A polenta é uma receita popular em Venda Nova do Imigrante, ES.

POLENTA: FESTA EM VENDA NOVA DO IMIGRANTE – ES. Receita e Origem da Polenta.

Culinária Cultura Espírito Santo
A polenta é uma receita popular É um prato consumido por todo o Brasil. Sua origem remonta o século XIX, quando os imigrantes italianos chegaram ao Brasil. A polenta feita no sul é considerada uma das mais autênticas polentas italianas.

polenta é uma receita popular da região de Venda Nova do Imigrante e outras cidades de origem Italianas do estado do Espírito Santo. Mas é um prato consumido por todo o Brasil. Sua origem remonta o século XIX, quando os imigrantes italianos chegaram ao Brasil. A polenta feita em Venda Nova no Espírito santo é considerada uma das mais autênticas polentas italianas.

Essa receita é muito consumida no norte da Itália e também em outros países europeus tais como Croácia, Eslovênia, Portugal, Áustria e Bósnia. Os italianos trouxeram uma série de hábitos para o país que contribuiu para a fama da polenta e também de outras tradições.

Com os italianos, surgiu um creme de milho produzido com a farinha de milho, ideal para a produção de várias receitas com polenta. Assim, durante muito tempo foi um dos principais alimentos das familias descendentes de italianos, que procuravam fazê-la frita, dura, mole, grelhada, recheada, etc.

Num primeiro momento, essa comida típica foi uma das principais fontes de alimentação para os imigrantes que trabalhavam na lavoura. Quando as famílias migraram para outros estados, a culinária, que era tradicional, começou a perder um pouco de suas características, e muitos começaram a consumir arroz e feijão. Mais tarde, houve a necessidade de retornar aos valores da família, principalmente na culinária. Atualmente, é uma receita utilizada em restaurantes requintados para fazer combinações com molhos e variados pratos principais.

História da Polenta

A receita de polenta é muito mais antiga do que se parece. Há indícios que já na antiguidade, os gregos faziam um prato parecido usando caldo de legumes ou de carne acrescidos de grãos de trigo sacarreno e favas. O prato tornou-se popular também em Roma.

Já a polenta italiana, que surgiu no Brasil, tem como principal ingrediente o milho. Esse cereal surgiu na América Central e era a base alimentar dos povos da época, como os incas, maias e astecas. A maioria dos pratos eram preparados com o cereal, além de assumirem também, um significado religioso: servir de oferenda aos deuses.

FESTA DA POLENTA
Venda Nova do Imigrante – Espírito Santo – Brasil

Venda Nova do Imigrante ES Local da Festa da Polenta
Venda Nova do Imigrante ES Local da Festa da Polenta

A Festa da Polenta surgiu por iniciativa do Padre Cleto Caliman, em 1978, quando foi convidado para ir a uma Festa da Polenta em Sagrada Família, no município de Alfredo Chaves.

Ele achou a idéia ótima e resolveu criar a festa em Venda Nova, onde o prato principal era a polenta.

A primeira Festa da Polenta de Venda Nova aconteceu no Colégio Salesiano em 1979, precedida de uma missa na Igreja Matriz.

A FESTA DA POLENTA é a celebração da cultura italiana e esta festa só se realiza por causa dos 600 voluntários, divididos em 15 equipes, que se dedicam a atender bem o público.

O município de VENDA NOVA DO IMIGRANTE foi criado pela Lei 4.069 de 06 de maio de 1988. Ocupa uma área de 188,9 km2. Está na região central serrana do Estado do Espírito Santo, distante 104 km da Capital do Estado, Vitória. Aprenda aqui a fazer uma gostosa POLENTA.

POLENTÃO DA FESTA DA POELNTA DE 2018 EM VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES
POLENTÃO DA FESTA DA POELNTA DE 2018 EM VENDA NOVA DO IMIGRANTE – ES

Atrações

1-Casa da Nonna, que é uma réplica reduzida, com cozinha, sala e quarto; localizada no lado direito da entrada do Centro de Eventos;

2-Dei Bambini que distribuem flores, informativos e folhetes do evento e de Venda Nova. Os bambinos figuram entre as atrações que mais encantam e emocionam o público;

3-Paiol do Nonno, que possui uma engenhoca que mostra com perfeição o processo que transforma os grãos de milho em fubá;

4-Tombo da Polenta, atração principal na qual um panelão gigante entorna mais de uma tonelada de polenta, tornado-se a grande atração da Festa;

5-Vila Cenográfica, réplica de uma vila italiana, em forma de painéis cenográficos; deu à praça de alimentação um ambiente aconchegante; de encher os olhos de turistas e moradores; além buscar a identidade cultural italiana.

FESTA DA POLENTA EM 2018

(SITE DA SETUR-ES)

Tradições italianas, gastronomia e música vão tomar conta de Venda Nova do Imigrante nos próximos dias. Isso porque começa nesta sexta-feira (12), e segue até o dia 21 de outubro, a 40ª Festa da Polenta que, como todos os anos, promete movimentar a cidade. O evento acontece no Centro de Eventos Padre Cleto Caliman, o ‘Polentão’.

O primeiro dia de festa começa cheio de charme e beleza, com a eleição da 28ª Rainha da Festa da Polenta, que é seguida de show musical que embala a sexta-feira (12). Já no sábado (13), às 10h, acontece o desfile tradicional das famílias de Venda Nova do Imigrante; às 15h, o tradicional tombo da polenta. O dia também será repleto de shows, com destaque para a tração nacional Luan Santana, que se apresenta no Polentão à meia-noite.

No domingo (14) a programação tem início às 9 horas, com missa na Igreja Matriz. Em seguida, almoço típico, apresentação de coral, grupos de dança, tombo da polenta e shows também animam o dia. A Festa da Polenta dá uma pausa de três dias e recomeça na quinta-feira (18) com shows e tombo da polenta. Na sexta-feira (19), o evento continua com apresentações musicais.

Também com a programação cheia de atrações culturais, gastronômicas e musicais, o sábado (20) tem como destaques o momento do tombo da polenta, às 15h, e o show nacional de Gustavo, à meia-noite, no Polentão. O último dia de festa, domingo (21), fecha o evento com apresentações de danças típicas, tombo da polenta e shows.

Venda Nova do Imigrante fica a 115 km de Vitória e o melhor acesso é pela rodovia BR-262, sentido Minas Gerais. O trajeto de carro dura cerca de duas horas. Também é possível ir de ônibus até a cidade, pois existem saídas diárias da capital. Informações sobre passagens: Rodoviária de Vitória (27) 3203-3666. A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) apoia a realização desse evento por meio do Edital de Chamamento Público de Apoio a Eventos realizado em 2018, e incentiva o capixaba a conhecer e a valorizar a cultura local.

FESTA DA POLENTA EM VENDA NOVA DO IMIGRANTE - LOGOMARCA DA FESTA
FESTA DA POLENTA EM VENDA NOVA DO IMIGRANTE – LOGOMARCA DA FESTA
FESTA DA POLENTA - CLÉRIO
CLÉRIO NA FESTA DA POLENTA

Grupo di Ballo Granello Giallo – Grupo de Danças Italianas (Grão Amarelo) Festa da Polenta – ES Apresentação do Grupo de Danças Italianas de Venda Nova do Imigrante, Di Ballo Granello Giallo, na Gran Expoes 2009, em Carapina, na Serra Espírito Santo, em Vídeo de Clério José Borges, Poeta Trovador e Escritor Capixaba. GranExpoES 2009. Feira dos Municípios Capixabas. O maior evento do agronegócio capixaba, a GranExpoES foi encerrada neste domingo, dia 23 de agosto, movimentando mais de R$ 35 milhões. Durante os seis dias de evento, mais de 105 mil pessoas passaram pelo Centro de Eventos Floriano Varejão, em Carapina, na Serra, para visitar os 179 estandes e conferir a programação de shows, a Feira de Municípios, a Exposição Estadual Agropecuária, os leilões, a Fazenda Ecológica, as palestras e minicursos, entre outras atrações. A GranExpoES, que começou na terça-feira, dia 18 de agosto, passou por uma reformulação em sua 33ª edição, ganhando um formato ainda mais voltado para a integração regional e focada na valorização cultural. Vídeo do Poeta Trovador e Escritor Capixaba, Clério José Borges de Sant Anna, Autor do Livro Origem Capixaba da Trova e História da Serra. Agosto de 2009.

Grupo di Ballo Granello Giallo – Grupo de Danças Italianas (Grão Amarelo) Festa da Polenta – ES Apresentação do Grupo de Danças Italianas de Venda Nova do Imigrante, Di Ballo Granello Giallo, na Gran Expoes 2009, em Carapina, na Serra Espírito Santo, em Vídeo de Clério José Borges.

Carnaval Capixaba 2013. Tradição Serrana leva Polenta e faz Sucesso no Carnaval de Vitória 2013

O Gremio Recreativo Cultural e Esportivo Escola de Samba Tradição Serrana, do bairro de Feu Rosa e Vila Nova de Colares, no Município da Serra, no Estado do Espírito Santo apresentou-se no primeiro dia de Carnaval de Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo promovendo uma verdadeira Tarantela no Sambão do Povo e abriu o primeiro dia de desfiles do grupo especial do Carnaval de Vitória. Com o enredo “Os sonhos dos imigrantes viraram realidade, a Tradição na Passarela canta a Tarantela”, a agremiação da Serra fez um desfile bonito, com brilho e muita animação no pé e abusou do colorido em suas fantasias, principalmente na ala das baianas. Logo na comissão de frente, a escola trouxe um grupo de italianos simulando a tradicional dança dos imigrantes, o que encantou o público presente nas arquibancadas. Apesar da alegria dos seus componentes, a escola que briga para se manter na elite do carnaval pode perder pontos preciosos. O desfile foi encerrado com uma ala da colônia de italianos do município de Santa Teresa, região serrana do Estado. A Tradição Serrana, única escola de samba do município da Serra, escolheu a saga dos imigrantes italianos para abrir o desfile das escolas de samba do grupo especial do carnaval de Vitória. A surpresa ficou por conta de um “polenta-móvel” – espécie de carrinho empurrado à mão com um forno à lenha adaptado – para a avenida. Eles ofereceram polenta para os integrantes da escola. Veja galeria de fotos do desfile A escola pisou na avenida 12 minutos e 23 segundos depois de receber o sinal verde da Liga das Escolas de Samba do Espírito Santo. A agremiação mostrou muita empolgação e criatividade em um desfile simples, sem fantasias luxuosas ou carros alegóricos grandiosos. A comissão de frente, formada por dançarinos do grupo folclórico Granello Giallo, de Venda Nova do Imigrante, na região serrana, mostrou um pouco da cultura italiana preservada no município até hoje. Um dos destaques da Tradição Serrana, nesta primeira noite de desfile, foi a presença de uma porta-estandarte à frente da carro abre-alas. A primeira alegoria mostrou um navio representando a chegada dos imigrantes ao Espírito Santo. A escola utilizou materiais recicláveis e baratos nas fantasias e também nas alegorias. O desfile da Tradição Serrana foi bem compacto, com alas pequenas. A agremiação tem um diferencial em relação às outras: cada ala é produzida por um bloco carnavalesco do município da Serra, na Grande Vitória. Um grupo de descendentes italianos veio de Santa Teresa e Venda Nova do Imigrante, na região serrana do Espírito Santo, para desfilar na Tradição Serrana. A turma do município de Venda Nova do Imigrante encerrou o desfile da Tradição Serrana. Por lá, uma das atrações ao longo do ano é a Festa da Polenta e os descendentes trouxeram a iguaria para a avenida. Eles ofereceram polenta para os integrantes da escola no final. Nesse clima festivo a Tradição Serrana completou o desfile com 1h05. Vídeo de Clério José Borges, Poeta Trovador e Escritor Capixaba. www.clerioborges.com.br

RECEITA= Como fazer a Gostosa Polenta:

Ingredientes

Massa da polenta:

  • 2 dentes de alho amassados
  • ½ cebola picada
  • 6 colheres de sopa de azeite
  • 1kg de fubá
  • 1,5 litros de água
  • 300g de queijo muçarela
  • sal e pimenta do reino a gosto

Molho de tomate

  • 2 kg de tomate maduro sem casca
  • 500g de carne moída
  • 6 colheres de sopa de azeite
  • ½ cebola picada
  • 3 dentes de alho amassados
  • sal a gosto

Modo de preparo:

Polenta

Em uma panela, refogue no azeite o alho, a cebola, o sal e a pimenta do reino. Acrescente 1,5 litro de água e deixe ferver. Em outra vasilha, dissolva o fubá em água fria o suficiente para que a mistura fique homogênea, sem pelotas. Junte a mistura na panela com a água fervente, mexa sem parar até engrossar e chegar ao ponto de angu.

Molho

Bata no liquidificador os tomates descascados. Em uma panela, refogue no azeite o alho, a cebola, sal e a pimenta. Coloque a carne moída e refogue até que a carne esteja cozida. Adicione o tomate batido e deixe cozinhar de 10 a 15 minutos em fogo baixo.

Montagem

Em um refratário grande, coloque a massa da polenta temperada e, por cima, o molho a bolonhesa. Finalize com fatias de queijo muçarela e leve ao forno para gratinar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *