05 de maio de 1996. Localizada distante do núcleo habitacional, transformou-se no local ideal para as filmagens de um fato histórico, iniciado no dia 19 de março de 1849, quan-do o Distrito do Queimado, na Serra, foi palco de uma Revolta de Negros Escravos.
Logo, Maria Martha, assistente do Diretor João, forneceu-me um colete espe-cial, confeccionado nos moldes dos usados em 1849. Enquanto a equipe técnica se preparava para as primeiras filmagens, grande parte do elenco aguardavam o início das filmagens. Uns decoravam textos. Outros tinham as roupas ajustadas e alguns eram maquiados por Jota Jota e uma auxiliar. Uma grande festa.
Logo uma reunião com o Diretor João e um auxiliar e, em seguida todos se-guiram por um pequeno caminho, mato a dentro, para as filmagens de uma procis-são. Cantando um hino religioso, a procissão tinha como destino a Igreja de São José do Queimado. A cena foi repetida por cerca de três vezes e o Diretor do alto de uma Grua e, depois em terra firme, fazia as filmagens do elenco. Participei da procissão.
Após alguns minutos, aproveitados para um lanche, seguimos para as cenas dentro da Capela de São João Batista. Cenas da procissão entrando na Igreja e de-pois tomadas da celebração. No momento em que o Frei Gregório Maria de Bene realizava a consagração, os negros escravos invadiram a Igreja exigindo a Alforria, a liberdade. As cenas foram bem dirigidas e a maior parte do elenco assustou-se com a invasão repentina dos negros, com suas espingardas.
De imediato, há um diálogo entre Chico Prego, Elisiário e o Frei Italiano Gregó-rio De Bene e logo depois, um do Coronéis, interpretado por Jeremias Hilário dos Santos, (57 anos), grita: “Fecha as Portas!!!”.
Clério José Borges, na figura do Coronel Manoel Oliveira responde: “Não. Não feche…O que estes negros vão pensar de nós?! Que somos covardes?!!! Se vocês fecharem as portas, eles vão criar muito mais coragem para nos enfrentarem!!!. Foi a minha primeira interpretação como ator. Uma Glória. Mas pensam que foi fácil!!! Ledo engano. Na primeira vez errei a última frase. Na segunda também. Na terceira esqueci o final e improvisei e depois a coisa foi fluindo normalmente e no final tudo deu certo. Ah!!! Teve até gente que veio me cumprimentar pela interpretação. Não sabe eles que na verdade, eu estava nervoso e apreensivo de fazer vexame na frente de todo mundo. Pagar mico, como dizem os mais jovens. Só me acalmei mesmo, quando percebi que os erros são comuns e outros atores, também esta-vam errando o texto. Que alívio!!!
Nas filmagens no interior da Igreja duas cenas foram bem significativas. Nu-ma, meu amigo Aurélio Carlos, na figura de um dos negros revoltosos avançou para mim e tentou me sufocar com as mãos. Agarrou firme no pescoço e não queria largar de jeito nenhum. O Diretor João, não sei se por sacanagem ou para dar rea-lismo a cena, gritou para Aurélio: “Avança no Clério”. E, ele foi mesmo. Eu, tive que sofrer, com as mãos fortes do Aurélio no meu pescoço. Eu estava querendo cola-borar e fazer a cena com realismo. Depois um auxiliar do Diretor, o Mark acabou falando para o Aurélio ficar calmo e não me agarrar. Outro detalhe foi que o perso-nagem Escravo Manoel, interpretado pelo Ator João Vita (24 anos), com uma Es-pingarda de dois canos nas mãos colocava a mesma no meu nariz e eu não podia me mexer pois era o “Coronel” que enfrentava os negros.
OS ATORES: Frei Gregório Maria de Bene, interpretado pelo Ator, Edson Ferrei-ra, 38 anos. Nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais. Ator desde os 12 anos de idade. Já trabalhou na Rede Globo de Televisão onde fez a novela “Madona de Cedro”.
A atriz capixaba, Verônica Gomes, (de roupa preta), interpretou Donana. O Negro Chefe da Revolução junto com Chico Prego, Elisiário foi interpretado pelo ator Everaldo Nascimento (44 anos, nascido em Vitória, ES). Chico Prego foi vivido pelo ator Ederaldo dos Santos Monteiro Júnior (26 anos. Nasceu em Campos, RJ). O escravo Manoel que com sua Espingarda amedrontava acintosamente o Coronel Manoel Oliveira (Clério José Borges), foi vivido por João Vita, ator de 24 anos, tra-balhando há 10 anos como artista.
OS CORONÉIS: Os Coronéis foram interpretados por: Jeremias Hilário dos Santos (57 anos, nascido em Aracruz, ES); Carlos Rogério do Nascimento (52 anos, nascido em Afonso Cláudio, ES); José Borghete; José Soares de Almeida Neto (49 anos, nascido em São Manoel do Mutum, MG); Sinvaldo Vieira de Menezes, (53 anos, nascido em Ecoporanga, ES), faz parte da Comunidade Católica São João Batista de Carapina Grande; Raulino da França (76 anos. Nasceu em Colatina, ES e reside em Carapina Grande). Faz parte da Comunidade Católica São João Batista de Carapina Grande; José Lúcio Paulino (43 anos, nasceu em Nova Venécia, ES); Edi-valdo Sartório Vailandt (43 anos, nascido em Rio Bananal, ES); José Eduardo Dias Gomes (22 anos, nascido em Vitória, ES); O conhecido Jota Jota, cujo nome verda-deiro é José de Jesus, (37 anos. Nascido em Mantenópolis, ES). Coronel Manoel Oliveira, interpretado por Clério José Borges (53 anos, nascido em Aribiri, Vila Velha, ES).
AS ESPOSAS DOS CORONÉIS. Apenas alguns nomes foram anotados: Letre Masioli dos Santos (É poetisa e Trovadora); Rita de Cássia Sodré. Nasceu em Res-plendor, Minas Gerais e reside no bairro São Marcos, Serra, ES. Foi convidada por Maria Martha para participar das filmagens. Na procissão aparece de braços dados com Clério José Borges (Coronel Manoel Oliveira); Gerusa Dias Gomes (58 anos, nascida em Vitória, ES); Lourência Riani, ex-vereadora e membro atuante da Comu-nidade de Carapina Grande e, nas filmagens aparece com uma menina de colo.
OS NEGROS ESCRAVOS. Como negros escravos, participaram os integrantes do Grupo de Capoeira, com 19 componentes, denominado “Associação de Capoeira Raiz do Força”, de Parque Residencial Laranjeiras, sob a direção do Mestre Faísca (Walter Silva Santos, 33 anos, nascido em Camacã, Bahia); Aurélio Carlos Marques de Moura. Presidente do Conselho Municipal de Cultura da Serra. Membro da Aca-demia de Letras e Artes da Serra. Jornalista. Fotógrafo. Teve uma participação es-pecial como um dos negros que invadiram a Igreja de São José.
HISTÓRIA. Localizado a cerca de 25 km de Vitória, o sítio histórico de Quei-mado foi palco do principal movimento contra a escravidão no Espírito Santo: a Insurreição de Queimado.
Em 19 de março de 1849, escravos da localidade de São José do Queimado, hoje distrito de Queimado, se revoltaram por causa de uma promessa do frei italia-no Gregório José Maria de Bene: se os escravos construíssem a igreja de São José, teriam alforria, mas isso não aconteceu.
Mais de 300 homens, mulheres e até crianças participaram desta rebelião capi-taneada por Chico Prego, João da Viúva, Elisiário e muitos outros líderes que articu-laram seu povo para tomar a liberdade com as próprias mãos.
A insurreição foi um movimento tão forte que, para contê-la, foram necessá-rias forças vindas do estado do Rio de Janeiro, além das capixabas.
Os rebelados foram presos e julgados, cinco deles condenados à morte.
Um dos líderes da revolta, Elisiário, escapou da cadeia e refugiou-se nas ma-tas do Morro do Mestre Álvaro e nunca mais foi recapturado. Chico Prego foi captu-rado e enforcado, em 11 de janeiro de 1850.

PALESTRA EM SERRA DOURADA III
2004 – No dia 2 de setembro de 2004 – Atendendo a Convite da Direção da Es-cola, o Escritor Clério José Borges esteve no Colégio Proudhon, no bairro de Serra Dourada Três, Serra, ES, onde proferiu palestra para os estudantes, com o tema “História da Serra”. O Colégio Proudhon fica localizado na Rua Siriri, 5 – Serra Doura-da III, Serra – ES.

MEDALHA CHICO PREGO
2004 – Na Décima Sétima Sessão Solene da Segunda Sessão Legislativa, reali-zada no dia 19 de março de 2004, sob a presidência do Deputado Cláudio Vereza recebeu, das mãos do Sr. Wilson Haese, a MEDALHA CHICO PREGO, nos festejos comemorativos aos 155 anos da Insurreição do Queimado, por indicação do então Deputado Luiz Carlos Moreira.

SENADOR DA CULTURA
2004 – O Congresso da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, entidade sem fins lucrativos, confere o título de Senador da Cultura pelo Estado do Espírito Santo a Clério José Borges de Sant Anna pelos relevantes serviços prestados a Cultura Brasileira. O Diploma recebido por Clério Borges é datado de 11 de maio de 2004, assinado pela Presidente do Congresso da S. C. L. – Brasil, Acadêmica Maria Apare-cida de Mello Calandra e pelo Professor Euclydes Porto Campos, Presidente do Con-selho do Congresso da S. C. L. Brasil.

POLÍCIA CIVIL MEDALHA DE PRATA
FOI RECEBIDA EM 2005
2005 – No dia 26 de junho de 2005, em solenidade realizada no Cerimonial La-go da Guarda, em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo, a Polícia Civil Capixa-ba homenageou diversos Policiais Civis que ao longo do seu trabalho na Polícia não tiveram faltas e nem punição. Clério que já recebera a Medalha de Bronze em 1986, recebeu agora em 2005, a Medalha de Prata. Diversas autoridade participaram da Solenidade. Além do Prefeito de Vitória, João Coser e do Presidente da Câmara Mu-nicipal da Serra, Adir Paiva, estavam presentes Diretores da Aracruz Celulose e di-versas empresas do Estado que foram também homenageados, junto com vários Policiais.
O Jornal do SINDIPOL, Sindicato dos Policiais Civis, em 2011, publica uma no-tícia onde destaca as atividades culturais de Clério José Borges: “Seja no esporte, na música e nas artes de um modo geral, policiais civis do Espírito Santo se destacam nos mais diversos gêneros. Na literatura, três policiais são referências nas produ-ções literárias: os escrivães de Polícia Clério José Borges e Pedro José Nunes e o investigador Luiz Stênio da Silva. Demonstrando um nível de maturidade no trata-mento aos seus associados e aos demais policiais, a atual Diretoria do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES) apoia iniciativas culturais: Temos imenso orgulho de ter no quadro de sindicalizados policiais civis que se destacam nas produções literárias. Aproveitamos o ensejo para convidar toda a categoria a prestigiar o lançamento do livro ‘Serra colonização de uma cida-de’ do escrivão de policial civil aposentado Clério José Borges. Prontamente, reite-ramos o convite para ao lançamento do Livro ‘A Última Noite’, do também escrivão Pedro José Nunes e parabenizamos o investigador Luiz Stênio da Silva (Stênio Be-nitz) pelo sucesso de sua obra já publicada”, disse o presidente do Sindipol, Jorge Emílio Leal.
Continua a reportagem: Historiador, escritor, poeta e policial civil. Essas e ou-tras inúmeras qualidades podem ser atribuídas ao escrivão Clério José Borges. Nas-cido no dia 15 de setembro de 1950, no bairro Aribiri, em Vila Velha, Clério Borges obteve uma carreira de grande sucesso. Atuando na área da segurança pública es-tadual, exerceu o cargo de escrivão de Polícia Civil durante 35 anos, onde foi premi-ado com inúmeras medalhas devido à excelência nos serviços prestados em prol da sociedade capixaba. Durante sua vitoriosa carreira policial. (…) O sucesso em sua carreira se estende à literatura. Fundador da Academia de Letras e Artes da Serra, do Clube de Trovadores Capixabas e membro do Instituto Geográfico e Histórico do Espírito Santo, Clério Borges possui ainda em seu currículo a produção de inúmeras obras, como os livros: “Trovadores dos Seminários da Trova”; “Trovas Capixabas”; “História da Serra” e “Alvor Poético”. Atuando como escritor, foi contemplado com importantes homenagens, como a medalha de mérito cultural “Afonso Pena” e o título de acadêmico imortal, ambos concedidos durante cerimônia em Belo Horizon-te, presidida pelo Dr. Mário Carabajal, presidente fundador da Academia de Letras do Brasil.

PALESTRA NA BIBLIOTECA DE VALPARAÍSO
2005 – No dia 24 de agosto de 2005, Clério José Borges a convite da Bibliote-cária Elza Amado proferiu palestra no Auditório da Biblioteca de Valparaíso. Partici-pação de alunos das Escolas locais e de Clério José Borges, Pedro Repentista Ceará, Cleusa Madureira Vidal, João de Deus Corrêa, o Vereador Tio João e Moacir Mala-carne.

COLÉGIO LINUS PAULING DE JACARAÍPE
2005 – A convite do professor de Geografia, Nourival Cardoso Junior, o Escri-tor Clério José Borges proferiu palestra no mês de setembro, no Colégio “Linus Pau-ling”, do balneário de Jacaraípe, sobre “História da Serra”.

COLÉGIO SÃO JOSÉ DE VILA VELHA
2005 – No dia 23/09/2005, Poetas Trovadores do CTC – Clube dos Trovadores Capixabas, participaram de um grande evento na Biblioteca do Colégio São José foi a XIII Feira do Livro. Participação de Clério José Borges falando sobre Trovas, Pro-fessora Valsema Rodrigues falando sobre Poesia; Cleusa Madureira Vidal com de-clamações e Pedro Repentista Ceará fazendo Repentes.

PALESTRA NA ESCOLA BELMIRO TEIXEIRA PIMENTA
2005 – No dia 09 de dezembro de 2005 – O Escritor Clério José Borges proferiu palestra, na Escola Belmiro Teixeira Pimenta, localizada no bairro Eurico Salles, Ca-rapina, Serra, ES, com o tema “História da Serra”, dentro da III Mostra Cultural. Organizado por professores daquela Escola.

CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES
2005 – A Prefeitura da Serra, por meio da Subsecretaria Pedagógica da Secre-taria Municipal de Educação promove anualmente Curso de Formação para profes-sores do Município que complementam assim sua formação recebendo ao final um certificado emitido pelo Centro de Formação “Professor Pedro Valadão Perez.” A convite da Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura da Serra, Clério José Bor-ges proferiu em maio de 2005 uma palestra sobre História da Serra e sobre Trova-dorismo para os professores das Escolas do Município.

COMENDA CHICO PREGO
2006 – No dia 30 de março de 2006, em Sessão Solene comemorativa aos 157 anos de Aniversário da Insurreição do Queimado, a Assembléia Legislativa do Esta-do do Espírito Santo em Sessão presidida pelo Deputado Estadual Gilson Gomes concedeu a Medalha Chico Prego a várias Personalidades Culturais, entre as quais Jenésio Jacob Kuster, o Tute; Teodorico Boa Morte e o poeta Trovador, Clério José Borges.

PALESTRA EM VILA NOVA DE COLARES
2007 – No dia 05 de setembro de 2007, o Escritor Clério José Borges esteve no bairro Vila Nova de Colares, Feu Rosa, Serra, ES, onde proferiu Palestra para os alunos da Escola Alba Maria Miranda, convidado pela Profa. EDNA.

COMENDA DO MÉRITO DA REVOLTA DO QUEIMADO
No dia 19 de março de 2007, o plenário da Câmara Municipal da Serra foi pal-co da homenagem aos 158 anos da Revolta dos Negros Escravos do Distrito do Queimado, Serra, ES. Na ocasião o Escritor Clério José Borges recebeu a Comenda do Mérito da Revolta do Queimado, através de indicação do então Vereador, João de Deus Corrêa, o Tio João.

CLÉRIO RECEBE VISITA DO JOVENS DO JOCUM
2009 – No dia 30 de julho de 2009, Clério José Borges recebe em sua casa, na Rua dos Pombos, 2 Eurico Salles a visita de jovens do JOCUM – Jovens com uma Missão, do bairro Flexal Dois do Município de Cariacica. Presença da Jornalista Fabi-ana Tostes e da jovem Oxaene Oliveira. Clério fala sobre a Lenda do Pássaro de Fogo entre o Monte Mochuara (Moxuara) em Cariacica e a Montanha do Mestre Álvaro da Serra. Clério fala ainda sobre Trovas e Trovadores.
A JOCUM – Jovens Com Uma Missão é um movimento internacional de cris-tãos de várias denominações dedicadas a apresentar Jesus pessoalmente, a esta geração, utilizando todas as formas possíveis para cumprir essa tarefa, treinando e equipando jovens para realizarem a Grande Comissão. Como cidadãos do Reino de Deus, somos chamados para amar, adorar, e obedecer ao Senhor Jesus Cristo, amando e servindo Seu Corpo – a Igreja – e levando Seus ensinos a todos da Ter-ra. Hoje, a JOCUM está em mais de 180 países e conta com cerda de 18.000 obrei-ros de tempo integral, distribuídos em vários ministérios.

CLÉRIO VISITA A ESCOLA FLOR DE CACTUS
2009 – No dia 06 de agosto de 2009, Clério José Borges visita a Escola Flor de Cactus, de Feu Rosa, na Serra onde profere palestra sobre História da Serra. A Es-cola Municipal de Ensino Fundamental Flor de Cactus fica localizada no bairro de Feu Rosa no Município da Serra. Clério acaba sendo apresentado pela Secretaria Munici-pal de Educação, Márcia Lamas em visita a Escola no dia da palestra.

CLÉRIO RECEBE A VISITA DE ALUNOS DA ESCOLA BEIJA-FLOR
2009 – No dia 09 de novembro de 2009, Clério José Borges recebe a visita dos alunos da Escola Beija Flor, de Eurico Salles, Serra, ES. Assunto: A Arte da Cria-ção Literária. A entrevista foi na Rua dos Pombos, (Casa do Clério) e participaram da conversa os alunos: Luan Gomes Neumam; Luana Sperandio Cott; Fernando de Freitas Garcia; Professora Luciana Gomes Covre; Letícia Moneche Gandini e Jhuly Lourenço de Paula.

PALESTRA DE CLÉRIO JOSÉ BORGES NO CRAS DE LARANJEIRAS
2009 – No dia 12 de novembro de 2009 a convite da professora Patrícia Nan-tes e do estudante Rafael Rodrigues Modesto, foi realizado no CRAS, Centro Regio-nal de Assistência Social, em Laranjeiras, uma Palestra de Clério sobre “História da Serra”.

CLÉRIO BORGES VISITA O CDDH E
FALA SOBRE CONSELHO DE CULTURA
2009 – No dia 18 de novembro de 2009, Clério José Borges visita as instala-ções do CDDH – Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra, localizado no bairro Rosário de Fátima em Carapina e ali fala sobre Conselho Municipal de Cultura.

CLÉRIO VISITA ESCOLA DE NOVA ROSA DA PENHA
2009 – No dia 01 de dezembro de 2009, no Dia da Leitura, Clério José Borges à convite do professor Michel Dal Col Costa participou do Festival de Leitura das Escolas da Rede Estadual, organizado com objetivo de incentivar à Leitura, tendo realizado uma palestra pela manhã, no pátio da Escola Zaíra Manhães de Andrade, de Nova Rosa da Penha, Cariacica, ES.
No mesmo dia 01/12/2009, no período noturno Clério, a convite da Pedagoga Cristiane Ribeiro e da Diretora Ledimar Ramos realiza Palestra comemorativa ao Dia da Leitura, na Escola Antônio Engrácio da Silva, do bairro de Feu Rosa, Serra, ES.

TROFÉU CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
ITABIRA MINAS GERAIS
2010 – No dia 5 de junho de 2010, Clério José Borges recebe o Troféu Carlos Drummond de Andrade, na Cidade de Itabira, MG, como Personalidade Cultural de Destaque de 2010 em evento promovido pela Félix Cerimonial, através do Jornalista Eustáquio Lúcio Felix. Clério recebeu o troféu do então Prefeito Municipal de Itabira, Minas Gerais, João Izael Querino Coelho.

ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL – BELO HORIZONTE, MG
2011 – No dia 23 de Agosto de 2011, em solenidade realizada na sede do Insti-tuto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, na Rua Guadalajara, 1268, (sobreloja), Belo Horizonte, presidida pelo Dr. Mário Carabajal, Presidente Nacional Fundador da ALB – Academia de Letras do Brasil e com a coordenação geral da Acadêmica Sílvia de Lourdes Araújo Motta, Escritora, Poeta, Doutora em Filosofia Universal, Cadeira 2 (dois) de Minas Gerais, Presidente “pro tempore” da ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL-ALB de MINAS GERAIS, Clério José Borges recebeu a Medalha do Mérito Cultural AFONSO PENA e foi empossado como Acadêmico Imortal, seguidor de Pla-tão.

TROFÉU PEDRO ALEIXO 2012, RECEBIDO
NA CIDADE DE ITABIRA, MG
2012 – O Escritor Capixaba Clério José Borges é homenageado em Itabira Mi-nas Gerais. O Escritor Capixaba Clério José Borges foi eleito Personalidade Brasileira Notável do ano e foi agraciado no dia 10 de março de 2012, no palco do salão de festas da ATIVA, na cidade de Itabira, Minas Gerais, com o Troféu Pedro Aleixo, honraria que é outorgada aqueles que se destacaram no cenário mineiro e brasileiro por sua coragem e, sobretudo pela capacidade de modificar o universo social, polí-tico, cultural e profissional que os rodeia, com sua sensibilidade e sua visão pessoal de mundo.
A festa de premiação foi organizada pelo Sr. Eustáquio Lúcio Félix – Jornalista e diretor da Félix Eventos e Cerimonial, por indicação da Jornalista e Escritora Léa Lu, residente em Contagem, Minas Gerais e o Escritor Clério José Borges, vice pre-sidente do Conselho Municipal de Cultura da Serra e vice presidente da Academia de Letras e Artes da Serra e presidente do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas esteve presente e participou da 12ª edição da entrega do Troféu Pedro Aleixo, con-siderado um grandioso evento sócio cultural e empresarial do País.

PALESTRAS NO ESTADO DA PARAÍBA, NORDESTE DO BRASIL
2012 – No período de 19 a 20 de abril a convite do Escritor Ricardo Bezerra, Clério José Borges e Zenaide Emília Thomes Borges visitam o Estado da Paraíba. Clério José Borges participa em João Pessoa na Paraíba, como Convidado Especial, do II Encontro de Escritores da UBE Paraíba, tendo promovido o lançamento do livro de sua autoria, Dicionário Regional de Gírias e Jargões, editado pela Prefeitura da Serra, com recursos da Lei Chico Prego, Arcelor Mittal e Magnesita, bem como proferiu palestra sobre Leis de Incentivo à Cultura e na Câmara Municipal de Sapé, “Casa de Augusto dos Anjos e plenário Severino Damião da Silva”, localizada na Avenida Getúlio Vargas, foi realizada uma Sessão Solene Especial comemorativa ao Centenário do Livro Eu e aos 128 anos de nascimento de Augusto dos Anjos, presi-dida pelo Vereador, Juciê Guarabira.
A mesa que presidiu a solenidade na Câmara de Vereadores de Sapé, Paraíba foi composta ainda pelo Presidente da UBE/Paraíba, Ricardo Bezerra e pela Profa. Maria do Socorro Silva de Aragão, da UFPB, Universidade Federal da Paraíba e Aca-demia de Letras e Artes do Nordeste, ALANE-PB. Durante a solenidade fizeram uso da palavra, a Escritora Marinalva Freire da Silva que fez uma rápida análise da obra de Augusto dos Anjos e falou da tradução que ela havia feito para o Espanhol do Livro Eu (Yo) e o Escritor Clério José Borges, da Cidade da Serra, ES, que além de falar da Poesia de Augusto dos Anjos declamou alguns de seus poemas, entre os quais, “Versos Íntimos”.
No Encontro dos Escritores realizado de 19 a 21 de abril de 2012, pelo Presi-dente da UBR/PB, Ricardo Bezerra, Clério e Zenaide conheceram o Cantor e Compo-sitor Chico César, na ocasião, Secretário Estadual de Cultura da Paraíba.
No dia 19 de Abril de 2012, a convite do Presidente da UBE – União Brasileira de Escritores da Paraíba, Escritor Ricardo Bezerra, o Escritor Capixaba Clério José Borges, que representava o Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, a Academia de Letras e Artes da Serra e o Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC, proferiu Palestra no recinto da Câmara Municipal da Cidade de Sapé, a cerca de 100km da Capital João Pessoa, no Estado da Paraíba, em Sessão presidida pelo Vereador, Juciê Guarabira, com o título “Saudação Capixaba ao Poeta Maior Augus-to dos Anjos”.
Já no dia 20 de abril, sexta feira, à tarde, no Encontro de Escritores da União Brasileira de Escritores da Paraíba, realizado na Fundação Espaço Cultural da Paraíba José Lins do Rêgo (Funesc), em João Pessoa, Clério José Borges proferiu Palestra no Auditório Verde com o tema, “Incentivo a Produção Literária”.

PROJETO CAFÉ, PROSA E POESIA
PALESTRA NO CDP DO QUEIMADO
2012 – No dia 19 de junho de 2012, os Escritores Albércio Nunes Vieira Macha-do, Teodorico Boamorte e Clério José Borges estiveram no CDP do Queimado, inaugurado no dia 13 de agosto de 2009, onde proferiram Palestra sobre Poesia, Trova e Literatura de Cordel, para os internos daquela Unidade Prisional. O Poeta Trovador e Escritor Clério José Borges, autor do Livro História da Serra aproveitou para falar sobre a colonização da Cidade da Serra, com a chegada dos Índios Te-miminós de Maracajaguaçu e Araribóia no Espírito Santo vindo da Ilha de Parana-puã, a atual Ilha do Governador na baía de Guanabara.
O evento denominado Café, Prosa e Poesia teve a coordenação de Elza Maria Amado Barcelos, do Sistema Municipal de Bibliotecas, da Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer e Coordenação Geral de Belarina Franzini da Secretaria de Promoção Social da Prefeitura da Serra.
O evento teve o apoio do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC e da Academia de Letras e Artes da Serra, através da participação do Vice-Presidente Clério José Borges. O evento contou no final com a presença do Diretor do Centro de Detenção Provisória, CDP, que enalteceu o trabalho cultural realizado informando que a atividade teve por objetivo resgatar a dignidade, cidadania e autoestima dos internos, possibilitando seu crescimento pessoal e facilitando a reintegração social, com uma melhor qualidade de vida e diminuindo a ociosidade. No final do evento houve uma confraternização com doces, quitutes e sucos oferecidos pela Coorde-nadora do Sistema de Bibliotecas da Serra, Elza Maria Amado Barcelos.
Local do evento: Centro de Detenção Provisória Queimado – Serra – ES Partici-pação do Escritor, Poeta e Trovador, Clério José Borges de Sant Anna e dos Poetas Albércio Nunes Vieira Machado e Teodorico Boamorte Coordenação: Elza Maria Amado Barcelos – SMB/SETUR PROJETO CAFÉ, PROSA E POESIA

QUINTA CULT DE DEZEMBRO DE 2012
2012 – A Quinta Cult é uma realização conjunta da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS e do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC, tendo como objetivo estimular o aprimoramento da produção literária. A Quinta Cult tem o apoio do Conselho Municipal de Cultura da Serra e da Secretaria Municipal de Turis-mo Cultura e Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal da Serra; Loja BISS, de Laran-jeiras, Serra, ES e dos Jornais Tempo Novo e Jornal da Serra. Patrocínio e Apoio Integral do Shopping Mestre Álvaro.
No dia 27 de dezembro de 2012, ocorreu uma Homenagem Especial, quando a Comenda Mestre Álvaro foi entregue ao Escritor do Mês, Clério José Borges, autor dos Livros, Alvor Poético, Origem Capixaba da Trova, Poetas e Escritores da Serra, Dicionário Regional de Gírias e Jargões e História da Serra. Clério foi homenageado pelo seu colega Acadêmico da Academia de Letras e Artes da Serra, Edilson Celesti-no Ferreira. No referido evento houve também uma homenagem especial ao Cen-tenário de Nascimento do Escritor Jorge Amado. Jorge Leal Amado de Faria (Itabu-na, 10 de agosto de 1912 — Salvador, 6 de agosto de 2001) foi um dos mais famo-sos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos.
Durante a Quinta Cult foram exibidos exemplares de Livros de Jorge Amado, um dos quais autografados pelo mesmo para o Escritor Capixaba Clério José Bor-ges, Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra e do Clube dos Poetas Tro-vadores Capixabas. Durante o evento houve a apresentação da Banda de Congo Mirim Santo Antônio de Pádua, do balneário de Bicanga, Município da Serra ES, dire-ção da Sra. Vani, bem como a performance do Ator Elyrandro Habys Soares Ma-nente, estudante do 5º período de pedagogia da UFES. Irá interpretar o conto-monólogo CHICO PREGO DIANTE DE SUA ESTÁTUA do Escritor Marcos Arrébola. O próprio Escritor Marcos Arrébola declamará em seguida uma Poesia em homenagem a Jorge Amado. Em seguida houve Sarau Poético com declamação de Poesias pelos Poetas da Academia de Letras e Artes da Serra e do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC,

ACADEMIA MATEENSE DE LETRAS, AMALETRAS
PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DE REVITALIZAÇÃO AMALETRAS
2013 – A Academia Mateense de Letras, fundada em 16 de Fevereiro de 2001 e revitalizada há um ano, realizou no sábado, dia 31 de Agosto de 2013, com início as 19h30m, no Auditório do Salão de Festas da cidade, uma bela solenidade come-morativa do seu primeiro aniversário de revitalização na cidade de São Mateus, no norte do Espírito Santo, oportunidade em que foram agraciados, com a Medalha de Honra ao Mérito – AMALETRAS, pessoas que se destacam na sociedade da Terra do Cricaré e também foram empossados novos Acadêmicos Correspondentes os Escri-tores e Poetas, Andra Valadares, Bárbara Péres, César Domiciano, Elza Lima, Fabia-ni Rodrigues Taylor Costa, Gilcéa Rosa, Heliana Mara Soares, Maria Dolores Pimentel de Rezende, Vera Maciel Fundão, Clério José Borges, André Luís Soares, Kátia Bob-bio, Wanda Maria Alckmin.
Segundo a presidente da AMALETRAS, Marlusse Pestana Daher, a aceitação dos Poetas e Escritores empossados na condição de Correspondente, muito nos envaidece, até, por se tratar de personalidades destacadas no nosso Estado e além de suas fronteiras.
O Ofício convidando para a posse “na terra do Cricaré” foi assinado pela Pre-sidente Dra. Marlusse Pestana Daher, e, tem o número 022/2013, datado de 15 de agosto de 2013.

CLÉRIO RECEBE EM ITABIRA O TROFÉU
PERSONALIDADE CULTURAL NOTÁVEL DE 2013
2013 – No último dia 06 de abril de 2013, Clério José Borges recebeu na Cida-de de Itabira, no Estado de Minas Gerais, o Troféu PERSONALIDADE CULTURAL NOTÁVEL 2013, honraria que é outorgada aqueles que se destacaram no cenário Cultural Brasileiro, conforme trabalho de pesquisa e indicações recebidas pelo Jorna-lista Eustáquio Lúcio Felix. O evento foi prestigiado pelo novo Prefeito de Itabira, o Médico Damon Lázaro de Sena (PV). O evento foi realizado no Salão de Festas do CENSI e foi abrilhantado com o show musical da Internacional Banda Alta Dimen-são. Segundo os organizadores o objetivo do evento é apontar, distinguir, enalte-cer, destacar, elevar, evidenciar e comemorar o sucesso de quem tem dado a sua contribuição para a cultura brasileira, através de um reconhecimento público.
Depois do Troféu Carlos Drummond de Andrade recebido em 2010 e do Tro-féu Pedro Aleixo, recebido em 2012, em noite de gala, no último dia 06 de abril de 2013, o Escritor, Poeta, Trovador e historiador Capixaba, Clério José Borges, nasci-do em Aribiri, Vila Velha, ES e residente em Eurico Salles, Carapina, Serra, ES rece-beu na Cidade de Itabira, no Estado de Minas Gerais, o Troféu PERSONALIDADE NOTÁVEL 2013.
Do Espírito Santo, além do Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS e Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, Clério José Borges, também do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo foram agraciados com o Troféu Pedro Aleixo, o Acadêmico Matusalém Dias de Moura, Procurador da As-sembléia Legislativa do Espírito Santo e membro da Academia Espírito-santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e o Escritor Geraldo Fernandes, residente na Capital Capixaba, Vitória, ES. Também foi agraciada com o Troféu Mulher Notável, a Escritora e Acadêmica Kátia Maria Bobbio Lima da Acade-mia Feminina Espírito-santense de Letras e nascida em Conceição da Barra, Espírito Santo.

CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS
TROVADORES 2014, NA SEDE DA AMBES
2014 – Prestigiada por Autoridades e pelo público, foi realizada no dia 14 de novembro com início às 19h30m, a solenidade de Abertura do Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores 2014, na Sede da AMBES, Associação de Moradores do Bairro Eurico Salles, no Distrito de Carapina, Município da Serra, no Espírito Santo.
A solenidade contou com grande participação popular e a presença de autori-dades do Município da Serra, como a Vice-Prefeita Lourência Riani; o representante do Exmo. Senhor Prefeito Municipal, Secretário, Evilário de Ângelo; o Secretário de Direitos Humanos e Cidadania, Sebastião Sabino de Souza; a Capitã da Polícia Mili-tar, Adriana Bravin Tome, comandante da 5ª Companhia do 6º BPM; o Presidente do Conselho Municipal de Cultura da Serra, Rogério de Morais Martins; a Presidenta da Academia de Letras e Artes da Serra, Acadêmica Maria Suzi da Costa Munes; o Presidente de honra da Academia Espírito-santense de Letras, Escritor Gabriel Augus-to de Mello Bitencourt; a Presidente da Academia Mateense de Letras, de São Ma-teus, norte do Espírito Santo, Escritora Marlusse Pestana Daher; o Presidente da Associação de Moradores do bairro Eurico Salles, Fábio Santana; o Diretor de Espor-tes da Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Gilmar Pereira da Silva; Poetas, Trovadores, escritores e povo em geral.
A abertura solene do Congresso no dia 14 na Sede da AMBES, contou ainda com Canto do Hino Nacional, Premiações aos vencedores do CONCURSO MUNICI-PAL, ESTADUAL e NACIONAL de Poesias e Trovas e homenagens. A Banda de Con-go Konshaça, da Serra Sede, realizou uma apresentação especial, numa deferência da Associação das Bandas de Congo da Serra ABC/SERRA, que através da Presiden-ta, Sra. Terezinha Ozório Machado Pimentel, encaminhou a Banda Konshaça, do bairro de Caçaroca, neste Município da Serra, Banda esta presidida pelo Prof. José Carlos Miranda Filho, tendo como Mestre, Roberto Dadai e como um dos seus ati-vos componentes, o Conselheiro do Conselho Municipal de Cultura da Serra, Carlos Augusto Montarroyos. Em seguida procedeu-se a Entrega da Comenda “Magnífico Intelectual Brasileiro 2014”, para diversos Escritores do Município da Serra, Escrito-res Capixabas e de outros Estados do Brasil. Também alguns Escritores Capixabas foram agraciados com a Comenda Trovador Elmo Elton.
Em seguida foram entregues Troféus, Certificados e Medalhas aos vencedores e classificados nos Concursos de Poesias e de Trovas realizado a nível Municipal, Estadual e Nacional. O CTC realizou no período de 01 de abril a 30 de setembro de 2014, um Concurso Municipal, Estadual e Nacional de Poesias e Trovas. O Resultado foi divulgado no dia 10 de outubro de 2014. Um total de 633 trabalhos foi analisado pela Comissão Julgadora, com participação de Poetas de 10 Estados brasileiros, sendo que do total foram recebidas 430 Trovas de 215 trovadores pertencentes a mais variadas entidades culturais do Brasil. No Concurso Nacional de Poesias tema Lisura o vencedor foi o poeta Geraldo Trobin, da Cidade de Americana, São Paulo.
No Concurso Nacional de Trovas com o tema Lisura a vencedora foi a premi-adíssima trovadora Neiva Fernandes residente em Campos dos Goitacazes no Rio de Janeiro. Nos Concursos a nível Municipal e Estadual os vencedores foram Albér-cio Nunes Vieira Machado, residente em Cidade Continental e Immaculada Schirmer, de Parque Residencial Laranjeiras, ambos os bairros da Serra, ES e Nealdo Zaidan, da cidade de Anchieta, no sul do Estado.
Para que todos percebam a grandeza do Concurso e a grande divulgação que foi feita da Cidade da Serra, entre os vencedores além de poetas de Vitória, Vila Velha, Serra, Guarapari e Alegre no Espírito Santo, Nova Friburgo, Campos dos Goi-tacazes, Mesquita e Cantagalo no Rio de Janeiro. Palmares em Pernambuco. Belo Horizonte, nas Minas Gerais. São Paulo Capital e Campinas, no Estado de São Pau-lo.
A solenidade de encerramento do Congresso de poetas Trovadores, na Sexta-feira, dia 14, foi encerrada com um Pocket Show com o tema, “A Flor de Florbela”, com o músico MARCOS ASSUMPÇÃO, da Cidade de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro.
PASSEIO TURÍSTICO, CONCURSO E PALESTRAS. No dia seguinte, 15/11/2014 SÁBADO – pela manhã, com saída da Sede da AMBES, no bairro de Eurico Salles, em ônibus Especial contratado para tal ato, foi iniciado o passeio, denominado CITY TOUR, com visita a Pontos Turísticos da Serra, destacando-se a orla marítima de Jacaraípe, a Casa de Pedra, do Artista Neusso, em Jacaraípe e a Igreja dos Reis Magos e Residência dos Jesuítas em Nova Almeida. Na ocasião durante o passeio foi realizado o CONCURSO RELÂMPAGO DE TROVAS, TEMA, “RACISMO”. De volta do passeio Turístico, na Sede da AMBES continuou o evento, sendo que as 14H, ocorreu a Abertura da Exposição de Fotografias “Ver para Crer São Tomé de Paripe, o Cotidiano de um Bairro”, com a coordenação da Escritora e Fotógrafa Lindinete Pereira do Nascimento, de Salvador, Bahia.
Também na Sede da AMBES, foi realizada gratuitamente uma OFICINA DE POESIAS E TROVAS, “COMO FAZER UMA TROVA”, COM os trovadores AGOSTINHO RODRIGUES E ALBÉRCIO NUNES. Após foi realizado um Jogral com a Poesia “Navio Negreiros”, do Poeta Castro Alves com a Coordenação Lindinete Pereira, Salvador, Bahia. Logo após, a continuação do Congresso com um DEBATE com o tema, “MERCADO EDITORIAL E PUBLICAÇÃO DE LIVROS”, com a participação dos Escrito-res ROGÉRIO SALGADO, de Belo Horizonte, Minas Gerais, CLÉRIO JOSÉ BORGES, da Serra, ES e do Escritor ARLINDO NÓBREGA, do Estado de São Paulo.
Após por volta das 16 horas, foi iniciada a PALESTRA: A POÉTICA DE GERAL-DO VANDRÉ, UM RETRATO DO BRASIL DOS ANOS 60, PELA PROFESSORA DALVA SILVEIRA, (MG), tendo ocorrido um SARAU COM MÚSICAS E POESIAS DE GERALDO VANDRÉ. No mesmo dia e em seguida, foi realizada uma Palestra com FELIPE PAS-TORE E CLERIGTHOM BORGES, com o tema “COMO TER MAIS SAÚDE DISPOSIÇÃO E SUCESSO NA VIDA”. SERENATA PELAS RUAS DO BAIRRO, SHOWS E MISSA EM TROVAS. No mesmo dia 15 de novembro de 2014, com início às 18H30M, NA AM-BES, SAÍDA DA SERENATA PELAS RUAS DE EURICO SALLES, COM O CORAL DE IBI-RAÇU “LE MEMORIE”, COM O CANTOR HUMBERTO MODENESI, E O CANTOR SE-RESTEIRO TIO JOÃO, DE EURICO SALLES.
A Serenata percorreu as ruas de Eurico Salles sendo recebida em duas residên-cias onde foi oferecido gratuitamente Lanches para todos os participantes. Em se-guida por volta de 21 horas foi realizado na Quadra Coberta de Esportes da Associ-ação de Moradores, com acesso GRATUITO, os SHOWS DOS CANTORES NÉLIO TORRES, TEODORICO BOA MORTE E MARCOS ASSUMPÇÃO. O EVENTO TERMINOU POR VOLTA DE 24 HORAS. Mesmo com o tempo frio, registrou-se um total superior a 500 pessoas participando das Palestras, da Serenata pelas ruas do bairro e dos Shows Gratuitos na Quadra coberta de Esportes.
No dia 16/11/2014 DOMINGO – Pela manhã, às 09,00 horas, Missa em Trovas, na Comunidade São Paulo Apóstolo, Igreja Católica do bairro Eurico Salles, Carapi-na, Serra, ES. A Missa contou com a participação da Comunidade Católica local. Tradicionalmente os moradores realizam as Missas e Celebrações aos Domingos, com início às 19h30m, ocorre, porém, que em razão do evento CONGRESSO DE POETAS TROVADORES, a Missa foi transferida para a parte da manhã, para fazer parte da Programação do evento, com início às 09 horas. A Presidência da Missa foi do Padre Italiano e Comboniano ELIO SAVOIA. No final foi realizada a apresentação dos Poetas Trovadores, apresentação esta que foi fotografada e filmada. Após a Missa, com saída da Igreja localizada na Praça dos Pássaros e com destino até a Sede da AMBES, cerca de 600 metros, passando por várias ruas, foi realizada a TROVEATA, com Desfile dos Trovadores que ao som do Violão se dirigiram ao salão da Associação de Moradores onde ocorreu a Entrega de Certificados de Participação para todos os congressistas e o Encerramento do evento, com Confraternização final até às 15 horas.

CLÉRIO JOSÉ BORGES TOMA POSSE COMO ACADÊMICO DA
ACADEMIA MARATAIZENSE DE LETRAS – MARATAÍZES – ES
2014 – Clério foi empossado na Academia das Artes, Cultura e Letras de Mara-taízes e do Estado do Espírito Santo (Academia Marataizense de Letras), em Soleni-dade realizada no dia 10 de maio de 2014, no Plenário do Poder Legislativo Munici-pal de Marataízes, ES – Câmara Municipal de Marataízes, na Avenida Lacerda de Aguiar, nº 113, Centro – Marataízes – Espírito Santo.
Na ocasião foram também empossados: Alfredo Enéas Alves, Ângela Lino Ve-ríssimo, Dinair Surdine, Clério José Borges, Eliana Queiroz Auer, Fabiani Rodrigues Taylor Costa, Gabriel Augusto de Mello Bittencourt, José Salotto Sobrinho, Kátia Maria Bobbio Lima, Luanna Assad Pereira, Levi Basílio, Marcos Bertolini Rios, Mag-nólia Silvestre, Marlucia da Silva Souza Brandão, Nadine Araújo, Silvia Petersen, So-raya Doellinger Assad, Silvia Motta Araújo Motta.
A Academia Marataizense de Letras é pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com cadastro no CNPJ sob o nº 15.003.311/0001-81, fundada no dia 30 de dezembro de 2011, com sede à Rua São Marcos, nº 6 – Bairro Arraias, Muni-cípio de Marataízes – Estado do Espírito Santo. Na época da posse a Academia de Marataízes era presidida por Bárbara Pérez tendo como Secretária-Geral: Isabella Ribeiro Marinuzzi.

CLÉRIO BORGES FAZ PALESTRA
NA FEIRA DO LIVRO DE IÚNA
2014 – A Academia Iunense de Letras realizou nos dias 26 e 27 de junho de 2014, a II Feira do Livro de Iúna. O Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, Clério José Borges foi convidado a montar um stand do CTC e proferir uma Palestra com o tema Trovas e Trovadores. Clério esteve presente e proferiu a pa-lestra para estudantes que participavam do evento.
O presidente da Academia Iunense de Letras e responsável pela realização da Feira do Livro, José Salotto Sobrinho, ressalta que esse evento, além de facilitar o encontro de escritores e oferecer oportunidade ao público em geral de visitar uma livraria, é também um vetor de enriquecimento cultural para a sociedade. “Os alu-nos das escolas, universitários, professores e a população em geral ganham com esse evento, porque, além de agregar valores, a feira serve também como referen-cial cultural para Iúna e para a região do Caparaó”, completou Salotto.

PROJETO DIVERSIDADE CULTURAL E
FORMAÇÃO DO POVO SERRANO.
2014 – A Convite da Pedagoga Maria Wilsa, o Poeta Trovador e Escritor Capi-xaba Clério José Borges de Sant Anna, Presidente do Clube dos Trovadores Capixa-bas, CTC, esteve no dia 03 de setembro de 2014, na Escola CMEI – Centro Munici-pal de Educação Infantil São Patrício no bairro de Jacaraípe, Município da Serra, Es-pírito Santo fazendo uma palestra para mais de 100 crianças sobre a História da Serra, falando sobre os Índios Temiminós, de Maracajaguaçu e seu filho Araribóia do Rio de Janeiro e a chegada dos mesmos na Serra onde foram recebidos pelo Padre Jesuíta Braz Lourenço.
Clério falou ainda sobre a Montanha do Mestre Álvaro que deu origem ao no-me SERRA e a Lenda do Pássaro de Fogo entre a Montanha do Mestre Álvaro, na Serra e a Montanha do Moxuara em Cariacica. Clério Borges foi presidente fundador da Academia de Letras e Artes da Serra em 1993 e, presidente de 28 de agosto de 2012 a 28 de agosto de 2014. Clério agradece as professoras envolvidas no proje-to. Obrigado Professora Silvia Vitorino Freitas. Professora Cleide Montemor.

CONSUL CULTURAL REGIONAL
2014 – Em data de 1º de julho de 2014, Clério José Borges recebeu um Certifi-cado de Nomeação da Supervisão Internacional do Movimento União Cultural, com sede na Cidade de Taubaté, Estado de São Paulo, nomeando Clério José Borges (Serra-ES/Brasil), como Cônsul Cultural Regional para a Mesorregião Central Espírito-Santense/Brasil.
O Certificado é assinado por Daniela Lucci, Coordenadora Internacional do Departamento de Projetos Especiais e pelo Supervisor Presidente Internacional do Movimento União Cultura, Escritor, Luiz Antônio Cardoso.

CLÉRIO JOSÉ BORGES É ELEITO 1º SECRETÁRIO DA AMBES
ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO EURICO SALLES
2014 – Com a presença do Ex-Governador Max de Freitas Mauro e seu filho, Suplente de Deputado Federal, Max Filho, na última quarta-feira, dia 21 de Maio de 2014, em Assembléia Geral realizada na sede da AMBES, Associação de Moradores do Bairro Eurico Salles tomaram posse os novos membros da Diretoria para o mandato 2014-2016, liderados por Fábio Correia Santana, como Presidente, Maria do Carmo Silvano como vice, Clério José Borges como 1º Secretário, Renivaldo Fer-reira Gomes, o Paulista, como 2º Secretario, Tranquilo Dias Júnior, como 1º Tesou-reiro e Geovane Luiz de Carvalho, como 2º Tesoureiro.
Também foram empossados os novos membros do Conselho Fiscal. Durante o evento a Administração do Shopping Mestre Álvaro fez a doação para a Comuni-dade de uma Câmera de Vídeo Monitoramento. A solenidade foi prestigiada por grande número de moradores e teve como Mestre de Cerimônias o Orador da Aca-demia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, Acadêmico Paulo Negreiros. Representan-do a ALEAS esteve presente a moradora e Acadêmica Magnólia Pedrina Sylvestre. Representando as Academia de Letras de São Mateus e Marataízes esteve presente a Acadêmica Angela Lino Veríssimo, que declamou uma Poesia durante o evento.
A nova Diretoria da AMBES, foi eleita para o biênio 2014-2016, no dia 27 de Abril último e tomou posse, na data de 21 de maio. A Chapa foi denominada “Con-tinuar e Inovar” e é constituída dos seguintes moradores do bairro Eurico Salles. Diretoria: Presidente: Fábio Correia Santana; Vice-presidente: Maria do Carmo Silva-no; 1º Secretário: Clério José Borges de Sant’ Anna; 2º Secretário: Renivaldo Ferreira Gomes, o Paulista; 1º Tesoureiro: Tranqüillo Dias Júnior; 2º Tesoureiro: Geovane Luiz de Carvalho. Conselho Fiscal – Presidenta: Adriana Barbosa Campos Tosta. Vi-ce-presidente: Dilamar Campos Perine Correia; Secretária: Ana Raquel Sperandio; 1º Suplente: Fábio Ferreira Gomes, o Cabral do Projeto Garoto bom de bola; 2º Su-plente: Antonio Arílson Martinelli; 3º Suplente: Gustavo Souza Luciano Oliveira

CLÉRIO RECEBE DIPLOMA DE
RECONHECIMENTO COMUNITÁRIO
2014 – Em solenidade realizada na Praça dos Pássaros, o Escritor Capixaba, Poeta e Trovador Clério José Borges recebeu mais um reconhecimento público de seu trabalho comunitário, social e cultural, como membro da Diretoria da AMBES, atuando como Secretário, Presidente Fundador da ALEAS – Academia de Letras e Artes da Serra e atual Presidente do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC. A Solenidade foi na Praça dos Pássaros em Eurico Salles Carapina Serra ES em data desta Sexta-feira, dia 05 de dezembro de 2014. Outros moradores também foram agraciados como Zenaide Emília Thomes Borges, Clérigthom Thomes Borges (pela organização dos FIT CAMP na Praça dos Pássaros) e Andréia Fraga. Um Festão com a chegada de Papai Noel, o morador Paulo (Paulão). Obrigado ao Presidente da Associação de Moradores, Fábio Santana. No evento a presença de Jorge Wilson Pereira, ex presidente da AMBES e vários moradores antigos e novos.

CLÉRIO VISITA MANAUS NO ESTADO DO AMAZONAS
JANEIRO DE 2015 – XX ANIVERSÁRIO DA ASSEAM
(ASSOCIAÇÃO DOS ESCRITORES DO AMAZONAS)
2015 – No dia 31 de janeiro de 2015, o Escritor Poeta e Trovador, Comenda-dor Clério José Borges de Sant Anna, sua esposa Zenaide Emília Thomes Borges e a Acadêmica Escritora, Poeta, Ângela Lino de Jesus Veríssimo participaram na cidade de Manaus no Estado do Amazonas dos festejos Comemorativos ao 20º Aniversário da ASSEAM – Associação dos Escritores do Amazonas, presidida por Dr. Gaitano Antonaccio.
A Solenidade teve como Mestre de Cerimônias o Presidente da Academia de Letras e Artes do Amazonas Escritor Raimundo Colares Ribeiro e foi realizada no monumento histórico do Amazonas, a sede do Ideal Clube, fundado em 1903. Nes-ta festa de 20 anos da ASSEAM se resgata uma fase da História do Amazonas em que tudo era requinte, luxo e beleza com a exportação da borracha para o mundo. Compareceram na solenidade destacadas figuras do mundo social, político, cultural, empresarial e profissional, como o Vice-Almirante Domingos Sávio.
Clério foi homenageado pela ASSEAM, recebendo o I PRÊMIO GRANDES NO-MES DA CULTURA CONTEMPORÂNEA. REGISTROS E PASSEIOS: Peixes que come-mos: sardinha ticada, tucunaré e tambaqui assado na brasa. Tudo! Ah! Acompa-nhado de baião de dois, farofa, vinagrete, farinha Uarini, farofa de manteiga. Pas-seio na Ponte sobre o Rio Negro. À caminho de PONTA NEGRA, ao som dos poe-mas FLORES E ESPINHOS do Acadêmico, poeta e Escritor de Manaus: URIAS SÉR-GIO DE FREITAS. Passeando pelo centro de Manaus. Teatro, praça, Igreja de São Sebastião. Passeio nos Igarapés.
No Porto de Manaus, o destaque para o primeiro edifício pré-moldado cons-truído no Brasil. Outro destaque: um Barco da Justiça flutuante estava ancorado no Porto de Manaus. No Porto numa parede os níveis de inundação do Rio Negro ao longo dos anos. Um almoço especial aconteceu na CONFRARIA DO GERI, após visi-ta à Praia de Ponta Negra.
Passeio agendado e com Guia para ver o Encontro das águas do Rio Negro e Solimões. No barco foi servido um maravilhoso bolinho de Pirarucu com suco de Taperebá. (Suco de Cajá). Destaque para os Postos de Gasolina flutuantes. Cerca de 70 mil barcos cadastrados circulam no Rio Negro que banha a cidade de Manaus. Em Dezenas de municípios do Estado do Amazonas só se chega de Barcos.
Recepção especial da Delegação capixaba por parte do renomado advogado, contador e escritor Gaitano Laertes Pereira Antonaccio. Esteve presente no Aeropor-to para receber a Delegação Capixaba. No hotel ao chegarmos em cada quarto um lindo presente (mimo) com bombons e biscoitos. Durante a solenidade cobertura da TV AMAZONAS, afiliada da Rede Globo de Televisão. Clério José Borges foi en-trevistado pelo Repórter Marcos Paulo e Cinegrafista Francisco Chagas em Manaus.
Texto do Dr. Gaitano Antonaccio, Presidente da ASSEAM: CLÉRIO FOI MAGNÍ-FICO POR OCASIÃO DO RECEBIMENTO DE SUA MERECIDA HOMENAGEM. Discursou com brilhantismo, enfatizou a importância da educação no Brasil, criticou governan-tes que não dão a devida importância ao setor. Fez homenagens a intelectuais amazonenses, e teve uma participação inesquecível na festa de 20 anos da ASSEAM – Associação dos Escritores do Amazonas. Sempre ao lado de sua esposa Zenaide, Clério foi atencioso com todos que o abordaram para entrevistas e deu o seu reca-do de mestre trovador, poeta, historiador, cineasta e grande intelectual brasileiro. Mais uma vez, parabéns ao Clério, Zenaide e sua acompanhante na comitiva de Espírito Santo, a simpática acadêmica e cronista Angela Lino de Jesus Veríssimo.
Também fazendo parte da comitiva de visitantes na Festa de 20 anos da AS-SEAM tivemos a presença do empresário de São Paulo, intelectual e amigo ADEL AUADA e esposa MARIA IRMA, que abrilhantaram o evento. Ele foi merecidamente homenageado pela ASSEAM, recebendo juntamente com Clério Borges e mais 8 intelectuais, o I PRÊMIO GRANDES NOMES DA CULTURA CONTEMPORÂNEA. Adel é hoje um nome conhecido no mundo cultural, vice-presidente da Câmara Árabe-Brasileira em SP, e no turismo nacional já ocupou os mais destacados cargos na iniciativa privada. Mereceu a comenda.

TROFÉU EDIÇÃO ESPECIAL OURO PARA
CLÉRIO JOSÉ BORGES EM ITABIRA EM 2015
2015 – No salão nobre do Real Campestre Clube em Itabira no interior do Es-tado de Minas Gerais, o multimídia Eustáquio Lúcio Félix realizou no dia 24 de outu-bro de 2015, mais uma tão esperada noite de gala reunindo expressivos convidados de várias cidades mineiras, inúmeros estados brasileiros, países como Uruguai e Argentina superando as expectativas, sendo que mais de 100 homenageados foram laureados com o Troféu Carlos Drummond de Andrade – Edição Especial Ouro, Jo-vens de Sucesso e Elegantes do Ano.
A decoração em alto estilo deu um brilho na ornamentação das mesas com toalhas brocadas na cor dourada com belíssimos vasos de orquídeas. A Banda AP50 apresentou hits musicais dos mais variados levando os convidados para pista de dança até às cinco horas da manhã.
Atração à parte ficou a cargo do Buffet Guts Itabira que assinou com sucesso o fino cardápio de salgados diferenciados e a farta e autêntica mesa mineira. O jor-nalista Heiner Brandão apresentou o evento ao lado do secretariado comandado por Eduardo Martins. A mesa de honra para entrega dos troféus foi comandada pe-lo promotor do evento Colunista Eustáquio Félix e Sra. Sônia Félix, advogado José Francisco Coelho e o empresário José Elias Marques.
Entre os homenageados: Escritora e artista plástica Neusa Mendonça (Marília-SP), Sônia Nogueira (Fortaleza-CE), Zilma (Itabira); Eugenia (Fortaleza-CE); Aline (Itabira); Clério José Borges (Serra-ES); Yara Franco (Araraquara-SP) e Alberto Slomp (São Paulo); Bibi Dumont (Araxá-MG).

COMENDA RUBEM BRAGA
2015 – Na Décima quinta sessão solene da primeira Sessão Legislativa Ordiná-ria, décima Oitava Legislatura, da Assembléia Legislativa do Estado do Espírito San-to, realizada no dia 07 de julho de 2015, de acordo com a Resolução n.º 4.026, Clé-rio José Borges foi agraciado com a Comenda Rubem Braga, tendo recebido o título de Comendador.

COMENDA “CECÍLIA MEIRELES”.
2015 – No dia 27 de março de 2015, em solenidade realizada nos Salões do tradicional Clube Ouro Negro no Centro da Cidade de São Mateus, Clério José Bor-ges recebeu da AMALETRAS, a Comenda da ordem “Cecília Meireles”.

REATIVAÇÃO DA UBT
2015 – No dia 02 de outubro de 2015 Clério José Borges com o apoio do Ve-reador Namy Chequer promove uma Sessão Solene em homenagem ao Dia Munici-pal da Trova em Vitória, ocasião em que é homenageada a Presidente Nacional da UBT, Trovadora Domitila Beltrame, ocasião em que a UBT de Vitória é reativada, sendo empossado como Presidente o Trovador Matusalém Dias de Moura.
Na referida Sessão solene Clério recebe o Diploma de Honra ao Mérito em re-conhecimento aos relevantes serviços prestados à população de Vitória. Diploma datado de 02 de outubro de 2015, assinado pelo Presidente da Câmara Municipal de Vitória, Vereador Namy Chequer.

PARTICIPAÇÃO NA 7ª BIENAL CAPIXABA DO LIVRO
2015 – Foi realizado de 28 de outubro a 01 de novembro de 2015, na área de Estacionamento do Shopping Vitória, Vitória ES, mais uma edição da BIENAL CAPI-XABA DO LIVRO 2015. No dia 27, terça-feira, às 18:00h., foi realizado o relança-mento do livro de Clério José Borges, “Serra: Colonização de uma Cidade – História, Folclore, Cultura”. Livro editado com recursos da Lei Chico Prego de incentivo a Cul-tura.
No dia 28, quarta-feira, 19:00h. foi realizado um SARAU LITERÁRIO do CLUBE DOS POETAS TROVADORES CAPIXABAS, CTC, com participação de Clerio José Bor-ges, João Roberto Vasco Gonçalves, Edilson Celestino Ferreira, Albércio Nunes Viei-ra Machado, Matusalém Dias de Moura, Geraldo Fernandes, Ângela Lino Veríssimo, Magnólia Pedrina Sylvestre, Ananias Novais, Adonias Baldan.
No dia 31, sábado, com início às 19,00h – Lançamento de Livros dos Associa-dos do CTC, CLUBE DOS TROVADORES CAPIXABAS. A participação de Clério e do CTC ocorreu graças ao apoio da Escritora Neusa Jordem.
O Espírito Santo recebeu a 7ª Bienal Capixaba do Livro, realizado até 1º de novembro, no estacionamento do Shopping Vitória, e com mais de 5 mil títulos ex-postos. A entrada foi gratuita e segundo os organizadores reuniu cerca de 30 mil pessoas em cinco dias de evento. Os lançamentos e relançamentos tiveram preços a partir de R$ 5, com destaque para a literatura infantil, que teve um dos maiores acervos da Bienal.
O evento também promoveu momentos de interação entre leitores e escrito-res, por meio do Espaço do Escritor Capixaba, Clério José Borges e os demais auto-res inscritos promoveram ações para divulgação de suas produções literárias. Cerca de 250 autores e escritores participaram da feira literária.
As crianças que foram ao local, como as netas de Clério José Borges, a Mari-na e Christal participaram de atividades recreativas. Diversas ações culturais, como Oficina de Origami, Teatro de Fantoches, Contação de Histórias, Shows de Mágicas, Trovadores, Projeto Viagem pela Literatura, Música, Dança, foram realizadas, entre outras. A Bienal teve entrada franca e funcionou de quarta a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábado e domingo, das 10h às 22h.

ESCRITORA SILVANA PINHEIRO MINISTRA OFICINA DE POESIA
COM PARTICIPAÇÃO DE ESTUDANTES, PROFESSORES E POETAS
2015 – Com a participação de estudantes do Colégio Instituto Gênesis, de Vi-tória, ES, com supervisão da professora Ramires Nilo e participação dos poetas Suely Bispo, Clério José Borges de Sant Anna, José Luiz Pereira Passos e Josvaldo Maria dos Anjos foi iniciado nesta terça feira, dia 23 de junho de 2015, mais uma Oficina de Poesia do Projeto Viagem pela Literatura, da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim da Prefeitura Municipal de Vitória. Desta feita a Oficina recebe o títu-lo de “Entre Palavras” e é realizada em dois módulos, o primeiro neste dia 23 e o segundo na próxima terça feira, dia 30 de junho, no horário de 14 as 17 horas, no Auditório da Livraria Paulinas, na rua Nestor Gomes, próximo ao Teatro Carlos Go-mes, no centro de Vitória, ES.
A Oficina é ministrada pela Escritora e Poeta Silvana Pinheiro, tendo como ob-jetivo sensibilizar os participantes para diversos elementos poéticos das palavras, através de vivências de leitura e produção de texto assistida, além de outras ativi-dades que também despertem o interesse pela escrita. Silvana Pinheiro, além de escritora e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), com experiência em palestras, cursos, oficinas e contação de histórias para formação de mediadores de leitura. É autora de histórias em quadrinhos, além de ter publicado os livros “Femear”, “Amigos da Terra”; “Vitória, uma ilha cercada de terras”; “Amar o Mar”; “A Casa Rosa”; “História de Estrela”; entre outros. A Oficina tem o apoio do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) e do Ministério da Cultura (Minc), por meio do Edital Prêmio Boas Práticas e Inovação em Bibliotecas Públicas/2014.
A Escritora Suely Bispo é atriz, dançarina, pesquisadora e poeta, autora do Li-vro “Desnudalmas”, publicado em 2008. É autora de uma tese de dissertação sobre Solano Trindade, onde destaca a importância da obra de Solano Trindade no pano-rama da literatura brasileira apontando-o como um dos nomes pioneiros da Litera-tura afro-brasileira. José Luiz Pereira Passos é Presidente da Associação Cultural e Educacional de Cachoeira Alegre, no Município de Barão do Monte Alto em Minas Gerais e Clério José Borges foi presidente fundador da Academia de Letras e Artes da Serra e atualmente é Presidente do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC. Josvaldo Maria dos Anjos é líder comunitário e também Diretor do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas CTC. A Oficina teve a Coordenação Geral da compe-tente funcionária pública municipal de Vitória Elizete Caser Rocha.

LANÇAMENTO OFICIAL DO LIVRO “SERRA, COLONIZAÇÃO
DE UMA CIDADE” DE CLÉRIO JOSÉ BORGES
2015 – Dia 24 de setembro, uma quinta-feira, às 18 horas, na Câmara da Serra (Serra – Sede), junto com a sessão solene comemorativa do Dia Municipal do Histo-riador foi realizado o lançamento do Livro de Clério José Borges, “Serra, Coloniza-ção de uma Cidade”, editado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Serra, a Lei Chico Prego.
Foram convidados oficialmente o Exmo. Sr. Prefeito Municipal, a Vice-Prefeita, a Secretária de Educação, o Secretário de Cultura, o Presidente do Conselho Munici-pal de Cultura e Vereadores do Município da Serra ES. O Escritor Clério José Borges lançou no último dia 24 de setembro de 2015, uma quinta feira, o seu 11º Livro, SERRA COLONIZAÇÃO DE UMA CIDADE, HISTÓRIA, FOLCLORE E CULTURA, onde aborda aspectos da colonização de nossa cidade, com a chegada dos Índios Temi-minós do Chefe Maracajaguaçu e seu filho Araribóia.
Vários Poetas, Trovadores, Jornalistas e Políticos prestigiaram o evento, sen-do registradas as presenças dos Vereadores, Gilmar Carlos, Gideão, Sebastião Sabi-no, Nacib Haddad, José Raimundo Bessa e da Vice-Prefeita Lourência Riani. Outros vereadores estiveram presentados.
Na ocasião foi realizada uma Sessão solene onde diversos professores de His-tória foram homenageados, bem como os Escritores Clério José Borges e Paulo Roberto Negreiros. Entre os homenageados Suzi Nunes Jenésio Jacob Tute Kuster que estava acompanhado de sua esposa Marinete Kuster, Edson Reis, Michel Dal Col Costa. Presentes os Acadêmicos Edilson Celestino Ferreira, Adir Ribeiro, Rogério Morais, Ananias Novais. Também lançaram Livros, Immaculada Schirmer Marcia Couto Zanandrea, Ananias Novais e Adonias Baldan. Os agradecimentos a Presiden-te Vereadora Neidia Maura Pimentel Neidia Maura Pimentel II e ao Vereador Propo-nente da Sessão, José Raimundo Bessa

PRÉ LANÇAMENTO DO LIVRO NO
EVENTO “CAFÉ COM LETRAS” – VITÓRIA
2015 – No último dia 18 de setembro de 2015, o Escritor Clério José Borges de Sant Anna escolhido como o Escritor do Mês, fez o pré-lançamento do seu Livro “Serra, Colonização de uma Cidade”, na 4ª Edição do Café com Letras no Shopping Norte Sul – Seu encontro semanal com a cultura. Além do Escritor Destaque, Clério José Borges, o Artista Destaque foi Israel Scárdua e o Músico Destaque Higo Rafael. O evento foi no Shopping Norte Sul – Praça Central – Primeiro Piso. Foi o último encontro da quarta edição do Café com Letras no Shopping Norte Sul.

LANÇAMENTO DO LIVRO NA CÂMARA MUNICIPAL
DA CIDADE DE CAMBUCI NOROESTE FLUMINENSE (RJ)
2015 – Dias 26 e 27 de setembro de 2015, na Câmara Municipal da Cidade de Cambuci no Noroeste Fluminense (Rio de Janeiro). Cambuci realizou uma festa ma-ravilhosa os seus jogos florais 2015, organizado por Dr. Almir Pinto de Azevedo. Clério José Borges e Zenaide representaram o Espírito Santo.
Na ocasião Clério José Borges divulgou a cidade da serra realizando o lança-mento oficial do seu livro naquela cidade do noroeste fluminense. Os Jogos Florais de Cambuci/RJ foram realizados nos dias 26 e 27 de setembro de 2015 – momentos do alegre encontro de poetas e trovadores do significativo evento cultural.

LANÇAMENTO DO LIVRO NA SEDE DO INSTITUTO
HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO ES – PARQUE MOSCOSO
2015 – Lançamento de Livro no Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo (IHGES). “Serra – Colonização de uma cidade”, de Clério José Borges (mem-bro do IHGES). Data: 30 de setembro (quarta-feira), às 18 horas (Horário de Brasí-lia). Durante o evento o autor realizará uma palestra a respeito da Insurreição de Queimado (1849). Endereço: Avenida República, 374 – Parque Moscoso, Centro de Vitória.
No dia 30 de setembro de 2015, o Escritor Clério José Borges promoveu na Sede do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo o lançamento do Livro “Serra – Colonização de uma cidade”. O evento foi realizado após a reunião semanal do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, com início as 18 horas. Na ocasião prestigiaram o acontecimento, além do Presidente da Entidade, Escritor Ge-túlio Neves, a representante da Academia Feminina Espírito Santense de Letras, pro-fessora Ester Abreu, os Escritores Roberto Vasco, Matusalém Dias de Moura, Adir Ribeiro e Paulo Stuck. Participaram ainda a Escritora Regina Menezes, Walter Aguiar e Cleusa Lourdes Madureira Vidal. O Vereador Joel Rangel esteve também presente.
Na ocasião foi servido o famoso MONDRONGO, comida típica da Serra da época dos Escravos. Fotos do evento mostrando uma palestra sobre o Livro reali-zada por Clério José Borges e depois os autógrafos e o Mondrongo. Obrigado ao Presidente Getúlio e aos que compareceram e ao Vereador Joel Rangel que com a Acadêmica Cleusa prestigiaram o evento.
DEPOIMENTO DO VEREADOR JOEL RANGEL: Aproveitando o lançamento do livro do nosso querido amigo e escritor Clério José Borges visitei, acompanhado da poetisa Cleusa Lourdes Madureira Vidal, Anny e Thiago Souza as dependências do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e o espaço destinado à memória de Elmo Elton. A instituição que no próximo ano celebra 100 anos é uma das mais antigas e tradicionais instituições do nosso estado. Agradeço ao Presidente do IHG-ES, Getúlio Marcos Pereira Neves pela acolhida e parabenizo pelo trabalho à frente dessa instituição artística que merece todo reconhecimento pela preservação da história capixaba.

LANÇAMENTO DO LIVRO NA CÂMARA DE VITÓRIA NA SESSÃO
SOLENE COMEMORATIVA DO DIA MUNICIPAL DA TROVA
2015 – Dia 2 de outubro, uma sexta-feira, às 18 horas, na Câmara de Vitória (bairro Bento Ferreira), junto com a sessão solene comemorativa do Dia Municipal da Trova foi realizado mais um lançamento do Livro de Clério José Borges, “Serra – Colonização de uma cidade”
No dia 02 de outubro de 2015, a Câmara Municipal de Vitória, no Estado do Espírito Santo, a pedido do Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, Clério José Borges de Sant Anna, realizou uma SESSÃO SOLENE comemorativa do Dia Municipal da Trova, (comemorado por Lei em 04 de outubro dia do Padroeiro dos Trovadores São Francisco de Assis), com as honrosas presenças de figuras des-tacadas da Cultura Capixaba. De São Paulo compareceu a Presidente Nacional da UBT, Domitilla Borges a qual na ocasião entregou um Diploma ao Trovador Matusa-lém Dias de Moura oficializando a Seção de Vitória da União Brasileira de Trovado-res.
Sob o Slogan A Trova faz Amigos o CTC e a UBT estiveram juntos na come-moração do Dia Municipal da Trova. Mais de mil fotos tiradas por Tomaz Silva dos Santos, Diretor do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, bem como fotos dos que compareceram ao evento, como a Vereadora de Campos, Maria Auxiliadora Freitas, o Vereador Joel Rangel o Vereador José Salotto e os Presidentes da Academia de Vila Velha, Horacio Xavier, da Academia de Letras e Artes da Serra, Suzi Nunes e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, Getúlio Neves e a Presidente da Academia Feminina Espírito-santense de Letras, Professora Ester Abreu. Clério José Borges agradece a todos que compareceram e em especial ao Vereador Namy Che-quer.
Do Rio de Janeiro estiveram presente Dalva Meirelles e Ivan e de São Paulo, o Trovador J.B. Xavier. De Campos dos Goytacazes uma Delegação em ônibus espe-cial com a Vereadora Auxiliadora Freitas, Agostinho Rodrigues Agostinho Rodrigues Agostinho Rodrigues e Neiva Fernandes Neiva Fernandes e Luciana Souza Pacheco. Obrigado a todos. Foi um Festão. Na oportunidade Clério José Borges fez o relan-çamento do seu Livro, “Serra – Colonização de uma cidade”

LANÇAMENTO DO LIVRO NA ACADEMIA DE LETRAS
HUMBERTO DE CAMPOS, NA PRAINHA (VILA VELHA)
2015 – Dia 30 de outubro, uma sexta-feira, às 19 horas, na Academia de Le-tras Humberto de Campos, na Prainha (Vila Velha). Clério José Borges na Sexta-feira, dia 30 de outubro promoveu uma bela festa na Sede da Academia de Letras de Vila Velha, na Rua 23 de maio na Prainha. Foi o lançamento do seu Livro SERRA COLONIZAÇÃO DE UMA CIDADE.
O Livro editado com recursos da Lei Chico Prego aborda aspectos da história da cidade da Serra e do próprio Estado do Espírito Santo. Presente o Exmo. Sr. Ve-reador de Vila Velha Joel Rangel; o ex-governador Max Mauro que bem representou seu filho e autoridades, escritores e artistas. Agradecimentos ao Presidente Horacio Xavier.

LANÇAMENTO DO LIVRO DE CLÉRIO JOSÉ BORGES EM
PIÚMA – SUL DO ESPÍRITO SANTO – NO ITFES PIÚMA
2015 – No dia 05 de novembro de 2015, Clério José Borges participou da Feira Literária “Mar de Livros” no Campus do IFES em Piúma, oportunidade em que relan-çou seu livro sobre o Município da Serra, ES.
Além da presença do Escritor e Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas Clério José Borges, foi registrada ainda a presença do Poeta Trovador Albércio Nu-nes e do escritor Roberto Vasco. Na mesma ocasião houve exposição dos livros da Biblioteca da Academia Marataizense de Letras com autores de Marataízes, São Jo-sé do Calçado, Cachoeiro de Itapemirim e Vitória.
Por solicitação da Presidente Bárbara Pérez da Academia Marataizense de Le-tras, da Cidade de Marataízes, ES, estivemos na simpática cidade de Piúma, aos pés do Monte Agha, onde participamos de um evento organizado pela Professora Sarah Vervloet. Uma excelente oportunidade de divulgar a Trova numa realização de um Oficina de Criação Poética com ênfase na Trova.
Após a Oficina apresentada por mim, Clério José Borges e Albércio Nunes, com a participação no Sarau de Bárbara Pérez e de Roberto Vasco, um Concurso Relâmpago de Trovas sendo vencedor o Novo Trovador, Argeu Ribeiro, que rece-beu uma Medalha de Honra ao Mérito, das mãos de Albércio Nunes e de Zenaide Emília Thomes Borges. Destaque para o show de Francisco Lopes Gonçalves. Duas escritoras lançaram livro na ocasião após uma conversa com os alunos. Um dos livros lançados consegui anotar e fotografar, O MUNDO DE CÁ. Entre os livros Lan-çados, Sorteados e doados, o Livro SERRA COLONIZAÇÃO DE UMA CIDADE, edita-do com recursos da Lei Chico Prego de incentivo à Cultura.

CLÉRIO BORGES TOMA POSSE COMO ACADÊMICO
DA ACADEMIA IUNENSE DE LETRAS – IÚNA, ES.
Solenidade da Academia Iunense de Letras.
2015 – A Academia Iunense de Letras, da Cidade de Iúna, ES, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura realizou na última Quarta-feira, dia 11 de novembro, durante as comemorações do bicentenário de Criação do Quartel do Rio Pardo, Ses-são Solene Especial quando foram empossados oficialmente como Acadêmicos Cor-respondentes, os Poetas e Escritores Clério José Borges de Sant Anna, presidente do Clube dos Trovadores Capixabas e Edy Soares. O evento foi realizado com início às 19 horas, no Salão da 3ª. Idade de Iúna e contou com a presença do Prefeito Municipal da Cidade de Iúna, (região Caparaó), Rogério Cruz (PDT) e do Secretário de Cultura, Esporte e Turismo de Iúna, Edmar Henriques da Costa, (conhecido co-mo Acanhado). A solenidade foi presidida pelo Presidente da Academia, José Salotto Sobrinho. Na ocasião foi realizado o relançamento do Livro de Clério José Borges, SERRA COLONIZAÇÃO DE UMA CIDADE, editado com recursos da Lei Chico Prego de incentivo à Cultura.
Agradeço a honra que me foi concedida e prometo bem representar tão nobre sodalício. A honra foi minha participar da solenidade a participar desta Academia de Letras, celeiro de intelectuais da estirpe de amigos premiados e admirados no cená-rio cultural capixaba e brasileiro, como o Presidente Salotto, o Poeta Edy Soares e o Acadêmico Matusalém Dias de Moura. Obrigado a todos.
No dia seguinte na quinta-feira, pela manhã por volta das 10 horas, eu, Clério José Borges e Edy Soares concederam entrevista à Rádio Mania FM.

PREFEITO AUDIFAX RECEBE ENTIDADES CULTURAIS
E CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA.
Prefeito Municipal da Serra, Audifax Barcellos na quarta-feira, dia 15 de julho de 2015, o Prefeito Municipal da Serra, Audifax Barcellos recebeu em seu Gabinete, de 15 as 17h10m representantes de várias entidades culturais do Município e mem-bros do Conselho Municipal de Cultura da Serra. Na Pauta várias reivindicações. Se-gundo Rogério Martins estavam presente Dez presidentes de entidades culturais. Clério José Borges, Presidente do CTC Clube dos Trovadores Capixabas e Roberto Vasco, Secretário do CTC estiveram presente juntamente com Suzi Nunes, presiden-te da Academia de Letras e Artes da Serra e outras importantes personalidades cul-turais da Serra, como os Escritores Teodorico Boa Morte, Paulo Negreiros e Pedro Paulo de Souza Nunes.
Durante a reunião, Clério José Borges usou a palavra e enfatizou a necessida-de da tomada imediata de uma providência com relação as Ruínas do Queimado cujas paredes estão prestes a ruir, a cair. Clério lembrou de ter sido entrevistado pelo Jornal Nacional da Rede Globo junto com Aurélio Carlos esclarecendo que an-tes de uma preocupação com uma possível restauração, que pode demorar, o ideal era não deixar que as paredes desabem pois caso as paredes venham a desabar, a administração Municipal receberia muitas críticas da Classe Artística e dos Movimen-tos Negros no Estado e no País, já que a situação das ruínas do Queimado por duas vezes foi exibida no Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão.

PALESTRAS NO CURSO DE AGENTES AMBIENTAIS
APA (ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL) DA LAGOA JACUNÉM
2016 – Clério é também sempre convidado para Palestras em Comunidades, nas Escolas e Cursos de Agentes ambientais mirins. A Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal da Serra possui um Programa de Formação de Agentes Am-bientais Mirins que realiza em diversas Comunidades. Em 2014, 2015 e 2016, o Co-ordenador do Projeto era o Ambientalista Vitor Rosa que sempre convidou Clério José Borges para proferir Palestra sobre a História da Serra. Um trabalho voluntário sem nenhuma despesa para a Prefeitura.
Na quarta-feira, dia 14 de abril de 2016, a convite do Ambientalista Vitor Rosa estivemos na APA (Área de Proteção Ambiental) da Lagoa Jacuném, no Município da Serra, ES, onde no Auditório, no período de 15h10m as 16h30m proferimos Pa-lestra sobre a História do Município da Serra falando de sua colonização pelos Ín-dios Temiminós, de Maracajaguaçu e Araribóia e padre Jesuíta Braz Lourenço.
A palestra ocorreu dentro do Projeto de formação dos Agentes Ambientais Mi-rins, com alunos da Comunidade do bairro de Barcelona. O Curso começou no dia 05 de abril e a palestra de Clério José Borges faz parte de uma série de Palestras visando a formação de Agentes Ambientais Mirins que após o Curso recebem Certi-ficado e Uniforme para atuarem de forma voluntária visando a preservação do meio ambiente da Serra. Mais de 20 alunos participaram da Palestra. Na Apa da Lagoa Jacuném funciona uma Unidade da Polícia Militar Ambiental, onde tive a oportunida-de de rever, o meu amigo Sargento Reis. No local fui recepcionado também por Joãozinho, que nas horas de folga é um exímio produtor de eventos.

VEREADOR JOEL RANGEL REALIZA SESSÃO SOLENE DO
DIA MUNICIPAL DO POETA TROVADOR EM VILA VELHA
2016 – Em comemoração ao Dia do Poeta Trovador no Município de Vila Ve-lha, Lei N.º 5732 de 11 de Abril de 2016 e publicada no Diário Oficial do Estado em 13 de Abril de 2016, a Câmara Municipal, através de iniciativa do Vereador Joel Ran-gel realizou Sessão Solene, no último dia 23 de Junho, com início às 19h30m, com a participação da Diretoria do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, Presidente, Aca-dêmico e Trovador Clério José Borges de Sant Anna; Vice Presidente Acadêmica Ká-tia Bobbio; Secretário Geral, João Roberto Vasco Gonçalves e Diretores de Cultura, Cleusa Lourdes Madureira Vidal e de Eventos Paulo Roberto Ribeiro Walter de Ne-greiros.
A Sessão contou com os discursos do próprio proponente da Sessão Verea-dor Joel Rangel, do Presidente do CTC, Clério José Borges, da Professora Ester Abreu da Academia Feminina Espírito Santense de Letras; do Presidente da Acade-mia de Letras de Vila Velha, Acadêmico Horácio Xavier, da Diretora de Cultura, Cleu-sa Lourdes Madureira Vidal e do Presidente do Conselho Municipal de Políticas Cultu-rais de Vila Velha, Docca Loureiro.
A parte musical contou com apresentações dos Cantores Carlos Bonna, Beko Macedo e Evandro Pereira Bellumat. Declamando Poesias os destaques foram Edy Soares, Maria Viola Bonna e João Roberto Vasco Gonçalves que após apresentar seu poema em homenagem a Vila Velha, apresentou a sua mãe, Maria Cândida Vasco Gonçalves, de 85 anos que encantou a todos declamando versos do Cancio-neiro Popular.
O Dia Municipal do Poeta Trovador em Vila Velha é comemorado no dia 1º de julho de cada ano e a data foi escolhida por ser a data de fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, ocorrida em 1º de julho de 1980, pelo Presidente Clério José Borges. A Sessão foi bastante prestigiada, sendo que um total de 103 pessoas fo-ram homenageadas com Diploma conferido especialmente para a solenidade pela Câmara Municipal de Vila Velha.
A solenidade terminou por volta de 22 horas.

CLÉRIO JOSÉ BORGES É HOMENAGEADO PELOS ALUNOS DO
EJA ENSINO MÉDIO NO BAIRRO DE FEU ROSA
2016 – Na quinta-feira, dia 14 de abril de 2016, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio ANTONIO ENGRACIO DA SILVA, turno Noturno, localizada no bairro de Feu Rosa, no Município da Serra, no Estado do Espírito Santo, realizou uma gincana entre as turmas e a tarefa do dia 14/04 (Quinta-Feira) era um arquivo confidencial dos escritores capixabas, descobrindo e conhecendo escritores residen-tes no município de Serra.
Foram convidados os Escritores Clério José Borges, Angelina dos Reis, Maria do Carmo, Cleumir, Carlos José o CE JOTA, os quais em sua maioria residentes no próprio bairro de Feu Rosa, no Município da Serra e Escritores e artistas que partici-pam do Projeto da Lei Cultural Chico Prego.
O Escritor Poeta Trovador, Historiador Clério José Borges foi convidado pela Pedagoga da Escola, Cristiane Ribeiro Ventura Martins e recebeu homenagem dos alunos do EJA Ensino Médio na gincana entre as turmas. Na homenagem foi a leitu-ra para todos alunos reunidos na Quadra de Esportes do histórico da vida de Clério José Borges em ritmo de Rap/Poesia informando desde o seu nascimento no bairro de Aribiri no Município de Vila Velha até a fundação da Academia de Letras e Artes da Serra e a publicação de sua obra mais importante e mais lida, “História da Ser-ra”.
Emocionado, Clério José Borges que estava acompanhado de sua esposa Ze-naide Emília Thomes Borges agradeceu numa Trova de improviso a homenagem dos alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos) Ensino Médio. Clério recebeu dois Cartazes com fotos de sua vida família, bem como uma foto com o Troféu Carlos Drummond de Andrade.

CONSELHEIRO INTERNACIONAL
2016 – Em data de 15 de abril de 2016, Clério José Borges recebe Diploma de Conselheiro Internacional assinado pelo Escritor Luiz Antônio Cardoso, Presidente Internacional do Movimento União Cultural, com sede na cidade de Taubaté, São Paulo.

CLÉRIO JOSÉ BORGES É ENTREVISTADO NO PARQUE
DA CIDADE SOBRE A MONTANHA DO MESTRE ÁLVARO
2016 – A convite da Produtora, Simone Patrocínio, o Escritor Clério José Bor-ges foi entrevistado na data de hoje, dia 06 de abril de 2016 pela equipe de filma-gem do documentário sobre a montanha do Mestre Álvaro, com o título, “MESTRE ÁLVARO, EXPEDIÇÃO. DOC”. O Documentário produzido com o apoio da Lei Chico Prego, tem como Produtora Simone Patrocínio e, como Diretora Roberta Taufner, Diretor de Fotografia, Fábio Machado e Diretor de Imagens e Editor, Juliano Sera-fim.
Clério falou sobre a montanha que dá origem ao nome da cidade da Serra, sobre a Lenda do Pássaro de fogo e várias outras curiosidades sobre o Mestre Álva-ro, que é um patrimônio natural do Estado do Espírito Santo.
A Serra, montanha do Mestre Álvaro, de 833 metros de altura, foi que deu nome a cidade da Serra, na região da Grande Vitória, no Espírito Santo. O Morro do Mestre Álvaro é uma área de Proteção Ambiental.

CONVERSA DO ESCRITOR COM CLÉRIO JOSÉ BORGES
NO SESC GLÓRIA – VITÓRIA ESPÍRITO SANTO
2016 – No dia 29 de abril de 2016, uma sexta feira, no SESC GLÓRIA a Con-versa do Escritor foi com Clério José Borges numa mediação do Jornalista, Rubinho Gomes Participação de estudantes e Acadêmicos de diversas Academias de Letras. O Destaque para o ambientalista Ademir Da Mata e os Acadêmicos Edilson Celestino Ferreira, Ângela Lino Veríssimo, Roberto Vasco e Kátia Bobbio. A presença do Can-tor e Compositor Carlos Bona e da Poetisa Maria Viola Bona.
Também participaram o músico Jojó Borges e esposa e alunos e professores de uma Escola do bairro de Jardim Carapina, que inclusive, formularam perguntas, consideradas muito boas e pertinentes ao momento da Conversa com o Escritor.
Clerio Borges falou sobre a colonização do Estado do Espírito Santo e sobre a colonização da Serra, bem como sobre a Revolta dos Negros Escravos do Distrito do Queimado, assuntos do seu mais recente livro, “Serra Colonização de uma cida-de”. Clério aproveitou para abordar dois assuntos polêmicos e interessante de sua obra:
1) O Índio Manemoaçu, filho de Maracajaguaçu e irmão de Araribóia que teria sido abduzido por Extraterrestres no Município da Serra. Abordou ainda sobre o ca-so do livreiro Onílson Pátero que em 26 de abril de 1974, numa viagem rotineira e trabalho á noite viajava pela SP-333 quando perto de Guarantã – SP, por volta das 23h30, foi capturado por uma nave espacial e seis dias depois, no meio da madru-gada, foi deixado no alto de um morro na região de Colatina – no Estado do Espírito Santo. Estava a cerca de mil quilômetros de distância de onde fora capturado.
2) A Negra escrava que participou da Revolta dos Negros Escravos no Distrito do Queimado em 19 de março de 1849, a Negra Bastiana, citada em publicação de Luiz Guilherme Santos Neves e do escritor João Felício dos Santos, autor do Ro-mance sobre a Escrava Chica da Silva. O Agradecimento a Wilson Coelho e Flávia Canto pelo Convite e pela organização do evento.

PALESTRAS NA CIDADE DE SÃO MARIA DE JETIBÁ
2016 – No dia 19 de maio de 2016, numa quinta-feira, o Clube dos Poetas Trovadores através do seu Presidente Acadêmico, Poeta e Trovador Clério José Borges de Sant Anna e de seus associados, João Roberto Vasco Gonçalves, Magnó-lia Pedrina Sylvestre e Zenaide Emília Thomes Borges visitaram a cidade pomerana de Santa Maria de Jetibá sendo recepcionados pela Sra. Diomedes Maria Calimam Berger. O primeiro compromisso foi logo pela manhã, por volta de 10h30m, na Escola Graça Aranha, onde foi proferida uma Oficina de Trovas para cerca de 150 alunos reunidos em um auditório. Após a palestra, os alunos começaram a produzir trovas mostrando o grande interesse pela Poesia.
O Almoço foi na Casa do Médico da Cidade, Dr. Lourival Berger, esposo da Sra. Diomedes. Uma galinha com polenta no jeito das melhores tradições pomera-nas. À tarde visitamos a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio São Luiz, no bairro de São Luiz, onde estavam reunidos alunos do matutino, do vespertino e do noturno, do EJA – Educação de Jovens e Adultos.
Na Escola São Luiz, fomos recepcionados pela professora Carmem Lúcia. A noite por volta das 19h30m estivemos no Ensaio da Banda de Coro de Metais da Paróquia Evangélica de Confissão Luterana de Santa Maria de Jetibá, onde estava presente o Regente Renato Strelow.

LIVRO DE CLÉRIO JOSÉ BORGES É LANÇADO
BIENAL RUBEM BRAGA DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM
2016 – Na quarta-feira, dia 1º de junho de 2016, com início às 14h30m, o his-toriador, Escritor Capixaba, Poeta e Trovador, Clério José Borges, Acadêmico Cor-respondente da Academia Cachoeirense de Letras e presidente Fundador da Acade-mia de Letras e Artes da Serra, participou da VI Bienal Rubem Braga, que ocorreu entre 31 de maio e 5 de junho na Praça de Fátima, em Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Espírito Santo.
Na oportunidade, Clério José Borges relançou o seu Livro “Serra, Colonização de uma cidade”, publicado com recursos da Lei Chico Prego de incentivo a Cultura. O lançamento ocorreu na Sala Rubem Braga e foi organizada pela Academia Cacho-eirense de Letras (ACL), tendo como Curador da Sala o acadêmico Roney Moraes.

HOMENAGEM DA UBT DE VITÓRIA E CLÉRIO RECEBE TROFÉU
“NOTÁVEL TROVADOR” E TROFÉU “ALTO MÉRITO CULTURAL”
NO PROJETO “ENCONTROS”, NO SHOPPING JARDINS
2016 – Na quarta-feira, dia 13 de julho de 2016, durante a 10ª edição do Proje-to Encontros, coordenado pelos músicos, Alex Kruger e Beto Penedo, aconteceu o Sarau Poético da UBT, União Brasileira de Trovadores, seção de Vitória presidida pelo Trovador Matusalém Dias de Moura. O Sarau Poético aconteceu no Shopping Jardins localizado no bairro de Jardim da Penha, em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo.
Matusalém aproveitou a oportunidade para conferir Troféus de Amigos dos Trovadores e Troféu de Notável Trovador. O Projeto “Encontros” conferiu também aos homenageados o Troféu Alto Mérito Cultural. Foram homenageados entre ou-tros, Maria Marino Schneider, Clério José Borges, Edy Soares, Roberto Vasco, Kátia Bobbio, Ângela Veríssimo, Magnólia Pedrina Sylvestre, Albércio Nunes Vieira Macha-do, Sérgio Soares Dutra e Cleusa Lourdes Madureira Vidal.
Clério teve oportunidade de rever a sua professora na Universidade Federal do Espírito Santo quando fazia o Curso de Direito, a Professora de Língua Portuguesa, Dalva Marchezi. Também no evento a Trovadora Cacilda Nunes Frota.

MEDALHA MARIA ANTONIETA TATAGIBA.
2016 – No dia 18 de março de 2016, Clério José Borges receber a Medalha “Maria Antonieta Tatagiba” da Academia Mateense de Letras, AMALETRAS, em sole-nidade realizada na auditório da Escola Conhecer, no Centro da Cidade de São Ma-teus, norte do Estado do Espírito Santo.
Clério foi homenageado como Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, pela Presidente da AMALETRAS, Dra. Marlusse Pestana Daher. Na mesma oca-sião foram também homenageados: Davi Alberto Loss, Presidente da Academia de Letras de Cachoeiro de Itapemirim; Ester Abreu Vieira de Oliveira, Presidente da Academia Feminina Espírito-santense de Letras; Suzi Nunes, Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, Regina Menezes Loureiro, Idealizadora e Coordenadora da Feira Literária Capixaba.

CONGRESSO SOCIEDADE DE CULTURA LATINA
SEÇÃO BRASIL, RIO DE JANEIRO
2016 – A Senadoria Cultural do Estado do Rio de Janeiro do Congresso da So-ciedade de Cultura Latina do Brasil, homenageou Clério José Borges, com um DI-PLOMA DE HONRA AO MÉRITO, seus relevantes serviços sociais, educacionais e culturais prestados ao Brasil, no dia 09 de abril de 2016, no Plenário da Câmara Mu-nicipal na avenida Alberto Torres, 334, Campos dos Goytacazes, RJ, durante a sole-nidade dos Melhores do Ano de 2015 do Estado do Rio de janeiro. A solenidade foi presidida pelo Senador da Cultura do Estado do Rio de Janeiro, Dr. Acadêmico, Agostinho da Conceição Rodrigues Filho, com o apoio da Exma. Professora Verea-dora Maria Auxiliadora Freitas de Souza, da Câmara Municipal de Vereadores de Campos dos Goytacazes/RJ.

PARTILHA DA PALAVRA. HOMILÍA DE CLÉRIO JOSÉ BORGES
2016 – A Cura do Servo do Centurião. No Domingo do Senhor de 29 de maio de 2016, o Escritor e Historiador Capixaba, Clério José Borges, ministro da Palavra da Comunidade São Paulo Apóstolo fez uma homilía sobre a Cura do Servo do Cen-turião, baseado no Evangelho de São Lucas. Clério Borges fala sobre a fé, sobre estarmos sempre com o coração puro e cheio de amor para acolhermos a todos, inclusive os de outras denominações, de outras crenças, os Pagãos, como Jesus fez acolhendo um pagão e como Salomão na leitura do Livro de Reis pede a Deus que aceite em seu templo o Estrangeiro, o pagão. A Comunidade São Paulo Apóstolo é a Igreja Católica do Bairro Eurico Salles, no Distrito de Carapina, no Município da Serra, ES e pertence a Paróquia São José Operário (Pároco Roberto Sottara e pa-dres Carlos e Elio Savoia), da Arquidiocese de Vitória, Capital do estado do Espírito Santo, Brasil.
Uma Palavra de Jesus era tudo que o centurião queria. Uma Palavra de Jesus é o que basta para transformar toda uma situação, mudar uma vida, ressuscitar um morto (literalmente e metaforicamente falando). Esse homem verdadeiramente de-monstrou o que é viver pela fé. Ele não precisou ver Jesus, tocá-Lo, para acreditar que Ele realizaria o milagre.

CLÉRIO JOSÉ BORGES RECEBE NO RIO DE JANEIRO
MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO CONINTER ARTES
NO GRAU DE OFICIAL
Coninter – International Council of Academic of Sciences,
Letters and Arts. COMENDA ORDER MERITO Coninter ARTS.
2016 – Na sexta feira dia 16 de setembro de 2016, um dia após o meu aniver-sário, estive no Rio de Janeiro onde, por indicação do escritor e Acadêmico João Roberto Vasco Gonçalves, fui agraciado com a Medalha de Lapela com barrete de Primeiro Oficial (Medalha da Ordem do Mérito Coninter Artes no Grau de Oficial), em solenidade do CONINTER, Conselho Internacional dos Acadêmicos de Ciências, Le-tras e Artes, presidida por Dom Alexander Comnène Palaiologos Maia Cruz.
A “SOLENIDADE ACADÊMICA” aconteceu na SEDE da FALB / FALARJ (Edifício IHGB) à Rua Teixeira de Freitas, nº 05 / 3º andar / sala 303, Passeio Público, Centro do Rio de Janeiro. A “ORDEM DO MÉRITO CONINTER ARTES” foi outorgada a todos àqueles que prestarem relevantes serviços à Humanidade, às Ciências, as Letras e as Artes no âmbito Geral. O Acadêmico CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT ANNA, re-cebeu a MEDALHA com BARRETE. This happened in the Great Hall of Falb / FALARJ, in the wonderful city of Rio de Janeiro, MRS. CLÉRIO JOSÉ BORGES awarded the Commendation Order of Merit Coninter Arts, the various personalities of internatio-nal renown, the world of Philosophy, science, Arts, Culture, Arts. Uma bela festa com figuras famosas da Cultura e das Letras.
Também foram homenageados do Espírito Santo, Roberto Vasco e Renato Pratini. Estiveram ausentes, os Acadêmicos Paulo Negreiros e João Luiz Castelo Lo-pes Ribeiro, que foram representados por Renato Pratini e esposa e por Clério José Borges que inclusive fez um juramento em nome do Acadêmico Paulo Negreiros e pelo Escritor, João Roberto Vasco Gonçalves.
Também foram homenageados na festa, Joaquim Luiz de Jesus Moreira, os Acadêmicos Yara e Alberto Slomp, a cantora e compositora Lilian Knapp, da Dupla Leno e Lilian. O Cantor Agnaldo Timóteo, O Jogador do Flamengo, Nélio. Carlos Augusto Ordônio, Paulo Roberto de Oliveira Caruso Presidente da ABT Academia Brasileira da Trova, entre muitas outras Personalidades…. Obrigado.
O Acadêmico Clério José Borges de Sant Anna agradece a Dom Alexander Comnène Palaiologos, Ilustre Presidente da IMPERIAL ACADEMIA DE SÃO CONS-TANTINO E SANTA HELENA DE CIÊNCIAS HISTÓRICAS pela honraria recebida, em 16 de setembro de 2016.

CLÉRIO FAZ PALESTRA E É HOMENAGEADO
NO ENCONTRO DA DANÇA SÊNIOR DA SERRA
2016 – Foi realizada na quinta-feira, (30 de junho de 2016), no auditório da Câmara Municipal da Cidade da Serra, na Grande Vitória, Espírito Santo, o II Encon-tro de Dança Sênior da Serra. A coordenação é da dirigente de Dança Sênior, Mag-nólia Pedrina Silvestre, moradora do bairro Eurico Salles, em Carapina, Serra ES. Participam vários grupos de dança Sênior do município. A Festa foi coordenada pelo Vereador Sabino, tendo como Mestre de Cerimônias, o Acadêmico Paulo Negreiros. A vice-prefeita Lourência Riani e a secretária de Ação Social, Elcimara Rangel Lourei-ro também prestigiaram a atividade, além da assessoria do deputado federal Gival-do Vieira. O Escritor, Poeta Trovador Clério José Borges de Sant Anna como Convi-dado Especial falou sobre a História da Serra e seu livro lançado com recursos da Lei Chico Prego, Serra Colonização de uma cidade. Clério falou por cinco minutos sobre Maracajaguaçu e Braz Lourenço fundadores da Serra ES e leu uma Poesia de sua autoria, um Soneto, em homenagem a Serra. Parabéns Acadêmica e Trovadora Magnólia.

SEGUNDA EDIÇÃO DO CAFÉ COM ARTE
SÁBADO CULT – O PRIMEIRO DE 2017
2017 – No sábado dia 07 de janeiro de 2017 foi realizado no Shopping Tiffany Center, na Reta da Penha em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo mais uma promoção do Clube dos Trovadores Capixabas, o Sábado Cult, Café com Arte, com apoio da Cafeteria Vitória (Karini Pirajá). Êxito de festa, êxito de programação. O evento criado com apoio da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS e da Asso-ciação dos Artistas Plásticos da Serra foi bastante concorrido e sucesso de público. O Mestre de Cerimônias Paulo Negreiros abrilhantou como sempre o evento, que teve declamações de Maria Viola Bona, Magnólia Silvestre, Ângela Lino Veríssimo, Albércio Nunes, Berenice Albuquerque Tavares que leu Poesias do Livro “EM SUAS MÃOS”, de autoria de sua mãe, Ruth de Albuquerque Tavares, Clério José Borges que declamou trovas e Margarida Drumond de Assis, Vera Maria Da Penha e Rober-to Vasco. Show especial da Declamadora Oficial do CTC, Cleusa Lourdes Madureira Vidal…
O evento contou com os shows musicais de Béko Macedo e Carlos Bona, e lançamento de livros de Paulo Stuck Moraes, Margarida Drumond de Assis, Vera Maria Da Penha. Também teve Recreação Infantil e sorteios de ingressos para o ensaio da Escola de Samba Unidos de Jucutuquara. Na hora poetas e músicos se apresentaram no espaço destinado as atrações que surgem na hora. O destaque foi o Gabriel do Salão Argentino, que cantou alegrando a todos. O Show de Carlos Bo-na e o Show de Béko Macedo foram sensacionais….
Café com Arte Sábado Cult Segunda Edição realizada no dia 07 de janeiro de 2017, primeiro sábado de cada mês. Evento com coordenação Geral de Clério José Borges e coordenação e apoio do Escritor João Roberto Vasco Gonçalves e dos Poetas Albércio Nunes, Edilson Celestino Ferreira e Paulo Negreiros. Apoio da Em-presária Karini Pirajá da Cafeteria Vitória do Tiffany Center, na Reta da Penha em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo.

CARNAVAL EM VITÓRIA É O PRIMEIRO DO BRASIL.
2017 – O Desfile das Escolas de Samba da Grande Vitória na Capital do Estado do Espírito Santo é sempre realizado uma semana antes do Carnaval Oficial do Rio de Janeiro. Em 2017 preocupados com um movimento de aquartelamento da Polícia Militar imaginaram que não haveria Carnaval. Mas, o Carnaval aconteceu nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2017, Sexta e sábado. A Escola de Samba Tradição Serrana do Município da Serra desfilou na sexta feira (na verdade já na madrugada de Sábado, dia 18 de fevereiro por volta de 02 horas da madrugada).
O bairro Eurico Salles participou com a Ala Caçadores de Bruxas organizado por Cristina Fedulo moradora da Rua dos Pombos. Vizinha de Clério José Borges, poeta Trovador e Escritor Capixaba.
Na Ala, famílias reunidas como Deinha, Márcio e seus filhos e Clério José Bor-ges e Zenaide estavam lá também junto com o amigo Fabiano Aguiar. Carnaval maravilhoso transmitido pela TV Educativa, Canal 2 e pela Record News e pelo Ca-nal 10 TV Capixaba da Band – Rede Bandeirantes de Televisão.
A Amiga do Facebook LUANDA MOTTA DO RIO DE JANEIRO MANDOU ATÉ UM RECADO PARA CLÉRIO JOSÉ BORGES, QUE CARLOS TOURINHO APRESENTA-DOR DA TV EDUCATIVA E LEU AO VIVO. O Jornal FOLHA VITÓRIA publicou o se-guinte sobre o Desfile da Tradição serrana Capixaba: A bruxa caiu no samba com a Tradição Serrana na primeira noite do Carnaval de Vitória. Sexta escola a pisar na avenida, ela arriscou com o enredo “Sim Salabim, o caldeirão vai ferver”. Bruxarias, dentes de leão, maçã envenenada e até abracadabra estamparam as fantasias dos 1200 componentes de 14 alas da agremiação. O primeiro carro alegórico, por exemplo, era uma referência completa às bruxas. A escola também inovou e trouxe componentes internacionais. O rei e a rainha de bateria vieram do Japão e mostra-ram muita simpatia e samba no pé. Além deles, a rainha da comunidade Pamela Paganini também fez um espetáculo no sambódromo.

SARAU POÉTICO CAFÉ COM ARTE – SÁBADO CULT
NO ANDAR TÉRREO DO TIFFANY CENTER, VITÓRIA-ES
2017 – No dia 04 de fevereiro de 2017 foi realizado mais um Café com Arte, Sábado Cult com organização do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC e apoio da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, Associação dos Artistas Plásticos da Serra, Cafeteria Vitória e Tiffany Center. Abertura do Cerimonial às 10 horas da ma-nhã, foi coordenada pelo Acadêmico e Poeta João Roberto Vasco Gonçalves. Clério José Borges, presidente do CTC – Clube dos Trovadores Capixabas, fez o Lança-mento Oficial na Grande Vitória dos Concursos Estadual e Internacional de Crônica, Contos, Poesia, Trova e Haicai, do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, com a entrega de prêmios no XIII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, a ser reali-zado nos dias 06, 07, 08 e 09 de julho de 2017, na Cidade de Castelo, sul do Estado do Espírito Santo.
O show de abertura foi executado pelo Cantor Beko Macedo. Lançaram livros: Vera Maria da Penha, que relançou os livros IRINEU, O CUIDADOR e RIO MARI-NHO; João Roberto Vasco, Relançou DOSSIÊ GUARAPARI; Maria Cândida Vasco Gonçalves relançou seu livro Doces lembranças. Clério José Borges, relançou seu livro: SERRA COLONIZAÇÃO DE UMA CIDADE, editado com recursos da Lei Chico Prego e Ananias Novais, apresentou seu Livro, “Diário de um Trovador”, editado com recursos da Lei Chico Prego da Serra, ES. Também foi feito o lançamento do Projeto REVISTA CULTURAL, com o Escritor Alberto Mensageiro.
O Clube dos Trovadores Capixabas, CTC conferiu neste evento, a COMENDA JOSÉ DE ANCHIETA ao Escritor do mês: João Roberto Vasco Gonçalves. Recebeu a Comenda José de Anchieta das mãos de sua mãe, escritora e poetiza, maria Cândi-da Vasco Gonçalves. Escritora do mês: Cleusa Lourdes Madureira Vidal. Recebeu a Comenda José de Anchieta das mãos do Poeta Agostinho Rodrigues de Campos dos Goitacazes, Rio de Janeiro. Jornalista do mês: Paulo Carneiro, residente no Municí-pio da Serra, ES e editor do Jornal O PORRETE que recebeu a Comenda José de Anchieta das mãos da Acadêmica e Trovadora, Neiva Fernandes, de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro.
Houve declamação especial e leitura de Poesias com os Poetas presentes no evento: Albércio Nunes, Edilson Celestino Ferreira, Roberto Vasco e Clério José Bor-ges, Cleusa Madureira Vidal, Kátia Bobbio, Maria Cândida Vasco Gonçalves, Vera Maria da Penha, Ananias Novaes, Adonias Baldan e Soêmia Pimentel Cipreste. O Show especial de encerramento foi do Cantor Beko Macedo (CÍCERO MACEDO PE-REIRA).

FUNDAÇÃO DA ACADEMIA DE LETRAS JURÍDICAS
2017 – Tendo visitado no Estado da Paraíba o Escritor Ricardo Bezerra, Presi-dentes Nacional das Academias de Letras Jurídicas do Brasil, Clério José Borges vol-tou para o Espírito Santo com a missão de fundar a Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo. De imediato convida suas vizinhas, Magnólia Pedrina Syl-vestre e Luzia Ester Doná e no dia 25 de março de 2017, numa Assembléia Geral na própria residência de Clério José Borges, na Rua dos Pombos, 2 – Eurico Salles foi fundada a Academia de Letras Jurídicas do estado do Espírito Santo, de sigla ACALE-JES, com sede e foro No Município da Serra, no Estado do Espírito Santo.
A ACALEJES é uma Associação Civil de Direito Privado, Organização não Go-vernamental, de caráter social e cultural, sem fins lucrativos, (sem fins econômi-cos), com autonomia administrativa e financeira e, de âmbito Estadual, com jurisdi-ção em todo Estado do Espírito Santo e de duração por tempo indeterminado, com Sede Social no Município da Serra no Estado do Espírito Santo funcionando proviso-riamente na Rua dos Pombos, Nº 02, sala 2, no 2º Andar, Bairro Eurico Salles, Mu-nicípio da Serra ES, CEP: 29160-280.
É composta de um grupo de pessoas maiores e capazes e, reger-se-á pelo presente Estatuto e disposições legais aplicáveis e pela legislação específica, con-forme Artigo 54 do Código Civil, sendo de imediato composta uma Diretoria que foi eleita por unanimidade, composta das seguintes pessoas: Presidente: LUZIA ESTER DONÁ; Vice-Presidente: MAGNÓLIA PEDRINA SYLVESTRE; Secretário Geral: CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT´ ANNA; Tesoureiro Geral: JOÃO ROBERTO VASCO GON-ÇALVES; Primeira Secretária: MARGARETH GONÇALVES PEDERZINI; CONSELHO FISCAL – Conselheiro Titular, Presidente: PAULO ROBERTO RIBEIRO WALTER DE NEGREIROS; Conselheiro Titular Vice Presidente: TEODORICO BOA MORTE; Conse-lheiro Titular Secretário: JONAS PEREIRA GREGÓRIO; Conselheira Suplente: LUCI-NEIA FERREIRA PAZ DE NEGREIROS.

SOLENIDADE DE ENTREGA DA COMENDA
AMIGOS DA EDUCAÇÃO NO IHGES
2017 – A ONG AMIGOS DA EDUCAÇÃO e o Clube dos Trovadores Capixabas – CTC , nas pessoas de seus presidentes, respectivamente, Professor Weber José Vargas Müller e o Acadêmico e Historiador Clério José Borges realizaram uma ceri-mônia no dia 24 de março de 2017, sexta-feira, na sede do Instituto Histórico e Ge-ográfico do Espírito Santo, ocasião em que algumas personalidades dos cenários cultural, literário, histórico e educacional foram homenageadas, como forma de va-lorizar “homens e mulheres que se dedicam a enaltecer a nossa gente e a engran-decer as plagas capixabas”.
Durante o evento foram homenageadas as seguintes Personalidades Culturais: Adir Ribeiro; Adonias Baldan; Adriana Pereira Campos; Agostinho Rodrigues; Albércio Nunes Vieira Machado; Alberto Mensageiro; Aldo José Barroca; Aline Nascimento; Almir Zarfeg; Ananias Novais; Ângela Faria de Paula Lima; Angela Lino de Jesus Ve-ríssimo; Athylla Borborema Cardoso; Beatricee Karla Lopes; Berenice de Albuquer-que Tavares; Carlos Bona; Cícero Macedo conhecido como Béko Macedo; Clério José Borges de Sant Anna; Cleusa Madureira Vidal; Clores Holanda Silva; Dilercy Ara-gão Adler; Elizete Terezinha Caser Rocha; Ester Abreu Vieira de Oliveira; Felisberto José Vasco Gonçalves, (Beto Gonçalves); Fernando Antônio de Moraes Achiamé; Francisco Aurélio Ribeiro; Francisco Gondar, (Francisco Cesar Monteiro Gondar); Francisco Inaldo Lima Lisboa;
Também foram homenageadas as seguinte Personalidades Culturais: Gabriel Augusto de Mello Bittencourt; Gelson Loiola; Geraldo Fernandes; Getúlio Marcos Pereira Neves; Gisele Ellen; Goreth Pereira; Horacio Cesar Xavier Santos (Horacio Xavier); João Roberto Vasco Gonçalves; José Roberto Santos Neves; José Rodri-gues Pereira; Jucey Santos de Santana; Karina Schmidt Furieri; Karini Pirajá Gomes; Kátia Bobbio; Lenaldo Ferreira da Silva (Aldo Veranatto); Luciene Costa; Lucinéia Ferreira Paz; Luiz Henrique Becker; Magnólia Pedrina Sylvestre; Manoel Góes Neto; Margarete Gonçalves Pederzzine; Maria Auxiliadora Freitas de Souza; Maria Cândida Vasco Gonçalves; Maria Dirce Barcelos; Maria Dolores Pimentel de Rezende; Maria Lúcia de Godoy Pereira; Maria Suzi Costa Nunes; Maria Viola Bona; Marlusse Pesta-na Daher; Matusalém Dias de Moura; Neiva de Souza Fernandes; Nelson Gonçalves; Paulo Melo Sousa; Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros; Paulo Stuck Moraes; Regina Menezes Loureiro; Rosilane da Silva Maia; Ruy Pinto; Soêmia Pimentel Cypreste; Sônia Missagia Mattos; Sônia Roseto; Soraya D. Assad; Sylvio Silva Vitali; Valda Fogaça; Valdemir Ribeiro Azeredo; Vinicius Muline dos Santos; Walter de Agui-ar Filho; Zenaide Emília Thomes Borges.

ACLAPTCTC E CLÉRIO JOSÉ BORGES PARTICIPAM DA
IV FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA, FLICA 2017
Feira Literária Capixaba 2017, Mesa Redonda Mediador Clério José Borges.
2017 – A IV Feira Literária Capixaba (Flica, ES) foi realizada de 17 a 21 de maio de 2017, com entrada gratuita e vasta programação. Organizadores da Feira: Ester Abreu, Regina Menezes Loureiro, Suzi Nunes e o Jornalista Álvaro Silva. O local do evento foi a UFES, Universidade Federal do Espírito Santo e a FLICA 2017 foi reali-zada no CAMPUS DE GOIABEIRAS, em Vitória, ES. A Feira teve uma programação vasta – distribuída entre a Tenda Cultural e o Auditório do CCE –, sendo um dos trunfos da feira a sua pluralidade: palestras, mesas redondas, atividades voltadas para crianças e, dentre outras ações, o lançamento de 75 obras literárias de autores capixabas. Um dos Escritores que lançaram Livro foi João Roberto Vasco Gonçal-ves, secretário Geral do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC. Também lançaram Livro Vera Maria da Penha. Clério assistiu a Palestra de Caco Appel sobre o Mercado Literário e, uma palestra sobre cinema com Valentina e outra palestra no dia 20 sobre o Instituto Histórico com Vinicius Muline e Walter Aguiar Filho, com mediação do Presidente do IHGES, Getúlio Neves.
Prestigiamos a contação de Histórias de Valsema Rodrigues e a apresentação da Banda do Exército Brasileiro e muitas outras atrações. O Sarau Poético da ALEAS – Academia de Letras e Artes da Serra foi excelente, com participação de vários Acadêmicos da ALEAS, inclusive Clério José Borges, com Paulo Negreiros funcionan-do como Mestre de Cerimônias. A Acadêmica e Professora de Dança Sênior Magnó-lia fez apresentação especial de suas alunas. Clério José Borges de Sant Anna, Pre-sidente do CTC esteve no local registrando os eventos da quinta-feira, dia 18 de maio e do sábado dia 20, quando Clério José Borges fez a mediação de uma Mesa Redonda com o tema “PRODUÇÃO E ATIVIDADES DAS ACADEMIAS DO ESPÍRITO SANTO EM PROL DA CULTURA E DA LITERATURA DE SEU MUNICÍPIO E LANÇA-MENTOS”. Detalhes da Mesa Redonda: “Produção e atividades das Academias do Espírito Santo em prol da cultura e da literatura de seu município e lançamentos” Participantes – Ibatiba: José Ribeiro; representado por Edy Soares. Iúna: José Salot-to, Castelo: Maria José Vettorazzi, que foi representada pela Escritora Felícia Scabe-lo Silva. Vila Velha: Horacio Xavier; Serra: Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negrei-ros. Mediador: Clério José Borges.

XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS TROVADORES
2017 – Foi realizado de 06 a 09 de julho de 2017, na Cidade de Castelo, interi-or do Estado do Espírito Santo, o XIII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores no Salão Nobre da Câmara Municipal de Castelo. O evento teve a Serenata animada pelo Grupo Alegre Seresteiro, de Alegre, ES, bem como a realização de oficinas de criação poética, palestras, exposições de artes plásticas e fotografias e lançamento de livros de diversos autores no Centro Cultural e Turístico de Castelo.
Também foram realizados lançamento de livros, performances artísticas, exi-bição de vídeos culturais e concurso relâmpago de trovas no Centro Cultural e Turís-tico de Castelo, bem como Missa em Ação de Graças pelos Trovadores, realizada na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha e Entrega de Comendas e prêmios aos classificados nos concursos de prosa, poesia, trova e haicai no Teatro Municipal de Castelo Artênio Merçon e Homenagens do Clube dos Trovadores Capixabas, Câma-ra Municipal de Castelo e Prefeitura Municipal de Castelo com performances artísti-cas, aos escritores castelenses Mário Morcerf (in memoriam), Kátia Bento, Sebasti-ão Ribeiro Filho, Marcílio Persici e Livaldo Campana, no Teatro Municipal de Castelo Artênio Merçon. O encerramento do Congresso ocorreu no Domingo, com redação da Carta de Castelo, a ser encaminhada às autoridades ligadas à Educação e Cultura do país e a eleição do município sede do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trova-dores a ser realizado em 2018, bem como a entrega de certificados aos participan-tes do evento.
A Comissão Julgadora do Concurso Nacional de Trovas do Clube dos Trovado-res Capixabas composta dos professores Roberto Costa, Luiz C. Braga e José de Anchieta acaba de divulgar o Resultado Final do Concurso de 2017, informando que foram recebidas, no período de 15 de novembro de 2016 a 1º de maio de 2017, um total de 506 trovas de diversos Estados Brasileiros, sendo vencedora a Trova da Escritora Neiva de Souza Fernandes, ex presidente da UBT, União Brasileira de Tro-vadores de Campos dos Goytacazes, no Estado do Rio de Janeiro. Em 2º lugar foi classificada a Trova de Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho, de Juiz de Fora, MG. Em 3º lugar a Trova de Paulo Cesar de Oliveira Tórtora, de Marechal Hermes, Rio de Janeiro.
Em 4º lugar, a Trova de Abílio Kac, residente na Gávea, no Rio de Janeiro. Em 5º Lugar foi classificada a Trova de Cristina Cacossi, de Bragança Paulista, SP. Os demais classificados foram: 6º Lugar: José Carlos Baeta, residente em Belo Horizon-te, MG; 7º Lugar: Carlos Augusto Alencar, de Campos do Goytacazes, RJ; 8º Lugar, a Trova de Maria Lúcia de Godoy, de Belo Horizonte, MG; Em 9º Lugar foi classifi-cada a Trova de Cleber Roberto de Oliveira, de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, RJ. 10º Lugar a Trova de Agostinho Rodrigues, de Campos dos Goytacazes, RJ.
No Concurso de Trovas para trovadores residentes no Estado do Espírito San-to foram recebidas 186 trovas e, os vencedores foram: 1º Lugar: Albércio Nunes, de Cidade Continental, Serra, ES; 2º Lugar Nealdo Zaidan, de Anchieta, ES; 3º Lugar Roberto Vasco, de Jardim da Penha, Vitória, ES; 4º Lugar: Geraldo Fernandes, de Vitória, ES; 5º Lugar: Dinair Surdine, de Serra, ES; 6º Lugar: Marcos Bubach, de Ca-riacica, ES;
7º Lugar: Magnólia Pedrina Sylvestre, de Eurico Salles, Serra, ES; 8º Lugar Ze-naide Emília Thomes Borges, carapina, Serra, ES; 9º Lugar: Robson Martins, de Vila Velha, ES e 10º Lugar: Clério José Borges, de Eurico Salles, Carapina, Serra, ES. Os três primeiros colocados receberam troféus e os demais, do 4º ao 10º lugar recebe-ram Medalha. Os prêmios foram entregues durante o XIII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores na Cidade de Castelo, no sul do Estado do Espírito Santo, de 06 a 09 de julho.

24º ANIVERSÁRIO DA ALEAS – ACADEMIA
DE LETRAS E ARTES DA SERRA – ES.
2017 – A Câmara Municipal da Serra no Estado do Espírito Santo realizou no dia 25 de agosto de 2017, solenidade alusiva aos festejos dos 24 anos de fundação da ALEAS, Academia de Letras e Artes da Serra, ocasião em que Clério José Borges e os demais Senhores Acadêmicos foram homenageados com um Diploma Especial assinado pelo Presidente João Luiz Castello Lopes Ribeiro. Além dos Acadêmicos vários Escritores do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, Academia Feminina Es-pírito-santense de Letras e Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo foram homenageados.
O evento fez parte da Semana do Artista realizado no Auditório Paulo Pereira Go-mes, da Câmara Municipal da Serra onde Clério José Borges foi convidado e proferiu palestra sobre a História da Serra tema de alguns dos seus livros, no dia 22 de agosto de 2017, pela manhã, no horário de 09h30m, conforme programação de-senvolvida e divulgada na época do evento.

PALESTRA NO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA
2017 – No dia 21 de setembro de 2017, Clério José Borges proferiu palestra com o tema “A História da Serra e Oficina de Criação Poética”, na Formação Conti-nuada de Língua Portuguesas, realizada pela Secretária Municipal de Educação da Serra, perfazendo uma Carga Horária de 10 horas. A palestra foi realizada no Centro de Formação Prof. Pedro Valadão Perez, na av. José Moreira Martins Rato, 21 Bair-ro de Fátima, Serra, ES.

ASSEMBLÉIA GERAL DO CTC REELEGE O TROVADOR
CLÉRIO JOSÉ BORGES COMO PRESIDENTE
2017 – Com a presença honrosa da Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal da Serra, Acadêmica Sandra Regina Bezerra Gomes e representantes da Academia Feminina Espirito Santense de Letras, Acade-mia Espirito Santense de Letras, Academia de Letras e Artes da Serra, Academia de Letras de Vila Velha, Academia de Letras de São Mateus, de Iúna e de Marataízes e Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo foi realizada no sábado dia 30 de Setembro de 2017, na área de Lazer do Sindipol – Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Espírito Santo, na Rodovia Governador Mário Covas, a BR 101, em Jardim Carapina, Serra, ES, a Assembléia Geral Extraordinária prevista em seu Esta-tuto para a eleição e posse da nova Diretoria com mandato até 30 de Abril de 2019.
Na ocasião foi declarada eleita e empossada a Chapa única intitulada CULTU-RA VIVA composta dos seguintes Poetas e Simpatizantes da Trova: Conselho de Administração: Presidente: Clério José Borges de Sant Anna, Secretário Geral do Conselho de Administração: João Roberto Vasco Gonçalves. Diretoria Executiva do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC: Presidente da Diretoria Executiva: Clério José Borges de Sant Anna. Vice-Presidente da Diretoria Executiva: Kátia Maria Bobbio Lima. 1º Secretário da Diretoria Executiva: João Roberto Vasco Gonçalves. 1º Te-soureiro da Diretoria Executiva: Clérigthom Thomes Borges. Conselho Fiscal – Con-selheiro Titular Presidente: Edilson Celestino Ferreira. Conselho Fiscal – Conselheiro Titular Secretário: Tomaz Silva dos Santos. Conselho Fiscal – 1º Conselheiro Suplen-te: Valdemir Ribeiro Azeredo. Conselho Fiscal – 2º Conselheiro Suplente: Andréia da Silva Fraga. Conselho Fiscal – 3º Conselheiro Suplente: Magnólia Pedrina Sylvestre. A nova Diretoria definiu também o preenchimento de cargos auxiliares ficando empos-sados na mesma ocasião, os Poetas Paulo Negreiros, como Mestre de Cerimônias do CTC; Albércio Nunes Vieira Machado, Diretor de Cultura e Soêmia Pimentel Cyprestes, Diretora de Eventos e Promoções. Na ocasião foi realizado um recadas-tramento de antigos sócios e novos sócios foram admitidos como, por exemplo, a Escritora Maria Viola Bona e seu esposo o Cantor e Compositor Carlos Bona.
Durante o evento foi realizado um Concurso Relâmpago de Trovas, tendo sido recebidos um total de 36 Trovas sendo escolhidas as seis melhores Trovas que fo-ram lidas no microfone pelo Mestre Cerimônias, Paulo Negreiros, sem a identifica-ção do autor. A escolha foi por votação popular sendo a mais votada a Trova iden-tificada depois como de autoria da Trovadora Dinair Surdine, residente na Serra: TROVA VENCEDORA EM 1° LUGAR: TEMA DO CONCURSO RELÂMPAGO DE TROVAS: ÁREA DE LAZER: Eu entrei para beber / num lugar bem prazeroso / nesta área de lazer / mas, que ambiente gostoso. Autora: Dinair Surdine.
A Alimentação foi por conta do Cerimonial do acadêmico Adir Ribeiro, com coordenação do Churrasco de Clemesson Souza e Clérigthom Thomes Borges e co-ordenação das sobremesas por parte das Acadêmicas Angela Lino Veríssimo e Soêmia Pimentel Cyprestes. A parte musical ficou por conta das belíssimas apresen-tações do cantor e compositor Carlos Bona e depois pelo Cantor e compositor Itamar Ribeiro, residente na Serra Sede e irmão do Acadêmico e Poeta Valdemir Ribeiro Azeredo.
O Livro de Presenças foi assinado por 78 pessoas, considerado um número bastante expressivo já que a grande maioria dos Associados do CTC é do interior do Estado e de outras cidades brasileiras. Definiu-se que o Recadastramento e a admis-são de novos Sócios ocorrerão até o final do mês de dezembro e que o CTC reali-zará uma reunião ordinária da Diretoria no dia 18 de novembro. Já no dia 8 (oito) de dezembro haverá uma Sessão Solene na Câmara Municipal de Anchieta quando vários Trovadores e Artistas serão homenageados, entre os quais, o Poeta Matusa-lém Dias de Moura, Presidente da UBT, União Brasileira de Trovadores de Vitória, Capital do Espírito Santo.
Em seu pronunciamento a Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Sandra Gomes enalteceu o trabalho de Clério José Borges para a Cultura do Município da Serra, do Espírito Santo e do Brasil e anunciou que irá presentear como brinde pessoal, o CTC Clube dos Trovadores Capixabas com uma Aparelhagem de Som para a realização de eventos culturais do tipo Saraus Poéticos e lançamento de Livros nas Praças e nos Shoppings da Serra, do Estado e do Brasil. A nova Diretoria agradeceu o gesto de apoio à Cultura da referida Secretária do Município da Serra, cidade localizada na Grande Vitória, no Espírito Santo.
A novidade aconteceu com o anúncio feito pelo Cantor e Compositor Carlos Bona que comunicou aos presentes que alguns Acadêmicos, entre os quais, Matusa-lém Dias de Moura, Andra Valadares, Horácio Xavier, Valsema Rodrigues, João Ro-berto Vasco Gonçalves e Clério José Borges tiveram trabalhos poéticos seleciona-dos para o próximo CD a ser gravado. A obra selecionada de Roberto Vasco é so-bre o Rio Jucu, localizado no Município de Vila Velha e o trabalho de Clério José Borges é sobre a Trova mais premiada e divulgada, “Casa Singela”. É uma Trova que Clério possui gravada na porta de sua casa, na Rua dos Pombos no bairro Euri-co Salles em Carapina, Serra ES. (Nesta casa tão singela/ onde mora um trovador/ É a mulher que manda nela/ porém nos dois manda o amor…)
A Assembléia Geral do CTC iniciada as 10 horas da manhã foi encerrada por volta das 13 horas com um apetitoso churrasco que ficou até por volta das 17 ho-ras num dos quiosques da Área de Lazer do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Espírito Santo, com declamações de Trovas e Poesias dos poetas presentes e pronunciamentos, destacando-se Albércio Nunes, Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil, Rogério Martins, Levi Basílio, Ângela Lino Veríssimo, Roberto Vasco, Magnólia Pedrina Sylvestre, Luzia Ester Doná, Dinair Surdine, Maria Viola Bona, Carlos Bona, Paulo Negreiros, Valtemar Ribeiro de Azeredo, Adir Ribeiro, Valdemir Ribeiro Azere-do, Sandra Gomes, Suzi Nunes, Regina Menezes Loureiro que divulgou a FLIC – Fei-ra Literária Capixaba a ser realizada em 2018. Também presente o Acadêmico, Edil-son Celestino Ferreira, que estava acompanhado da Escritora e Atriz, Maria Elisa-beth, a Beth.
Ficou ainda definido que o CTC Clube dos Trovadores Capixabas participará na próxima sexta-feira, dia 6 de outubro de uma Festa em Linhares, ES, comemorativa do aniversário do Programa sobre Literatura do Apresentador Pereira, na Rede Sim de Televisão. O CTC participará ainda do Jantar Beneficente da Academia Feminina Espirito Santense de Letras, no dia 24 de Outubro, no Cerimonial Oásis, em Vitória, visando arrecadar fundos para a Feira Literária Capixaba de 2018 e participará da Festa anual do Jornalista Eustáquio Lúcio Felix em Itabira, MG, no dia 27 de Outu-bro, sexta feira, quando o Presidente Clério José Borges e as Acadêmicas Angela Veríssimo e Kátia Bobbio receberão o Troféu de Destaque na Literatura e Cultura Brasileira e Internacional, “Madre Teresa de Calcutá” (Agnes Gonxha Bojaxhiu era o nome da Madre Teresa de Calcutá). Além destes eventos ficou ainda confirmada a Reunião da Diretoria do CTC para o dia 18 de novembro com início às 16 horas na casa do Presidente Clério e no dia 8 de dezembro na Câmara Municipal de Anchieta, sul do Estado.

XI EDIÇÃO DO CAFÉ COM ARTE – SÁBADO CULT – OUTUBRO
2017 – Foi realizado no sábado dia 07 de outubro, de 10 as 13 horas, ao lado da Cafeteria Vitória, no Tiffany Center, localizado na Reta da Penha, Vitória ES, mais uma edição do Café com Arte – Sábado Cult, evento do Clube dos Trovadores Ca-pixabas, CTC em parceria com a Cafeteria Vitória, localizada no Tiffany Center.
A XI Edição do Café Com Arte – Sábado Cult, Sarau Poético contou com a par-ticipação dos poetas: Clério José Borges, Roberto Vasco e Soêmia Pimentel Cypres-tes. O evento contou ainda com Homenagens a nova Diretoria do CTC Clube dos Trovadores Capixabas eleita no dia 30 de setembro e, apresentação do Grupo de Dança “Movimento Dança e Arte”, da terceira idade, com coordenação da Acadêmi-ca Magnólia Pedrina Silvestre. Também foi realizada uma apresentação musical com a Dupla, Pedro e Allan. O Mestre de Cerimônias é o Acadêmico Paulo Negreiros, auxiliado pelo Poeta Roberto Vasco.
No Café com Arte, Sábado Cult de Outubro foram diplomados os componen-tes da Chapa CULTURA VIVA composta dos seguintes Poetas e Simpatizantes da Trova: Conselho de Administração: Presidente: Clério José Borges de Sant Anna, Secretário Geral do Conselho de Administração: João Roberto Vasco Gonçalves. Diretoria Executiva do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC: Presidente da Diretoria Executiva: Clério José Borges de Sant Anna. Vice-Presidente da Diretoria Executiva: Kátia Maria Bobbio Lima. 1º Secretário da Diretoria Executiva: João Roberto Vasco Gonçalves. 1º Tesoureiro da Diretoria Executiva: Clérigthom Thomes Borges. Conse-lho Fiscal – Conselheiro Titular Presidente: Edilson Celestino Ferreira. Conselho Fiscal – Conselheiro Titular Secretário: Tomaz Silva dos Santos. Conselho Fiscal – 1º Conse-lheiro Suplente: Valdemir Ribeiro Azeredo. Conselho Fiscal – 2º Conselheiro Suplente: Andréia da Silva Fraga. Conselho Fiscal – 3º Conselheiro Suplente: Magnólia Pedrina Sylvestre.
O Café com Arte Sábado Cult tem a Coordenação Geral de Clério José Borges com apoio do Escritor João Roberto Vasco Gonçalves e dos Poetas Albércio Nunes e Edilson Celestino Ferreira e Paulo Negreiros. Apoio da Empresária Karini Pirajá da Cafeteria Vitória do Tiffany Center, na Reta da Penha em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo. A primeira Edição foi realizada com êxito no Sábado, dia 03 de dezembro de 2016 e a próxima edição será no mês de novembro, sempre no pri-meiro sábado de cada mês e aberto a todos os interessados que poderão ler e de-clamar Poesias e Trovas, gratuitamente e com inscrições na hora. Mais um evento cultural no Espírito Santo, em promoção do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas.

SARAU POÉTICO CAFÉ COM ARTE – SÁBADO CULT
CAFETERIA VITÓRIA, MÊS DE NOVEMBRO DE 2017
2017 – Com organização do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC e apoio: Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, Associação dos Artistas Plásticos da Serra, Cafeteria Vitória e Tiffany Center foi realizado no dia 04 de Novembro de 2017, no sábado, de 10 às 13 horas, a Décima Segunda Edição do café com Arte, Sábado Cult, sendo um evento é realizado também em homenagem aos 37 anos de Fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de Julho de 1980. Músico homenageado do mês: cantor Beko Macedo. Escritor homenageado do Mês, o Cor-delista, Gerson dos Santos da Cidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambu-co, que no evento realizava um Exposição, a EXPOCORDEL, uma exposição de Li-vros da Literatura de Cordel.

PROGRAMA SIM PARA A LITERATURA
REALIZA UM FESTÃO EM LINHARES.
2017 – Foi realizado na sexta-feira, dia 06 de outubro de 2017, no Centro Cul-tural Nice Avanza, na Praça 22 de agosto, na Cidade de Linhares, ES, os festejos comemorativos do primeiro Aniversário do Programa de Televisão local, SIM para a Literatura. Clério José Borges na qualidade de Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC foi homenageado recebendo um Diploma pela sua recondução co-mo Presidente do CTC, em eleição realizada no último dia 30 de setembro de 2017. O Diploma foi entregue pelo Apresentador José Rodrigues Pereira II. Também re-ceberam homenagens o Poeta Trovador Escritor, João Roberto Vasco Gonçalves como Secretário Geral do CTC e Soêmia Pimentel Ciprestes eleita nova Diretora de Eventos e Promoções do CTC Clube dos Trovadores Capixabas.
A primeira Edição do Programa Sim de Linhares foi veiculada no dia 06 de agosto de 2016. A Edição de 06 de outubro é especial, em homenagem a vida e obra literária da professora Escritora e Ativista da defesa do Patrimônio Histórico de Linhares, Arlene Campos. O evento foi iniciado com a apresentação dos Alunos da Escola Polivalente I, do projeto Porta Malas Literário, idealizado e conduzido pela Professora Márcia Guzzo. Os alunos declamaram poemas da Escritora Cora Corali-na. Em seguida o Presidente do CTC, Clério José Borges de Sant Anna, homenageou em nome do CTC Clube dos Trovadores Capixabas as seguintes personalidades: Arlene Campos; Antônio Bezerra Neto; Giovani Rodigheri; José Rodrigues Pereira; Maria Simon e Reuber Nascimento.
A Escritora Regina Menezes Loureiro usou a palavra em seguida para falar so-bre a FLIC – Feira Literária Capixaba a ser realizada em 2018. O poeta e ativista Anderson Valfré foi homenageado pelo seu Projeto Transcê Poesias. O Apresenta-dor José Rodrigues Pereira homenageou os Diretores recém-eleitos do CTC Clube dos Trovadores Capixabas, Clério José Borges, Presidente; Roberto Vasco, Secretá-rio Geral e Soêmia Pimentel, Diretora de eventos e promoções, recém-eleitos em Assembléia Geral realizada pelo CTC no último dia 30 de setembro de 2017, no SINDIPOL, na Serra ES. Houve um Show do músico Zezinho Cachoeira. Ao final foi oferecido um apetitoso Coquetel.

FUNDADA A ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE
SANTA TERESA NO DIA 10 DE NOVEMBRO DE 2017
Com a presença do Prefeito Municipal de Santa Teresa Gilson Amaro. Presença do Vice-Prefeito e Secretários Poetas Escritores e Artistas foi fundada a Academia de Letras de Santa Teresa, presidida pela Artista Cleusa Fardin.
Com a presença do Prefeito Municipal, Gilson Amaro, do Vice, Cesar Simonas-si, de Secretários Municipais, Escritores, Poetas e Artistas foi fundada na última sex-ta-feira, dia 10 de novembro de 2017, a Academia de Letras e Artes de Santa Tere-sa (Aleast). A solenidade aconteceu na RPPN Bei Cantoni. Na ocasião foram apro-vados os Estatutos e eleita a primeira Diretoria presidida pela Artista e Produtora Cultural, Maria Cleusa Fardin. Também eleito Presidente Emérito, o falecido Ambien-talista Augusto Ruschi. Na mesma ocasião foi aprovado que o ano 2018 será o Ano Celina Rodrigues, Artista Plástica de Santa Teresa que se fosse viva faria 100 anos em 2018.
Em sua fundação, a Aleast contou com o apoio voluntário e técnico do Presi-dente do Clube dos Trovadores Capixabas, (CTC) e vice-presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, (Aleas) e Secretário Geral da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo, Clério José Borges.
De acordo com Clério Borges, o objetivo do colegiado é a promoção e divul-gação dos Escritores, Poetas, Trovadores, Cantores, Artesãos e Artistas nascidos ou residentes no Município de Santa Teresa, desenvolvendo atividades culturais, pro-gramas literários, artísticos e científicos, estudo e o cultivo das Letras e das Artes em todos os seus ramos, aspectos e pesquisa, além de preservar a Memória Histó-rica do Município, apoiando Grupos Folclóricos de Bandas de Congo, jongo, folia de reis, capoeira e incentivando a publicação de obras sobre Personalidades Históricas, Lendas e Folclore da Região e iniciativas que visem a preservação do Patrimônio Histórico e Cultural e Patrimônio do Meio Ambiente, de modo especial a conserva-ção e proteção de montanhas, serras, matas, riachos, rios e lagoas.
A primeira Diretoria eleita é a seguinte: Presidente, Maria Cleusa Fardin, Produ-tora Cultural; 1ª Vice Presidente, Leni Cruz Mota, professora; 2ª Vice Presidente, Mariza Lucindo, professora; Secretária Geral, Marilande Angeli, Pedagoga; 1ª Secre-tária, Lindaura Maria Fardin, Artista Plástica; 2º Secretário, Rogério Dalmonch, Pro-dutor Cultural; 3ª Secretária, Senhora Itamar Gonçalves; Tesoureiro Geral, Cristiano Neves, ambientalista; 1º Tesoureiro, Marcos Corteletti, Artesão; 2º Tesoureiro, Cláudio Rasseli, Artesão. Para o Conselho Fiscal foram eleitos. Conselheiro Titular Presidente, José Ivane de Souza, Jornalista; Conselheiro Titular Vice-Presidente, Le-tícia Loss, Professora; Conselheiro Titular 1º Secretário, Claides Guisolf Rasseli, Arte-sã; Conselheiro Titular 2º Secretário, Mariza Simões, Artesã. 1º Conselheiro Suplen-te, Giovana Bomfin, secretário executiva; 2º Conselheiro Suplente, Célio Perini, Téc-nico em Informática e 3º Conselheiro Suplente, Marivalda da Costa Bridi, professo-ra.
Além do Presidente emérito Augusto Ruschi e do ano Celina Rodrigues para 2018, foi aprovado ainda o nome do Prefeito Gilson Amaro como acadêmico funda-dor da nova Academia, por seu importante trabalho de apoio a Cultura e as Artes do Município, sendo ainda aprovado os nomes dos Escritores e Poetas, Kátia Bob-bio, Clério José Borges, Roberto Vasco, Zenaide Emília Thomes Borges e Pedro An-tônio de Souza, como primeiros Acadêmicos Correspondentes. Também foram aprovados os nomes de 21 patronos, sendo que as demais 19 Cadeiras, de um to-tal de 40 que possui a nova Academia serão nominadas e aprovadas posteriormen-te. Em seu discurso o Prefeito Gilson Amaro anunciou que após a devida legalização em Cartório da Academia, estudará a possibilidade de um comodato entre a Prefei-tura e Academia que ficará responsável pela Administração da Casa da Cultura da Cidade de Santa Teresa.
Foram homenageadas como Patronos das Cadeiras da Academia de Letras e Artes de Santa Teresa as seguintes Personalidades: Cadeira N.º 1, Augusto Ruschi ambientalista; Cadeira N.º 2, Celina Rodrigues, Artista Plástica; Cadeira N.º 3, Virgí-nia Gasparini Tamanini, escritora; Cadeira N.º 4, Orlando Bomfin Junior, Jornalista; Cadeira N.º 5, José de Anchieta Fontana, Desportista; Cadeira N.º 6, Virgílio Lamber Thomazi; Cadeira N.º 7, Henrique Pretti, Deputado Federal e Vice Governador; Ca-deira N.º 8, Mário Salvato, Músico; Cadeira N.º 9, Walfredo Zamprogno, vice Cônsul da Itália no ES; Cadeira N.º 10, Victor Humberto Biazuti, Escritor; Cadeira N.º 11, Nilzo Monteiro Lima, Músico e compositor; Cadeira N.º 12, Paulino Muller, Deputado Estadual e Prefeito de Vitória; Cadeira N.º 13, Frei Estevão Corteleti, Reverendo Ca-tólico; Cadeira N.º 14, Neida Mirna Dalcolmo, Promotora de Justiça; Cadeira N.º 15, José Regatieri, Cineasta; Cadeira N.º 16, Frederico Muller, Escritor; Cadeira N.º 17, Germano Aurich, Músico; Cadeira N.º 18, Darly Nerty Vervloet, Prefeito; Cadeira N.º 19, Belmiro Perini, Prefeito; Cadeira N.º 20, Américo Gasparini, Advogado; Cadeira N.º 21, Américo Loss, Músico.

FUNDAÇÃO DA ACADEMIA CAPIXABA DE
LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES
2017 – No dia 18 de novembro de 2017 estava prevista mais uma das Reuni-ões Mensais de Diretoria do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, devidamente registrada na Agenda Oficial de eventos da entidade. Ocorre que no dia 15 de se-tembro, data de aniversário de Clério José Borges, surge a ideia de criação de uma nova entidade. De imediato Clério José Borges vai para o Computador e elabora um Edital que divulga nas redes sociais, convocando um grupo de pessoas, maiores e capazes e em perfeito uso de suas atividades mentais para uma reunião para o dia 18 de novembro, com o objetivo de deliberarem sobre a instituição (fundação) de uma associação de direito privado, constituída por tempo indeterminado, sem fins econômicos, ou seja, Associação Civil, Organização não Governamental sem fins lucrativos, de caráter Social, Artístico e Cultural, sem cunho político ou partidário, com a finalidade de atender a todos que a ela se dirigir, independente de classe so-cial, nacionalidade, sexo, raça, cor ou crença religiosa, com autonomia administrati-va e financeira e, de âmbito Estadual, com jurisdição em todo Estado do Espírito Santo, denominada de Academia Letras e Artes de Poetas Trovadores.
O Edital foi divulgado na INTERNET, mas Clério José Borges continuou com as atividades normais do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, com a Eleição de no-va Diretoria, a realização do Café com Arte e Sábado Cult de Outubro e participação em evento em Anchieta e em Linhares. É que Clério ainda imaginava que o CTC não iria se acabar e a Academia fosse uma nova entidade. No dia 18 de novembro de 2017, data estabelecida no Edital e coincidentemente a mesma data da reunião or-dinária mensal de Diretoria do CTC, Clério José Borges colocou o assunto em pauta sendo fundada a ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Tro-vadores, com a estrutura organizacional do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Trova e da Poesia em geral, fundada por Clério José Borges, Trovador, Escritor e Historiador Capixaba, a 1º de julho de 1980, com base numa ideia do historiador Eno Teodoro Wanke, autor do livro O Trovismo, que conta a história da Trova no Brasil de 1950 a 1978.
Assim oficialmente em Assembleia Geral Extraordinária realizada no último sá-bado, dia 18 de novembro de 2017, foi fundada em Eurico Salles, no Município da Serra no Espírito Santo a Academia de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla ACLAPTCTC, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC. A proposta apresentada pelo Presidente do CTC, Clério José Borges foi apoiada por todos os presentes à exceção da Associada Magnólia Pedrina Sylvestre, que se manifestou contra, em face aos 38 anos de história do CTC fundado a 1º de julho de 1980 e líder na reali-zação de eventos culturais no Estado do Espírito Santo.
Segundo o Escritor João Roberto Vasco Gonçalves, Secretário Geral do CTC, em declaração amplamente divulgada na época na Internet, o Clube dos Trovado-res Capixabas não morreu, apenas galgou o Status de Academia de Letras E Artes, tendo agora um quadro de 50 Cadeiras de Acadêmicos Imortais com os seus res-pectivos Patronos, todos nascidos ou residentes no Estado do Espírito Santo e um quadro indefinido de Acadêmicos Correspondentes, nascidos ou residentes nos de-mais Estados da Federação e no Exterior. De imediato constituiu-se uma Diretoria formalizando-se toda a documentação para os trâmites legais em Cartório de Regis-tro de Pessoas Jurídicas. Foi marcada a data de 14 de dezembro de 2017 quando se fará a entrega de Carteiras e Diplomas aos novos Acadêmicos e será também en-tregue a Comenda Cultural Escritor Rocha Ramos aos que se interessarem se inscre-vendo até o dia 1º de dezembro. Com relação ao próximo Congresso de Poetas Trovadores que será o XIV ficou decidido que se tentará novos contatos para a realização do evento ou na Cidade de Iúna ou na Cidade de Santa Teresa.
ACADÊMICOS FUNDADORES TITULARES
2017 – Acadêmicos Titulares – Nomes aprovados na Assembleia Geral de Insti-tuição (Fundação) da ACLAPTCTC, realizada no dia 18 de novembro de 2017.
Cadeira Número 1, Clerio José Borges de Sant Anna – Patrono: Eno Theodoro Wanke; Cadeira Número 2, Kátia Maria Bobbio Lima – Patrono: Hermógenes Lima Fonseca; Cadeira Número 3, Roberto Vasco – Patrono: São Francisco de Assis; Ca-deira Número 4, Professor Beto Gonçalves, Patrono: Nilo Aparecida Pinto; Cadeira Número 5, Margareth Gonçalves Pederzini – Patrono: Trovadora, Colombina; Cadeira Número 6, Maria Cândida Vasco Gonçalves – Patrono: São José de Anchieta; Cadeira Número 7, Soêmia Pimentel Cypreste – Patrono: Arlette Cypreste de Cypreste; Ca-deira Número 8, Edilson Celestino Ferreira. Patrono: Pedro Caetano; Cadeira Número 9, Maria Elisabeth Vargas Peixoto, Beth Vargas – Patrono: Newton Braga; Cadeira Número 10, Sandra Regina Bezerra Gomes – Patrono: Eymard Cardoso de Barros; Cadeira Número 11, Ângela Lino Veríssimo – Patrono: Adelmar Tavares, Rei dos Trovadores; Cadeira Número 12, Aldo José Barroca – Patrono: Elmo Elton, Rei dos Trovadores Capixabas; Cadeira Número 13, Maria Dolores Pimentel de Rezende – Patrono: Athayr Cagnin; Cadeira Número 14, Maria José Vetorazzi – Patrono: Mário Morcerf Campos; Cadeira Número 15, Francisco Rangel Gonçalves de Oliveira – Pa-trono: Patativa do Assaré; Cadeira Número 16, Maria das Graças Silva Neves – Pa-trono: Anette de Castro Mattos; Cadeira Número 17, Jacimar Berti Boti – Patrono: Ábner de Freitas Coutinho; Cadeira Número 18, Paulo Negreiros – Patrono: Naly da Encarnação Miranda; Cadeira Número 19, Lucineia Ferreira Paz de Negreiros – Patro-no: Brandina Rocha Lima; Cadeira Número 20, Maria Viola Bona – Patrono: Dr. Mário Ribeiro; Cadeira Número 21, Vera Maria da Penha – Patrono: Anselmo Gonçalves. Falecida. A Acadêmica Vera Maria da Penha faleceu em 08 de Outubro de 2018; Ca-deira Número 22 Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil – Patrono: Alberto Isaías Rami-rez; Cadeira Número 23, Nealdo Zaidan – Patrono: Argentina Lopes Tristão; Cadeira Número 24, Magnólia Pedrina Sylvestre – Patrono: Argemiro Seixas Santos; Cadeira Número 25, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno – Patrono: Beatriz Abaurre; Cadeira Número 26, Fabiani Rodrigues Taylor Costa – Patrono: Solimar de Oliveira; Cadeira Número 27, Jonas Pereira Gregório – Patrono: Antônio Coelho Sampaio; Cadeira Número 28, Albércio Nunes Vieira Machado – Patrono: Albércio Vieira Ma-chado; Cadeira Número 29, Luzia Ester Doná – Patrono: Ailsa Alves Santos; Cadeira Número 30, Zenaide Emília Thomes Borges – Patrono: Narceu de Paiva Filho; Cadeira Número 31, Isabella Marinuzzi – Patrono: Professor Francisco Filipak; Cadeira Núme-ro 32, Adriana Dutra Amaral – Patrono: Rocha Ramos; Cadeira Número 33, Valdemir Ribeiro Azeredo – Patrono: Geraldo Nascimento; Cadeira Número 34, Clérigthom Thomes Borges – Patrono: Guilherme Santos Neves; Cadeira Número 35, Teodorico Boamorte – Patrono: Renato Jose da Costa Pacheco; Cadeira Número 36, Nadilson Correa – Patrono: Afonso Cláudio de Freitas Rosa; Cadeira Número 37, José Hum-berto, Mágico Mandrakion, Patrono: Maria Stella de Novaes; Cadeira Número 38 Ananias Novais – Patrono: Elviro de Freitas; Cadeira Número 39 Andréia da Silva Fra-ga – Patrono: Nordestino Filho; Cadeira Número 40, Lino Armando Baroni – Patrono: Professor Konsciusko Barbosa Leão; Cadeira Número 41, Wallace Bertoli Moreira – Patrono: Josefa Teles de Oliveira; Cadeira Número 42, Lenaldo Ferreira da Silva (Al-do Veranatto) Patrono: Paulo Freitas; Cadeira Número 43, Berenice de Albuquerque Tavares – Patrono: Valdeci Camelo; Cadeira Número 44, José Rodrigues Pereira, Pro-fessor Pereira, Patrono Isabel Taquetti; Cadeira Número 45, Geraldo Fernandes – Patrono: Alvimar Silva; Cadeira Número 46, Cinthia Pretti Azevedo – Patrono: Obed Emmerich; Cadeira Número 47, Líbero Penello de Carvalho Filho – Patrono Augusto dos Anjos; Cadeira Número 48, Maria do Rosário Silva Santos – Patrono Edgard Luiz Gismonti; Cadeira Número 49, Emílio Soares da Costa – Patrono, Christiano Ferreira Fraga; Cadeira Número 50, Jorge Luiz de Miranda – Patrono, Benjamim Silva;
ACADÊMICOS FUNDADORES CORRESPONDENTES
2017 – Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACLAPTCTC, realizada no dia 18 de novembro de 2017.
Cadeira Número 1, Carlos Augusto Souto de Alencar, Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Professor Walter Siqueira; Cadeira Número 2. Agostinho Ro-drigues, da Cidade de Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Antônio Roberto Fernandes; Cadeira Número 3. Neiva de Souza Fernandes, da Cidade de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro – Patrono: José Viana Gonçalves; Cadeira Número 4. Dilercy Aragão Adler, da Cidade de São Luiz no Estado do Maranhão – Patrono: Carlos Cunha; Cadeira Número 5, Elizabeth Iacomini, de Ponte Nova, no Estado de Minas Gerais – Patrono: Trovador Paulo Emílio Pinto; Cadeira Número 6, Eloísa Maria Ávilla de Carvalho, do Estado de São Paulo – Patrono: Cecília Meireles; Cadeira Número 7, Joel Francisco Souza Batista, da Cidade de Santarém, no Estado do Pará – Patrono: Rodolfo Coelho Cavalcante; Cadeira Número 8, Margarida Dru-mond de Assis, de Taguatinga, Distrito Federal – Patrono: Raimundo Araújo; Cadeira Número 9, Cleia Dröse, de São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul – Patrono: Trovadora Wilma de Mello Cavalheiro, de Pelotas, RS; Cadeira Número 10, Odenir Follador, da Cidade de Ponta Grossa, no Estado do Paraná. Patrono: Sonia Maria Ditzel Martelo; Cadeira Número 11, Wilson de Oliveira Jasa, da Cidade de São Paulo. Patrono: Walter Rossi; Cadeira Número 12, Denise de Andrade Felix, da Cidade de Itabira, Minas Gerais. Patrono: Rodolpho Abud; Cadeira Número 13, Ana Paula Quin-tanilha Bastos de Jesus, de Taboão da Serra, São Paulo. Patrono: Solano Trindade; Cadeira Número 14, Athylla Borborema Cardoso, da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia – Patrono: Ciro Vieira da Cunha; Cadeira Número 15, Lúcia Maria Matos de Oliveira, do bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro – Patrono Paulo Athayde de Frei-tas; Cadeira Número 16, Maria Helena Campos Pereira, da Cidade de Itabirinha, Mi-nas Gerais – Patrono Rubem Alves; Cadeira Número 17, Adircilene Lerilda Batista e Silva, da Cidade de Lagoa da Prata, MG – Patrono: Belchior Joaquim da Silva Neto; Cadeira Número 18, Dalva Martins Frahlich, de São Gonçalo, Rio de Janeiro – Patro-no: Professor Ailton Pereira de Almeida; Cadeira Número 19, Almir Zarfeg, da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia. Patrono: Manezim do Gavião; Cadeira Número 20, Elias Botelho, da Cidade de Itamaraju, Bahia. Patrono: Jorge Amado; Cadeira Núme-ro 21, Carlos Alberto Mensitieri Almeida, da Cidade de Teixeira de Fretas, Bahia. Pa-trono: Dércio Marques; Cadeira Número 22, Neusa Rocha Miguel Mendonça, Artista Plástica da Cidade de Marília, Estado de São Paulo, Patrono: Carlos Drummond de Andrade; Cadeira Número 23, Odenir Ferro, da Cidade de Rio Claro, São Paulo, Pa-trono Olavo Bilac; Cadeira Número 24, Eurico Eugênio Travaglia, da Cidade de Cas-telo, ES. Patrono: Padre Pachoal Selliti Rangel; Cadeira Número 25, Romero Cesar de Almeida Siqueira – Patrono: Luiz Fernando Tatagiba; Cadeira Número 26, Else Doro-téa Lopes, da cidade de Nova Lima, Minas Gerais. Patrono: Cássio Magnani; Cadeira Número 27, Gisele Ellen, de Teixeira de Freitas, Bahia. Patrono: Miguel Geraldo Fari-as Pires, o “Bidu”; Cadeira Número 28, Zilton Chagas, de Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro. Patrono: Nelson da Lenita Fachinelli; Cadeira Número 29, Tadeu Tomaz da Silva. Patrono, Luís Vaz de Camões; Cadeira Número 30, Maria Goreth Cantanhede Pereira, de São Luís do Maranhão. Patrono: Trovador Orlando Brito.

INSTALAÇÃO OFICIAL DA ACLAPTCTC – PRIMEIRA SOLENIDADE
NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DE VALPARAÍSO, SERRA, ES.
2017 – Foi realizada no dia 14 de dezembro de 2017 a primeira solenidade da ACLAPTCTC, ocasião em que os novos Acadêmicos da entidade receberam os seus Diplomas, sendo entregue a Comenda Cultural Escritor Rocha Ramos.
Em solenidade presidida pelo Escritor e Historiador Capixaba, Clério José Bor-ges de Sant Anna e, com coordenação do Mestre de Cerimônias, Comendador Paulo Negreiros e com a presença da ex Delegada Chefe da Polícia Civil e atual Subsecre-tária de Integração Institucional da Secretaria de Segurança do Governo do Estado do Espírito Santo, Acadêmica, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno; da Secre-tária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, professora Sandra Regina Be-zerra Gomes e da Secretária Adjunta da Coordenadoria de Governo da Prefeitura Municipal da Serra, Advogada Raphaela Maria de Oliveira Moraes Vasques. Com a presença ainda do Presidente da Associação Mineira de Imprensa e Vice Presidente da Federação Nacional da Imprensa Fenai/Faibra, Jornalista Wilson Miranda e da professora da cidade de Itabira, Minas Gerais, especialista em História do Brasil, pedagoga, palestrante e Mestre em Educação, Gestão e Políticas Públicas, Denise Félix e participação de inúmeras personalidades culturais e artísticas do Estado do Espírito Santo foi instalada oficialmente na noite da quinta-feira, dia 14 de Dezembro de 2017, a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla ACLAPT-CTC.
Em seu discurso de abertura dos trabalhos e saudação a todos os presentes, Clério José Borges esclareceu que o evento tinha por objetivo homenagear os 37 anos de fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de Julho de 1980 e que por decisão de Diretoria em Reunião realizada no último sábado, dia 18 de Novembro de 2017, o CTC Clube dos Trovadores Capixabas foi elevado ao “sta-tus” de Academia de Letras e Artes, com o título de Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores de sigla, ACLAPT-CTC. Clério José Borges informou que inicialmente a Academia teria apenas 40 Acadêmicos, mas em razão da grande pro-cura, após análise dos currículos culturais, 50 Acadêmicos foram admitidos como Fundadores Titulares Efetivos e, estavam recebendo a Medalha Acadêmica e sendo diplomados. Dos pretendentes de outros Estados um total de doze Acadêmicos fo-ram admitidos como Fundadores Correspondentes. Clério esclareceu ainda que, no mês de abril de 2018 será realizada uma grande solenidade em Vitória com o Jura-mento Acadêmico e, com a apresentação individual de cada confrade.
Também discursaram saudando e parabenizando a nova Academia, a Subse-cretária de Integração Institucional da Secretaria de Segurança do Governo do Esta-do, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno e a Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, professora Sandra Regina Bezerra Gomes. Foram anuncia-das um número ilimitado de vagas para Beneméritos e Correspondentes e que a admissão na Academia ficaria a critério de parecer do Conselho Cultural presidido pela Acadêmica Vice-Presidente, Kátia Maria Bobbio Lima, devendo os pretendentes enviarem Currículos e solicitação para admissão até dia 1º de março. Também foi criada uma Comissão a ser presidida pela Acadêmica Magnólia Pedrina Sylvestre que cuidará dos detalhes referente a confecção da Pelerine da nova Academia, contando com a participação e colaboração da Acadêmica Gracimeri Gaviorno. Clério Borges informou que a cor da Academia é o amarelo claro e o símbolo é o Beija Flor bei-jando a Orquídea.

REUNIÃO DE DIRETORIA DA ACADEMIA JURÍDICA
2018 – No dia 12 de janeiro de 2018, Clério José Borges e Zenaide participa-ram da primeira reunião de 2018 da Academia de Letras Jurídicas realizada na Rua dos Faisões em Eurico Salles. Participaram os Acadêmicos: Luzia Ester Doná, Ângela Lino Veríssimo, Roberto Vasco, Clério José Borges, Zenaide Thomes Borges, Jonas Pereira, Magnólia Pedrina Silvestre, Margareth Gonçalves Pederzine, Paulo Roberto R Walter de Negreiros. Ausências justificadas: Katia Bobbio, Teodorico Boamorte e Lucinéia Paz de Negreiros, tendo como Pauta a definição de data para a comemora-ção do aniversário da Academia, sendo que se analisando propostas diversas, à luz do calendário e outras considerações, o grupo chegou a um consenso de que seria entre 23 e 24 de março de 2018 as 19:00h. Quanto ao local, foram analisadas vá-rias propostas e amplamente discutidas pelo grupo. Considerando vários fatores, a escolha recaiu sobre o Auditório da OAB, em Vitória, Centro.
O Sr Acadêmico Clerio José Borges propôs a participação da Academia de Le-tras jurídicas do Estado do Espírito Santo na Feira Capixaba do Livro, ministrando uma palestra sobre um tema Jurídico a ser escolhido. Será necessário alguém fazer o contato formal. RESPONSÁVEL: Luzia Ester Doná, presidente da academia. APRO-VADO. Esgotada a pauta, a reunião terminou às 21:00h.

ESCRITOR CLÉRIO JOSÉ BORGES REALIZA PALESTRA
NO CENTRO COMUNITÁRIO MARIA NIOBE NA SERRA ES
2018 – Na terça-feira, dia 23 de Janeiro de 2018, o Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e Vice Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, Acadêmico Clério José Borges de Sant Anna, a con-vite do Senhor Vitor Rosa de Oliveira, Chefe da Divisão de Educação Ambiental, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, proferiu palestra sobre a História da Serra, Revolta do Queimado e Lenda do Pássaro de Fogo para estudantes do Curso de Formação de Agente Mirim Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, realizado no Centro Comunitário Anna Marozzi Subtil, do bairro Maria Niobe, na Ser-ra, ES.
A palestra com a apresentação de Slides no Power Point foi aberta pela Presi-dente da Comunidade, Senhora Neusa Maria Alves, que fez uma breve saudação de boas-vindas. Presente no ato solene de abertura da palestra a Secretaria do Centro Comunitário, Juciara Alves Monteiro Barreiras e a Escritora Poeta, Maria de Fátima Leandro de Jesus, Acadêmica da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS. Pos-tei no Facebook o seguinte comentário: “Estive com imenso prazer proferindo Pa-lestra sobre meu livro SERRA COLONIZACAO DE UMA CIDADE no curso da Secreta-ria de Meio Ambiente, no Centro comunitário do bairro Maria Niobe na Região da Serra sede. Curso de Formação de Agente Ambiental Mirim. Uma turminha maravi-lhosa. A grata presença da Acadêmica Fatima Leandro, da Academia da Serra que reside na Comunidade. Agradeço a atenção da Presidente da Comunidade Neusa Maria Alves e sua Secretaria Juciara Alves Monteiro Barreiras. Obrigado ao Coorde-nador do projeto Vitor Rosa de Oliveira.

ASSOCIACAO DE PEDESTRE DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO
2018 – No dia 24 de janeiro de 2018, recebo visita do Presidente da Associa-ção de Pedestre do Estado do Espirito Santo Daniel Luiz da Silva acompanhado do Líder Comunitário Mauro Luiz da Silva que me entregou em mãos a Lei Municipal de Vitoria N.º 5 190, de 29 de novembro de 2000 que declara de Utilidade Pública a referida Associação. Foi solicitado que eu Clério analisasse o Estatuto e toda a do-cumentação da entidade o que fizemos com prazer.
Sobre Mauro Luiz vale um registro quando da publicação do meu livro História da Serra em sua 1a Edição em 1998 citei Mauro Luiz como Presidente de uma asso-ciação de Moradores da Serra. Anos mais tarde desejando viajar para os Estados Unidos Mauro Luiz para conseguir o visto para entrar na América deu o livro História da Serra para provar que ia na América a passeio. E conseguiu…

ACLAPTCTC RECEBE DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO NO
ENCONTRO DAS ENTIDADES CULTURAIS DA SERRA
2018 – Evento em 2017 e Diploma recebido em 2018. Em evento organizado pela Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura da Serra foi reali-zado no dia 08 de dezembro de 2017, o Encontro de Entidades Culturais do Municí-pio da Serra em comemoração aos 461 anos do Município.
O Diploma registrando o evento está datado de 10 de janeiro de 2018, assina-do pela Secretária Sandra Gomes, por Maria Helena Firmo Pagotto, Diretora de Cul-tura; Gilmar Pereira da Silva, Diretor de Turismo e Márcio Paulo Barros da Silva, Dire-tor do Departamento de Esporte.

CLÉRIO RECEBE DIPLOMA DE ACADÊMICO CORRESPONDENTE
DA ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL – ALB
Primeira Academia Mundial da Ordem de Platão
Organização Literocultural Internacional Politicamente Ativa
2018 – Na sexta-feira, dia 23 de fevereiro de 2018, o Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, Clério José Borges de Sant Anna, esteve na cidade de Porto Seguro no extremo Sul da Bahia oportunidade em que foi homenageado com um Diploma e recebeu uma medalha de Membro Acadêmico Correspondente da Academia de Letras do Brasil, Bahia, Região Sul e Extremo Sul, em solenidade realizada no Centro de Cultura, na Rua 15 de Novembro, s/n, Pacatá, no centro, rua em frente ao Banco do Brasil, Porto Seguro, BA, um anfiteatro com 400 lugares, com início as 19 horas.
Clério José Borges de Sant Anna foi altamente prestigiado tem sido chamado para compor a mesa que presidiu os trabalhos e ainda teve cinco minutos para fa-zer uma saudação especial para todos os presentes. Em seu discurso Clério pregou a necessidade dos Acadêmicos das Academias de Letras promoverem Saraus Poéti-cos e atividades culturais na periferia das Cidades levando poesias e trovas e distri-buindo livros gratuitamente para as pessoas carentes. Clério enalteceu ainda o tra-balho do Dr. Mário Carabajal que em seu pronunciamento havia dito que a Acade-mia de Letras do Brasil diferentemente de muitas Academias de Letras no país tinha a sua obrigação social fase ao grande número de crianças que ainda passam fome no Brasil. É fome de alimentação é fome de saber, daí a necessidade de conforme o Capixaba Clério José Borges de se levar a Cultura, a Poesia dos Acadêmicos para as periferias das grandes cidades. Clério José Borges foi convidado oficialmente pelo Dr. Mário Carabajal para fundar a Academia de Letras do Brasil no Espírito Santo.
A solenidade foi iniciada com apresentação do Coral Clave do Sol, do Institu-to Descobrir, onde jovens fizeram belíssima apresentação. Em seguida houve a composição da mesa com a presença de Autoridades, inclusive o Presidente da Câ-mara Municipal da Cidade de Teixeira de Freitas, BA, Agnaldo Teixeira Barbosa, co-nhecido politicamente como Agnaldo da Saúde. A Academia Teixeirense de Letras, também designada pela sigla ATL, associação sem fins econômicos com duração por tempo indeterminado, com sede no município de Teixeira de Freitas, no Extre-mo Sul da Bahia, estava representada pelo Vice-Presidente Acadêmico Athylla Bor-borema. Houve o canto do Hino Nacional e diplomação dos novos Acadêmicos cuja Academia estava sendo fundada naquele evento. Clério José Borges, como Presi-dente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPT-CTC, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, foi convidado para participar da mesa como Convidado de Honra. Foi registrada a presença de um público maravilhoso.
A ALB – Academia de Letras do Brasil, instituição litero-cultural com tradição no Brasil e que desde 2001 instituiu seccionais na maioria dos municípios brasileiros e em mais de 50 países do mundo, instalou na noite na noite desta sexta-feira (23/02), no centro Cultural de Porto Seguro, o seu núcleo regional do seccional sul e extremo sul da Bahia. A abertura do evento foi marcada pela apresentação do coral “Clave do Sol” do Instituto Descobrir, dirigido pela maestrina Francis de Holanda. Na oportunidade que a ABL numa belíssima e clássica cerimônia deu posse aos seus 34 novos membros, titulares fundadores imortais vitalícios, fundadores corresponden-tes e embaixadores.
O evento reuniu poetas, escritores, contistas, trovadores, músicos, maestros, políticos e diversas autoridades da comunidade jurídica. Representantes de várias academias do estado da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Brasília e Goiás se fize-ram presentes. O presidente nacional da Academia de Letras do Brasil, Mário Rober-to Carabajal; a primeira dama da ABL, Dinalva Carabajal; o presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, Clerio José Borges; e o presiden-te do secional sul e extremo sul da Bahia da ALB, Robson Ramos se fizeram presen-tes.
Na cerimônia de instalação da ABL em Porto Seguro, o presidente nacional Mário Roberto Carabajal e o presidente seccional sul e extremo sul Robson Ramos empossaram como Embaixador da seccional Porto Seguro, o empresário e escritor Luigi Rotunno. Também foram empossados os presidentes das seccionais de Porto Seguro, Cícero Sena; Eunápolis/Itabela/Itamaraju, Igor Assunção; Santa Cruz Cabrá-lia, Bruna Eugênia; Prado, Wander Noronha; Camacã, Gleudes Malaquias e Belmon-te, Herculano Assis. Recebeu a Medalha do Mérito Litero-Cultural da ALB, o jornalis-ta e escritor baiano Athylla Borborema, vice-presidente da ATL – Academia Teixei-rense de Letras pela sua relevante contribuição educacional ao país com mais de três dezenas de livros doutrinários publicados e premiados no mundo inteiro.
“Ao longo dos séculos a cultura e a política têm andando continuamente jun-tas. Por todas estas razões, estamos já agora, aqui nesta Academia de Letras do Brasil, seccional Porto Seguro, independentemente de ideologias ou de partidos polí-ticos, de crises, de corrupções, de CPIs ou de problemas efêmeros. Estamos já agora absolutamente determinados a confirmar a nossa competência como Povo da cultura e a nossa perseverança como Povo amante da paz. O papel da ALB é interferir, ajudar, contribuir e lecionar através da arte e da cultura. Praticaremos mui-tas indagações sem valor para obtermos retornos valorosos, mas temos a oferecer o comprometimento. Por fim, quem não questiona não se instrui”, pontou o presi-dente nacional da Academia de Letras do Brasil, Mário Carabajal.
Para o presidente da ALB, seccional sul e extremo sul da Bahia, o escritor e engenheiro civil Robson Santos Ramos que é natural de Eunápolis, mestre e doutor em Psicanálise, chanceler e doutor Honoris Causa, a Academia de Letras do Brasil chega à região do descobrimento para celebrar a vitória das artes, da cultura e da educação. “Daqui em diante, tudo o que fizermos, terá um valor maior, principal-mente o valor literário, e será maior ainda a nossa visibilidade enquanto academia, enquanto acadêmicos e enquanto seres humanos. Cientes estamos do nosso valor diante das artes, das letras, da cultura e da correção política”, celebrou Robson Ramos. (Da redação TN – Teixeira News).
A Academia de Letras do Brasil – Região Sul e Extremo Sul da Bahia através do Presidente Regional da região Sul e Extremo Sul, Robson Ramos empossou, como Acadêmico Correspondentes os Capixabas, Clério José Borges de Sant Anna, Nadil-son Corrêa, Artista Plástico de Nova Almeida e Fabiani Taylor, da cidade de Piúma, do Liter Atuando, em solenidade realizada no Centro de Cultura de Porto Seguro nesta sexta feira dia 23 de fevereiro de 2018. Presente no evento o Presidente Naci-onal da Confederação da Academia de Letras do Brasil, Dr. Mario Carabajal, Presi-dente da Regional Dr Robson S. Ramos. A Delegação Capixaba estava composta do Presidente da ACLAPT-CTC, Acadêmico Clério José Borges e dos Acadêmicos, Ânge-la Lino Verissimo, Clérigthom Thomes Borges, Andreia da Silva Fraga, Zenaide Emília Thomes Borges e Nadilson Corrêa. Abrilhantando a Delegação Capixaba a princesa de 6 anos, Christal Fraga Borges.
Na ocasião a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, conferiu o título de Per-sonalidade Cultural de 2018, ao Dr. Robson Ramos, ao Dr. Mário Roberto Carabajal e a Ativista Cultural e também homenageada Escritora, Léa Lu da Cidade de Conta-gem, MG.
Clério José Borges recebeu Diploma de Acadêmico Correspondente. Mesmo diploma recebido pelo Artista Plástico de Nova Almeida, Nadilson Corrêa. A Acadê-mica Ângela Lino Verissimo recebeu uma medalha da Academia oferecida pelo pró-prio Dr Robson S. Ramos. Um evento maravilhoso.

REUNIÃO DE DIRETORIA DA ACADEMIA DE LETRAS
JURÍDICAS DO ESPÍRITO SANTO REALIZADA EM 2018
2018 – No dia 12 dias do mês de janeiro do ano de 2018, (12/01/2018), com início às 19h30m, na Rua dos Faisões, n.º 19, no bairro Eurico Salles, Carapina, Ser-ra ES reuniram-se os membros da Diretoria da Academia de Letras Jurídicas do Es-tado do Espírito Santo, sob a presidência da Dra. Luzia Ester Doná, sendo registra-das as presenças dos seguintes Senhores Acadêmicos, Luzia Ester Doná, Ângela Lino Veríssimo, Roberto Vasco, Clério José Borges, Zenaide Thomes Borges, Jonas Pereira, Magnólia Pedrina Silvestre, Margareth Gonçalves Pederzine, Paulo Roberto R Walter de Negreiros, tendo sido justificadas as ausências dos Acadêmicos: Katia Bobbio, Teodorico Boamorte e Lucinéia Paz de Negreiros foi realizada mais uma reunião da Academia Jurídica do Espírito Santo.
Foi esclarecido que a Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo foi fundada no dia 25 de março de 2017, razão pela qual no dia 25 de março de 2018, completará um ano de existência. A presidente propôs sendo definida a data do dia 23 de março, com início as 19h00m até 21h para a realização da solenidade no Auditório da OAB, em Vitória, Centro. Outro item de pauta foi a participação da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo em eventos interestaduais. A presidente Luzia Ester Doná, falou sobre a sua participação nos eventos de Mos-soró-RN e João Pessoa-PB, representando a Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo e exibiu os troféus recebidos naqueles eventos, a Comenda Afon-so Pereira – 2017, recebida da Academia Paraibana de Letras Jurídicas e Comenda Milton Marques de Medeiros, da Academia de Letras Jurídicas e Sociais de Mossoró.

ACADEMIA DE LETRAS DE VILA VELHA
COMEMORA 70 ANOS DE FUNDAÇÃO
2018 – Clério José Borges participou no dia 07 de março de 2018, com início às 19,00 horas, do aniversário dos 70 anos de fundação da Academia de Letras de Vila Velha, em sua sede localizada na Rua 23 de Maio, na Prainha em Vila Velha. A solenidade foi presidida pelo Presidente Acadêmico Horacio Xavier contou com a presença do Coronel Comandante do 38º Batalhão de Infantaria do Exército, Coro-nel Carlos Alexandre de Oliveira Costa. O Prefeito Municipal de Vila Velha Max Filho foi representado no evento pelo Procurador Geral da Prefeitura, Dr. José Ribamar Lima Bezerra. A Banda de Música do 38º BI fez uma belíssima apresentação no início dos trabalhos.
Na Mesa que presidiu a cerimônia além do Presidente Horacio, estava o Vice-Presidente José Roberto Oliveira, a Secretária Maria Francisca dos Santos Lacerda; o Professor Francisco Aurélio Ribeiro, Presidente da Academia Espírito Santense de Letras e a Professora Esther Abreu, Presidente da Academia Feminina Espírito San-tense de Letras. Foram executados os Hinos Nacional e o de Vila Velha, “Cidade Encantada” com Letra e Música de Sérgio Vilela de Moraes. Participaram da Soleni-dade o Diretor da Assembléia Legislativa Joel Rangel. Da Academia de Letras Jurídi-cas do Estado do Espírito Santo estavam presentes a Presidente Dra. Luzia Ester Doná, o Tesoureiro Roberto Vasco e a Acadêmica Zenaide Emília Thomes Borges, além do Secretário Geral Clério José Borges de Sant Anna, também Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e Acadêmico da Aca-demia de Letras de Vila Velha, Cadeira que tem como Patrono Afonso Cláudio de Freitas Rosa.
A Academia de Letras de Vila Velha foi fundada em 1948, com a denominação de Centro Cultural Humberto de Campos. A Acadêmica Regina Lúcia Pinto Rangel fez um histórico da Academia desde 1948 até os dias atuais, de modo especial os últi-mos anos de atividades quando ela, Valsema, Andra Valadares foram presidentes da Academia. A parte musical ficou a cargo da Professora Sônia Gouvêa, Diretora do Conservatório de Música de Vila Velha, que executou com brilhantismo a Aquarela do Brasil de Ari Barroso e “Tico-Tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu.

FUNDAÇÃO DA ACADEMIA MARIA ANTONIETA TATAGIBA – ARTES
HISTORIA – LETRAS EM SÃO PEDRO DE ALCÂNTARA
DO ITABAPOANA E CLÉRIO É ELEITO ACADÊMICO
2018 – Clério José Borges e Zenaide Emília Thomes Borges foram eleitos Aca-dêmicos Correspondentes da Academia Maria Antonieta Tatagiba, Artes, História e Letras de São Pedro de Alcântara do Itabapoana, em Mimoso do Sul, ES. Atenden-do ao convite do Médico Poeta Escritor Pedro Antonio de Souza, o presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores Clerio Jose Borges e a Vice-Presidente Katia Bobbio e a Acadêmica Zenaide Thomes Borges estiveram no dia 16 de março de 2018 no Sitio Histórico de São Pedro de Alcântara do Itabapoa-na em Mimoso do Sul, ocasião em que foi fundada oficialmente mais uma Academia de Letras no Espirito Santo.
Em São Pedro é realizado anualmente no último final de semana de julho o FESTIVAL DE INVERNO DA SANFONA E DA VIOLA e, no mês de junho é realizado o CASA ABERTA, uma programação cultural de grande importância com grupos de música e Sarau Poético e música Sanfona e Viola. Registramos a presença das se-guintes Pessoas: Dr. Pedro Antônio; Eduardo Ribeiro Gomes; Lia Márcia Gomes Lei-te; Jeza Amado Vivas; Idenir Moffat Ozorio; Irene Cristina dos Santos Costa; Pru-denciana Frade Pinto Ciciliotti; Wilma Fraga de Oliveira Vasconcelos; Carlos Miranda de Castro; Lylian de Oliveira Santana; Jonas Manhães Mendonça; Ramon Pinheiro de Freitas; Mana Suila Paula do Nascimento e Gerson Moraes França e outras. Houve a eleição da Primeira Diretoria e aprovação do estatuto. Como Presidente ficou o Dr. Pedro Antonio de Souza. Clerio José Borges Zenaide Emília Thomes Borges e Katia Bobbio foram eleitas Acadêmicos fundadores Correspondentes da nova entidade Cultural Capixaba.

CLÉRIO JOSÉ BORGES RECEBE DIPLOMA NO ANIVERSÁRIO
DA ACADEMIA DE LETRAS JURÍDICAS DO ESPÍRITO SANTO
2018 – Nas comemorações alusivas ao seu primeiro aniversário de fundação da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo, em solenidade realiza-da no dia 23 de março de 2018, no Auditório da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, ES, Clério José Borges foi homenageado com um Diploma de Acadêmico Ti-tular Efetivo, ocupante da Cadeira Número 3 que tem como Patrono o Advogado, Dr. Geraldo Nascimento. Na mesma solenidade foi homenageada a Acadêmica Ze-naide Emília Thomes Borges.

PALESTRA SOBRE REVOLTA DO QUEIMADO REALIZADA
NO CENTRO DE CONVIVÊNCIA COMUNITÁRIA DE BARCELONA
2018 – A Convite da Dra. Magnólia Pedrina Sylvestre, professora de Dança Sê-nior no dia 20 de Março de 2018,a partir das 13h30m no Centro de Convivência do Bairro de Barcelona no Município da Serra-ES, Clério José Borges proferiu uma Pa-lestra sobre os 169 anos da Revolta dos Negros Escravos do Distrito do Queimado, ocorrida no dia 19 de Março de 1849, quando na Missa em honra ao Padroeiro São José no horário de 15 horas Negros Escravos invadiram a Igreja com Armas e exigi-ram do Padre Frei Gregório Maria de Bene a alforria (Liberdade).
O Mestre de Cerimônias da Palestra foi o comendador Paulo Negreiros. Partici-param ainda do evento: Zenaide Thomes Borges e o Cantor e Compositor Teodori-co Boamorte, bem como a Assistente Social Alessandra R. de Mello. Foi um grandi-oso evento cultural reunindo também poetas e Escritores das nossas Academias de Letras: ALEAS Academia de Letras e Artes da Serra (ES); Academia Capixaba de Poetas Trovadores e Academia de Letras jurídicas do Estado do Espírito Santo.

VOTO DE CONGRATULAÇÕES PELA TRANSFORMAÇÃO DO CTC
EM ACADEMIA DE LETRAS DE POETAS TROVADORES
2018 – Em 08 de março de 2018, através do Ofício N.º 282/2018, assinado pe-lo Presidente Erick Musso comunica que foi aprovado um Voto de Congratulações com o Povo do Espírito Santo e com o CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, de autoria da Deputada Luzia Toledo pela transformação do CTC em ACLAPTCTC, Aca-demia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores.

FUNDADA A ACADEMIA CARIACIQUENSE DE LETRAS
CARIACICA, ES, DIA 29 DE MARÇO DE 2018 E, CLÉRIO
É ELEITO ACADÊMICO CORRESPONDENTE
2018 – Na quinta-feira, dia 29 de março de 2018, Clério José Borges esteve presente no Centro Cultural Frei Civitella, em Campo Grande, participando da soleni-dade de fundação da Academia Cariaciquense de Letras da Cidade de Cariacica, ES, sendo registradas as presenças do Vice-Prefeito de Cariacica, Nilton Basílio Teixeira e da Presidente da Academia Feminina Espírito Santense de Letras, professora Ester Abreu. Presença ainda do Presidente Estadual da UBT, Edy Soares, bem como do Secretário Geral da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e Tesoureiro da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo, Escritor e Historiador João Roberto Vasco Gonçalves. Presenças ainda do vereador Wellington Nascimento de Lima, (Elinho) e o cantor e poeta Alex Krüger.
A Assembléia foi presidida pelo Artista, Senhor Dauri Correa que após explicar os motivos da Reunião que era a fundação no Município de Cariacica fez questão de ler, artigo por artigo uma proposta de Estatuto que ao final recebeu algumas pe-quenas sugestões, aprovadas pelos presentes. Algumas sugestões inclusive foram propostas por Clério José Borges. Ao final todo Estatuto foi aprovado por unanimi-dade e com Louvor. Na Oportunidade a Senhora Orlandina Dalapícola usou a pala-vra para inscrever a Chapa da Primeira Diretoria da nova Academia de Letras, tendo como Presidente o Poeta e Escritor Marcos Bubach. A Chapa foi eleita por unanimi-dade. Logo em seguida a nova Diretoria foi empossada para um Mandato de dois anos, podendo serem reeleitos por mais um Mandato conforme o estatuto aprova-do.
Foram registradas as presenças das Acadêmicas Zenaide Emília Thomes Bor-ges; Berenice Albuquerque; Suzi Nunes; Cleusa e do Acadêmico Sérgio Dutra. Tam-bém o registro da presença do Marco Zumbi, organizador da Caminhada Noturna dos Zumbis Contemporâneos na Festa do Queimado e de Dorzilia, ex aluna de Clé-rio José Borges, quando Clério ministrou aulas de Técnicas Comerciais no Colégio Juiz Jairo de Mattos Pereira no bairro de São Torquato em Vila Velha, ES, no ano de 1979.

ACLAPTCTC FAZ DOAÇÃO DE LIVROS DOS ACADÊMICOS
PARA A BIBLIOTECA DA CIDADE DE LARANJA DA TERRA.
2018 – Em data de 22 de março de 2018 a Câmara Municipal da Cidade de La-ranja da Terra, através de seu Presidente Gilson Gomes Filho comunica a ACLAP-TCTC “que a Cidade de Laranja da Terra não possuía biblioteca pública, até a apro-vação da Lei de nº 831/2017 que criou a Biblioteca Legislativa Doutor Hudson So-breira Pereira, de autoria deste Presidente. Assim, estamos em via de inaugurar re-ferida Biblioteca, ocasião em que solicitamos a doação de livros de autores capixa-bas, de qualquer natureza, para complementação do acervo.” Atendendo ao pedido a ACLAPTCTC fez ampla Campanha solicitando aos seus Acadêmicos e aos amigos doação de Livros, resultando em mais de dois mil livros doados para a referida Bi-blioteca.

CLÉRIO FAZ PALESTRA NO LANÇAMENTO DAS CARTILHAS
DO PROJETO IGUALDADE RACIAL NA SERRA, ES.
2018 – No dia 20 de abril de 2018, Clério José Borges recebeu convite da SE-DU, Secretaria Municipal de Educação da Serra para participar do lançamento das Cartilhas – Igualdade Racial na Serra: História e Identidade Negra, na escola Profa. Iolanda Schineider Rangel da Silva localizada na cidade de Serra no bairro Porto Ca-noa, oportunidade em que Clério ministrou palestra sobre a História dos Negros Escravos do Distrito de Queimado. Participação de alunos e Professores.
Sobre as Cartilhas importante esclarecer que as duas primeiras, destinadas aos alunos da Rede Municipal de Ensino das faixas etárias de cinco a 10 anos e de 11 a 17 anos, são materiais didático-pedagógicos interativos, que subsidiam o debate étnico-racial entre os estudantes e professores. As cartilhas tratam também sobre a história do Município, no qual, em 1849, ocorreu a Insurreição do Queimado, uma grande revolta de negros escravizados, em prol de sua liberdade. A terceira cartilha é destinada aos adultos que compõem a comunidade escolar. Ela apresenta as leis e os direitos relacionados à temática, bem como esclarece quais órgãos públicos devem ser acionados em casos de racismo.

REUNIÃO ORDINÁRIA DA DIRETORIA EXECUTIVA DA ACADEMIA
CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES
2018 – No dia 14 do mês de abril do ano de 2018, na Rua dos Pombos, núme-ro 2 no bairro Eurico Salles, Distrito de Carapina, Município da Serra, reuniram-se em segunda convocação os membros da Diretoria da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla, ACLAPTCTC, para uma reunião ordinária de Diretoria, a primeira de 2018, tendo sido relatados os eventos e Reuniões realiza-das, como a do dia 23 de Fevereiro de 2018, Porto Seguro, Bahia, na Academia de Letras de Porto Seguro, onde o Presidente recebeu o Título de Sócio Corresponden-te. Presentes Seis membros da Academia, (Clério, Nadilson, Ângela, Clérigthom, Andréia e Zenaide), sendo três membros da Diretoria. No Dia 02 de Fevereiro de 2018, Reunião na Casa de Cultura de Iúna, ES, preparatória para o Congresso Brasi-leiro de Poetas Trovadores de 05 a 08 de julho. Presentes os Acadêmicos, Clério, Roberto Vasco e Zenaide. No dia 16 de março de 2018, reunião de fundação da Academia de Letras e Artes Maria Antonieta Tatagiba, no Sítio Histórico de São Pe-dro do Itabapoana, Mimoso do Sul, ES. Presentes três membros da Academia, (Presidente Clério; a Vice Kátia e Zenaide).
No Dia 20 de março de 2018, Reunião Solene comemorativa aos 169 da Re-volta dos Negros Escravos do Distrito do Queimado, no Centro de Convivência de Barcelona, Serra, ES. Presentes os Acadêmicos, Clério que foi palestrante, Zenaide, Teodorico, Paulo e Magnólia, que foi a organizadora do evento. No dia 6 de abril de 2018, Reunião e Oficina de Trovas, na Escola de Tempo Integral, Escola Viva, CEEFMTI “Henrique Coutinho”, na Cidade de Iúna, ES, com início às 16 horas. Pre-sentes os Acadêmicos, Clério, Magnólia, Ângela e Zenaide. No Dia 6 de Abril de 2018, com início às 19 horas. Reunião na Casa de Cultura de Iúna, ES, em conjunto com a Academia Iunense de Letras, preparatória para o Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores de 05 a 08 de julho. Presentes os Acadêmicos, Clério, Magnólia, Ângela e Zenaide. Assim a Reunião desta data 14 de abril, sábado, com início às 16h30m era a Sétima Reunião da Academia no ano de 2018 e a primeira da Diretoria Executiva. Presentes na reunião: Clério José Borges de Sant Anna (Presidente da ACLAPTCTC), Katia Maria Bobbio Lima (Vice Presidente da ACLAPTCTC), João Ro-berto Vasco Gonçalves (Secretário Geral da ACLAPTCTC), Soêmia Pimentel Cipreste (1º Secretário da ACLAPTCTC), Clérigthom Thomes Borges (Tesoureiro Geral da ACLAPTCTC), Andréia da Silva Fraga, (Conselheira Fiscal Titular Vice Presidente), Albércio Nunes Vieira Machado, (Conselheiro Fiscal Titular Secretário), Emílio Soares da Costa, (Conselheiro Fiscal Suplente). Foram registradas ainda as presenças dos Acadêmicos, Magnólia Pedrina Silvestre, Zenaide Emília Thomes Borges, Givaldo Inácio da Silva (Mestre Gil), Ângela Lino Veríssimo e Wallace Bertoli Moreira.
O Presidente Clério José Borges iniciou os trabalhos comunicando após vários avisos formais, que a Cerimônia de Posse e Diplomação dos Acadêmicos havia sido marcada para a Assembléia Legislativa Estadual ficando definido como local do evento o Auditório número 01, denominado Hermógenes Lima Fonseca. Após várias propostas ficou definido o seguinte: A solenidade começará impreterivelmente as 17h00min, porém os acadêmicos e convidados serão recomendados a chegar pelo menos 30 minutos antes, para assinatura de documentos, fotos e devido aos pro-blemas de trânsito e estacionamento naquele horário e local. Os envolvidos direta-mente com a organização do evento chegarão uma hora antes, às 16horas para arrumação e preparação do ambiente e todo o necessário para a cerimônia. A di-nâmica Operacional será ajustada de modo a obter a necessária economia de tem-po, face às condições pactuadas com a Direção da Assembleia.
Assim, não haverá a defesa particular de cada patrono das cadeiras, exceto nos seguintes casos: O caso da Acadêmica Denise Félix, de Itabira, dentro do espa-ço de 3 a 5 minutos, por ter efetuado a sua inscrição, via e-mail em prazo legal. O caso do Acadêmico Poeta Baroni, de Ibiraçu, dentro do espaço de 3 a 5 minutos, por ter efetuado a sua inscrição, via e-mail em prazo legal. O caso da Acadêmica Katia Maria Bobbio Lima, que falará em nome da Academia, dentro do espaço de 3 a 5 minutos, defendendo o Patrono Hermógenes Fonseca, em cujo auditório se rea-liza a solenidade, falando ainda, sobre o Patrono da Academia, o Historiador da Trova no Brasil, Dr. Eno Teodoro Wanke. As Autoridades presentes serão convida-das a falar solicitando-se a maior brevidade possível por economia de tempo, des-tacando-se a Acadêmica Benemérita, Deputada Luzia Toledo; o Acadêmico Benemé-rito, Diretor Geral da Assembleia, Dr. Joel Rangel; a Sub Secretária de Estado de Governo, Acadêmica Cadeira 25, Gracimeri Gaviorno; a Secretária Municipal de Tu-rismo, Cultura, Esporte e Lazer da Cidade da Serra, Acadêmica Cadeira 10, Sandra Regina Bezerra Gomes e o Presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, Bahia e homenageado com a Comenda José de Anchieta, Vereador Agnaldo Teixeira Barbosa e o Presidente da Academia de Letras de Teixeira de Freitas, Gilmar Ferraz da Silva, Almir Zarfeg.
Foi aprovado ainda que ao ser chamado a frente o Acadêmico será acompa-nhado de Padrinho ou Madrinha que ajudará na colocação da Pelerine e da Comenda (Medalha) acadêmica. Finalizando o assunto Solenidade de posse foi esclarecido que ao final será feita uma foto em conjunto, com todos os Acadêmicos com Pelerine e Medalhas e o fotógrafo também irá providenciar uma foto individual de cada Aca-dêmico com Pelerine e Medalha para publicação no futuro de um Livro histórico da Academia. Concluindo-se os assuntos em Pauta a palavra foi liberada. O Acadêmi-co Wallace Bertoli Moreira leu uma Poesia de sua autoria e o Acadêmico Albércio Nunes declamou Trovas. A Acadêmica Katia Bobbio ao final apresentou músicas variadas, ao som do violão que divinamente tocou. Foram providenciadas fotos dos presentes para futuras publicações em Livros e Revistas. Como ninguém mais fizes-se uso da palavra, a reunião foi finalizada as 19h30m.

ACLAPTCTC – SESSÃO SOLENE DE INVESTIDURA DA VESTE TALAR DA PELERINE, DEFESA DE PATRONO, RECEBIMENTO DA COMENDA ACADÊMICA E CERIMÔNIA DE DIPLOMAÇÃO DE ACADÊMICO DA ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES
2018 – A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, realizou na noite de 26 de abril de 2018, quinta feira, uma Sessão Solene de Posse de seus 50 Acadêmicos Titulares Efetivos Funda-dores Imortais e 26 Acadêmicos Correspondentes Fundadores. O evento foi realiza-do no Auditório Hermógenes Lima Fonseca da Assembléia Legislativa Estadual em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo. Na mesa que presidiu a solenidade, Almir Zarfeg, da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia; Gracimeri Gaviorno, Subsecre-tária de Governo Estadual, Clério José Borges Presidente da Academia; Joel Rangel Diretor Geral da Assembléia Legislativa; Prefeito de Iúna WELITON VIRGILIO PE-REIRA e a Professora Ester Abreu. O Auditório com Cem lugares ficou pequeno. Parabéns a todos que participaram desta grande Festa e ajudaram na organização do evento: Margareth Pederzini; Roberto Vasco; Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros; Cleusa Lourdes Madureira Vidal; Valsema Rodrigues da Costa; Evandro Belumatti; Luzia Toledo; Nelzely Sperandio e o amigo dos Trovadores, Joel Rangel. Agradecemos os que se deslocaram da Bahia, de Minas, do Rio de Janeiro e de São Paulo para participarem do evento. Obrigado a todos.
No dia 24 de abril de 2018, com início às 17 horas, na Assembléia Legislativa Estadual no Auditório número 01, denominado Hermógenes Lima Fonseca foi reali-zada a SESSÃO SOLENE de Investidura da Veste Talar da Pelerine, Defesa de Patro-no, recebimento da Comenda Acadêmica e Cerimônia de Diplomação de Acadêmico da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, entidade cultural fundada em 1º de julho de 1980. O evento contou com o apoio da Deputada Estadual Luzia Toledo e sua equipe, de modo especial a Artista Plástica Nelzely Lima Sperandio e apoio do Diretor Geral da Assembleia, Acadêmico JOEL RANGEL. Foram registradas presenças de Acadêmicos do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Minas Gerais.
O evento foi realizado ainda em homenagem aos 38º Aniversário de Fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de julho de 1980 e que recentemen-te NO DIA 18 DE NOVEMBRO DE 2017, ganhou STATUS de ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES. A Abertura dos trabalhos foi com um show dos Artistas Capixabas Valsema Rodrigues da Costa, Evandro Bellumat e Cleusa Lourdes Madureira Vidal.
No referido evento, os Acadêmicos receberam o título de AD IMMORTALITA-TEM, desta Arcádia Brasileira e receberam a Comenda José de Anchieta o Presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, Bahia, Vereador Agnaldo Teixeira Barbo-sa, sendo concedida a palavra ao Acadêmico Athylla Borborema, que fará a apre-sentação do Vereador Presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, AG-NALDO TEIXEIRA BOTELHO.
Em seguida foram homenageados os Acadêmicos Beneméritos. Segundo o Es-tatuto são considerados Associados Honorários Beneméritos, com qualificações Ho-noríficas Especiais, as seguintes Personalidades, antigos Sócios do Clube dos Trova-dores Capixabas, CTC, cujos nomes foram aprovados e admitidos como Associados Honorários Beneméritos na data de fundação da Associação em 18 de novembro de 2018: Dr. Carlos Dorsch; Professora Valsema Rodrigues da Costa; Dr. Matusalém Dias de Moura. Também são considerados Associados Beneméritos, de acordo com o Artigo 5º, parágrafo 2º, item IV, do Estatuto, cujos nomes foram aprovados e admitidos como beneméritos na data de fundação da Associação em 18 de novem-bro de 2018, as seguintes Personalidades: Barbara Perez, Fundadora da Academia Marataizense de Letras em 2009, Marataízes, ES; Deputada Estadual Luzia Toledo; Artista Plástica Nelzely G. Lima Sperandio; Dr. Joel Rangel; Escritora Léa Lúcia Viana, da Cidade de Contagem, MG; Luiz Sérgio Quarto, da Cidade de Guarapari, ES; José Salotto Sobrinho, da Cidade de Iúna, ES.
Foram ainda homenageados na referida Sessão Solene, o Sr. PHILIPE VERDAN BARRETO, Secretário Municipal de Cultura de Marataízes, representado pela Acadê-mica Isabella Martinuzzi; Dra. SHARLENE AZARIAS, Presidente da Associação Brasi-leira dos Advogados Criminalistas do Espírito Santo – ABRACRIM; Conselheira Dra. Manoel Soares; COMENDADOR PAULO RIBEIRO WALTER DE NEGREIROS, Mestre de Cerimônias.
Em seguida os Acadêmicos foram homenageados na seguinte ordem:
Acadêmica, Denise de Andrade Felix, Cadeira Número 12.
Da Cidade de Itabira, Minas Gerais. Professora de história, especialista em his-tória do Brasil, pedagoga, palestrante e mestre em educação, gestão e políticas públicas, escreveu um artigo cientifico que foi apresentado em um congresso em Paris, em 2014.
Patrono: Rodolpho Abud. Nascido em Nova Friburgo em 21 de outubro de 1926. É uma lenda na história da Trova literária no Brasil a ponto de seu nome ter se tornado sinônimo de: “Jogos Florais de Nova Friburgo”. Foi agraciado, em 1999, com o título de Magnífico Trovador.
Acadêmica, Ana Paula Quintanilha Bastos de Jesus, Cadeira Número 13.
De Taboão da Serra, São Paulo. Graduada em Letras – Língua Portuguesa pela Universidade de Santo Amaro (2001) e graduação em Artes Visuais pelo Centro Uni-versitário Ítalo Brasileiro (2009). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial, pós-graduada em Educação Especial pela Universidade da Grande Fortaleza. Possui o Troféu literário, Mulheres Notáveis Cecilia Meireles, e Comenda Castro Alves.
Patrono: Solano Trindade. Poeta brasileiro, folclorista, pintor, ator, teatró-logo, cineasta e militante comunista. Nasceu em Recife, a 24 de julho de 1908. Fa-leceu no Rio de Janeiro, a 19 de fevereiro de 1974. A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, Sr. JOSÉ ROBERTO.
Acadêmico, Athylla Borborema Cardoso, Cadeira Número 14.
Da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia. Jornalista e Radialista. Mestre e dou-torando em Jornalismo Cientifico. Vice-presidente da Academia Teixeirense de Letras e presidente da Fundação Mamãe África de Caravelas. Autor de 21 livros e um dos escritores nordestinos mais inovadores entusiastas da educação através da arte e da literatura.
Patrono: Ciro Vieira da Cunha. Ciro usava o pseudônimo de João da Ilha. Nasceu em 1º de junho de 1897, em São Paulo. Faleceu a 26 de junho de 1976, no Rio de Janeiro. Foi um professor, poeta, biógrafo, cronista, jornalista e médico bra-sileiro. Embora paulista de nascimento, considerava-se capixaba de coração. Foi membro da Academia Espírito-Santense de Letras.
Acadêmica Lúcia Maria Matos de Oliveira, Cadeira Número 15.
Do bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Nasceu em Laranjeiras rio – RJ. Formada pelo curso de letras – Português e Literatura da Universidade Santa Úrsula (USU). Cursou a Pós-Graduação em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Participou do 3º Congresso do Clube dos Trovadores Capixabas, Espírito Santo, 2005. Foi coordenadora geral no 4º Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores – 1º Bienal de Poesia e Trovas, Pa-quetá, RJ. Foi eleita e tomou posse em 14 de março de 2018 no cargo de diretora Cultural da Associação Profissionais de Poetas no Estado do Rio de Janeiro.
Patrono Paulo Athayde de Freitas. Nasceu em Rio Novo do Sul (ES), a 28 de Janeiro de 1902. Faleceu em Vitória. Poeta, crítico literário, advogado. Estudou no antigo Ginásio do Espírito Santo, em Vitória. Cursou a Faculdade de Direito, da Universidade do Rio de Janeiro, bacharelando-se em março de 1924. Ocupou a ca-deira n.º 39, da Academia Espírito-Santense de Letras e foi membro do Grêmio Bra-sileiro de Trovadores da Bahia, além de membro da Academia de Letras de Uru-guaiana (RS).
Acadêmica, Maria Helena Campos Pereira, Cadeira Número 16.
Da Cidade de Itabirinha, Minas Gerais. Graduada em Pedagogia pela Universi-dade Vale do Rio Doce (1978), com experiência nos cursos de Letras, Serviço Soci-al, Pedagogia, Matemática e Ciências Biológicas, outros. Mestrado em Ciências da Educação pelo Instituto Superior Pedagógico Enrique Jose Varona, Havana, Cuba.
Patrono Rubem Alves. Rubem Azevedo Alves. Nasceu em Boa Esperança, MG, a 15 de setembro de 1933. Faleceu em Campinas, a 19 de julho de 2014. Foi um psicanalista, educador, teólogo, escritor e ex-pastor presbiteriano brasileiro. Foi autor de livros religiosos, educacionais, existenciais e infantis. É considerado um dos maiores pedagogos brasileiros de todos os tempos.
Acadêmica Adircilene Lerilda Batista e Silva, Cadeira Número 17.
Da Cidade de Lagoa da Prata, MG – Presidente da ACADELP, Academia Lago-pratense de Letras (Academia de Letras de Lagoa da Prata, MG). Professora e vice-diretora. Autora de vários projetos como: Virtudes e Valores na Escola, na Família e na Comunidade; Ciranda Literária-Projeto de Incentivo a Leitura na rede municipal de Lagoa da Prata e adotado em outros municípios. Incentivadora da leitura e da cultu-ra em Lagoa da Prata. Acadêmica fundadora e presidente por dois mandatos da ACADELP-Academia Lagopratense de Letras; idealizadora do Concurso de Poesias da ACADELP já em sua 14ª edição.
Patrono: Dom Belchior Joaquim da Silva Neto. Poeta, escritor, professor e o 2º Bispo da Diocese de Luz, Minas Gerais. Escreveu três Cartas Pastorais e cer-ca de 16 livros de poesia, biografias e os que ele denominava “Romances Pasto-rais”; o “Boletim do Clero” mensal, dirigido ao Presbitério da Diocese, e os numero-sos artigos para jornais e revistas. Foi bispo da Diocese de Luz, MG. Poeta, escritor com vários livros publicados e professor na Faculdade.
Acadêmica Dalva Martins Frahlich, Cadeira Número 18.
De São Gonçalo, Rio de Janeiro. Escritora e poeta. Professora, Escultora, artis-ta plástica e artesã. Títulos: Comendadora, Embaixadora da Paz em duas Institui-ções, Honoris Causa em Arte. Pertence a mais de quinze Academias de Artes, Ciên-cias e Letras. Natural de Niterói, RJ, nascida a 30 de novembro. Reside atualmente no Município de São Gonçalo, RJ.
Patrono: Professor Ailton Pereira de Almeida. Nasceu na Cidade de Vila Velha, ES a 30 de abril de 1923. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Facul-dade de Direito do Espírito Santo. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Foi professor em várias Instituições de Ensino da Grande Vitória.
Acadêmico Almir Zarfeg, Cadeira Número 19.
Da Cidade de Teixeira de Freitas, Bahia. Poeta e jornalista. Licenciado em Le-tras, Filosofia e Teologia. Mestre e doutor em Teologia. Autor de mais de duas de-zenas de obras em verso e prosa. Presidente da Academia Teixeirense de Letras (ATL) e membro de inúmeras instituições litero culturais no Brasil e no exterior.
Patrono: Manezim do Gavião cujo nome verdadeiro era Manoel Rai-mundo Costa Manezim do Gavião. Natural de Pedra Azul/MG se mudou para Ita-nhém na década de 50 do século passado e faleceu em 7 de setembro de 1989, em terras água-pretenses, já octogenário. Analfabeto, ele não deixou nada escrito. “Analfabeto, mas sábio, Manezim tinha o dom de conversar com as pessoas riman-do, o que atraía a atenção de todos e fazia dele um espetáculo à parte para a cri-ançada”, acrescentou Zarfeg, que chegou a conhecer o trovador pessoalmente.
Acadêmico Elias Botelho, Cadeira Número 20.
Da Cidade de Itamaraju, Bahia. O escritor e Cronista José Elias Gonçalves Bo-telho e Acadêmico da Academia Teixeirense de Letras, onde é titular da cadeira 33. Elias Botelho, recebeu o “Prêmio Nordeste de Literatura 2016”, indicado pela ATL por seu romance “Trilha Amarga” publicado pela Editora PerSe de São Paulo.
Patrono: Jorge Amado. Jorge Leal Amado de Faria ou apenas Jorge Amado foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos. Nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, muni-cípio de Itabuna, sul do Estado da Bahia. Foi jornalista e um dos maiores represen-tantes da literatura brasileira modernista, com uma obra marcada pelo regionalismo e pela denúncia social. Foi o quinto ocupante da cadeira 23, na Academia Brasileira de Letras. Recebeu vários prêmios e inclusive o Diploma de Amigo dos Trovadores do então Clube dos Trovadores Capixaba, CTC.
Acadêmico, Carlos Alberto Mensitieri Almeida, Cadeira Número 21.
Da Cidade de Teixeira de Fretas, Bahia. Carlos Mensitieri é engenheiro, jornalis-ta e escritor. Ele é autor dos livros “TEIXEIRA DE FREITAS – Uma questão de pla-nejamento urbano para a segurança no trânsito” e “Poemas, Letras e Canções”, publicados pela Editora PerSe em 2016 e 2017, respectivamente. Ocupa a Cadeira nº 10 da Academia Teixeirense de Letras (ATL) e é Conde ligado à Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente.
Patrono: Dércio Marques. Violeiro, cantor, intérprete e compositor nascido em Uberaba, Minas Gerais. Pesquisador das raízes musicais brasileiras e ibero-americanas tem em sua irmã Doroty Marques uma das principais parceiras de atua-ção e produção.
Acadêmica Neusa Rocha Miguel Mendonça, Cadeira Número 22.
Artista Plástica da Cidade de Marília, Estado de São Paulo. Terapeuta, artista plástica e estudiosa da Medicina da Estética, na cidade de Marília-SP, onde reside atualmente, Neusa é ainda, poetisa e romancista. Seu trabalho é altamente reco-nhecido através da láurea concedida pela Confederação Brasileira de Letras e Artes e o Prêmio Monteiro Lobato, pela dedicação às Artes, Literatura e Ação Social. Em Itabira-MG recebeu o Troféu Cecília Meireles na noite das Mulheres Notáveis e re-centemente o Troféu Carlos Drummond de Andrade – Edição Especial Ouro na sole-nidade comemorativa dos 50 anos do Evento Destaques do Ano, considerado o mais tradicional do gênero no Brasil, promovido pelo colunista Eustáquio Félix do Jornal Folha Popular de Itabira.
Patrono: Carlos Drummond de Andrade Foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasi-leiro. A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, o EMPRESÁRIO E PECUA-RISTA, JÚLIO CESAR MIGUEL DE MENDONÇA.
Acadêmico Odenir Ferro, Cadeira Número 23.
Da Cidade de Rio Claro, São Paulo. É Escritor, Poeta, Embaixador Universal da Paz! Embajador del Idioma Español, Título concedido La Fundación César Egido Ser-rano e El Museo de La Palabra.
Patrono: Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac Foi contista, jornalista e poeta brasileiro. Foi um dos principais representantes do Movimento Parnasiano, valorizando as rimas ricas e as regras da composição poética. A letra do “Hino à Bandeira” brasileira é de sua autoria.
Acadêmico Eurico Eugênio Travaglia, Cadeira Número 24.
Nasceu em Castelo, em 24 de dezembro de 1954. É formado em Direito e ad-voga há mais de 30 anos, sendo pelo mesmo tempo, Defensor Público Estadual. Professor da rede pública estadual aposentado. Membro correspondente da Aca-demia de Letras de Cachoeiro de Itapemirim e fundador e atual presidente da Aca-demia Literária Castelense.
Patrono: Padre Pachoal Selliti Rangel.
Nasceu em Castelo, em 17 de maio de 1922 e faleceu aos 88 anos, no dia 24 de abril de 2010, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Padre pela Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora. Jornalista, filósofo, professor univer-sitário, escritor de prosa e verso, com mais de 12 livros publicados, sendo membro das mais conceituadas academias literárias de Minas Gerais. Foi diretor e redator chefe do Jornal Católico O lutador, bem como, da editora de mesmo nome por muitos anos. Fundou e dirigiu por muitos anos a conceituada revista teológica Atua-lização. O Acadêmico esteve presente com a sua Madrinha, LEILA MARIA MACHA-DO ALVES TRAVAGLIA.
Acadêmico, Romero Cesar de Almeida Siqueira, Cadeira Número 25.
Romero Siqueira é natural de Campos/RJ e reside no município de Serra/ES desde 1987. Especialista em Logística pela FGV/RJ, graduado em Ciências Contá-beis, é escritor, poeta, acadêmico da ACLAPTCTC – ES, da ACL – ES, da CONCLAB – SP e da ALB Seccional Campos/RJ. É autor do livro “Poema de Romero”.
Patrono: Luiz Fernando Tatagiba.
Fernando Tatagiba Dados Biográficos: Luiz Fernando Valporto Tatagiba, nas-ceu no município de São José do Calçado, no Estado do Espírito Santo, em 18/05/1946. Iniciou e interrompeu os cursos de Direito e Filosofia, em Vitória, pre-ferindo participar dos movimentos de literatura e cinema dos anos 60. Contista, poeta, trovador. Publicou seus primeiros textos nesta década, nos jornais “A Gaze-ta”, “A Tribuna”, “O Diário” e “O Debate”. Jornalista militante. Deixou vários livros inéditos. Faleceu em 30/03/1988
Acadêmica Gisele Ellen, Cadeira Número 27.
De Teixeira de Freitas, Bahia. Gisele é advogada, escritora e condessa. Ocupa a Cadeira Nº 23 da Academia Teixeirense de Letras (ATL) e é membro do Núcleo de Letras e Artes de Buenos Aires. Em 2016, em Itabira (MG), recebeu o troféu “Carlos Drummond de Andrade”. Recentemente, em Vitória (ES), foi homenageada com a comenda “Amigos da Educação”.
Patrono: Miguel Geraldo Farias Pires, também conhecido como “Bi-du”. Natural da cidade de Prado, no extremo sul da Bahia. Foi chefe das agências de estatísticas de Alcobaça (BA) e partiu dele a sugestão para homenagear o então distrito de São José de Itanhém com o nome do estatístico Mário Augusto Teixeira de Freitas. Seus feitos estão espalhados por diversos municípios da região.
Acadêmico, Zilton Chagas, Cadeira Número 28.
De Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro. ‎Advogado Escritor e Poeta.
Patrono: Nelson da Lenita Fachinelli.
Nasceu em Porto Alegre, a 09 de novembro de 1935, filho de João Luiz e Ro-sa Spinelli Fachinelli, e faleceu aos 70 anos, a 26 de abril de 2006, também em Por-to Alegre. Fundou e dirigiu várias entidades poéticas e também a famosa promoção artístico/cultural denominada “Cafezinho Poético”. Foi também o presidente da pri-meira diretoria do GBT (Grêmio Brasileiro de Trovadores), seção de Porto Alegre, em 1960 e seu sócio nº 01. Funcionário público federal e jornalista.
Acadêmico, Tadeu Tomaz da Silva. Cadeira Número 29.
TURISMÓLOGO. PÓS GRADUADO EM CONSCIENTIZAÇÃO POLÍTICA E AMBI-ENTAL E MESTRE EM PAISAGISMO TURÍSTICO. Ex Secretário Adjunto de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal da Serra e Cronista Político.
Patrono: Luís Vaz de Camões. Luís Vaz de Camões foi um poeta nacional de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura lusófona e um dos grandes poetas da tradição ocidental. O Acadêmico está presente com a sua Madri-nha, A SENHORA MARIZA AMORIM FONSECA…

ACADÊMICOS FUNDADORES TITULARES EFETIVOS
Em seguida passou-se a homenagem dos Acadêmicos Fundadores Titulares Efetivos:
ACADÊMICA, Kátia Maria Bobbio Lima, Cadeira Número 2.
Nasceu em Conceição da Barra e é autora de mais de cem títulos de cordel. A temática é variada, ela escreve sobre monumentos, personalidades e vultos históri-cos do Estado do Espírito Santo. Além de escritora, Kátia é pintora.
Patrono: Hermógenes Lima Fonseca. Nasceu em Conceição da Barra no dia 12 de dezembro de 1916 e faleceu no ano de 1996. Contador, folclorista, jorna-lista e político. Realizou todos os seus estudos em Vitória. Formou-se contador pela Escola Superior de Comércio de Vitória. Folclorista foi um incansável pesquisador da cultura capixaba e brasileira.
A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, CLÉRIO JOSÉ BOR-GES.
ACADÊMICO: João Roberto Vasco Gonçalves, CADEIRA Número 3.
Escritor, Historiador, Pesquisador e Poeta, Bacharel em Administração, Acadê-mico na academia de Letras Jurídicas do Espirito Santo, Academia de Letras e artes de Poetas trovadores, Academia Marataizense de Letras, Sociedade de Cultura Lati-na do Brasil e outras.
PATRONO: São Francisco de Assis. Giovanni di Pietro Bernardone (1182 – 1226), de família abastada, depois de uma vida mundana. Renunciou ao luxo e a riqueza, foi vivenciar o cristianismo e fundou a ordem mendicante dos frades meno-res. Amou a humanidade e da natureza. “Celano” chama suas pregações de “um idílio cheio de Poesia e doçura”. É Padroeiro dos Animais. Patrono dos Poetas Tro-vadores Brasileiros.
O Acadêmico está presente com a sua Madrinha, A SUA IRMÃ, ES-TEPHANIA GONÇALVES NOGUEIRA, Médica.
ACADÊMICO Professor Beto Gonçalves, Felisberto Vasco Gonçalves.
Natural de Anchieta, ES, radicado em Vitória. Licenciado em Educação com especializações em Gestão Educacional e Língua Portuguesa e Literatura, com ex-tensões no Ensino de Línguas Estrangeiras. Foi bolsista nos EUA, tradutor/intérprete em multinacional, professor na Bahia, onde foi vice-presidente da Casa da Cultura Portuguesa por seis anos. Em 2008 foi convidado a lecionar Língua Portuguesa na Espanha. Produção textual estritamente técnica e revisional, até o momento. Publi-cará primeiro livro em novembro.
Patrono: Nilo Aparecida Pinto. Filho de Antonio Pinto e Maryland de Morais Pinto nasceu em Caratinga/MG em 23.06.1915 e faleceu no Rio de Janeiro em 15.01.1974. Publicou vários livros, sendo um de trovas: “Meu coração em cantigas”. Residiu por bom tempo no Espírito Santo. Trovador de raro talento. Foi tabelião.
O Acadêmico está presente com O SEU Padrinho, ANGELO BINS.
ACADÊMICA, Dra. Margareth Gonçalves Pederzini, Cadeira Número 5.
Advogada militante, pós-graduada em Processo Civil, e em Segurança Pública; acadêmica fundadora titular da Academia de Letras Jurídicas do Espírito Santo; e acadêmica fundadora titular da Academia Capixaba de Letras e Artes de poetas tro-vadores; foi advogada voluntária na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Guarapari nos anos de 2012 a 2015 e atualmente é também advogada voluntária na Paróquia Santa Mãe de Deus, comunidade do IBES, prestando atendimentos jurídi-cos gratuitos à população.
Patrono: Trovadora, Yde Schloenbach Blumenschein (São Paulo, 26 de maio de 1882 – 14 de março de 1963), conhecida como Colombina. Foi uma poeta parnasiana brasileira. Começou a escrever aos 13 anos. Fundou em 1932 a Casa do Poeta Lampião de Gás, ponto de encontro de escritores e literatos, que inicialmente funcionava na sua própria casa. Em 1948, o grupo passou a ter sede própria. Editou o jornal mensal O Fanal, publicação da Casa do Poeta Lampião de Gás. É a patrona da cadeira número 37 da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul Adelaide Schloenbach Blumenschein, Colombina.
A Acadêmica está presente com a sua Madrinha, Dra. SHARLENE AZA-RIAS.
Acadêmica Maria Cândida Vasco Gonçalves, Cadeira Número 6.
Natural de Anchieta, ES, radicada há muitos anos em Vitória, ex-professora concursada para a antiga Escola Noturna (atual EJA – Educação de Jovens e Adul-tos). Autora de 3 livros, folclorista, poetisa. Mãe de treze filhos, avó e bisavó. Gos-ta de cantar músicas de seresta, do repertório de seu pai João Vasco (exímio violo-nista falecido) e do seu irmão Jocarly Vasco (violonista do famoso Trio Caiçara, também falecido). Além da leitura diária, Maria Cândida adora viajar. É contadora de histórias e blogueira aos 87 anos.
Patrono: São José de Anchieta. São José de Anchieta. Nascido na ilha de Tenerife, Arquipélago das Canárias, Espanha, foi padre Jesuíta, educador, teatrólo-go, gramatico, co-fundador das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. 6º Provincial da Companhia de Jesus, no Brasil, Faleceu em Rerigtiba, hoje cidade de Anchieta-ES. Autor Da primeira Gramática Tupi, Dicionário Tupi, de Gestis Mendi de Sá (Épi-co). Várias peças de Teatro e do célebre Poema à virgem Maria. Beatificado em 1980, pelo papa João Paulo II e canonizado em 2014 pelo Papa Francisco.
A Acadêmica está presente com a sua Madrinha: VERA LUCIA CAETANO.
Acadêmica Soêmia Pimentel Cypreste, Cadeira Número 7.
Escritora. Poetiza. Publicou obras pela Lei de Incentivo a Cultura, Lei Rubem Braga. Poeta. Pertence ao Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, onde atualmente exerce a função de 1ª Secretária. Pertence a Academia Feminina Espirito Santense de Letras, na qualidade de Correspondente.
Patrona: Arlette Cypreste de Cypreste. Poetisa e jornalista, Arlette atuou no jornal A Gazeta e na Rádio Espírito Santo, como redatora dos noticiários, produ-ziu programas de sucesso como Mulher e Perfume (programa feminino) e Nossa Terra, Nossa Gente, com entrevistas a personagens ilustres. Escreveu e dirigiu duas novelas radiofônicas. Foi uma das fundadoras da AFESL e faleceu em 2007.
A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, LEONARDO MONJARDIM.
Acadêmico Edilson Celestino Ferreira. Cadeira Número 8.
Serrano de Calogi. Aposentado da Caixa Econômica Federal. Administrador de Empresas. Fundador e ex-Presidente do PAN Serra ES. Conselheiro e ex Presidente da Associação dos Economiários. Cadeira N.º 5 da ALEAS. Cadeira N.º 8 da ACLAP-TCTC. Autor de vários Livros.
Patrono: Pedro Caetano. Compositor Musical nasceu em Bananal, SP e se imortalizou com as músicas sobre GUARAPARI e VITÓRIA CIDADE SOL COM O CÉU SEMPRE AZUL. O Acadêmico está presente com a sua Madrinha, ISABELLE ZARDINI MARINO, 8 anos.
Acadêmica Maria Elisabeth Vargas Peixoto, nome artístico Beth Var-gas, Cadeira Número 9.
Poeta Trovador.
Possui o dom o Dançar, Cantar Interpretar músicas e Poesias e Teatrinhos.
Patrono: Newton Braga.
Nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, a 11 de agosto de 1911 e Faleceu no Rio de Janeiro, a 1 de junho de 1962. Foi um jornalista, advogado e poeta brasilei-ro. Newton Braga é irmão do cronista Rubem Braga e era considerado discípulo de Ribeiro Couto.
A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, Edilson Zardini Peixoto Filho, Jornalista e Advogado, funcionário da Caixa Econômica.
Acadêmica Sandra Regina Bezerra Gomes, Cadeira Número 10,
Nascida em 04 de junho, em Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo. É Servidora Pública Estadual e possui Curso Superior Completo. Formada em Letras na UFES – Universidade Federal do Espírito Santo. Já foi candidata a Prefeita da Ser-ra, cidade onde hoje é a Secretária Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer.
Patrono: Eymard Cardoso de Barros.
Nasceu em Belém, no Estado do Pará, a 24 de agosto de 1910. Funcionário da Prefeitura Municipal de Vitória. Projetista. Teve participação ativa em vários movi-mentos literários surgidos em épocas diversas, na Capital Capixaba, em cuja im-prensa colaborou, quando moço. Livro publicado em 1942: Crepúsculos.
ACADÊMICA Ângela Lino Veríssimo, Cadeira Número 11,
Advogada, auditora fiscal aposentada, ativista cultural, Comendadora da paz, título recebido na Itália e Conselheira Titular na área de Literatura, do Conselho Mu-nicipal de Cultura da Serra, ES. Acadêmica de várias Academias de Letras do Estado. Dedica-se a poetizar a vida em família.
PATRONO: Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti foi um advogado, profes-sor, jurista, magistrado e poeta brasileiro. Ocupou a cadeira 11 da Academia Brasi-leira de Letras, eleito em 25 de março de 1926. Foi eleito o Rei dos Trovadores Bra-sileiros.
ACADÊMICO Aldo José Barroca, Cadeira Número 12.
Não compareceu. Ausência justificada por causa de doença. Nasceu em Vitó-ria ES. Professor pós-graduado aposentado. Atualmente, escritor, pesquisador e jornalista articulista, associado ao IHGES e ao CTC. Publicou quatro livros de poesi-as e um de contos e crônicas. Tem outros, inéditos.
Patrono: Elmo Elton. Rei dos Trovadores Capixabas. Poeta, historiador, jor-nalista. Nasceu em Vitória, a 15 de fevereiro de 1925 e faleceu em 1987. Filho de Fernando Zamprogno e de Adolphina Santos Zamprogno. Pelo lado paterno descen-dia de uma família de pioneiros da imigração Italiana no Espírito Santo. Fez os pri-meiros estudos em Vitória e o curso de jornalismo na faculdade de Filosofia o Rio de Janeiro. Em 1947, obteve o 2º lugar no concurso para escola do “Melhor Poe-ma” espírito-santense, durante a 1ª Quinzena de Arte Capixaba.
ACADÊMICA Maria Dolores Pimentel de Rezende, Cadeira Número 13.
Condessa, Dama Grã-Cruz de Justiça, Comendadora, Professora de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Língua Inglesa, poetisa, cronista, historiadora, artista plástica, Ministra Extraordinária da Pregação da Palavra.
Patrono: Athayr Cagnin.
Nasceu em Cachoeiro do Itapemirim/ES, no dia 20 de novembro de 1918, fi-lho dos imigrantes italianos Urbano Cagnin e Josefa Volpato Cagnin. Odontólogo e professor. Livros publicados: “O aparelho fonador e a articulação dos fonemas” (tese de concurso) – 1948, “Seixo Rolado” (poesias) – 1982.
Acadêmica Maria José Vettorazzi, Cadeira Número 14
Nascida em Castelo, em 1964. Professora, Jornalista e escritora, ela tem mui-tas obras publicadas. É autora de dois livros: Sob os segredos do Tempo e O quarto das moças. Membro da Academia Literária Castelense; Academia Feminina Espírito-santense de letras e IHGES, dentre outras instituições Culturais.
Patrono – Mário Morcerf Campos
Natural de Eugenópolis, MG. Nascido em 26 de janeiro de 1913. Aos 12 anos vem morar em Castelo, ES. Trabalhou em várias funções, no comércio, Agricultura e serviço público. Muito estudioso, escreveu muitos poemas e trovas. Casado com Odete Silva teve 11 filhos. Faleceu em dezembro de 1990, em Castelo. ES.
Acadêmico Francisco Rangel Gonçalves de Oliveira, Cadeira Número 15.
Nascido em Russas – CE, em 10 de junho de 1952. Desde bem jovem escre-ve. Trabalhou nos seguimentos de Jornal, Rádio e TV, em diversos Estados do país. Artista Gráfico produz a Arte de retratar em bronze. Hoje mora em Castelo, ES. Pai de três filhas. Autor do livro Por onde anda aquele menino? Poesia e Acidente na BR 116, prosa.
Patrono: Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré. (1909 – 2002). Nascido em 05 de março de 1909, na Serra de Santa-na, perto de Assaré, CE. Ainda menino passou a escrever poesia e pequenos tex-tos. Sua obra tem grande destaque na Literatura cearense e brasileira, como em “A triste partida”, cantado por Luiz Gonzaga. Faleceu aos 93 anos, em 08 de julho de 2002. Autor de 9 livros.
ACADÊMICA, Maria das Graças Silva Neves, Cadeira Número 16.
Pertence às Academias Nacional de Música, a Espírito-santense de Letras e, é Presidente de honra da Academia Feminina Espirito Santense de Letras.
PATRONA: Annette de Castro Mattos.
Annette foi uma das fundadoras da Academia Feminina ES de Letras tendo si-do presidente por trinta anos, escritora dentre outros livros, Trilogia Musical organi-zado por Graça Neves. Anna de Castro Mattos, pseudônimo Annette, capixaba de nascimento de São Pedro de Itabapoana e vitoriense por título concedido pela Câ-mara Municipal de Vitória, em 1967. Foi cronista, advogada e jornalista de jornais e revistas de sua época, inclusive da Vida Capixaba (revista mais importante da épo-ca). O livro Trilogia Musical (foi publicado após a sua morte) em 2004, sobre três grandes compositores: Chopin, Villa-Lobos e Liszt, organizado e prefaciado pela titular da Cadeira Gracinha Neves. Foi a segunda presidente da Academia Feminina Espírito-santense de Letras, a qual se manteve no cargo aproximadamente trinta e um anos.
Acadêmico Jacimar Berti Boti, Cadeira Número 17.
Natural de Colatina-ES, Professor de Biologia, com mestrado em biologia ani-mal pela Universidade Federal de Viçosa-MG; escritor de livros didáticos, poeta, com livros publicados e com poesias premiadas em concursos.
Patrono: Ábner de Freitas Coutinho
Natural de Santo Antonio Mato Grosso do Sul, professor, advogado, econo-mista, poeta e trovador, usava o pseudônimo de “Percyguido”. Viveu no Estado do Espírito Santo por mais de duas décadas. O Acadêmico está presente com a sua Madrinha, EDIR JOVINA BATISTA SANTIAGO.
Acadêmico Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros, Cadeira Nú-mero 18.
Nascido em 26 de janeiro de 1952; Curso Superior; Membro de diversas Aca-demias, Senador Adjunto de Cultura, Autor de Livros, Peças Teatrais, e artigos den-tre outros. Comendador e Mestre de Cerimônias Oficial de várias Academias.
Patrono: Naly da Encarnação Miranda.
Nasceu na cidade da Serra em 25 de dezembro de 1916. Formou-se em Direi-to pela Faculdade de Direito do Espírito Santo. Junto com Clério José Borges e Car-los Dorsch fundou a Academia de Letras e Artes da Serra. Foi Vereador, Presidente da Câmara Municipal e Prefeito da Serra em duas legislaturas. Era Escritor, Poeta e Trovador. Faleceu em 21 de setembro de 1996.
Acadêmica, Lucineia Ferreira Paz de Negreiros. Cadeira Número 19.
Detentora Do Troféu Cecília Meireles (Eustáquio Lúcio Félix – Itabira, MG); Comenda Da Paz – Nelson Mandela (Coninter); Acadêmica Titular da Confraria Cultu-ral De Cultura, (RJ); Da Associação dos Artistas Plásticos da Serra. Detentora da Comenda Padre José de Anchieta, (CTC-ES), recebida em solenidade realizada no Centro Cultural de Anchieta em novembro de 2017.
Patrono: Brandina Rocha Lima. Nasceu em 3 de janeiro de 1916, na cida-de de Recife, Pernambuco. No IV Seminário Nacional da Trova realizado em Vila Velha, ES, em julho de 1984 foi aclamada e eleita Rainha da Trova. Foi Jornalista e Bacharel em Pedagogia e Técnica de Educação. Vários Livros publicados. Residia na cidade de Moreno em Pernambuco.
Acadêmica Maria Viola Bona, Cadeira Número 20.
Maria Viola Bona, graduada em Geografia pela UFES, e pós-graduada em Planejamento Educacional. Escritora, poeta e trovadora, é membro efetivo da Aca-demia de Letras de Vila Velha, da UBT/VV e da Academia Capixaba de Letras e Ar-tes de Poetas Trovadores, cadeira nº 20 – Patrono Dr. Mário Ribeiro. Escritora, au-tora do livro CENAS DA VIDA, publicado pela Editora Chiado de Portugal.
Patrono: Dr. Mário Ribeiro.
Médico, membro efetivo do Centro Cultural Humberto de Campos, hoje Aca-demia de Letras de Vila Velha, publicou sonetos nos principais jornais da capital. Escritor. A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, o CANTOR E COM-POSITOR CARLOS BONA.
Acadêmica Vera Maria da Penha, Cadeira Número 21
Vera Maria da Penha, Natural de Viana/ES, Radicada no Município de Vila Ve-lha. É formada em Letras. (Português x Francês). E bacharel em Direito. É autora de 10 (dez livros) entre eles Anchieta, repassando passos; Irineu, o Cuidador (Um aprendizado sobre o mal de Alzheimer) e o livro: Nicau.
Patrono: Anselmo Gonçalves. Nasceu em Vitória, ES, a 21 de abril de 1929. Casado com Marly da Silva Gonçalves teve nove filhos. Foi assessor de Comunica-ção Social da Prefeitura Municipal de Vitória na Administração Hermes Laranja. Era Fotógrafo. Era Poeta Trovador. Residia no bairro de Fátima.
Acadêmico Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil, Cadeira Número 22.
Grande ativista Cultural Capixaba. Membro da Academia de Letras e Artes da Serra, ES
Patrono: Alberto Isaías Ramirez.
Nasceu em Vila Velha a 8 de setembro de 1924. Era Capitão da Reserva Re-munerada do Exército. Detentor de Várias Condecorações. Cronista Trovador. Se Livro mais famoso foi “Vitória, sonho, amor e poesia”.
Acadêmico Nealdo Zaidan, Cadeira Número 23.
Infelizmente o Acadêmico ZAIDAN não pode comparecer por se encontrar do-ente. Por ser motivo de doença vamos considera-lo empossado e faremos chegar as suas mãos a Pelerine e a Comenda.
Poeta Trovador. Vencedor de vários Concursos de Trovas em diversos Esta-dos Brasileiros.
Patrona: Argentina Lopes Tristão.
Grande ativista Cultural e Premiado em vários Concursos. Foi uma das primei-ras Associadas do Clube dos Trovadores Capixabas em 1981
ACADÊMICA Magnólia Pedrina Sylvestre, Cadeira Número 24 –
Vice-presidente da Academia de Letras Jurídicas do Espírito Santo, segunda vice-presidente da sociedade de cultura latina do Brasil, membros das Academias de Letras e Artes da Serra de Marataízes e professora de Dança Sênior.
Patrono: Argemiro Seixas Santos.
Poeta trovador cronista fazia trova em papel de embrulho em bancos de pra-ças. Mestre em metrificação, autor de 2 letras de músicas enaltecendo o E.S. Escre-veu para os jornais: A Gazeta, A Tribuna e O Diário. A Acadêmica está presente com o seu Padrinho o filho do seu Patrono, Senhor Narendra Seixas San-tos.

Acadêmica, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno, Cadeira Nú-mero 25
EX DELE GADA CHEFE DA POLÍCIA CIVIL E ATUAL, Subsecretária de Integra-ção Institucional da Secretaria de Segurança DO Governo do Estado do Espírito San-to.
Patrono: Maria Beatriz de Figueiredo Abaurre. Nascida a 31 de agosto de 1937, na cidade de Londrina, no Estado do Paraná. Professor Titular Nível Supe-rior da Escola de Música do Espírito Santo. Violinista da Orquestra de Cãmara do então departamento Estadual de Cultura. Foi Presidente do Conselho estadual de Cultura e em 1981 foi eleita Rainha dos Trovadores Capixabas.
ACADÊMICA Fabiani Rodrigues Taylor Costa, Cadeira Número 26.
Professora. Escritora e poeta Fabiani Taylor, autora das obras literárias “O Badalador de Sinos” e “Hieróglifos”. Escritora residente da cidade de Piúma, Espírito Santo.
Patrono: Solimar de Oliveira.
Nascimento: 1913 – Juiz de Fora, MG. Morte: 1991 – Marataízes, Espírito San-to.
Descrição: Poeta, trovador, contista, cronista, novelista, ensaísta, jornalista, funcionário público, diplomado em farmácia (1932), membro da Academia Cachoei-rense de Letras, Academia Pedralva de Letras, Academia de Filosofia, Ciências e Letras de Anapolina
Acadêmico Jonas Pereira Gregório, Cadeira Número 27.
Pastor Evangélico. Acadêmico da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo.
Patrono: Antônio Coelho Sampaio.
Nasceu em Sobral Estado do Ceará. Bacharel em Ciências Econômicas. Perten-ceu a Academia Espírito-santense de Letras e ao Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Cidadão Capixaba título recebido em 1978. Autor de vários Livros e publicações.
Acadêmico ALBÉRCIO NUNES VIEIRA MACHADO, Cadeira Número 28.
Membro da ALEAS, Academia de Letras e artes da Serra. Poeta, trovador, Membro do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas. Vencedor do Concurso Nacional de Trovas do Jornal “O Troveiro” – Tema Amor, em 1985 e vários outros Concursos realizados no Espírito Santo e no Brasil.
Patrono: Albércio Vieira Machado.
Era pai do homenageado e excelente e premiado Trovador.
Acadêmica LUZIA ESTER DONÁ, Cadeira Número 29.
Natural de São Gabriel da Palha, ES. Advogada militante, formada desde 1996, ministra da palavra na Paróquia São José operário e presidente da Academia de Le-tras Jurídicas do Estado do Espírito Santo. Cidadã Mossoroense.
Patrona: Ailsa Alves Santos.
Nascida em Rio Novo do Sul, ES, faleceu em Vitória, ES a 12 de junho de 1970. Exerceu o Magistério Primário no Estado. Integrou a Academia Feminina Espi-rito Santense de Letras.
Acadêmica Isabella Marinuzzi, Cadeira Número 31
Poeta. Escritora. Reside em Itapemirim, ES.
Patrono: Professor Francisco Filipak.
Francisco Filipak (Araucária, 7 de agosto de 1924 — Curitiba, 26 de março de 2010) foi um escritor, linguista e professor brasileiro, membro da Academia Parana-ense de Letras. Autor do Livro Dicionário Regional de Ibiraçu, ES. Participou de Vá-rios Seminários e Congressos de Poetas Trovadores organizados pelo CTC.
Acadêmica Adriana Dutra Amaral, Cadeira Número 32.
Maestrina. Regente de Coral e Orquestra. Professora de Teoria Musical e Ins-trumentos Populares. Residente no Município da Serra, ES.
Patrono: Rocha Ramos.
Mineiro, nasceu a 04 de março de 1931 e faleceu em 09 de dezembro de 1989, aos 68 anos, portanto. Trovador que teve seu nome ligado a Vitória/ES, per-tencia ao Clube dos Trovadores Capixabas=CTC. Polêmico, por sua estreita ligação com as Trovas Escabrosas.
Acadêmico Valdemir Ribeiro Azeredo, Cadeira Número 33.
Poeta Trovador. Artista Plástico. Acadêmico da ALEAS, Academia de Letras e Artes da Serra.
Patrono: Geraldo Nascimento.
Advogado já falecido. Nascido em Córrego d ‘Água, Guaraná, Aracruz, ES, a 21 de janeiro de 1938. Residiu em Vila Velha, ES. Foi Segundo Presidente da UBT-União Brasileira de Trovadores, seção de Vitória e Vila Velha, em 1967. Junto com Zedâ-nove Tavares Sucupira e Clério José Borges participou ativamente do Movimento Cultural do Município Canela Verde, de Vila Velha, ES.
Acadêmico Teodorico Boamorte, Cadeira Número 35.
Poeta Trovador. Acadêmico da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS. Autor de diversos Livros de Poesias e da Literatura de Cordel.
Patrono: Renato Jose da Costa Pacheco.
Renato José Costa Pacheco nasceu em Vitória, Espírito Santo, em 16 de de-zembro de 1928 e faleceu na mesma cidade em 18 de março de 2004. Bacharel em Direito e em História, mestre em Ciências pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo e livre-docente da Universidade Federal do Espírito Santo.
Acadêmico Nadilson Correa, Cadeira Número 36
Artista Plástico radicado em Nova Almeida. Acadêmico Correspondente da Academia de Letras de Porto Seguro, Bahia.
Patrono: Afonso Cláudio de Freitas Rosa.
Nasceu em Mangaraí, Santa Leopoldina, Espírito Santo, a 2 de agosto de 1859 e faleceu no Rio de Janeiro em 16 de junho de 1934. Bacharel em Direito pela Fa-culdade do Recife em 1883. Advogado, jornalista, orador. Primeiro Governador re-publicano de sua província. Desembargador no Tribunal de Justiça de Vitória, 1891.
ACADÊMICO José Humberto Pereira da Silva, Mágico Mandrakion, Ca-deira Número 37.
MAGICO MANDRAKION É GRANDE ARTISTA SERRANO, COM DESTAQUE NO CENÁRIO NACIONAL. Trabalhou na equipe de BETO CARRERO
Patrono: Maria Stella de Novaes.
Nasceu na cidade de Campos dos Goytacazes- RJ em 13 de Agosto de 1894 e faleceu em 1981. Foi professora de desenho, caligrafia, ciências naturais e história natural. Representou o Espírito Santo em diversos congressos. Recebeu prêmios e condecorações além de diversos diplomas acadêmicos. Foi membro de diversas instituições culturais como o Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e uma das fundadoras da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras. Publicou livros sobre botânica, pedagogia, história, folclore e literatura. O Acadêmico está presente com a sua Madrinha SUA ESPOSA VERA.
ACADÊMICO Ananias Novais, Cadeira Número 38
Poeta Trovador nascido em Boa Esperança, interior do Espírito Santo.
Patrono: Elviro de Freitas. O médico Elviro Athayde de Freitas, nascido em Vi-tória no dia 21 de março de 1914, é exímio sonetista e autor de um grande número de trovas, verdadeiramente antológicas.
Acadêmico Lino Armando Baroni, Cadeira Número 40.
Poeta Trovador residente na Cidade de Ibiraçu. Pertence a Academia de Letras e Artes da Serra e a Academia de Letras de Aracruz.
Patrono: Trovador Professor Konsciusko Barbosa Leão. O profes-sor Konsciusko Barbosa Leão, nasceu em Santa Cruz, em 1889. Foi Sonetista. Poe-ta Trovador. Foi diretor do Ginásio São Vicente de Paulo, cujo prédio doou à prefei-tura de Vitória.
Acadêmico Wallace Bertoli Moreira, Cadeira Número 41
Graduado em Licenciatura Plena em Filosofia. Graduando do Curso de Bacha-relado de Biblioteconomia na UFES. Graduando do Curso de Bacharelado de Teolo-gia pelo Centro Universitário Claretiano.
Patrono: Josefa Teles de Oliveira.
Nasceu em 14 de dezembro de 1920, na Fazenda Riachão no município de Frei Paulo, Estado de Sergipe. Em setembro de 1974, Josefa mudou-se para o Espírito Santo, onde residiam alguns de seus familiares, passando a residir na cidade de Ca-riacica no mesmo Estado. Nessa cidade Josefa passou a desenvolver a atividade de Assistente Social com brilhantismo, como voluntária, no IESBEM e com presidiários. Como poetisa, trovadora e cronista, Josefa Teles de Oliveira tem os seus trabalhos publicados. Fundou o Clube da Trova de Cariacica. Pertenceu ao Clube dos Trova-dores Capixabas, CTC. Acadêmica da Academia Feminina Espírito-Santense de Le-tras. Faleceu em 07 de março de 2018.
Acadêmico Lenaldo Ferreira da Silva (Aldo Veranatto), Cadeira Núme-ro 42.
Nasceu em Murici, Alagoas, Radicado em Guarapari, ES. Ator-amador, Can-tor, compositor e Escritor. Projetos Literários, Cidadão Guarapariense. Fundador e Presidente da OCB, Ordem dos Compositores do Brasil, Poeta – Trovador. Membro do CTC – Comenda Trovador Elmo Elton. Relações Públicas do CTC, hoje Academia dos Trovadores.
Patrono: Paulo Athayde de Freitas.
Paulo Freitas nasceu em Rio Novo do Sul (ES), a 28 de Janeiro de 1902. Fale-ceu em Vitória. Filho de Lourenço de Freitas Barbosa e de Targina Athayde de Frei-tas. Poeta, crítico literário, advogado. Estudou no antigo Ginásio do Espírito Santo, em Vitória. Cursou a Faculdade de Direito
Acadêmica Berenice de Albuquerque Tavares, Cadeira Número 43
Ex Secretária de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Serra. Acadêmica da ALEAS (Serra). Sócia diretora da TOP 3 CONSULTORIA & MARKETING Ltda.; Turis-móloga. Graduada em Turismo; Consultora do SEBRAE/ES. Faz parte do Conselho Consultivo da ABBTUR Nacional e ES – Associação Brasileira de Turismólogos e Pro-fissionais em Turismo. Atuou como Subcoordenadora do Grupo Gestor da Associa-ção Brasileira de Bacharéis em Turismo.
Patrono: Valdeci Camelo.
Foi Presidente da UBT – União Brasileira de Trovadores da Cidade de Recife, Pernambuco. Participou de diversas edições do Seminário Nacional da Trova realiza-do no Espírito Santo
Acadêmico José Rodrigues Pereira, Cadeira Número 44.
Professor Pereira, de Linhares, ES. É Bacharel em Administração, com Mestra-do em Administração, Educação e Comunicação. Professor, escritor e consultor em-presarial. É coordenador do Projeto ‘O Prazer da Leitura’ e apresentador do Progra-ma ‘Sim para a Literatura’, na TV Sim, em Linhares/ES. Coordenador do Projeto O Prazer da Leitura, (Linhares/ES).
Patrono Isabel Taquetti.
Grande ativista Cultural da cidade de Linhares, ES. Era Poeta. Foi Diretora de Cultura e uma das organizadoras com Clério José Borges e Cleusa Lourdes Madurei-ra Vidal de um Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores realizado na cidade de Linhares, ES.
Acadêmico Geraldo Fernandes, Cadeira Número 45.
Nascido em Conselheiro Lafaiete, MG. Reside em Vitória, ES, desde 1981. Formado em Administração. Consultor em empresas e Palestrante. Escritor com OITO Obras Literárias publicadas. Poeta. Romancista e Trovador.
Patrono: Alvimar Silva. Nasceu em Viana, ES, a 9 de abril de 1911. Autodi-data. Pertenceu a Academia Espirito Santense de Letras, onde ocupava a Cadeira Número 8. Faleceu em Vitória a 27 de março de 1943. Autor de diversos Livros en-tre os quais, “Clarões” em 1935 e “Vitória no período do Império” em 1942.
O Acadêmico está presente com a sua Madrinha, A PRESIDENTE DA ACADE-MIA FEMININA ESPIRITO SANTENSE DE LETRAS, ESTER ABREU.
Acadêmica Cinthia Pretti Azevedo, Cadeira Número 46.
Ativista Cultural. Poeta. Junto co0m Marcos Bubbach e amigos foi uma das fundadoras da Academia Cariaciquense de Letras.
Patrono: Obed Emmerich.
Foi Poeta Trovador e figura de destaque no meio Cultural da Cidade de Caria-cica, ES
Acadêmico Líbero Penello de Carvalho Filho, Cadeira Número 47. Infe-lizmente o Professor Líbero não pode comparecer.
Será marcada uma nova data para a sua posse Acadêmica.
Patrono Augusto dos Anjos. Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos (Sa-pé, 20 de abril de 1884 – Leopoldina, 12 de novembro de 1914) foi um poeta brasi-leiro, identificado muitas vezes como simbolista ou parnasiano. Todavia, muitos críticos, como o poeta Ferreira Gullar, preferem identificá-lo como pré-modernista, pois encontramos características nitidamente expressionistas em seus poemas
Acadêmica Maria do Rosário Silva Santos, Cadeira Número 48 –
Advogada, Escritora e Artista plástica laureada. Autora de livros em Português, Inglês e Espanhol. Presidente Fundadora da União Cultural Brasileira em Margate-Flórida-USA, da Casa de Memória da Prata-RJ e de Pién – PR, e recebeu inúmeras Honrarias, tais como, Comendas, Troféus, Placas, Medalhas e Diplomas. Coordena-dora de concursos literários a nível Nacional e Internacional. Embora ame sua Terra Natal Prata-RJ, é Espírito-santense por Opção e de Coração.
Patrono Edgard Luiz Gismonti.
Nascido no dia 09/12/1945, na cidade do Carmo, RJ. Compôs mais de trinta músicas e participou de vários festivais. Várias Românticas e próprias para serestas. Escreveu muitos contos, textos e poemas, imprimindo em todos o seu romantismo e à vida familiar. Católico fervoroso e praticante. Compôs um hino ao Espírito Santo e deu um belíssimo e tocante testemunho no Jornal “Partilha”, onde agradeceu a Deus a doença que o trouxe de volta para Deus e a Igreja. Faleceu no dia 05/03 2016, aos 71 anos, rodeado pelo cuidado amoroso de sua família.
A Acadêmica está presente com o seu Padrinho, JOEL RANGEL.
Acadêmico Emílio Soares da Costa, Cadeira Número 49.
Nascido em Virginópolis, MG e Aposentado. Escritor. Poeta Trovador
Patrono, Christiano Ferreira Fraga.
Christiano Ferreira Fraga nasceu a 7 de agosto de 1892 em Campos, RJ e fale-ceu em 6 de janeiro de 1984, em Vitória. Filho do prof. José Moreira Fraga e da prof. Lídia Moreira Fraga. Curso primário e secundário em Campos e de Medicina no Rio. Aí clinicou alguns anos, e depois em Minas Gerais e São Paulo, fixando-se mais tarde no Espírito Santo, onde foi também professor de ensino secundário e superi-or, diretor geral de Saúde Pública, secretário de Saúde e Assistência, diretor da Fa-culdade de Filosofia da Ufes.
Acadêmico Jorge Luiz de Miranda, Cadeira Número 50.
Escritor. Poeta. Palestrante.
Patrono, Benjamim Silva.
Em 1938, no livro de edição particular, Escada da vida, o poeta cachoeirense Benjamin Silva inseriu um soneto em que conta a versão mais difundida da lenda que explica a origem de uma escultura natural em duas montanhas situadas entre os municípios de Cachoeiro de Itapemirim e Rio Novo do Sul — “O Frade e a Freira”:

Acadêmico Clério José Borges de Sant Anna, Cadeira Número 01.
Acadêmico Fundador e o primeiro Presidente da Academia de Letras e Artes da Serra, ES, ALEAS. Foi o Fundador e 1º Presidente do Clube dos Poetas Trovadores Capixabas, CTC. Conselheiro Titular do Conselho de Cultura da Serra, CMCS. Nasci-do em Aribiri, Vila Velha, ES. É morador da Serra, ES, desde 1979 e Cidadão Serrano desde 1994. Senador da Cultura, pela Sociedade de Cultura Latina, SCL. Pertencente a várias Academias e Associações Literárias do Brasil.
Patrono: Eno Theodoro Wanke. Foi um engenheiro e poeta brasileiro. For-mou-se em engenharia civil na Universidade Federal do Paraná. Nascimento: 28 de junho de 1929, Ponta Grossa, Paraná. Falecimento: 28 de maio de 2001, Rio de Ja-neiro, Rio de Janeiro. Autor de mais de mil livros publicados entre os quais, O Tro-vismo e A vida e Obra de Rodolfo Coelho Cavalcante. O Acadêmico está presen-te com a sua Madrinha, SUA NETA, CHRISTAL FRAGA BORGES.

Acadêmica Zenaide Emília Thomes Borges, Cadeira Número 30.
Poeta Trovadora. Teve Trovas e Poesias publicadas em Livros e Jornais.
Patrono: Narceu de Paiva Filho.
Foi Professor na Cidade de Ibiraçu, ES. Nasceu em Baixo Guandu em 18 de outubro de 1934. Cursou Geografia, Supervisão escolar, Orientação Pedagógica, História e Letras. Foi Acadêmico da Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS, Cadeira 28. Em Ibiraçu fundou o Ibiraçu Esporte Clube e os extintos Jornais, O Imi-grante e O Trabalho. Fundou a Escola de Contabilidade Padre José Simionato. Foi Vereador em Ibiraçu Foi Vice-Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC.
A Acadêmica está presente com a sua Madrinha Christal Fraga Borges.
Acadêmico Clérigthom Thomes Borges, Cadeira Número 34
Ativista Cultural. Professor de Informática e desenvolvedor de Web Sites de Escritores, Poetas e Trovadores. Associado do antigo Clube dos Trovadores Capi-xabas como simpatizante da Trova.
Patrono: Guilherme Santos Neves.
Nasceu em Porto Final, vilarejo no distrito de Mascarenhas, município de Baixo Guandu, ES, em 14 de setembro de 1906, e faleceu em Vitória, em 21 de novembro de 1989. Pesquisador do folclore capixaba desde a década de 1940 começou a pu-blicar seus textos no jornal A Tribuna, de Vitória. Em 1946 fundou o Centro Capixa-ba de Folclore, vinculado à Academia Espírito-santense de Letras; em 1948, a Co-missão Espírito-santense de Folclore, de que foi secretário geral. O Acadêmico está presente com a sua Madrinha, sua filha Christal Fraga Borges.
Acadêmica Andréia da Silva Fraga, Cadeira Número 39.
Ativista Cultural. Palestrante sobre Qualidade de Vida e Bem-estar. Associada do antigo Clube dos Trovadores Capixabas como simpatizante da Trova.
Patrono: Nordestino Filho, pseudônimo de Raimundo Estevão Pereira.
Nasceu em Viçosa, no Ceará em 1900 tendo passado a residir no Espírito San-to desde 1925, tendo residido inicialmente em Vila Velha e depois em Cachoeiro de Itapemirim, onde ingressou na Academia Cachoeirense de Letras. Publicou vários Livros de Trovas entre os quais, Tudo Azul e Predestinação.
A Acadêmica está presente com a sua Madrinha sua filha Christal Fraga Bor-ges.
Após a solenidade da Investidura da Veste Talar da Pelerine e recebimento da Comenda Acadêmica e Cerimônia de Diplomação de Acadêmico da Academia Capi-xaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC, todos Acadêmicos em-possados foram solicitados a ficarem na frente e com a mão direita estendida na frente da Bandeira Nacional para o Juramento Solene e repetiram com o Mestre de Cerimônias:
Eu acadêmico da academia capixaba / de letras e artes de poetas trovadores, / comprometo-me sob a ordem de Platão / exercer a arte de escrever e falar / com dignidade e independência. / Observar os mais ricos princípios éticos / e os de edu-cação, / de forma que possa eu / contribuir no processo de desenvolvimento / e aperfeiçoamento intelectual e moral do ser-humano. / Prometo, também, defender o estado democrático, / os direitos humanos, a justiça social / e o aperfeiçoamento da cultura em geral. / Assim, serei fiel ao estatuto da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores / cumprindo suas leis / e levando seu nome por to-dos os meios literários / No estado ou fora dele. / Assim eu prometo.
Em seguida foi oferecido no Hall de Entrada um COFEE BREAK e a solenidade foi encerrada.

ACADEMIA LITERÁRIA CASTELENSE EM ASSEMBLÉIA GERAL
ELEGE QUATRO NOVOS MEMBROS ACADÊMICOS:
CORRESPONDENTES: PROFESSORA ESTER ABREU; CLÉRIO
JOSÉ BORGES; ROBERTO VASCO E SUZI NUNES.
2018 – No dia 27 de abril de 2018, na Câmara Municipal de Castelo. Posse da nova Diretoria daquela Arcádia tendo como Presidente o Escritor Eurico Eugênio Tra-vaglia. Sessão Solene da Academia Literária Castelense. Castelo ES.
Com a presença do Vice-Prefeito da Cidade de Castelo, no sul do Espírito San-to, Pedro Nunes, na Sexta-feira, dia 27 de abril de 2018, a Academia Literária Caste-lense realizou em Sessão Solene a Eleição, por unanimidade, de quatro novos membros Acadêmicos Correspondente. Por proposta do novo Presidente Eurico Eugênio Travaglia foram eleitos a Professora Ester Abreu; Clério José Borges, Ro-berto Vasco e Maria Suzy Costa Nunes. A eleição foi realizada durante a solenidade de posse da nova Diretoria presidida por Eurico Eugênio Travaglia. Nesse encontro foram empossados novos membros titulares e novos Acadêmicos Beneméritos. Na oportunidade a professora Ester Abreu, Roberto Vasco e Clério José Borges falaram sobre “O Espírito Acadêmico”, mobilizando os novos Imortais a produzirem suas obras, levarem seus trabalhos para o povo, inclusive em atividades culturais nas periferias das cidades.
Na mesma ocasião as Acadêmicas Ester Abreu e Suzy Nunes, convidaram a todos para a FLIC 2018, a Feira Capixaba do livro 2018 e o Escritor e Historiador Clério José Borges, presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e o Secretário geral da mesma Academia, Escritor e Historiador Roberto Vasco, convidaram a todos para o próximo Congresso Brasileiro de Poetas Trova-dores, na cidade de IÚNA, ES, de 5 a 8 de julho de 2018. Entre os presentes a Aca-dêmica e Escritora Marluce Peisino que estava divulgando um belo livro infantil que Christal gostou muito.

ESCRITOR CAPIXABA RECEBE EM ITABIRA MG O TROFÉU
JOÃO GUIMARÃES ROSA COMO ESCRITOR DO ANO DE 2018
2018 – Por indicação do Jornalista Eustáquio Lúcio Felix, do Jornal Folha Popu-lar de Itabira, Minas Gerais, Clério José Borges participou no dia 05 de maio de 2018, nos Salões do real Campestre Clube da Solenidade de Premiação e entrega de Troféus para os Escritores e Poetas Melhores do ano de 2018, tendo recebido em brilhante solenidade o troféu GUIMARÃES ROSA. Trata-se de um evento tradicional do gênero no Brasil que presta homenagens e Premiações aos melhores talentos da Literatura Brasileira. Segundo Eustáquio Lúcio Felix “o reconhecimento à sua obra literária, que se materializa na cerimônia de entrega dos Troféus que este ano rece-be o nome do Grande Escritor João Guimarães Rosa.” O evento é realizado em Itabira, terra do Poeta CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE há 53 anos.
Foi com muito orgulho e satisfação que Clério José Borges representou o Es-tado capixaba do Espírito Santo, na cidade de Itabira, MG, sendo o único represen-tante do Estado do Espírito Santo no evento, fato que mereceu destaque do Jorna-lista Eustáquio Lúcio Felix. Clério José Borges estava acompanhado no evento de sua digna esposa Zenaide Emília Thomes Borges, também Poeta Trovadora e Aca-dêmica das Academias Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e da Aca-demia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo. Os troféus são concedidos a personalidades da Literatura Brasileira que são indicadas por entidades ou Personali-dades Literárias e recebem as homenagens após ampla análise do Currículo.
A Festa de 2018 teve um show especial da Banda da Região que se apresen-tou magnificamente com sucessos da atualidade. Com muito glamour e elegância, além do Troféu Guimarães Rosa recebido por Clério José Borges, aconteceu à en-trega dos troféus Carlos Drumond de Andrade e Castro Alves e os prêmios Mulheres Notáveis, Personalidades Notáveis, para diversos Escritores de vários Estados brasi-leiros. O Destaque vai para a Escritora Denise Felix, da própria cidade de Itabira, MG que é Acadêmica Correspondente da ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC. Também receberam Premiações e Troféus, os Acadêmicos Correspondentes da ACLAPTCTC, ODENIR FERRO, do Estado de São Paulo e DALVA FRAHLICH, do Rio de Janeiro. O evento foi promovido pelo jornalis-ta Eustáquio Lúcio Félix e sua esposa, Sônia Félix. Além de Personalidades da região de Itabira, estiveram presentes Poetas e Escritores de várias cidades brasileiras e até do exterior. De acordo com os organizadores do evento, as pessoas premiadas fazem sua história de vida, traçando caminhos, mostrando diferenças individuais. Para a organização, notável pode ser sinônimo de melhor, de sucesso, de brilho, mas, sobretudo, de coragem.
O homenageado Clério José Borges foi o único Escritor e Poeta do Estado do Espírito Santo presente no evento do dia 05 de maio de 2018 em Itabira, MG. Clério é o Presidente do Clube dos Trovadores Capixabas, que desde 18 de novembro de 2017 transformou-se na ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC. Clério é também o Vice-Presidente da Academia de Le-tras e Artes da Serra e Secretário Geral da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo e pertence a diversas Academias, no Estado Espírito Santo (Vila Velha, Iúna, Marataízes, São Mateus e Cachoeiro de Itapemirim). Pertence ainda a Academia Brasileira da Trova e outras Academias no Brasil e Exterior.

CLÉRIO BORGES FAZ PALESTRA NO
PROJETO AGENTES AMBIENTAIS MIRINS
2018 – No dia 10 de maio de 2018, Clério José Borges a convite do ambienta-lista Vitor Rosa esteve na Comunidade no bairro de Serra Dourada Três onde profe-riu Palestra sobre Poesia e Trovas e sobre a História da Serra, cidade do Estado do Espírito Santo.

ACADÊMICO ROBERTO VASCO RECEBE PELERINE E MEDALHA
ACADÊMICA EM SOLENIDADE DE ENTREGA DE PRÊMIOS
DE CONCURSO DA ACADEMIA MARATAIZENSE DE LETRAS.
2018 – (Marataízes ES.) No sábado dia 12 de maio de 2018, em solenidade re-alizada no Palácio das Águias na Cidade de Marataízes no sul do Estado do Espírito Santo o Poeta Trovador e Escritor Capixaba, João Roberto Vasco Gonçalves rece-beu das mãos da Presidente da Academia Marataizense de Letras, da Cidade de Ma-rataízes, no Sul do Estado do Espírito Santo, Barbara Perez, o Diploma, a Pelerine e a Medalha Acadêmica empossado na Cadeira de Acadêmico Correspondente de Número 44, da Academia Marataizense de Letras que tem como Patrona Maria An-tonieta Tatagiba.
Na solenidade foram prestigiar o evento, seus amigos Clério José Borges de Sant Anna, Zenaide Emília Thomes Borges, Magnólia Pedrina Sylvestre da Academia Jurídica do Estado do Espírito Santo e da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC; a Acadêmica Isabella Marinuzzi e a Acadêmica Soêmia Pimentel Cypreste, Correspondente da Academia Feminina Espírito Santense de Letras e Acadêmica Titular da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC.
Houve uma bela apresentação dos alunos de dança do Estúdio Paula Barreto, bem como a apresentação de dança clássica contemporânea das bailarinas Mária Lopes da Costa e Alice Lopes da Costa apresentando o casal Bentinho e Capitú do romance Dom Casmurro de Machado de Assis. A Produtora das bailarinas mãe Alice Madalena Lopes Alves recebeu um lindo buquê de rosas ofertado pelo Prefeito Tini-nho Batista. Houve uma apresentação musical do vice-presidente honorário da Aca-demia Marataizense de Letras Ricardo Lemos.
Na ocasião foram entregues os prêmios do I CONCURSO CULTURAL “DO-MINGOS JOSÉ MARTINS”, com organização do Palácio Das Águias de Marataízes, através da Presidente Bárbara Perez e uma realização da Prefeitura Municipal de Marataízes. O resultado final nos aponta dois estudantes em Segundo Lugar e foi o seguinte:
1º Lugar- Raissa Dias da Cruz com o poema intitulado, Homem Batalhador, aluna da Escola E.M.E.F Benjamim Mendes de Souza, Mucurici, ES, sendo a Profes-sora de Língua Portuguesa, Patrícia Maria Oliveira (EMEF Benjamim Mendes de Sou-za); Diretora da EMEF Benjamim Mendes de Souza, Vagnéia Pereira da Silva e Mirian Alves da Silva Secretária Municipal de Educação de Mucurici, ES; A Cidade de Mucuri-ci fica no norte do Espírito Santo, A aluna 09 (nove) horas para chegar à Marataí-zes, receber sua premiação e depois mais 09 (nove) horas para voltar.
2º Lugar- Bernardo Oliveira Gomes com o poema intitulado: Domingos José Martins. Escola E.M.E.F Maria da Glória Nunes Nemer – Marataízes, ES; Professor: Kêmeron Chagas dos Reis Almeida; Diretora: Erondina da Silva; Secretário Municipal de Educação: Evaldo Batista da Silva.
2º Lugar- Thauan dos Santos Alves com o poema intitulado: Domingos José Martins, Escola E.E.E.F.M Quintiliano Azevedo – Cachoeiro de Itapemirim, ES; Pro-fessora: Michelle Fonseca Nascr; Diretor: Domingos Sávio Brandão; Superintendente Estadual de Cachoeiro de Itapemirim: Adriana David Viana;
3º Lugar: Gabriel Andrade com o poema: Domingos José Martins- O Herói na-cional, da Escola E.E.E.F.M Inah Werneck – Cachoeiro de Itapemirim, ES. Professo-ra: Michelle Fonseca Nascr; Diretora: Julia Oliveira da Silva. Superintendente Estadu-al: Adriana David Viana. A Comissão julgadora foi composta dos Acadêmicos da ACLAPTCTC, Maria Dolores Pimentel Rezende (professora de língua portuguesa e literatura) e João Roberto Vasco Gonçalves (professor e analista de sistemas). Se-gundo os organizadores do evento, 78 Municípios foram convidados, sendo que 38 participaram do referido Concurso.

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES
PARTICIPA DA 7ª BIENAL DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM
2018 – A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores ACLAP-TCTC entidade cultural herdeira do espólio do antigo Clube dos Trovadores Capixa-bas, CTC, através do seu Presidente Clério José Borges esteve presente no dia 16 de maio de 2018, na 7ª Bienal Capixaba do Livro na Praça de Fátima em Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Estado do Espírito Santo, oportunidade em que participamos do lançamento do Livro do Sr Alcy Bittencourt, de Marataízes e visitamos os Stand da Academia Cachoeirense de Letras no qual Clério José Borges é Acadêmico Cor-respondente, revendo o Professor David Loss. Também estivemos no Stand da Academia Cariaciquense de Letras com o Presidente Marcos Bubbach. O Banner da Academia ACLAPTCTC esteve sempre presente no evento. Participamos da Mesa Redonda, VIVER COM POESIA, que teve a participação do Repórter da extinta Rede Manchete e depois da Rede Globo de Televisão, Luiz Ernesto Lacombe, da Escritora Hellenice Ferreira com mediação do membro da Academia Cachoeirense de Letras, Acadêmico Roberto Al Barros. Participando representando a Academia ACLAPTCTC, o Acadêmico João Roberto Vasco Gonçalves e Clério José Borges de Sant Anna. Encontramos lá além dos já citados, Regina Menezes Loureiro, Suzi Nunes e Barbara Perez. A Bienal de Cachoeiro de Itapemirim, foi realizada de 15 a 20 de maio de 2018.

REUNIÃO DA ACLAPTCTC NA PREFEITURA DE SANTA TERESA
SOBRE O CONCURSO E CONGRESSO DE 2018
2018 – No dia 18 de maio de 2018, com início às 10.00 horas foi realizada na Prefeitura Municipal de Santa Teresa uma reunião da ACLAPTCTC preparatória para a realização de um Concurso a nível Municipal de Poesias e Trovas e do Congresso de Trovadores de 2018. Participaram da reunião, segundo lista de Assinaturas de presenças: Marcia; Fabiana; Zirlei; Cleusa (Pres. Academia Teresense de Letras); Nete (Sub Secretária da Cultura); Clerio José Borges (Presidente da Academia Capi-xaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores); Roberto Vasco (Secretário Geral da Academia Capixaba de Letras e artes de Poetas Trovadores); Zenaide Thomes Bor-ges (Acadêmica da Academia Capixaba de Letras e artes de Poetas Trovadores); Magnólia Pedrina Silvestre (Acadêmica da Academia Capixaba de Letras e artes de Poetas Trovadores).
Clério Borges se apresentou e comandou as apresentações. As professoras fi-zeram todas as perguntas sobre as dúvidas relativas às atividades do congresso, atinentes a sua parte. Comentários das professoras sobre as palestras e Oficinas de Trovas e a possível divisão em faixas etárias. Ficou definido que será assunto que discutirão entre si e tomarão as medidas cabíveis. Clério Borges formulou oficial-mente o convite para comparecerem ao congresso de IUNA em julho, para melhor se inteirarem do assunto. Magnólia fez uma explanação sobre Dança Sênior. Rober-to Vasco mostrou as fotos de um Stand, da 7ª Bienal Rubem Braga, de Cachoeiro a título de exemplo de trabalhos produzidos por alunos e tipo de apresentação. Clério Borges, Roberto Vasco e Nete, subsecretária da Cultura, discutiram alguns assuntos relativos a problemas de ordem logística (transporte e movimentação de pessoas). Missa em trovas – Clério Borges sugeriu que seja agendado um horário num dia de reunião do Conselho Paroquial. Nesse dia apresentará uma cópia da Missa em tro-vas, com texto principal do Poeta Trovador, Antônio Augusto de Assis. Nada mais havendo para o momento, a reunião terminou às 11h15m.

V FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA – MESA REDONDA:
ÉTICA E CIDADANIA NA UFES, UNIVERSIDADE FEDERAL
ACLAPTCTC – ACADEMIA DE POETAS TROVADORES
PARTICIPA COM SUCESSO DA V FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA
2018 – Com a presença de vários Senhores Acadêmicos, no sábado pela ma-nhã, dia 26 de maio de 2018, foi realizado o Sarau Poético da ACLAPTCTC na V Fei-ra Literária Capixaba. Mesmo com problemas de falta de gasolina nos Postos de Gasolina e Greve dos Caminhoneiros no Brasil, a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, participou com Sucesso do Sarau Poético da V FLICA. A ACLAPTCTC é entidade cultural sem fins lucrativos, herdeira do espólio cultural do antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, fundada a 1º de julho de 1980, enti-dade que organiza os Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores, encontros naci-onais de Poetas e Escritores representantes de vários Estados Brasileiros.
A Feira Literária Capixaba foi realizada de 23 a 27 de maio de 2018, numa promoção da Academia Feminina Espirito Santense de Letras e da Academia Espíri-to-Santense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, com apoio da UFES. Detalhes: V FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA. De 23 a 27 de maio de 2018. Homenagem: Afonso Claudio de Freitas Rosa. Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores marca presença na V Feira Literária Capixaba no sába-do, dia: 26/05/2018 – SÁBADO – TENDA CULTURAL, de 09h00 às 13,00HORAS. Es-paço da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, com vários autores.

V FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA – MESA REDONDA:
ÉTICA E CIDADANIA NA UFES, UNIVERSIDADE FEDERAL
2018 – No dia 27 de maio de 2018, Clério José Borges foi convidado pelos or-ganizadores da 5ª Feira Literária Capixaba para mediar uma Mesa Redonda com o tema Ética e Cidadania da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo, sendo participantes da mesa, o Palestrante, Dr. Anaximandro Amorim, Advogado e professor e Escritor. Debatedores: Dra. Margareth Gonçalves Pederzini, advogada militante, pós-graduada em Processo Civil, e em Segurança Pública e Dra. Magnólia Pedrina Sylvestre, Bacharel em Direito e professora de Dança Sênior. Clério iniciou a programação dentro da Feira Literária Capixaba fazendo um breve histórico da Aca-demia de Letras Jurídicas esclarecendo que, após ter participado na cidade de João Pessoa na Paraíba de um Encontro Nacional da Federação das Academias de Letras Jurídicas do Brasil, recebeu a Missão do ilustre Advogado Dr. Ricardo Bezerra de fundar no Espírito santo uma Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo sendo a Academia fundada aos 25 dias do mês de março, do ano de dois mil e dezessete, em Assembléia Geral realizada em Eurico Salles pela parte da manhã, sob a presidência da senhora Advogada, Dra. Luzia Ester Doná. A primeira Diretoria foi eleita e a posse Solene da nova Diretoria ocorreu no mesmo dia em solenidade realizada no Teatro de Vila Velha com início às 15 horas.
Solenidade esta que contou com a presença de uma Delegação de Poetas e Escritores do Espírito Santo e do Estado do Maranhão e a presença do Presidente da Academia Espirito Santense de Letras, Professor Francisco Aurélio Ribeiro. A ACALEJES é uma associação civil, de caráter social e cultural, sem fins econômicos, que tem por objetivos sociais e finalidades, o estudo do Direito em todos os seus ramos e aspectos; a pesquisa, a preservação e o culto as Letras Jurídicas, com divulgação de tratados, contratos, teses e publicações, bem como, são ainda obje-tivos e finalidades a difusão, realização de cursos informativos, palestras e traba-lhos de Assessorias e Atendimento gratuito a Comunidades (bairros dos Municípios do Estado do Espírito Santo) e o culto à Memória Jurídica, na recuperação de publi-cações e Livros da área do Direito e de Grande e consagrados Advogados.

FESTA DE CORPUS CHISTI 2018, NA COMUNIDADE SÃO PAULO
EM EURICO SALLES: TAPETES, TRADIÇÃO E MUITA FÉ
2018 – No dia 31 de maio de 2018 foi celebrada na Praça dos Pássaros em Eu-rico Salles, Carapina, Serra, ES a Missa de Corpus Christi, tendo Clério José Borges participado com Zenaide como membro da Pastoral Familiar. Coube a Clério Borges ler as preces do dia. A Acolhida foi feita pelo Presidente da Associação de Morado-res Fábio Santana e a missa foi concelebrada pelos Padres Combonianos, Padre Roberto Sottara (Pároco), Padre Elio Savoia e Padre Carlos Faggion, com a colabo-ração do Diácono Sidnei Lopes e Rogério Baptista A missa com a procissão de Je-sus Eucarístico começou às 16 horas da tarde do dia 31 de maio de 2018, dia da Festa de Corpus Christi. Houve a preparação de um tapete pelas ruas do bairro. A preparação dos tapetes em Eurico Salles aconteceu desde as 18 horas, do dia 30 de maio de 2018, prosseguindo pela manhã do dia 31 de maio em trecho da Rua dos Faisões e, trecho da rua ao lado da Igreja Católica na Praça dos Pássaros.
Desde 1993 os moradores do bairro Eurico Salles, na Serra enfeitam as ruas com flores, pó de café, casca de ovo e outros materiais coloridos. São feitas figu-ras religiosas, formando tapetes, por onde no período da tarde do dia de Corpus Christi, passa a procissão em honra ao Corpo de Cristo, representado na hóstia consagrada. No início era só a Comunidade local de Eurico Salles, que fazia a festa. Nos últimos anos participam as demais Comunidades da Paróquia São José Operá-rio de Carapina, Distrito do Município da Serra, ES. Mais de mil pessoas chegam a participar anualmente da procissão e da missa realizada em Eurico Salles. A Coorde-nação Geral do evento em Eurico Salles foi da Animadora da Comunidade Luciana Neuman, com colaboração na Coordenação de José Marcos Delarmelina.

TROVADORA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES FOI A VENCEDORA
DO CONCURSO NACIONAL DE TROVAS COM O TEMA CAPARAÓ
2018 – Trovadores de Campos dos Goytacazes, RJ; Juiz de Fora, MG; da Cida-de de Sorriso no Mato Grosso; Nova Friburgo, RJ; Natal, no Rio Grande do Norte; Belo Horizonte, em Minas Gerais e das cidades de Pindamonhangaba, Bauru e São José dos Campos, no Estado de São Paulo SP foram os grandes vencedores do Concurso Nacional de Trovas tema Caparaó, promovido pela Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, com apoio da Academia Iunense de Letras, Jornal A Notícia, de Iúna e Prefeituras Muni-cipais e Consórcio do Caparaó. A solenidade de premiação dos vencedores já está marcada para o dia 05 de julho de 2018, com início às 18 horas, data da abertura do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, que será realizado até o dia 08 de julho, na Casa da Cultura de Iúna, cidade localizada na Região do Parque Nacio-nal do Caparaó, a 188 quilômetros de Vitória, no Espírito Santo.
Foram recebidas um total de 853 Trovas, número considerado excepcional já que para fazer Trovas, o poeta precisa saber metrificação e, conforme regulamen-to, cada Trovador só poderia encaminhar até 3 trovas. O resultado foi anunciado no dia 08 de junho de 2018, após três reuniões da Comissão Julgadora presidida pelo Poeta Capixaba, Albércio Nunes Vieira Machado, o Albercinho Flamenguista. Segun-do Albércio quatro trovas tiveram a pontuação máxima dos membros da Comissão Julgadora obrigando a realização de mais de uma reunião para a decisão final.
A trovadora Janilce Simões, da cidade de Campos dos Goytacazes no Estado do Rio de Janeiro foi a grande vencedora do Concurso Nacional de Trovas com o tema Caparaó, referente a região do Espírito Santo localizada na divisa dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, composta de seis Municípios, entre os quais Iúna, que será palco de 05 a 08 de julho do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovado-res. Em segundo lugar foi classificado o Trovador Dulcídio de Barros Moreira Sobri-nho da Cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais e em terceiro o Trovador Mário Moura Marinho da Cidade de Sorriso, no Mato Grosso.
1º Lugar: Caparaó és visão / Que encanta os sentidos meus. / És divina inspi-ração, / és obra-prima de Deus! / Autora: Janilce Simões, Rua: Conselheiro José Fernandes, 488, Campos dos Goytacazes, RJ CEP: 28.030-002
2º Lugar: Caparaó de esplendor, / Mostra com a sua beleza, / Que a vida tem mais valor / Onde reina a natureza. / Autor: Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho, Juiz de Fora, MG.
3º Lugar: Caparaó é o encanto / De teu povo varonil; / Saúdo-te com meu canto, / Embelezas meu Brasil. / Autor: Mário Moura Marinho, Sorriso, MT.
RESULTADO DO CONCURSO ESTADUAL DE TROVAS. (Estado do Espírito San-to). Concurso Estadual de Trovas com o tema Caparaó, realizado de 1º de janeiro a 25 de maio de 2018. No âmbito Estadual foram recebidas um total de 213 trovas. Em 1º Lugar ficou para a Trova da Trovadora Vera Maria da Penha, de Novo México em Vila Velha, ficando em 2º Lugar, Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil e em ter-ceiro Lugar a Trova da Trovadora Magnólia Pedrina Sylvestre, de Eurico Salles, Ser-ra, ES. Foram classificadas ainda, trovas de Angelina Jucá Monteiro de Barros, em 4º Lugar; Albércio Nunes Vieira Machado, em 5º Lugar; Zenaide Emília Thomes Bor-ges, em 6º Lugar; Roberto Vasco, em 7º Lugar; Geraldo Fernandes em 8º Lugar; Andréia Fraga, em 9º Lugar e Isabella Marinuzzi, da cidade de Itapemirim, ES, em 10º Lugar. Menção Honrosa para trovas de Edilson Celestino Ferreira, Kátia Bobbio e Emílio Soares da Costa.
1º Lugar: Nas estradas desta vida / Eu caminhei sempre só. / Vim descansar minha lida, / Na Paz do Caparaó. / Autora: Vera Maria da Penha, Vila Velha, ES.
2º Lugar: Caparaó e suas flores / E sua linda Cordilheira… / Vida em formas de amores / Amores a vida inteira. / Autor: Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil, Serra, ES.
3º Lugar: Serra do Caparaó / Mas que beleza, que encanto! / Serra assim exis-te só / No nosso Espírito Santo… / Autora: Magnólia Pedrina Sylvestre, Serra, ES.
RESULTADO DO CONCURSO NACIONAL DE POESIAS. Os vencedores do Con-curso Nacional de Poesias com o tema Maravilhas do Caparaó, foram: 1º Lugar: Francisco Gabriel, Natal – RN; 2º Lugar: Izabela Marinuzzi, Marataízes-ES; 3º Lugar: Albércio Nunes, Serra, ES. 4º Lugar: Izabela Marinuzzi, Marataízes – ES; 5º Lugar: Francisco Gabriel, Natal – RN.

ROBERTO VASCO LANÇA LIVRO EM ANCHIETA
E EVENTO SE TRANSFORMA EM SARAU ACADÊMICO
2018 – Com as presenças dos Acadêmicos da ACLAPTCTC, Clério José Borges; Maria Cândida Vasco Gonçalves, Zenaide Emília Thomes Borges; Magnólia Pedrina Sylvestre, Soêmia Pimentel Cypreste e Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil e do Secretário de Turismo de Anchieta, Edinho foi realizado no dia 15 de junho de 2018, com início às 18 horas, o lançamento do Livro de Autoria de João Roberto Vasco Gonçalves, Anchieta em Prosa e Verso.
O evento foi realizado no Centro cultural Thiago Bezerra Leite, centro, Anchi-eta, ES e na ocasião tomou posse como Representante da Academia Capixaba de Poetas Trovadores em Anchieta o premiado Poeta Nealdo Zaidan. Roberto Vasco proferiu uma Palestra sobre Identidade Cultural e declamaram Poesias, uma jovem da Comunidade, chamada Andréia. Zaidan, Marco Soledade, o Durinho e Mestre Gil. A Acadêmica Magnólia Pedrina Sylvestre declamou uma Poesia e Roberto Vasco declamou Poesias de sua autoria. Maria Cândida Vasco Gonçalves, declamou a poe-sia sobre Anchieta, de sua autoria. Também cantou com Enedino a música de auto-ria de seu irmão (já falecido) Jocarly José Vasco, que tocava no Trio Caiçara home-nagem a Anchieta.

TROVADOR NEALDO ZAIDAN TOMA POSSE COMO
PRESIDENTE DO NÚCLEO DE ANCHIETA DA ACLAPTCTC
2018 – No dia 15 de junho de 2018, em solenidade realizada no Centro cultural Thiago Bezerra Leite, centro da Cidade de Anchieta, ES, com início às 18 horas, a Posse do Poeta Trovador Nealdo Zaidan como Presidente do Núcleo Acadêmico da ACLAPTCTC na Cidade de Anchieta, ES.
Zaidan é Acadêmico Titular da ACLAPTCTC, Cadeira Número 23, que tem co-mo Patrona a Trovadora Argentina Lopes Tristão. O mandato de Zaidan é de quatro anos, de 15 de junho de 2018 a 15 de junho de 2022, conforme artigo 2º, parágrafo 1º, item 1, letras a do Estatuto Social.

EMOÇÃO, HOMENAGENS E MUITA ALEGRIA MARCARAM O
SUCESSO DO XIV CONGRESSO DE POETAS TROVADORES
2018 – A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, e a Academia Iunense de Letras realizaram com êxito o XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores de 05 a 08 de julho de 2018. Troveata (Desfile dos Trovadores pelas ruas da Cidade); Serenata dos Trova-dores e Missa em Trovas foram os pontos altos do evento. A solenidade de abertu-ra teve a presença muito especial de escritores e poetas de várias partes do Brasil, entre eles o de Luiz Poeta, do Rio de Janeiro, fazendo uma bonita apresentação musical.
A Missa em Trovas celebrada pelo Padre Marconi José de Andrade, Pároco da Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, Padroeira de Iúna. A Confraternização final foi realizada num maravilhoso local no Restaurante Peixe & Cia, localizado a cerca de 3 km do Centro da Cidade. Também o ponto alto do Congresso foram o Baile dos Trovadores e a eleição da Rainha dos Trovadores.
Durante o XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores foi realizada a pre-miação aos vencedores do Concurso de Poesias e Trovas realizado com alunos de ensino fundamental e médio das escolas municipais e do Estado, na região do Ca-paraó.
RAINHA. No sábado à noite aconteceu o Concurso para a escolha da Rainha dos Poetas Trovadores e o Baile. A vencedora foi a jovem Allicy Oliveira Gomes, a Rainha dos trovadores que participou do concurso Rainha dos Trovadores do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores. Também foram vencedoras do Concur-so as jovens, Lorena da Silva Caetano e Tatiane Aparecida de Souza 1ª e 2ª prince-sas dos Trovadores. Na Comissão Julgadora, Clério José Borges foi o Presidente, Vera Coser, Maria Dolores, Valsema Rodrigues e Ângela Veríssimo.
SERENATA. Na Sexta feira a Noite foi realizada a Serenata dos Trovadores pe-las ruas de Iúna saindo da Casa da Cultura caminhando pelas ruas e passando por duas casas, uma das quais a casa da Senhora Maria Natividade.
CONCURSO TEMA CAFÉ. Houve Concurso Relâmpago de Trova com o tema Café, cujo vencedor em 1º Lugar com o Trovador Mestre Gil. Em segundo Lugar foi classificada a Trova de Vera Carla Lopes. Em 3º Lugar, a Trova de Luiz Poeta, do Rio de Janeiro. Em 4º Lugar, novamente o Trovador Mestre Gil, residente em Serra, ES e 5º Lugar a Acadêmica Cintia Pretti, de Cariacica, ES.
TROVEATA. A Troveata foi um sucesso. A caminhada dos poetas trovadores pelas ruas de Iúna, no sábado pela manhã, foi um sucesso. Os Trovadores ao lado de um Carro de Som declamavam trovas e poesias, distribuindo livros e folhetos. O destaque foi a Trovadora Valsema Rodrigues da Costa. Grande momento literário na cidade por ocasião da realização do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores.
COMENDAS. Na noite de sábado do XIV Congresso Brasileiro de Poetas Tro-vadores, em Iúna, várias personalidades foram homenageadas com a Comenda Poeta Michel Antonio, em reconhecimento ao apoio à cultura e ao desenvolvimento do município de Iúna. Participação especial da Orquestra Sinfônica “Som das Águas do Caparaó” de Irupi. Foram também agraciados com a Comenda Florbela Espan-ca, Poetisa Portuguesa as seguintes Personalidades Culturais que se encontravam participando do evento: Clério José Borges; Roberto Vasco; Maria Dolores Pimentel Rezende; Romero Cesar de Almeida Siqueira; Ângela Lino Veríssimo; Emílio Soares da Costa; Givaldo Inácio da Silva; Jonas Pereira Gregório; Lúcia Maria Matos de Oli-veira; Gertrudes Greco; Odenir Ferro e Wilson Miranda.
A trovadora Janilce Simões, da cidade de Campos dos Goytacazes no Estado do Rio de Janeiro compareceu no Sábado a tarde e recebeu a sua premiação, clas-sificada que foi em 1º Lugar no Concurso Nacional de Trovas de um total de 853 Trovas recebidas.
O Concurso Estadual de Trovas promovido pela Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas trovadores recebeu um total de 213 Trovas. Em 1º Lugar ficou para a Trova da Trovadora Vera Maria da Penha, de Novo México em Vila Velha, ficando em 2º Lugar, Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil e em terceiro Lugar a Trova da Trovadora Magnólia Pedrina Sylvestre, de Eurico Salles, Serra, ES. Foram classificadas ainda, trovas de Angelina Jucá Monteiro de Barros, em 4º Lugar; Albér-cio Nunes Vieira Machado, em 5º Lugar; Zenaide Emília Thomes Borges, em 6º Lu-gar; Roberto Vasco, em 7º Lugar; Geraldo Fernandes em 8º Lugar; Andréia Fraga, em 9º Lugar e Isabella Marinuzzi, da cidade de Itapemirim, ES, em 10º Lugar.
No Concurso Nacional de Poesia recebeu a sua premiação a Acadêmica, Isa-bella Marinuzzi, de Marataízes, ES, classificada em 2º Lugar. Também foi prestada uma homenagem Especial a Jovem Tainá Sofia Savino, de apenas 14 anos de ida-de, da Cidade de Itapemirim, por sua Classificação como Menção Honrosa no Con-curso Nacional de Poesias.
Na Oficina de Trovas foi realizado um Concurso classificando-se em primeiro lugar um jovem Surdo e Mudo, de nome Kellvi, que participou da Oficina, ficando em 2º Lugar, Emílio Soares da Costa e em 3º Lugar a Acadêmica de Iúna, Vera. A Acadêmica Zenaide Emília Thomes Borges proferiu uma Palestra com o tema, Divul-gação dos Escritores, Poetas e Trovadores.
No encerramento foi realizada votação para a escolha da Cidade que sediará o próximo XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, de 4 a 7 de julho de 2019. Foi eleita em primeiro Lugar a Cidade de Anchieta, defendida pelo Secretário Geral João Roberto Vasco, Eurico Eugênio Travaglia, Felícia Scabelo e Maria Dolores Pi-mentel Rezende. O evento será em comemoração ao 39º Aniversário do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, fundado a 1º de julho de 1980. Decidiu-se ainda, que em razão do Prefeito Municipal de Iúna, Coronel Weliton Virgílio Pereira, ter manifes-tado interesse na realização novamente do evento em Iúna, foi aprovado a realiza-ção do XVII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores de 14, 15, 16 e 17 de no-vembro de 2019, em comemoração ao Segundo Aniversário da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, fundada em 18 de novembro de 2017. Um Sucesso. Queremos agradecer de coração ao Prefeito, Weliton Virgílio Pereira, ao Presidente da Academia Iunense de Letras, Acadêmico José Salotto Sobrinho, ao Acadêmico Luiz Sérgio Quarto, Ao Acadêmico Matusalém Dias de Moura, grande homenageado ao lado de Michel Antônio, Amphilóphio de Oliveira e Alda Lofêgo de Castro e Francisco Aurélio Ribeiro e os falecidos, Eno Teodoro Wanke e a Poetisa Portuguesa Florbela Espanca. Agradecimentos ainda ao Padre Marconi e a Secretária Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Iolanda Benta de Almeida Vial as atenções dispensadas e o êxito do evento. Foi lida e aprovada a CARTA DE IÚNA 2018. Do-cumento reivindicatório dos Poetas e Escritores Brasileiros.

CLÉRIO BORGES E ZENAIDE TOMAM POSSE NA ACADEMIA
MARIA ANTONIETA TATAGIBA – ARTES – HISTORIA
LETRAS EM SOLENIDADE EM SÃO PEDRO DO ITABAPOANA
2018 – Atendendo ao convite do Médico Poeta Escritor Pedro Antonio de Sou-za, o presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores Clerio Jose Borges; a Vice Presidente Katia Bobbio; a Acadêmica Zenaide Emília Thomes Borges; o Acadêmico João Roberto Vasco e Soêmia Pimentel estiveram no sábado dia 14 de Julho de 2018 no Sitio Histórico de São Pedro de Alcântara do Ita-bapoana em Mimoso do Sul, ocasião em que foi realizada uma Solenidade Especial de Posse dos Acadêmicos Titulares e Correspondentes, da referida Academia Maria Antonieta Tatagiba. Em São Pedro é realizado anualmente no último final de semana de julho o FESTIVAL DE INVERNO DA SANFONA E DA VIOLA. Clerio Borges Zenaide Emília Thomes Borges e Katia Bobbio são Acadêmicos fundadores Correspondentes da nova entidade Cultural Capixaba.

CLÉRIO BORGES PARTICIPA NO MARANHÃO DO IV ENCONTRO
DA SOCIEDADE DE CULTURA LATINA DO BRASIL2018
2018 – O Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Tro-vadores, Clério José Borges de Sant Anna recebeu no último dia 20 de julho de 2018, em cerimônia realizada no Convento das Mercês, na Cidade de São Luis, Capi-tal do Estado do Maranhão, no Norte do Brasil, a Comenda Joaquim Duarte Baptista e o Diploma do Mérito Cultural da Sociedade de Cultura Latina do Brasil (SCLB). O evento foi presidido pela Escritora, Dilercy Aragão Adler.
As homenagens e diplomas foram concedidos àquelas pessoas que contribu-em com a promoção da cultura. A Sociedade de Cultura Latina do Brasil é uma enti-dade civil que tem por objetivo principal difundir, divulgar e lutar pela democratiza-ção da cultura brasileira.
Essa quarta edição do Encontro Nacional da SCLB, teve por objetivo discutir a cultura latina e, também foi realizada em comemoração aos 30 anos da Fundação da Sociedade de Cultura Latina do Brasil (SCLB). Clério José Borges foi o primeiro Presidente Nacional da entidade, eleito em 24 de julho de 1988 em solenidade reali-zada na Casa de Portugal, no Estado de São Paulo. O evento contou com a realiza-ção de palestras, mesas-redondas de comunicações temáticas, comunicações de temas livres, apresentação de poesias e de contos, além da exposição de telas, exposições, artesanatos e lançamentos de livros. A programação ocorreu em três lugares diferentes: Convento das Mercês (Centro Histórico), Academia de Letras do Maranhão (Rua da Paz) e Atelier Marlene Barros (Rua 28 de Julho, Centro Histórico).
A Delegação Capixaba presente no evento foi composta dos seguintes Poetas e Artistas, Magnólia Pedrina Sylvestre, Soêmia Pimentel Cypreste, Zenaide Emília Thomes Borges, todos da Academia Capixaba de Poetas Trovadores que inclusive aproveitaram o evento para dar posse como Acadêmicos Correspondentes da ACLAPTCTC, as Escritores, Goreth Pereira e Dilercy Aragão Adler que receberam Diplomas e Medalhas Acadêmicas.
A Convite da Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Acadêmica Dilercy Aragão Adler, uma Delegação Capixaba, presidida pelo Presidente da ACLAP-TCTC esteve na Cidade de São Luís, Capital do Estado do Maranhão participando do IV Encontro Nacional da Sociedade de Cultura Latina do Brasil. Também presentes Zenaide Emília Thomes Borges, Magnólia Pedrina Sylvestre e Soêmia Pimentel Cyprestes.
O Encontro foi realizado em comemoração aos 30 anos da fundação da SCLB e foi realizado de 19 e 21 de julho, com início às 18:00 horas, no Convento das Mercês. O primeiro dia foi marcado com uma homenagem a Sousândrade (Joaquim Manuel de Sousa Andrade), pela Profa. Dra. Luiza Lobo (RJ) e o Prof. Mestre. José Neres (MA) que, apresentaram vieses do Guesa, obra épica do escritor maranhen-se, como tributo à Latinidade. A palestra foi mediada por Paulo Roberto Melo Sou-sa. A programação ainda contou com a Apresentação Performática de Sousândrade, pelo artista Uimar Júnior a abertura da Exposição de Telas, Escultura e Artesanato nos Corredores Térreos do Convento das Mercês.
No segundo dia (20), pela manhã, com o Tema Integração Cultural e Latinida-de, o encontro ocorreu no auditório da Academia Maranhense de Letras, que contou com debate dos seguintes palestrantes: Raimundo Palhano, UFMA (MA); Pepkrakte Jakukreikapiti Ronoré konxarti, Cacique Zeca, de Marabá, no Pará. Também presen-te Joaquim Moncks (RS) que falou sobre, Poética & Associativismo Literário.
No mesmo dia a partir das 14h, no Convento das Mercês, foi abordado o te-ma Mulheres na Literatura Latina, com mesa constituída pelos seguintes escritores: Maria Stela de Oliveira Gomes (MG); Vanda Salles (RJ), Mariná do Brasil e Gabriela Mistral Musas Latino-americanas; Antonio Agenor Gomes (MA), Maria Firmina dos Reis e o Boi Caramba para Escravas; Jucey Santana (MA); Mariana Luz e Renata da Silva de Barcellos (RJ), com o tema, As Mulheres na Literatura. A Mediadora da Me-sa, Ceres Costa Fernandes (MA), da Academia Ludovicense de Letras-ALL e da Aca-demia Maranhense de Letras-AML.
Em seguida foi realizado um musical, Sarau Latino, com Hélio Bonfim (violino) e poemas com vários participantes: Maria Stela de Oliveira Gomes (MG); Cristiane Coelho Maia Lago (MA); Fátima Travassos (MA); Nico Bezerra (MA); Renata Barcel-los (RJ); Inaldo Lisboa (MA); Eneida Cristina da Silva (MA); Joaquim Moncks (RS); Clério José Borges; Magnólia Pedrina Sylvestre e Soêmia Cyprestes (ES); Carlos Bru-nno (RJ); Erlinda Bittencourt (MA), Dilercy Aragão Adler (MA) e Edvan Caldas (MA).
Houve o Lançamento Coletivo de Livros por diversos autores, presentes e a apresentação da I Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do Brasil: cons-truindo pontes, em comemoração aos 30 anos de fundação da SCLB, organizada por Dilercy Aragão Adler, Presidente da SCLB. Dela participaram 75 poetas de vá-rios Estados do Brasil e do estrangeiro.
Entrega de Comendas e Diplomas de Mérito Cultural. A partir das 20 horas fo-ram entregues as Comendas Joaquim Duarte Baptista, Diplomas do Mérito Cultural e Título de Presidente Honorário da Sociedade de Cultura Latina do Brasil para a Regi-ão Norte de Portugal, para Antonio Luís Alves -Tony Alves. As primeiras Medalhas Joaquim Duarte Baptista foram concedidas aos/às ex-presidentes da SCLB: Clério José Borges de Sant’Anna (ES), 1º Presidente; Maria Aparecida de Mello Callandra (SP), 2ª Presidente e Antonina de Almeida (in memoriam) (RS), 3ª Presidente. Ainda a membros da SCLB, como Arlindo Nóbrega (SP), atual Presidente da Sociedade do Estado de São Paulo e integrante do primeiro Núcleo da Sociedade em São Paulo, e para Antonio Vicente de Alencar (CE), atual Vice-Presidente da SCLB e estendida a personalidades que vêm contribuindo para o engrandecimento da Cultura Latina, a saber: Governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino; Secretário de Estado da Educação, Felipe Costa Camarão; Magnífico Reitor da UEMA, Prof. Dr. Gustavo Pe-reira da Costa; Magnífica Reitora da UFMA, Profa. Dra. Nair Portela Coutinho; aos Ex-Reitores Prof. Dr. Aldy Mello de Araújo; Prof. Dr. José Augusto Oliveira, e o Prof. Dr. Natalino Salgado Filho; Diretora Regional do SESC, Rutineia Amaral Monteiro; Diretora Presidente da FSADU, Evangelina Maria Martins Noronha; à Coordenadora da Comissão da FeliS, Rita Maria Oliveira Teixeira; à Profa. Dra. Luiza Leite Bruno Lobo; ao Poeta e Senador do Congresso da Sociedade (RS), Joaquim Luiz dos San-tos Moncks e ao Professor e Poeta, Paulo Cezar Timm.
O Diploma do Mérito Cultural foi concedido a personalidades que vêm traba-lhando em prol da Cultura Latina: José Neres, Ceres Fernandes, Uimar Júnior, Rai-mundo Palhano, Pepkrakte Jakukreikapiti Ronoré konxarti -Cacique Zeca, Alexandre Bueno, Francesco Cerrato, Paulo Cezar Timm, Antônio Ailton Silva, Maria Stela de Oliveira Gomes, Vanda Costa Salles, Antonio Agenor Gomes, Osvaldo Luís Gomes, Hélio Bonfim, Joãozinho Ribeiro, Zélia Maria Fernandes da Silva, Paulo Melo Sousa, Agostinho Rodrigues, Raimundo Serra Campos Filho, Dilercy Aragão Adler, Jucey Santana, Maria Goreth Cantanhede Pereira, Marcia Regina dos Reis Luz, Lenir Pereira dos Santos Oliveira, Nicodemos Bezerra, Betânia Pinheiro Lopes, Benedito Buzar, Antonio Noberto da Silva, João Batalha, José Maria Alves da Silva, Carlos Nina, Carlos Cézar Branco Bandeira, José Antônio Viegas, Aline Nascimento, Joseane Ma-ria de Souza, Raimundo Quintiliano Filho, Ellyson do Vale Mouzinho, Anselmo Alves, Simão Pereira, Antonio Cabral Filho, Carlos Brunno Barbosa, Stefano Walker Pereira Pontes, Maria Cícera Nogueira, Raimundo Coelho de Sousa; Leopoldo Gil Dulcio Vaz, Raimundo Ribeiro, Feliciano Mejía, Dinacy Mendonça Corrêa, Daniel Blume de Al-meida, Cristiane Coelho Maia Lago, Camila Maria Silva Nascimento, Maria de Fátima Travassos Cordeiro, Júlio Pavanetti, Annabel Villar, Renata da Silva de Barcellos, Luiza Cantanhêde, Mires France de Almeida Pereira, Zenaide Emília Thomes Borges, Magnólia Pedrina Sylvestre, Soêmia Pimentel Cypreste, Mário da Silva Luna dos San-tos Filho, José Rafael de Oliveira, Paulo Rodrigues, Paulo Roberto Ribeiro, Walter de Negreiros, Lucineia Ferreira Paz Ribeiro Walter de Negreiros, João Roberto Vasco, Teresinka Pereira, Erlinda Bittencourt, Marlene Barros, Beto Pereira, Miguel Veiga, Péricles Rocha, Donato, João Ewerton e André Roberto Pereira.
No dia 21, foi realizado, pela manhã um passeio turístico pelo Centro Histórico e outros pontos culturais da Capital Maranhense. Às 14 horas, a Presidente da Soci-edade de Cultura Latina do Brasil e os Presidentes das Estaduais e seus representan-tes realizaram a Assembleia Geral Extraordinária para resolver questões importantes da SCLB, como a confirmação da Diretoria da SCLB, sendo reeleita a Presidente Di-lercy Aragão Adler e acertada das e programações para os próximos eventos da Sociedade de Cultura Latina do Brasil.

CÂMARA MUNICIPAL DE VITÓRIA ATRAVÉS DO VEREADOR
MAX DA MATA HOMENAGEIA CLÉRIO JOSÉ BORGES E ARTISTAS
2018 – No dia 02 de agosto de 2018, Clério José Borges participou de uma Sessão Solene na Câmara Municipal de Vitória onde foi homenageado pelo Vereador Max da Mata, com um Diploma Especial. Ao ser chamado para receber o seu Di-ploma Clério de improviso declamou três trovas no momento em que se dirigia para receber o seu Diploma do Vereador Max da Mata. Também homenageada no even-to a professora Valsema Rodrigues da Costa que leu uma Poesia a pedido do Mes-tre de Cerimônias.

ACLAPTCTC REALIZA REUNIÃO TRIMESTRAL DA
DIRETORIA E APROVA CELENDÁRIO DE EVENTO
2018 – No dia 11 de agosto de 2018, a ACLAPTCTC realizou mais uma reunião de Diretoria tendo participado os seguintes Acadêmicos: Clério José Borges (Presi-dente do CTC), João Roberto Vasco Gonçalves (Secretário Geral), Soêmia Pimentel Cypreste, Emílio Soares da Costa, Walace Bertolli, Magnólia Pedrina Silvestre, Zenai-de Emília Thomes Borges, Albércio Nunes, Givaldo Inácio da Silva (Mestre Gil), Ro-mero Cesar e esposa, Angelina Jucá e Edilson Celestino Ferreira. Na ocasião foi aprovada a Agenda de eventos do 2º Semestre, constando do seguinte:
1 – Dia 17 de agosto reunião em Santa Teresa no Gabinete do prefeito, com Cleusa Fardim, da Academia Teresense de Letras, sobre o XV Congresso naquela cidade de 15 a 18 de novembro de 2018. 2 – Dia 21 de agosto, na Churrascaria Ser-ra Grande, Laranjeiras, com entrada franca a palestra de Clério José Borges, no pro-jeto Memórias da Serra. 3 – Dias 24 e 25 de agosto, Clério José Borges, Roberto Vasco e Edilson Celestino, participarão e serão homenageados com uma Comenda, no Evento da FEBLACA, em Niterói, com Início às 16h. Na ocasião serão realizadas Visitas Técnicas em Niterói, antiga Aldeia Indígena de Araribóia, em São Lourenço e, na atual Ilha do Governador, antiga Ilha de Paranapuã, na baía de Guanabara, Rio de Janeiro. A Ilha dos índios Temiminós que fundaram a hoje Cidade da Serra, na Grande Vitória, ES. 4 – Dia 15 de Setembro, sábado, na área de Lazer do SINDIPOL, em frente ao Bairro André Carloni, Carapina, a confraternização do Pessoal da Aca-demia e familiares e convidados, para a comemoração do ANIVERÁRIO de Clério José Borges.
5 – Dia 22 de setembro, Sarau Poético da ACLAPTCTC em Belo Horizonte, MG, com viagem de trem da Estação Pedro Nolasco, em Cariacica até o Centro de Belo Horizonte, MG. No dia seguinte, 22/09/2018, Passeio de Van, nas Cidades His-tóricas. À noite, nesse mesmo dia 22, Sarau Poético, Dia 23/09, domingo, Visita a Feira Hippie. À noite desse mesmo dia 23/09, saída de Ônibus para Vitória. Hospe-dagem no Cerimonial “Inconfidente Mineiro”, localizado na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. 6 – Dia 04 de Outubro, Dia Municipal da Trova com evento come-morativo no Auditório “Hermógenes Lima Fonseca” da Assembleia Legislativa, em frente ao Shopping Vitória, em Vitória ES. Traje Pelerine amarela e medalhas. 7 – Dias, de 15 a 18 de novembro de 2018, o XV CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS TROVADORES EM SANTA TERESA. 8 – No dia 17 de novembro de 2018, durante o Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores haverá o Primeiro Encontro Estadual da Sociedade de Cultura Latina do Brasil do Espírito Santo, contando com a presença de representantes de todos os Núcleos Municipais. Logo em seguida, após outras rápidas considerações a reunião foi encerrada.

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DASERRA NO ESPÍRITO SANTO
REALIZA FESTA SOLENE COM JANTAR DE GALA E BAILE
2018 – A Academia de Letras e Artes da Serra (ALEAS) comemorou no último dia 31 de agosto de 2018, 25 (Vinte e Cinco) anos de fundação. A Academia foi fundada no dia 28 de agosto de 1993, em solenidade no plenário da Câmara Muni-cipal da Serra localizado na época na Avenida Getúlio Vargas no Centro. Para feste-jar os 25 anos de fundação foi programada uma grande festa na sexta-feira (31), com início às 20 horas, na casa de festas Happy Family, na Serra sede. Durante o evento houve exposição de livros dos acadêmicos, entre os quais Dicionário Regio-nal de Gírias e Jargões editado pela Lei Chico Prego de incentivo à Cultura da Serra, de autoria do fundador e primeiro Presidente da ALEAS, Acadêmico Clério José Bor-ges de Sant Anna.
Na solenidade durante os discursos de João Luís Castello Lopes Ribeiro e do Orador Oficial Pedro Paulo de Souza Nunes foram homenageados Clério José Borges de Sant Anna, presidente da Primeira Diretoria Executiva e Naly da Encarnação Mi-randa, ex-prefeito da Serra por duas vezes. Clério José Borges de Sant Anna em seu discurso enfatizou a alegria e a satisfação de ver que a semente plantada no dia 28 de agosto de 1993, na fundação da Academia tinha se formado em grande e majes-tosa árvore dando belos frutos, nesta festa tão bonita e formal.
Também foi realizada uma solenidade oficial com homenagens e entrega de bustos de Judith Leão Castello Ribeiro, que comemorou na mesma data, 120 anos de nascimento. Judith foi à primeira deputada estadual eleita no Espírito Santo e dá o nome ao prédio da Câmara Municipal da Serra. As esculturas de Judith Leão Cas-tello foram feitas pelo artista capixaba Hippolito Alves e foram entregues as seguin-tes Personalidades Culturais: Professora Ester Abreu; ao Acadêmico Matusalém Dias de Moura; a Cineasta Suzi Nunes, que dirigiu um documentário sobre Dona Judith; ao Escritor Elmo Elton Santos Zamprogno (in memoriam), representado pelo Presi-dente do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, Dr Getúlio Marcos Perei-ra Neves e, Gilcênio Rocha (in memoriam) que foi entregue a viúva do mesmo, Sra. Elizabeth Bergami Rocha. A noite teve um jantar e um baile animado pela Big Band, “Estrela dos Artistas”, da Serra ES.

REUNIÃO NA CIDADE DE SÃO TERESA PREPARATÓRIA
PARA O XV CONGRESSO DE TROVADORES 2018
2018 – No dia 18 de setembro de 2018, no horário de 15.00 horas, na Casa da Cultura, Santa Teresa, ES reuniram-se membros da ACLAPTCTC com autoridades da Cidade de Santa Teresa visando a preparação para o XV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, de 15 a 18 de novembro de 2018. Presentes as seguintes pes-soas: Clério José Borges, João Roberto Vasco Gonçalves, Zenaide Emília Thomes Borges, Maria Cleusa Fardin, Nete/Turismo, Marcelo/Turismo, Presidente da Câmara Municipal Vereador Bruno Henriques Araújo e demais ilustres Vereadores. Presidente do Lions Clube, Antônio Marcelino.
Definido que a Abertura Solene, com a entrega de premiação dos vencedores dos Concursos de Poesias e Trovas, no dia 15 de novembro, Feriado, no horário de 17 às 22 horas poderá ser no Auditório da Câmara Municipal. A Homenagem aos Artistas e Poetas com entrega de Comendas poderá ser no Auditório da Câmara Municipal. Palestras, Oficinas e Lançamento de Livros poderão ser em outro local. ORNAMENTAÇÃO DO LOCAL, Responsáveis: Clério José Borges, Roberto Vasco e Acadêmicos locais e Congressistas visitantes que trarão Poesias para o Varal Poéti-co, material de artesanato e pinturas em Telas para exposição. RELAÇÃO DAS ES-COLAS.
Foi solicitada uma relação das Escolas do Município de Santa Teresa, Cidade e Interior para a divulgação do evento. DIA 15 – ABERTURA – CERIMONIALISTA: Se-rá da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores. DIA 05 DE OU-TUBRO – Fechamento da lista de homenageados, com nomes 70 pessoas da Regi-ão de Santa Teresa e Municípios vizinhos. CITY TOUR – Foi solicitado um Ônibus da Prefeitura Municipal para o deslocamento do pessoal, com saída às 9 horas da ma-nhã da sexta-feira, dia 16 de novembro, com visita ao Vale do Canaã e locais Cultu-rais.
SERENATA. Preparação do Grupo de Violeiros, pessoal com violão e indicação das músicas e o roteiro, com duas paradas em duas Casas para cantarolar Músicas de Serenata e recepção de todos com um lanche (Refri, Sucos Bolos, Hot-dog, Bis-coitos), com a responsabilidade de Leni e Tenilsom. TROVEATA. No sábado pela manhã. Para o Desfile serão Convidados e feitos contatos com Grupos Musicais, Carros com queijos e vinhos, Rainha e Rei, Princesas de eventos da Uva e do Vinho e pessoal do Círculo Trentino, Autoridades e Convidados para participação do Desfi-le. CONFRATERNIZAÇÃO FINAL. DEFINIÇÕES E DETALHES. No Domingo após a Missa em Trovas e a Reunião de encerramento do evento, os participantes serão levados a um determinado local para a Confraternização Final. Um Congraçamento para despedidas. VISITA A ESCOLA JOSÉ PINTO COELHO – Contatos com a Coor-denadora Geovana e a Pedagoga: Edilene.

SEÇÃO ORDINÁRIA NA CÂMARA
DE VEREADORES DE SANTA TERESA
2018 – A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, nas pessoas do Presidente Clério José Borges e Secretário Geral Roberto Vasco, foram recebidos pelo Presidente Senhor Vereador BRUNO HENRIQUES ARAÚJO e pelos demais Senhores Vereadores, durante a seção ordinária de trabalho, em cujo espa-ço foram esclarecidos detalhes sobre Cultura, Academias de Letras e fornecidos detalhes sobre o XV Congressos Brasileiro de Poetas Trovadores, a ser realizado em Santa Teresa de 15 a 18 de Novembro de 2018. O Presidente Clério José Borges formulou oficialmente o convite aos parlamentares municipais e ao público presen-te, para participarem do XV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores. Foi infor-mado aos Senhores Vereadores que no Sábado dia 17, com início às 17 horas serão homenageados ARTISTAS DE SANTA TERESA e, foi solicitado aos Senhores Verea-dores que se conhecerem Artistas, Poetas Escritores poderão cada um indicar de três a cinco nomes para receberem uma homenagem durante o evento no sábado dia 17, em solenidade com início às 17 horas.
O Secretário Geral Roberto Vasco, apresentou duas Trovas e um Soneto enal-tecendo a cidade de Santa Teresa, num repasse de informações sobre composições poéticas. Foi de público feito agradecimento ao Exmo. Sr. Prefeito Gilson Amaro, e ao secretário Marcelo Anacleto e a Subsecretária Nete pelo apoio ao evento. O Pre-sidente da Câmara Municipal, Vereador Bruno Henriques Araújo ao final informou que provavelmente a Câmara Municipal será parceira do evento cedendo o seu Au-ditório para as Solenidades de Abertura do evento, no dia 15 de novembro, no Feri-ado, de 17 às 22 horas e na Solenidade de Homenagens às Personalidades no dia 17, no sábado, de 17h às 21 horas. Esgotando-se a Pauta, com todas as atividades agendadas devidamente cumpridas, O Presidente Clério José Borges deu por encer-rado a Visita técnica preparatória do XV congresso de Poetas Trovadores em Santa Teresa, ES e efetuamos a viagem de retorno.

SARAU POÉTICO MINAS ESPÍRITO SANTO
EM BELO HORIZONTE EM PROMOÇÃO DA ACLAPTCTC
2018 – A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, a ACLAPTCTC (antigo Clube de Trovadores Capixabas), através do seu Presidente, Clério José Borges, com apoio do Hostel & Cerimonial Inconfidente Mineiro, realizou no sábado, dia 22 de setembro de 2018, o Primeiro Sarau Poético Minas-Espirito Santo, em Belo Horizonte, com início às 20:00h, na Sede do Cerimonial “Inconfiden-te Mineiro”, à Av. Deputado Anuar Menhem, 1075, na Região da Pampulha, aberto ao Público em geral, e com a participação de Poetas e Artistas de ambos os Esta-dos.
A ESCBRAS, Escritores Brasileiros, entidade que emite Carteira Profissional de Escritores, em todo o Brasil, através de iniciativa da sua Presidente Léa Lú, também participou ativamente do Primeiro Sarau de Poesias Espirito Santo Minas Gerais. Já na chegada, na sexta feira a Delegação Capixaba, que viajou de trem de Jardim América em Cariacica, na Grande Vitória até Belo Horizonte participou do Projeto, “Um Banquinho & Um Violão” ambientado no Inconfidente Mineiro Bar, realizado sempre às Quintas e Sextas Feiras. Na Sexta, dia 21, os participantes foram os Ca-pixabas, ou seja, a Comitiva da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, do Espirito Santo. Foi um fim de Semana Poético em Belo Horizonte, com o Sarau MG/ES dia 22/09, com: “Again Mister”, Jota Vieira, Músico e Interpre-te, com toda a sua musicalidade. A Confraria de Poetas com Irineu Baroni, Antônio Galvão e sua turma constituída de Márcia Araújo, Bilá Bernardes, Rogério Salgado teve participação efetiva e importante no evento.
Durante o Sarau Poético, foram homenageados com um Diploma, os poetas e escritores: Antônio Galvão, Márcia Araújo, Petrônio Souza Gonçalves, Rogério Sal-gado, Irineu Baroni, Bilá Bernardes, Virgilene Araújo, Estella Cruzmell, José Hilton Rosa, Paulo Siuves, Léa Lúcia Viana e Antuérpio Pettersen Filho. A confraria de Poe-tas de Belo Horizonte e Léa Lu, da cidade de Contagem, MG, homenagearam as seguintes pessoas: Poeta Albércio Nunes Vieira Machado, poeta Givaldo Inácio da Silva – Mestre Gil; Escritor Edilson Celestino Ferreira. Escritor Clério José Borges de Sant Anna; Trovadora Magnólia Pedrina Sylvestre; Trovadora Zenaide Emília Thomes Borges. Ainda na Delegação Capixaba a Condessa Maria Dolores Pimentel Resende, Escritora e Acadêmica Soêmia Pimentel Cypreste, Dra. Luzia Ester Doná, que é Pre-sidente da Academia de Letras Jurídicas do Espírito Santo e a Acadêmica Angelina Jucá Monteiro de Barros. CARAVANA DE ESCRITORES DO ES, VISITANDO A CIDADE HISTÓRICA DE OURO PRETO. A Delegação Capixaba da ACLAPTCTC, no Sábado, dia 22 de setembro de 2018, durante o dia visitou a Cidade de Ouro Preto, num belo Passeio Cultural. No Domingo pela manhã foram realizadas visitas a Feira Hippie e ao Mercado Municipal de Belo Horizonte.

PALESTRA DE CLÉRIO JOSÉ BORGES
SOBRE HISTÓRIA DA SERRA EM JACARAÍPE
2018 – Dia 27 de Setembro de 2018, na Escola Maria Stela Modenessi, no bair-ro de Jacaraípe, Serra, ES, Clério José Borges proferiu palestra no Projeto Jacaraípe, meu lugar. A Aluna Melani Lopes da Silva, de 15 anos e o aluno Mateus Plácido res-ponderam as respostas certas e receberam uma Medalha Especial. O Convite partiu do Professor Márcio e da professora de Artes, Renata e a Pedagoga Luciana e Fil-magem da Palestra do jovem Lucas.

CLÉRIO JOSÉ BORGES RECEBE HOMENAGENS NOS
XIII JOGOS FLORAIS DA CIDADE DE CAMBUCI, RIO DE JANEIRO
2018 – No dia 28 de setembro de 2018, a convite do Presidente Almir Pinto de Azevedo estive na cidade de Cambuci no Estado do Rio de Janeiro onde fui home-nageado com um Diploma Especial. Foram dois dias de festas onde além de Clério José Borges foram também homenageados Zenaide Emília Thomes Borges e Mag-nólia Pedrina Sylvestre. No Domingo o evento foi em Itaocara onde a Convite do Presidente da UBT DE ITAOCARA, Rogério Marques de Siqueira Costa recebi uma homenagem por ter sido membro da Comissão Julgadora do Concurso de Trovas dos Jogos Florais local.
O evento teve o apoio da Academia de Letras e Artes de Cambuci, presidida pelo Escritor, Poeta Trovador, Almir Pinto de Azevedo. A Grata oportunidade de rever o amigo Cantor de músicas Italiana, Dino Mendi, residente em Campos dos Goytacazes e o premiadíssimo Trovador Elias Braga, de Nova Friburgo, RJ.

CLÉRIO E ROBERTO VASCO REALIZAM PALESTRA
NA ESCOLA DE SANTA TERESA
2018 – No dia 03 de outubro de 2018, como parte dos eventos de divulgação do Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores na cidade de Santa Teresa, ES, o Presidente da ACLAPTCTC, Clério José Borges e o Secretário Geral, Roberto Vasco estiveram na cidade de Santa Teresa na Escola José Pinto Coelho, junto com a Pre-sidente da Academia de Letras e Artes local, Maria Cleusa Fardin. Na ocasião foi realizada durante o espaço de duas horas uma Oficina de Criação Poética para os alunos do turno da tarde.

DIA MUNICIPAL DA TROVA É COMEMORADO PELA ACLAPTCTC
COM POSSE DE NOVOS ACADÊMICOS CORRESPONDENTES
2018 – No dia 04 de outubro de 2018, a ACLAPTCTC realizou no Auditório Hermógenes Lima Fonseca na Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo mais uma Sessão Solene comemorativa do Dia Municipal da Trova, dia 04 de outu-bro, dia do Padroeiro dos Modernos Trovadores, São Francisco de Assis. Dura a solenidade foi realizada a Posse com investidura da veste talar da Pelerine e Jura-mento dos seguintes novos Acadêmicos Correspondentes: Angelina Jucá Monteiro de Barros, Acadêmica Correspondente Cadeira 31 que tem como Patrono o Cantor e Compositor Renato Russo; Madalena Alves Cordeiro da Rocha, Acadêmica Corres-pondente Cadeira 32, que tem como Patrona a Trovadora Maria Thereza Cavalheiro; José Rodrigues de Arruda, Acadêmico Correspondente Cadeira 33, que tem como Patrono o Trovador Adolfo Macedo. José Rodrigues é do Rio Grande do Norte e não pode comparecer; Acadêmica, Meri Nadia Marques Gerlin, Correspondente Cadeira 34, que tem como Patrono o Trovador Agostinho da Conceição Rodrigues; Edna Rocha, Acadêmica Correspondente Cadeira 35, que tem como Patrono o Trovador Roberto Francisco Monteiro; Eusane Saar dos Santos, Acadêmica Correspondente Cadeira 36, que tem como Patrona a Cantora Ângela Maria.
1 – Angelina Jucá Monteiro de Barros, Acadêmica Correspondente Cadeira 31 que tem como Patrono o Cantor e Compositor Renato Russo. ANGELINA JUCÁ MONTEIRO DE BARROS, nascida no Rio de Janeiro, tendo estudado no Colégio Sa-grado Coração de Maria e Faculdade Cândido Mendes, na Cadeira de Administração de Empresas. Prestou concurso público para o Ministério do Planejamento -IPEA, sendo transferida para Brasília onde cursou Economia. Formada como Bacharel na Universidade Católica de Brasília, DF. Transferiu-se para a cidade de Vitória, ES a fim de lecionar em Cursos Profissionalizantes. Angelina recebe a Veste Talar da Pelerine e a Medalha Acadêmica de seu Padrinho, o também Acadêmico MESTRE GIL.
2 – Madalena Alves Cordeiro da Rocha, Acadêmica Correspondente Cadeira 32, que tem como Patrona a Trovadora Maria Thereza Cavalheiro. Madalena é Escritora e da Academia Cariaciquense de Letras.
A patrona Maria Thereza Cavalheiro nasceu em São Paulo/SP a 25 de janeiro de 1929, coincidentemente sempre comemorou aniversário junto com sua cidade. Escritora, poetisa, advogada, jornalista, tradutora e ecologista. Vários livros publi-cados: entre outros, em 1960 lançou “Antologia Brasileira da Árvore”; em 1989 pu-blicou “Segredos do Bom Trovar – Como fazer Trova – Exemplos práticos” e, em 2009, “Trovas para Refletir”. Faleceu em São Paulo, no dia 02 de setembro de 2018.
3 – Meri Nadia Marques Gerlin, Acadêmica Correspondente Cadeira 34, que tem como Patrono o Trovador Agostinho da Conceição Rodrigues. Meri Nadia Marques Gerlin é doutora em Ciência da Informação pela UnB, mestre em Educação e gradu-ada em Biblioteconomia pela UFES. Como docente do Departamento de Biblioteco-nomia a UFES desenvolve atividades no âmbito da informação, educação e cultura em bibliotecas escolares, públicas, universitárias e em outros espaços tempos. É autora de artigos e livros, dentre eles, Pássaro de fogo: lendas, contos e cantos capixabas e três obras da Coleção “No balanço das redes: tradição e tecnologia” publicados pela editora FCI da UnB.
O patrono, Agostinho da Conceição Rodrigues Filho nasceu em 19 de junho de 1935 no Rio de Janeiro. Segundo ele mesmo: “Nasci na Ladeira, Jogo da Bola, na Praça Mauá, atrás do Prédio da Rádio Nacional/RJ. Seus pais: Agostinho Antão Ro-drigues e Porphiria da Conceição Rodrigues. Funcionário Público Federal Aposentado do Ministério da Marinha. Era Capitão de corveta. Residia em Campos dos Goytaca-zes. Figura muito querida nos meios trovísticos. Faleceu no dia 20 de setembro de 2018 em Campos. Foi poeta trovador de grande magnitude, ativista cultural em sua cidade, presença constante em nossos congressos nacionais de poetas trovadores, partícipe de nossas atividades, seja no julgamento dos concursos de poesias, na realização de palestras, na redação de cartas das cidades sede dos Congressos, em todos os momentos culturais mais expressivos. Em síntese, um bravo soldado da cultura.
4 – Edna Rocha, Acadêmica Correspondente Cadeira 35, que tem como Patro-no o Trovador Roberto Francisco Monteiro.
Professor, jornalista, trovador e poeta, Roberto Francisco Monteiro morreu por volta de 5h30 da manhã de 17 de junho de 2017, aos 86 anos. Nascido em Sa-pucaia, Roberto Francisco se tornou cidadão petropolitano, e deixou um grande legado na cidade. Professor de matemática, ele foi presidente da Academia Petropo-litana de Educação e da seção Petrópolis da União Brasileira de Trovadores (UBT), integrante das Academias Brasileira e Petropolitana de Poesia, além da Academia Petropolitana de Letras. Publicou três livros: “Os Francisco na Poesia”, “Trigonome-tria Industrial” e “Poetas Petropolitanos”, além de ter participado em vários volumes das coletâneas “Argila”, “Mosaico” e “Trovadores do Brasil”. Escreveu a coluna Mis-celânea, no Jornal de Petrópolis, e publicou artigos em jornais como o Diário de Petrópolis, Tribuna de Petrópolis e Gazeta Petropolitana, além de O Riopretano, de São José do Vale do Rio Preto. Foi vereador e, engajado nas questões referentes à Educação, participou dos Conselhos estadual e municipal. Comendador da Ordem do Rio Branco.
5 – Eusane Saar dos Santos, Acadêmica Correspondente Cadeira 36, que tem como Patrona a Cantora Ângela Maria.
Angela Maria, nome artístico de Abelim Maria da Cunha foi uma cantora, com-positora e atriz brasileira, expoente da Era do Rádio, considerada dona de uma das melhores vozes da MPB e eleita a Rainha do Rádio em 1954. Também é uma das cantoras brasileiras que mais venderam discos, cerca de 60 milhões de discos. Nas-ceu em 13 de maio de 1929, em Conceição de Macabu, Rio de Janeiro e faleceu em 29 de setembro de 2018, São Paulo, São Paulo.
Após o Juramento solene, o Presidente Clério José Borges declarou empossa-das os novos Acadêmicos e em seguida, conferiu o Diploma e a Comenda São Francisco de Assis as seguintes Personalidades Culturais: Meri Nádia Marques Gerlin; Edna da Rocha; Romero Cesar de Almeida Siqueira; Maria Viola Bona; Ilda Maria Costa Brasil; Maria Dolores Pimentel Rezende; Kátia Maria Bobbio Lima; Lino Ar-mando Baroni; Angelina Jucá Monteiro de Barros; Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil; Madalena Alves Cordeiro da Rocha; Alberto Rosa Fioravanti; Odenir Follador; Cândida Corrêa Cortes Carvalho; Luiz Carlos Frigério; Franklin de Freitas Lopes; Ro-berto Vasco; Soêmia Pimentel Cypreste; Clério José Borges. Também foram home-nageados, o Dr. Joel Rangel; Professora Valsema Rodrigues da Costa; Marcos Bub-bach e professora Ester Abreu. Kátia Bobbio e Joel Rangel em seus discursos fala-ram sobre Hermógenes Lima Fonseca e São Francisco de Assis em seus discursos. Após a Sessão Solene foi servido um lanche a todos os presentes.

CLÉRIO JOSÉ BORGES PARTICIPA DA REUNIÃO
DA ACADEMIA DE LETRAS JURÍDICAS DO ESPÍRITO SANTO
2018 – No dia 08 de outubro de 2018, Clério José Borges participou de mais uma Reunião da Academia de Letras Jurídicas do Estado do Espírito Santo, realizada desta feira na Praça de Alimentação do Shopping Mestre Álvaro, com início às 16h20m, estando presentes os seguintes Senhores Acadêmicos: Luzia Ester Doná, Clério Jose Borges de Sant’ Anna, Magnólia Pedrina Silvestre, Margareth Gonçalves Pederzini, Roberto Vasco. Assuntos: Oficialização da Sala de reuniões, cedida pela CAAES – Caixa de Assistência aos Advogados, do Estado do Espírito Santo. A Dra. Margareth expos o assunto conforme conversado lá na entidade e nos informou da anuência por parte desta entidade. Submetida a votação, foi aprovada integralmen-te sem restrições. Projeto de Assistência a População do Interior; voluntário em convênio com a CAAES – Dra. Margareth incumbiu-se de redigir o Projeto a ser apresentado a CAAES. Submetida à aprovação, foi aprovado sem restrições. Débi-tos pendentes de acerto por parte de alguns acadêmicos – A Presidente Luzia Ester Doná, informou que existem pagamentos pendentes de acerto. Os referidos débitos são: FESTA: 138,00 Reais de cada um dos devedores e ANUIDADE: 120,00, de cada um dos acadêmicos, a ser paga até dezembro de 2018. NOTA: Já efetuaram seus pagamentos: Clério José Borges de Sant’ Anna; Zenaide Thomes Borges; Magnólia Pedrina Silvestre. Afirmou ser necessária a cobrança para o acerto de caixa. Subme-tida a julgamento, foi aprovado sem restrições.
Outro assunto em pauta: Edital de Admissão de Novos Acadêmicos – Será publicado até 01/11/2018. A Posse dos novos acadêmicos será marcada para a data de aniversário da Academia, em março, ou dia conveniente mais próximo, se-gundo a conveniência. Submetido a votação, foi aprovado integralmente, sem res-trições. Abertura de conta corrente – A Presidente Luzia Ester Doná, expôs a dificul-dade de abrir a conta bancária oficial da academia, em função das pendências do-cumentais, em processo de registro no Cartório. Então, propôs a abertura de uma conta conjunta entre a presidente Luzia Ester Doná e o Tesoureiro, João Roberto Vasco Gonçalves, no Banestes, em caráter transitório, enquanto se conclui o pro-cesso de acerto da documentação em cartório, para funcionar como recebedora dos recursos de caixa a serem pagos pelos devedores da academia de letras Jurídi-cas do Estado do Espírito Santo. Submetida a votação, foi aprovado integralmente, sem restrições.
Federação das academias X Colégio de Presidentes de academias – A Presiden-te Luzia Ester Doná comunicou que esteve em Fortaleza, participando da reunião nacional da FALEJUB, que deixou de ser “Federação” e passou a ser, Colégio de Presidentes de academias de letras jurídicas. A presidente Luzia informou também, que recebeu o convite para fazer parte desse colégio. Submetida a votação, foi aprovado integralmente, sendo estipulado a data de adesão para janeiro de 2019. Bandeira da Academia de letras Jurídicas – A Presidente Luzia, mencionou a necessi-dade de criar e confeccionar uma bandeira para a nossa academia. A Dra. Magnólia Pedrina Silvestre incumbiu-se de pesquisar modelos e apresentar na próxima reuni-ão. Submetido a votação, foi aprovado sem restrições. Outros assuntos delibera-dos e a reunião foi encerrada às 17h59m.

PALESTRA DE CLÉRIO JOSÉ BORGES NA ESCOLA
LEONEL DE MOURA BRIZOLA DE VILA VELHA
2018 – No dia 10 de outubro de 2018, Clério José Borges esteve presente na Escola Leonel de Moura Brizola na Cidade de Vila Velha no Projeto Visita do Escritor que tem o apoio com a Academia de Letras de Vila Velha. Para um Auditório cheio de estudantes Clério explicou o que é ser acadêmico e falou sobre Poesia e sobre Trovas e ao final realizou um Concurso Relâmpago de Trovas.

TROFÉU MADRE TERESA DE CALCUTÁ PARA
CLÉRIO JOSÉ BORGES EM ITABIRA, MG
2018 – No dia 27 de outubro de 2018, Sábado, foi realizado na Cidade de Ita-bira, MG, no Salão Nobre do Real Campestre Clube o tradicional evento coordenado pelo Jornalista Eustáquio Lúcio Felix, ocasião em que Clério José Borges esteve pre-sente com a sua esposa Zenaide e recebeu o Troféu Personalidades de Expressão, Troféu Madre Teresa de Calcutá. O evento é uma promoção de Eustáquio Lúcio Félix, da Félix-Eventos e Cerimonial, Colunista Social do Jornal Folha Popular – Itabi-ra-MG.

CLÉRIO PRESENTE NA FUNDAÇÃO DA ACADEMIA DE LETRAS
DA CIDADE DE CONCEIÇÃO DA BARRA, ES
2018 – Dia 03 de Novembro de 2018, Clério José Borges e sua esposa Zenaide estiveram na Cidade de Conceição da Barra, ES, ajudando na fundação da Academia de Letras e Artes de Conceição da Barra em evento, com a presença do Prefeito Municipal Chicão e autoridades e novos Acadêmicos. Clerio José Borges ajudando na fundação de mais uma Academia, a Academia de Letras e Artes de Conceição da Barra, de sigla ABLA, fundada no dia 03 de Novembro de 2018, com sede e foro no Município de Conceição da Barra, no Estado do Espírito Santo, uma Associação civil de direito privado, não governamental, de caráter social e cultural, sem fins econô-micos, (sem fins lucrativos), de caráter organizacional, cultural, filantrópico, assis-tencial, promocional, recreativo e educacional, sem cunho político ou partidário, com a finalidade de atender a todos que a ela se dirigirem, independente de classe social, nacionalidade, sexo, raça, cor ou crença religiosa, com autonomia adminis-trativa e financeira e de âmbito estadual, com jurisdição em todo o Município de Conceição da Barra, no Espírito Santo e de duração por tempo indeterminado, com Sede Social no Município, funcionando provisoriamente na Rua Muniz Freire, Nº 202, Centro, Conceição da Barra, ES, CEP: 29.960-000.
O Estatuto foi aprovado na Assembleia Geral Extraordinária de Fundação, Elei-ção e Posse da primeira Diretoria com mandato de cinco anos, realizada na Casa da Cultura Hermógenes Lima Fonseca, situada à Rua Coronel Oliveira Filho, nº 01, em Conceição da Barra, na data de 03 de novembro de 2018, com início às 10 horas, com posse solene ocorrida no mesmo local e horário, sendo constituída da seguinte Diretoria, Kátia Maria Bobbio Lima, Presidente; Ângela Oberg Mesquita, Secretário Geral; Vice-Presidente: Salomão da Silva Pinto; Tesoureiro: Ubirajara de Oliveira Ne-greiros; Conselheiro Titular Presidente: Shirley Lopes; Conselheiro Titular Vice-Presidente: Adilson Vasconcelos Conceição; Conselheiro Titular Secretário: Natan Santana dos Santos; Conselheiro Suplente: Jovita Vieira da Cunha. Clério José Bor-ges e Zenaide Emília Thomes Borges foram eleitos os primeiros Acadêmicos Corres-pondentes da nova Academia.

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS TROVADORES
DE SANTA TERESA ES FOI UM SUCESSO ABSOLUTO
2018 – Com a presença de grande público e do corpo Acadêmico Capixaba foi realizado com completo êxito de 15 a 18 de novembro de 2018, o XV Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, na bela e aprazível cidade dos Beija Flores, Santa Teresa, com participação do povo e de poetas, Artistas e Trovadores de diversas cidades brasileiras. Também foi lembrado o Ano Eno Teodoro Wanke, historiador da Trova no Brasil e o ano da Artista Plástica Celina Rodrigues, nascida em Santa Teresa e que se fosse viva estaria completando Cem anos.
O evento foi uma realização da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poe-tas Trovadores, antigo Clube dos Trovadores Capixabas fundado no Espírito Santo a 1º de julho de 1980, tendo completado recentemente 38 anos de atividades cultu-rais e que em 18 de novembro de 2017, passou a condição de Academia de Letras e Artes. O evento contou ainda com o apoio da Academia de Letras e Artes de San-ta Teresa e da Prefeitura Municipal de Santa Teresa e da Câmara Municipal.
Os Destaques foram a Serenata, com coordenação da Professora Leni Cruz; Depois a Troveata, que é o Desfile dos Poetas Trovadores e a Missa em Trovas, na Igreja Matriz de Santa Teresa D´Ávilla, com o Celebrante, Frei Iduino Poubel de Moraes (pároco), missa baseada com Trovas de A.A. de Assis, de Maringá, (PR).
Os agradecimentos ao Prefeito Gilson Amaro e seus funcionários e as Secreta-rias de Turismo e Cultura pelas pessoas do Secretário Marcelo Anacleto, da Subse-cretária, Nete do Turismo e da Sra. Lívia que coordenou o, “City Tour” (passeio pelo Vale do Canaã, do Escritor Graça Aranha e pontos turísticos). Obrigado a Pre-sidente da Academia de Letras de Santa Teresa, Maria Cleusa Fardin e sua Diretoria e Acadêmicos.

ACADÊMICO CLÉRIO JOSÉ BORGES TOMA POSSE
NA ACADEMIA CARIACIQUENSE DE LETRAS
2018 – No dia 30 de novembro de 2018, no Centro Cultural Frei Ubaldo Fava-gallo Da Civitella Del Tronto foi realizada a Cerimônia de posse dos novos Acadêmi-cos Titulares e Correspondentes da Academia Cariaciquense de Letras, entidade cul-tural fundada no Município de Cariacica em março de 2018. A posse ocorreu durante a realização da 1ª Feira Literária de Cariacica (Flicari) que foi aberta à visitação pú-blica na quinta-feira (Dia 29/11/2018) no Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo Da Civitella Del Tronto, na avenida Expedito Garcia, 220, na rua da feira, próximo ao supermercado Carone, em Campo Grande, Cariacica, ES. O evento contou com uma competição de declamação de poesia entre alunos de escolas municipais e estaduais. A Flicari é realizada pela Secretaria Municipal de Cultura (Semcult) e Aca-demia Cariaciquense de Letras (ACL). Participaram da competição ao longo da tarde a escola municipal Stélida Dias (Campo Grande) e as estaduais São João Batista (Cariacica Sede), Hunney Piovesan (Morada de Santa Fé), Itagiba Escobar (Sotema) e Jesus Cristo Rei (São Francisco). A banda de congo da APAE de Cariacica, a Fan-facongo, fizeram uma apresentação dando as boas-vindas ao público presente. Houve a participação do João Bananeira, interpretado pelo ator e dançarino Godô Capixaba.
A cerimônia oficial de abertura contou com falas dos presidentes as Academi-as de Letras da Serra, Academia de Letras de Vila Velha, Academia de Letras Jurídi-cas e da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPTCTC), Clério José Borges. Os anfitriões do evento foram o secretário de Cultura, Erildo Denadai, e o presidente da Academia Cariaciquense de Letras (ACL), o escritor Mar-cos Bubach.
Clério José Borges de Sant Anna tomou posse como Acadêmico Correspon-dente Cadeira Número 6 que tem como Patrona Escritora Delícia Passos. No mesmo evento tomaram posse como Acadêmicos Correspondentes: Marina Alves; Miriani Azevedo; Geraldo Pereira e Lenaldo Ferreira da Silva, entre outros. Como Acadêmi-cos Titulares tomaram posse: Marcos Bubbach; Dauri; Cynthia; Madalena Cordeiro e Cleusa Lourdes Madureira Vidal entre outros.
O evento foi também uma vitrine para a recém-criada Academia Cariaciquense de Letras que teve a sua solenidade de posse. A ACL, provando que possui diálogo com outras casas literárias, conta com a participação da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPTCTC). Os escritores Clério José Borges e Roberto Vasco ministraram uma oficina de trovas. Outro coletivo que participou foi o Amigo Livro, projeto literário que reúne apaixonados por literatura por meio de suas ações nas redes sociais e eventos mensais na Grande Vitória. Entre as atra-ções culturais que se apresentaram: Camerata de Violões de Cariacica, sob regência de Fleverson Tavares, e shows do cantor e compositor Carlos Bona e da cantora Thayz Ferreira.

JANTAR ACADÊMICO DE CONFRATERNIZAÇÃO DE
FINAL DE ANO NA CHURRASCARIA SERRA GRANDE, SERRA, ES
2018 – No sábado dia 22 de dezembro de 2018, na Churrascaria Serra Grande, no bairro de Laranjeiras, Serra reuniram-se os Acadêmicos da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores e Acadêmicos da Academia Cariaciquense de Letras, de Cariacica, ES, para um Jantar de Confraternização de fim de ano, na Churrascaria Serra Grande, no Município de Serra ES. Na ocasião a Acadêmica San-dra Regina Bezerra Gomes fez a doação oficial de um Aparelho de Som para as ati-vidades Academias da ACLAPTCTC. Também no evento foi fundada a Academia Infanto Juvenil de Letras e Artes de Poetas Trovadores, com Christal Fraga Borges sendo eleita a primeira Acadêmica Infanto Juvenil.
Foi aprovada a realização da Sessão da Saudade em homenagem ao Acadê-mico recentemente falecido em Campos dos Goytacazes, Agostinho da Conceição Rodrigues, ficando a coordenação da homenagem por conta da Acadêmica Magnólia Pedrina Silvestre. Também aprovada uma homenagem póstuma com a Sessão So-lene da Saudade para a Acadêmica recentemente falecida, Vera Maria da Penha. A homenagem terá a coordenação do Acadêmico Roberto Vasco. Foi lançada e apro-vada a ideia da criação da Federação das Academias de Letras do Estado do Espírito Santo.
Também aprovada a realização em março de 2019, de um grande evento da ACLAPTCTC Academia de Poetas Trovadores, a ser realizada na segunda quinzena com posse dos novos Acadêmicos Correspondentes. Aprovado o nome de Cleusa Lourdes Madureira Vidal como Acadêmica Titular da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores na vaga da Acadêmica falecida Vera Maria da Penha, ficando a posse da Cleusa para o mês de março no evento da ACLAPTCTC. Houve a festa do amigo X e a entrega do Diploma de Intelectual do Ano de 2018ª vários Acadêmicos e Convidados Especiais.

ASSEMBLÉIA GERAL DELIBERATIVA ORDINÁRIA DA ACLAPTCTC
REALIZADA NO DIA 19 DE JANEIRO DE 2019
2019 – Aos 19 dias do mês de Janeiro do ano de Dois mil e dezenove, na Rua dos Pombos, número 02, no bairro de Eurico Salles, Carapina, Serra, ES, CEP: 29160-280 reuniram-se os Acadêmicos Associados Efetivos Fundadores da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, sob a Presidência do Acadêmico Presidente da Diretoria Executiva, Escritor Clério José Borges de Sant Anna, devida-mente convocados através de Edital amplamente divulgado nas Redes Sociais da Internet e encaminhado por e-mail para cada um dos Senhores Acadêmicos Associ-ados Efetivos Fundadores. Procedida a verificação de quórum em primeira convoca-ção, às 16,00 horas, verificou-se a não existência de número legal, havendo a ne-cessidade de aguarda-se o prazo de 30 minutos para a Segunda Convocação com qualquer número dos Senhores Associados. As 16h30m a Assembléia Geral foi inici-ada: Presentes os seguintes Associados Acadêmicos Fundadores Efetivos: Clério José Borges de Sant Anna (Presidente da ACLAPTCTC), João Roberto Vasco Gon-çalves (Secretário Geral da ACLAPTCTC), Emílio Soares da Costa, Maria Viola Bona, Soêmia Pimentel Cipreste, Edilson Celestino Ferreira, Romero Cesar A. Siqueira, Al-bércio Nunes Vieira Machado, Magnólia Pedrina Silvestre, Zenaide Emília Thomes Borges, Clérigthom Thomes Borges e Andréia da Silva Fraga. Também presente a Acadêmica Correspondente, Meri Nadia Marques Gerlim e os visitantes, Rita de Cas-sia Ramos da Silva, Carlos Bona, Mariana Sousa Siqueira e Carlos José de Vello.
O Senhor Presidente invocando a proteção de Deus iniciou a reunião pelo pri-meiro Item da Pauta: ADMISSÃO DE NOVOS ACADÊMICOS. E ADMISSÃO DE ACA-DÊMICOS CORRESPONDENTES – O Presidente usando a palavra comunicou que no dia 08 de outubro de 2018 faleceu na cidade de Vila Velha a ilustre Acadêmica Fun-dadora Efetiva Titular, professora Vera Maria da Penha, Cadeira 21, que tem como Patrono o Trovador Anselmo Gonçalves, estando tal cadeira vaga. O Acadêmico Secretário, Roberto Vasco indicou para preenchimento da referida Vaga a Poeta Trovadora Cleusa Lourdes Madureira Vidal, sendo a indicada aprovada por aclama-ção dispensando as demais formalidades legais por ser pessoa de méritos e quali-dades amplamente conhecidas. Em seguida o Senhor Presidente declarou abertas as inscrições para Acadêmicos Correspondentes, até o dia 28 de fevereiro, devendo os interessados preencher as formalidades legais. Foi decidido e aprovado que a Posse será no dia 14 de março, data de nascimento do Poeta Castro Alves, com início às 18 (Dezoito) horas, no Auditório do Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo da Civitella Del Trento, na Avenida Expedito Garcia, próximo ao supermercado Carone, Campo Grande, Cariacica, ES. Ficou esclarecido que no mesmo dia 14 de março e local, será realizada a SESSÃO MAGNA DA SAUDADE, prevista no Parágrafo IV e V do Arti-go 6º do Estatuto, em homenagem aos Acadêmicos falecidos, Vera Maria da Penha, Acadêmica Fundadora Efetiva Titular, Cadeira 21, que tem como Patrono o Trovador Anselmo Gonçalves e Acadêmico Agostinho da Conceição Rodrigues, Acadêmico Fundador Correspondente, Cadeira 02, que tem como Patrono o Trovador Antônio Roberto Fagundes. O Acadêmico Roberto Vasco fará as homenagens a Vera Maria da Penha fazendo os contatos com os parentes da mesma, Nazaré da Penha Nilsen, Sobrinha e a irmã dela, Julia Maria da Penha. O grande músico e compositor Carlos Bona cantará a música de autoria dela que consta no CD Cantando Poesia. A Aca-dêmica Magnólia Pedrina Silvestre fará as homenagens ao Acadêmico Agostinho da Conceição Rodrigues, fazendo os contatos com a Trovadora Neiva Fernandes e o Historiador e Professor Carlos Augusto Souto de Alencar, ambos de Campos dos Goitacazes, confrades de Academia de Agostinho Rodrigues para que informem se poderão estar presentes na homenagem. Igualmente, a Acadêmica Magnólia coloca a disposição a sua residência para recebê-los como hóspedes, caso confirmem suas presenças na solenidade.
Por proposta da Acadêmica Soêmia Pimentel foi apresentada para ingressar na ACLAPTCTC, como Acadêmica Correspondente a Poeta Rita de Cássia Ramos da Silva, a Kaká Ramos, proprietária de um Atelier Heráldico e Genealógico, residente em Barcelona, Serra, ES. O Currículo foi analisado e o nome foi aprovado por acla-mação e com louvor, tendo a mesma sido indicada para a Cadeira Correspondente de Número 36 que tem como Patrono o Poeta Castro Alves. Foram sugeridos ou-tros nomes sendo que as pessoas serão contactadas e informadas que deverão se inscrever até 28 de fevereiro. A Assembléia aprovou que em 1º de março o Presi-dente fará uma Lista com o nome de todos os novos acadêmicos aprovados, inclu-sive os nomes dos Acadêmicos da Academia Infanto Juvenil (Departamento Infanto Juvenil da ACLAPTCTC) para ser levado a Cartório para Registro. Tal proposta foi Aprovada não havendo necessidade da Academia ACLAPTCTC realizar uma Assem-bléia para aprovação dos nomes, sendo um ato, “ad referendum” da Diretoria e desta Assembléia Geral. Proposta Aprovada por todos os presentes.
O Presidente agradeceu a Doação da Caixa de Som concretizada para a Aca-demia pela Acadêmica Fundadora Titular, Sandra Regina Bezerra Gomes. Foi verifi-cada a necessidade de gastos imediatos visando a melhoria do “sistema de Som”, com a compra de acessórios. O Músico Carlos Bona, incumbiu-se de apresentar um orçamento para adquirir as peças necessárias à melhoria. A acadêmica Meri Nadia sugeriu uma cota extra para o acerto do som, que após votação foi aprovada. O valor será o do Orçamento apresentado por Carlos Bona, dividido pelo número de contribuintes. Para o depósito dos valores será fornecido pela Sra. Meri Nadia, uma conta de Poupança da Caixa, em seu nome. Em seguida passou ao próximo item de Pauta. BANDEIRA DA ACADEMIA – Foram apresentados alguns modelos e aprovado uma que possui o retângulo azul e o losango amarelo, circundado por um filete de Cor Rosa. A Bandeira aprovada por votação, terá sua confecção feita como Doação pelo seu criador, Acadêmico Edilson Celestino Ferreira e será apresentada na soleni-dade de 14 de março. BRASÃO DA ACADEMIA – A Acadêmica correspondente, Rita de Cássia Ramos Silva, expert em Heráldica, incumbiu-se de realizar a criação do referido Brasão, com a ajuda do Acadêmico Edilson Celestino. Será confeccionado em arte executada em escultura de madeira, medindo 1.00 x 0.80 de cumprimento e, será apresentado no evento do dia 14 de março, durante a solenidade no Centro Cultural em Campo Grande, Cariacica.
Passou-se ao próximo item de pauta: ACADEMIA INFANTO JUVENIL DE LE-TRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES – Segundo o Presidente Clério José Borges esta instituição é criada com base no Artigo 15º item VII, do item das competências da Presidência, como um dos Departamentos Culturais da ACLAPTCTC. A ideia inicial surgiu de uma reunião em Niterói do Presidente da Federação Brasileira dos Acadê-micos das Ciências, Letras e Artes, Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Ruriko-vich Carvalho, sendo de imediato aprovada pelos Acadêmicos presentes na referida Reunião, Roberto Vasco, Edilson Celestino e Clério. Apresentada a ideia no Jantar Acadêmico realizado na Cidade de Serra, ES em 22 de dezembro de 2018, a mesma foi aprovada, com proposta da Acadêmica Cleusa Lourdes Madureira Vidal de se colocar o nome “Infanto Juvenil”. O Presidente informou que por questões legais a proposta deveria ser apreciada em Assembleia Geral. Colocada em votação a fun-dação de um Departamento Cultural dentro da ACLAPTCTC, denominado com o nome Fantasia de Academia Infanto Juvenil de Letras e Artes de Poetas Trovadores, a proposta foi aprovada por unanimidade e com louvor e aplausos. Foram aprova-das preliminarmente as seguintes indicações como nome de Acadêmicas Fundadoras Infanto Juvenis: Christal Fraga Borges e Mariana Araújo Borges, (neta dos Acadêmi-cos Clério José Borges e Zenaide Emília Thomes Borges e filha dos Acadêmicos Clé-rigthom Thomes Borges e Andréia da Silva Fraga Borges); Izabelle (neta da Acadê-mica Ângela Lino Veríssimo); Clara Vieira de Almeida, indicada pelo acadêmico Emílio Soares da Costa e Isabelle Zardini Marino, indicada pela Acadêmica Beth Vargas. A efetivação do nome ocorrerá com o preenchimento da Ficha e posse Acadêmica.
Em seguida o Senhor Presidente declarou abertas as inscrições para Acadêmi-cos Infanto Juvenis, até o dia 28 de fevereiro, devendo os interessados preencher as seguintes formalidades: Preencher Ficha de Inscrição e ser de idade entre 06 a 16 anos de idade, juntando cópia da Certidão de Nascimento e Carteira de Estudante se for o caso. Encaminhar foto de rosto colorida. Conforme decisão do Plenário o pa-gamento da Anuidade Acadêmica, atualmente em R$ 120,00 será facultativa. Na posse prestar o Juramento Acadêmico. Foi decidido e aprovado que a Posse será no dia 14 de março, data de nascimento do Poeta Castro Alves, com início às 18 (Dezoito) horas, no Auditório do Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo da Civitella Del Trento, na Avenida Expedito Garcia, próximo ao supermercado Carone, Campo Grande, Cariacica, ES. Foi aprovado que completados 16 anos, se tais Acadêmicos Infanto Juvenis desejarem serão automaticamente aprovados como Acadêmicos Correspondentes, podendo futuramente serem Titulares caso venham preencher os requisitos exigidos no estatuto para tal. Em seguida foi aprovado um CALENDÁRIO DE EVENTOS E REUNIÕES bem como a Prestação de Contas de 2018, com parecer favorável do Presidente do Conselho Fiscal, Acadêmico Edilson Celestino Ferreira, que informou estarem presentes os Conselheiros Fiscais Titulares, Andréia da Silva Fraga, Albércio Nunes Vieira Machado e o Conselheiro Fiscal Suplente da ACLAP-TCTC, Emílio Soares da Costa, convocando os mesmos para análise da Documenta-ção apresentada pelo tesoureiro e pela Diretoria Executiva, tendo sido informado que após análise conjunta da documentação apresentada e analise dos atos da Di-retoria Executiva, da Escrituração Contábil, Balanços, Balancetes e Prestação de Contas, de 18 de Novembro de 2017 até a presente data, 19 de Janeiro de 2019 estavam revestidos de legalidade, tendo sido examinadas a escrituração contábil, os balanços apresentados e os relatórios financeiros de 18/11/2017 a 19/01/2019, ten-do o Conselho Fiscal em sua unanimidade emitido parecer pela Aprovação. Diante de tal colocação assumiu a Presidência dos trabalhos o Presidente da Assembléia Geral Ordinária, Clério José Borges que de imediato submeteu o Parecer pela Apro-vação apresentado verbalmente na Assembléia pelo Presidente do Conselho Fiscal Edilson Celestino Ferreira, tendo a Assembléia Geral Ordinária APROVADO o Parecer por unanimidade, com Louvor e com aplausos. Nada mais havendo eu, Roberto Vasco, encerrei a presente Ata que vai assinada por mim e pelo Presidente da Dire-toria Executiva e pelo Presidente do Conselho Fiscal e demais Acadêmicos que dese-jarem assinar como forma de aprovação de todo o teor aqui contido nesta Ata e para que sejam tomadas as providencias legais em Cartório. Serra, 19/01/2019.

SUCESSO A FESTA DE COMEMORAÇÃO DO DIA NACIONAL
DA POESIA DA ACADEMIA ACLAPTCTC EM 2019
2019 – Com absoluto sucesso e participação expressiva de Acadêmicos, Poe-tas e Trovadores a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, de sigla ACLAPTCTC, entidade cultural da Sociedade Civil sem fins econômicos, com-posta de 50 Acadêmicos Titulares Imortais e 40 Acadêmicos Correspondentes reali-zou com êxito na quinta-feira, dia 14 de março de 2019, uma Sessão Solene come-morativa ao 172° Aniversário de Nascimento do Poeta Antônio Frederico de Castro Alves, conhecido como o Poeta dos Escravos e considerado “o maior poeta brasilei-ro, lírico e épico”; autor do Livro “Espumas Flutuantes”. O evento foi realizado no Teatro do Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo da Civitella Del Trento, na Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande com entrada gratuita, aberto a participação popular, sendo que os Acadêmicos das Academias do Estado usaram a veste talar da Pelerine ou Fardão.
A Academia Espirito Santense de Letras foi homenageada no evento, através do Acadêmico Matusalém Dias de Moura e a Academia Cariaciquense de Letras foi homenageada através do seu Presidente Escritor Marcos Bubach e de seu vice Dauri Correia, além dos Acadêmicos, Kátia Fialho, Cinthya Pretti Azeredo, Adonias Baldan e Madalena Cordeiro, entre outros. Também foram homenageados no evento o Prefeito Municipal de Cariacica, Geraldo Luzia de Oliveira Junior, o Prefeito de Vila Velha, Max Filho e o Diretor da Assembléia Legislativa Joel Rangel e o ex Governa-dor Max Freitas Mauro. Foram ainda homenageados o Vereador de Cariacica, pro-fessor Elinho e a Secretária Municipal de Cultura de Cariacica, Renata Weixter;
O Sarau Poético ficou por conta da Professora da UFES, Meri Nádia Marques Gerlin, com a participação da Cantora Cleusa Lourdes Madureira Vidal. Durante o evento foi realizada a posse Acadêmica da Poetisa Cleusa Lourdes Madureira Vidal, como Acadêmica Titular, detentora da Cadeira Número 21, que tem como Patrono o Poeta Anselmo Gonçalves e posse da Acadêmica Correspondente Rita de Cássia Ramos da Silva, conhecida como Kaká Ramos, titular da Cadeira N.º 36, tendo co-mo Patrono o Poeta Castro Alves, bem como a posse da Acadêmica Corresponden-te Marina Madureira, do Estado de Roraima, no Norte do Brasil, titular da Cadeira Número 37, tendo como Patrono Dorval de Magalhães e posse da Acadêmica Cor-respondente Internacional, Edilene Vasconcelos Rayan Doelfel, residente na Flórida, nos Estados Unidos, titular da Cadeira Número 38 que tem como Patrono o Poeta Americano, Edgar Allan Poe. Ainda na solenidade tomaram posse como Acadêmica Correspondente, Valéria Victorino Valle, do Estado de Goiás, titular da Cadeira Nú-mero 39, tendo como Patrona a Poeta Goiana Laurentina Murici de Medeiros.
Na programação do evento foi realizada uma Sessão Magna da Saudade em homenagem aos Acadêmicos falecidos Agostinho Rodrigues e Vera Maria da Penha, bem como a posse das primeiras Acadêmicas Infanto Juvenis da Academia, Christal Fraga Borges, de 7 anos de idade; Marina Araújo Borges, de 6 anos de idade e Lau-ra Porto de 10 anos de idade. Foram outorgadas a Comenda Castro Alves aos Poe-tas Lino Armando Baroni, residente em Ibiraçu; Soêmia Pimentel Cypreste, de Vitó-ria e as Acadêmicas, Cynthia Lima Constâncio; Fredd Frahlich, residentes no Rio de Janeiro e Valéria Victorino Valle, residente no Estado do Goiás. No mesmo evento será realizado o Lançamento do Concurso Nacional e Estadual de Poesias com o tema, “Maravilhas da Cidade de Anchieta” e Concurso Nacional e Estadual de Tro-vas, “Anchieta Berço da Cultura”, com obrigatoriedade apenas da colocação das palavras Anchieta e Cultura, com a entrega de prêmios no XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, que será realizado em julho na Cidade de Anchieta, Sul do Estado. Em seguida foram homenageados Educadores do Município de Cariacica e Personalidades Acadêmicas da Grande Vitória. Sucesso absoluto. Depois foi servido um Lauto e substancial Cofee Break (Coquetel Acadêmicos).
O dia nacional da poesia era comemorado em 14 de março, no aniversário de Castro Alves. A partir de 2015, foi sancionada a lei 13.131, que mudou a data para o aniversário de Carlos Drummond de Andrade em 31 de outubro. Ou seja, agora o dia nacional da poesia é em 31 de outubro. O dia mundial da poesia é em 21 de março e foi criado pela UNESCO, em 1999 com o objetivo de estimular a produção e celebrar a poesia como forma de arte em todo o mundo. Antônio Frederico de Castro Alves nasceu em 14 de março de 1847 na cidade de Muritiba, na Bahia. Fale-ceu vítima da tuberculose dia 6 de julho de 1871, em Salvador, Bahia. Transmitiu ao romantismo um sentido social. É o Patrono da cadeira número 7 da Academia Brasi-leira de Letras. Algumas obras: A Canção do Africano, 1863; O Navio Negreiro, 1869 e Espumas Flutuantes, 1870 e outros.
A Sessão Solene marcou o início das atividades Acadêmicas da ACLAPTCTC em 2019 e o evento foi realizado ainda em homenagem aos 39º Aniversário de Fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de julho de 1980, entidade que deu origem a nossa atual Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC. O Clube dos Trovadores Capixabas, CTC foi fundado por Clério José Borges, Trovador Capixaba, a 1º de julho de 1980. Em 18 de Novembro de 2017, o CTC transformou-se em Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovado-res, ACLAPTCTC, sendo seu Presidente o Poeta, Escritor e Historiador Capixaba, Clério José Borges e tem como Vice-Presidente a Cordelista e Escritora Kátia Maria Bobbio Lima e Secretário Geral, o historiador João Roberto Vasco Gonçalves.

ACLAPTCTC REALIZA SESSÃO SOLENE NO RIO DE JANEIRO E
PRESTA HOMENAGEM A ESCRITORES CARIOCAS E CAPIXABAS
2019 – No dia 17 de maio de 2019, a ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Le-tras e Artes de Poetas Trovadores realizou uma Sessão Solene em pleno centro da Cidade do Rio de Janeiro, no Auditório da FALARJ, Federação das Academia de Le-tras do Rio de Janeiro, presidida pela ilustre Acadêmica, MARIA AMÉLIA PALADINO, que cedeu o local para a realização do evento no Rio de Janeiro. A Sessão solene teve por objetivo a comemoração dos 40 anos de fundação do CLUBE DOS TRO-VADORES CAPIXABAS, CTC, a ser comemorado a 1º de julho de 2020, sendo o CTC, a entidade Cultural que deu origem a nossa atual Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, a ACLAPTCTC. Foram conferidas homenagens com a Ordem do Mérito Cultural e as entregas de Comendas a diversos intelectuais brasilei-ros.
O Senhor Secretário Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Sr. João Mendes de Jesus, que neste ato representa o Exmo. Sr. Prefeito Municipal Marcelo Bezerra Crivella. Presença da SRA. IRMA SCHAEFFER WANKE, Viúva do Pa-trono desta Academia, Escritor e Historiador da Trova no Brasil, Dr. Eno Theodoro Wanke. Logo no início da solenidade o Presidente da ACLAPTCTC Clério José Borges procedeu a FUNDAÇÃO E NOMEAÇÃO DO NÚCLEO ACADÊMICO DA ACLAPTCTC NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, através das Acadêmicas, Renata Barcellos, Dalva Martins Frahlich e Lúcia Maria Mattos de Oliveira, que foram declaradas empossa-das. Em seguida a viúva do Patrono da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, Sra. IRMA SCHAEFFER WANKE e sua filha DOROTÉA S. WANKE, foram convidadas e receberam uma homenagem da ACLAPTCTC ao Patrono, Eno Teodoro Wanke. A Sra. Dorotéa filha do Patrono da nossa Academia leu um dos mais famosos Sonetos de nosso homenageado, intitulado APELO.
O Presidente da ACLAPTCTC, Acadêmico Clério José Borges em seguida falou sobre os Índios da Ilha de Paranapuã, atual Ilha do Governador, onde residiu o Chefe Indígena da Grande Nação dos Temiminós, Maracajaguaçu, o Gato Bravo Grande, pai do famoso Índio Araribóia, que saíram do Rio de Janeiro e fundaram no Espírito Santo a Aldeia Indígena que deu origem a atual Cidade da Serra na Grande Vitória. Na ocasião foi feita a entrega ao Representante do Senhor Prefeito de uma Placa para ser afixada na Estátua do Gato, na Ilha do Governador.
MOMENTO DE PREMIAÇÃO E DE OUTORGAS. Passou-se as outorgas das Co-mendas Doctor Honoris Causa e Maracajaguaçu: ARLINDO NÓBREGA. Reside em São Paulo. É editor do Jornal Litterarte. ABÍLIO KAC. Residente no Rio de Janeiro. Médico. Grande Vencedor de Diversos Concursos de Trovas no Brasil e Exterior; ANGELA GUERRA; CÍNTIA LIMA; DALVA MARTINS FRAHLICH; EVANIR PLASWISKI; EDILSON CELESTINO FERREIRA; FREDD FRAHLICH; GORETH PEREIRA; Jacimar Berti Boti; José Maria Barreto; Lucia Mattos de Oliveira; Luiz Carlos Esperon; Luiz Becker; Luiz Gilberto de Barros, o Luiz Poeta; Magnólia Pedrina Sylvestre; Marinalha de Jesus Chamone; Monicka Christi; Maria Gláudia Férrer Mamede; Maria Helena Campos Pe-reira que veio de Minas Gerais; Marinalva Freire da Silva; Dr. Matusalém Dias de Moura, da Academia Espirito Santense de Letras; Maria do Rosário Silva Santos e sua filha Rosana Santos Carvalho Calambichis; Paulo Caruso; Paulo Negreiros; Ro-mero Cesar Siqueira Costa; Coronel Regis Lermen; Joaquim Luiz de Jesus Moreira; Rita de Cássia Ramos da Silva; Rogério Marques Siqueira Costa, de Itaocara, Rio de Janeiro; João Roberto Vasco Gonçalves que receberá também a Comenda em ho-menagem a sua mãe Maria Cândida Vasco Gonçalves; Soêmia Pimentel Cypreste.
Foram ainda homenageados, Sílvia Araújo Motta, de Belo Horizonte, MG; Van-da Salles; Valda Fogaça, de Brasília no Distrito Federal; Vera Regina de Carvalho; Zenaide Emília Thomes Borges e Clério José Borges de Sant Anna. Durante o Inter-valo da entrega das Comendas ocorreu uma apresentação musical com os artistas: Luiz Poeta, Angela Guerra e Mariza Sorriso. Prosseguindo com a Sessão Solene da ACLAPTCTC, foram ainda homenageados como Personalidades Culturais 2019, as seguintes pessoas: MARIA AMÉLIA PALADINO; JORGE VENTURA; DEPUTADO FEDE-RAL MARCELO CALERO; SECRETÁRIO JOÃO MENDES DE JESUS; SÉRGIO GERÔNIMO DELGADO; LÚCIA MARIA MATOS DE OLIVEIRA E ZÉLIA FERNANDES; ANDREA RE-ZENDE; ANTONIO PEREIRA; ARLENE BATISTA; BRUNO SILVA; CACAU FERNANDES; CARLOS BARBOSA; CARLOS ALBERTO ROCHA CARVALHO; CELSO NISKIER; CINTIA BARRETO; CYNTHIA LIMA CONSTÂNCIO; DYANDREA PORTUGAL; DALVA MEIREL-LES; DENISE MATOS; EDITE CÂNDIDO; EDITE LOPES COSTA; ELISA LÚCIA; ELZIO LEAL; FLÁVIA LOPES; FÁBIO FABATO; FÁTIMA VARELA; GLADIS LACERDA; GLENDA MAIER; GLÁUDIA MAMEDE; IZABELLE VALADARES; JACIMAR BERTI BOTI; JAMMY SAID; JAQUELINE BRUM C. MOTTA; JOÃO MARCELO PEREIRA DA ROCHA; JORGE LEÃO; JUÇARA VALVERDE; JÚLIO LELLIS; KATY NAVARRO; KENNY ALBERTI; LEVI DA SILVA (ALUCINAÇÃO); LEANDRO ERVILHA; LEANDRO PEDRO; LINDOMAR ARAÚJO; LUCIANA COUTINHO; LUCIANO VIANNA; LÚCÍLIA DOWSLLEY; LUNA MA-GALHÃES; MARA JOAQUIM; MARCOS PAULO DE OLIVEIRA LUCIANO; MARCELA GIANNI; MARCELO MOURÃO; MÁRCIA AGRAU; MÁCIA BARROCA; MÁRCIA LEITE; MÁRCIA RUTH KANITZ; MÁRCIO GOMES; CANTOR MARCOS ASSUMPÇÃO; MARLY BARBOSA; MARCOS VINICIUS MACEDO VARELLA; MARILOU WINOGRAD; MARIZA SORRISO; MAURÍCIO BADUH; MESSODY BENOLIEM; DR. MILTON BARROS FILHO; MONIQUE LAFOND; MOZART CARVALHO; NEUDEMAR SANT ANNA; NÍSIA ROCHA; PAULO DE CARVALHO; PAULO ROBERTO ACCIOLLI; REGINA TEIXEIRA; RICARDO CRAVO ALBIN; RITA MARIA DE LACERDA; SADY BIANCHI; SALVADOR CORREA; SANDRA LOPES; SANDRA FERNANDES; SOL FIGUEIREDO; SILVIO CORREA; SILVA MOTE; SÔNIA MARIA GRILO; SOFIA DEBORA LEVY; SUZY SAVEDRA; TÂNIA RIBEI-RO ROXO; TCHELLO D BARROS; TERESA DRUMMOND; THEREZINHA HILLAL; THI-AGO S. GOMIDE; THIAGO LIMA DA SILVA; THIAGO RAMOS DOS SANTOS; VERA GONÇALES; WAL SHNEIDER; WINTER BASTOS.
ENCERRAMENTO DO EVENTO. Ao final foram feitos agradecimentos ao apoio da Senhora MARIA AMÉLIA PALADINO e a Viúva do Dr. Eno Theodoro Wanke, a Sra. IRMA e sua filha DOROTÉA, a todos enfim, principalmente a professora RENA-TA BARCELLOS, DALVA MARTINS FRAHLICH e LÚCIA MATTOS PELO IMPORTANTE APOIO, PARA O ÊXITO DO NOSSO EVENTO. MUITO OBRIGADA…

ACADEMIA ACLAPTCTC PARTICIPA DO PROGRAMA
DE FÁTIMA BERNARDES NA REDE GLOBO DE TELEVISÃO
2019 – No dia 17 de maio de 2019, Clério José Borges, sua esposa Zenaide e mais as Capixabas, Rita de Cássia, a Kaká Ramos e Marinalha Chamone estiveram no Programa de Televisão ENCONTRO, com a apresentadora Fátima Bernardes oportunidade em que foi conferida a ela uma Comenda Especial.
Foram feitos contatos com Fátima Bernardes e produção bem como com o ex jogador do Flamengo Caio Ribeiro.

LANÇAMENTO DO CD DE CARLOS BONA POEMAS MUSICADOS I
COM CLÉRIO BORGES E DEMAIS ACADÊMICOS
2019 – Dia 06 de abril. Auditório do Teatro Municipal de Vila Velha, “Elio de Al-meida Vianna”, localizado no prédio da antiga sede da Prefeitura, na Praça Duque de Caxias, Centro de Vila Velha. Evento: Show “Poemas Musicados” constante do CD de mesmo Nome, do Compositor e Cantor Carlos Bona, em Parceria com 13 Aca-dêmicos da Academia de Letras de Vila Velha e ACLAPTCTC. Início: 19 horas

CLÉRIO JOSÉ BORGES PARTICIPA DO PROJETO
“PROFISSÃO: ARTISTA” NA ESCOLA MAURA ABAURRE
2019 – Dia 26 de Abril de 2019, por indicação do Presidente Horacio Xavier e representando a Academia de Letras de Vila Velha, Clério José Borges participou do Projeto, “Profissão Artista”, desenvolvido pela Professora Viviane, da Escola Estadu-al de Ensino Médio e Fundamental Maura Abaurre, (Escola de Tempo Integral), loca-lizada em Vila Nova no Município de Vila Velha, ES.

ACLAPTCTC SARAU POÉTICO NA
6ª FEIRA LITERÁRIA CAPIXABA
2019 – No dia 23 de maio de 2019 a ACLAPTCTC foi convidada a participar da Sexta Feira Literária Capixaba, FLICA 2019, com início às 19,00 horas, graças a um Convite Especial das organizadoras, a Presidente da Academia Feminina Espirito San-tense de Letras, Dra. Renata Bonfim e a Presidente de Honra, Professora Emérita Ester Abreu e a Cineasta Suzi Nunes. Inicialmente foram apresentados os membros da Diretoria Executiva da ACLAPTCTC, Presidente, Clério José Borges de Sant Anna; Vice-Presidente: Kátia Maria Bobbio Lima; Secretário Geral da Diretoria Executiva: João Roberto Vasco Gonçalves; 1º Secretário da Diretoria Executiva: Soêmia Pimen-tel Cypreste.
Conselho Fiscal. Conselheiro Fiscal Titular Presidente: Edilson Celestino Ferrei-ra. Conselheiros e Diretores da ACLAPTCTC: Paulo Negreiros; Emílio Soares da Cos-ta; Lenaldo Ferreira da Silva e Zenaide Emília Thomes Borges. A parte musical do Sarau foi iniciada com a apresentação da Cantora da Academia Infanto Juvenil da ACLAPTCTC, Laura Porto, que apresentou quatro músicas, seguida de Sarau Poético e apresentações musicais dos cantores, Beko Macedo e de Teodorico Boamorte.

ACLAPTCTC REALIZA MISSA EM TROVAS
NA FESTA DE SANTO ANTÔNIO
2019 – No dia 6 de junho de 2019, a ACLAPTCTC, por indicação do Acadêmico Romero César de Almeida Siqueira foi convidada pelo pároco, padre Roberto Camil-lato e, participou da Trezena de Santo Antônio com uma Missa em Trovas, com base em Trovas do Acadêmico e Trovador radicado em Maringá, no Estado do Pa-raná, Antônio Augusto de Assis.
A missa foi celebrada pelo padre Ribamar Divino Vieira de Souza, Passionista, Vigário Paroquial da Paróquia Santa maria Goretti, da Comunidade de Jardim Améri-ca, Cariacica, ES, com participação dos Acadêmicos da ACLAPTCTC que declamaram Trovas e Poesias no final. A Cantora Laura Porto fez uma apresentação especial cantando a Ave Maria.
O local foi a Basílica de Santo Antônio em Vitória ES. Presenças dos Acadêmi-cos, Clério José Borges; Romero Cesar e esposa Mariângela; Edilson Celestino Fer-reira e Beth Vargas, Magnólia Pedrina Cypreste e Kátia Maria Bobbio Lima, Laura Porto, Zenaide Emília Thomes Borges, Cleusa Lourdes Madureira Vidal, Joel Rangel e Albércio Nunes Vieira Machado.

CLÉRIO JOSÉ BORGES REALIZA PALESTRA CULTURAL
EM ESCOLA DO BAIRRO LARANJEIRAS VELHA NA SERRA ES
2019 – No dia 11 de setembro de 2019, os Acadêmicos Clério José Borges e Teodorico Boa Morte a convite da Professora Alessandra Nacif Sousa e do Diretor Vinícius de Carneiro, participaram do Projeto Café com Prosa da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Laranjeiras, em Laranjeiras Velha. Participação dos alunos da professora Alessandra Nacif Sousa das 8as. Series. Clério falou sobre a História da Serra. Participação Amarildo da Conceição dos Anjos o conhecido Tatu do Congo.

CÂMARA DA SERRA PRESTA HOMENAGEM AOS TROVADORES.
2019 – A Câmara Municipal da Serra, através do Vereador Guto Lorenzoni e A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC realizou na quinta feira dia 28 de novembro de 2019 no plenário da Câmara Municipal da Serra, na Rua Major Pissarra – Serra Centro, Serra – ES, com início às 18h30m, uma Soleni-dade de Abertura das Comemorações dos 40 anos do Neotrovismo, movimento literário brasileiro iniciado em 1º de julho de 1980 com a fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, atual ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Ar-tes de Poetas Trovadores.
A solenidade contou com a seguinte programação: Palestra sobre os 40 Anos do Neotrovismo pelo Procurador da Assembleia Legislativa Estadual e Acadêmico da Academia Espirito Santense de Letras e Acadêmico Benemérito da ACLAPTCTC, Dr. Matusalém Dias de Moura. Neotrovismo é o movimento da Trova no Brasil que sur-ge com a fundação em 1980 do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, hoje ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, presidida por Clério José Borges de Sant Anna e, em 1982 da FEBET, Federação Brasileira de Entidades Trovísticas, presidida pelo Trovador e Historiador Eno Teodoro Wanke, tendo Clério José Borges do Espírito Santo como Vice. Também 40 anos de funda-ção do CTC.
Em razão da Comemoração do aniversário de 463 anos de Colonização da Ci-dade da Serra, no dia 08 de Dezembro, o historiador Clério José Borges de Sant Anna, Presidente da ACLAPTCTC e autor dos livros “História da Serra” e “Serra Colo-nização de uma Cidade”, proferiu uma palestra com o tema: Origem histórica da Serra, abordando a chegada dos Índios Temiminós de Maracajaguaçu e seu filho Araribóia vindos do Rio de Janeiro e a Saga dos Negros escravos do Queimado, Elisiário Rangel, Francisco de São José, o Chico Prego, João Monteiro, o João da Viúva e a mulher heroína do Queimado: Aisha Keto Korowe Detokumbo, também chamada de Benedita Torreão, Princesa que veio do além mar. Na ocasião foi reali-zada uma Homenagem Póstuma ao Acadêmico Paulo Negreiros, recentemente fale-cido, com coordenação do Secretário Geral da ACLAPTCTC, Historiador, Poeta e Trovador João Roberto Vasco Gonçalves. No mesmo evento houve uma saudação aos presentes e entrega de Diplomas de Voto de Congratulações a todos Acadêmi-cos Efetivos, Correspondentes e Beneméritos da ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, pelo Vereador Carlos Augusto Lorenzoni, ”Guto Lorenzoni”.

NÚCLEO ACADÊMICO DA ACLAPTCTC DO RIO DE JANEIRO
REALIZA JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO COM ACADÊMICOS
DO RIO DE JANEIRO E DO ESPÍRITO SANTO
2019 – No dia 14 de dezembro de 2019, os Acadêmicos da ACLAPTCTC reuni-ram-se a partir das 19 horas, no Restaurante Manuel e Juaquim, em plena Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro para o Jantar de Confraternização de fim de ano com homenagens a Poetas, Escritores, Trovadores e historiadores do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. O evento teve por objetivo comemorar os 40 anos do Neotro-vismo, movimento dos modernos Trovadores Brasileiros e lotou as dependências do Manuel e Juaquim que foi altamente prestigiado por artistas e escritores cario-cas.
Presença de grandes nomes como Dr. Matusalém Dias de Moura e Dr. Joel Rangel. A organização foi do Núcleo Acadêmicos da ACLAPTCTC do Rio de Janeiro sobre a Coordenação das Acadêmicas, Profa. Renata Barcellos, Dalva Frahlich e Lúcia Mattos. Registrada as presenças de Clério José Borges de Sant Anna, Presi-dente da ACLAPTCTC, bem como de Zenaide Emília Thomes Borges e das Acadêmi-cas, Nancilia, Maria Mazza, Marinalha, Maria do Rosário, Jorgina, Romero César e sua esposa Mariângela e a Comendadora e Secretaria da ACLAPTCTC, Soêmia Pi-mentel Cypreste.
Durante o evento foi aprovado a participação da ACLAPTCTC na Feira Literária Internacional de Paraty com um Sarau Poético com contatos a serem feitos pelo Núcleo Acadêmico do Rio de Janeiro através da Profa. Renata Barcellos e que será estudada a realização futuramente de um Congresso Brasileiro de Poetas Trovado-res no Rio de Janeiro em 2020 ou 2021, na Ilha de Paquetá ou alguma cidade pró-xima.

CONGRESSO BRASILEIRO DE TROVADORES É REALIZADO
COM SUCESSO NA CIDADE DE ANCHIETA, ESPÍRITO SANTO
2019 – Foi realizado com grande sucesso o XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, que teve início na quinta-feira, dia 04 (Quatro) de julho de 2019, no Auditório da Câmara Municipal de Vereadores de Anchieta. Entrada totalmente gra-tuita. A promoção e realização foi da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poe-tas Trovadores, ACLAPTCTC, entidade cultural sem fins lucrativos de divulgação das Artes, das Letras, da Poesia e da Trova em geral. O evento aconteceu na Cidade de Anchieta, no Auditório da Câmara Municipal e foi o XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS TROVADORES, reunindo na Cidade, ESCRITORES E POETAS DE VÁRIAS CIDADES BRASILEIRAS, com uma vasta programação cultural.
Durante o Congresso foi realizado um Concurso para a Escolha do Melhor Po-eta de Anchieta e Região e outro Concurso para a Escolha do Melhor Bolinho de Arroz de Anchieta (Música e Culinária). No Concurso Música foi vencedora a Letra e Música do Bolinho de Arroz de autoria de Edilson Celestino Ferreira.
Foram quatro dias do CONGRESSO. O Congresso teve exposição de Fotos, Pinturas, Varal de Poesias. TROVEATA (Passeata com distribuição de Trovas e Poe-sia) pelas ruas de Anchieta, no dia 6 de julho, terceiro dia do Congresso, pela ma-nhã com saída às 10 horas da Praça São Pedro até a Praça do Imigrante.
O Congresso incluiu ainda um debate sobre a História da Cidade de Anchieta, inclusive com a presença de renomados historiadores.
XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores foi um Evento de nível Nacio-nal, que recebeu personalidades ligadas a cultura, de Vitória, capital do Estado, Ser-ra-ES, Guarapari-ES, São José do Calçado, ES, Piúma, ES, Castelo,ES, Cariacica-ES, Vila Velha-ES, São Mateus-ES, Conceição da Barra-ES e outros, além de várias cida-des de vários estados brasileiros: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Gran-de do Sul, Bahia e outros, sendo Escritores, Pintores, Artistas Plásticos, Escultores e Músicos.
Houve movimentação extensiva ao evento nos seguintes locais: Praça do Can-tagalo (Serenata), Praça São Pedro (Saída da Troveata), Praça dos Imigrantes (Chegada da Troveata), Mirante castelhanos (Final do City Tour), Vias Públicas da cidade (Serenata e Troveata).
Um dado altamente positivo, o evento serviu para a reativação da Academia de Letras e Artes de Anchieta. No final do evento foi aprovada a CARTA DE ANCHI-ETA: A ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, por ocasião do XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, realizado em Anchi-eta-ES, na Câmara Municipal dos Vereadores, dias 04, 05, 06, 07 de julho de 2019, reunidos em comissão sob a orientação do Presidente da entidade, ACLAPTCTC, Sr. Clério José Borges de Sant Anna e os acadêmicos por ele determinados para a ela-boração e edição da Carta de Anchieta: Secretário geral, João Roberto Vasco Gon-çalves; Professor Roque Aloísio Weschenfelder; Professor Jacimar Berti Boti, elabo-ram os presentes Pleitos, abaixo, em âmbito Nacional, Estadual e Municipal. Âmbito Federal. 1. – Estipular por lei, a criação dos Conselhos Municipais de Cultura em todos os municípios e determinar que os mesmos criem os Fundos Municipais de Cultura. 2. Facilitar aos novos artistas e empreendedores culturais, a captação de recursos, nas empresas que aderem as Leis de Incentivo a Cultura. 3. Prover a equidade na distribuição dos recursos, em todas as regiões do país. 4. Sempre que houver expectativa de mudança nas leis, relativas à Cultura, consultar as entidades representativas, como: Academia de Letras, Associações de Artistas Plásticos, Clu-bes de Poetas, etc. Âmbito estadual. 1. Incrementar as ações do Conselho estadual de Cultura em termos de proposição e execução de Projetos e ações de fiscaliza-ção. 2. Destinar anualmente um valor fixo para o fundo estadual de Cultura. 3. Des-tinar 20% do valor do Fundo Estadual de Cultura, para a produção Literária do Esta-do. Âmbito Municipal. 1. Determinação do Marco Zero histórico da cidade e cons-trução da praça que o contenha. 2. Criação do Arquivo Público Municipal, com to-dos os recursos necessários ao bom funcionamento. 3. Pesquisa e coleta de toda documentação histórica da cidade e coloca-la no Arquivo Público, providenciando o tratamento tecnológico adequado à sua recuperação e legibilidade. 4. Colocar no calendário de eventos da cidade, o dia municipal da trova. Assinaturas de alguns dos participantes do congresso. Anchieta-ES, ES, 07 de julho de 2019.
A ACLAPTCTC agradece ao Excelentíssimo Senhor Prefeito Municipal, FABRÍ-CIO PETRI e ao Presidente da CÂMARA MUNICIPAL, Vereador CLEBER OLIVEIRA DA SILVA (CLEBER POMBO); ao Vereador GEOVANE MENEGUELLE LOUZADA DOS SAN-TOS, o Geovane de Iriri, ao Secretário de Turismo, Edson Vando Souza e sua equi-pe, a Senhora SOEMIS MEZADRI da GERÊNCIA MUNICIPAL do GABINETE DO PRE-FEITO pelo empenho para a realização deste evento nesta bela e acolhedora Cida-de de ANCHIETA, no Estado do Espírito Santo. A Apresentação musical na abertura foi do Mestre Hudson e o Grupo Jongo Sol e Lua, seguindo-se a entrega de prêmios aos vencedores do Concurso Nacional de Trovas e de Poesias. No Concurso Nacio-nal de Trovas com o tema Anchieta foram recebidas um total de 810 Trovas, de 276 Trovadores de diversas cidades brasileiras, fato considerado um sucesso, já que foram apenas três meses de divulgação. O Concurso foi lançado oficialmente em solenidade realizada em Cariacica, ES, no dia 14 de março e encerrado no dia 05 de junho.
A Trova classificada em primeiro lugar é de Autoria da Trovadora e Comenda-dora Adircilene Lerilda Batista e Silva, Presidente da Academia Lagopratense de Le-tras de Lagoa da Prata, cidade localizada no centro oeste de Minas Gerais a 200 quilômetros de Belo Horizonte: Oh! Anchieta, seu esplendor / mostra com arte e emoção / que a vida tem mais valor / com Cultura e Educação.
Em segundo lugar foi classificada a Trova da consagrada Trovadora Leonilda Yvonneti Spina, residente na Cidade de Londrina, no Estado do Paraná: Jesuíta dedi-cado, / cultura e saber profundo. / Anchieta é consagrado: / Santo e herói do novo mundo!
Em terceiro Lugar a escolha da Comissão Julgadora composta de poetas e Acadêmicos residente em Serra, ES, foi à trova de Marina Gomes de Souza Valente, de Bragança Paulista, São Paulo: Padre José de Anchieta, / tendo a Virgem como tema, / com cultura e sem caneta / traçou na areia um poema.
Também foram classificados e receberão Medalhas de honra ao Mérito e Di-plomas de Vencedores, os seguintes Trovadores: Márcia Jaber e Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho, ambos de Juiz de Fora, MG. Roque Aloísio Weschenfelder, de Santa Rosa, Rio Grande do Sul; Amilton Maciel, de São José dos Campos, São Pau-lo; Paulo Roberto de Oliveira Caruso, de Icaraí, Niterói, RJ; Raimunda Pinheiro de Souza Frazão, de São José do Ribamar, no Estado do Maranhão; Rogério Marques Siqueira Costa, de Itaocara, no Rio de Janeiro; Almir Zarfeg e Elias Botelho, de Tei-xeira de Freitas, Bahia; Olympio da Cruz Simões Coutinho, de Belo Horizonte, MG; Wanda Cunha de São Luis no Maranhão; Francisco Gabriel de Natal, Rio Grande do Norte e Maria Marlene Nascimento Teixeira Pinto, de Taubaté, São Paulo.
A nível Estadual, participantes do Estado do Espírito Santo foram recebidas um total de 132 trovas de 69 trovadores Capixabas, sendo classificada em primeiro lu-gar a Trova do premiado Trovador Capixaba, Albércio Nunes Vieira Machado, resi-dente no setor Ásia em Cidade Continental, na Serra:
Também foram classificados: Nealdo Zaidan, de Anchieta, ES; Hawany Nawar Everton Maranhão, de Piúma, ES; Val Bernardino, de Barra de São Francisco, Norte do ES; Emílio Soares da Costa, do bairro Jabour, Vitória, ES; Ângela Lino Veríssimo, de Manguinhos, Serra, ES; Geraldo Fernandes, de Vitória, ES; Lenaldo Ferreira da Silva, o Aldo Veranatto, de Guarapari, ES; Max Miller, residente em Hélio Ferraz, Serra, ES; Zenaide Emília Thomes Borges de Eurico Salles, Carapina, ES; Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil, residente em Laranjeiras, Serra, ES e a Artista plástica e Poeta Denise Moraes, de Vitória, ES. 1º Lugar, Poeta Trovador Albércio Nunes. Tro-va vencedora: É litorânea a Cidade / de Anchieta. Que formosura! / Também tem a qualidade: / ser o Berço da Cultura.
Durante o evento tomou posse como Acadêmica da nossa Academia Capixa-ba de Letras e Artes de Poetas Trovadores a Acadêmica Correspondente Cadeira Número 44, Ercelle D´Allessandro Costa, patrono Olavo Bilac. Após o Juramento Acadêmico e a posse oficial passou-se as homenagens. Receberam Diplomas como homenageadas as seguintes pessoas: ARTESÃ DAS ESCAMAS – Cristina Maria Ribei-ro Lauteman; ARTISTA PLÁSTICO – Gabriel Gaigher Zaidan; ATIVISTA CULTURAL – Pe. Firmino Costa Martins; ATIVISTA DA CULTURA NEGRA – Rosana Ramos Hermes da Rosa; ATOR Edson Vando Souza; ATOR Joatan Luiz Rosa; ATRIZ Andreia Da-masceno Souza; CANTOR/COMPOSITOR – Enedino Gomes Vasco; DIRETORA DE TEATRO – Telma Amaral; ESCRITORA – Maria Cândida Vasco Gonçalves; GRUPO – Grupo de Teatro Rerigtiba; GRUPO – Companhia Musical Allegro; GRUPO – Gru-po Capoeira Libertação; GRUPO – Grupo Tambores Mirins de São Mateus; GRUPO – Jongo Divino Espírito Santo de Jabaquara; GRUPO – Jongo Sol e Lua; HIS-TORIADOR – Jeferson Mulinari da Silva; POETA – Marco Antônio de Souza Soleda-de; POETA – José Roberto Barbosa; PROFESSORA – Marta Prates Ribeiro; PROFES-SORA DE MÚSICA – Arleide Sartori Zanderlan; REITOR DO SANTUÁRIO – Pe. Nilson Marostica; TROVADOR – Lázaro Gaigher Zaidan; TROVADOR – Nealdo Zaidan; CAN-TORA – Márcia Brandão Runge (Serena); CANTORA – Eliane Belumat; ARTISTA PLÁSTICO – Adauto Januário Gomes; CONTADORA DE HISTÓRIA – Adriana Louza-da; ATOR – Joilton Rosa; DIRETORA DA ESCOLA TIO LILIU – Celfira Maria do Ro-sário Simões Nogueira; AUXILIARES DE BIBLIOTECA ESCOLAR: -ANGELLISON SI-MAS OLIVEIRA; -FRANCILAINE DALMAGRE MOZER; -SHEILA NUNES EWALD; -AILDO DE SOUZA (AUXILIAR APOSENTADO); -WILSON ALVES DA CUNHA; -KAIK CÁSSIO SANTOS SOUZA; -APARECIDA DE ALMEIDA SILVA BASTISTA; -JOSÉ CAR-LOS RIBEIRO DA SILVA; LEITORES ASSÍDUOS DA BIBLIOTECA: -JÚLIA MATUCHAKI DE OLIVEIRA; -MARINETE ROSA SILVA; -CAIO SERGIO DA SILVA ARAUJO;-SIZENANDO FREDERICO DOS SANTOS; -BEATRIZ RIGO RAMOS BOSSATTO (ACOM-PANHADA DE SUA MÃE CLEID RIGO); -MARIA EDUARDA MOREIRA DI SANT’ANNA; -PATRÍCIA BARBOSA POMPERMAYER DA SILVA; -KÁTIA OTERO ZANATTO ARAUJO; -LARYSSA BAPTISTA BARBOSA; -PATRÍCIA ALVES PEREIRA.

CHRISTAL E CLÉRIO JOSÉ BORGES FAZEM APRESENTAÇÃO
ESPECIAL NO SHOW DE TALENTOS DA ESCOLA
MUNDO LIVRE DE LARANJEIRAS, SERRA, ES
2019 – A Escola Mundo Livre localizada no bairro de Parque Residencial Laran-jeiras no Município de Serra, ES, realizou na quarta-feira, dia 14 de agosto de 2019, uma Show de Talentos, oportunidade que os alunos foram convocados para uma apresentação especial perante convidados e pais. Christal Fraga Borges, aluna da Escola se inscreveu para uma apresentação especial lendo e declamando Poesias, de modo especial a Trova, composição poética de quatro versos de sete sílabas poéticas cada, com rima e sentido completo. Dentre mais de 30 apresentações, Christal se classificou em Segundo Lugar. Parabéns… Christal junto com a prima Marina Araújo Borges, no dia 14 de março de 2019, no Centro Cultural Frei Ubaldo da Civitella de Tronto em Cariacica tomou posse como Acadêmica Infanto Juvenil da ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores.
Na apresentação no Show de Talentos da Escola Mundo Livre de Laranjeiras, Christal contou com a participação do avô, Clério José Borges. Foram Trovas auto-rais, da própria Christal que contou com a ajuda do avô e trovas do próprio Clério José Borges que declamou ainda a famosa trova da “cola” de autoria do Poeta Tro-vador radicado em Baixo Guandu, ES, professor Ábner de Freitas Coutinho.
FESTA CULTURAL – COLÉGIO DA CHRISTAL – CHRISTAL: O meu nome é Christal / Vim aqui pra declamar / Nesta festa bem legal / Meu avô, quero apresen-tar. CLÉRIO: Sou Poeta Trovador / Clério Borges de Sant Anna / Vou falar com mui-to amor / De um tema que é bem bacana. / Alegres, com esperanças. / Pensemos nas coisas belas / – Se Deus é pelas Crianças /Quem há de ser contra elas? – CHRISTAL: Na Escola é a defensora, / De quem sempre vou gostar… / Minha jo-vem professora / Quero agora homenagear… / Professora, com amor, /
Um carinho pode crer… / Você merece uma flor / Do Jardim do bem Querer. CHRISTAL: Quando eu chego à escola / eu quero logo estudar / pois o que mais me consola: / Logo o recreio vai chegar… / (Do Professor Ábner) Professora esteja certo / Não colei nem um pouquinho / Se o Caderno estava aberto / Garanto que abriu sozinho… CLÉRIO: É bom falar a verdade / Dizer mentiras, bom não é … / Na vida a Felicidade / Surge no amor e na fé… / Capixaba preguiçoso / Eu juro que não nasceu… / Se nasceu por ser teimoso / Eu juro que já morreu… CHRISTAL: Carinhos e aplausos mil / Para a minha professora… / Constrói um novo Brasil / Por ser boa educadora… / Deem graças a cada dia / Pela beleza da vida. / Pela luz, pela alegria… / por minha escola querida. CHRISTAL: Minha vida de criança / Esta Escola iluminou / um futuro de esperança / a professora ensinou. / Aprendi minha lição / passe o tempo que passar / E digo de coração / O que aprendi vou ensi-nar… CLÉRIO E CHRISTAL: Com triste aceno de mão / Vamos embora pessoal / Beijos no seu Coração / Do Vô Clério e da Christal…

ACLAPTCTC HOMENAGEADA EM TEIXEIRA DE FREITAS,
E FIRMA PARCERIA PARA A REALIZAÇÃO DE CONCURSO NACIONAL
2019 – A Academia Teixeirense de Letras (ATL) realizou dia 15 de agosto de 2019, uma quinta feira, sessão solene, com início às 19h, no auditório da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, com a participação de convidados e de vários Aca-dêmicos da ATL e de uma pequena Delegação da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores composta dos Acadêmicos, Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil; Angelina Jucá Monteiro de Barros; Zenaide Emília Thomes Borges e do Presidente da ACLAPTCTC, Clério José Borges de Sant Anna. Entre as atrações do evento foi a convocação dos Acadêmicos para participação na antologia “ATL em Verso e Prosa” – volume 4; a leitura do edital para a eleição do novo acadêmico que vai ocupar a Cadeira 37; a homenagem a artistas plásticos da região, como Gilberto Bahia e D’Jane Silper, bem como a instituições culturais, como o Movimen-to Cultural Castro Alves e a Escola de Música Villa Lobos.
Na mesma Sessão Solene os presidentes da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLATP-CTC), Clério José Borges, e da Academia Tei-xeirense de Letras (ATL), Almir Zarfeg, assinaram Termo de Parceria que garante o apoio da confraria capixaba na organização do Prêmio Castro Alves de Literatura 2020. A parceria foi sacramentada no evento solene da ATL e assegura a participa-ção da ACLAPTCTC na organização do certame, no tocante à versão nacional, que será acrescentada à premiação na próxima edição. Na prática, o concurso literário continuará sendo realizado pela ATL, nas categorias Poema e Crônica. A premiação também caberá à instituição Literocultural. Os textos inscritos na versão nacional, em verso e prosa, é que serão avaliados por duas comissões julgadoras formadas por membros da Academia Capixaba de Poetas Trovadores. Essas comissões serão presididas por Clério José Borges. “A parceria com a ACLAPTCTC, que diz respeito apenas à 4ª edição do prêmio, vai imprimir importância à premiação. Por isso, ela é muito bem-vinda”, comentou Zarfeg. Ele adiantou que as inscrições para a 4ª edi-ção do Prêmio Castro Alves de Literatura 2020 serão abertas em dezembro de 2019 e a premiação ocorrerá em Sessão Solene no dia 14 de março de 2020. ]
No mesmo evento realizado em 15 de agosto de 2019, o presidente da Aca-demia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPT), Clério José Bor-ges Sant’Anna, falou sobre o tema “A trova nossa de todo dia”. Desde que foi insta-lada em junho de 2016, a ATL se tornou espaço privilegiado para os artistas da pa-lavra na região discutirem literatura e, também, divulgarem suas produções. A insti-tuição edita, por exemplo, uma coletânea de textos em verso e prosa e realiza o Prêmio Castro Alves de Literatura. “A confraria também firmou convênios com ou-tras instituições similares para ampliar a abrangência de suas ações. Em parceria com a Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes (FEBACLA), realizou o Prêmio Febacla de Criação Literária em Verso e Prosa, já na 2ª edição”, pontuou Zarfeg.
Na ocasião o Presidente da ACLAPTCTC, Clério José Borges convidou oficial-mente a ATL (Academia Teixeirense de Letras) para um apresentação especial du-rante o XVII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores que será realizado de 14 a 17 de Novembro de 2019, na Cidade de Iúna, ES, na divisa entre Espírito Santo e Minas Gerais, em comemoração aos 39 anos do movimento em torno da Trova no Brasil, denominado NEOTROVISMO, em parceria da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPTCTC), com a Academia Iunense de Letras e apoio da Prefeitura Municipal de Iúna.

CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA DA SERRA TOMA POSSE
NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DE VALPARAÍSO E CLÉRIO TOMA
POSSE COMO CONSELHEIRO TITULAR DA ÁREA DE LITERATURA
Com a presença do Secretário Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Alessandre Motta Rios, representando o Sr. Prefeito da Serra, foram empossados na última quarta-feira, dia 31 de julho de 2019, os Conselheiros Titulares, Suplentes e Colaboradores do novo Conselho Municipal de Cultura da Cidade da Serra, na Grande Vitória, ES. Os Conselheiros segundo a Lei N.º 1937 de 17 de dezembro de 1996, são representantes de entidades Culturais e Associações da Sociedade Civil e, foram escolhidos pelas respectivas áreas de atuação, nomeados por ato do Prefeito Municipal escolhidos dentre uma lista tríplice, com mandato de 02 (dois) anos, per-mitida a recondução apenas uma vez.
O Conselho organizado em sete Câmaras (Artes Cênicas, Artes Musicais, Artes Plásticas, Artes Visuais, Folclore Artesanato e Cultura Negra, Literatura e Patrimônio Histórico Arquitetônico Cultural e Natural e mais um representante da Prefeitura, outro da Câmara e outro da Federação das Associações de Moradores) empossado dia 31 de julho de 2019 tem o mandato até 31 de julho de 2021.
O Acadêmico Clério José Borges, primeiro Presidente e fundador da Academia de Letras e Artes da Serra e atual Presidente da Academia Capixaba de Letras e Ar-tes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC, autor do Livro História da Serra, três edi-ções esgotadas, com mais de 5 mil cópias, tomou posse como Conselheiro Titular da Câmara de Literatura do Conselho Municipal de Cultura da Cidade da Serra ES recebeu o Diploma de posse das mãos do Secretário Alessandre Mota Rios. Como Suplente da área de Literatura tomou posse o Conselheiro e Acadêmico Mestre Gil Givaldo Inácio da Silva. Como Conselheiro Colaborador da área de Literatura tomou posse o Poeta e Acadêmico Romero Cesar de Almeida Siqueira.
Durante a solenidade os Conselheiros Titulares tiveram a oportunidade de ele-gerem a Diretoria Executiva do Conselho Municipal de Cultura da Serra, com um Mandato de um ano. Foram eleitos em Chapa única. Presidente, Fernanda de Olivei-ra Vieira, a Nanda de Nova Almeida; Vice-Presidente, Márcio Paulo Barros da Silva e Secretário, Iberê Sassi.
O evento foi realizado no Centro Cultural Carlos Correia Loyola, em Valparaíso e teve apresentações culturais, com o músico Fábio do Carmo, o músico Teodorico Boa Morte e o mágico Mandrakion. Clério José Borges proferiu breve discurso fa-lando em nome dos Senhores Conselheiros empossados. Os novos membros do Conselho (2019 – 2021) são: Artes Musicais: Adriana Dutra Amaral (titular), Luciano Furtado (suplente) e Joel Santiago de Paulo (colaborador); Artes Audiovisuais: Fer-nanda de Oliveira Vieira (titular), Delzilene Cezário Lima (suplente) e Ludmille Anne Cezário Lima (colaborador)
Literatura: Clério José Borges de Sant’ Anna (titular), Givaldo Inácio da Silva (suplente) e Romero César de Almeida Siqueira (colaborador); Cultura Popular: Már-cio Paulo Barros da Silva (titular), Alcebíades Milton Cabral (suplente) e Wilckerson Antônio Martins (colaborador); Artes Cênicas: Rogério de Morais Martins (titular), Antônio Martins Vitor Júnior (suplente) e Vanessa Rocha Dias (colaborador); Patri-mônio Histórico: Iberê Sassi (titular), Josué Nazareno Farias Claudiano (suplente) e André Malverdes (colaborador); Artes Plásticas: Levi Basílio (titular).
A primeira reunião plenária do novo Conselho foi realizada no dia 04 do mês de setembro de 2019, às 19:00 na Biblioteca e Centro Cultural “Carlos Correia de Loyola”, (Av. Guarapari, n° 112, Bairro Valparaíso, Serra) com a presença das mai-orias dos membros e convidados, estando presente toda a Câmara de Literatura, composta de Clério José Borges, Mestre Gil e Romero Cesar de Almeida Siqueira.

CLÉRIO PARTICIPA DO 3º ENCONTRO CAPIXABA
DE LITERATURA NO SHOPPING MONTSERRAT, SERRA, ES
2019 – A convite das Acadêmicas Suzi Nunes e Regina Menezes Loureiro, da Associação Capixaba de Literatura, Clério José Borges participou como convidado de um evento denominado Leitura Poética, no dia 25 de setembro de 2019, com início às 20 horas. O projeto estimula o hábito e o prazer pela leitura e escrita e trata-se de uma excelente oportunidade de o público ter contato com autores e se envolver ainda mais no universo dos livros.
O 3º Encontro Capixaba de Literatura, realizado de 25 a 29 de setembro, con-tou com a participação dos próprios autores capixabas e buscou agregar a maior quantidade possível de estilos e linguagens. A ideia foi de expandir o espaço literário no Espírito Santo de maneira acessível a todos e, desta maneira, proporcionar o encontro e troca de ideias com o público leitor. O importante é levar a literatura para a vida cotidiana, e mostrar que a escrita pode ser apreciada sem cerimônias e rituais. Evento tem entrada gratuita e faixa etária livre.
Durante todo o evento exposições de ícones capixabas e do artista plástico Luiz Rafael. No mesmo dia da apresentação de Clério José Borges, participaram os Escritores, Marcos Arrébola; Sônia Rosseto; Maria Delboni; Francisco Grijó; Zé do Riso. Soêmia Pimentel Cyprestes, Magnólia Pedrina Sylvestre e Roberto Vasco tam-bém participaram do 3º Encontro Capixaba de Literatura fazendo apresentações em datas diferentes.

CLÉRIO REALIZA PALESTRA NA CIDADE DE IBATIBA
OFICINA DE TROVAS COM ROBERTO VASCO
2019 – No dia 26 de setembro de 2019, Clério José Borges acompanhado de João Roberto Vasco Gonçalves e de Zenaide Emília Thomes Borges estiveram na cidade de Ibatiba, próximo a divisa com Minas Gerais para uma Palestra Cultural e uma Oficina Literária de Trovas organizada pelo Presidente da Academia Iunense de Letras, José Salotto Sobrinho. O evento foi na Escola Maria Trindade de Oliveira. O evento serviu para a divulgação do Congresso de Trovadores de Iúna em novem-bro de 2019.

ACLAPTCTC COMEMORA O DIA MUNICIPAL DA TROVA
2019 – No dia 04 de outubro de 2019, a ACLAPTCTC realizou no Auditório Hermógenes Lima Fonseca da Assembleia Legislativa Estadual, Sessão Solene co-memorativa do Dia Municipal da Trova, instituído em Vitória, ES, pela Lei N.º 3.468, de 16 de junho de 1987, de autoria da Saudosa Vereadora pelo Município de Vitória, Professora ETTA DE ASSIS. Este ano tivemos várias atividades culturais, com desta-que a realizada no dia 17 de maio, quando realizamos uma Sessão Solene no Rio de Janeiro e nesta data realizamos a Sessão Solene do Dia da Trova que terá a posse Acadêmica das seguintes Personalidades Culturais: 1 – Recipiendária Conceição Cor-deiro dos Santos. Patrono Jornalista e Apresentador de TV, Marcelo Resende; 2 – Recipiendária Karina Schmidt Furieri. Patrono Professor Narceu de Paiva Filho; 3 – Recipiendária Maria Helena Guedes. Patrono: Carlos Drummond de Andrade; 4 – Recipiendária Maria Mazza. Patrono: Escritor José Mauro de Vasconcellos; 5 – Reci-piendária Michelle Fonseca Nasr. Patrono: Poeta Newton Braga; 6 – Recipiendária Nancilia Pereira da Silva. Patrono: Poeta Castro Alves; 7 – Recipiendária Rita de Cás-sia dos Santos Menezes. Patrono: Luiz Vaz de Camões; 8 – Recipiendário Alberto Fioravanti, de Campos dos Goytacazes, RJ. Patrono: Fernando Pessoa.
O evento contou ainda com show Poético Musical da Acadêmica Cleusa Madu-reira Vidal, ao som do Violão de Jorge Gabriel Bezerra e a fala do Acadêmico Bene-mérito, Dr. Joel Rangel sobre o Padroeiro dos Trovadores, São Francisco de Assis. Também foram conferidas as outorgas das Comendas “Embaixador (a) da Cultura Brasileira, Mérito Cultural 2019” para as Acadêmicas, Ângela Lino Veríssimo; Marga-reth Gonçalves Pederzini; Dolivar Gonçalves Junior; Geraldo Fernandes; Rita de Cás-sia (Kaká Ramos); Karina Schmidt Furieri; Lenaldo Ferreira da Silva (Aldo Veranatto); Maria Helena Guedes; Marta Ribeiro; Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil; Michelle Fonseca Nasr; Nancilia Pereira da Silva; Sílvia de Lourdes Araújo Motta; Soêmia Pi-mentel Cypreste e o Jornalista Wilson Miranda, Roberto Vasco, Zenaide Emília Tho-mes Borges; Clério José Borges e Paulo Negreiros. Em seguida foi proferida uma palestra com o tema, “Informação, literatura e arte: movimentos culturais que compreendem a arte e a literatura espírito-santense” pela Professora e Acadêmica Meri Nádia Gerlin. Ao final foi realizado um recital poético pela professora Valsema Rodrigues da Costa. O
O evento é realizado em homenagem aos 39º Aniversário de Fundação do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, entidade cultural de divulgação da Poesia e da Trova, fundada no Espírito Santo no dia 1º de julho de 1980, entidade que deu origem a nossa atual Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAPTCTC.
Clério José Borges declarou empossados como Acadêmicos Correspondentes da ACLAPTCTC, “pelos poderes conferidos a minha pessoa pela imortalidade do filósofo grego Platão, fundador da primeira Academia de Letras e Artes do mundo e, conforme normas contidas nos estatutos da academia capixaba de letras e artes de poetas trovadores e em razão de parecer positivo pela admissão do conselho cultu-ral, as seguintes Personalidades Culturais: Conceição Cordeiro dos Santos; Karina Schmidt Furieri; Maria Helena Guedes; Maria Mazza; Michelle Fonseca Nasr; Nancilia Pereira da Silva; Rita de Cássia dos Santos Menezes e Alberto Fioravanti.
No mesmo evento foram homenageados com o título de Personalidade Cultu-ral de 2019: Governador Max de Freitas Mauro; Prefeito Max Filho; Secretário de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Serra, Alessandre Motta; Deputado Erick Mus-so; Prefeito Weliton Virgílio Pereira; Fabiani Taylor; Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno; Isabella Marinuzzi; Kátia Maria Bobbio Lima; Sandra Gomes; Wallace Ber-toli Moreira; Berenice Albuquerque Tavares; Eliezer de Albuquerque Tavares; Luzia Ester Doná, Presidente da Academia de Letras Jurídicas do ES; Maria Mazza; Martha Prates; Maria Helena Guedes; Michelle Fonseca Nasr; Nancilia Pereira da Silva; Rena-ta Barcellos, do Rio de Janeiro; Adriana Dutra Amaral; Magnólia Pedrina Silvestre; Albércio Nunes Vieira Machado; Angela Lino Veríssimo; Maria Dolores Pimentel de Resende; Soêmia Pimentel Cipreste; Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil; Angelina Jucá Monteiro de Barros; Laura Porto, Acadêmica Mirim; Emílio Soares da Costa; Geraldo Fernandes; Zenaide Emília Thomes Borges; Jacimar Berti Boti; Edir Jovina Batista Santiago; Lenaldo Ferreira; Heliana Mara Soares (Vice-Presidente da Acade-mia de Letras de Guaçuí); Rita de Cassia Ramos (Kaká Ramos); Edilson Celestino Ferreira; Elizabeth Vargas; Maria Suzy da Costa Nunes; José Salotto Sobrinho; Gilson Gomes Filho. O Vereador Gilson Filho estará recebendo também o título Doctor Ho-noris Causa por ter sido o Vereador Autor do primeiro Projeto de implantação da BIBLIOTECA PÚBLICA na cidade onde reside em Laranja da Terra interior do Espírito Santo.
Ainda no evento foram homenageadas as seguintes INSTITUTIÇÕES ACADÊ-MICAS: Academia Espirito Santense de Letras; Academia Feminina Espírito Santense de Letras; Academia Calçadense de Letras, de São José do Calçado; Academia Cari-aciquense de Letras, de Cariacica; Academia de Letras e Artes da Serra, ALEAS; Academia de Letras de Cachoeiro de Itapemirim; Academia de Letras de Ibatiba; Academia de Letras de São Mateus; Academia de Letras de Vila Velha; Academia Guaçuiense de Letras; Academia Literária Castelense; Academia Maria Antonieta Ta-tagiba, de São Pedro do Itabapoana; Academia Marataizense de Letras, de Marataí-zes, ES. Foi homenageado ainda o Senhor Wilson Miranda, da Associação Mineira de Imprensa, AMI;
Foram ainda homenageados com o Diploma de Personalidades Culturais de 2019: WILSON MIRANDA, DA ASSOCIAÇÃO MNEIRA DE IMPRENSA; VIVIANE CRIS-TINA DA CRUZ XAVIER; Professor e Diretora da Escola Somar de Belo Horizonte, JOSE CARLOS SFALCIN; Diretor da Associação Espírito-Santense de Imprensa, BO-RIS CASTRO; Diretor da Associação Espírito-Santense de Imprensa, WILTON VIEIRA MARTINS; Diretor da Associação Espírito-Santense de Imprensa RONALDO MAR-QUES SFALSINI, Médico, Escritor e Jornalista, Membro da Associação Espírito-Santense de Imprensa.
HOMENAGEADOS DA ACADÊMICA CLEUSA MADUREIRA: Cleusa Lourdes Madu-reira Vidal; Horácio Cesar Xavier; Maria Francisca dos Santos Lacerda; Jorge Gabriel Bezerra; Carlos Vinícius da Costa Azevedo; Sandra Aparecida Marin Fontoura; Érica Ferreira Carneiro de Sousa; Leyde Braga; Antônio Rocha Neto; Fábio Santos Daflon Gomes; Afrânio Cézar Baptista; Sandro Bastos de Souza; Manoel Góes da Silva Ne-to; Edson Neizes de Andrade; Ítalo Samuel Ferreira Watt; Clemiriam Madureira Vidal Souza Almeida; Iracema da Silva Coelho; Katia Honorina O. Lessa; Geraldo de Cas-tro Ferreira; Darcy Marta Assunção; Ten. Geraldo César Paulo da Silva (Maestro da Banda do 38º BI); Ten. Cel. Marcelo Alves Pinto (Comandante do 38º BI); Maria Helena Guedes; Cláudia Madureira Vidal; Gabriel Rabbi; Valsema Rodrigues da Costa; Lourenço Telles de Souza Freitas (Presidente do Rotary Clube de Vila Velha); Anaxi-mandro Oliveira Santos Amorim; Hyago Feu Moreira do Nascimento; Michelle Cristi-na Fanti Sales Fraga.
HOMENAGEADOS DA ACADÊMICA MERI NADIA MARQUES GERLIN: Meri Nadia Marques Gerlin; Aguida Ferreira Sampaio; Amanda Gonçalves de Jesus; Ana Paula Ramos Ribeiro; Amanda Ferreira de Oliveira; Ariane Callott Nascimento; Carolina Kostka de Nardi; Daiana Santos da Costa; Franciele Freitas Siqueira; Gabriel do Nas-cimento Barbosa; Gabriel Ramalho Barbosa; Hellen Bianca de Araújo Periani; Hellen Monique Bilucas Gomes; Ivana Aparecida Pereira Rossi; João Vitor Nogueira Cruz; Joyce Passos Rangel; Lara Vitória Pinto Espíndula; Sarita Reis; Yasmin Faustino de Souza.
Homenageados da Acadêmica Margareth Gonçalves Pederzini: Dr. Ailton Ribei-ro da Silva; Drª. Antonia Valquíria de Andrade Meireles dos Santos; Drª Ciloní Nunes Fernandes; Dr. Daniel Ferreira Marques; Dr. Eduardo Correia; Drª Estephania Gonçal-ves Nogueira; Felisberto José Vasco Gonçalves; Drª Gizelly Bicalho Abreu; Dr. Ho-mero Junger Mafra; Dr. Jamilson Monteiro Santos; Dr. José Carlos Rizk Filho; Drª Júlia Prandini Caetano; Dr. Klauber Nascimento; Drª Manoela Soares Araújo Santos; Dr. Márcio José Luiz; Dr. Márcio Costa Bourguignon; Dr. Marcos Bitencourt; Maria Cândida Vasco Gonçalves; Dr. Nelson Alves de Aguiar; Dr. Pablo Ramos Laranja; Drª. Paloma Maroto Gasiglia; Dr. Ricardo Pimentel Barbosa; Drª Sandra Mara Viana; Dr. Thiago Corona Alves; Dr. Tiago Figueira Ramos; Dr. Valdeci de Amorim Tardem; Dr. Tiago Corona; Dr. Wanderson Tomaz Valadares.
Homenageados da Acadêmica Benemérita, Residente em Marataízes, Barbara Perez: Barbara Perez; Clarice Leite Pinheiro; Fabio Aiolfi; Maria Lopes da Costa; Alice Lopes da Costa; Heliana Mara Soares.
Homenageados da Acadêmica Cynthia Pretti: Cynthia Pretti; Regina Maria Pretti de Azeredo; Anderson Oliveira de Azeredo; Maria Amália Queiroz Bello; Marcos Bu-bach, Presidente da Academia Cariaciquense de Letras. Bruno Luíz Mattos; Renata Rosa Weixter; Evelin Bergamin; Mahira Luise Rodrigues Calderon Morales; Dilio Lyra; Carlos Alberto de Oliveira; Marcela Oliveira Savergenini; Daniel Oliveira; Dauri Correia da Silva, Vice Presidente da Academia Cariaciquense de Letras; Elisabete Finco; Ida-yana Boechardt; Sávio Christ; Julyana Santos; Valdemir Ribeiro de Azeredo; Eliane Reis Cintra; Jhoran Wolfgang; Rosa Malena dos Reis; Karin Hilel Frois; Nelcedes Pret-ti; Neuza Pretti; Adelma Oliveira de Azevedo; Vinicius Pretti de Azeredo; Lorena Cos-ta da Silva Azevedo.
Homenageados do Acadêmico Romero Cesar de Almeida Siqueira: Romero Ce-sar de Almeida Siqueira; Thiago Menezes Carneiro; Mariângela Souza Siqueira; Ra-quel Rosana Carmo Volpato Lima; Gabriel Volpato Lima – 14 anos; Isabel Volpato Lima – 8 anos;
Homenageados da Acadêmica Madalena Cordeiro: Madalena Cordeiro; José Al-ves Cordeiro; Patrícia Cordeiro Bertolani; Conceição Cordeiro dos Santos.
Homenageados do Acadêmico Paulo Negreiros: Paulo Negreiros (Mestre de Cerimônias); Vitor Soares Silvares – Procurador Geral da Serra; Fernanda de Oliveira Vieira – Presidente do Conselho de Cultura da Serra; Eduardo Lima da Silva – Diretor de Cultura da Serra; Roneria Erdmann – Acadêmica de Direito; Evilásio de Ângelo – Presidente do IPS;
Homenageados da Acadêmica Lucinéia Paz: Lucinéia Paz; Marcos Elieber Far-dim – Presidente Sindicato Estadual dos Auditores Fiscais; Welington Rogério dos Santos – Presidente do Sindicato Auditores Fiscais da Serra.
Homenageados da Acadêmica Soêmia Pimentel Cypreste: Beko Macedo (Cíce-ro Macedo Pereira); José Fernando de Paula Coutinho (Zé do Riso); Christal Fraga Borges, Acadêmica Infanto Juvenil; Marina Araújo Borges, Acadêmica Infanto Juve-nil; Andréia da Silva Fraga; Clérigthom Thomes Borges; Marlusse Pestana Daher. O encerramento do evento ocorreu no horário de 21h30m após um lanche oferecido a todos os presentes no final da solenidade.

CLÉRIO BORGES RECEBE NO RIO DE JANEIRO HOMENAGEM
NA CONFEDERAÇÃO DE CIÊNCIAS, LETRAS E ARTES DO BRASL
2019 – No dia 18 de outubro de 2019, o Acadêmico Clério José Borges de Sant Anna esteve na Cidade do Rio de Janeiro, onde na última Sexta-feira, na Sede da FALARJ – Federação das Academias de Letras do Rio de Janeiro foi homenageado por Dom Alexander Comnène Palaiologos, durante a “VENERÁVEL SOLENIDADE de OUTORGAS” aconteceu com início ás 17:30h. O evento foi na sede da FALB / FA-LARJ (Edifício IHGB) à Rua Teixeira de Freitas, nº 05 / 3º andar / sala 303 – Pas-seio Público, Centro do Rio de Janeiro.

ACADEMIA DE LETRAS DE MARATAÍZES REALIZA SESSÃO
SOLENE DE COMEMORAÇÃO DE DEZ ANOS DE FUNDAÇÃO
2019 – A Academia das Artes, Cultura & Letras de Marataízes & do Estado do Espírito Santo, (Academia Marataizense de Letras), fundada em 17 de outubro de 2009, com sede provisória Avenida Beira mar, Edifício n 11, Apt. 301-Bairro Barra do Itapemirim-Marataízes-ES, presidida pela Acadêmica Bárbara Pérez realizou no dia 19 de outubro de 2019, sessão solene de comemoração de dez anos de fundação, no salão nobre da Loja Maçônica Vale do Itapemirim – Barra do Itapemirim em Ma-rataízes/ES.
Na ocasião Clério José Borges além de homenageado com um Diploma foi convidado a compor a mesa que presidiu os trabalhos. O evento teve a posse das seguintes personalidades; Alice Lopes da Costa; Fábio Aiolfi; Ilson Cristiano Pessan-ha de Oliveira; Mária Lopes da Costa e Ramon Nazaro de Oliveira Camporêz. Tam-bém tomaram posse como membros Honorários: Coronel Júlio Cezar Costa; Ary Fiorezi de Oliveira (101 aninhos); Venerável José Olívio Grillo presidente da Acade-mia Maçônica do Estado do Espírito Santo. Como membros Beneméritos foram empossados: Adriana Paula Viana Alves; Dilcea Marvila de Oliveira e Cláudia Regina Vinhas Paulini. Foram homenageados como Amigos da Academia: Márcio Rodrigo Cortezini; Dioge Câmara Leal e Márcio Figueiredo Gonçalves. Houve a outorga da COMENDA & TÍTULO ‘ RAUL COCCO SAMPAIO’ aos seus filhos José Cocco Neto e Sandra Cavalcanti Cocco e outras personalidades, bem como, apresentações artísti-cas da Banda da Policia Militar de Vitória/ES e Recital de Poesias.

CLÉRIO REALIZA PALESTRA NA EMEF ÁUREA MARIA
DO BAIRRO NOVO HORIZONTE – SERRA – ES
2019 – No dia 05 de novembro de 2019 Clério José Borges foi convidado a comparecer na Escola Municipal de Ensino Fundamental Áurea Maria localizada no bairro de Novo Horizonte onde proferiu um bate papo com as crianças sobre a His-tória da Serra, cidade localizada na Grande Vitória, no Estado do Espírito Santo. Na oportunidade participaram da palestra Zenaide Emília Thomes Borges e o poeta flamenguista, Albércio Nunes Vieira Machado.

DIA MUNICIPAL DO MESTRE ÁLVARO FOI
COMEMORADO NA SERRA COM SESSÃO SOLENE
2019 – Com base na Lei Estadual de N.º 235 de 12 de novembro de 1897, as-sinada pelo então Vice-Presidente do Estado do Espírito Santo, no exercício da Pre-sidência, Constante Gomes Sudré e, publicada na íntegra no Livro História da Serra, de Clério José Borges foi aprovado no Município da Serra o Dia Municipal da monta-nha do Mestre Álvaro. Assim a data em 2019 foi comemorada com uma Sessão Solene no dia 07 de novembro de 2019, realizada na Câmara Municipal da Serra/ES, do Dia do Mestre Álvaro, onde o proponente foi o Vereador Robinho Gari – PV (Par-tido Verde). Clério José Borges foi indicado para o evento pelo Líder Comunitário Fábio Santana e além de ser convidado a compor a mesa que dirigiu os trabalhos, receber um Diploma teve ainda oportunidade de falar durante dez minutos sobre a história do Morro da Serra, a montanha do Mestre Álvaro.
Uma noite de muitas homenagens e reconhecimento, a todos aqueles que cui-dam do nosso querido Mestre Álvaro, visando destacar a ecologia, cultural e históri-ca do Mestre Álvaro, no Município de Serra, sendo ele um dos nossos cartões pos-tais. Nesta solenidade, além do Historiador Clério José Borges foram homenageados três líderes ou soldados do meio ambiente do nosso município, Patrick Martins Cas-telo, Rodrigo Elias da Silva e Vitor Martins Lopes, ambos protagonistas do Projeto GPAMA – Grupo de Proteção Ambiental Mestre Álvaro. O Diploma recebido é assi-nado pelo Vereador proponente da Sessão, Robson Miranda e pelo Presidente da Câmara Municipal, Vereador Rodrigo Caldeira. Prestigiaram Clério usando a Pelerine Amarela, os Acadêmicos Zenaide Emília Thomes Borges e João Roberto Vasco Gon-çalves.

ACLAPTCTC REALIZA DA FEIRA LITERÁRIA DE CARIACICA 2019
E CLÉRIO E ROBERTO VASCO REALIZAM OFICINA DE TROVAS
2019 – No dia 25 de outubro de 2019, a convite do Presidente da Academia Cariaciquense de Letras, Marcos Bubbach, Clério José Borges, presidente da ACLAPTCTC e o Acadêmico Roberto Vasco participaram a Feira Literária de Cariacica realizando uma Oficina Literária de Criação Poética com ênfase na Trova. O evento contou ainda com uma apresentação musical da Acadêmica Infanto Juvenil, Laura Porto e foi realizado no Auditório do IFES (Instituto Federal do Espírito Santo), loca-lizado no bairro de Itacibá, Cariacica, ES.

SEMANA NACIONAL DO LIVRO E DA BIBLIOTECA É
COMEMORADO NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DA UFES
2019 – No dia 29 de outubro de 2019 durante as atividades comemorativas da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca o Presidente da ACLAPTCTC, Clério José Borges de Sant Anna a convite da professora Meri Nádia esteve participando do Projeto Encontro com o Escritor, abordando o tema sobre a Produção Poética. Par-ticiparam do evento, João Roberto Vasco Gonçalves, Soêmia Pimentel Cyprestes, Edilson Celestino Ferreira, Meri Nádia; Romero Cesar, Rita de Cássia, Albércio Nunes e Zenaide Emília Thomes Borges. O Diploma está assinado por Fábio Massana Me-dina, Diretor da Biblioteca Central da UFES, Universidade Federal do Espírito Santo e, está datado de 29/10/2019.

XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE POETAS TROVADORES
DE 14 A 17 DE NOVEMBRO DE 2019, IÚNA, ESPÍRITO SANTO
2019 – Em comemoração aos 39 anos do movimento em torno da Trova no Brasil, denominado NEOTROVISMO, a Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo realizará com organização da AIL – ACADEMIA IUNENSE DE LETRAS e ACLAPTCTC – ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, de 14 a 17 de novembro de 2019 realizou o XVII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores reu-nindo na cidade de Iúna, Escritores, Músicos, Artesãos, Artistas Plásticos e Poetas Trovadores de várias Cidades Brasileiras. O evento aconteceu na Praça Vereador Antides Faria, conhecida como Praça do Ginásio de Esportes de Iúna contando com palestras, lançamento e relançamento de livros, apresentações artísticas, leitura de livros e música. Haverá espaço para a exposição de Pinturas de Artistas Plásticos e material do Artesanato local. A Cidade de Iúna fica a 188 quilômetros da Capital Vitória. Local: Tenda Cultural na Praça Vereador Antides Faria, a Praça do Ginásio de Esportes de Iúna, Região do Caparaó, divisa de Minas Gerais com Espírito Santo.
TROVADORA DE LONDRINA NO PARANÁ VENCE CONCURSO NACIONAL DE TROVAS COM O TEMA IÚNA. A Trovadora Leonilda Yvonneti Spina, da cidade de Londrina, no Estado do Paraná foi a grande vencedora do Concurso Nacional de Trovas promovido pela ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poe-tas Trovadores, em comemoração aos 39 anos do movimento em torno da Trova no Brasil, denominado Neotrovismo. Segundo os organizadores do Concurso foram recebidas um total de 639 trovas de 256 Trovadores brasileiros de 08 Estados da Federação. No referido certame, além da Trovadora de Londrina foram classificados ainda, os seguintes Trovadores: Nealdo Zaidan, Trovador de Caruaru, residente na Cidade de Anchieta; Everaldo Ferreira, novo Trovador residente em Cidade Continen-tal na Serra, ES; Albércio Nunes Vieira Machado, Trovador também residente no Município da Serra, na Grande Vitória; Almir Zarfeg, Trovador atual Presidente da Academia Teixeirense de Letras, da Cidade de Teixeira de Freitas no Estado da Ba-hia.
Também foram classificados, Paulo Roberto de Oliveira Caruso, Trovador Presidente da Academia Brasileira da Trova, do Rio de Janeiro; Nadja Cristina Lenzi Gadotti, de Balneário de Camboriú, Santa Catarina; Edite de Abreu Ferreira Nunes, de Governador Valadares, MG; Odenir Follador, de Ponta Grossa, Paraná; Márcia Jaber, de Juiz de Fora, MG; Zenaide Emília Thomes Borges, de Eurico Salles, Carapi-na, ES; Luiz Parellada Ruiz, de Londrina e, o premiadíssimo vencedor de Concursos, Dulcídio de Barros Moreira Sobrinho, de Juiz de Fora em Minas Gerais. O XVII Con-gresso Brasileiro de Poetas Trovadores é um evento realizado há 39 anos para co-memorar o Aniversário do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, fundado a 1º de julho de 1980 que em 17 de novembro de 2017, em Assembleia Geral o CTC pas-sou a ser a Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, ACLAP-TCTC.
O Congresso de Poetas Trovadores de 2019 prestará homenagens especiais ao Trovador Matusalém Dias de Moura (Estado do Espírito Santo), ao Poeta Almir Zarfeg (Teixeira de Freitas/Bahia), ao Professor Francisco Aurélio Ribeiro (Região do Caparaó) e ao Escritor José Olímpio de Almeida (Iúna). Serão ainda homenageadas as escritoras Bárbara Pérez (Marataízes); Ester Abreu (Vitória); Adircilene Lerilda Batista e Silva (Lagoa da Prata/MG); Dalva Frahlich e Renata Barcellos (Rio de Janei-ro) e Maria Rosa Pimentel e Souza (Iúna). A ACLAPTCTC prestará ainda uma Ho-menagem Especial de Honra ao Senhor Prefeito Municipal, Coronel Weliton Virgílio Pereira e ao Presidente da Academia Iunense de Letras, José Salotto Sobrinho.
TROVA VENCEDORA: Rio Pardo de antigamente, / Desde os tempos imperiais, / Tornou-se Iúna atraente, / com famosos cafezais. / Leonilda Yvonneti Spina, Londrina, Paraná.

ACLAPTCTC PARTICIPA DO 4º ENCONTRO CAPIXABA DE
LITERATURA NO SHOPPING MOXUARA EM CARIACICA, ES
2019 – A convite da Associação Capixaba de Cultura e Arte, através da Coor-denadora Geral, Suzi Nunes, a ACLAPTCTC participou, através do Presidente Clério José Borges e de vários Acadêmicos do 4º Encontro Capixaba de Literatura, realiza-do no Shopping Moxuara, no Município de Cariacica, ES, oportunidade em que Clério José Borges fez uma apresentação denominada, Leitura poética no dia 19 às 19h.
O IV Encontro Capixaba de Literatura foi realizado de 19 a 24 de novembro 2019 de 14 as 21h no Shopping Moxuara e contou com a exposição de livros, bate papo com escritores, contação de história, exposição de arte e artesanato capixa-ba, apresentações de dança e música.

ACLAPTCTC PARTICIPA DO 5º ENCONTRO CAPIXABA DE
LITERATURA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA ESTADUAL
2019 – A convite das Acadêmicas Suzi Nunes e Regina Menezes Loureiro, da Associação Capixaba de Cultura e Arte, a ACLAPTCTC participou de um Sarau Poéti-co no 5º Encontro Capixaba de Literatura realizado no Hall de Entrada da Assem-bleia Legislativa Estadual em Vitória, ES.
O 5º Encontro Capixaba de Literatura, realizado de 09 a 11 de dezembro e contou com a participação de vários Senhores Acadêmicos. A Apresentação da ACLAPTCTC foi no dia 09 de dezembro com início às 18 horas e se estendeu até as 19 horas, com participação de vários Acadêmicos, Clério José Borges, Rita de Cás-sia, a Kaká Ramos, Soêmia Pimentel Cyprestes, Magnólia Pedrina Sylvestre e Rober-to Vasco.

ACLAPTCTC – NÚCLEO ACADÊMICO DO RIO DE JANEIRO
JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO 2019 EM COPACABANA
DIA 14 DE DEZEMBRO DE 2019. INÍCIO 19 HORAS
2019 – No dia 14 de dezembro de 2019, com uma Palestra do Acadêmico, Dr. Matusalém Dias de Moura, com o tema 40 Anos do Neotrovismo, foi realizado o Jantar de Confraternização de 2019, da ACLAPTCTC, na Avenida Atlântica, 1936, bairro de Copacabana, posto três, Restaurante Manuel e Juaquim, (Responsável Sr. Conrado), com início às 19h00m, com Espaço aberto para a leitura de Poesias, apresentação de voz e violão.
A Coordenação Geral do evento foi do Presidente da ACLAPTCTC, Clério José Borges que contou com a colaboração e o apoio do Núcleo Acadêmico da ACLAP-TCTC no Rio de janeiro presidido pela professora Renata Barcellos, com vice-presidência de Dalva Frahlich e secretaria de Lúcia Mattos. Vários Poetas, Artistas e Escritores do Rio e Espírito Santo foram homenageados.
HOMENAGEADOS INDICADOS DE DALVA FRAHLICH: Angélica da Cunha, Escri-tora e poeta; Angelina da Conceição, escritora; Cel. Regis Lermen, Presidente da ABRAMMIL; Ely Martins Gargaglione; Emília Maria Vinha Rebello, Artista Plástica; Er-nesto Duarte, Artista plástico; Eulina dos Santos, Artista plástica; Heloíza Vasconcel-los, Artista plástica; Kátia Souza Lima Presidente da AACLIG; Luiz Carlos Esperon, Advogado; Luiz Gilberto de Barros (Luiz Poeta) Professor, poeta, escritor Artista plástico; Maria do Socorro, escritora, poeta, artista plástica; Marilza de Abreu Fia-lho, Vice-Presidente da ABRAMMIL; Matheus Francisco da Cunha, Escritor, poeta, Violinista; Nancy Pitta, Artista Plástica; Nina Fernandes, escritora, cantora e colunista do Jornal Posto Seis; Paulo de Oliveira Caruso, professor, escritor, poeta e trova-dor; Thelma Fernandes Lima, Escritora; Vera Figueiredo, Artista plástica; Wilma Guimarães, Radialista e Colunista da BAND RIO 1360;
HOMENAGEADOS INDICADOS DE RENATA BARCELLOS: Artesanal Cia de Tea-tro; Casa do compositor Musical; Chaja Freda; Clério José Borges de Sant Anna; Daniel Heltz; Encontro Marcado com a Cultura; Estante Mágica; Fabrisio Coelho; Gabinete de Leitura Guilherme Araújo; Ingred Rocha; Leon Góes; Lígia Helena Pi-nheiro Carvalho; Luanna Rocha; Luciana Boschi; Márcio Azevedo; Paschoal Marcia-no; PoesiaCult; Programa Carlos Rocha; Projeto de Leitura Cordel Encantado; Rodri-go da Silva Barata; Sérgio Prole Preta; Soêmia Pimentel Cypreste; Zé Wendell.
HOMENAGEADOS INDICADOS DE LÚCIA MATTOS: Ana Cláudia Diogo da Silva; Bruno Black Silva (Organizador da Antologia “se tens um dom, seja”); Eduardo An-tônio dos Reis; Gisele Sant’ Ana Lemos. (Produtora Cultural. Organizadora da Cole-tânea, Estatuas de Bronze. Homenagem Literária); Grupo Excelência e Alpha & Ômega; Grupo VOCALIZART (Vozes femininas); Instituto Cultural Candonga; Jorge Cosendey, Vice-presidente da APPERJ; Mariza Sorriso. (Ativista cultural e organizado-ra do VI Encontro de Poetas da Língua Portuguesa.)
HOMENAGEADOS INDICADOS PELA DIRETORIA DA ACLAPTCTC: Mariângela Souza Siqueira; Marinalha de Jesus Chamone; Matusalém Dias de Moura; Rogério Marques Sequeira Costa; Romero César de Almeida Siqueira; Zenaide Emília Thomes Borges; Renata Barcellos; Dalva Martins Frahlich; Lúcia Mattos; Fredd Mesquita Frahlich; Dr. Joel Rangel, Mister Cultura Capixaba; Escritora Nancilia Pereira; Escritora Maria Mazza.

FUNDADA A SOCIEDADE CULTURAL GUARDIÕES DO QUEIMADO
E CLÉRIO É ELEITO PARA O CONSELHO FISCAL DA ENTIDADE
2020 – No dia 11 de janeiro de 2020 em reunião realizada no antigo Sítio tape-ra, onde localiza-se a Igreja de São José do Queimado a Sociedade Cultural Guardi-ões do Queimado tendo sido eleito Presidente o Professor Irineu Cruzeiro Neto. Se-gundo os Estatutos aprovado no ato de fundação, a sede provisória da entidade ficou sendo a Rua Santos Pinto Nº 35, Condomínio Altavista, apartamento B-205, Centro, Serra, Espírito Santo, CEP 29.176-011.
A Associação é uma entidade civil sem fins lucrativos, com prazo indetermina-do de duração, de caráter cultural, promocional e educacional, sem cunho político-partidário, denominada SOCIEDADE CULTURAL GUARDIÕES DO QUEIMADO e, que tem como finalidade contribuir para a defesa do patrimônio histórico material e ima-terial, divulgação da memória histórica, promoção cultural e literária do Distrito de Queimado, antiga Freguesia de São José do Queimado e fomentar entre a popula-ção os valores do direito à memória e da garantia de acesso universal à informa-ção. Clério José Borges que participou da Reunião de fundação foi eleito para o Conselho Fiscal da nova entidade.

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DA ACLAPTCTC ELEGE
NOVOS ACADÊMICOS CORRESPONDENTES E INFANTO JUVENIS
2020 – Em Assembleia Geral Ordinária, prevista no Estatuto, de 25 de Janeiro de 2020, a ACLAPTCTC elegeu os Adolescentes com idades até 17 anos, para in-gressarem no seu quadro de Acadêmicos Infanto Juvenis, dependendo de confirma-ção a posteriori e que foram, o Cantor Jeremias Reis, vencedor da versão 2019 do The Voice Kids da Rede Globo de Televisão, e os jovens, Gabriela Vieira, Matheus Gonçalves Batista, Nathalia Cristine Stein Gonçalves e Estevão Medeiros, que se jun-tarão aos Acadêmicos Infanto Juvenis da referida Academia e que tomaram posse em março de 2019, Christal Fraga Borges, Marina Araújo Borges e a cantora Laura Porto.
Como Acadêmica Efetiva Titular tomará posse a Heraldista, Rita de Cássia Ramos, conhecido como Kaká Ramos que tomará posse na Cadeira 18 que era ocupada pelo saudoso Acadêmico Paulo Negreiros, recentemente falecido. Na mesma reunião foram eleitos ainda como Acadêmicos Correspondentes as pessoas de Alessandra Nacif Sousa, Marinalha de Jesus Chamone, José Salutci, Tony Bana-na, (Antônio Luis Alves) residente em Portugal, Gilson Gomes Filho, responsável pela criação da Biblioteca Municipal na Cidade de Laranja da Terra, Robson Martins Vieira Machado, Mariângela Souza Siqueira e Eliezer de Albuquerque Tavares. A con-firmação dos nomes dependerá do preenchimento de Ficha de inscrição e demais providencias. A posse foi marcada para o dia 16 de abril, uma quinta-feira e será realizada com início às 17 horas em Vitória em local ainda a ser definido, provavel-mente num dos Auditórios da Assembleia Legislativa Estadual, podendo a data ser transferida caso surjam imprevistos.
A reunião realizada no dia 25 de janeiro de 2020, teve início as 15 horas e foi realizada na Sede ACLAPTCTC, Rua dos Pombos, Nº2, Eurico Sales, Carapina, Serra, ES, tendo sido registrada as seguintes presenças: Clério José Borges (Presidente do CTC), Roberto Vasco (Secretário Geral), Soêmia Pimentel Cypreste (1ª Secretária), Albércio Nunes, Givaldo Inácio (Mestre Gil), Angelina Jucá, Adriana Dutra Amaral, Romero Cesar Siqueira, Magnólia Pedrina Silvestre, Emilio Soares Costa, Rita de Cas-sia Ramos, Zenaide Emília Thomes Borges, Berenice de Albuquerque Tavares. An-dréia da Silva Fraga, Clérigthom Thomes Borges, Christal Fraga Borges e Mariana Araújo Borges. Visitante: Mariângela Siqueira. Logo no início da Reunião o Presidente colocou em pauta a proposta de discussão e votação do Regimento interno da ACLAPTCTC, conforme Artigo 4º item VI e Artigo 32 do Estatuto Social. O Presiden-te Clério José Borges informou que havia uma Proposta de Regimento cujo texto fora encaminhado por e-mail para todos Acadêmicos e pelos Grupos e Redes Soci-ais. Alguns Acadêmicos se manifestaram e apresentaram propostas que foram inse-ridas no texto que depois foi novamente encaminhado a todos. O Plenário entendeu estar o Texto pronto para aprovação e o mesmo foi Votado e Aprovado por una-nimidade.
Em seguida passou-se ao item do preenchimento da vaga do Acadêmico Efe-tivo Titular, Cadeira 18, Paulo Negreiros, falecido em 2019, com a escolha do novo Mestre de Cerimonia da ACLAPTCTC. O Presidente Clério José Borges informou que a opção de preenchimento da referida vaga era para os Acadêmicos Corresponden-tes residentes no Estado do Espírito Santo e que estivessem presentes na reunião. Foi observado que dois se faziam presentes, Romero Cesar Siqueira e Rita de Cas-sia Ramos. Foi solicitado aos dois que falassem. Rita de Cassia Ramos, a Kaká Ra-mos usou a palavra dizendo-se emocionada de estar concorrendo a vaga Acadêmi-ca de Titular, Cadeira 18 e, que havia pertencido ao Acadêmico Paulo Negreiros, tendo como Patrono o Ex-Prefeito da Serra, Dr. Naly da Encarnação Miranda. Rome-ro Cesar usou a palavra em seguida e declinou, apoiando a Acadêmica Kaká Ra-mos. O Presidente colocou em votação sendo o nome Aprovado por unanimidade. Kaká Ramos perguntou se o nome do Patrono da Cadeira 18, Naly da Encarnação Miranda poderia ser mudado, tendo a Acadêmica Berenice e o Acadêmico Clério destacado as qualidades do Dr. Naly, informando que seria uma grande injustiça com a pessoa do ex Prefeito da Serra em duas ocasiões, Naly da Encarnação Mi-randa, inclusive Poeta Trovador e um dos primeiros sócios do antigo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC que deu origem a nossa Academia, ACLAPTCTC. O Pre-sidente Clério informou que o Regimento aprovado informa que os nomes dos Pa-tronos após aprovados não podem ser mudados. Esclareceu que o nome do sau-doso Paulo Negreiros será homenageado com uma das Cadeiras a serem criadas na Academia. Foi marcada a posse devendo a Acadêmica observar as condicionantes estabelecidas para os novos Acadêmicos. EVENTOS MENSAIS. Foi nomeada uma comissão, para programar, constituída das confreiras: Soêmia Pimentel, Berenice Albuquerque e Adriana Dutra. ANUIDADE. O valor permanece em 120,00 Reais, po-dendo ser pago em até duas vezes, até dezembro. O presidente Clério Borges lem-brou que 75% dos condôminos ainda efetuaram o pagamento da anuidade de 2019, cujo prazo venceu em dezembro. Solicita que os caríssimos confrades e confreiras providencie seus pagamentos para reforçar o caixa, porque apesar de adentrarmos noites e madrugadas trabalhando pela academia, alguns serviços são feitos fora, como: Gráficas, copiadoras, cartórios, medalhas, troféus etc. JOIA PARA ENTRAR NA ACADEMIA. Ficou definido, 200,00 Reais para adultos e 100,00 para infanto-juvenis. Definido também que Acadêmicos Infanto Juvenis pagarão a metade do valor da Anuidade dos Adultos. Anuidade Adultos: R$ 120,00. Infanto Juvenis: R$ 60,00.
PRESTAÇÃO DE CONTAS. O Presidente do Conselho Fiscal não estava presente e por faltar ainda algumas informações, boletos e comprovantes, que já foram soli-citados e estão em andamento. A documentação apresentada foi considerada corre-ta e foi aprovada. A conta para depósito em nome da Pessoa Jurídica da Academia, também é assunto em andamento. Já foram contatadas várias agências bancárias, mas o sistema é bastante burocrático e muito oneroso e nas atuais condições não está sendo viável. Assim o Senhor Presidente, emprestou sua conta particular de Poupança para operacionalizar a Academia do ponto de vista econômico-financeiro. O Sr Presidente do Conselho Fiscal, Edilson Celestino, bancário aposentado e co-nhecedor desse meio, fará uma busca de melhores condições para termos uma conta da Academia. Até lá, continua a Conta Poupança do Presidente Clério José Borges.
INDICAÇÃO PARA NOVOS ACADÊMICOS CORRESPONDENTES E INFANTO JU-VENIS: Professora Alessandra Nacif Sousa, formada em Letras Portu-guês/Inglês/Literatura. Professora de Português/Literatura da Rede Estadual de En-sino do Estado do Espírito Santo – indicada pelo Acadêmico Clério José Borges que inclusive passou para os presentes para análise o Curriculum da mesma. A Acadê-mica Adriana Dutra Amaral enfatizou as qualidades culturais e artísticas da Professo-ra Alessandra. Marinália Chamone, indicada pela Acadêmica Soêmia Pimentel Cypreste. José Salutci, indicada pela Acadêmica Rita de Cassia Ramos (Kaká Ra-mos). Tony Banana, (Antônio Luis Alves) residente em PORTUGAL, indicado pela Acadêmica Magnólia Pedrina Silvestre. Gilson Gomes Filho, indicado pelo Acadêmico Clério José Borges, que enalteceu o trabalho de Gilson Filho na criação de uma Bi-blioteca Municipal na Cidade de Laranja da Terra. A Acadêmica Berenice apoiou, com palavras elogiosas, a indicação de Gilson, filho da também acadêmica e ex Secretária de Turismo Cultura Esporte e Lazer, Sandra Gomes. Robson Martins Viei-ra Machado, indicado pelo Acadêmico Albércio Nunes. Mariângela Siqueira, indicada pelo Acadêmico Clério José Borges. Eliezer de Albuquerque Tavares, indicado pela Acadêmica Berenice de Albuquerque Tavares. PARA ACADÊMICOS INFANTO-JUVENIS: Gabriela Vieira, indicada pela Acadêmica Adriana Dutra Amaral. Matheus Gonçalves Batista, indicado pelo Acadêmico Roberto Vasco. Nathalia Cristine Stein Gonçalves, indicada pelo Acadêmico Roberto Vasco. Cantor Jeremias Reis, vencedor do “The Voice Kids” 2019, indicado pela Acadêmica Berenice de Albuquerque Tava-res. Estevão Medeiros, indicado pela Acadêmica Adriana Dutra Amaral.
Os nomes foram APROVADOS com louvor, tendo as seguintes condicionantes: 1 – Comparecer na Solenidade de Posse. 2 – Confeccionar a Pelerine para a posse devendo telefonar para a Costureira YARA (Tel.: 27 99978-9127, para acertar deta-lhes do tamanho da Veste Talar da Pelerine e pagamento da confecção da referida veste. Acadêmicos de outros Estados e do Exterior e que não forem tomar posse poderão ser dispensados da confecção da Pelerine. 3 – Pagar a Joia (taxa de Entra-da) para ajudar nas Despesas da Festa de posse no valor de 200 reais para os Adultos e a metade, R$ 100,00 para os Infanto Juvenis. Fica bem claro que o Valor pago não é dinheiro para a Academia e sim Doação para as despesas do evento. 4 – Se comprometer de pagar até dezembro a anuidade da ACLAPTCTC, sendo que Adultos o valor é de R$ 120,00 e Infanto Juvenis o valor é de R$ 60,00. 5 – Deve-rão comunicar por escrito ou por e-mail ao Presidente (E-mail: cj-anna@bol.com.br) que ACEITAM A INDICAÇÃO, juntando cópia xerox da documentação e um Currículo para ser arquivado na Pasta física do Acadêmico. Deve ainda informar o nome do seu Patrono. Caso não indique o Patrono a Academia indicará um nome de Persona-lidades Culturais falecidas. Deverá ainda mandar documentação por e-mail do Secre-tário Geral Roberto Vasco (robertovasco@hotmail.com) e material físico (papel) com Ficha de Inscrição assinada pelos Correios para o endereço da ACLAPTCTC, na Rua dos Pombos, 2 Eurico Salles Carapina Serra, ES. A reunião terminou a 17:58h e eu Roberto Vasco, redigi a presente ATA, que por ser verdadeira, dou fé. Serra, 28/01/2020. Roberto Vasco.
SESSÃO SOLENE DA ACADEMIA TEIXEIRENSE DE LETRAS
EM TEIXEIRA DE FREITAS, NO ESTADO DA BAHIA.
No dia 14 de março de 2020, uma Delegação Capixaba da ACLAPTCTC, parti-cipou de uma Sessão Solene no Auditório da Câmara Municipal de Teixeira de Frei-tas, no Estado da Bahia ocasião em que foram anunciados os vencedores de um Concurso de Poesias e Contos promovido pela Academia Teixeirense de Letras e cujos membros da Comissão Julgadora foram da ACLAPTCTC.
Estiveram presentes em Teixeira de Freitas, a Acadêmica, Ângela Lino de Je-sus Veríssimo, natural de São Mateus/ES; a Drª Beatricee Karla Lopes, Advogada Criminalista e Civilista – OAB/ES 15.171; pós-graduada em Penal e Civil. O Historia-dor, Poeta e Trovador Clério José Borges de Sant Anna, Presidente da ACLAPTCTC, Presidente da Comissão Julgadora POESIAS. A Trovadora Zenaide Emília Thomes Borges. O Historiador, Poeta e Trovador João Roberto Vasco Gonçalves, Presidente da Comissão Julgadora CONTOS. O Escritor e Poeta, Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil, participante da Comissão Julgadora CONTOS e a Dra. Magnólia Pedrina Sylves-tre, participante da Comissão Julgadora Concurso de Contos.
Comissão Julgadora. Atendendo a solicitação do Ilustre Presidente da Acade-mia Teixeirense de Letras, Poeta e Escritor, Acadêmico Almir Zarfeg, e após consul-ta, a Diretoria da ACLAPTCTC decidiu nomear as Comissões Julgadoras dos Concur-sos de POESIAS e de CONTOS promovido recentemente por aquela digna e honrada instituição da Cidade de Teixeira de Freitas na Bahia. Após análise encaminhamos o RESULTADO FINAL nas modalidades CONTOS e POESIA. CONCURSO DE POESIAS: 1 – Acadêmica Professora Alessandra Nacif Sousa; 2 – Escritora e Acadêmica Escritora Marinalha de Jesus Chamone; PRESIDENTE DA COMISSÃO DE POESIAS: Acadêmico, Poeta, escritor, Historiador e Trovador Clério José Borges de Sant Anna, Presidente da ACLAPTCTC. CONCURSO DE CONTOS: 1 – Escritor, Poeta, Trovador e Comenda-dor Givaldo Inácio da Silva, o Mestre Gil; Professora Magnólia Pedrina Sylvestre. PRESIDENTE DA COMISSÃO DE CONTOS: Acadêmico, Poeta, Trovador e Escritor João Roberto Vasco Gonçalves.

PRIMEIRA REUNIÃO POR VIDEOCONFERÊNCIA
DA ACLAPTCTC. DATA: 21/06/2020, INÍCIO: 16:00H
2020 – Em razão da Pandemia da COVID 19, Corona Vírus a reuniões Acadê-micas foram transformadas em Reuniões Virtuais através da INTERNET, Rede Mun-dial dos Computadores, local, Google Meet, ficando cada um de suas casas partici-pando das reuniões. A primeira realizada foi no dia 21 de junho de 2020, com início às 16 horas e término às 19 horas. Foram registradas as seguintes presenças: Pre-sidente Clério José Borges de Sant Anna; Secretário Geral Roberto Vasco; Videoma-ker: Alberto Mensageiro. Acadêmico Rogério Martins, Professor de Literatura Brasi-leira, da UFES, Dr. Orlando Lopes, Acadêmico (as): Sandra Gomes, Magnólia Silves-tre, Adriana Dutra, Meri Nadia, Rosangela Sousa, Adircilene Batista, Ângela Lino Ve-ríssimo, Marinália Chamone, Berenice Albuquerque, Carlos Mensetieri, Cel. Carlos Furtado, Edilson Celestino, Rogério Marques e outros ilustres Acadêmicos que não nos foi possível registrar.
A reunião foi iniciada com uma Palestra do Dr. Orlando Lopes sobre a lei Aldir Blanc, PL-1075, ou lei de Emergência Cultural criada em razão da Pandemia do Co-rona Vírus. A palestra foi considerada muito boa e esclarecedora. Em seguida Clério José Borges falou sobre as Comemoração 40 anos do NEOTROVISMO e de um Congresso na Cidade de Passa Tempo, MG. Previsto para o Mês de Outubro e um Congresso na Cidade de Colatina: Previsto para o mês de novembro. Também foi abordado um possível evento no Rio de Janeiro, previsto para dezembro e Jantar de Confraternização na Grande Vitória, ES também para dezembro 2020. Também posse novos acadêmicos, Concurso Nacional de Poesias e de Trovas, Troféu Espe-cial Beija Flor 2020, Vídeos de Alberto Mensageiro, sendo colocados no You Tube.
No início da reunião foi concedida a palavra ao Acadêmico da ALEAS, Acade-mia de Letras e Artes da Serra, Cidade de Serra, ES, Professor Rogério de Moraes Martins, que fez uma apresentação inicial e convidou o palestrante inscrito, Profes-sor Dr. Orlando Lopes a proferir sua palestra sobre a lei Aldir Blanc, PL-1075, ou lei de Emergência Cultural, que executou com brilhantismo, com uma didática perfeita e esclarecedora, sendo bastante elogiado. Concedeu espaço as perguntas de vários confrades e Confreiras e respondeu a contento. O confrade Rogério Martins foi o mediador.
Em seguida Clério José Borges falou sobre as comemorações dos 40 anos do NEOTROVISMO. O presidente Clério Jose Borges de Santana Fez uma explanação sobre o tema e falou sobre a impossibilidade de realizar o evento comemorativo da data no dia 1º de julho em função da decretada quarentena, para amenizar os efei-tos do Covid-19. Em seguida o presidente Clério Borges falou sobre a realização do XVIII Congresso Nacional de Poetas Trovadores na cidade de Passa Tempo, a 150 Km de Belo Horizonte, MG. Na oportunidade, convidou o mediador desse evento da ACLAPTCTC, acadêmico Rogerio Marques de Siqueira Costa, da Cidade de Itaocara, no Rio de Janeiro, a efetuar seus comentários, sobre a infraestrutura existente para a apresentação do evento, em Termos de Auditório e outros recursos. Ele fez uma breve explanação e anotou algumas questões a serem levantadas e respondidas na próxima reunião. O Secretário Roberto Vasco, manifestou a sua preocupação quan-to a ter alguém na cidade capaz de coordenar as ações para a realização do evento e inclusive propôs ao Presidente uma viagem de reconhecimento e levantamento de dados importantes para a realização do evento com garantias de sucesso. O Presi-dente Clério Borges acatou e estabeleceu uma data a ser melhor definida a posteri-ori, cerca de 20 dias antes, para aferir as condições necessárias. Congresso na Ci-dade de Colatina: novembro. O presidente Clério Borges confirmou o propósito de realização, em novembro, na cidade de Colatina e na impossibilidade dessa em Vila Velha ou Serra. O Mediador em Colatina será o nosso Acadêmico da ACLAPTCTC, Jacimar Berti Botti. Evento no Rio de Janeiro até dezembro – O Presidente Clério confirmou também o propósito de realizar um evento no Rio de Janeiro, que seria inicialmente um JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO. Em dezembro de 2020.
Posse novos acadêmicos – Igualmente foi anunciado está em vigor EDITAL lançado na nossa Assembleia Geral Ordinária, prevista no Estatuto, realizada na se-gunda quinzena de janeiro de 2020 onde ocorreria a Posse dos Novos Acadêmicos. O Presidente falou sobre a impossibilidade de realizar o evento comemorativo da data no dia 1º de julho em função da decretada quarentena, para amenizar os efei-tos do Covid-19 estando previsto para realização nas últimas semanas de setem-bro, já tendo sido convidada para atuar como Mestre de Cerimônias a Acadêmica e Professora Valsema Rodrigues da Costa. Foi destacada a necessidade do uso da Pelerine Amarela a ser feita com a Costureira IARA (Roberto Vasco Informou o Te-lefone de Contato da Costureira Iara= 27 999 78 91 27, que reside no bairro de Ta-quara, na Cidade de Serra ES. Quem mora em outro Estado terá que ver com ela a possibilidade de ela fazer a Pelerine e mandar como encomenda PAC pelos Correios ou pegar com a mesma um dia antes da data da posse em Vitória ES. O Valor da confecção da Pelerine era por volta de R$ 130,00 no ano passado. O Valor deste ano os interessados devem negociar com a mesma.
Concurso Nacional de Trovas – Foi confirmada a realização do referido con-curso e estabelecida a data limite de 04 de outubro para receber as devidas com-posições dos participantes. Os temas serão: para as TROVAS: “Recanto” e para as POESIAS: Felicidade. Troféu Especial Beija Flor 2020, 40 Anos de Neotrovismo. O presidente Clério Borges informou que o Artista Escultor, José Maria já está confec-cionando as peças e já publicou inclusive a foto da primeira da série. Foi instituído o troféu especial e medalha “beija-flor”, que será concedida a Escritores Poetas, Artis-tas Plásticos, Acadêmicos e Personalidades Civis e Militares em reconhecimento aos seus meritórios culturais, cívicos e sociais. A Comenda será Constituída de troféu e medalha especial da criação e confecção do Artista Plástico Zé Maria. O Troféu será personalizado com o nome do Homenageados. Os homenageados receberão e-mails convite com o devido regulamento, que deverão retornar com sua concordân-cia e anuência e seguir os trâmites subsequentes. A entrega se dará em solenidade especial presidida pelo presidente Clério Borges de Sant Anna, no final de setembro ou início de outubro, em dia e local a ser divulgado logo após a liberação das reuni-ões sociais presenciais pós Covid-19. Início às 18 horas.
Vídeos de Alberto Mensageiros, sendo colocados no You Tube – O Presidente falou sobre o sucesso da realização desses vídeos e convidou o Videomaker res-ponsável, Sr. Alberto Mensageiro a fazer os seus comentários e esclarecimentos, o que foi feito a contento. Próxima reunião: Ficou estabelecido e pactuado entre os presentes a próxima reunião por videoconferência para o dia 01 de julho, quarta-feira, às 19 horas; festa de 40 anos de comemoração do Neotrovismo. Meia hora antes, será enviado o link da Reunião no grupo da ACLAPTCTC, no WhatsApp. Foi dada a palavra ao diretor de Biblioteconomia e Arquivo da ACLAPTCTC, Acadêmico Wallace Bertoli, o qual anunciou a reativação da Revista Eletrônica da ACLAPTCTC – Jornal Eletrônico Beija Flor. Os Acadêmicos poderão enviar textos para publicação pelo e-mail:
academiadospoetastrovadores@gmail.com
O Acesso é acesso pelo Link:
http://academiadospoetastrovadores.blogspot.com/?m=1
Encerramento: Não havendo mais nenhum assunto previsto na pauta, a ser tratado, a palavra foi posta em aberto para os participantes efetuarem suas sauda-ções de despedida, o que todos que ainda estavam presentes fizeram. Logo após, o presidente Clério José Borges declarou encerrada a sessão, sendo a presente reu-nião terminada as 19:00h. Eu, Roberto Vasco, Secretário Geral, redigi a presente ATA e atesto a sua veracidade. Vitória, 21/06/2020.

SEGUNDA REUNIÃO MENSAL DE DIRETORIA DA ACLAPTCTC
POR VIDEOCONFERÊNCIA. DATA: 01/07/2020.
LOCAL: GOOGLE MEET. ANIVERSÁTIO DOS 40 ANOS DO CTC.
2020 – No dia 01 de julho de 2020, data comemorativa dos 40 anos de funda-ção do CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, Clério José Borges, Presidente da ACLAPTCTC, entidade cultural que foi fundada a partir do CTC, convocou Reunião Extraordinária comemorativa do evento, através da Internet, na plataforma Google Meet. Participaram e registraram presenças os seguintes Senhores Acadêmicos: Pre-sidente Clério José Borges de Sant Anna; Secretário geral Roberto Vasco; Acadêmico (as): Magnólia Silvestre, Zenaide Thomes Borges; Adriana Dutra, Meri Nadia, Rosan-gela Sousa, Adircilene Batista, Berenice Albuquerque, Cel. Carlos Furtado, Wallace Bertoli, Alessandra Sousa e outros Acadêmicos que não foi possível efetivarmos o registro da presença.
O Presidente da Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, Clério José Borges iniciou a reunião, dando as boas-vindas aos participantes e de-clarou aberta a sessão, convidando ao Secretario Roberto Vasco a redigir a corres-pondente ATA. Comemoração 40 anos do NEOTROVISMO _ O presidente Clério Jose Borges de Santana fez uma explanação sobre o tema e falou sobre a impossi-bilidade de ter fazer na data inicialmente planejada em função da decretada quaren-tena, para amenizar os efeitos do Covid-19. Nessa realidade utilizamos a presente reunião para em conjunto, cantar “parabéns”. 3- Viagem a Passa Tempo – MG – A confreira Acadêmica Dra. Magnólia que está interfaciando com uma empresa de turismo, informou que ficou acertado que haverá um ÔNIBUS ESPECIAL, que con-duzirá todos os interessados em participar do Congresso. O Cel. Carlos Augusto Furtado informou que por uma questão logística, viajará em vôo direto São Luís, onde reside para BH. No Evento de Colatina em dezembro viajará de São Luís para Vitória e de Vitória irá de ônibus para a Cidade de Colatina, ES.
Posse dos novos acadêmicos correspondentes – Deverá ser no final de se-tembro ou início de outubro, em Solenidade a ser realizada em Vila Velha, ES. Posse novos acadêmicos – Igualmente foi anunciado que estava em vigor o EDITAL lan-çado na nossa Assembleia Geral Ordinária, prevista no Estatuto, realizada na segun-da quinzena de janeiro de 2020 onde ocorreria a ADMISSÃO e Posse dos Novos Acadêmicos. O Presidente falou sobre a impossibilidade de realizar o evento come-morativo da data no dia 1º de julho em função da decretada quarentena, para ame-nizar os efeitos do Covid-19, tendo o evento sido TRANSFERIDO para as últimas semanas de setembro, ou início de outubro, já tendo sido convidada para atuar como Mestre de Cerimônias a Acadêmica e Professora Valsema Rodrigues da Costa. Foi destacada a necessidade do uso da Pelerine Amarela a ser feita com a Costurei-ra IARA (Roberto Vasco Informou o Telefone de Contato da Costureira Iara: Tel.: 27 999 78 91 27, que reside no bairro de Taquara, na Cidade de Serra ES). Concurso Nacional de Trovas – Foi confirmada a realização do referido concurso e estabeleci-da a data limite de 04 de outubro para receber as devidas composições dos partici-pantes. Os temas serão: para as TROVAS: “Recanto” e para as POESIAS: Felicidade. Foi aprovado a criação do CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA, sendo solici-tado aos Acadêmicos que façam seus vídeos, de no máximo cinco minutos, falando sobre si e sobre o Patrono. Receberemos os vídeos até dia 12 de setembro. Próxi-ma reunião: Ficou estabelecido e pactuado entre os presentes a próxima reunião por videoconferência para o dia 18 de julho, sábado, às 19 horas. Meia hora antes, mandaremos o link no grupo da ACLAPTCTC, do WhatsApp. Foi dada a palavra ao diretor de Biblioteconomia e arquivo da ACLAPTCTC, Acadêmico Wallace Bertoli, o qual explicou a forma de envio dos artigos que os acadêmicos queiram mandar. Encerramento: O PRESIDENTE CONCLAMOU A TODOS PARA ABRIREM SEUS MI-CROFONES E TODOS CANTARAM O PARABÉNS PARA VOCE. ONDE O PRESIDENTE CLÉRIO JOSÉ BORGES ESTAVA HAVIA UM BOLO CUJA VEJA COMEMORATIVA AOS 40 ANOS DO NEOTROVISMO E DO CTC, CLUBE DOS TROVADORES CAPIXABAS FOI ACESA E COUBE A ACADÊMICA INFANTO JUVENIL CHRISTAL FRAGA BORGES AS-SOPRAR E APAGAR A VELINHA. Não havendo mais nenhum assunto previsto na pauta, a ser tratado, a palavra foi posta em aberto para os participantes efetuarem suas saudações de despedida, o que todos que ainda estavam presentes fizeram. Logo após, o presidente Clério Borges declarou encerrada a sessão, sendo a pre-sente reunião terminada as 20:20h. Vitória, 01/07/2020. Roberto Vasco.

TERCEIRA REUNIÃO POR VIDEOCONFERÊNCIA DA ACLAPTCTC
DATA: 18/07/2020. INÍCIO: 16:00 ÀS 19:00H. GOOGLEMEET
No dia 18 de julho de 2020 foi realizada mais uma Reunião Oficial de Diretoria da ACLAPTCTC, em tempos de confinamento e pandemia do Corona Vírus, através da INTERNET, no Google Meet. PARTICIPANTES: Presidente Clério José Borges de Sant Anna; Secretário Geral, Roberto Vasco; Acadêmico (as): Magnólia Silvestre, Zenaide Thomes Borges; Adriana Dutra, Meri Nadia, Rosangela Sousa, Adircilene Batista, Berenice Albuquerque, Cleusa Madureira, Marina Madureira, Rogerio Mar-ques, Rogerio Moraes, Michel Dal Col, Cel. Carlos Furtado, Walace Bertoli, Alessan-dra Sousa, Edilson Celestino, Ester Abreu, Alberto Mensageiro… (mais, no total de 100 participantes).
PAUTA: 1- Fala do Presidente Clério Borges – Boas Vindas e notícias do Livro Antologia. 2- Momento Musical de entrada com Adriana Dutra e sua equipe. 3- Fala do Irineu Cruzeiro. 4- Fala do Rogério de Moraes Martins sobre a lei Emergencial Aldir Blanc. 5- Fala de Meri Nádia sobre apoio nos projetos e sobre livro sobre os Patronos. 6- Fala de Clério Borges sobre os Troféus e entrega presencial solene em fins de setembro ou início de outubro. 7- Fala da Rosangela sobre fazer livro em conjunto. 8- Fala Berenice – com várias intervenções, controlando o Chat. 9- Fala de Cleusa Madureira. 10- Fala de Marina Madureira, do estado de Roraima. 11- Fala do Edilson Celestino Ferreira. 12- Fala da professora Ester Abreu – Ficou sem som, só a imagem. 13- Fala Cel. Augusto Furtado – Notícias de São Luis e Declamação.
Continuando a Pauta da reunião realizada em julho de 2020: 14 – Fala Roberto Vasco – Despacho dos livros pelo Correio – Contribuição para Postagens e Endere-ços. 15- Rogério Marques – falou sobre evento em Passatempo em 15/16 e 17 de outubro. 16- Michel Dal Col fez Print geral com a foto dos participantes. 17- Mo-mento Musical Final – com Adriana Dutra e sua equipe. 18- Fala do Presidente Clerio Borges – Finalizando a reunião. 19- Próxima Reunião: dia 08/08/2020 – Segundo sábado de agosto. 20- PS: Roberto Vasco – Questão de Ordem – Quero deixar a minha observação: Analisando a situação, tivemos uma reunião com a duração de três horas com a participação, no pico, de mais de 100 pessoas. Com esse núme-ro, não há como todos falarem e recitarem poesias. APRESENTO ENTÃO UMA SU-GESTÃO, EM TRÊS ITENS: 1-Reunião Extraordinária, com Pauta previamente defini-da. 2- Sarau com pré-inscrição e tempo limitado e definido previamente. 3-Inscrição prévia uma semana antes, com limite máximo de pessoas e tempo definido, valen-do a ordem de inscrição, do primeiro ao último até o tempo máximo estabelecido. De posse da lista o presidente faz a chamada do inscritos. Vitória, 18/07/2020 – 19:00h. Roberto Vasco – Secretário Geral. robertovasco@hotmail.com.

QUARTA REUNIÃO MENSAL DE DIRETORIA
POR VIDEOCONFERÊNCIA DA ACLAPTCTC DO MÊS DE AGOSTO
2020 – No dia 08 de agosto de 2020, no horário de 16:00 às 19:30h, na plata-forma digital do Google Meet, foi realizada mais uma Reunião Mensal de Diretoria da ACLAPTCTC, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores em tem-pos de distanciamento social e da pandemia do Corona Vírus. Foram registradas as seguintes presenças dos Senhores Acadêmicos: PARTICIPANTES: Presidente Clério José Borges de Santana; Secretário geral Roberto Vasco; Berenice Albuquerque, Cel. Carlos Augusto Furtado, Denise Félix, Edilson Celestino, Irineu Cruzeiro Netto, Ro-sangela Sousa, Dilercy Aragão, Soêmia Pimentel, Maria Delboni. PAUTA: 1-IDENTIFICAÇÃO DA ACADEMIA; 2-LIVRO DOSSIÊ ACADÊMICO; 3-Anuidades; 4-Matéria para o Jornal; 5-Video Acadêmico, 6-Tutorial Meet.
1-IDENTIFICAÇÃO DA ACADEMIA: O Acadêmico Edilson Celestino Ferreira es-clareceu ter recebido observação do Acadêmico Almir Zarfeg de que na frase em latim constante da Bandeira na logomarca estava faltando uma letra e. Na oportuni-dade o Acadêmico democraticamente apresentou uma proposta pela mudança da frase em Latim por uma frase em Português, contrariando uma tradição entre todas as demais Academias de Letras e Artes. O Presidente Clério José Borges colocou o assunto em debate e pela maioria optou-se em não mudar a expressão em Latim. Então o autor da ideia propôs que o assunto voltasse a pauta na próxima reunião de setembro. Contudo posteriormente o Acadêmico Edilson Celestino Ferreira reti-rou a proposta tendo feito a correção do erro da frase em latim identificado na lo-gomarca e na bandeira da ACLAPTCTC.
A título informativo, para os Aspirantes a acadêmicos, Acadêmicos Corres-pondentes e até alguns efetivos veteranos, que ainda não mentalizaram a identifica-ção da nossa academia, ACLAPTCTC, O presidente Clério Borges leu um resumo do cabeçalho registrado em cartório, transcrito abaixo: A ACADEMIA CAPIXABA DE LE-TRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC é uma associação civil, fun-dada no Espírito Santo, em 18 de novembro de 2017, com base na estrutura orga-nizacional do CTC – Clube dos Trovadores Capixabas, fundado a 1º de Julho de 1980. Tem prazo de duração indeterminado, sem finalidade lucrativa, é constituída por Escritores, Poetas e Trovadores e Artistas em geral de notável saber cultural e ilibada idoneidade. Ela tem por finalidade a divulgação da Poesia e da Trova em ge-ral e o aperfeiçoamento das Letras e das Artes no Brasil, funcionando de acordo com o Código Civil e as demais leis aplicáveis assim como com as regras estabele-cidas no seu Estatuto Social e em seu Regimento Interno. Ela segue o traço das congêneres inspiradas no modelo francês. Compõe-se a Academia de 60 (sessenta) Membros Titulares, designados Acadêmicos, brasileiros, seus únicos associados, sujeitos ativos e passivos de sufrágio, e ocupantes de igual número de Cadeiras simbólicas, cada uma com seu patrono. Suas Cadeiras simbólicas são ocupadas perpetuamente, por escritores e artistas, eleitos pela maioria absoluta dos mem-bros do Colégio Acadêmico, em escrutínio secreto e quando ocorre vaga. Os Mem-bros Titulares formam o Colégio Acadêmico, sendo as vagas preenchidas por elei-ção mediante voto secreto e maioria absoluta, considerando o número de cadeiras ocupadas. A Academia pode conceder títulos de Membro Honorário, Benemérito e Correspondente, independentemente de número e nacionalidade.
2- LIVRO DOSSIÊ ACADÊMICO – Foi aprovada a confecção de um novo Livro da ACLAPTCTC, agora um livro com os dados biográficos dos Acadêmicos e seus respectivos Patronos. Será confeccionado de forma análoga ao Livro da ANTOLO-GIA, que foi um sucesso, em papel couche fosco, com dimensões e gramatura também semelhantes ao da ANTOLOGIA, SÓ QUE AGORA COM FOTOS COLORI-DAS. A ACLAPTCTC usará 30 páginas para listar todos Acadêmicos Titulares – Cor-respondentes – Infanto Juvenis e Beneméritos e 70 páginas serão destinadas aos Acadêmicos que pagarão um valor por página, estabelecido em CEM Reais, rece-bendo 5 livros. O Preço Unitário de cada livro sai a 20 reais. O livro será para Aca-dêmicos Titulares Correspondentes Infanto Juvenis e Beneméritos, que poderão usar de 1 a 6 páginas para postarem suas poesias e informações pessoais e fotos coloridas pessoais e de eventos e textos e fotos se desejarem do patrono. Matéria para o livro – Resumo biográfico do autor e do Patrono, ocupando uma página por acadêmico. A data do envio do material será em princípio até 12 de setembro, po-dendo ser prorrogado.
3-ANUIDADES – o Secretário Geral Roberto Vasco Informa que até essa data da reunião, só existem 3 anuidades pagas e lembra que estamos passando da épo-ca de recolher. Outrossim informou que passará os dados bancários para depósito ou transferência, para quem solicitar, mas, alternativamente pode ser efetuado em Casas Lotéricas. O Valor da anuidade é 120 Reais. Alerta que nesse caso, tem que escrever a caneta quem pagou e a que se refere o depósito. Depois de efetuado o pagamento, o boleto deve ser fotografado e mandado preferencialmente por e-mail ou alternativamente pelo WhatsApp.
4- MATÉRIA PARA O JORNAL – O Presidente solicitou que mandem logo para o site do jornal, as poesias e crônicas de cada acadêmico, para o endereço: https://jornalbeijaflor.blogspot.com/?m=1; 5- VIDEOS – O Presidente solicitou que os acadêmicos que ainda não mandaram o vídeo, que providencie logo. Lembrando que são 5 minutos, sendo 2,5 para o Acadêmico e 2,5 para o patrono. 6-EVENTOS EXTERNOS – O congresso de Passatempo-MG, o evento de Brasília-DF e do Rio de Janeiro-RJ, ficam suspensos até março, devido a situação de Pandemia, ainda críti-ca. 7- DATA DA PRÓXIMA REUNIÃO: 12 de setembro as 16h. O endereço será pu-blicado conforme costume, meia hora antes. Roberto Vasco – Secretário Geral. ro-bertovasco@hotmail.com;

ACADEMIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES
VITÓRIA – ESTADO DO ESPÍRITO SANTO – BRASIL
Antigo CLUBE DOS TROVADORES CAPIXABAS, CTC. Registro no Cartório do 1º Ofício da 2ª Zona da Serra, Pessoa Jurídica sob o N.º 17.779, em 11/05/2018 e N.º 7.300, em 25/05/2018. / CNPJ N.º 30.725.599/0001-91 – Rua dos Pombos, 2 – Eurico Salles, Carapina, Serra, ES. CEP: 29160-280. Contatos Presidência: Tel.: 27 3328 0753 / 27 9 92 57 82 53 – cj-anna@bol.com.br; Contatos com a Secretaria Geral: robertovasco@hotmail.com – Tel.: 27 – 9 99 63 04 71.

BANDEIRA DA ACLAPTCTC
A Bandeira da ACLAPTCTC é uma criação do Acadêmico, Edilson Celestino Fer-reira, titular da Cadeira de Nº 8, patrono Pedro Caetano.
Fundamentação: Bandeira do Brasil (Formato) e Espírito Santo (Azul e rosa). Padronização oficial: três panos (1,35 altura X 1,93m largura). Tamanho opcional: dois panos (0,90 altura X 1,28m largura).
DESCRIÇÃO DOS DETALHES: Retângulo (cor azul), cor do céu/do mar. Simbo-liza a criatividade, a confiança, a fé, a lealdade, a verdade, a sabedoria (na Literatu-ra, nas Artes, na Cultura, na história, nas memórias, na poesia e na Trova). Losan-go/círculo: Amarelo Ouro (Predominância). Simboliza a luz, o calor, o sol, verão, otimismo, o raciocínio, a alegria, a prosperidade, a felicidade, etc. O amarelo ouro representa ainda a pureza e a nobreza.
O CÍRCULO MARROM/AMARELADO: O impacto das cores emociona as pesso-as, representa a harmonia do design. O marrom, cor da terra, da madeira, da vida saudável ligada a natureza. Contornos na cor rosa, no retângulo e no losango. A cor rosa, simboliza o amor, o afeto, a emoção, o romantismo nos eventos cultu-rais, principalmente nos Congressos dos Trovadores.

FLOR: Pétalas de uma Flor (diversas cores), beijada por um Beija-flor. O pás-saro beijando a Orquídea é um dos logotipos oficiais da ACLAPTCTC. O Beija-flor simboliza a marca, o valor, a identidade da Academia. Está sempre presente nos símbolos (na Bandeira no Hino e no Brasão), nas vestes talares, nas medalhas, nos troféus, nas comendas, nas placas e documentos.
NOME: Circulando consta Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Tro-vadores. A sigla ACLAPTCTC e as expressões em latim: Litterae, Culturae et Memo-riae.

BRASÃO DA ACLAPTCTC
O Brasão é uma peça confeccionada por elementos previamente definidos, segundo os usos e regras estabelecidas pelas leis da Heráldica, com privilégios e rigores estéticos e históricos dos brasões.
É um desenho especificamente criado, produzido, obedecendo às leis da He-ráldica, para identificar a ACLAPTCTC e idealizado pelo Atelier Heráldico e Genealógi-co Kaká Ramos, da Acadêmica, Rita de Cássia Ramos, titular da Cadeira N.º 18, que tem como Patrono o ex Prefeito da Serra, ES, Escritor e Trovador Naly da Encarna-ção Miranda.
DESCRIÇÃO SUCINTA DO BRASÃO: Armas de Arton e Bordadura que represen-ta proteção, favor e recompensa. Figuras: Corneta Medieval. Instrumento pacífico de sopro, dotado de bocal, usada em prenúncios nobiliárquicos, simbolizando o anúncio dos eventos da Academia.
O banner, utilizado na corneta, é uma ferramenta importante para divulgação e honraria àqueles que são celebrados condignamente pela ACLAPTCTC. O Certifica-do é o documento concedido, que atesta que seu titular participou de eventos, co-mo conferências, congressos, ciclo de estudos, encontros, entre outros. Castelo ou Torre, o Símbolo da generosidade. Denota poder e grandeza. Empenho em defen-der amigos, aliados e órgãos analógicos. O Sol, símbolo próprio de soberanos e daqueles que governam. Também representa grandeza, poder, providência e vigi-lância. Livro/Caderno com uma caneta sobreposta, significando uma associação à leitura e à escrita.
Orquídeas: Plantas de muitíssimas e variadas formas, cores e tamanhos. Beija-Flor (Colibri serrirostris) é o pássaro símbolo dos Trovadores e o Pássaro símbolo do Estado do Espírito Santo, conforme Lei Estadual Ordinária Nº 3.689, de 06.12.1984, de autoria do ex-deputado Antônio Moreira, atendendo a uma proposta aprovada no IV Seminário Nacional da Trova, em Vila Velha. O pássaro Beija-Flor beijando a Orquídea é um dos símbolos da ACLAPTCTC.

ACLAPTCTC – HISTÓRICO – SÍNTESE
TEXTO DE JOÃO ROBERTO VASCO GONÇALVES, SECRETÁRIO GERAL.
Numa abordagem baseada na escola de pensamento do Professor Vicente Falconi Campos, UFMG, fundamentada na CRENÇA – MISSÃO – VISÃO, a ACLAP-TCTC definiu os seguintes critérios:
NOSSA CRENÇA: Ser uma Academia atuante e fiel aos seus propósitos com uma melhor contribuição à sociedade na difusão das Letras, das Artes e da Cultura em geral.
NOSSA MISSÃO: Ajudar o país na difusão cultural, incentivando os acadêmicos a produzirem e publicarem seus trabalhos e ajudando as secretarias municipais e escolas através de palestras, seminários, saraus, congressos e oficinas de criação poética.
NOSSA VISÃO: Ser uma entidade cultural referência em Letras, Artes e todas as manifestações culturais, difundindo as composições literárias em prosa e verso, com foco na TROVA.
FUNDAÇÃO: No dia 1º de julho de 1980, Clério José Borges, com base numa ideia do Escritor Paranaense, radicado no Rio de Janeiro, Dr. Eno Teodoro Wanke fundou o Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, que em 18 de novembro de 2017, elevou-se ao status de ACLAPTCTC – Academia Capixaba de Letras e Artes de Poe-tas Trovadores. Em 1º de Julho de 2020, comemorou-se 40 anos da fundação do CTC e de muita história.
SEMINÁRIOS NACIONAIS DA TROVA
Para comemorar o 1° aniversário do CTC, nos dias 1, 2 e 3 de julho de 1981, foi realizado o 1º Seminário de Estudos da Trova, em Vila Velha, ES.
De 1981 ao ano 2000, vinte Seminários foram realizados, ininterruptamente. Até 1990 os eventos foram realizados na Grande Vitória, (Vila Velha, Vitória, Caria-cica e Serra). Já o Seminário de 1990 foi realizado durante três dias no interior do Palácio do Governo do Estado, em Vitória, graças a deferência especial do Gover-nador, Dr. Max de Freitas Mauro, que havia participado no dia 1º de julho de 1981, do 1º Aniversário do CTC e do 1º Seminário Nacional da Trova, na cidade de Vila Velha, ES.
SEMINÁRIOS NO INTERIOR
Após 1991, foram programados e realizados eventos em cidades do interior do Estado, sempre prestigiados por grande público e autoridades, tanto assim que, em 1995, no XV Seminário Nacional da Trova realizado em Domingos Martins, parti-cipou da Solenidade de encerramento o Governador do Espírito Santo, Dr. Victor Buaiz.
Paralelamente, surge o Neotrovismo como movimento literário brasileiro, com uma onda de eventos (Seminários, Congressos e Encontros), realizados em todo Brasil, com apoio e coordenação do Clube dos Trovadores Capixabas. Eventos nas cidades de Porto Alegre, Olinda, Recife, Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, Marin-gá, no Paraná, Timóteo, Acesita e Formiga, em Minas Gerais e, inclusive, Taguatin-ga, Brasília e, em Porto Velho, Rondônia.
No ano 2000 em Domingos Martins foi realizado o 20º e último Seminário Na-cional da Trova, que no ano de 2001, passou a denominação de Congresso Brasilei-ro de Poetas Trovadores, cuja característica principal é ser realizado quando possí-vel, sem data definida e em local não definido. Nessa oportunidade, esclarecemos que a cidade, em caráter preferencial, escolhida para sediar o Congresso do ano seguinte, é determinada por votação de maioria presencial, em termos de mãos levantadas, depois da defesa de cada uma das cidades que se candidataram, por seus representantes, no último dia do Congresso do ano anterior.
SARAU POÉTICO
Nos saraus poéticos acontecem, geralmente, além de lançamentos de livros, serenata e recitação de poesias. Assim, em 2016 realizamos em Anchieta o Sarau Poético Assunção em homenagem à padroeira da Cidade. No referido sarau foi rea-lizado o concurso “bolinho de arroz”, nas modalidades música e iguaria, com direito à premiação com troféus dos 3 primeiros lugares, o que foi bastante proveitoso e animado, com direito a reedição no XVI Congresso Brasileiro de Trovadores realiza-do em 2019 na mesma cidade. Curiosamente na primeira oportunidade em 2016, o enfoque do Concurso Bolinho de Arroz em Anchieta se polarizou na modalidade iguaria e no evento em 2019, na modalidade música.
Além de eventos em várias cidades do Espírito Santo, a ACLAPTCTC realiza eventos em outros Estados. Em 22 de Setembro de 2018 o Sarau Poético da ACLAPTCTC foi em Belo Horizonte, MG, no Cerimonial & Hostel Inconfidente Minei-ro, próximo à Lagoa da Pampulha. Em 17 de maio de 2019, o Sarau Poético foi no Rio de Janeiro no Auditório da Federação das Academias de Letras e Artes, FALARJ.
QUINTA LITERÁRIA, QUINTA CULT E SÁBADO CULT
Ao longo dos anos, eventos mensais foram organizados em várias cidades capixabas e em Shoppings. Em 1984, o Sarau Poético foi no Mercado da Vila Ru-bim, em Vitória. Em 2011, o CTC, Clube dos Trovadores Capixabas junto com a ALEAS, Academia de Letras e Artes da Serra (Clério, Marcos Arrébola e Levi Basílio) criaram a “Quinta Literária”, no Shopping Laranjeiras, (Serra, ES), com apoio da Livraria “Doce Saber”. A última edição da Quinta Literária foi no dia 24/11/2011. De 27/09/2012 a 28/11/2013, o Sarau recebeu o nome de “Quinta Cult” e foi realizado no Shopping Mestre Álvaro, também na Serra, ES. De 04/03/2017 a 03/03/2018, o Sarau Poético mensal, agora em promoção somente do CTC foi no “Tiffany Center Shopping”, em Vitória, ES, com o nome de “Café com Arte, Sábado Cult”, em par-ceria com a Cafeteria da empresária Karini Pirajá Gomes Nunes.
PALESTRAS CULTURAIS
A convite de escolas, foram realizadas com absoluto sucesso palestras e bate papos com estudantes. Segundo os solicitantes, nossa atuação nas palestras, con-tribuiu substancialmente para alavancar o ensino da poesia e oportunizar o apare-cimento de novos poetas e potencializar o interesse dos que anteriormente de-monstravam essa tendência, por sentirem-se valorizados.
VISITAS TÉCNICAS
A ACLAPTCTC promove ainda Visitas Técnicas em locais históricos. Assim em 22 de outubro de 2015, foram visitadas as fortificações antigas de Vitória e Vila Velha. Em 25 de Junho de 2017, Roberto Vasco, Clério e o Professor Celso Perota partiram em busca do Marco Zero da Serra, ES. Em 07 de maio de 2018, Vasco, Clério Borges e o poeta Nealdo Zaidan, partiram em busca do Marco Zero da cidade de Anchieta, ES. Marco zero é local de origem das cidades. Em 25 de Agosto de 2018, Roberto Vasco, Edilson Celestino e Clerio visitaram a Estátua do Gato, na an-tiga Ilha de Paranapuã, no Rio de Janeiro, de onde vieram os índios de Maracaja-guaçu, Gato Bravo Grande, que fundaram a Aldeia de Nossa Senhora da Conceição, atual Cidade da Serra, no Espírito Santo.
OFICINAS LITERÁRIAS
As Oficinas Literárias de Criação Poética e de Trovas são aulas expositivas, com o auxílio de notebooks, projetores, telas e sistema de som, ensinando Trovas, Sonetos, Haicais e outras composições literárias. São realizadas em Escolas.
CONCURSOS LITERÁRIOS
Escritores e Poetas de todo Brasil e Exterior são convidados, via edital, larga-mente divulgado, a participarem com suas composições em verso ou em prosa, com direito a premiação, com Troféus para os 3 primeiros lugares e diplomas de honra ao mérito até o 10º colocado. Com o intuito de dar oportunidade a todos os participantes, cada um em seu nível, incentivando-os, optamos por subdividir o concurso nos âmbitos Nacionais, Estaduais, Municipais e Escolares. Constatamos que a cada ano que passa a participação é mais crescente.
ANTOLOGIAS E COLETÂNEAS
Cumprindo fielmente um dos propósitos do antigo CTC e depois reafirmados na fundação da ACLAPTCTC, elaboramos e publicamos Antologias, para incentivar os acadêmicos a produzirem seus trabalhos literários. Assim em 1985 foram publi-cadas duas Antologias organizadas pelo CTC: “Trovadores Brasileiros da Atualidade” e “Trovadores dos Seminários”. Dois anos depois, em 1987, o CTC publica a Anto-logia “Trovadores 87”. Em 1989 foi publicada a Antologia “O Trovismo Capixaba”. Em 2014 outra Antologia publicada, denominada “Quinta Cult – Prosa e Verso”. Em 2020, a ACLAPTCTC publica esta Antologia, dos 40 anos de fundação do CTC.
ACADEMIA INFANTO JUVENIL DA ACLAPTCTC
Objetivando a valorização de crianças e adolescentes, criamos uma seção In-fanto juvenil, a Academia de Letras e Artes Infanto Juvenil da ACLAPTCTC, cuja finalidade precípua é descobrir novos talentos no seio da infância e juventude e apoiar aos que sabidamente apresentam preferências por alguma manifestação cultural: Assim em 14/03/2019 foram empossadas, as primeiras integrantes do refe-rido corpo Acadêmico Infanto Juvenil: a cantora Laura Porto e, as Trovadoras mi-rins, Marina Araújo Borges e Christal Fraga Borges.
SUCURSAL ACADÊMICA
Aproveitando a participação ativa e entusiástica de membros correspondentes em outros Estados, concebemos a criação dos Núcleos Acadêmicos da ACLAPTCTC, sendo o primeiro na Cidade do Rio de Janeiro, que desenvolve um trabalho bastan-te significativo, a ponto de carrearem anualmente, para aquela cidade um encontro de confraternização com Sarau Poético e Jantar de fim de ano, como aconteceu em 2019, em badalado Restaurante situado na Praia de Copacabana. O Núcleo Carioca da ACLAPTCTC tomou posse no dia 17 de maio de 2019, no Auditório da Federação das Academias de Letras e Artes do Rio de Janeiro (FALARJ). O Núcleo é subordina-do à Diretoria Capixaba e viabilizou a realização de vários eventos em 2019 e 2020. A primeira Diretoria ficou assim composta: Presidente Profa. Renata Barcellos. Vice: Dalva Frahlich. Secretária: Lúcia Mattos. O mandato é de quatro anos. A ACLAP-TCTC possui ainda correspondentes em vários Estados brasileiros, bem como no Exterior. Em abril de 2020 a ACLAPTCTC possuía em seus quadros, Acadêmicos Cor-respondentes nos Estados Unidos da América e, em Portugal.
CARTAS DE INTENÇÕES E FEIRA DE LIVROS
São documentos elaborados no último dia de cada Congresso, onde estão ex-pressos os anseios culturais e as solicitações de apoio público em termos de leis e projetos de incentivo à cultura.
As Feiras Literárias tem sido um importante item no incentivo aos acadêmicos a produzirem e divulgarem seus trabalhos. Nesse contexto, a ACLAPTCTC, tem par-ticipado com um espaço previamente definido, nas mais diversas feiras que tem ocorrido no Espírito Santo, (Vitória, Iúna, Cachoeiro de Itapemirim) e, no Brasil.
TROVISMO: 70 ANOS – NEOTROVISMO: 40 ANOS
A Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores, adotou essa designação no dia 18 de novembro de 2017. Antes chamava-se CTC, Clube dos Trovadores Capixabas, fundado em 1º de julho de 1980 e, que nestes 40 anos vem capitaneando a ESCOLA DO NEOTROVISMO, importante movimento literário de va-lorização e divulgação da TROVA.
O Trovismo ou Movimento Trovadoresco surge em torno da Trova no Brasil, em 1950, com Gilson de Castro (Luiz Otávio). Em 1980 ocorre uma renovação no movimento, por causa da criação do CTC, no Estado do Espírito Santo. É o Neotro-vismo. Trova é Poesia. Possui quatro versos (quatro linhas) com sete sílabas poé-ticas cada, com rima e sentido completo. A Trova é UM BEM CULTURAL NACIONAL DE NATUREZA IMATERIAL. É um bem imaterial de Cultura.

DEFINIÇÕES E ORIGEM DA TROVA
Do Livro “Origem Capixaba da Trova”, de Clério José Borges.
DEFINIÇÃO: Trovador é uma palavra derivada do latim, acusativo singular de “trobaire” (poeta), do verbo trobar (inventar, achar).
Todo trovador é um poeta, mas nem todo poeta é trovador. Nem todos poe-tas sabem metrificar, ou seja, sabem fazer o verso medido.
TROVADORISMO – Foi um movimento poético propulsor de todo o lirismo medieval. Seu grande impulsor foi o duque de Aquitânia e conde de Poitier, Guilher-me de Aquitânia, (1071-1127) que gostava de compor cantigas e poemas, até en-tão reservado apenas aos jograis e menestréis.
Portanto, o aparecimento da Trova está intimamente ligado à poesia da Idade Média, onde a trova era sinônimo de poema e letra de música. A cultura trovado-resca refletia bem o panorama histórico desse período da Idade Média: as Cruza-das, a luta contra os mouros, o feudalismo, o poder espiritual do clero.
Na literatura, desenvolveu-se, no sul da França e em Portugal, um movimento poético chamado Trovadorismo. Os poemas produzidos nessa época eram feitos para serem cantados por poetas e músicos, e foram os primeiros a serem sistema-ticamente publicados.
Hoje, entretanto, a trova possui a sua conceituação própria, diferenciando-se da quadra e da poesia de Cordel, da Trova Gauchesca, do Repente, bem como do poema musicado da Idade Média. Trova hoje é obra de Arte, Literatura, quando obedecida a conceituação: poema com quatro versos de sete sílabas poéticas cada, com rima e sentido completo.
TROVISMO – Um movimento cultural em torno da trova surgiu no Brasil a par-tir de 1950 e chamou-se Trovismo. A palavra foi criada pelo poeta e político faleci-do J. G. de Araújo Jorge e pelo escritor e historiador, Eno Theodoro Wanke. Em 1960, foram realizados os Primeiros Jogos Florais, com sucesso, e a fundação ofici-al da União Brasileira de Trovadores pelo Dentista Gilson de Castro, que usava o pseudônimo de Luiz Otávio e faleceu em 31 de janeiro de 1977. No ano seguinte, o escritor Eno Teodoro Wanke publica o livro “O Trovismo”, onde conta a história da Trova no Brasil, de 1950 a 1978.
NEOTROVISMO: Em 1º de Julho de 1980, ao criar o Clube dos Trovadores Capixabas, em Vila Velha, ES, o Escrivão da Polícia Civil e Poeta, Clério José Borges fez despontar o Neotrovismo, que é a renovação do movimento em torno da Trova no Brasil. De 1980 a 2020 foram realizados em várias cidades do Espírito Santo os Seminários Nacionais da Trova e os Congressos Brasileiros de Poetas Trovadores. Nestes 40 anos, Clério foi convidado e proferiu palestras em várias cidades do Bra-sil, como no ano de 1990, no Congresso de Poesia em Nova Prata, Rio Grande do Sul e, em 26/07/86, no Congresso de Literatura Portuguesa na Faculdade SUAM, no Rio, onde ganhou cachê e hospedagem gratuita. No dia 18/08/1987, Clério concede entrevista em Rede Nacional, no programa “Sem Censura” da TV Educativa do Rio de Janeiro. O exemplo do CTC, com suas palestras e Seminários espalhou-se por todo o Brasil, surgindo Convenções, Simpósios, Congressos e Encontros de Rondô-nia e Corumbá até Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e outras cidades. É o Neotrovismo com vida.

RELAÇÃO OFICIAL DOS ACADÊMICOS DA ACLAPTCTC
ATUALIZADA EM 25 DE JANEIRO DE 2020
ACADÊMICOS FUNDADORES EFETIVOS TITULARES
Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACADE-MIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC, REALI-ZADA NO DIA 18 DE NOVEMBRO DE 2017.
Cadeira Número 1, Clerio José Borges de Sant Anna – Patrono: Eno Theodoro Wanke.
Cadeira Número 2, Kátia Maria Bobbio Lima – Patrono: Hermógenes Lima Fon-seca.
Cadeira Número 3, Roberto Vasco, João Roberto Vasco Gonçalves – Patrono: São Francisco de Assis.
Cadeira Número 4, Professor Beto Gonçalves, Felisberto José Vasco Gonçal-ves. Patrono: Nilo Aparecida Pinto.
Cadeira Número 5, Margareth Gonçalves Pederzini – Patrono: Trovadora, Co-lombina.
Cadeira Número 6, Maria Cândida Vasco Gonçalves – Patrono: São José de An-chieta.
Cadeira Número 7, Soêmia Pimentel Cypreste – Patrono: Arlette Cypreste de Cypreste.
Cadeira Número 8, Edilson Celestino Ferreira. Patrono: Pedro Caetano.
Cadeira Número 9, Maria Elisabeth Vargas Peixoto, Beth Vargas – Patrono: Newton Braga.
Cadeira Número 10, Sandra Regina Bezerra Gomes – Patrono: Eymard Cardoso de Barros.
Cadeira Número 11, Ângela Lino Veríssimo – Patrono: Adelmar Tavares, Rei dos Trovadores.
Cadeira Número 12, Aldo José Barroca – Patrono: Elmo Elton, Rei dos Trova-dores Capixabas.
Cadeira Número 13, Maria Dolores Pimentel de Rezende – Patrono: Athayr Ca-gnin.
Cadeira Número 14, Maria José Vetorazzi – Patrono: Mário Morcerf Campos.
Cadeira Número 15, Francisco Rangel Gonçalves de Oliveira – Patrono: Patativa do Assaré.
Cadeira Número 16, Maria das Graças Silva Neves, Gracinha Neves – Patrono: Anette de Castro Mattos.
Cadeira Número 17, Jacimar Berti Boti – Patrono: Ábner de Freitas Coutinho.
Cadeira Número 18, 01 – Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros – Patrono: Naly da Encarnação Miranda. Paulo Negreiros faleceu em 19/11/2019.
Cadeira Número 18, 02 – Ocupante atual, Rita de Cássia Ramos da Silva, a Ka-ká Ramos.
Cadeira Número 19, Lucineia Ferreira Paz de Negreiros – Patrono: Brandina Ro-cha Lima.
Cadeira Número 20, Maria Viola Bona – Patrono: Dr. Mário Ribeiro.
Cadeira Número 21, 01, Vera Maria da Penha – Patrono: Anselmo Gonçalves. Vera faleceu em 07/11/2018.
Cadeira Número 21, 02, Ocupante atual Cleusa Lourdes Madureira Vidal.
Cadeira Número 22, Givaldo Inácio da Silva, Mestre Gil – Patrono: Alberto Isaí-as Ramirez.
Cadeira Número 23, Nealdo Zaidan – Patrona: Argentina Lopes Tristão.
Cadeira Número 24, Magnólia Pedrina Sylvestre – Patrono: Argemiro Seixas Santos.
Cadeira Número 25, Gracimeri Vieira Soeiro de Castro Gaviorno – Patrono: Ma-ria Beatriz de Figueiredo Abaurre.
Cadeira Número 26, Fabiani Rodrigues Taylor Costa – Patrono: Solimar de Oli-veira.
Cadeira Número 27, Jonas Pereira Gregório – Patrono: Antônio Coelho Sam-paio.
Cadeira Número 28, Albércio Nunes Vieira Machado – Patrono: Albércio Vieira Machado.
Cadeira Número 29, Luzia Ester Doná – Patrono: Ailsa Alves Santos.
Cadeira Número 30, Zenaide Emília Thomes Borges – Patrono: Narceu de Paiva Filho.
Cadeira Número 31, Isabella Marinuzzi – Patrono: Prof. Francisco Filipak.
Cadeira Número 32, Adriana Dutra Amaral – Patrono: José Rocha Ramos.
Cadeira Número 33, Valdemir Ribeiro Azeredo – Patrono: Dr. Geraldo Nasci-mento, Trovador conhecido também com o GERNAS.
Cadeira Número 34, Clérigthom Thomes Borges – Patrono: Guilherme Santos Neves.
Cadeira Número 35, Teodorico Boa Morte – Patrono: Renato Jose da Costa Pacheco.
Cadeira Número 36, Nadilson Correa – Patrono: Afonso Cláudio.
Cadeira Número 37, José Humberto Pereira da Silva, Mágico Mandrakion, Pa-trono: Maria Stella de Novaes.
Cadeira Número 38, Ananias Novais – Patrono: Elviro de Freitas.
Cadeira Número 39, Andréia da Silva Fraga – Patrono: Nordestino Filho.
Cadeira Número 40, Lino Armando Baroni – Patrono: Professor Konsciusko Barbosa Leão.
Cadeira Número 41, Wallace Bertoli Moreira – Patrono: Josefa Teles de Olivei-ra.
Cadeira Número 42, Lenaldo Ferreira da Silva (Aldo Veranatto). Patrono: Paulo Freitas.
Cadeira Número 43, Berenice de Albuquerque Tavares – Patrono: Valdeci Ca-melo.
Cadeira Número 44, José Rodrigues Pereira, Professor Pereira – Patrono Isabel Taquetti.
Cadeira Número 45, Geraldo Fernandes – Patrono: Alvimar Silva.
Cadeira Número 46, Cinthia Pretti Azevedo. Patrono: Obed Emmerich.
Cadeira Número 47, Líbero Penello de Carvalho Filho – Patrono Augusto dos Anjos.
Cadeira Número 48, Maria do Rosário Silva Santos – Patrono Edgard Luiz Gis-monti.
Cadeira Número 49, Emílio Soares da Costa – Patrono, Christiano Ferreira Fra-ga.
Cadeira Número 50, Jorge Luiz de Miranda – Patrono, Benjamim Silva.
A Cerimônia do Juramento Acadêmico e Diplomação com a entrega da Peleri-ne Amarela dos 50 Acadêmicos Fundadores Eletivos Titulares ocorreu em Sessão Solene da ACLAPTCTC realizada no Auditório Hermógenes Lima Fonseca da Assem-bleia Legislativa Estadual, no dia 26 de abril de 2018.

REGISTROS HISTÓRICOS: A Acadêmica Vera Maria da Penha, Titular da Cadei-ra Número 21, que tem como Patrono Anselmo Gonçalves faleceu no dia 07 de ou-tubro de 2018, sendo sepultada no dia seguinte, dia 08. A Cadeira foi declarada va-ga na Assembleia Geral Ordinária do dia 19 de janeiro de 2019. Para a vaga foi eleita a Escritora Cleusa Lourdes Madureira Vidal.
A Sessão Solene da Saudade foi realizada dia 14 de março de 2019, em Sole-nidade realizada em Campo Grande, na Cidade de Cariacica, no Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo Da Civitella Del Tronto. A posse da Escritora Cleusa ocorreu na mesma data.
Cadeira Número 21, Patrono: Anselmo Gonçalves.
1º Ocupante: Vera Maria da Penha.
2º Ocupante (atual): Cleusa Lourdes Madureira Vidal.
O Acadêmico Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros, titular da Cadeira Nº 18, Patrono Dr. Naly Miranda faleceu no dia 19/11/2019, sendo sepultado no dia seguinte. A Cadeira foi declarada vaga na Assembleia Geral Ordinária de 25/01/2020. Na mesma data, foi eleita para a vaga, a Heraldista, Rita de Cássia Ramos da Silva, Kaká Ramos que era correspondente.
Cadeira Número 18, Patrono: Dr. Naly da Encarnação Miranda.
1º Ocupante: Paulo Roberto Ribeiro Walter de Negreiros.
2º Ocupante: Ocupante atual – Rita de Cássia Ramos da Silva, também conhe-cida nos meios literários como Kaká Ramos.

ACADÊMICOS FUNDADORES CORRESPONDENTES
Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACADE-MIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC, reali-zada no dia 18 de novembro de 2017. A Cerimônia do Juramento Acadêmico e Di-plomação com a entrega da Pelerine Amarela dos Acadêmicos Fundadores Corres-pondentes ocorreu em Sessão Solene da ACLAPTCTC realizada na Assembleia Legis-lativa Estadual, no dia 26 de abril de 2018.
Cadeira Número 1, Carlos Augusto Souto de Alencar, Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Professor Walter Siqueira;
Cadeira Número 2. 01 – Agostinho Rodrigues, da Cidade de Campos dos Goytacazes, RJ – Patrono: Trovador Antônio Roberto Fernandes. Agostinho faleceu em 20 setembro de 2018;
Cadeira Número 2. 02 – Ocupante atual: Eliana de Almeida Siqueira da Silva. Eliana teve o nome aprovado como Acadêmica Correspondente na Assembleia Ge-ral Ordinária da ACLAPTCTC realizada em 25 de janeiro de 2020.
Cadeira Número 3. Neiva de Souza Fernandes, da Cidade de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro – Patrono: José Viana Gonçalves;
Cadeira Número 4. Dilercy Aragão Adler, da Cidade de São Luiz no Estado do Maranhão – Patrono: Carlos Cunha;
Cadeira Número 5, Elizabeth Iacomini, de Ponte Nova, no Estado de Minas Ge-rais – Patrono: Trovador Paulo Emílio Pinto;
Cadeira Número 6, Eloísa Maria Ávilla de Carvalho, do Estado de São Paulo – Patrono: Cecília Meireles;
Cadeira Número 7, Joel Francisco Souza Batista, da Cidade de Santarém, no Estado do Pará – Patrono: Rodolfo Coelho Cavalcante;
Cadeira Número 8, Margarida Drumond de Assis, de Taguatinga, Distrito Fede-ral – Patrono: Raimundo Araújo;
Cadeira Número 9, Cleia Dröse, de São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul – Patrono: Trovadora Wilma de Mello Cavalheiro, de Pelotas, RS;
Cadeira Número 10, Odenir Follador, da Cidade de Ponta Grossa, no Estado do Paraná. Patrono: Sonia Maria Ditzel Martelo;
Cadeira Número 11, Wilson de Oliveira Jasa, da Cidade de São Paulo. Patro-no: Walter Rossi;
Cadeira Número 12, Denise de Andrade Felix, da Cidade de Itabira, Minas Ge-rais. Patrono: Rodolpho Abud;
Cadeira Número 13, Ana Paula Quintanilha Bastos de Jesus, de Taboão da Ser-ra, São Paulo. Patrono: Solano Trindade;
Cadeira Número 14, Athylla Borborema Cardoso, da Cidade de Teixeira de Frei-tas, Bahia – Patrono: Ciro Vieira da Cunha;
Cadeira Número 15, Lúcia Maria Matos de Oliveira, do bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro – Patrono Paulo Athayde de Freitas;
Cadeira Número 16, Maria Helena Campos Pereira, da Cidade de Itabirinha, Minas Gerais – Patrono Rubem Alves;
Cadeira Número 17, Adircilene Lerilda Batista e Silva, da Cidade de Lagoa da Prata, MG – Patrono: Belchior Joaquim da Silva Neto;
Cadeira Número 18, Dalva Martins Frahlich, de São Gonçalo, Rio de Janeiro – Patrono: Professor Ailton Pereira de Almeida;
Cadeira Número 19, Almir Zarfeg, (Gilmar Ferraz da Silva), da Cidade de Teixei-ra de Freitas, Bahia. Patrono: Manezim do Gavião;
Cadeira Número 20, Elias Botelho, da Cidade de Itamaraju, Bahia. Patrono: Jorge Amado;
Cadeira Número 21, Carlos Alberto Mensitieri Almeida, da Cidade de Teixeira de Fretas, Bahia. Patrono: Dércio Marques;
Cadeira Número 22, Neusa Rocha Miguel Mendonça, Artista Plástica da Cidade de Marília, Estado de São Paulo, Patrono: Carlos Drummond de Andrade;
Cadeira Número 23, Odenir Ferro, da Cidade de Rio Claro, São Paulo, Patrono Olavo Bilac;
Cadeira Número 24, Eurico Eugênio Travaglia, da Cidade de Castelo, ES. Patro-no: Padre Pachoal Selliti Rangel;
Cadeira Número 25, Romero Cesar de Almeida Siqueira – Patrono: Luiz Fernan-do Tatagiba;
Cadeira Número 26, Else Dorotéa Lopes, da cidade de Nova Lima, Minas Ge-rais. Patrono: Cássio Magnani;
Cadeira Número 27, Gisele Ellen, de Teixeira de Freitas, Bahia. Patrono: Miguel Geraldo Farias Pires, o “Bidu”;
Cadeira Número 28, Zilton Chagas, de Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro. Pa-trono: Nelson da Lenita Fachinelli;
Cadeira Número 29, Tadeu Tomaz da Silva. Patrono, Luís Vaz de Camões;
Cadeira Número 30, Maria Goreth Cantanhede Pereira, de São Luís do Mara-nhão. Patrono: Trovador Orlando Brito;

ACADÊMICOS CORRESPONDENTES
Acadêmicos aprovados em 2019, tendo tomado posse, em Solenidade reali-zada no dia 04 de outubro de 2018, na Assembleia Legislativa do Espírito Santo:
Cadeira Número 31, Angelina Jucá Monteiro de Barros, Serra, ES. Patrono: Re-nato Russo;
Cadeira Número 32, Madalena Alves Cordeiro da Rocha, Cariacica, ES. Patrona: Trovadora Maria Thereza Cavalheiro;
Cadeira Número 33, Meri Nadia Marques Gerlin, de Vitória, ES. Patrono: Ma-chado de Assis;
Cadeira Número 34, Edna Rocha, Serra, ES. Patrono: Trovador Roberto Fran-cisco Monteiro;
Cadeira Número 35, Eusane Saar dos Santos, de Barra de São Francisco, ES. Patrona: cantora Ângela Maria;
Cadeira Número 36, 01, 1º Ocupante: Rita de Cássia Ramos da Silva, a Kaká Ramos. Foi elevada a Categoria de Titular Efetiva.
Cadeira Número 36, 02 – Ocupante atual: Gilson Gomes Filho. Patrono Castro Alves;
Cadeira Número 37, Marina Madureira, de Roraima, Norte do Brasil. Patrono Dorval de Magalhães;
Cadeira Número 38, Edilene Vasconcellos Rayan Doelfel, da Flórida, Estados Unidos da América. Patrono: Edgar Allan Poe;
Cadeira Número 39, Valéria Victorino Valle, de Anápolis, Goiás. Patrona, Lau-rentina Murici de Medeiros;
Cadeira Número 40, Fredd Mesquita Frahlich, de São Gonçalo, Rio de Janeiro. Patrono: Trovador Symaco da Costa;
Cadeira Número 41, José Rodrigues de Arruda, de Serrinha, Rio Grande do Norte. Patrono o Trovador Adolfo Macedo;
Cadeira Número 42, Val Bernardino, (Valdineia Bernardino), de Barra de São Francisco, ES. Patrona: Cora Coralina;
Cadeira Número 43, Professora Renata da Silva de Barcellos, Rio de Janeiro. Patrona Cantora Beth Carvalho;
Cadeira Nº 44, Patrícia Brito, Teixeira de Freitas, BA. Patrono: Altamirando Ro-drigues da Silva, o Miranda;
Cadeira N.º 45, Erivan Santana (Região de Teixeira de Freitas, BA). Patrono: José Carlos Santos dos Reis, o Begão;
Cadeira N.º 46: Armando Azevedo (Região de Teixeira de Freitas, BA). Patro-no: Frans Krajcberg;
Cadeira N.º 47: Ercelle D’ Alessandro Costa, Cidade de Luz, Minas Gerais. Pa-trono Olavo Bilac. (Nome do Patrono repetido por escolha pessoal da Acadêmica Ercelle).

REGISTROS HISTÓRICOS: A Acadêmica Marina Madureira, do Estado de Ro-raima, quando de sua visita em Vitória, ES, em 16/06/2019 tomou posse na As-sembleia Legislativa do ES, no Gabinete do Diretor da Assembleia, Dr. Joel Rangel, recebendo o Diploma, a Medalha e a Pelerine Amarela da ACLAPTCTC.
A Acadêmica Val Bernardino, (Valdineia Bernardino), de Barra de São Francis-co, ES, tomou posse na ACLAPTCTC, no dia 14/11/2018, quando de sua participa-ção no XV Congresso de Poetas Trovadores realizado de 14 a 17 de novembro de 2018, na cidade de Santa Teresa, ES.
A Professora Renata da Silva de Barcellos, residente no Rio de Janeiro tomou posse como Acadêmica da ACLAPTCTC em solenidade realizada no dia 17 de maio de 2019, no Auditório da Federação das Academias de Letras e Artes do Rio de Ja-neiro (FALARJ).
Os Acadêmicos Patrícia Brito, de Teixeira de Freitas, BA; Erivan Santana (Regi-ão de Teixeira de Freitas, BA) e Armando Azevedo (Região de Teixeira de Freitas, BA) tomaram posse como Acadêmicos Correspondentes da ACLAPTCTC, no Auditó-rio da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia, no dia 15 de agos-to de 2019, durante sessão solene da Academia Teixeirense de Letras.
A Acadêmica Ercelle D’ Alessandro Costa, da Cidade de Luz, no Estado de Mi-nas Gerais tomou posse como Acadêmica Correspondente da ACLAPTCTC no dia 04 de julho de 2019, na Solenidade de abertura do XVI Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores na Cidade de Anchieta, sul do Espírito Santo.

ACADÊMICOS CORRESPONDENTES
Novos nomes foram aprovados pela Diretoria da ACLAPTCTC durante o ano de 2019. Os pretendentes tomaram posse como Acadêmicos, em Solenidade reali-zada no dia 04 de outubro de 2019, no Auditório Hermógenes Lima Fonseca da As-sembleia Legislativa do Espírito Santo:
Cadeira N.º 48: Karina Schmidt Furieri, São Mateus, ES. Patrono: Professor Narceu Paiva Filho;
Cadeira N.º 49, Maria Mazza, Rio de Janeiro. Patrono: José Mauro de Vascon-celos;
Cadeira N.º 50, Conceição Cordeiro dos Santos, de Piúma, ES, Patrono: Apre-sentador de TV, Marcelo Resende;
Cadeira N.º 51, Nancilia Pereira da Silva, do Rio de Janeiro, Patrono Poeta Cas-tro Alves;
Cadeira N.º 52, Michele Fonseca Nasr, de Cachoeiro de Itapemirim, ES. Patro-no Newton Braga.
Cadeira N.º 53, Maria Helena Guedes, Patrono, Carlos Drummond de Andrade.
Cadeira N.º 54, Alberto Rosa Fioravanti. Patrono: Fernando Pessoa;
Cadeira N.º 55, Rita de Cássia dos Santos Menezes. Patrono: Luiz Vaz de Ca-mões.

ACADÊMICOS CORRESPONDENTES.
Novos nomes foram aprovados pela Diretoria da ACLAPTCTC na Assembleia Geral do dia 25 de janeiro de 2020:
Cadeira Número 56, Professora Alessandra Nacif Sousa, de Serra, ES. Patrono o Acadêmico Paulo Negreiros.
Cadeira Número 57, António Luís Alves, de Portugal. Patrona: Florbela da Con-ceição Espanca.
REGISTRO: Declarada Vaga a Cadeira de Acadêmico Correspondente de Núme-ro 36, Patrono Castro Alves, que era ocupada pela Acadêmica Rita de Cássia, a Ka-ká Ramos que passou para Acadêmica Titular Efetiva, na Assembleia Geral de 25/01/2020, foi aprovado o nome de Gilson Gomes Filho, como Acadêmico Corres-pondente da ACLAPTCTC.
Cadeira Número 36, Gilson Gomes Filho, da Cidade de Laranja da Terra, ES. Patrono: Castro Alves.
Em virtude do Falecimento do Acadêmico Agostinho Rodrigues ocorrido em 20 setembro de 2018 foi aprovado em 25/01/2020, como segundo Ocupante da Cadei-ra de Acadêmica Correspondente N.º 2: Eliana de Almeida Siqueira da Silva. Patrono Trovador Antônio Roberto Fernandes.

Na mesma Assembleia Geral da ACLAPTCTC de 25/01/2020 foram aprovados os seguintes nomes:
Cadeira Número 58, Marinalha de Jesus Chamone, de Vila Velha. Patrona: Es-critora Adélia Prado.
Cadeira Número 59, Beatricee Karla Lopes, de São Mateus, ES. Patrona a Edu-cadora e Poetisa de São Mateus, Elza Cunha.
Cadeira Número 60, Mariângela Souza Siqueira, de Jacaraípe, ES. Patrono Jor-nalista de Campos, RJ, Walter Siqueira, poeta de Campos dos Goytacazes.

ACADÊMICOS TITULARES INFANTO JUVENIS DA ACLAPTCTC
Os nomes foram aprovados em Assembleia Geral Ordinária da ACLAPTCTC, realizada no dia 19 de Janeiro de 2019, tendo tomado posse, em Solenidade reali-zada no dia 14 de março de 2019, em Campo Grande, Cariacica, no Centro Cultural Frei Ubaldo Favagallo Da Civitella Del Tronto.
1 – Acadêmica Christal Fraga Borges detentora da Cadeira Número 01, tendo como Patrona a Poeta Cora Coralina;
2 – Acadêmica Marina Araújo Borges, detentora da Cadeira Número 02, tendo como Patrono o Poeta Monteiro Lobato.
3 – Acadêmica Laura Olinda Pereira da Silva Porto, Laura Porto, detentora da Cadeira Número 03, Patrono o Poeta Tiago Pereira Oliveira.

NOVOS ACADÊMICOS INFANTO JUVENIS:
Nomes aprovados pela Diretoria da ACLAPTCTC na Assembleia Geral do dia 25/01/2020:
4 – Acadêmico Matheus Gonçalves Batista, titular da Cadeira Número 4, que tem como Patrono o Escritor Visconde de Taunay.
5 – Acadêmico Adhemar Cauã Ramos Felicidade, titular da Cadeira Número 5, que tem como Patrono, o Cantor, Michael Joseph Jackson.
6 – Acadêmico Estevão Medeiros Gomes, titular da Cadeira Número 6, que tem como Patrono Frédéric François Chopin.

ACADÊMICOS HONORÁRIOS BENEMÉRITOS
Nomes aprovados na Assembleia Geral de Instituição (Fundação) da ACADE-MIA CAPIXABA DE LETRAS E ARTES DE POETAS TROVADORES, ACLAPTCTC, reali-zada no dia 18 de novembro de 2017. A Cerimônia de Diplomação ocorreu em Ses-são Solene da ACLAPTCTC realizada na Assembleia Legislativa Estadual, no dia 04 de outubro 2018.

ACADÊMICOS HONORÁRIOS BENEMÉRITOS:
Cadeira Número 01 – Dr. Matusalém Dias de Moura; Cadeira Número 02 – Pro-fessora Valsema Rodrigues da Costa; Cadeira Número 03 – Dr. Carlos Dorsch; Cadei-ra Número 04 – Dr. Joel Rangel; Cadeira Número 05 – Poeta Luiz Sérgio Quarto; Ca-deira Número 06 – Dr. José Salotto Sobrinho; Cadeira Número 07 – Barbara Perez; Serra – ES, 25 de janeiro de 2020.

Izabelle Valadares e Clério José Borges
Izabelle Valadares e Clério José Borges
Clério José Borges - Homenagem na Quinta Cul
Clério José Borges – Homenagem na Quinta Cult
Clério José Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *