Os Gostosos Bolinho de Arroz da Cidade da Serra ES feito com sobras de Arroz. Nada se perde. nada de jogar arroz fora. Deliciosos. Receita Tradicional da Saudosa Nira

RECEITA – CULINÁRIA: BOLINHO DE ARROZ DA SERRA – ES

Culinária Curiosidades Food História da Serra Receitas Zenaide Emília Thomes Borges
Bolinho de Arroz da Cidade da Serra ES feito com sobras de Arroz. Nada se perde. nada de jogar arroz fora. Deliciosos. Receita Tradicional da Saudosa Nira.
Bolinho de Arroz da Cidade da Serra ES feito com sobras de Arroz. Nada se perde. nada de jogar arroz fora. Deliciosos. Receita Tradicional da Saudosa Nira

BOLINHO DE ARROZ DA SERRA
HISTÓRICO – Texto do Livro Histórias da Serra de Clério José Borges.


O Bolinho de Arroz da Serra é uma comida típica e criada exclusivamente na Serra.
Por volta de 1920, após uma grande safra de arroz e não tendo o que fazer com o produto que sobrava, as cozinheiras das Fazendas dos Senhores da Serra, geralmente Negras que haviam sido escravas, procuravam inventar pratos especiais que passavam a receber a atenção por partes da tradicionais famílias da Região. O Serrano, mas precisamente a cozinheira Serrana criou o Bolinho de Arroz.
Os Bolinhos de Arroz da Serra, segundo o colunista Marcello Furtado, eram vendidos no Mercado da Avenida Capixaba, onde hoje é o Hotel São José, em Vitória, local em que aportavam os barcos e grande era a movimentação da população capixaba. Na Serra os bolinhos eram vendidos em vários locais, geralmente embalados em cinco unidades a preços bem populares.
Existem informações de que o bolinho de Arroz da Serra era servido na mesa do Café da Manhã, na Rede de Hotéis Porto do Sol, do Empresário João Dalmácio Castello, em Guarapari e Vitória, segundo informações do ex-Prefeito da Serra, Cilço Ribeiro ao colunista Marcello Furtado.
A Senhora Iracema Borges Loyola, já falecida, foi uma das mais especializadas cozinheiras da Serra, destacando-se pelos bolinhos de arroz que fazia. Morava na Rua Santos Pinto, na Serra Sede.
O bolinho atualmente é uma raridade na Serra Sede. Quando encontrado é vendido a 30 centavos cada um. Atualmente a tradição do Bolinho de Arroz é ainda preservada graças a Sra. Nira Faria Santos Moraes, (42), esposa do comerciante José Cajuza de Moraes, proprietários do Bar do Cajuza, na Praça João Miguel, na Serra Sede, próximo a Casa do Congo. A praça era reduto da Colônia Libanesa, na Serra.
A Sra. Zenaide Emília Thomes Borges, residente em Eurico Salles, Serra, conhece a receita de um Bolinho de Arroz diferente do existente na Serra Sede, feito com arroz velho, juntando ovos, farinha de trigo e frito. É o bolinho dos apressados, que não deixam o arroz de molho e nem a massa descansar. Trata-se de uma comida diferente, usada em Pau Amarelo, Cariacica e bairros da Grande Vitória, sem o azedinho e o sabor especial do bolinho típico de Arroz da Serra.
A Sra. Nira Faria Santos Moraes nasceu em Domingos Martins, interior do Estado e desde os dois anos mudou-se para a Serra onde casou e constituiu família. Sua mãe era a Sra. Arlita Pimentel Faria Santos de quem herdou dotes culinários. Seu pai era Mateus Faria Santos que por vários anos foi goleiro titular do Serra Futebol Clube, entre os anos de 1959 a 1969.
A Sra. Nira Faria Santos Moraes, na noite histórica de 05 de Setembro de 2001, quarta feira, pouco antes da derrota por 2 a 1 da equipe de Futebol do Brasil para a Argentina, em Buenos Aires, no Torneio Classificatório para a Copa do Mundo de Futebol em 2002, forneceu a RECEITA DO BOLINHO DE ARROZ DA SERRA, para Clério José Borges, tendo como testemunhas Marcello Furtado e o presidente do Conselho Municipal de Cultura da Serra, Aurélio Carlos Marques de Moura. Segundo consta, a Receita era guardada a sete chaves, sendo segredo de pais para filhos, só agora tornado público.

RECEITA DO BOLINHO DE ARROZ DA SERRA
Receita da Sra. Nira Faria Santos Moraes
1 – Lavar o arroz e colocar de molho 8 copos de arroz (2 litros) durante 24 horas
2 – Após, bater bem o arroz no liquidificador e colocar a metade do arroz batido numa panela em fogo baixo e mexer bem até fazer uma goma.
3 – Misturar a goma com o restante do arroz batido com o fogo apagado. Acrescente 3 copos de açúcar e uma colher rasa de chá de sal. Colher de chá é a menor.
4 – Colocar erva doce (Um pacote de 100 gramas)
5 – Na primeira vez, colocar o fermento de pão. (2 Tabletes)
6 – Misture bem a massa e deixe depois descansar mais 24 horas num recipiente grande. A massa tende a crescer.
7 – Após, colocar a massa em forminhas untadas na manteiga, para assar durante cerca de 40 minutos.
Receita para 70 bolinhos em forminhas do tipo usadas para fazer pequenas empadas.
Conselho: Quando fizer a primeira massa, guardar uma quantidade da massa para ser usada posteriormente. A massa será para substituir o fermento, dando um azedinho característico do Bolinho de Arroz da Serra.
A cópia da presente receita é permitida. Pede-se citar o nome da Autora, Nira Faria Santos Moraes e este site do livro “História da Serra”, de Clério José Borges.


Os Gostosos Bolinho de Arroz da Cidade da Serra ES feito com sobras de Arroz. Nada se perde. nada de jogar arroz fora. Deliciosos. Receita Tradicional da Saudosa Nira
Os Gostosos Bolinho de Arroz da Cidade da Serra ES feito com sobras de Arroz. Nada se perde. nada de jogar arroz fora. Deliciosos. Receita Tradicional da Saudosa Nira

Receita do Bolinho de Arroz Tradicional.

Ingredientes

  • 2 xícaras das de chá daquele arroz cozido,
  • 2 colheres das de sopa de azeite,
  • 2 ovos brancos e grandes e que já podem ser batidos,
  • 2 colheres das de sopa de farinha de trigo,
  • ½ xícara das de chá de salsinha picada,
  • ¼ de xícara de leite e sal a gosto.

Modo de fazer

  1. Vamos misturar o arroz e juntamente com os ovos, a farinha de trigo, a salsinha e o leite. O tempero ao seu gosto. Incluindo o sal e a salsinha nesse caso.
  2. Depois é pegar as porções que devem ser equivalentes a 1 colher de sopa e fazer o seu molde do bolinho e usar para isso duas colheres ou como muitos preferem diretamente nas mãos.
  3. Leve a frigideira para que sejam fritos e aos poucos no óleo quente e até que fiquem douradinhos.
  4. É a hora de escorrer em um papel toalha toda a gordura e depois se deliciar com esse petisco maravilhoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *